Você está na página 1de 13

DO LETRAMENTO À

COMPETÊNCIA DIGITAL:
UM ENCAMINHAMENTO PARA
FORMAÇÃO DOCENTE DE
PROFESSORES DE LÍNGUAS
Liz Sandra Souza e Souza (UEFS; PPGLINC- UFBA)
liz@uefs.br
 Contextualização (questões introdutórias);
 Tecnologia, Ensino e pontes para o Letramento Digital do
Roteiro da Professor;

apresentação  Do letramento à Competência digital do Professor;


 Considerações;
 Referências.
 Cibersociabilidade;
 Como a escola, professores e aprendizes estão lidando com a
relação que se estabelece entre a educação, as novas
tecnologias e a sociedade?;
Contextualização
 E como a escola pode contribuir “na promoção e qualificação
dessa participação multiletrada na hipermodernidade? Que
experiências é preciso proporcionar aos alunos? Que práticas
de linguagem se deve contemplar” (ROJO & BARBOSA,
2015, p 131).
 Formação de Professores de Línguas
 Uma discussão inicial a respeito do letramento digital do
professor como um processo continuo que implica no
desenvolvimento de competências, que mobilizem atitudes,
Contextualização conhecimentos, experiências, crenças, saberes sobre TIC’s
que se façam necessários em seus contextos de ensino-
aprendizagem, especialmente, a competência digital.
Tecnologia, Depreende-se desses dados que mesmo com acesso à internet e a
Ensino e pontes computadores um número pouco significativo de professores assumem ações
para o Letramento como: postagem vídeos ou alimentam blogs, por exemplo, enquanto os
Digital do estudantes já se apropriaram da tecnologia entendendo-a como meio de autoria
Professor como assinala Pretto (2010, p.309):
“Ocorre que, daqueles primeiros momentos desse século
até hoje, o que aconteceu foi que a juventude apropriou-se
das tecnologias e as transformou completamente, de um
meio meramente receptor de informações para um meio de
expressão de ideias e de manifestação da pluralidade e de
cidadania”.
39% - usam
internet
Dados do CETIC:

Tecnologia,
Ensino e pontes 85% - Usam
para o internet no celular

Letramento
Digital do
Professor
73% - realizam ao
menos uma
ativdade
*Novas práticas de leitura e escrita que se diferenciam das formas tradicionais de
letramento e alfabetização. Essa situação apresenta-se como um “desafio pedagógico que se
coloca para educadores e lingüistas: letrar digitalmente uma nova geração de aprendizes,
crianças e adolescentes que estão crescendo e vivenciando os avanços das tecnologias de
informação e comunicação”. (XAVIER, 2009, p.1)

Não é simplesmente que domine um conjunto de símbolos, regras e habilidades ligadas ao


uso das TIC, mas que “pratique” as TIC socialmente, isto é, que domine os
diferentes“gêneros digitais” que estão sendo construídos sócio-historicamente nas diversas
esferas de atividade social em que as TIC são utilizadas para a comunicação (BUZATO, 2006,
p.7)
 [...] no contexto do letramento digital, acrescentamos que ser letrado é
poder interagir da maneira descrita pelos autores em ambientes digitais,
isto é, realizando práticas de leitura e escrita que diferem das práticas
tradicionais. É saber pesquisar, selecionar, utilizar as diversas ferramentas
disponíveis para cumprir propósitos variados, é se relacionar com seus
pares, aprender constantemente, construir, transformar, reconstruir,
exercer autoria, compartilhar conhecimento, etc., sempre utilizando os
recursos da Web, que para sua vida pessoal ou profissional. E, no caso
especifico dos professores, seja para a aula presencial, a distância ou uma
hibridização entre essas duas possibilidades. (SILVA, 2012, p.04)
O autor diz que haverá competência quando o professor: a)
“dominar regularmente um conjunto de situações que possuem
a mesma estrutura”, b) mobilizar e combinar, para a finalidade
em questão, diversos recursos (...); c) apropriar-se de novos
recursos ou, se necessário, desenvolvê-los.” (Perrenoud, 2013,
p.46).
Do letramento à
Competência digital do Como afirman Hall et al (2014), un docente que es competente
Professor digitalmente debería disponer de las habilidades, actitudes y
conocimientos requeridos para promover un verdadeiro
aprendizaje en un contexto enriquecido por la tecnologia. Para
ello, deben ser capaces de utilizar la tecnologia para mejorar y
transformar las prácticas del aula y para enriquecer su propio
desarrollo profesional e identidad. (HAL et al, 2014 apud
ESTEVE-MON, 2016, p.41)
estrategias de aprendizagem permanente-
TIC em função de seus própios objetivos

Do letramento à
competência didática
Competência - uso da tecnologia
digital do junto com adequadas
estrategias
Professor metodológicas e
conteúdos disciplinares
para o desenho de
situações de
aprendizagem e a
criação de recursos
educativos.

habilidades digitais básicas - as habilidades para acessar a


informação e comunicação nas situações cotidianas
Referências:

AREA, M. M. Innovación pedagógica con tic y el desarrollo de las competencias informacionales y digitales.
Disponível em < http://www.eps-salud.com.ar/Pdfs/Innovacion_Pedagogica_con_Tics.pdf> Acesso em: 05 de nov.
2013
BUZATO, M. E. K. Letramentos Digitais e formação de professores. Disponível em:
<http://pitagoras.unicamp.br/~teleduc/cursos/diretorio/tmp/1808/portfolio/item/61/LetramentoDigital_MarceloBusato.p
df> Acesso em: 01 nov. 2016.
LEMOS, A.. Ciber-Socialidade - Tecnologia e Vida Social na Cultura Contemporânea.. In: Ione Bentz; Albino Rubim;
José Milton Pinto. (Org.). Práticas Discursivas na Cultura Contemporânea..São Leopoldo: Unisinos, 1999, v. p. 9-
22.
PERREOUND, P. Desenvolver Competências ou ensinar saberes? A escola que prepara para a vida.
Tradução: Laura Solange Pereira; revisão técnica: Maria da Graça Souza Horn, Heloisa Schaan Solassi. Porto
Alegre: Penso, 2013.
PRETO, N. Rede Colaborativas, ética hacker e educação. In: Educação em Revista. Belo Horizonte, v.26, n.03,
p.305-316, 2010.
ROJO, R. H. R.; BARBOSA, J. P. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. 1.ed.São Paulo,
SP: Parábola Editorial, 2015. v.único.
A intenção da proposta defendida nesse trabalho é tematizar a
importância de pensar no desenvolvimento da Competência Digital
(CDg) dos professores de línguas. Muitas pesquisas, no Brasil,
caminham pela perspectiva do Letramento Digital do Professor,
entretanto, minha defesa toma como centro à articulação de
experiências em prol da CDg para que seja possível que os
Considerações docentes alcance um nível transformador, ou seja, desenvolvam
comportamentos que permitam modificar com profundidade o
ensino e a aprendizagem e que atendam às necessidades de uma
sociedade crescentemente global e digital.