Você está na página 1de 33

DEFORMAÇÃO DAS ROCHAS

Deformações
As rochas da crusta terrestre estão sujeitas a tensões (forças
exercidas por unidade de área), que são provocadas por:
• Mobilidade das placas litosféricas;
• Pressão das camadas suprajacentes.

Essas tensões alteram a forma e/ou o volume das rochas

Ocorrem deformações nas rochas


Quais são os principais tipos de tensão, comportamento e deformação?

Estado de
Comportamento frágil Comportamento dúctil
tensão
Tipos de tensões
Tensões de compressão:
 Tendem a reduzir o volume da rocha na
direção paralela à atuação das forças, podendo
originar a sua dobra e/ou fratura.
 Associado a limites de placas convergentes.

Tensões de distensão:
 Conduzem ao alongamento da rocha, na
direção paralela à atuação das forças, ou à sua
fratura.
 Associado a limites de placas divergentes.

Tensões de cisalhamento:
 Causam a deformação da rocha por
movimentos paralelos em sentidos opostos.
 Associado a limites transformantes.
Comportamento mecânico das rochas
Comportamento mecânico das rochas

O comportamento das rochas durante os processos de deformação permite


classificá-las em rochas de comportamento dúctil e em rochas de
comportamento frágil ou rígido .
Comportamento mecânico das rochas
 Comportamento elástico – é reversível, o material deforma-se
mas, quando a tensão cessa, recupera a sua forma/volume
iniciais e verifica-se quando a força aplicada sobre a rocha não
ultrapassou o seu limite de elasticidade.

Comportamento plástico / dúctil – é permanente, o material fica


deformado sem rutura e verifica-se quando a força aplicada sobre
a rocha é superior ao seu limite de elasticidade e inferior ao seu
limite de plasticidade.

Comportamento frágil – o material fratura. Verifica-se quando a


força aplicada sobre a rocha é superior ao seu limite de
plasticidade (resistência) originando deformações descontínuas.
COMPORTAMENTO DAS ROCHAS

FRÁGIL DÚCTIL

A rocha fratura facilmente em condições A rocha sofre deformação permanente mas sem
de baixa pressão e baixa temperatura. fracturar, mesmo em condições elevadas de pressão
Ocorre, geralmente, à superfície. e temperatura. Ocorre, geralmente, em profundidade

Relaciona-se com a formação de Relaciona-se com a formação de

FALHAS DOBRAS

Fratura das rochas acompanhada do Encurvamento de superfícies


movimento relativo de um dos blocos originalmente planas, em que não se
fracturados. verifica deslocação dos blocos .
Comportamento mecânico das rochas
Forças de compressão Forças de distensão Forças de cisalhamento

Efeito nas rochas de uma deformação dúctil

Efeito nas rochas de uma deformação frágil


Comportamento mecânico das rochas
Efeito nas rochas de uma deformação dúctil
Comportamento mecânico das rochas
Efeito nas rochas de uma deformação frágil

Falha inversa Falha normal


Quais são os principais tipos de tensão, comportamento e deformação?

Estado de
Comportamento frágil Comportamento dúctil
tensão
Compressivo Falha inversa Dobra

Distensivo Falha normal Estiramento

Cisalhante Falha de desligamento Cisalhamento


Condicionantes da deformação
Condicionantes da deformação
O comportamento das rochas em relação à tensão que lhes é aplicada é variável e depende:
 da sua composição química e mineralógica e da sua estrutura – devido à sua composição
mineralógica, as rochas sedimentares tendem a possuir maior plasticidade do que as rochas
magmáticas. Aspetos estruturais da rocha, como a xistosidade, também fazem aumentar a
sua plasticidade;

 do conteúdo em fluidos – os fluidos, nomeadamente a água, reduzem a rigidez das rochas e


aumentam a sua plasticidade;

 da temperatura – quanto maior for a temperatura, maior é a plasticidade dos materiais;

 da pressão – a plasticidade dos materiais aumenta com o aumento da pressão a que estão
sujeitos;

 do tipo de tensão – a rocha tem mais resistência à ruptura quando a tensão resulta do peso
das camadas superiores e menor quando a tensão está relacionada com os movimentos
tectónicos;

 da velocidade da deformação – geralmente uma velocidade de deformação rápida favorece a


deformação frágil; uma deformação lenta aumenta a resistência à rutura.
Condicionantes da deformação
FALHAS
Falha
 Uma falha é uma superfície de fratura ao longo da qual
ocorreu o movimento relativo dos blocos fraturados.

As falhas podem resultar da atuação de qualquer tipo de


tensão (compressiva, distensiva ou cisalhante) em rochas com
comportamento frágil, quando é ultrapassado seu o limite de
plasticidade .
Elementos geométricos caracterizadores de uma falha
Elementos geométricos caracterizadores de uma falha

A – Plano de falha É a superfície de fratura.

B – Direção O plano de falha define-se no


C – Inclinação espaço pela sua direção e pela
sua inclinação:
-A direção é a linha de
intersecção do plano de falha
com um plano horizontal;
- a inclinação é o ângulo
definido entre o plano de falha
e uma superfície horizontal.
D – Rejeito ou É o movimento relativo entre
rejeto os dois blocos da falha.
E – Teto Bloco situado acima do plano
de falha.
F - Muro Bloco situado abaixo do plano
de falha.
Tipos de falha
As falhas classificam-se segundo a inclinação do plano de falha e o
movimento dos blocos.
Falha normal
(forças de distensão)

Falha inversa
(forças de compressão)

Falha de desligamento
(forças de cisalhamento)
Tipos de falha
Falha normal ou distensiva
• O teto desce em relação ao muro;
• Forma-se, geralmente, em regime de
deformação distensivo;
•Ocorre em zonas divergentes de placas
(separação de placas continentais ou
oceânicas).
Tipos de falha
Falha inversa ou compressiva
• O teto sobe em relação ao muro;
• Forma-se, geralmente, em regime de
deformação compressivo;
•Ocorre em zonas de colisão de placas
tectónicas
Tipos de falha
Falha de desligamento
• Os movimentos dos blocos são
essencialmente horizontais e paralelos à
direção do plano de falha.
• Forma-se, geralmente, em regime de
deformação e cisalhamento.
• Ocorre nos limites transformantes.
Associação de falhas
GRABEN – depressão de origem
tectónica formada quando um
bloco fica afundado em resultado
de movimentos combinados de
falhas tectónicas.

HORST – blocos elevados em


relação aos territórios vizinhos por
acção de movimentos tectónicos.
DOBRAS
Dobra
 Uma dobra é uma deformação em que se verifica o encurvamento
de superfícies originalmente planas.

As dobras resultam da atuação de tensões de compressão em


rochas com comportamento dúctil.
Elementos geométricos caracterizadores de uma dobra
Charneira Linha que une os pontos de
máxima curvatura da dobra.
Flancos da São as vertentes da dobra;
dobra situam-se de um e de outro
lado da charneira.
Plano axial Superfície imaginária que
contém as linhas da charneira
de todas as superfícies
dobradas. Pode ser o plano de
simetria da dobra.
Eixo da Linha de intersecção da
dobra charneira com a superfície
axial.
Perfil da Secção perpendicular ao eixo
dobra da dobra
Núcleo Conjunto das camadas mais
internas da dobra.
Direção e inclinação das camadas da dobra
Posição das camadas de rochas da dobra no espaço (atitude das camadas)

Direcção das camadas Inclinação das camadas


Ângulo formado pela directriz com a direcção Ângulo formado pela pendente com
N-S geográfica dada pela bússola. o plano horizontal.

Directriz – linha horizontal


definida pela intersecção do
plano da camada com um

plano horizontal.
Classificação das dobras
Tipos de dobras
Quanto à disposição espacial da dobra:

Antiforma Sinforma Dobra neutra

Dobra cuja Dobra cuja Dobra cuja


abertura/concavidade abertura/concavidade abertura/concavidade se
está voltada para baixo está voltada para cima orienta horizontalmente
Tipos de dobras
Tipos de dobras
Quanto à disposição na dobra, da sequência estratigráfica:

Anticlinal Sinclinal

No núcleo da antiforma No núcleo da sinforma


encontram-se as rochas encontram-se as rochas
mais antigas mais recentes
Tipos de dobras
A dobra fecha para:
cima baixo
mais recente
A camada do núcleo é:
mais antiga

http://www.ccvestremoz.uevora.pt/upload/pdf/dobras_conversas_da_terra.pdf