Você está na página 1de 10

O Coaching e a Programação Neuro-

Linguística
 
• A Programação Neuro-Linguística (PNL) proporciona
técnicas para a expansão da mente e corpo.

• Com a PNL é possível encontrar ferramentas desde para


as vendas, como para o coaching ou para
desenvolvimento pessoal.

• Muitas pessoas, independentemente das suas


habilitações literárias, têm problemas simplesmente
porque não sabem que as suas crenças e atitudes
influenciam a sua qualidade de vida.
• A percepção que têm das suas carreiras e vida está cheia
de desculpas e razões pelas quais não obtêm sucesso.

• Esta é uma das razões do crescimento do coaching em


todo o mundo. Jay Conrad Levinson referiu num artigo
que “todos os campeões do Mundo têm um coach”.

• Andre Agassi, um famoso tenista, teve como coach um


profissional reconhecido, Anthony Robbins.
• Uma razão pela qual as pessoas querem aprender PNL e ter um
coach, é porque pretendem atingir um óptimo nível de satisfação e
sucesso quer a título pessoal quer a título profissional.

• Procuram desta forma usar o seu potencial em pleno e desbloquear a


realização dos seus objectivos.

• Um coach que trabalhe com PNL contribui para o desenvolvimento de


estados emocionais do cliente, desenvolve a auto-confiança, desperta
as opções de decisão, elimina bloqueios e proporciona a auto-
reabilitação.
A Programação Neuro-Linguística

• A história da PNL é a história de uma sociedade improvável que criou


uma inesperada sinergia que resultou num mundo de mudanças.

• No início dos anos 70, o futuro co-fundador da PNL, Richard Bandler,


estudava matemática na Universidade da Califórnia, em Santa Cruz.

• No princípio, ele passava a maior parte do tempo a estudar


computação.

• Inspirado por um amigo de família que conhecia vários dos


terapeutas inovadores da época, ele resolveu estudar psicologia
• Após estudar cuidadosamente alguns famosos terapeutas,
Richard descobriu que, repetindo totalmente os padrões
pessoais de comportamento deles, podia conseguir
resultados positivos similares a outras pessoas.

• Essa descoberta tornou-se a base para a abordagem


inicial de PNL conhecida como Modelagem da Excelência
Humana.

• Posteriormente, encontrou outro co-fundador da PNL, o


Dr. John Grinder, professor adjunto de linguística. A
carreira de John Grinder era tão singular quanto a de
Richard.
• A sua capacidade de aprender línguas rapidamente,
adquirir sotaques e assimilar comportamentos tinha sido
aperfeiçoada na Força Especial do Exército Americano na
Europa nos anos 60 e depois quando membro dos
serviços de inteligência em operação na Europa.

• O interesse de John pela psicologia alinhava-se com o


objectivo básico da linguística: revelar a gramática oculta
do pensamento e da acção.

• Ao descobrirem a semelhança dos seus interesses,


decidiram combinar os respectivos conhecimentos de
computação e linguística, junto com a habilidade para
copiar comportamentos não verbais, com o intuito de
desenvolver uma "linguagem de mudança".
• Nas noites de terça-feira, Richard Bandler conduzia um grupo de terapia
Gestalt formado por estudantes e membros da comunidade local.

• Usava como modelo o seu fundador iconoclasta, o psiquiatra alemão Fritz Perls.
Para imitar o Dr. Perls, Richard chegou a deixar crescer a barba, fumar um
cigarro atrás do outro e a falar inglês com sotaque alemão.

• Nas noites de quinta-feira, Grinder conduzia um outro grupo usando os


modelos verbais e não-verbais do Dr. Perls que via e ouvia Richard usar às
terças-feiras.

• Sistematicamente, eles começaram a omitir o que achavam ser


comportamentos irrelevantes (o sotaque alemão, o hábito de fumar) até
descobrirem a essência das técnicas de Perls o que fazia Perls ser diferente de
outros terapeutas menos eficazes.
• Assim, iniciaram a disciplina de Modelagem da Excelência
Humana.

• Quando Bandler e Grinder começaram a estudar pessoas


com dificuldades variadas, observaram que todas as que
sofriam de fobias pensavam no objecto do seu medo
como se estivessem a passar por aquela experiência no
momento.
• Quando estudaram pessoas que já se tinham livrado de
fobias, eles viram que todas elas agora pensavam nesta
experiência de medo como se a estivessem a ver
acontecer com uma outra pessoa.

• Com esta descoberta simples, Bandler e Grinder


decidiram ensinar sistematicamente pessoas fóbicas a
experimentarem os seus medos como se estivessem a
observar as suas fobias a acontecerem com outras
pessoas.
• As sensações fóbicas desapareceram instantaneamente.
Uma descoberta fundamental da PNL tinha sido feita.

• A forma como as pessoas pensam a respeito de uma coisa


faz uma diferença enorme na maneira como elas irão
vivenciá-la.