Você está na página 1de 37

Revisão Fisiologia do

Exercício

• Fontes de energia
• Limiares
• Volume de Oxigênio
• Cálculos metabólicos
• Quociente Respiratório (QR)

Prof. Esp. Jocelito Martins


Fontes de Energia
• Energia imediata
ATP e ATP-PC
• Energia a curto prazo
Glicólise anaeróbica
• Energia a longo prazo
Glicólise aeróbica e metabolismo oxidativo
Energia imediata
• Provem do ATP armazenado nos músculos
• E da Creatina fosfato (CP) que é clivada
doando seu Pi para o ADP ressintetizar ATP
– CP ⇔ Cr + Pi para formar ADP + Pi ⇔ ATP

• Sustentam pouquíssimo tempo de atividade


média de 3 a 5 segundos
• Esportes de explosão
– 100 metros
– Levantamento de pesos
– Natação 25 metros
Energia a curto prazo
• Glicólise anaeróbica
• Substrato Glicose
– Hipoglicemia
– Neoglicogênese
• Glicogênio
– Muscular (sustenta a atividade do músculo ativo)
– Hepático (mantém os níveis de glicose sanguínea)
• Exercícios de 30 segundos a 5 minutos
Energia a longo prazo
• Estágio final da transferência de energia
• Exercícios aeróbicos
– Maratona, Triatlon, Natação 5.000 metros
– Atividades de longa duração e baixa intensidade

• Presença de oxigênio para metabolismo


• Oxidação dos ácidos graxos
Pergunta 1
• Explique fisiologicamente quais as vias
energéticas utilizadas, assim como, a sua
transferência na prova de 800 metros do
atletismo? Porque?
Pergunta 2
Um cliente procura vocês para realizar um
programa de treinamento pois deseja
emagrecer. Qual o tipo de exercício vocês
prescreveriam para ele? Explique.
Limiar Anaeróbico
• Quando a intensidade do exercício aumenta
e conseqüentemente o oxigênio consumido
não é suficiente para produzir a energia
necessária para a continuação do mesmo.

• Energia proveniente da glicólise anaeróbica


• Ocorre acúmulo de Lactato Sanguíneo
Ácido Lático ≠ Lactato
• Lactato é a forma reduzida do Ácido Lático

• C3H6O3 (Ácido láctico)

• C3H5O3 + Na+ ou K+ (Lactato – sal)


Limiar anaeróbico
• 4 mmol/l de sangue

• Referência para a prescrição de treino para


um atleta
Pergunta 3
Por que é importante identificarmos o limiar
anaeróbico do atleta que estamos
trabalhando?
Pergunta 4
Se vocês prescrevessem uma atividade
muito próxima do limiar anaeróbico o que
será que aconteceria, com este limiar, no
transcorrer das semanas de treinamento?
Déficit de Oxigênio
• O déficit de oxigênio é a diferença entre
o oxigênio total consumido durante o
exercício e o total que teria sido
consumido se tivesse sido alcançado um
ritmo estável de metabolismo aeróbico
desde o início
Déficit de Oxigênio
• Durante o esse momento de déficit a energia é
proveniente do metabolismo não-aeróbio, ou seja,
sistema ATP-PC e Glicólise Anaeróbica

• Quando se consegue equilibrar o consumo de


Oxigênio com a necessidade metabólica, esse
momento de equilíbrio denomina-se STEADY
STATE
Débito de Oxigênio
• Também conhecido como “Dívida de Oxigênio”

• Tempo em que o organismo leva para alcançar os


valores de consumo de oxigênio de repouso

• Variação no tempo de recuperação depende da


intensidade do exercício
Gráfico
EPOC – Excess Postexercise
Oxygen Consuption

• Alguns fisiologistas defendem o “Débito de


Oxigênio” pelo consumo acentuado de
oxigênio após o exercício, outros defendem
como sendo o EPOC (Excess Postexercise
Oxygen Consuption) pois dizem que não é
apenas para pagar o oxigênio usado
inicialmente, mas também para remover
produtos metabólicos provenientes da
atividade física.
Fases de recuperação
Fase de O2 de recuperação rápida (FRR)
Débito Alático de O2

Fase de O2 de recuperação lenta (FRL)


Débito Lático de O2
Principais atividades

• Reposição das reservas energéticas


• Remoção do ácido lático
• Reposição das reservas de oxigênio
• Efeitos termogênicos da temperatura
central elevada e dos hormônios
• Efeitos da FC elevada, ventilação e
outros níveis elevados da função
fisiológica.
Pergunta 5
Explique o por que da ocorrência do déficit
de oxigênio no início de qualquer atividade
física ? O treinamento influência nesta
variável ? Por que ?

Pergunta 6
Ao final de uma atividade, de que maneira
poderíamos diminuir o tempo de débito de
oxigênio, fazendo com que o atleta retorne
aos seus valores de repouso de consumo de
oxigênio?
Consumo Máximo de Oxigênio
(VO2máx)
• Conceito: Capacidade máxima de
consumir, transportar e utilizar o oxigênio
para produção de energia.

• Expresso de forma ABSOLUTA: L/min-1


• Expresso de forma RELATIVA: ml/Kg/min-1
Equações de Conversão

• Relativo: VO2 abs x 1000


MCT

• Absoluto: VO2 rel x MCT


1000
Formas de mensuração
• Calorimetria Direta
– Câmara hermética, isolada e arejada
• Calorimetria Indireta
– Espirometria de circuito fechado
• Inala ar contido no espirometro
– Espirometria de circuito aberto
• Inala ar ambiente
• Energia calculada da diferença entre O2 e CO2

Calorimetria Direta x Indireta=0,22%(não significa)


Espirometria de circuito aberto
MET
• Conceito: múltiplo da taxa metabólica de
repouso, ou seja, equivale ao consumo de
oxigênio em repouso

•1 MET = 3,5 ml.kg.min-1

•1 MET = 1,25 Kcal

•3,5 ml.kg.min-1 = 1,25 Kcal


Pergunta 7
Um atleta realizou um teste de esforço máx.
onde obtivemos as seguintes informações:
VO2 máx = 4,8 L/min e MCT = 82 Kg
•Calcule o VO2 relativo?
•Quantos METs seriam utilizados durante 40
minutos a 70% do VO2 máx?
•Quanto tempo esse sujeito deveria exercitar-se
nessa intensidade para gastar 930 Kcal?
•Diante de tais informações qual seria o esporte
mais indicado para este atleta? Explique
fisiologicamente.
Quociente Respiratório - QR
• Quantidade de O2 necessária para
oxidar completamente os átomos de
Carbono e Hidrogênio das moléculas
dos substratos energéticos (CHO,
Lipídeos, Proteínas)

• Tendo como produtos finais CO2 e H2O


Fórmula do QR

QR = CO2 produzido
O2 consumido
Tipos de QR
• A quantidade de O2 consumido varia de
acordo com ao substrato energético
metabolizado

• QR dos Carboidratos
• QR dos Lipídeos
• QR das Proteínas
• QR não - protéico
QR dos Carboidratos
• O2 consumido é utilizado para oxidar os
átomos de carbono da molécula de
glicose C6H12O6 em CO2

• São utilizadas 6 moléculas de O2


• Produzidas 6 moléculas de CO2 e 6 de
H2O

• QR dos Carboidratos: 6 CO2 / 6 O2 = 1,00


QR Carboidratos

6 O2
respiração C6 H12 O6

6 H2O (Água)
6 CO2
(Dióxido de Carbono)

QR dos Carboidratos: 6 CO2 / 6 O2 = 1,00


QR dos Lipídeos
• O2 consumido é utilizado para oxidar os
átomos de Carbono e os Hidrogênios em
excesso da molécula de Ácido Palmítico
C16H32O2

• São utilizadas 23 O2
• Produzidos 16 CO2

• QR dos Lipídeos: 16 CO2 / 23 O2 = 0,70


QR dos Lipídeos
7 O2 (14 Oxig.)

4 H + O2 2 H2O

Respiração = 23 O2
C16H32O2
16 moléculas de
Água

16 O2
14 H2O
16 CO2

QR Lipídeos = 16 CO2 / 23 O2 = 0,70


QR das Proteínas
• Não são simplesmente oxidadas em CO2 e H2O.

• Desaminação no fígado, fragmentada em


nitrogênio (urina) e enxofre (fezes)

• Fragmentos cetônicos são oxidados em CO2 e


H2O proporcionando energia.

• O QR das proteínas é de 0,82


QR não-protéico
Parte da permuta respiratória que não é
atribuída as Proteínas, ou seja, o O2
consumido e o CO2 produzido são
provenientes apenas dos Carboidratos e
Lipídeos
• 1 gr de nitrogênio urinário = 6,25 gr de proteína
metabolizada
• 1 gr de nitrogênio = 4,8 L CO2 produzido
• 1 gr de nitrogênio = 6,0 L O2 consumido
Exemplo prático – passo a passo

• O seguinte exemplo ilustra as etapas


utilizadas no cálculo dos elementos não-
protéicos do QR. O cálculo se baseia em
dados de um indivíduo que consome 4
litros de oxigênio e produz 3,4 litros de
CO2 durante um período de repouso de
15 minutos. Durante esse período é
excretada na urina uma quantidade de
0,13 gr de Nitrogênio:
• 4,8 l de CO2.g–1 de proteína metabolizada x 0,13
gr =0,62 l de CO2 produzido no catabolismo da
proteína.

•  6,0 l de O2.g–1 de proteína metabolizada x 0,13


gr =0,78 l de O2 consumido no catabolismo da
proteína.

•  CO2 não-protéico produzido = 3,4 l de CO2 –


0,62 l de CO2 = 2,78 l de CO2

•  O2 não-protéico consumido = 4,0 l de O2 – 0,78 l


deO2 = 3,22 l de O2

•  QR não-protéico = 2,78 ÷ 3,22 = 0,86.


Pergunta 8
Um atleta realiza um teste com duração de
12 minutos. Ele consumiu 4,3 L/min O2 e
produziu 3,6 L/min de CO2, excretando 12 gr
de Nitrogênio na urina.

– Calcule o QR não protéico desse atleta.


– Qual o metabolismo utilizado ?
– Qual o substrato energético utilizado
predominantemente ?
E-mail: jocelitomartins@pop.com.br

Boa Sorte ! Boa Prova!