Você está na página 1de 7

Capítulo 4: Parte 4

1

ANATOMIA E FISIOLOGIA COMPARADA DO SISTEMA NERVOSO

INTRODUÇÃO

O tipo de sistema nervoso (SN) de cada organismo está estritamente associado com o tipo de vida do

mesmo. O primitivo SN da hidra, a qual permanece toda a vida aderida à rochas ou corais, é suficiente para conseguir seu alimento através de seus tentáculos. O sapo, com seu SN pode saltar e projetar sua língua para capturar insetos, possuindo um SN um pouco mais sofisticado. Contudo, nem o sapo nem a hidra conseguem resolver problemas de álgebra e entender sua própria fisiologia. A variação das respostas depende em grande parte, do número de neurônios e como estes estão organizados no SN do

animal. A medida que o grupo animal evolui, aumenta a complexidade do SN.

O Sistema Nervoso dos vertebrados consiste de:

- Sistema Nervoso Central (SNC): cérebro e medula espinhal;

- Sistema Nervoso Periférico (SNP): receptores, nervos aferentes e eferentes.

O SNC integra informações que chegam e determina a resposta apropriada. O SNP transmite informações

dos receptores para o SNC e transmite decisões do SNC para os músculos e glândulas que devem

responder.

do SNC para os músculos e glândulas que devem responder. Fig. 4.14 - A rede nervosa

Fig. 4.14 - A rede nervosa da hidra é o exemplo do mais simples sistema nervoso organizado. Não são encontrados um órgão central e nem vias nervosas definidas

Capítulo 4: Parte 4

2

SISTEMA NERVOSO DOS INVERTEBRADOS

Não há SN nas esponjas; as respostas obtidas são devidas à irritabilidade básica das células individuais;

os

demais invertebrados possuem redes de nervos ou Sistema Nervoso Bilateral (SNB).

O

SN mais simples, porém organizado, é o da hidra. As células nervosas são esparramadas pelo corpo,

formando uma rede nervosa. Não existe um controle central ou uma via definida presente. Os impulsos são transmitidos para todas as direções, tornando-se menos intensos à medida que se afastam da região de

estímulo inicial. As respostas produzidas envolvem o organismo como um todo.

Nos animais simétricos bilateralmente, o SN é usualmente mais complexo, refletindo um tipo de vida mais ativo, com respostas rápidas e sofisticadas para o ambiente. Os SN mais evoluídos podem ser identificados por:

1 - Número maior de células nervosas;

2 - Agrupamento das células nervosas formando nervos, gânglios e cérebro;

3 - Especialização de funções;

4 - Aumento no número de neurônios de associação e contatos sinápticos mais complexos;

5 - Cefalização, ou seja, formação de uma cabeça e um cérebro. Quando um animal tem uma cabeça, os principais órgãos dos sentidos estão lá localizados.

Nos vermes planos como a planária (fig. 4.15, notação a) as células nervosas formam o gânglio cerebral; duas cordas nervosas longitudinais ventrais se estendem desde o gânglio até a extremidade do corpo. Estas duas cordas são conectadas por nervos transversais este arranjo é chamado de sistema nervoso tipo escada.

Capítulo 4: Parte 4

3

Capítulo 4: Parte 4 3 Fig. 4.15 - Exemplos de Sistemas Nervosos:

Fig. 4.15 - Exemplos de Sistemas Nervosos:

Capítulo 4: Parte 4

4

Na minhoca (anelídeos) e nos artrópodes (lagostas) há gânglios nervosos localizados em cada segmento

do corpo, conectados por uma corda nervosa ventral, bilateralmente. Neurônios aferentes e eferentes são

localizados nos nervos laterais ligando os gânglios com os músculos e outras estruturas corpóreas.

Nos polvos (cefalópodes), as células nervosas tendem a se concentrar na região central. Todos os gânglios

se concentram num anel em volta do esôfago; assim o polvo é considerado um dos invertebrados mais inteligentes, sendo capaz de aprender tarefas complexas.

SISTEMA NERVOSO DOS VERTEBRADOS

O SN de vertebrados tem duas divisões principais: o Sistema Nervoso Central (SNC) e o Sistema

Nervoso Periférico (SNP). O SNC consiste de um cérebro complexo e contínuo com a medula espinal. É a central de controle, integrando informações que chegam e determinando as respostas apropriadas. 0 SNP é formado pelos receptores sensoriais (tato, visão e audição) e os nervos, que são linhas de comunicação. Várias partes do organismo estão ligadas ao cérebro pelos nervos craniais, e à medula espinhal pelos nervos espinais. 0 SNP é subdividido em porção somática e porção autônoma; muitos dos receptores e nervos relacionados com variações do ambiente são somáticos; aqueles que regulam o ambiente interno são autonômicos. Ambos possuem nervos sensoriais (aferentes), que transmitem mensagens dos receptores para o SNC e nervos motores (eferentes), que transmitem informações de volta para as estruturas que precisam responder. No sistema autônomo existem duas vias eferentes, os nervos simpáticos e parassimpáticos (Diagrama 1). Os nervos simpáticos estimulam os órgãos a

restaurar a energia, principalmente quando engajados em atividades relaxantes.

Capítulo 4: Parte 4

Diagrama 1

5

Divisões do Sistema Nervoso Humano

1) Sistema Nervoso Central (SNC)

2) Sistema Nervoso Periférico (SNP)

1) cérebro 2) medula espinal 1) Porção somática 2) Porção Autônoma
1) cérebro
2) medula espinal
1) Porção somática
2) Porção Autônoma

a) receptores

b) nervos aferentes: receptores SNC

c) nervos eferentes: SNC músculos, órgãos

a) receptores

b) nervos aferentes: érgtios internos SNC

c) nervos eferentes: SNC órgãos internos

nervos simpáticos = mobilização de energia

nervos parassimpáticos = conservação de energia

EVOLUÇÃO DO CÉREBRO DOS VERTEBRADOS

No embrião dos vertebrados, a medula espinhal e o cérebro se diferenciam, formando o tubo neural. Na porção anterior o tubo se desenvolve em cérebro e permanece ligado à medula espinhal. Assim que o cérebro começa a se diferenciar, três vesículas se formam, o prosencéfalo, o mesencéfalo e o rombencéfalo, estruturas presentes em todos os vertebrados (fig. 4.16).

Capítulo 4: Parte 4

6

Capítulo 4: Parte 4 6 Fig. 4.16 - Comparação entre os cérebros dos verteb rados. Observe

Fig. 4.16 - Comparação entre os cérebros dos vertebrados. Observe o bulbo olfativo grande no tubarão, essencial para o sentido da olfação, altamente desenvolvido para a atividade predadora. Conforme o animal é mais evoluído, maior e mais complexo é o cérebro.

O prosencéfalo se diferencia em diencéfalo e telencéfalo.

O diencéfalo contém o tálamo e hipotálamo.

- O tálamo é uma estação de retransmissão de mensagens motoras e sensoriais.

- O hipotálamo contém centros olfativos e é o principal centro de regulação dos órgãos internos. O hipotálamo liga os sistema nervoso e endócrino. Regula apetite, ingestão de água, resposta emocional e

sexual, temperatura corpórea nos mamíferos; leva impulsos para centros bulbares e da medula espinal que regulam atividades como os batimentos cardíacos, respiração e a digestão.

O telencéfalo diferencia-se para formar o cérebro e em muitos grupos, o bulbo olfativo, recebe informações a respeito dos odores.

Capítulo 4: Parte 4

7

O cérebro, na maioria dos vertebrados, é dividido em dois hemisférios: direito e esquerdo. O cérebro é

constituído de substância branca, que são os axônios, e de substância cinzenta, que são os corpos celulares. O cérebro tem funções de associação complexa como ler, memorizar, calcular, etc. O mesencéfalo é mais desenvolvido em peixes e anfíbios. Sendo principalmente uma área de associação, ele recebe, integra informações e leva decisões para os nervos motores apropriados. Nos mamíferos, o mesencéfalo consiste no colículo (elevação) superior, centro de reflexos visuais e no colículo inferior,

centro de reflexos auditivos.

O rombencéfalo se diferencia em bulbo, cerebelo e ponte.

- O bulbo regula alguns centros vitais: respiração, batimentos cardíacos, pressão sanguínea. Também regulam o vômito, tosse e o ato de engolir.

- O cerebelo coordena a atividade muscular, tonicidade muscular, postura e equilíbrio. Nos peixes, pássaros e mamíferos o cerebelo é muito desenvolvido e sua remoção nos pássaros faz com que não voem; nos humanos leva à falta de coordenação motora.

- A ponte é a conexão entre a medula espinhal, o bulbo e as partes superiores do encéfalo. Contém núcleos que intermedeiam impulsos do cérebro e cerebelo e ajudam na regulação da respiração.