Você está na página 1de 7

COLÉGIO FRANCISCANO SANT`ANNA

CURSO NORMAL - MAGISTÉRIO ESPECIAL


MÓDULO V – ESTÁGIO CURRICULAR
SUPERVISÃO E ORIENTAÇÃO: KARLA DE SOUZA PIPPI

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

POR:
TÂNIA INÊS MIGOTTO LEONARDI

SANTA MARIA, 04 DE JULHO DE 2007.


1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

1.1 DA INSTITUIÇÃO
ESCOLA: Colégio Franciscano Sant`anna
ENDEREÇO: Rua dos Andradas,1658 – Centro
Santa Maria – RS
FONE: (55) 3222-4545 - (55) 3222-4511

1.2. PESSOAIS
NOME: Tânia Inês Migotto Leonardi
ENDEREÇO: Avenida 17 de Julho,943 – Centro
Dona Francisca – RS
FONE: (55) 3268-1425 - (55) 9622-5278

1.3. DA ESCOLA
ESCOLA: Escola Municipal de Ensino Fundamental Antônio Luiz Barchet
ENDEREÇO: Rua Guilherme Barchet,115
CEP: 97280-000
COORDENADORA PEDAGÓGICA: Sandra Maria Somavilla
2. INTRODUÇÃO:

Realizei meu estágio supervisionado referente ao quinto módulo do curso normal na


Escola Municipal Antônio Luiz Barchet. Este estágio iniciou-se no dia 01 de março de
2007 e teve seu término em 21 de julho de 2007, totalizando 400 horas. O estágio
aconteceu na parte da tarde, das 13h 10 min até as 17h 10 min.
Os objetivos deste estágio, além de serem o de desenvolver as crianças em vários
aspectos como social, psicomotor, emocional, criativo, entre tantos outros, foi poder
experenciar na prática tudo o que havíamos estudado e criado nas aulas que tivemos em
dois anos de curso normal.
Fui muito bem recebida pela escola onde a coordenadora pedagógica é Sandra
Somavilla, mas não falo só dela, bem como as demais professoras que lá atuam em
outras turmas, principalmente a professora regente Eliane Berger. Pelo que pude
perceber também tive boa aceitação também dos pais que sempre demonstraram
bastante carinho e respeito por mim, dialogando sempr5e que necessário, colocando
particularidades de suas crianças e interagindo enfim com meu trabalho.
Tive professora regente, Eliane Berger no qual foi uma pessoa muito especial neste
período do meu estágio, sempre que precisava estava pronta a me ajudar, auxiliava nos
trabalhos que realizava com crianças.
Por meio deste relatório, venho apresentar duas atividades que foram significativas a
mim e a meus alunos durante meu estágio supervisionado. Para ilustração e melhor
entendimento, segue em anexo algumas fotos, desenhos das crianças em relação ao
referido trabalho.
3. PERFIL

A turma Pré – B da Escola Municipal Antônio Luiz Barchet é composta hoje por
vinte e cinco alunos. No início eram vinte e nove, porém por motivo de morarem longe
da escola e mudar-se para outra cidade, hoje a turma está com onze meninas e quatorze
meninos.
A classificação econômica das famílias é média baixa, sendo que a maioria dos pais
trabalha fora, mas as crianças freqüentam somente meio dia na escola. Acredito que
fatores como contexto familiar e até mesmo relacionamento com os pais faça com que a
turma de modo geral, seja bastante agitada. Muitas vezes querer resistir às propostas de
atividades para fazerem o que bem entenderem, como reflexo de uma realidade que
vivem em casa. Sabem das normas da escola, têm perfeita consciência de quando estão
certos e quando estão errados e mesmo assim tentam transgredir para ver até onde é
possível.
Dessa forma, tivemos dias em que o trabalho foi bom, bem desenvolvido, atingindo
os objetivos e outros em que o trabalho foi um pouco prejudicado pelo comportamento,
onde é preciso chamar toda a hora para a atividade ou caso contrário se dispersavam
com muita facilidade.
Espero que o trabalho que desenvolvi possa contribuir para o futuro dessas
crianças. Sei que muitas delas não iram tão longe quanto desejo, já que há uma história
cultural que perpassa aquela comunidade e cuja história exige das pessoas muito mais o
trabalho em virtude da subsistência vendo o estudo em segundo plano. Mesmo assim,
desejo que essas crianças possam continuar vivendo bem, se alimentando
adequadamente e recebendo a educação que hoje recebem nesta escola. Será bastante
gratificante ver ao avanço desta comunidade, quando daqui a alguns anos veremos essa
comunidade crescendo e evoluindo através dessas crianças que hoje passaram pelas
nossas mãos.
3.2. DA ESCOLA

Como já dito, a escola chama-se Escola Municipal Antônio Luiz Barchet, que está
localizada na vila Cohab em Dona Francisca.
Fisicamente falando, esta escola dispõem de um amplo espaço, com sete salas de
aulas, um refeitório, uma cozinha, três banheiros, uma sala dos professores,uma sala
para diretora, além de um pátio calçado e também um espaço com areia em boas
condições. Há um ginásio de esportes da escola, onde disponibiliza de alguns dias para
levar as crianças. Os brinquedos da escola são bastante limitados, porque são divididos
com outras turmas, porém este não é um problema grave, embora se tivéssemos mais
brinquedos seria melhor. Mas o que mais dificulta para a realização de assistir filmes é
que o mesmo está localizado no refeitório.
A escola conta atualmente com 186 alunos em dois turnos, sendo que alguns
permanecem em turno integral na mesma. A rotina diária constitui-se em horário de
entrada 7h 30 min e a saída às 15h 10 min. Falando basicamente do Pré – B, a rodinha
de conversa, oração, higiene, horário de alimentação, atividades dirigidas em sala de
aula, atividades dirigidas no pátio, atividades dirigidas no ginásio de esportes, entre
outras atividades que não acontecem diariamente.
A escola tem por objetivo promover o desenvolvimento da criança de Pré – A ( 4
anos) até a quarta série, enfatizando seu bem estar, sua socialização, e os conhecimentos
do conteúdo na qual está inserida.
Os beneficiários desta escola são todas as crianças residentes ou não deste município
da referida faixa etária que estão aptas a freqüentar.
4. RELATO DE DUAS EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS

4.1. HISTÓRIA: A Lebre e a Tartaruga


Dentro da temática dos animais, pensando em uma atividade lúdica que ainda não
tivesse sido trabalhada criei a montagem da história numa televisão. Procurei ilustrar da
melhor forma possível o cenário em que passei a história.
Inicialmente pedi que todos fizessem silêncio e prestassem o máximo de atenção na
história.
Depois de contada a história, as crianças pediram que contasse mais uma vez a
história.
Perguntei se algum deles gostaria de contar a história. Como acharam o máximo
aquela televisão rodando a história, todos contaram da sua maneira a mesma.
Depois disso fiz um diálogo com eles no qual eu ia fazendo algumas perguntas como:
_ Quais os animais que participaram da história?
_ Se vocês fossem um dos animais da história, qual gostaria de ser? Por Quê?
_ Vocês acham que sempre quem é o mais rápido faz as coisas melhores? Por Quê?
Nesta parte da atividade eles puderam estar trabalhando a relação devagar/ rápido, pois
perceberam que nem sempre quem faz mais rápido faz melhor, e sim, o melhor é aquele
que faz bem.
Foi uma atividade bastante significativa para mim e também para as crianças. Para
mim porque percebi eles explorando o cenário, os animais, as cores, a novidade da
contagem da história numa televisão onde passava a história rodando com os rolinhos, e
este era meu objetivo, fazer com que eles pudessem estar finalmente criando,
inventando, explorando o devagar e o rápido. Para eles foi significativa porque era uma
grande novidade, pois rodaram os rolinhos no cenário, e explorará a oralidade da
contagem dos animais dando seqüência a passagem da história.
Várias vezes, durante o estágio trabalhei este tipo de atividade na qual além de escutar
a história ilustrada eles pudessem estar recompondo, recriando, inventando a partir da
mesma, utilizando o material que estava à disposição. Acredito que estas atividades
tenham sido de muito sucesso, pois obtive sempre a participação de todos já que se tem
algo que chama a atenção deles é a oralidade, o tocar, enfim, essa exploração.
4.2. VISITA A CASA DO COELHO

Na semana em que trabalhamos “ Páscoa “,