Você está na página 1de 24

Sistema Respiratório

Sistema Respiratório
Anatomia
Conceito

O sistema respiratório tem, por função básica, o


fornecimento de oxigênio e a liberação do dióxido de
carbono dos tecidos do nosso corpo. É na presença de
oxigênio que ocorrem as reações de oxidação, que têm
como produto metabólico o dióxido de carbono. O
oxigênio e o dióxido de carbono são, então, carreados pelo
sangue (sistema circulatório) que serve como condutor de
tais gases.
O sistema respiratório divide-se em porção de
condução e porção de respiração. A
porção de condução compõe-se dos
brônquios e traquéia. O nariz, laringe e
faringe não têm apenas função de condução
aerífera. O nariz possui função olfativa, a
laringe é também responsável pela fonação
e a faringe está relacionada com o sistema
digestivo.
Sistema Respiratório
Nariz
1.1 Nariz externo

Está no plano mediano externo da face. Possui forma


piramidal triangular onde sua porção superior denomina-se
raiz e sua porção inferior, base. Na base encontramos duas
estruturas chamadas narinas, separadas por um septo,
responsáveis pela comunicação da cavidade nasal com o
exterior. O ponto mais projetado anteriormente dá-se o
nome de ápice e entre ele e a raiz, temos o dorso do nariz.,
cujo perfil é variável, assim como a forma das narinas. O
esqueleto do nariz é ósteo-cartilagíneo.
Cavidade Nasal
Comunica-se com o meio externo através das narinas. A
cavidade nasal é dividida em direita e esquerda pelo septo
nasal. O septo nasal está constituído por partes
cartilaginosa (cartilagem do septo nasal) e óssea (lâmina
perpendicular do etmóide e vômer). A cavidade nasal
pode ainda ser dividida em vestíbulo, que segue-se
imediatamente às narinas, compreendendo uma pequena
dilatação revestida de pele apresentando pelos; região
respiratória e olfatória, que seguem-se ao vestíbulo,
sendo que a região olfatória, no homem, é bastante
reduzida. Constitui-se apenas à concha superior e 1/3
superior do septo nasal, de onde partem os nervos
olfatórios e que atravessam as aberturas da lâmina crivosa
do etmóide. A mucosa da cavidade nasal é extremamente
vascularizada e com freqüência ocorre hemorragias nasais
(epistaxe).
Seios paranasais

Os ossos frontal, maxila, esfenóide e etmóide


apresentam cavidades denominadas seios
paranasais de função ainda não esclarecida. Estes
seios paranasais são forrados pela mesma mucosa
da cavidade nasal, em toda sua continuidade. Os
seios paranasais são respectivamente: seio frontal,
seio etmoidal e seio maxilar.
Seios paranasais
Faringe
Esta estrutura é estudada mais aprofundadamente no
sistema digestivo. No sistema respiratório a faringe
comunica-se com a cavidade nasal através das coanas,
local este denominado parte nasal da faringe. Há ainda a
parte bucal, que comunica-se com a boca através de uma
abertura denominada istmo da garganta e a parte
laríngica, situada posteriormente a laringe e continuada
pelo esôfago. A tuba auditiva também comunica-se com a
faringe através do óstio faríngico da tuba auditiva. A tuba
auditiva, por sua vez, conecta a parte nasal da faringe com
a cavidade timpânica do ouvido (orelha) média.
Laringe
É um órgão tubular situado no plano mediano anterior do pescoço.
Além de sua função aerífera, também é órgão da fonação. Coloca-se
anteriormente a faringe e é continuada pela traquéia. Sua formação
estrutural é cartilaginosa, cuja maior porção é ocupada pela cartilagem
tireóidea da laringe. Na sua superfície interna, encontramos uma fenda
ântero-posterior denominada ventrículo da laringe e que possui duas
pregas: prega vestibular e prega vocal. Entre a prega vestibular e a
prega vocal temos uma estrutura a qual damos o nome de glote,e a
porção logo abaixo da glote denomina-se cavidade infraglótica que se
continua com a cavidade da traquéia. A prega vocal constitui-se do
ligamento vocal e dos músculos vocais, revestidos por mucosa. Os
músculos vocais provocam, através de sua contração ou relaxamento, a
tensão ou relaxamento das cordas vocais, interferindo sobre a
tonalidade do som produzido.
Laringe
Traquéia e brônquios
A traquéia situa-se no prolongamento da laringe, é uma
estrutura composta de anéis cartilagíneos e musculatura
lisa. Os anéis cartilagíneos evitam que sua estrutura
colapse enquanto a parte muscular permite sua flexibiliade
e mobilidade. Na sua porção inferior, subdivide-se em dois
brônquios principais, direito e esquerdo, que se dirigem
para os pulmões. Cada brônquio principal dá origem aos
brônquios lobares ou de segunda ordem, que ventilam
os lobos pulmonares. Estes por sua vez subdividem-se em
brônquios segmentares ou de terceira ordem, que se
prosseguem com os segmentos broncopulmonares. Estes
por sua vez dividem-se sucessivas vezes antes de
terminarem nos alvéolos pulmonares. Em suma, cada
brônquio principal dá origem a uma série de ramificações
conhecidas, em conjunto, como árvore brônquica.
Epitélio da traquéia
Traquéia, brônquios e árvore
brônquica
Bronquíolos, alvéolos e capilares
alveolares
Alvéolos
Pleura e pulmão
Os pulmões estão na cavidade torácica e entre eles há uma
região medial chamada mediastino, ocupada pelo coração,
os grandes vasos e alguns dos seus ramos proximais, o
esôfago, parte da traquéia e brônquios principais, além de
nervos e linfáticos.
Cada pulmão está envolto em um saco seroso
completamente fechado: a pleura, que apresenta duas
lâminas (folhetos), a pleura pulmonar, que reveste a
superfície do pulmão e mantém continuidade com a pleura
perietal que recobre a face interna da parede do tórax.
Entre as pleuras parietal e pulmonar há um espaço virtual,
a cavidade da pleura, contendo uma película de líquido
de espessura capilar que permite o livre deslizamento de
um folheto sobre o outro nas constantes variações do
volume pulmonar.
Os pulmões, por sua vez, são órgãos que apresentam duas faces (costal
e medial), uma base inferior e um ápice superior. A base apóia-se
sobre o diafragma, por isso também é conhecida como face
diafragmática. Os pulmões dividem-se em lobos, que embora possa
haver variações, é de três para o pulmão direito e dois para o esquerdo
no homem. Os lobos do pulmão direito são então denominados
superior, médio e inferior e são separados entre si por fendas
profundas, as fissuras oblíqua e horizontal. Já o pulmão esquerdo
com seus lobos superior e inferior apresenta somente a fissura
oblíqua. Os lobos, por sua vez, dividem-se em segmentos
broncopulmonares, considerados como sendo a maior porção de um
lobo, ventiladas por um brônquio específico, que se origina
diretamente de um brônquio lobar.
Na sua face medial, cada um dos pulmões apresenta uma fenda
chamada de hilo do pulmão, pelo qual entram ou saem brônquios,
vasos e nervos pulmonares, constituindo a raiz do pulmão.
Pleura costal

Pleura
diafragmática
Expansão torácica