Você está na página 1de 26

TOXICOLOGIA

FORENSE

29/10/2007
TOXICOLOGIA
RAMOS DE ESTUDO
¾ Toxicologia Experimental – Toxicidade
- Prevenção
¾ Toxicologia Analítica – Toxicante
- Diagnóstico químico
¾ Toxicologia Clínica – Intoxicação
- Tratamento médico
TOXICOLOGIA

Social

Alimentos Ambiental
ÁREAS DE
APLICAÇÃO

Medicamentos Ocupacional
TOXICOLOGIA

Genética Regulatória

ASPECTOS

Forense Etc
TOXICOLOGIA FORENSE
Termo relacionado a qualquer aplicação da ciência
ou estudo dos toxicantes com a finalidade de
elucidar procedimentos legais ou judiciais.

Busca estabelecer uma relação causa-efeito entre a


presença de uma substância no organismo e
alterações detectadas no mesmo, com finalidade
legal.
CRIMINALÍSTICA

Ciência destinada à observação, interpretação e


descrição dos elementos sensíveis (vestígios),
encontrados no local dos fatos, no instrumento
utilizado ou no corpo da pessoa viva ou morta com
o objetivo de vincular pessoas às circunstâncias e
ao evento de provável ou evidente interesse
judiciário.
CIÊNCIAS FORENSES

¾ Heptâmetro de Quintiliano:
- O quê?
- Quem?
- Quando?
- Por que?
- Como?
- Onde?
- Com que meios?
INVESTIGAÇÃO TOXICOLÓGICA

¾ Obtenção do histórico e de amostras


adequadas

¾ Análises toxicológicas

¾ Interpretação dos resultados


ANÁLISES TOXICOLÓGICAS

- Para quê?
- O quê?
- Onde?
- Como?

¾ Para quê?
...com a finalidade de elucidar procedimentos legais ou
judiciais.
ANÁLISES TOXICOLÓGICAS

¾ O quê?
Qual será o analíto?
- o precursor?
- um produto de biotransformação?
- um parâmetro bioquímico?
O QUÊ? – TOXICANTE

Toxicocinética & toxicodinâmica


Absorção
Distribuição
Biotransformação
Armazenamento
Excreção

Ação no organismo (sinais e sintomas)


EXEMPLO – COCAÍNA
Via de introdução no organismo
Respiratória (fumo) e intravenosa
Efeitos intensos em 1-2 minutos e curta duração (30 min)
Pico plasmático – 1 a 2 minutos

Aspiração intranasal
Teores plasmáticos menores e manutenção do efeito por
período de tempo maior que as vias respiratória e intravenosa -
Pico plasmático - 30 minutos

Oral
30 minutos iniciais - sem detecção plasmática -
Pico plasmático em 90 minutos – efeitos mais prolongados
que as demais vias
EXEMPLO – COCAÍNA
Principais vias de biotransformação
EXEMPLO – COCAÍNA
Eliminação da cocaína no organismo

DRUMMER & GEROSTAMOULOS, Ther. Drug. Monit., v. 24, 2002


EXEMPLO – OPIÁCEOS
Vias de biotransformação
N.CH3
codeína N.CH3 heroína H
H H
H

CH3.CO.O O O.CO.CH3
H3C O O OH
N.CH3
H
H
6-acetil morfina

morfina HO O O.CO.CH3
N.CH3 N.CH3

H H
H H

O ácido glicurônico O O OH
HO OH
morfina conjugada
EXEMPLO – ALDICARB (chumbinho)
Produtos de biotransformação
ONDE? – AMOSTRAS

¾ Coleta:
- Como?
- O quê?
- Quanto?

¾ Cadeia de custódia
ONDE? – AMOSTRAS

¾ Seleção e coleta apropriada da amostra


¾ Acondicionamento das amostras
¾ Cadeia de custódia - documentação
adequada. Correlacionar o material
biológico à vítima ou indiciado
ONDE? – AMOSTRAS
MATERIAL QUANTIDADE
Cérebro 100g
Fígado 100g
Sangue 50mL (coração)
10mL (periférico)
Humor vítreo Toda quantidade disponível
Bile Toda quantidade disponível
Urina Toda quantidade disponível
Conteúdo gástrico Toda quantidade disponível
Humor vítreo
Cuidados na coleta
¾ Coleta sob observação
¾ Frasco e lacres fornecidos pelo laboratório
¾ Avaliação de autenticidade e integridade:
– densidade/creatinina
– temperatura: 32 a 38oC
– pH: 4,6 a 8,0
– coloração, cor
¾ Cadeia de custódia
¾ Método de análise
– Triagem: IE - sensibilidade
– Confirmação: CG/EM - especificidade
¾ Valores de corte
¾ Controle de qualidade
¾ Avaliação dos resultados
Principais parâmetros utilizados na
verificação de adulteração de urina
Desafios dos Labs Toxicologia Analítica
Complexidade da matriz
¾ sangue total
¾ plasma
¾ soro
¾ vísceras

Substâncias Testadas
Clínica Médica
¾ Álcool etílico
¾ Maconha
¾ Cocaína
¾ Anfetaminas
¾ Outros
COMO? – TÉCNICAS

¾ DESTILAÇÃO
¾ MICRODIFUSÃO
¾ ESPECTROSCOPIA
¾ CROMATOGRAFIA
¾ IMUNOENSAIO
INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS

¾ A substância está presente? Que


substância?
¾ Quanto desta substância está presente?
Essa concentração no organismo é
suficiente para causar a morte?
¾ Como a substância foi administrada?
PERITO CRIMINAL TOXICOLOGISTA

EMITIR
¾ RESULTADO DA ANÁLISE
TOXICOLÓGICA
¾ PARECER TOXICOLÓGICO
¾ TESTEMUNHAR