Você está na página 1de 36

Tr anst or nos

de
Per sonal i dad
e
Alterações da Personalidade
• Mudança de personalidade por condição
médica ou neurológicas:
• ƒTraumatismo craniano
• ƒDoenças cerebrovasculares
• ƒEpilepsia
• ƒEsclerose múltipla
• ƒParkinson
Transtornos de Personalidade

• ƒTranstorno da personalidade paranóide


• ƒTranstorno da personalidade esquizóide
• ƒTranstorno da personalidade esquizotípica
• ƒTranstorno da personalidade anti-social
• ƒTranstorno da personalidade borderline
• ƒTranstorno da personalidade histriônica
• ƒTranstorno da personalidade evitativa
• ƒTranstorno da personalidade dependente
• ƒTranstorno da personalidade obsessivo-compulsiva
Transtorno de Personalidade
Paranoide

• Desconfiança constante
• Sensível às decepções e às críticas
• Rancoroso, arrogante
• Culpa os outros
• Reinvidicativo
• Sente-se frequentemente prejudicado
nas relações
Transtorno de Personalidade
Paranoide
• ƒSensibilidade excessiva a rejeições e contratempos
• ƒTendência a guardar rancores persistentemente
• ƒDesconfiança excessiva e tendência exagerada a distorcer as experiências por
interpretar erroneamente as ações neutras ou amistosas de outros como
hostis ou depreciativas
• ƒObstinado senso de direitos pessoais e sensação de estar sendo injustiçado
em relação a esses direitos, em desacordo com a situação real
• ƒSuspeitas recorrentes, sem justificativa, com respeito à fidelidade sexual do
parceiro
• ƒTendência a experimentar autovalorização excessiva
• ƒPreocupação com explicações “conspiratórias”,
sem fundamento em dados reais
Transtorno de Personalidade
Esquizóide

• ƒFrio (indiferente)
• ƒDistante, sem relações íntimas
• ƒEsquisito (estranho)
• ƒVive no seu próprio mundo
• ƒSolitário (isola-se)
• ƒNão se emociona (imperturbável)
Transtorno de Personalidade
Esquizóide
• ƒDistanciamento afetivo, afeto embotado, aparente frieza
emocional
• ƒCapacidade limitada para expressar sentimentos calorosos,
ternos ou raiva para com os outros
• ƒIndiferença aparente a elogios ou críticas
• ƒPoucas atividades produzem prazer
• ƒPouco interesse em ter experiências sexuais com terceiro
• ƒPreferência quase invariável por atividades solitárias
• ƒPreocupação excessiva com fantasias e introspecção
• ƒAusência de amigos íntimos ou de relacionamentos confidentes
• ƒInsensibilidade marcante em relação a normas e convenções
sociais
Transtorno de Personalidade
Esquizotípico

• ƒIdéias e crenças estranhas e de autoreferência


• ƒDesconforto nas relações interpessoais
• ƒPensamento vago e excessivamente
metafórico
• ƒAparência física excêntrica
• ƒDesconforto e incapacidade importante para ter relações
interpessoais íntimas
• ƒFrequentes ideias de autoreferência (tudo o que acontece no
mundo se refere a ele, para prejudicá-lo)
• ƒExperiências perceptivas incomuns, incluindo ilusões corporais
• ƒPensamento e discurso incomuns, estranhos, por exemplo,
pensamento vago, exageradamente metafórico, hiperelaborado ou
estereotipado
• ƒIdeação paranoide, indivíduo muito desconfiado
• ƒAfetos inapropriados ou muito reduzidos
• ƒComportamento e/ou aparência física (inclusive vestimenta)
estranhos, os pacientes parecem excêntricos ou muito peculiares
• ƒAusência de amigos íntimos ou confidentes, além dos parentes de
primeiro grau
• ƒAnsiedade excessiva em situações sociais, que não diminui com a
familiaridade em relação a tal situação ou é colorida com ideação
paranóide
Transtorno de Personalidade Anti-Social
(Psicopatia)
• ƒIrresponsável, inconsequente
• ƒFrio, insensível
• ƒSem compaixão
• ƒAgressivo, cruel
• ƒNão sente culpa ou remorsos
• ƒNão aprende com a experiência
• ƒMente de forma recorrente
• ƒAproveita-se dos outros
Transtorno de Personalidade Anti-Social
(Psicopatia)
• ƒIndiferença e insensibilidade pelos sentimentos alheios
• ƒIrresponsabilidade e desrespeito por normas, regras e obrigações
sociais
• ƒIncapacidade de manter relacionamentos, embora não haja
dificuldade em estabelecê-los
• ƒMuito baixa tolerância a frustrações e baixo limiar para descarga de
agressão, inclusive violência.
• ƒIncapacidade de experimentar culpa e de aprender com a
experiência, particularmente com a punição
• ƒPropensão marcante para culpar os outros ou para oferecer
racionalizações plausíveis para o comportamento que gerou seu
conflito com a sociedade
• ƒCrueldade e sadismo são frequentes nesse tipo de
• personalidade
Transtorno de Personalidade
Borderline
• ƒRelações pessoais muito instáveis
• ƒAtos autolesivos repetitivos
• ƒHumor muito instável
• ƒImpulsivo e explosivo
• ƒGraves problemas de identidade
• ƒSentimentos intensos de vazio e
• aborrecimento crônico
Transtorno de Personalidade
Borderline
• ƒInstabilidade emocional intensa
• ƒSentimentos crônicos de vazio
• ƒRelacionamentos pessoais intensos, mas muito instáveis,
oscilando em curtos períodos de uma grande “paixão” ou “amizade”
para “ódio” e “rancor” profundos
• ƒEsforços excessivos para evitar abandono
• ƒDificuldades sérias e instabilidade com relação à autoimagem, aos
objetivos e às preferências pessoais (inclusive a sexual)
• ƒAtos repetitivos de auto-lesão, envolvendo-se em atuações
perigosas (como guiar muito embriagado e velozmente, intoxicar-se
com substâncias, etc.)
• ƒAtos suicidas repetitivos
Transtorno de Personalidade
Histriônica
• ƒDramatiza, é muito teatral
• ƒSugestionável e superficial
• ƒNecessita de atenção
• ƒManipulador
• ƒInfantil
• ƒErotiza situações não comumente
• erotizáveis
Transtorno de Personalidade
Histriônica
• ƒDramatização, teatralidade, expressão exagerada das emoções
• ƒSugestionabilidade aumentada, facilmente influenciado por outros ou
pelas circunstâncias
• ƒAfetividade superficial, pueril e labilidade emocional
• ƒBusca contínua de atenção e apreciação pelos outros, quer ser o centro
das atenções
• ƒSedução inapropriada em aparência (vestimenta, maquiagem, etc.) e
comportamento
• ƒErotização de situações não estritamente eróticas (consulta ao dentista,
audiência com o juiz, etc.)
• ƒInfantilidade, tendência a reações infantis, pouca tolerância à frustração
Transtorno de Personalidade Evitativa
(Ansiosa)
• ƒDificuldade em descontrair-se
• ƒPreocupa-se facilmente
• ƒTeme situações novas
• ƒAtento a si próprio
• ƒMuito sensível à rejeição
• ƒExtremamente inseguro
Transtorno de Personalidade Evitativa
• ƒEstado constante de tensão e apreensão
• ƒCrença de ser socialmente incapaz, desinteressante ou
inferior aos outros
• ƒPreocupação ou medo excessivo em ser criticado ou rejeitado
• ƒRestrições na vida diária devido à necessidade de segurança
física ou psíquica
• ƒEvitação de atividades sociais e ocupacionais que envolvam
contrato interpessoal significativo, principalmente
• por medo de críticas, desaprovação ou rejeição
Transtorno de Personalidade
Anancástica ou Obsessiva-Compulsiva
• ƒRígido, metódico, minucioso
• ƒNão tolera variações ou improvisações
• ƒPerfeccionista e escrupuloso
• ƒMuito convencional, segue
• rigorosamente as regras
• ƒControlador (dos outros e de si)
• ƒIndeciso
Transtorno de Personalidade
Anancástica ou Obsessiva-Compulsiva
• Preocupação excessiva com detalhes, regras, listas, ordem,
organização ou esquemas
• ƒPerfeccionismo que interfere na conclusão de tarefas
• ƒDúvidas excessivas sobre assuntos irrelevantes
• ƒCautela demasiada
• ƒRigidez e teimosia
• ƒLentidão (demora a responder)
• ƒInsistência incomum para que os outros submetam-se exatamente à
sua maneira de fazer as coisas
• ƒExcesso de escrúpulos e preocupação indevida com detalhes da vida
• ƒA rigidez impede ou anula o prazer nas relações interpessoais
• ƒAdesão excessiva às convenções sociais e certo pedantismo, vaidade,
arrogância.
Transtorno de Personalidade
Dependente

• Depende extremamente de outros


• ƒNecessita muito agradar
• ƒDesamparado quando sozinho
• ƒSem iniciativa e sem energia
• ƒSem autonomia pessoal
Transtorno de Personalidade
Dependente
• Subordinação das próprias necessidades e desejos àqueles dos outros dos quais
é dependente
• ƒSolicitação constante de que outros (dos quais depende) tomem as decisões
importantes em sua vida pessoal
• ƒSentimento de desamparo quando sozinho por causa de medo exagerado de
ser incapaz de se cuidar
• ƒPreocupação e/ou medo exagerado de ser abandonado pelas pessoas das quais
depende
• ƒCapacidade limitada de tomar decisões cotidianas sem excesso de conselhos e
reasseguramento pelos outros
• ƒRelutância em fazer exigências ainda que razoáveis às pessoas das quais
depende
Transtorno de Personalidade Narcísica

• Considera-se superior
• Quer ser reconhecido como especial e único
• Fantasias de grande sucesso pessoal
• Requer admiração excessiva
• É frequentemente arrogante
• O termo Narcisismo remete ao mito de
Narciso, que se apaixonou pela própria
imagem. A pessoa com características
narcisistas é percebida como um suposto
adorador de si mesmo, apresentando elevada
autoestima e idealização de si mesmo
(Rudinesco, 1999 e Figueredo, 2003).
• Porém, os narcisistas, conforme Lasch (1987)
se caracterizam pela superficialidade
emocional, medo da intimidade. Podem
apresentar também: hipocondria, pseudo
autopercepção, promiscuidade sexual,
horror à velhice e à morte.
• Descrentes quanto à possibilidade de
transformar o futuro, desprezam o passado e
vivem para o momento, perdendo o sentido
da continuidade histórica
• O que inspira a preocupação constante com a
própria pessoa é a ausência de um estável
amor interior por si mesmo, obrigando-a a
usar os outros para confirmá-lo.
• Preocupações como, “devo ser importante”,
apontam que algo está errado com o seu amor
por si mesmo, vive dominado pela ansiedade,
pela dependência, pela necessidade de
aprovação pelo outro
• Diante das inevitáveis frustrações que essa
dinâmica lhe custa, não tem sido raro deparar-
se com pessoas com tais características em
que pode ser encontrado por meio de queixas
como: exigência com o corpo e a estética,
vazio interior. Necessidade de ser o foco da
atenção;
• Depressão.
Narcisismo:
• As pessoas que sofrem de vazios, tem uma
ausência de reconhecimento de suas
emoções, em realidade, elas estão cheias de
buracos negros, resultantes de uma rígida
carapaça, uma “concha autística”, que se
forma contra a ameaça de um sofrimento
provindo de frustrações impostas pela
realidade exterior.
Narcisismo:
• Faz-se necessário, esclarecer que existe uma
diferenciação entre a etapa evolutiva normal
vivida por todo ser humano, que conferem ao
homem características sadias, que estão
relacionadas com a formação da autoestima,
de um quadro de narcisismo patológico ou
transtorno narcisista, que confere acarreta ao
indivíduo uma carga de sofrimento emocional.
Narcisismo:
• São frequentemente vistos pelo mundo com uma alta
capacidade funcional e sem psicopatologia óbvia, já
que suas questões, na maioria das vezes, são internas
e relacionadas com a forma de enxergarem a si
mesmo e aos outros.
• O narcisista apresenta uma oscilação entre dois
estados do sentimento: grandiosidade e um senso de
insignificância. Destaca-se a grande contradição
nestes pacientes se por um lado precisam do outro
como fonte de gratificação e admiração constantes,
por outro lado, evitam qualquer intimidade e interesse
na relação.
Narcisismo:
• O sujeito passa pela vida tentando fugir do
que Zimerman (1999) chama de verdades
penosas, quais sejam: reconhecer que não é o
único importante, que sofre dependência,
perdas e separações. FRUTRAÇÕES.
• Esta necessidade poderá ser ampliada para
tudo o revele um limite, como a morte, o
envelhecimento e tantos “Nãos” que receberá
ao longo da vida.
• Nos transtornos narcisistas, evidencia-se um
lado regressivo, por meio de características
com baixa tolerância a frustração, uso de
negações, inveja entre outros.
• É possível que o sujeito transforme sua
insegurança e dependência em
autossuficiência e onipotência
Narcisista de “pele fina”
• São aqueles que são supersensíveis, melindráveis,
com uma extrema vulnerabilidade na autoestima, que
se colocam num papel de vítima, para de alguma
forma, assegurar o poder.
• Este tipo de narcisista reage com dor a tudo que
parece rejeição, sensação de inferioridade e utilizam-
se da ameaça suicida como uma forma de controle.
Também e comum o sujeito “pele fina’ a oscilação
entre estados emocionais.
Narcisista “pele grossa”.
• Este tipo apresenta-se de forma mais arrogantes,
prepotentes, com uma atitude defensiva e agressiva,
intimidadores, insensíveis aos aspectos de dependência.
Aparentam superioridade, quando na realidade,
apresentam um self destrutivo.
• Estas pessoas funcionam a partir da “tríade maníaca”:
atitude de controle, triunfo e desprezo. Na realidade essas
características encobrem, dissimulam e protegem uma
subjacente pele fina.
• Para evitar as dores das velhas e precoces feridas
narcísicas, constroem uma espessa cicatriz de pele grossa.
O narcisismo de pele grossa, aproveita seus conflitos
como uma força para ir atrás das coisas que deseja, sua
ferida é o seu “combustível”.
Transtorno de Personalidade Narcísica
• O indivíduo apresenta senso grandioso (e irreal) da importância da sua
pessoa.
• Julga ter talentos especiais, espera ser reconhecido como superior, sem
que tenha feito algo concreto para isso
• ƒMuito voltado para fantasias de grande sucesso pessoal, de poder, brilho,
beleza ou de um amor ideal
• ƒAcha-se excepcionalmente “especial” e “único”, acreditando que só
pessoas ou instituições também excepcionalmente especiais ou únicas
podem estar à sua altura
• ƒRequer admiração excessiva
• ƒTende a ser explorador nas relações interpessoais, buscando vantagens
sobre os outros para atingir o seu fim ou sucesso pessoal
• ƒSem empatia pelas pessoas comuns
• ƒFrequentemente invejoso dos outros ou do sucesso alheio; acha sempre
que os outros têm inveja dele
• ƒFrequentemente arrogante
• As situações que remetem a alguma forma de
desamparo, constituem-se na chamada ferida
narcísica que representam a vivência da dor
precoce. Na tentativa de esconder a
necessidade de dependência e cuidado, o
medo das humilhações e abandono.
• Desenvolveu por compensação, tais como: os
atributos de beleza, poder, status, e inúmeras
outras capacidades valorizadas por nossa
cultura