Você está na página 1de 9

Apostila VIII

CONTABILIDAE GERAL –
Depreciação e Amortização
Professor Mozart
Estágio de Adaptação à Graduação de Sargentos
EAGS - SAD

1º Semestre 2011

2010 - Sem 1o. 1


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart
“Concurso não se faz para passar, mas até passar.” Wil l iam D o ug l as

Professor Mozart Rocha


CONTABILIDADE GERAL
Apostila 08

Capítulo VIII
Depreciação e Amortização
e Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa
Temas abordados
 Depreciação

 Amortização

 Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa

Depreciação, Amortização e
Exaustão
a) Depreciação – Consiste em considerar, como despesa ou custo do período, uma parte do valor gasto
na compra dos bens de uso da empresa. Os bens materiais, corpóreos ou tangíveis classificados no Ativo
Imobilizado são necessários para que a empresa possa desenvolver suas atividades. São considerados bens de
consumo durável porque não se desgastam no primeiro uso., Quando a empresa adquire um bem de duração
não superior a um ano, o valor gasto na compra desse bem não estará sujeito à depreciação, devendo ser
contabilizado diretamente como despesa operacional. Os bens de consumo duráveis que serão utilizados pela
empresa para desenvolver suas atividades normais por vários anos serão depreciados ao longo do tempo de
vida útil para que o valor gasto na sua aquisição seja distribuído proporcionalmente para compor o custo ou oi
valor das despesas dos exercícios durante os quais esse bem foi utilizado.
Causas: desgaste pelo uso, ação da natureza e obsolescência
O bem só poderá ser depreciado a partir da data em que for instalado, posto em serviço ou em condições de
produzir
Momento da depreciação: a depreciação pode ser calculada mensalmente ou no final do ano, por ocasião da
apuração do Resultado do Exercício.
Existem vários métodos de depreciação como método linear ou em linha reta, método da soma dos dígitos e
método do saldo decrescente, Horas de trabalho etc. O mais usado (é o que o utilizaremos) é o método linear ou
em linha reta, que consiste em aplicar taxas constantes durante o tempo de vida útil estimado para o bem.
A depreciação pode ainda ser normal ou acelerada, diferenciando-se tão somente em relação a taxa
aplicada, que poderá variar conforme o número de turnos de utilização do bem (cada turno corresponde a um
período de oito horas). Assim, se o bem for utilizado durante um único turno, a ele será aplicada a taxa normal; se
for utilizado durante dois turnos, será aplicada a taxa multiplicada pelo coeficiente 1,5 e ser for utilizado durante três
turnos será aplicada a taxa multiplicada pelo coeficiente 2.
Os bens que normalmente aparecem no Ativo Imobilizado e estão sujeitos a depreciação, com os
respectivos prazos de vida útil estimado e taxas aplicáveis são:

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 2


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart
CONTAS PRAZOS ADMITIDOS TAXAS
Computadores 5 anos 20% ao ano
Imóveis (exceto Terrenos) 25 anos 4% ao ano
Instalações 10 anos 10% ao ano
Móveis e Utensílios 10 anos 10% ao ano
Veículos 5 anos 20% ao ano

Não se depreciam:
a) terrenos, salvo em melhoramentos ou construções
b) bens que normalmente aumentam de valor com o tempo, como obra de arte
c) bens cujo tempo de vida útil seja inferior a um ano

Bens adquiridos usados: a taxa anual de depreciação de bens adquiridos será fixada tendo em vista o maior dos
seguintes prazos:
a) metade da vida útil admissível para o bem adquirido novo
b) restante da vida útil, considerada a época em relação à primeira instalação para utilização do bem

Vamos calcular o valor da quota de depreciação da Conta Móveis e Utensílios, sabendo que o saldo da conta
é de R$ 80.000 e a taxa anual de depreciação é de 10%.
Temos:
taxa..X..valor ..do..bem
 quota de depreciação
100
Veja os Cálculos:

10 X 80.000
 R$ 8.000
100

A contabilização da quota de depreciação é feita através do seguinte lançamento:

Depreciação (Conta de Despesa, vai para o Resultado)


a Depreciação Acumulada (Conta Patrimonial, redutora de Ativo Permanente)
Depreciação anual sobre Móveis e Úteis. Pela taxa 10% ao ano..................8.000

OBS: O bem material só está sujeito a depreciação a partir da data de sua efetiva utilização que, caso ocorra
no curso de um exercício, terá a sua quota de depreciação daquele exercício, proporcional ao número de
meses efetivamente utilizados.

b) Amortização – Diminuição do valor dos Bens imateriais (Benfeitorias em Imóveis de Terceiros, Marcas
e Patentes, Despesas de Organização etc.) em razão do tempo. O Cálculo das quotas de amortização é
semelhante ao das quotas de depreciação. Para conhecer o valor da quota de Amortização basta aplicar a
taxa sobre o valor da conta a ser amortizada.
Suponhamos que a Conta Benfeitorias em Imóveis de Terceiros apresente saldo de R$ 40.000, o qual deve
ser amortizado a taxa de 10% ao ano. Temos:

10X 40.000 4.000 Neste caso o valor a ser amortizado é de R$ 4.000 e seria contabilizado da seguinte forma:

100
Amortização (Conta de Despesa, vai para o Resultado)
a Amortização Acumulada (Conta Patrimonial, redutora de Ativo Permanente)
Amortização anual sobre Benfeitorias em
Imóveis de Terceiros, Pela taxa 10% ao ano...............................................4.000

c) Exaustão – Diminuição ao longo do tempo, do valor dos Bens e Direitos do Ativo Imobilizado relativos
a recursos minerais e florestais. Essa diminuição decorre de sua exploração (extração ou aproveitamento).
Os procedimentos para cálculo e contabilização da Exaustão são semelhantes aos da Depreciação e
Exaustão.

d) Quotas de Depreciação, Amortização e Exaustão influenciadas pela Correção Monetária.

Em virtude da vedação legal de qualquer sistema de correção monetária a partir de 01/01/96 (Lei 9.249,
de 26/12/95), deixaremos de abordar este tópico.

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 3


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart

Provisões para Crédito de


Liquidação Duvidosa
A Provisão para Crédito de Liquidação duvidosa é constituída no final do Exercício contábil, com a
finalidade de absorver perdas que provavelmente ocorrerão no recebimento de direitos oriundos da exploração
da atividade econômica da empresa, decorrentes da venda de bens nas operações de conta própria, dos
serviços prestados e das operações de conta alheia, normalmente contabilizados nas Contas Duplicatas a
Receber ou Clientes. O percentual a ser aplicado sobre os direitos citados será obtido pela relação entre a soma
das perdas efetivamente ocorridas nos últimos três exercícios.
Veja como o percentual deve ser apurado e o respectivo lançamento:
Dados extraídos da escrita contábil de uma empresa comercial:

SALDO DA CONTA
PERDAS – VALORES NÃO
ANO DUPLICATAS A
RECEBIDOS
RECEBER EM 1º DE
JANEIRO
X1 10.000 500
X2 20.000 3.000
X3 30.000 700
TOTAIS 60.000 4.200

Cálculo do percentual: 60.000 = 100% logo 4200 X100  7% Neste Caso, em 31/12/ X3, o percentual
60 .000
4.200 = X para fins de cálculo da provisão será de 7%

7% de 30.000 = 2.100 (valor da provisão) o lançamento contábil seria:

Despesas com Créditos de Liquidação Duvidosa (Conta de Despesa vai para Resultado)
a Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa (Conta Patrimonial, redutora de Ativo Circulante)
7% sobre os Direitos, nesta data...............................................................................2.100

Suponhamos que no final do ano seguinte, X4, duplicata no valor de R$ 1.000 foi considerada
incobrável. Esse valor deverá ser baixado do saldo de Duplicatas a Receber, contra a Conta Provisão para
Crédito de Liquidação Duvidosa. O Lançamento contábil seria:

Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa


a Duplicatas a Receber
Baixa da Duplicata Y de aceite do Sr José Calote, nesta data, considerada incobrável....1.000

Veja como ficariam os razonetes:

Despesas com Créd. De Liq. Duvidosa Provisão p/ Créd. De Liq. Duvidosa Duplicatas a Receber

a 2.100 b 1.000 2.100 a 30.000 1.000 b

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 4


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart

Lançamento de Reversão
Ainda no final do ano X4, quando se deve criar nova Provisão e havendo saldo na conta Provisão para
Crédito de Liquidação Duvidosa, que é o caso (saldo de 1.100), o mesmo será revertido para resultado através
do seguinte lançamento:

Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa


a Resultado do Exercício
Reversão do saldo não utilizado.....................................................1.100

Após a reversão do saldo não utilizado, cria-se nova provisão, conforme exemplo anterior.

Lançamento Complementar
A nova provisão poderá ser criada, também, pela diferença entre o saldo existente no exercício anterior
e o valor calculado da nova provisão (método da complementação), eliminando assim o lançamento da reversão
do saldo não utilizado.
Ex.: Em 31/12/x4 provisão a ser constituída R$2.000,00
Neste caso faremos somente o lançamento da diferença, pois já existe saldo na conta PCLD.

Despesas com PCLD


a PCLD R$2.000,00

OBS1.: Se o saldo da provisão não for suficiente para cobrir a duplicata incobrável, será feito o seguinte
lançamento:

Prejuízos eventuais/ Devedores Duvidosos


a Duplicatas a receber/ clientes

OBS2.: Não constituindo provisão e havendo duplicata considerada incobrável será feito o seguinte
lançamento:

Prejuízos eventuais/ Devedores Duvidosos


a Duplicatas a receber/ clientes

esumo

Depreciação e Amortização
Depreciação é a diminuição parcelada de valor que sofrem os Bens de Usa da empresa, em decorrência do desgaste
pelo uso, da ação da natureza e da obsolescência.
Os bens sujeitos a depreciação são bens corpóreos (tangíveis e materiais); como por exemplo: computadores, móveis e
utensílios, imóveis, instalações, veículos etc. Esses bens são contabilizados no Ativo Permanente.
Causas que justificam a Depreciação são:
 DESGASTE PELO USO;
 AÇÃO NA NATUREZA;
 OBSOLESCÊNCIA.

A depreciação pode ser, ainda, normal ou acelerada, diferenciando-se tão somente em relação à taxa aplicada, que poderá
variar de acordo com o número de turnos de utilização do Bem a ser depreciado. Assim, se o Bem for utilizado durante um único
turno, a ele será aplicada a taxa normal; se for utilizado durante dois turnos, será aplicada a taxa multiplicada pelo coeficiente 1,5;
e se for utilizado durante três turnos, será aplicada a taxa multiplicada pelo coeficiente 2,0.

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 5


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart

Os prazos usualmente admitidos, bem como as respectivas taxas de Depreciação dos Bens mais comuns, são:

Contas Vida útil Taxa


estimada anual

Computadores 5 anos 20% a.a.

Imóveis, exceto terrenos 25 anos 4% a.a.

Instalações 10 anos 10% a.a.

Móveis e Utensílios 10 anos 10% a.a.

Veículos 5 anos 20% a.a.

Existem vários métodos de Depreciação, como método linear ou em linha reta, método das somas dos dígitos, método dos
saldos decrescentes etc.
O mais usa do no Brasil é o método linear ou em linha reta, que consiste em aplicar taxas constantes durante o tempo de
vida útil estimado para o Bem. Por exemplo, se tempo de vida útil de um Bem foi determinado em 10 anos, a taxa anual de
Depreciação será de 10%.
A depreciação poder ser anual ou mensal.
Anual quando calculada e contabilizada um única vez ao ano. Mensal quando calculada e contabilizada mensalmente. Valor de
quota mensal é obtido dividindo-se o valor da quota anual por 12.
A contabilização da quota de Depreciação é feita mediante o seguinte:
Depreciação
a Depreciação Acumulada de Móveis e Utensílios
Quota de período, conf. cálculos 8.000

Importante!
Depreciação é uma
conta de Despesa
e Depreciação
Acumulada é uma
conta retificadora do
Ativo.

Amortização
Amortização é a diminuição do valor dos Bens imateriais em razão do tempo.
Lançamento
Amortização
a Amortização Acumulada 4.000

Sendo amortização uma conta de Despesa e amortização acumulada conta redutora do ativo.

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 6


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart
ATIVIDADES E EXERCÍCIOS

HoRa dA VeRdAdE!! Marque V (verdadeiro) ou F (falso)

149. Segundo a Lei 6.404/76 (lei das sociedades por ações), a depreciação corresponde à perda do valor dos direitos que têm
por objeto bens físicos, sujeitos a desgaste ou perda de utilidade por uso, ação da natureza ou obsolescência, Dessa forma,
quando a referida lei se refere à depreciação, o(s) grupo(s) do ativo mencionado(s) é (são):

a) ativo circulante
b) ativo realizável a longo prazo
c) ativo imobilizado
d) ativo investimento e ativo imobilizado
e) ativo investimento, ativo imobilizado e ativo diferido

150. Desgastes pelo Uso, obsolescência e ação do tempo são causados de:

a) Exaustão
b) Depreciação
c) Amortização
d) Correção Monetária

151. O método de Depreciação mais usado no Brasil é:

a) Linear ou Linha Reta


b) Soma dos Dígitos
c) Dos do saldos decrescentes
d) Da linha Curva

152. Despesa que afeta o resultado, mas não afeta o fluxo de caixa é:

a) despesas aluguéis
b) despesa de salários
c) despesa de depreciação
d) despesa de seguros
e) despesa de juros

153. Um bem depreciável em 4 anos foi adquirido por R$6.000,00, com pagamento contratado para 3 anos, em parcelas iguais.
No fim do segundo anos de uso desse bem, a empresa terá um encargo de depreciação no valor de:

a) R$ 4.000,00
b) R$ 3.000,00
c) R$ 2.000,00
d) R$ 1.500,00
e) R$ 1.000,00

154. A Cia. SOL adquiriu um equipamento industrial por R$162.000,00. A previsão do valor residual do equipamento, ao término
da vida útil estimada de 12 anos, é de R$ 6.000,00. [A quota anual de depreciação a ser lançada pela empresa, adotando-se
o método da linha reta, é, em reais, de:

a) R$ 12.500,00
b) R$ 13.000,00
c) R$ 13.500,00
d) R$ 14.000,00
e) R$ 14.500,00

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 7


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart
Questões de Concursos Diversos

155. A conta Marcas e Patentes é representativa de

a) bem do ativo permanente - imobilizado, sujeita a depreciação


b) bem do ativo permanente - investimentos, sujeito a depreciação
c) direito do ativo permanente - imobilizado, sujeito o amortização
d) direito do ativo permanente - investimentos, sujeito a amortização
e) bem ou direito do ativo diferido, sujeito a exaustão

156. (FTE-MG/93) A empresa ABC adquiriu, à vista, um lote vago no centro da cidade para explorá-lo como estacionamento pago.
O lançamento contábil do registro do fato administrativo referente à compra do lote foi o seguinte:

a) Imóveis
a Caixa/Bancos

b) Terrenos
a Caixa/Bancos

c) Estoques
a Caixa/Bancos

d) Imóveis de Renda
a Caixa/Bancos

e) Patrimônio Líquido
a Caixa/Bancos

157. (FTE-MG/93) A depreciação é um procedimento que afeta:

a) todo Ativo Permanente.


b) todo o Ativo Permanente Diferido.
c) todo o Ativo Imobilizado.
d) parte do Ativo Imobilizado. .
e) parte do Intangível.

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 8


Estude com quem Aprova!!!
CURSO PROGRESSÃO
Profº Mozart

Prova EAGS-SAD

158. (EAGS 2010-1) Com base nos conceitos contábeis de Amortização e Depreciação, classifique as assertivas
abaixo em (V) verdadeira ou (F) falsa e, em seguida, assinale a órgão com a seqüência correta.

( ) A depreciação é anual quando calculada e contabilizada uma única vez no ano.


( ) A exemplo do que ocorre com a Depreciação, a Amortização também poderá ser calculada e
contabilizada mensalmente.
( ) Contabilmente, depreciar significa considerar como Despesa ou custo de um período, parte do valor gasto
na compra dos Bens de Uso da empresa.
a) V, V,V
b) F, V, V
c) V, F, F
d) F, F, V

159. (EAGS 2008) Um computador novo foi adquirido em 01 jan 2004, por R$8.000,00. Sabendo-se que o
computador deverá ser depreciado em 5 anos pelo método linear e que a empresa levanta o seu balanço em
31dez, o valor da conta depreciação acumulada s o m o u , e m 3 1 d e z . 2 0 0 6 .

a) R$ 1.600.00
b) R$ 3.200,00
c) R$ 4.800,00
d) R$ 5.000,00

160. (EAGS 2002) O método mais usado para depreciação no Brasil é


a) linear ou linha reta.
b) soma dos dígitos.
c) dos saldos decrescentes.
d) dos saldos credores.

Que o Senhor sobre ti levante o rosto e te dê a Aprovação!!!

www.cursoprogressao.com.br 2011 - Sem 2o. 9


Estude com quem Aprova!!!