Gustavo Noronha Silva

Fichamento: Montesquieu: sociedade e poder

Montes Claros maio / 2003

Gustavo Noronha Silva Fichamento: Montesquieu: sociedade e poder Trabalho apresentado a disciplina Pol´ ıtica I do curso de Ciˆncias Sociais da Universidade e Estadual de Montes Claros Orientador: Antˆnio Maciel o Montes Claros maio / 2003 .

a partir de leis da ciˆncia pol´ c˜ e ıtica. e por tantos s´culos. que poderiam corresponder. 1995. 115-6 . Mas aqui se trata de massa e movimento de outra ordem. . bases da e a ı tipologia de Montesquieu. a quem exerce o poder e como ele a a ´ exercido. se precis´ssemos levar adiante a met´fora. Fran´ ciso (Org). isto ´. 115 “Montesquieu est´ dizendo. p. Os Cl´ssicos da Pol´ a ıtica. as rela¸oes entre e ı e c˜ as leis (positivas) e ‘diversas coisas’. mas tamb´m os mecanismos que garantiram. A. . [leis s˜o] rela¸oes necess´rias que derivam da natureza das coisas . A modera¸ao ´ a pedra de toque do funcionamento est´vel c˜ c˜ e a dos governos. .” p. Guilhon. sua estabilidade. 115 “. .Os Cl´ssicos da Pol´ a ıtica Montesquieu: sociedade e poder 5 1 ALBUQUERQUE. e ´ preciso encontrar os mecanismos que a produziram nos e regimes do passado e do presente para propor um regime ideal para o futuro.” p. assim como ´ poss´ encontr´-las nas rela¸oes entre e ıvel a c˜ os corpos f´ ısicos. os conflitos intensos que o e minaram sua estabilidade. as dimens˜es do o Estado. J. 113-120. ´ certo que sua preocupa¸ao central foi a de compreender. Monc˜ e c˜ tesquieu tenta explicar as leis e institui¸oes humanas. . ” p. as rela¸oes entre as classes etc. a Introdu¸˜o ca “. que ´ poss´ a e ıvel encontrar uniformidades.” p. em primeiro lugar. . a organiza¸ao do com´rcio. ” a c˜ a p. . . as raz˜es da decadˆncia das monarquias. . S˜o esses (. a massa e o movimento pr´prios da pol´ o ıtica. . sua permanˆncia e c˜ e modifica¸oes. Montesquieu: sociedade e poder In: WEFFORT. constˆncias na varia¸ao dos comportamentos e formas de a c˜ organizar os homens. . tais como o clima. . ) a natureza e princ´pio de governo. 114 Das Leis “. e que Montesquieu identifica na no¸ao e c˜ de modera¸ao. em primeiro e c˜ lugar. 115 “O objeto de Montesquieu ´ o esp´rito das lei. S˜o Paulo: Atica. .

117 e a “No que concerne a rep´blica. ele n˜o afirma que ‘toda rep´blica ´ virtuosa. formas de organizar a sociedade. por exemplo. S˜o trˆs os princ´ e a e ıpios. Essa imensa diversidade n˜o se explica pela e a natureza do poder e deve. Montesquieu lembra que. 118 c˜ “O despotismo est´ condenado a autofagia: ele leva necessariamente a dea ` ` sagrega¸ao ou as rebeli˜es. 116 “. . Em tese. A rep´blica n˜o tem princ´ c˜ ` o u a ıpio de modera¸ao: c˜ . ) s˜o te´ricos do a o Contrato Social (ou do Pacto). . atrav´s de e o e leis fixas e institui¸oes. governa o povo no todo ou em parte c˜ u (rep´blicas aristocr´ticas). a rep´blica ´ o governo dos homens. porque. e que elas se acomodam mal ou bem a uma c˜ diversidade de povos. 116 ` “Montesquieu constata que o estado de sociedade comporta uma variedade imensa de formas de realiza¸ao.” u a o p. ou seja.” p. mas sim a maneira como elas funcionam. portanto. ´ o modo de funcionamento ıpio e a e dos governos. 116 “O princ´ de governo ´ a paix˜o que o move. . governa a vontade de um s´. no despotismo. est˜o fundamentalmente preocupados com a a natureza do poder pol´ ıtico. ´ fundamental distinguir e e a fonte do exerc´ do poder. com costumes diferentes.” p. por ` u tratar-se de um governo em que o poder ´ do povo. O que deve ser investigado n˜o ´.Os Cl´ssicos da Pol´ a ıtica Montesquieu: sociedade e poder 5 2 Dos Trˆs Governos e “Os pensadores pol´ ıticos que precedem Montesquieu (.” p. segundo Montesquieu. cada um correspondendo em tese a um governo. um s´ governa. como o poder ´ exercido. 117 c˜ ` ıcio “[assim se define] a natureza dos trˆs governos: o despotismo ´ o governo e e da paix˜o.” p. mas sim que a u e deveria sˆ-lo’ para ser est´vel. e estabelecer criteriosamente a divis˜o da ıcio a sociedade em classes com rela¸ao a origem e ao exerc´ do poder. na rep´blica. A natureza do governo diz respeito a quem det´m o poder: na monarquia. o com´rcio e o governo. ele vai considerar duas dimens˜es do funcionamento pol´ o ıtica das institui¸oes: a natureza e o princ´ c˜ ıpio de governo. ser explicada. e tendem a reduzir a quest˜o da estabilidade a do poder a sua natureza. portanto. a monarquia ´ o governo a u e e das institui¸oes.” p. a existˆncia de institui¸oes propriamente pol´ a e e c˜ ıticas. .

A eq¨ipotˆncia. s˜o as institui¸oes que a c˜ contˆm os impulsos da autoridade executiva e os apetites dos poderes ine termedi´rios. a separa¸ao c˜ c˜ dos poderes executivo. De acordo com essa vers˜o. ) ´ a chave da modera¸ao e c˜ dos governos mon´rquicos. Na monarquia. a boca que pronuncia as palavras da lei’. quando afirma que o judici´rio ´ um poder a e nulo. dentro dessa ordem de id´ias. cuja potˆncia prov´m da nobreza. 119 ızes a “Trata-se. a e A id´ia de equivalˆncia consiste em que essas trˆs fun¸oes deveriam ser e e e c˜ dotadas de igual poder. como condi¸ao para o Estado de direito. . . de assegurar a existˆncia de um e e poder que seja capaz de contrariar outro poder. e o povo. e n˜o um c˜ c a problema jur´ ıdico administrativo. ‘os ju´ (s˜o). Isto ´. Monc˜ u e a tesquieu estabeleceria.” p. sob sua otica. o poder est´ dividido e. . legislativo e judici´rio e a independˆncia entre eles. . de organiza¸ao de fun¸oes. a a portanto. Apenas a monarquia.” p.” p. o poder contraria o poder. E preciso e e que a classe nobre. de correla¸ao de for¸as. de um lado. 119 “. um governo de estabilidade poss´ para ´ ıvel sua ´poca. ou equivalˆncia dos poderes (..” p. mais ´ precisamente: o rei. 118 a Nota-se que h´ uma preocupa¸ao grande em torno da necessidade de a c˜ existˆncia de poderes que se contrariam para que se mantenha est´vel o e a governo.. . . Montesquieu considera a existˆncia de dois poderes — ou duas fontes de poder pol´ e ıtico. Essa (. ) c˜ e a encontre sua for¸a pol´ c ıtica em outra base social. em outras palavras. . e a classe popular de outro lado (na ´poca e . dos trˆs governos considerados por Montese quieu parece ser. E um problema pol´ ıtico. ) ´ refutada impliu e e e citamente por Montesquieu. trata-se de ene contrar uma instˆncia independente capaz de moderar o poder do rei (do a ´ executivo). . a teoria dos poderes ´ conhecida como a a e separa¸ao dos poderes ou a eq¨ipotˆncia. 119-20 c˜ c˜ “Para que haja modera¸ao ´ preciso que a instˆncia moderadora (. Na monarquia. e Dos Trˆs Poderes e “Na sua vers˜o mais divulgada.Os Cl´ssicos da Pol´ a ıtica Montesquieu: sociedade e poder 5 3 ela depende de que os homens mais virtuosos contenham seus pr´prios o apetites e contenham os demais.

c˜ c˜ . tenham poderes independentes e capazes de se contrapor. para que haja modera¸ao: um c˜ tipo de rela¸ao governo/oposi¸ao. por´m.” p. 120 Percebe-se que n˜o h´ exatamente um consenso sobre a real significa¸ao a a c˜ da teoria dos trˆs poderes de Montesquieu. ´ necess´rio que existam for¸as reais. Segundo a teoria preferida por e Albuquerque.Os Cl´ssicos da Pol´ a ıtica Montesquieu: sociedade e poder 5 4 ‘o povo’ designa a burguesia). emanando da e e a c sociedade se enfrentando no n´ pol´ ıvel ıtico.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful