Você está na página 1de 37

Integração: BASES PARA ESTUDOS DE EQUAÇÕES

DIFERENCIAIS ORDINÁRIAS
AULA
MAIO 2009

Técnicas de Integração (Primitivação)


uma breve revisão de “Funções de Uma Variável”

Prof. Walter

01 de37
Técnicas de Integração (Primitivação)
OBJETIVO: Apresentar técnicas para determinar a função F(x) –
conhecida como primitiva – tal que F’(x) = f(x) ou:

 f(x) dx  F(x)
As principais técnicas de primitivação, conforme visto no curso
FUNÇÕES DE UMA VARIÁVEL (BC 0201) são:

– INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO DE VARIÁVEL

– INTEGRAÇÃO POR PARTES

– INTEGRAÇÃO POR DECOMPOSIÇÃO EM FRAÇÕES


PARCIAIS
– INTEGRAÇÃO UTILIZANDO SUBSTITUIÇÕES (POR MEIO
DE IDENTIDADES) TRIGONOMÉTRICAS

Seguem algum exercícios onde estas técnicas são aplicadas.

02 de37
EXERCÍCIO 01

 
2 50
Calcular (x 1) 2x dx

Solução
INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO
du
Seja u = x2 +1  2x
dx
Logo: 2x dx = du

Assim, a integral dada pode ser escrita como:

 du
50
(u)

u 51 (x 2  1)51
 (u) du  51  C  51  C
50

03 de37
EXERCÍCIO 02

Calcular  sen(x  9) dx
Solução

INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO


du
Seja u = x + 9 1
dx
Logo: dx = du

Assim, a integral dada pode ser escrita como:

 sen(u) du

 sen(u) du  cos(u)  C  cos(x  9)  C

04 de37
EXERCÍCIO 03

 (x) cos(x) dx
2
Calcular sen

Solução

INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO


du
Seja u = sen(x)  cos(x)
dx
Logo: cos(x) dx = du

Assim, a integral dada pode ser escrita como:

 du
2
u

u3 sen 3 (x)
 u du  3  C  3  C
2

05 de37
EXERCÍCIO 04
x
e
Calcular  x
dx

Solução

INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO

Seja u = x
du d  2  1  2 1 1
1 1
1
Então  x   x  
dx dx   2 2 1 2 x
x2
1
Logo: dx = du
2 x

Antes da substituição, a função dada será escrita de outra


forma.

06 de37
x x
e e 2 1
 dx   dx   2e x
dx
x 1 2 x 2 x

Assim, a integral dada pode ser escrita como:

outra maneira de chegar aqui


1 sem manipular a função
 2e dx   2e u du
x
dada é fazendo (página 08):
2 x 1 1
dx  du  dx  2du
2 x x

 2e du  2 e u du  2e u  C  2e C
u x

x
e
 dx  2e C
x
Ou seja:
x

07 de37
EXERCÍCIO 05

 x  1 dx
2
Calcular x

Solução
INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO

Seja u = x – 1
Logo: dx = du

Se u = x – 1
Então x = u + 1
x2 = (u+1)2
x2 = u2 + 2u + 1

Assim, a integral dada pode ser escrita como:

08 de37
  2u  1) u du
2
(u

ou:
1  2 1 1 1

  2u
(u 2
 1) u 2 du    u u 2  2u u 2  1u 2  du
 
 
 5 3 1
   u 2  2u 2  u 2  du
 
 

Portanto:

5 3 1
1 1 1
 5 3 1  u 2 u 2 u 2
u2  du 
  2u 2  u2
 5
2
3

1
C
  1 1 1
2 2 2

09 de37
Finalmente:

 5 3 1
2
7
4
5
2
3

  u 2  2u 2  u 2  du  7 u 2  5 u 2  3 u 2  C
 

Escrevendo em termos de x:

7 5 3
2 4 2
 x  1 dx  (x  1) 2  (x  1) 2  (x  1) 2  C
2
x
7 5 3

10 de37
EXERCÍCIO 06

 xe
x
Calcular dx

Solução
INTEGRAÇÃO POR PARTES
A integral dada deve ser escrita na forma  u dv .
Seja, portanto:
ux dv  ex dx Então:
du  dx


x
x e dx       
x x x
dv e dx v e dx e

Deste modo:

           C
x x x x x
xe dx u dv uv v du xe e dx xe e
a constante C pode ser
incluída apenas no final.
11 de37
EXERCÍCIO 07

 e dx
2 x
Calcular x

Solução
INTEGRAÇÃO POR PARTES
Seja:
u  x2 dv  e x dx
Assim:
du  2x dx

  
x x x
dv  e dx  v  e dx   e

Portanto:

   
2 x 2 x x
x e dx  u dv  uv  v du   x e  (  e ) 2xdx

12 de37
ou:

 
2 x 2 x x
x e dx   x e  2 x e dx (1)

A última integral é semelhante à original, com a exceção de


que x2 foi substituído por x.

Outra integração por partes aplicada a


x
x e dx
completará o problema.

Seja:

ux dv  e x dx

13 de37
Assim:

du  dx

  
x x x
dv  e dx  v  e dx   e

Portanto:

   
x x x
x e dx  u dv  uv  v du   x e  (  e ) dx

ou:

 
x x x x x
x e dx   x e  e dx   x e  e  C1 (2)

Substituindo (2) em (1) resulta:

14 de37
 
2 x 2 x x
x e dx   x e  2 x e dx


  x 2e  x  2  x e  x  e  x  C1 
  x 2e  x  2x e  x  2e  x  2C1

Portanto:


2 x x
x e dx   ( x 2
 2 x  2) e C

15 de37
EXERCÍCIO 08
3x 4  4x 3  16x 2  20x  9
Determinar
 (x  2)(x  3)
2 2
dx

Solução
INTEGRAÇÃO UTILIZANDO DECOMPOSIÇÃO EM
FRAÇÕES PARCIAIS: Frações próprias

O integrando é uma fração própria, uma vez que o numerador


possui grau 4 e o denominador possui grau 5.

Pela regra do fator linear, o fator (x + 2) no denominador introduz


o termo:
A
x2

16 de37
Pela regra do fator (quadrático) repetido, o fator (x2 + 2)2
presente no denominador introduz os termos:
Bx  C Dx  E
 2
x  3 (x  3) 2
2

Assim, a decomposição em frações parciais do integrando é:

3x 4  4x 3  16x 2  20x  9 A Bx  C Dx  E
  
(x  2)(x 2  3) 2 x  2 x 2  3 (x 2  3) 2

Multiplicar os dois lados da equação por (x + 2)(x2 + 3)2

3x 4  4x 3  16x 2  20x  9 2 A
(x  2)(x  3)
2 2
 (x  2)(x 2
 3) 
(x  2)(x  3)
2 2
x2
Bx  C Dx  E
(x  2)(x 2  3) 2 2  (x  2)(x 2  3) 2 2
x 3 (x  3) 2

17 de37
que resulta:

3x 4  4x 3  16x 2  20x  9  (x 2  3) 2 A  (x  2)(x 2  3)(Bx  C) 


(x  2)(Dx  E)

Expandindo o lado direito e reagrupando termos semelhantes


resulta:

3x 4  4x 3  16x 2  20x  9  (A  B) x 4  (2B  C) x 3 


(6A  3B  2C  D) x 2 
(6B  3C  2D  E) x 
(6C  9A  2E)

Equacionando os coeficientes correspondentes de cada lado,


obtém-se um sistema de cinco equações algébricas lineares em 5
incógnitas:

18 de37
 A B3
 2B  C  4

 6A  3B  2C  D  16
 6B  3C  2D  E  20

 9A  6C  2E  9

A solução deste sistema resulta:

A 1 B2 C0 D4 E0

Portanto:

3x 4  4x 3  16x 2  20x  9 1 2x 4x
  
(x  2)(x 2  3) 2 x  2 x 2  3 (x 2  3) 2

19 de37
Logo:

3x 4  4x 3  16x 2  20x  9
   
1 2x 4x
dx  dx  dx  dx
(x  2)(x  3)
2 2
x2 x 3
2
(x  3)
2 2

  
1 2x x
 dx  dx  4 dx
x2 x 3
2
(x  3)
2 2

u  x2
du
1  du  dx
dx

 
1 1
dx  du  ln u  C  ln x  2  C
x2 u

u  x2  3
du
 2x  du  2x dx
dx

 
2x 1
dx  du  ln u  C  ln x 2  3  C
x 3
2
u

20 de37
  
1 2x x
 dx  dx  4 dx
x2 x2  3 (x 2  3) 2

 
x
dx  x (x 2  3) 2 dx
(x  3)
2 2

du
u  x2  3  du  2x dx   x dx
2
1  u 21 
 
1 1 1
(x 2  3) 2 x dx  u 2 du      C
2 2   2  1 2u 2(x  3)
2

E, finalmente:

3x 4  4x 3  16x 2  20x  9

2
dx  ln x  2  ln x 2
 3  C
(x  2)(x  3)
2 2
x 3
2

21 de37
EXERCÍCIOS 09
INTEGRAÇÃO DE POTÊNCIAS QUADRÁTICAS DAS
FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS SEN(X) E COS(X)
Sejam as identidades trigonométricas:
1  cos2x 1  cos2x
sen 2 x  cos 2 x 
2 2
Assim,

1  cos2x 1 1
 x dx   dx   dx   cos2x dx
2
sen
2 2 2  cos2x dx
u  2x
1  x 01  1  sen2x 
   
du du
2   dx
2  0  1 2  2  dx 2

 
1
cos2x dx  cos u du
2
1
x sen 2x  sen u  C
 x  C
2
sen 2
2 4

22 de37
Da mesma forma, e utilizando a outra identidade trigonométrica:

x sen 2x
 x  C
2
cos
2 4

A integral

2 2
sen x cos x dx

pode ser resolvida fazendo:

 1  cos2x   1  cos2x 
    2   2  dx
2 2
sen x cos x dx


1
1  cos2x  1 1  cos2x  dx
2 2


1
4 1  cos 2

2x dx

23 de37

1
4 1  cos 2

2x dx

1 1
   
2
1 dx cos 2x dx
4 4

 cos
2
2x dx
du
u  2x   dx
2
1 1  u sen 2u  u sen 2u x sen 4x
 cos   cos 2 u du       
2
2x dx
2 2 2 4  4 8 2 8

x 1  x sen4x 
   
4 4 2 8 

x sen4x
  C
8 32

24 de37
EXERCÍCIO 10

Determinar
 (x  2) sen(x 2  4x  6) dx

Solução

INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO

Seja u = x2 + 4x – 6

Então:

du
 2x  4
dx

du  (2x  4) dx  2 (x  2) dx

25 de37
Mas:

 (x  2) sen(x 2  4x  6) dx

du
Logo, seja:  (x  2) dx
2

Assim,

  
du 1
(x  2) sen(x 2  4x  6) dx  sen(u)  sen(u) du
2 2

Sabe-se que:

 sen(u) du  cos(u)  C TABELA

26 de37
Então:


1
(x  2) sen(x 2  4x  6) dx  (cos(u)  C)
2

Portanto:


1
(x  2) sen(x 2  4x  6) dx   cos(x 2  4x  6)  C
2

27 de37
EXERCÍCIO 11


x
Determinar dx
x  x 1
2

Solução
INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO
Seja u = x2 + x + 1
Então:
du
 2x  1 du  (2x  1) dx
dx

Na integral original, fazer:

2x  1  1
  
x 1 2x 1
dx  dx  dx
x  x 1
2 2 x  x 1
2 2 x  x 1
2

28 de37
Mas:

2x  1  1 2x  1
  
1 1 1 1
dx  dx  dx
2 x  x 1
2 2 x  x 1
2 2 x  x 1
2

1 2
1 INTEGRAÇÃO POR SUBSTITUIÇÃO

2x  1
 
1 1 1
dx  du ver detalhes na página anterior
2 x  x 1
2 2 u

  1 1   1
1  u 2  1 u 2 
1 1

 
1 1 1
du  u 2 du        u2  u
2 u 2 2   1  1 2  1 
 2   2 

2x  1

1
dx  x 2  x  1  C
2 x2  x 1

29 de37
2 TABELA


1
du  ln u  a 2  u 2  C
a2  u2

A segunda integral a ser resolvida está (ou pode ser colocada)


na forma acima:

  
1 1 1 1 1 1
dx  dx  du
2 x  x 1
2 2
 1 
2
3
2 2 u a
2 2

 x     
 2  2 
onde:
1 3
u x du  dx a
2 2

30 de37
Portanto:

2
3  1

1 1 1 1
dx  ln x   x   C
2 x2  x 1 2 2 4  2

Então, finalmente:

2
3  1

x 1 1
dx  x 2  x  1  ln x   x   C
x2  x 1 2 2 4  2

31 de37
EXERCÍCIO 12
9x 3  3x  1
Determinar
 x x
3 2
dx

Solução

INTEGRAÇÃO UTILIZANDO DECOMPOSIÇÃO EM


FRAÇÕES PARCIAIS: Frações impróprias
O primeiro passo é realizar uma divisão no integrando e fazer
aparecer frações próprias.

9x 3  0x 2  3x  1 x3  x 2
9x 3  9x 2 9
9x 2  3x  1

9x 3  3x  1 9x 2  3x  1 fração própria
9
x x
3 2
x3  x 2

32 de37
9x 3  3x  1 9x 2  3x  1
 x x
3 2
dx 
 9
x x
3 2
dx

9x 2  3x  1

 9 dx   x x
3 2
dx

9x 2  3x  1

 9 dx   x (x  1)
2
dx

DECOMPOSIÇÃO EM FRAÇÕES PARCIAIS

9x 2  3x  1 A B C
  
x 2 (x  1) x x 2 (x  1)

9x 2  3x  1 A B C
x (x  1) 2
2
 x 2 (x  1)  x 2 (x  1) 2  x 2 (x  1)
x (x  1) x x (x  1)

9x 2  3x  1  (A  C) x 2  (A  B) x  B

33 de37
 AC9

  A  B  3 A=2 B=–1 C=7
  B 1

9x 2  3x  1

 9 dx   x (x  1)
2
dx

2 1 7 

 9 dx 
   2 
x x
 dx
(x  1) 

   
2 1 7
 9 dx  dx  dx  dx
x x 2
(x  1)

1
 9 x  2 ln x   7 ln x  1  C
x

34 de37
EXERCÍCIO 13


1
Determinar dx
x  x  2x
3 2

Solução

INTEGRAÇÃO UTILIZANDO DECOMPOSIÇÃO EM


FRAÇÕES PARCIAIS: Fatores lineares não repetidos
1 1 1
 
x 3  x 2  2x x (x 2  x  2) x (x  1)(x  2)

1 A B C
  
x (x  1)(x  2) x (x  1) (x  2)

Multiplicando os dois lados da igualdade por x ( x–1 )( x+2 ) e


rearranjando resulta:

1  (A  B  C) x 2  (A  2B  C) x  2A

35 de37
Portanto:

 A  BC  0
 A
1
B
1
C
1
 A  2B  C  0 2 3 6
  2A  1

E, finalmente:
1 1 1 1
  
x (x  1)(x  2) 2x 3(x  1) 6(x  2)

Logo:

   
1 1 1 1 1 1 1
dx   dx  dx  dx
x 3  x 2  2x 2 x 3 x 1 6 x2


1 1 1 1
dx   ln x  ln x  1  ln x  2  C
x  x  2x
3 2
2 3 6

36 de37
crédito da figura de fundo

Catedral de
Saint-Nazaire

Carcassonne, França

37 de37