O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE

Vera Lúcia Bazzo/ Bazzo/ MEN/CED/UFSC   

Comissão Assessora de Avaliação da área de Padagogia ± vinculada a DEAES/ INEP. Instituída pela Portaria INEP/ MEC n° 10, de n° 14 de fevereiro de 2005. Critérios: professores pesquisadores; especialistas na área; deveria contemplar as diferentes regiões do País e tipos de instituições de educação superior.

Composição 
     

Ana Maria Freire da Palma M. de Almeida/ UNESP -SP; Ângela I. Loureiro de Freitas Dalben/ UFMG ± MG; Dalben/ Betania Leite Ramalho/ UFRN ± RN; Helena Lopes de Freitas/ UNICAMP ± SP; Lucíola Inês Pessoa Cavalcante/ UFAM ± AM; Mariluce Bittar/ UCDB ± MS Bittar/ Merion Campos Bordas/ UFRGS ± RS - Presidente

Atribuições: Portaria INEP   

Propor diretrizes, objetivos e outras especificações necessárias à elaboração de instrumentos de avaliação do ENADE para os Cursos de Graduação em Pedagogia; Propor diretrizes, objetivos e outras especificações necessárias à Avaliação in loco dos Cursos de Graduação (ACG) em Pedagogia; Elaborar os produtos resultantes dos processos de construção do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) e da Avaliação in loco dos Cursos de Graduação (ACG).

Parágrafo 1, Art. 5ª, da Lei n° 10.861 de n° 14/9/2004 

O ENADE verificará o desempenho dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos respectivos cursos de graduação, suas habilidades para ajustamento às exigências decorrentes da evolução do conhecimento e suas competências para compreender temas exteriores ao âmbito específico de sua profissão ligados à realidade brasileira e mundial e a outras áreas do conhecimento.

O Trabalho da Comissão Assessora...   

O curso não contava com as Diretrizes Curriculares Nacionais; Intenso debate nacional: CNE; instituições públicas e privadas; documentos elaborados por entidades da área: ANFOPE, FORUMDIR, ANPEd; ANPEd; CEDES; Apesar da opção pólítico-ideológica presente no pólíticoSINAES, que atribui ao ENADE a tarefa de acompanhamento ao processo de aprendizagem do desempenho dos estudantes (ingressantes e concluintes) ...

Uma Questão Básica Permanecia:

Quê saberes e habilidades deveriam nortear a organização do Exame?

o que significava

Estabelecer conteúdos programáticos previstos nas inexistentes diretrizes curriculares do curso?

Portaria INEP n° 177, 24 de agosto de 2005 n°
OBJETIVOS ± ENADE/ Pedagogia 2005  Formação geral: profissional ético, competente e geral: comprometido com a sociedade em que vive;  Formação específica: específica: a) contribuir para avaliação do desempenho dos estudantes de graduação em Pedagogia, levantando indicadores para ações que promovam a melhoria da qualidade do ensino oferecido;

b) identificar necessidades e problemas relacionados ao processo de formação do Pedagogo, considerando as exigências sociais, econômicas, políticas, culturais e éticas, os princípios expressos nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, nas Diretrizes Nacionais para a Educação Básica e nos documentos propositivos sobre Diretrizes Curriculares Nacionais para a Pedagogia, produzidos e divulgados pelas entidades da área.

Áreas ou Campos Profissionais
a) na docência da Educação Infantil (0 a 6 anos), dos anos iniciais do Ensino Fundamental, Regular e de Jovens e Adultos e na docência das disciplinas de formação pedagógica em nível médio; b) no planejamento, organização, avaliação e gestão nos sistemas de ensino, em escolas e outros espaços educativos; c) na produção e difusão do conhecimento no campo da Educação.

Perfil do Futuro Pedagogo  

compreender o contexto sócio-cultural, político sócioe econômico em que se inserem os processos educativos escolares e não-escolares, bem como nãocompreender e respeitar as diferenças sóciosócioculturais dos alunos para orientar sua formação, visando a qualidade da educação; entender a formação profissional como um processo contínuo de auto-aperfeiçoamento e de autodomínio teórico investigativo do campo da educação;   

compreender as diversas abordagens do conhecimento pedagógico assim como os conteúdos específicos dos currículos dos diferentes níveis de ensino e suas respectivas metodologias; participar no planejamento, na implementação e avaliação de projetos educativos escolares e não escolares de modo que a diversidade e as múltiplas relações das esferas do social: cultural, ética, estética, científica e tecnológica sejam contempladas; planejar e desenvolver situações pedagógicas concretas, para situações educativas escolares e nãonão-escolares, integrando diferentes conhecimentos e tecnologias de informação e comunicação;  

articular, mediante práticas participativas, recursos humanos, metodológicos, técnicos e operativos, inclusive em equipes interdisciplinares e multi-profissionais; multiinvestigar situações educativas, mapeando contextos e problemas, analisando contradições, argumentando e produzindo conhecimentos.

Na elaboração dos objetivos, a Comissão optou por objetivos, utilizar a terminologia conhecimentos e habilidades em razão de sua vinculação com os campos disciplinares que compõem as propostas do curso, da seguinte forma: I- Conhecimentos Pedagógicos de Formação Geral; II- Conhecimentos Pedagógicos-didáticos; IIPedagógicosIIIIII- Conhecimentos das Áreas Específicas.

No Componente específico, o ENADE da área de Pedagogia tomará como referencial: I- Áreas de Formação Geral II- Áreas Específicas para Docência IIIIIIII- Áreas Específicas para Gestão Escolar e outros espaços educativos

A Comissão Assessora procurou explicitar para a Banca Elaboradora do Exame, os fundamentos que deveriam nortear o processo avaliativo do estudante: 
  

Interdisciplinaridade Práxis pedagógica Conteúdos programáticos previstos nos documentos representativos da área e dos cursos de Pedagogia Os saberes e habilidades necessários ao desempenho profissional e ao conhecimento da realidade brasileira.

Critérios que deveriam ser atendidos para a composição da Banca de Elaboração e Correção do Exame: 
 

Docentes com graduação na área específica Docentes de IES em exercício na graduação, na área específica há mais de 5 anos Doutor com produção acadêmica nos últimos 5 anos, em pelo menos um dos seguintes campos: formação de professores; política educacional e gestão escolar; currículo; didática.

A Comissão Assessora considera que, para além dos dados quantificáveis, as políticas de avaliação da educação superior devem penetrar nos significados produzidos no interior de cada IES, nas suas finalidades e ³vocações´ específicas, nos seus programas e planos de ação, na sua cultura, na dinâmica das relações que nela se estabelecem, nas suas contradições e conflitos, em seus consensos possíveis [...], no intrincado tecido que constitui a comunidade acadêmica. (RELATÓRIO, Comissão Assessora, 2006)

Os dados produzidos pelo ENADE, pertencentes a uma política maior de avaliação ± SINAES ± devem ter como condição primeira promover o encaminhamento de um processo capaz de favorecer a definição de uma política de crescimento da qualidade da educação superior do País. Significa que, com a socialização dos resultados, as instituições deveriam se debruçar sobre eles e compará-los ao conhecimento que comparádetêm do seu projeto institucional, de seu plano pedagógico e do referencial de análise de sua prática. (RELATÓRIO, Comissão Assessora, 2006)

Algumas questões:   

O que se fará com os diagnósticos desenvolvidos? Quem será o responsável direto pelas alterações consideradas necessárias? Qual será o lugar do governo no encaminhamento das melhorias necessárias, tanto no caso das IES públicas quanto das IES privadas?

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful