Você está na página 1de 27

Certificação Ambiental e

ISO 14000
Gestão Ambiental
Os mercados e a certificação ambiental
 Sintonia dos consumidores com a empresa
 Abertura ou fechamento de mercados
conforme posse ou não da certificação,
representando, portanto, um desafio à
ampliação do mercado (barreira não-tarifária)
 ↓ Regulamentação em tarifas e quotas,
↑ Barreiras não-tarifárias
 Impacto sobre estruturas produtivas e sobre as
relações comerciais
Selos verdes
 Prática corrente de diferenciação no mercado
internacional
 Diferenciação:
produtos mais ou menos nocivos,
empresas menos ou mais competivivas.
 Países ou Comunidades, junto com
ONGs + Institutos de Pesquisa, criam
Normas de Certificação Ambiental (selos verdes)
Representação Esquemática do
Processo de Certificação
ROTULAGEM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL


ANÁLISE DO AVALIAÇÃO DO
CICLO DE VIDA DESEMPENHO AMBIENTAL
(ACV)

AUDITORIA AMBIENTAL
ISO – International Organization for
Standardization
 Padronização internacional de procedimentos
 Tomadas coreanas podem ser utilizadas no Brasil
 Normas adotadas voluntariamente, não implicando
em instrumentos legais de imposição
 A ISO é normalmente representada por entidades
normativas nacionais dos países membros (ABNT,
no Brasil)
SÉRIE ISO 14000
 Conjunto de normas para auditoria e rotulagem
ambiental
Sistema de Gestão Ambiental
da ISO 14000
GESTÃO
AMBIENTAL
SISTEMA DE GESTÃO AVALIAÇÃO DO CICLO
AMBIENTAL DE VIDA (ACV)

AVALIAÇÃO ROTULAGEM
DO AMBIENTAL
DESEMPENHO
AMBIENTAL ASPECTOS
AMBIENTAIS
AUDITORIA EM NORMAS
AMBIENTAL E PRODUTOS
ORGANIZAÇÃO PRODUTOS E PROCESSOS
Sistema de Gerenciamento Ambiental
ISO 14001 e 14004
 Princípios, sistemas e técnicas de uso e apoio
na gestão ambiental, exigências práticas que
serão objeto de auditoria ambiental de
terceiros para efeito de certificação.
 O que é um Sistema de Gerenciamento
Ambiental (SGA) ? É uma ferramenta através
da qual pode-se demonstrar como a
organização gerencia suas obrigações
ambientais e como as falhas e a conseqüente
busca de soluções são administradas.
Auditoria Ambiental – ISO 14010,
14011, 14012, 14013 e 14015
 Procedimentos de auditoria e de qualificação dos
certificadores, que avaliam conformidade com ISO
14001
 Procuram adequar o processo produtivo às exigências
legais
 Possibilita a preocupação pró-ativa de buscar
alternativas melhores em relação a insumos e produtos
menos agressivos ao meio ambiente
 Objetivo principal: assegurar que o sistema
operacional funcione dentro dos padrões estabelecidos
Auditoria Ambiental
Diretrizes da ISO 14010, 14011 e 14012
 Requisitos fundamentais para sua realização:
 Existência de informações suficientes sobre o
objeto da auditoria (relatórios e outros
documentos...)
 Existência de recursos adequados para apoiar seu
processo (integrantes para equipe de auditoria,
análise de amostras líquidas, de emissões,
avaliações de segurança do trabalho...)
 Existência de cooperação adequada por parte do
auditado (para execução da auditoria, aplicação do
plano de ação...)
Auditoria ambiental
 Avaliação do desempenho ambiental das
empresas
 Questões específicas
 Aquisições em potencial
 Fornecedores
Auditoria Ambiental
 Melhora da eficácia global da organização, não buscando
punição dos responsáveis pelos problemas encontrados
 Objetivos principais nas empresas americanas:
 Garantia do cumprimento da legislação
 Definição das obrigações a serem cumpridas
 Acompanhamento e controle dos custos do cumprimento das
obrigações
 Definição das responsabilidades dos gerentes
 Verificação da situação ambiental no caso de fusões e
aquisições
Cahill (1987)
Auditoria Ambiental
 Resultados da Auditoria Ambiental sigilosos ou
transparentes ?
 Sigilo: resguardo de problemas em relação à
comunidade ou aos órgãos governamentais
 Transparência: relacionamento responsável em
relação à questão ambiental

 É melhor buscar melhorar o desempenho


ambiental e evitar a publicidade negativa do
que esconder os problemas e não tomar
nenhuma medida para resolvê-los.
“Eco-audit” – sistema de auditoria
ambiental da Comunidade Européia
 Verificação sistemática e periódica do
desempenho ambiental
 Auto-avaliação voluntária
 Divulgação pública dos resultados em
balanços ambientais
 Verificação por auditores externos
 Atendimento aos padrões estabelecidos ?
 SIM: “Eco-audit”
Avaliação do Ciclo de Vida – ISO
14040, 14041, 14042 e 14043
 Princípios e orientações gerais, normas de
análise do inventário do ciclo de vida, avaliação
e interpretação do impacto ambiental
 Inclui harmonização dos procedimentos e
metodologias com normas de outros sistemas de
certificação
 Instrumento gerencial: Estabelecimento de
prioridades, identificação de oportunidades
(menos emissões e resíduos...), inclusive para
novos produtos
Análise do Ciclo de Vida - ACV
 Análise e avaliação dos impactos produzidos no ciclo de vida do
produto no que tange ao consumo de recursos naturais
(renováveis e não-renováveis) e à geração de resíduos (emissão
de poluentes tóxicos, particulados, causadores do efeito estufa,
da degradação da camada de ozônio... resíduos sólidos,
substâncias tóxicas, etc.)
 Preocupa-se com o custo ambiental em cada estágio do ciclo de
vida e avalia:
 Fabricação
 Transporte
 Uso
 Descarte
 O esforço de desenvolvimento do produto é focalizado na etapa
que apresenta o maior custo ambiental
Ciclo de Vida
 Cadeia de produção, circulação e consumo:
 Inicia na produção das matérias-primas,
passa após pelo seu sistema de transporte,
de processamento e elaboração do produto
 Considera a distribuição do produto
 Termina com o consumo final e a
disposição dos rejeitos (resíduos) do
produto após consumido
Análise do Ciclo de Vida
 Princípios gerais da análise
 Descrição do ciclo de vida
 Identificação
dos materiais (matérias-primas,
componentes, resíduos) e energia (tipo) que entram e
saem do produto em cada etapa de sua vida, bem como
as transformações que ocorrem.
 Identificação dos objetivos de cada etapa e
atribuição de custos e valores
 Identificação de oportunidades para melhoria,
tanto ambientalmente como no projeto em geral.
Análise do Ciclo de Vida
Avaliação do Desempenho Ambiental ISO
14031 e 14032
 Feitas sobre os Sistemas de Gestão Ambiental
 Exige objetivos e metas ambientais específicas e
mensuráveis bem como avaliação sistemática do SGA
 Cobrem todo o Ciclo de Vida dos produtos
Avaliação do Desempenho Ambiental
 Feitas sobre os Sistemas de Gestão Ambiental
 Exige objetivos e metas ambientais específicas
e mensuráveis bem como avaliação sistemática
do SGA
 Cobrem todo o Ciclo de Vida dos produtos
Rotulagem Ambiental – ISO 14021,
14022, 14023, 14024 e 14025
 Princípios e metodologias de rotulagem e
testes de verificação, símbolos, metas e
princípios da rotulagem ambiental

 Ponto culminante do processo de certificação:


Premia com maiores oportunidades de
mercado aqueles que produzem com menor
impacto ambiental pela concessão dos
certificados ambientais
Rotulagem Ambiental
Análise do Ciclo de Vida
Selos Verdes desenvolvidos no Mundo
PAÍS NOME DO PROGRAMA DATA DE CRIAÇÃO

Alemanha Blue Angel 1977

Canadá Environmental Choice 1988

Japão Eco Mark 1989

Estados Unidos Green Seal 1989

Países Nórdicos White Swan 1989

Suécia Good Environmental Choice 1990

Nova Zelândia Environmental Choice 1991

Áustria Austrian Eco-label 1991

Austrália Environmental Choice 1991

França NF – Environnement 1992

European Union European Flower 1992


Selos Verdes desenvolvidos no Mundo

Canadá Alemanha
Blue Angel
Environmental
Choice

Estados Comunidade
Unidos Européia
Green Seal Eco Label
Aspectos Ambientais nas Normas e
Produtos - ISO 14060
 Exigências em normas e produtos:
 Entrada de materiais e energia
 Tipos e quantidades de rejeitos e emissões geradas
 Entradas e saídas associadas aos processos de
embalagem, transporte, distribuição e uso
 Opções quanto à reutilização, reciclagem,
facilidade de desmontagem, conserto e restauração
 Opções quanto ao descarte do produto
ISO 14000 e Sustentabilidade: uma
questão.
 Se objetivo da ISO é padronizar evitando
tendenciosidades ou a utilização deliberada de
critérios, desestimulando assim a criação de
barreiras não-tarifárias protecionistas verdes...
as empresas que operam em nível local, com
baixas exigências ambientais, são
prejudicadas em detrimento de empresas de
grande porte com atuação em vários países ?
Fontes
 De Souza, R.S. 2000. Certificação ambiental
e competitividade no comércio internacional.
In: Entendendo a questão ambiental. Cap. X.
EDUNISC.
 DUARTE, M.D. 1997. Caracterização da
rotulagem ambiental de produtos.
(Dissertação de Mestrado – Eng. Prod.
UFSC).
 DONAIRE, D. 1999. Gestão Ambiental na
Empresa. 2ª ed. Cap. 7. Ed. Atlas.