Você está na página 1de 52

Gastrite

• Processo Inflamatório Agudo ou Crônico da


Mucosa Gástrica
• Inúmeras classificações • Subdivisão
prévias – aguda
– determinar tipos – crônica
– correlação clínica – formas especiais
– etiologias
– apresentação

RM/2007
Helicobacter Pylori (1984)
• Nova compreensão sobre as gastrites
• Maior causador de gastrites (90%)
• Redefinição
– O que é Gastrite?
– O que é Gastropatia?

RM/2007
Definições
• Gastrite
– mucosa anormal, inflamada
• Entidade histológica e o
exame da mucosa revela • Gastropatia
infiltrado inflamatório – mucosa anormal, não
(neutrófilos, plasmócitos,
linfócitos, eosinófilos, em inflamada
proporção variável) • Histologicamente , dano
caracterizando reação epitelial e endotelial com
inflamatória com evolução processos reparativos ou
ativa, se persistirem proliferativos do epitélio
neutrófilos enzimaticamente gástrico, mas sem
infiltrado inflamatorio
ativos (capacidade destrutiva
do infiltrado)
RM/2007
Diagnóstico
• Fundamentalmente Histológico-Gold Standard.

• Aspecto endoscópico e histologia, Importante

• Microscopia essencial

RM/2007
Biópsias
• Locais recomendados para coleta do
material
– 2 do corpo B1
– 2 do antro C1 B2
A1
– 1 da incisura

A2

RM/2007
(Dixon et al, AM J Surg Path, 1996)
Sistema Sydney
Padronização para diagnóstico das Gastrites
• Correlação
– Endoscopia / Histologia / Topografia / Etiologia
• Diferentes fases evolutivas
• Correlação com doenças associadas (úlceras,
neoplasia, pólipos)
• Reclassificação das Gastrites com foco na evidência do
Hp e de outras causas bem determinadas de injúria
mucosa sem inflamação

A Histologia é fundamental
RM/2007
Gastrite

Topografia Severidade

Antro Pangastrite Corpo Leve Moderada Severa

Termos Descritivos
Edema Hiperplasia de Pregas
Enantema Atrofia de Pregas
Friabilidade Padrão Vascular Visível
Exsudato Manchas Hemorrágicas Intramucosa
Erosão Plana Nodularidade
Erosão Elevada

Tipos de Gastrite Endoscópica

Enantematosa Hemorrágica
Exsudativa Atrófica
Erosiva, com erosões planas Hiperplásica
RM/2007
Erosiva, com erosões elevadas Por refluxo enterogástrico
Classificação dos Tipos com Correlação Etiológica
Tipos de Gastrite Fatores Etiológicos

Não Atrófica Hp
Outros Fatores (?)
Atrófica Auto Imune Auto Imune
Atrofia Multifocal Hp / Fatores Dietéticos (?) / Fatores Ambientais (?)
Formas Especiais
Química AINES, AAS, Álcool, Refluxo Enterogástrico, outros agentes (?)
Actinica Radiação
Linfocítica Idiopática
Mecanismos Imunológicos (?)
Glúten (?)
Hp (?)
Granulomatosa Crohn, Sarcoidose, Lues, Tuberculose, Wegener, Idiopática
(não infecciosa)
Eosilofílica Sensibilidade alimentar
Outras alergias
Outras Infecções Bactérias, Fungos, Vírus, Parasitos
Gastropatias Vasculares Gastropatia Hipertensiva (Portal)
Watermelon (associado à atrofia gástrica, desordens auto imunes e
do tecido conjuntivo)

RM/2007
(Dixon et al, Am J Surg Path, 1996)
Classificação Prática Associada à
Etiologia
• Gastrites Habituais • Gastrites Especiais
– Gastrite A – Granulomatosa
• do corpo
– Linfocítica
• auto imune
– Gastrite B – Eosilofílica
• do antro – outras
• por H pylori (90%)
– Pangastrite AB
• H pylori (evolução longa)
• associada à displasia e
câncer gástrico

RM/2007
Classificação Prática Associada à
Etiologia
A Histologia é quem define estas
situações

• Gastropatias • Gastropatia Aguda


– por AINES – Hemorrágica
– por Refluxo Enterogástrico – por uso de AINES,
– AAS, Álcool AAS
• Gastropatias Especiais
– da Hipertensão Porta
– Watermelon (atrofia gastrica)

RM/2007
Gastrite Crônica por Hp
• mais comum
• Enantema e aparência
granular da mucosa
antral

RM/2007
Gastrite Crônica por H Pylori
• mais tarde
– lesões sésseis
varioliformes com
umbelicação central

RM/2007
Gastrite Crônica por H Pylori
• com o avançar da
severidade
– atrofia da mucosa, do
fundo e corpo
– padrão vascular
visível no corpo

RM/2007
Gastrite Crônica por H Pylori
• se há infecção maciça
– espessamento de pregas
do corpo associado à
Pangastrite

RM/2007
Gastrite Crônica por Hp
• fase mais avançada
– metaplasia intestinal na incisura angularis e antro

RM/2007
Gastrite Crônica Autoimune
• Rara
• AC anti célula parietal
• Mucosa atrófica no corpo
com achatamento de pregas
e padrão vascular visível
• Fase inicial
– “Mix” de placas de enantema
com áreas de atrofia

RM/2007
Gastrite Crônica Autoimune
• Fase avançada
– metaplasia intestinal ou pseudo pilórica
associada

RM/2007
Gastrite Crônica Indeterminada
ou Inespecífica
• Pequeno grupo de pacientes não
diagnosticados
• Em geral idosos, Hp negativo, sem ac anti
célula parietal
• Estágio tardio da infecção por Hp (?)

RM/2007
Gastrite Linfocítica
• Erosões elevadas principalmente no corpo
(Gastrite varioliforme)
• 2 - 4% dos pacientes com gastrite crônica
• Linfócitos no exame microscópico
• Relação com Linfoma (?)

RM/2007
Gastrite Granulomatosa
• Antro é o mais acometido
• Espessamento parietal
• Redução da distensibilidade antral
• Lesões aftosas
∀ ≅ linite plástica

RM/2007
Gastrite Eosinofílica
• O antro é o mais envolvido
• Nodularidade
• Erosões elevadas e até ulcerações
• Quando o corpo é acometido
– Hiperrugosidade

RM/2007
Gastropatia Aguda por AINES
AINES inibe a ciclooxigenase

inibição sistêmica de prostaglandinas

↓ Muco ↓ Bicarbonato ↓ Fluxo Sanguíneo

↑ retrodifusão dos íons H

Injúria Mucosa
RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
DISPEPSIA ige
stiv
o

Dor e/ou desconforto abdominal


ou retroesternal, pirose, náusea,
vômito ou outro sintoma relacio-
do ao trato digestivo alto.

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
ige
stiv
o
Funcional

Dispepsia
Doenças Pépticas
Orgânica Bilio-Pancreáticas
Neoplasias
Cardíacas
RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
ige
stiv
DISPEPSIA FUNCIONAL o

Distúrbios gastrointestinais funcio-


nais caracterizados por uma combinação
variável de sintomas crônicos e/ou recor-
rentes, sem explicação por anormalidades
estruturais ou bioquímicas.

RM/2007
Distúrbios do Trato GI

TGI Inferior TGI Superior

Disfagia

Dor peitoral
não cardíaca

Dispepsia não-
ulcerativa (DNU)
Dispepsia
funcional (DF)
Distensão funcional

SII
Constipação funcional
/diarréia
RM/2007
Sintomatologia dos Distúrbios
Funcionais GI

RM/2007
CRITÉRIOS DE ROMA (2006) PARA O DIAGNÓSTICO DE
DISPEPSIA FUNCIONAL

1- Dor ou Desconforto no epigástrio com 3 ou


mais meses de duração e,

2- Ausência de alterações bioquímicas e de


doenças orgânicas ao exame endoscópico
ou ultrassonográfico e que possam explicar
os sintomas.

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
ige
DISPEPSIA FUNCIONAL stiv
o

Tipo Refluxo

Tipo Úlcera

Tipo Dismotilidade

Tipo Inespecífica
RM/2007
Ulb
Uralb
-rSai
-sStei
sm
teamD
aigDe
TIPO REFLUXO igsetivo
stiv
o

Pirose Eventual
Regurgitação
Globus
Síndrome de Ruminação
Dor Torácica
Disfagia Eventual

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
ige
TIPO ÚLCERA stiv
o

Dor E pigás tr ica


Alív io com Aliment os
Períodos de R emiss ão

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
TIPO DISMOTILIDADE ige
stiv
o

Desconforto Abdominal
Sem Dor
Saciedade Precoce
Peso Epigástrico
Flatulência
Desconforto Agravado com Alimentos

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
ige
TIPO INESPECÍFICO stiv
o

Mescla dos Anteriores


Sintomas Vagos
Mais Freqüente

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
ETIOPATOGENIA aD
ige
stiv
o

a n a l
t a
Die ção Á strodu c id o de
e c r e G a c a
S a d e l é t r i
i l i d o e
Mot ade Mi isceral
t i v id s i a V
A a l g e
p e r
Hi n i a y l o r i
l o d i e r P i a i s
A o b a t s o c
l y c i c o s
He e s P s
o r
Fa t RM/2007
Hipersensibilidade Visceral

Normal Dispepsia

Mecanismo
de filtragem

Estímulo Estímulo Estímulo Estímulo


nocivo fisiológico nocivo fisiológico

TGI RM/2007 TGI


Mecanismos Possíveis da
Hipersensibilidade Visceral
Sensação alterada

Controle Processamento
anormal do sensorial anormal
SNC motor do SNC

Sensibilidade
Atividade anormal anormal dos
do músculo liso GI mecanorreceptores
GI
RM/2007
Fatores Psicossociais

Núcleo
Vagal
Simpático
Motilidade S2, 3, 4
Sensação
Alterada Alterada

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
DIAGNÓSTICO aD
ige
stiv
o

Anamnese
Exame Físico
Definição Sub Grupos
Tratamento de Prova
Investigação

RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
TRATAMENTO aD
ige
stiv
o
Diálogo
Relação Médico - Paciente
Dieta - Intolerâncias
Erro Alimentar mastigação
falhas dentárias
ansiedades
Saciedade Precoce - Fracionamento
Empachamento - (Evitar Gorduras, Condimentos)
Medicamentos - AAS,Aines,Fumo,Álcool
Distúrbios Emocionais
RM/2007
Ulb
ra-
Sis
AS tem
O G aD
DR
ige
stiv
Antiácidos o
Tipo Úlcera
Anti-Secretores

Metoclopramida
Cisaprida
Procinéticos Domperidona
Tipo
Bromoprida
Dismotilidade
Antifiséticos Dimeticona
RM/2007
Ulb
ra-
Sis
tem
aD
ige
ALTERAÇÕES EMOCIONAIS stiv
o

Amitriptilina
Triciclicos Imipramina

Antidepressivos
Fluoxetina
Inibidores Sertalina
Serotonina Paroxetina
Ansiolíticos Venlafaxina
RM/2007
Paciente Dispéptico

Possui mais de 45 anos de idade?


Existem sintomas típicos sugerindo uma doença
orgânica?
A doença aparentemente caminha para uma for -
ma crônica?
O paciente está muito preocupado com a possi -
bilidade de ser câncer?

RM/2007
Não
Sim

Confiança/orientação Esquema Terapêutico

Avaliação em 4 semanas
Sucesso Falha

Avaliação 8 semanas Reavaliar/Retratar?

Sucesso Falha Investigar

RM/2007
Ação do Sistema Nervoso Sobre o TGI
Secreção e Motilidade

Parasimpático
Simpático

Estimula
I nibição

RM/2007
Ação de Fármacos Sobre o TGI
Secreção e Motilidade

Agonistas
Antagonista
Adrenérgicos Dopaminergicos

Haloperidol, Sulpiride

Antagonistas
Adrenergicos

RM/2007
PROCI NÉTI COS

BROMOPRI DA

METOCLOPRAMI DA CI SAPRI DA

PROCI NÉTI COS


DOMPERI DONA DI MENI DRATO

Proclorperazina
Antieméticos de Prometazina
Ação Central Trimetobenzamida
RM/2007 Tietilperazina
METOCLOPRAMIDA

Antagonista Acelera a absorção


Dopamina De drogas- Digoxina
Esvaziamento
Gastrico, Contra-Indicações
LES, METOCLOPRAMIDA Parkinson
Peristaltismo, Feocromocitoma
10 MG VO – IM - IV
Antiemético Estenose Pilorica
central e
Efeitos Adversos
periférico
Sonolência,Alteração na
Coordenação motora, diarreia, disartria
Galactorréia, hiperprolactinemia
Convulsões em doses altas
RM/2007
DOMPERIDONA

Antagonista periférico Dopa


Sem ação central- pode ser usada em
idosos.
Efeitos Ad. – Doses altas EV- arritmias
cardiacas e morte subita em pacientes
hipocalemicos, sincope, rerações
distonicas extrapiramidais cefaleia
diarréia, rash, prurido.

V. O. / EV
Cp. 10 mg
RM/2007
Sol. 1mg/1ml
Bromoprida

V.O. - Cp. 10 mg, ml/4mg


I.M. – E.V.
Pode ser usado em idosos, não deve ser
associada a atropinicos, com antipsicóticos
podem surgir espasmos musculares. Super
dosagem= sonolência
Não usar em feocromocitoma.

RM/2007
CISAPRIDA
- Agonista da 5HT4 – Antagonista da Serotonina – 5
HT3 – Ação no peristaltismo esofagico. Bom efeito no
esvaziamento gastrico e motilidade de delgado.
Efeitos Adversos- Diarréia , cólicas, arritmias....
Junho/2000- suspenso uso nos EUA – Receita por
especialista e entrega direta.
Junho/2000- Brasil- receita carbonada- Limitada ao uso
em DRGE, Gastroparesia e Sind. De Pseudo Obstrução.

RM/2007
Agentes Receptores da 5-HT4

Agonista parcial Agonista Antagonistas


5-HT4 5-HT4 5-HT4

Tegaserode Prucalopride Piboserode


Um agonista parcial Atividade enterocinética Alivia os sintomas da
seletivo do receptor Avaliação em pacientes SII-D
5-HT4 com constipação (em estudos fase II)
Normaliza a função crônica
intestinal e alivia (estudos fase III)
rapidamente a dor
abdominal/desconforto
e distensão em
pacientes com SII

RM/2007
ASSOCIAÇÕES
DIMETICONA
CELULASE
PEPSINA
PANCREATINA
AC.DESIDROCÓLICO
BROMELINA

RM/2007