Você está na página 1de 205

DADES

§ 1

N 1 MARTIM DADE o velho casou 1ª vez com D. Maria Reymonda fª. de Reymão Pires de Riba de

Vizella, e D. Sancha Lopes Correa = Conde D. Pedro fl. 280 N 21

2

Payo Dade

2

Martim Dade

Casou 2ª vez com D. Urraca Pires fª. de Pedro Mendes de Aguiar, e D. Estevainha Mendes no Conde D. Pedro fl. 344 N 5

2

D. Pedro Mz o Nata s.g.

2

D. Dorida Mz casada

2

D. Marinha Mz m.er de Soeiro Annes de Payva no ttº. de Payvas digo ttº. de Castellos brancos § 1 N 6

2

D. Sancha Mz

N

2 MARTIM DADE fº. de Martim Dade N 1 foi Alcaide Mor de Santarem casou 1ª vez com D. Sancha

de

Santarem

3

João Dade casado com Domingas Mz de Santarem

3

Fernão Dade casado com D. Mor Esteves fª. de Estevão de Aboim fl. 158 N 8 do Conde s.g.

3

D. Mecia Dade m.er de Gomes Paes da Silva

Casou 2ª vez com D. Urraca Lourenco da Cunha fª. de Lourenco Fz da Cunha s.g. Casou 3ª vez com D. Thereza Fz de Seabra fª. de Fernão Gracia de Seabra e D. Mor Fz fª. de Fernão Rz

de Biedma

3

D. Maria Dade m.er de Pedro Fz de Castro no ttº. de Castros

3

D. Ignez Dade m.er de Affonco Mz Trojão no ttº. de Homens Conde D. Pedro fl. 61 N 25

DEÇAS

N 1 D. GOMES HENRIQUES DE POBRAOS casou 1ª vez com D. Maria Sanches fª. de D. Sancho

Fernandes fº. B. de El Rey de Leão D. Fernando 2º, e D. Tereja Roa no Conde fl 19 N 9

2 Diogo Gomes Proboas

Casou 2ª vez com D. Mor Affº. fª. de Affº. Soares Sarraça e sua m.er D. Tereja Annes Deca no Conde fl.

149

N 3

2

Affº. Gomes Daça § 2

2

Gomes Henriques § 3

N 2 DIOGO GOMES DE PROBAOS fº. de D. Gomes N 1 casou 1ª vez com D. Maria Fz fª. de Fernão

Lopes de Olhoa, e D. Maria Mz Marinha no Conde D. Pedro fl. 99 N 2

3

Fernão Dias

3

Urraca Dias m.er de Payo Varela no Conde D. Pedro fl 396

Casou 2ª vez com D. Maria Nunes fª. B. de Nuno Glz o bom s.g.

§ 2

N 2 AFFONCO GOMES DAÇA fº. de D. Gomes Henriques N 1 do § 1 matou-o seu irmão Gomes

Henriques sem causa. Casou com D. Maria Fz fª. de Fernão Bicos

3

Affonco Soares Daça

3

D. Tereja Affº. m.er de João Vasques Sarraca no Conde fl 146 N 6

3

D. Aldonca Affº. m.er de Pedro Soares Galhituno s.g.

3

D. Mor Affº. m.er de Pedro Fz Turrichão no Conde fl. 385

3

D. Maria Affº. Bicos m.er de João Forjaz burguez c.g.s.n.

§ 3

N 2 GOMES HENRIQUES fº. de D. Gomes Henriques N 1 do § 1 casou e teve

3 Diogo Gomes Daça

N 3 DIOGO GOMES DAÇA fº. de Gomes Henriques N 2. Casou 1ª vez com D. Mecia Gomes Sarraca

fª. de D. Gomes Pires Sarraca neta de D. Pedro Soares de quem se apartou por parente Conde D. Pedro fl. 149 N 5

4 Affonco Gomes Daça

Casou 2ª vez com D. Tereja Vasques fª. de Vasco Pires de Temes, e D. Alda Lopes Valboa no Conde fl

400

N 1

4

Affonco Soares

4

Diogo Gomes

4

§ 4

N 1 JOÃO PIRES DACA casou com D. Tereja de Caldellas

2 D. Ignez Daca m.er de D. Affº. Annes Turrichão no ttº. de Turrichaons no Conde D. Pedro fl. 385 N 12.

DIAS VARAJOENS

VARAJÃO

N 1 PAULO RABELLO fº. de

Dias fª. de Pedro Vaz e Cecilia Pires irmã de Francisco Vaz m.er de Andre Mendes de Vasconcellos

Macedo Ab.e de Clemente, e sua amada casou com Maria

2

Pedro de Souza Ab.e da Varzea de Gouvea fº. de Gaspar Dias de Arnello

2

O L.do Goncallo de Souza

2

D. Francisca de Souza c.c. Diogo de Moura Coutinho de Borba c.g. no ttº.

N 2 O L.DO GONCALLO DE SOUZA fº. de Paullo Rabello N 1 foi Sr. da Quinta de Pascoaes junto a

Amarante na fregª. de gatão q herdou de seus pais ou comprou porque foi um homem rico, e abastado por seu irmão teve de sua amada Catarina Esteves a Canadella

3 Vasco de Macedo c.g. extinta

Teve mais de outra amada chamada Maria Pinto fª. de Duarte Pinto de Gatão

3

o Dr. Paullo Rabello grande Letrado Lente na Universidade e Dz.or da Suplicação

3

de Souza m.er de João Alz Varajão ttº. de Varajoens

DIAS

N 1 FRANCISCO DIAS DE RIBRº. Foi Alcaide de Amieyra casou com D. Joanna Dornellas fª. de João

Dornellas q serviu em Africa com grande distinção em tempo de Nuno Fz de Ataide, e depois com o

Duque de Bragança na tomada de Azamor, e sua m.er Cecilia de Moura fª. de João de Moura Cassador Mor do Rey D. Manoel ttº. de Ornellas § 3 N 8

2

Damião Dias

2

D. Luiza Dornellas m.er de João de Almeida

N 2 DAMIÃO DIAS fº. de Francisco Dias N 1 foi escrivão da fazenda dos Reis D. Manoel e D. João III

e Alcaide Mor de Amieira casou duas vezes a 1ª com D. Joanna de Menezes fª. B. de D. Duarte de Menezes G.or q foi da India

3

Duarte Dias de Menezes

3

D. Antonia Dias m.er de D. Manoel de Souza Trinchante do Infante D. Luiz

3

D. Joanna freira em Santos

3

D. Maria Abª. de Odivellas

N 3 DUARTE DIAS DE MENEZES fº. de Damião Dias N 2 foi escrivão da Fazenda casou com D.

Brites de Carvalho fª. de Gaspar Nunes de Carvalho Chanceler Mor, e sua m.er D. Maria de Aguiar

4

Damião Dias de Menezes q mor. com seu pai na de Alcacer

4

Ruy Dias de Menezes

4

Gaspar de Carvalho q casou na India

4

Francisco Dias de Menezes Prior de Cos

4

Nicolao de Carvalho q casou com uma filha B. do Tesoureiro da Guarda teve 5 Lourenço Dias de Menezes casado com Catarina Pereira fª. de Feleciano Pereira e de D. Antonia da Rocha teve 6 Nicolao de Carvalho

N 4 RUY DIAS DE MENEZES fº. de Duarte Dias N 3 foi escrivão da fazenda e secretario das m.ces

como seu pai Fid. da C.R. casou 1ª vez com D. Anna de Faria fª. de Francisco de Faria e Mello, e sua 1ª m.er Brites da Fon.ca Sr.es do Morgado de Mira

5

Duarte Dias mor. moço

5

Francisco de Faria q por morte de seu irmão se chamou Duarte

5

Damião Dias de Menezes § 2

Casou 2ª vez com D. Izabel viuva de Pedro da Costa, q depois casou com Francisco de Mello Serrão s.g.

N

5 FRANCISCO DE FARIA fº. de Ruy Dias N 4 por morte de seu irmão se chamou Duarte. Casou com

§ 2

N

fora herdeiro da Casa de seu pai e do offº. Casou com D. Anna de Castro fª. de Thome de Castro do Rio

Padroeiro dos Capuchos de Loures, e sua m.er D. Brites Pessanha

5 DAMIÃO DIAS DE MENEZES fº. de Ruy Dias N 4 do § 1 algumas memorias o fazem unico, e q

 

6

Ruy Dias de Menezes

 

6

D. Brites Dias de Menezes m.er de D. Luiz Mascarenhas de Lencastre o Corregedor

 

N

6 RUY DIAS DE MENEZES fº. de Damião Dias N 5 foi Sr. da Casa de seu pai foi morto uma manhã

de

S.

João

no Rossio

sendo

casado

na

Bahia

de

todos

os

Santos

com

D.

7

Ruy Dias de Menezes

 

DORDAZES

N

1 JOÃO FLORES DORDAZ n.al de Leão em Castella, não sabemos de quem era fº só ser casado com

D.

Leonor Vallenca n.al de Mogadouro

2

Luiz Dordaz Porras

N

2 LUIZ DORDAZ PORRAS fº. de João Flores Dordaz N 1 foi Sr. do Morgado das duas igrejas e

Instituidor do de Villar Seco. Casou com D. Lenor de Anahia fª. de Francisco de Orjaz e Grilhão n.al de Camora em Castella, e D. Brites Rz fª. de D. Pedro Rz Ladeima de Castella

3

Diogo Dordaz de Anahia c.g. no Cost. fl. 107 vº. do Tomo 3

3

João Flores Dordaz c.g. no Cost. fl. 72 vº. do dito Tomo e § 2

3

Francisco Dordaz de Anahia c.g. no Cost. 16 do Tomo 2 § 3

N 3 DIOGO DORDAZ DE ANAHIA fº. de Luiz Dordaz N 2 foi Sr. do Morgado de Villar Seco. Casou

com D. Izabel de Aragão fª. de Bernardo de Aragão Cabral e sua m.er D. Marianna de Moraes fª. de Antonio Pinto da Cunha

4

João Dordaz de Anahia

4

D. Thereza de Aragão c.c. Bernardo Sarmento de Moraes = Moraes § 14

N 4 JOÃO DORDAZ DE ANAHIA fº. de Diogo Dordaz N 3 foi Sr. do Morgado de Villar Seco, e depois

de viuvo Ab.e de Villa Chão. Casou com D. Francisca Mascarenhas de Menezes fª. H. de Antonio de

Queiroz Fid. da C.R. Cap.am de Infª. na Guerra da Aclamação e depois de viuvo Ab.e de Real, e sua m.er D. Francisca Mag.es Machado no ttº. de Vasconcellos § 42

5 Francisco Dordaz de Queiroz

N 5 FRANCISCO DORDAZ DE QUEIROZ fº. de João Dordaz N 4 foi Sr. do Morgado de Villar Seco

Fid. da C.R. Cavº. da Ordem de Xº. Coronel do Regimento de Cavalaria de Moura, serviu na Guerra da Liga. Casou com D. Izabel Joanna Ribeiro Delgado fª. H. de João Rz Frade Superintendente dos Tabacos

da

Provincia da Beira, e sua m.er D. Izabel Joanna Roballo (ve. Cost. fl. 107 vº. Tomo 3)

 

6

João Dordaz

6

D. Catarina

 

§

2

N

3 JOÃO FLORES DORDAZ fº. de Luiz Dordaz Porras § 1 N 2 foi Sr. do Morgado das duas Igrejas

casou com D. Leonor de Mendonca

4 Diogo Dordaz

N 4 DIOGO DORDAZ fº. de João Flores Dordaz N 3 foi Sr. do Morgado das duas Igrejas casou com D.

Marianna de Moraes Sarmento fª. de João de Moraes Sarmento, e D. Maria de Castro Colmeiro

5 João Dordaz Flores

N

5 JOÃO DORDAZ FLORES fº. de Diogo Dordaz N 4 foi Sr. do Morgado das duas Igrejas casou com

D.

Izabel Maria de Aragão sua prima fª. de Bernardo Sarmento de Moraes e sua m.er D. Thereza de

Aragão Cabral ttº. de Moraes § 14; D. Thereza era fª. de Diogo Dordaz de Anahia, e sua m.er no § 1 N 3

6 D. Marianna Jozefa Dordaz Sarmento H.

§ 3

N 3 FRANCISCO DORDAZ DE ANAYA fº. de Luiz Dordaz Porras § 1 N 2 foi Sr. do Morgado da

Fonte da Aldea. Casou com D. Mayor Sarmento fª. de Francisco Ferreira de Sá Sr. do Morgado de

Tuizello, e sua m.er D. Jeronima Ferreira no ttº. de Ferreiras § 51

4 Luiz de Anaya Dordaz

N 4 LUIZ DE ANAYA DORDAZ fº. de Francisco Dordaz N 3 foi Sr. do Morgado de Fonte de Aldea.

Casou com D. Elena Sarmento sua prima fª. de Deniz Pinto da Silva n.al de Quintella, e sua m.er D. Izabel de Sá (ttº. de Farias § 161)

5

Francisco Xavier Dordaz Sarmento

N 5 FRANCISCO XAVIER DORDAZ SARMENTO fº. de Luiz de Anaya Dordaz N 4 foi Fidalgo da

Casa Real Cavº. da Ordem de Xº. Cap.am de Cavalos, e Sr. do Morgado de Fonte de Aldea, morou em Miranda. Casou com D. Luiza de Moraes Sarmento fª. de Bernardino Sarmento de Moraes Sargento Mor

de

Miranda, e D. Thereza de Aragão ttº. de Moraes § 10

 

6

Bernardo Sarmento Dordaz

6

Francisco Xavier Sarmento Dordaz Cap.am de Cavalos em Chaves

6

Luiz Caetano Dordaz

N

6 LUIZ CAETANO DORDAZ fº. de Francisco Xavier Dordaz N 5 foi Fid. da C.R., e sucedeu na Casa

por morte de seus irmãos. Casou com D. Guiomar de Vasconcellos de Sá fª. de João Crizostumo de Faria Souza e Vasconcellos, e sua m.er Francisca Rita Xavier de Bulhão Pato, neta paterna de Antonio

Cordeiro de Faria, 1 e sua m.er D. Thereza Maria de Vasconcellos n.al de Castro de Ayre, e neta

materna de Antonio Correa de Vilhena, e D. Joanna Ignacia de Bulhão (Tomo 2º. De Cost. fl. 16 vº)

7 Francisco Dordaz

1 Nota dos Editores — Segundo a justificação de Nobreza de Teodoro José de Vasconcellos e Sá de Faria e Souza (adiante citado em nota ao § 163 do ttº. de Farias, deste Tomo), irmão do supra mencionado João Crisostomo de Faria Souza Vasconcellos e Sá, ambos eram filhos deste Antonio Cordeiro de Faria, netos paternos de Domingos Fernando de Faria e Souza, e bisnetos, por varonia, de Pedro de Faria e Souza N 12 do dito § 163 de ttº. de Farias.

DRAGOS

N

1 MANOEL DRAGO 2 dizem ser Fidalgo Castelhano, e muito nobre, e honrado. Casou com D. Felipa

de

Macedo 3 fª. de João Glz de Macedo, e sua m.er Izabel Gomes Rabello no ttº. de Macedos § 5 N 10

2

Ruy Drago

2

Felipa de Macedo § 3

N

2 RUY DRAGO fº. de Manoel Drago N 1 foi Com.or de Souto junto de G.es. casou com D. Briolanja

de

Goes fª. de Manoel Pinto de Goes e D. Francisca Teixeira, neta de Goncallo Pinto Sr. de Ferreiros de

Tendaes

3

Manoel Drago de Portugal

3

Francisco Drago de Portugal casado com D. Luiza da Cunha fª. de Estevão Freire de Brito 4 D. Francisco da Cunha foi pata Castella

Casou 2ª vez Ruy Drago com Bernarda ou Branca Martins Boto fª. de Pedro Boto de Souza e Evora

3

Salvador Drago § 2

3

Francisco Drago

3

Antonio Drago havido em uma escrava

N 3 MANOEL DRAGO fº. de Ruy Drago N 2 casou com D. Leonor de S. Payo fª. 2ª. De Affº. Botelho

Alcaide Mor de Vila Real

4 D. Luiza da Silva m.er de D. Simão Correa Comendador de S. Marta junto de Vianna

§ 2

N 3 SALVADOR DRAGO fº. de Ruy Drago N 2 do § 1 casou com D. Felipa Luiza Guedes fª. de Alvaro

Guedes de Vasconcellos e de sua m.er D. Felipa de Alvim neta de Alvaro Vaz Guedes e D. Felipa de

Mesquita, 2ª neta paterna de Goncallo Vaz Guedes Sr. de Murça, e sua m.er D. Izabel de Alvim fª. de Pedro de Souza de Alvim; neta materna de Fernão Alz de Souza Com.or da Ordem de Xº., Alcaide Mor

de

Alfaates, e sua m.er D. Maria de Souza ttº. de Guedes § 6 N 8

 

4

Ruy Drago

4

D. Anna de Alvim m.er de Nuno Cardozo de Lamego Sr. do Morgado da Taipa fº. de Goncallo Cardozo e sua m.er D. Izabel Mendes de Vasconcellos ttº. de Carvalhos § 22 N 13

N

4 RUY DRAGO fº. de Salvador Drago N 3 foi Sr. da Casa de seu pai. Casou com D. Brites fª. de

Amador de Carvalho de Murça, e sua m.er D. Anna de Souza ttº. de Carvalhos § 19 N 12

5

Sabastião Drago mor. solteiro

5

B.or Drago q foi H. e viveu em Villar de Maçada onde tinha muita fazenda (Instituiram os Morgados de Nossa Senhora da Encarnação na sua Capella de Villar de Maçada e outro na Capella Mor da Paroquial Igª. da Villa de Murça, de q eram Padroeiros)

5

D. Izabel de Souza

5

D. Genebra de Alvim

5

D. Felipa de Alvim (deizaram seus bens a D. Gergorio de Castellobranco)

5

D. Anna de Tavora

§ 3

N 2 FELIPA DE MACEDO fª. de Manoel Drago N 1 do § 1 casou com Goncallo Taveira Fidalgo

Cavaleiro com moradia de 1865 rs.

3 D. Guiomar Taveira c.c. Baltezar de Estrada Sotomayor fº. de João de Estarda c.g. no ttº. de Sotomayores § 1 N 12

2 Assistia em Villar de Maçada junto a Vila Real parente de João Pires Drago Creado do Infante D. Pedro fº. de El Rey D. João I.

3 Esta D. Felipa de Macedo antes de casar com este Manoel Drago a ttº. de casamento teve de D. Affº. Bispo de Evora filho do Marquez de Valenca D. Affº. e D. Brites sua m.er a D. Affº. 1º Conde de Vemiozo. Diz D. Antonio de Lima q D. Felipa de Macedo quando casara com Manoel Drago ima prenhe de cinco meses como tais seus descendentes uzaram do apelido de Portugal e por esta razão lhe deu o Bispo de Evora uma Quinta chamada a Sempre Noiva junto de Evora q depois trocou Manoel Drago de Portugal com seu irmão D. Francisco de Portugal, mas sendo assim se não deviam apelidar Dragos.

DUARTES

N 1 FERNANDO DUARTE ANNES é o primeiro de q acho memoria deste apelido q em um Livro q me

veio a mão de seus descendentes se faz filho de D. Branca fª. de Pedro Annes, e de sua m.er D. Constança Mendes de Souza e neto paterno de João de Aboim de q tratamos no ttº. de Cunhas § 52 diz no dito Livro q fora casada a dita D. Branca com o Conde D. Pedro fº. B. do Rey D. Diniz q compoz o

Livro de Familias de q foi grande Investigador e q todos conhecem; igualmente se dizia q sucedera em

as

terras do mesmo Conde D. Pedro o dito Fernão Duarte querendo-o assim fazer fº. do mesmo Conde, e

da

dita sua prª. m.er, mas tudo isto é erro apesar das razões fribulas q se davam no dito Livro para dar a

este Fernando Duarte uma varonia Real. Este Fernão Duarte Annes dizem casou com Maria Glz

Barboza fª. de Goncallo

Annes, e Maria Barboza da fregª. de Cosourado, e destes se lhe dava a seguinte descendencia

2

Duarte Annes Glz Barboza

2

Francisco Duarte q foi Sargento Mor de Infª. mor. em Africa na Ilha da Irlanda no socorro q Felipe 2º deu aos Catolicos da dita Ilha q é sujeita a Inglaterra

2

D. felicia Barboza freira em Braga

N 2 DUARTE ANNES GLZ BARBOZA fº. de Fernão Duarte N 1 sucedeu na Casa de seu pai. Teve o

Foro de Fidalgo pelos serviços de seu irmão Francisco Duarte. Casou com Felicia Affonco fª. de Goncallo Affonco, e de Dionizia Dias da fregª. de Carapecos

3

Affonco Duarte Barboza

3

Maria Duarte freira

3

Anna Duarte m.er de Antoni Gomes do Couto da cidade de Braga s.m.n.

N 3 AFFONCO DUARTE BARBOZA fº. de Duarte Annes N 2 casou com Anna Glz fª. de Francisco

Alz, e Izabel Glz de Cosourado

4

Duarte Glz Barboza

4

Maria Glz Duarte

4

Anna Duarte

N 4 DUARTE GLZ BARBOZA fº. de Affonco Duarte N 3 casou com Maria Glz na mesma Casa do

Paço do Lijo

5 Manoel Duarte Glz

N 5 MANOEL DUARTE GLZ fº. de Duarte Glz N 4 foi Sargento Mor de Mar e Guerra e teve o Foro de

Fidalgo Cavaleiro 4 e foi Professo na Ordem de Xº. Casou com

6 Marta Glz Duarte

N 6 MARTA GLZ DUARTE fª. de Manoel Duarte N 5 casou no mesmo Paço de Lijo com Manoel

Antonio fº. de Antonio Affonco, e sua m.er Catarina Glz da Pia fregª. de Carapecos

7 Manoel Antonio Duarte

N

7 MANOEL ANTONIO DUARTE fº. de Marta Glz N 6 casou com Maria Francisca da mesma fregª.

de

Lijo fª. de Francisco Dias e Maria Lourença da fregª. de Lijo

8

Manoel Antonio Duarte

8

Antonio Manoel Duarte § 2

8

Domingos Duarte § 3

8

Maria Francisca Duarte § 4

8

João Duarte Padre da Companhia

8

Andre Duarte § 5

8

Marta Francisca Duarte m.er de Manoel Domingues Barboza fº. de Martinho Domingues e Crestina Barboza no ttº. de Barbozas § 205 N 27 c.g.

8

Domingas Francisca Duarte casou com Antonio Pires Ribeiro do lugar da Retorta fregª. de Lijo § 6

4 Vi uma cópia do Foro de Cavº. Fid. a Manoel Duarte Glz pelos serviços q fez na Guerra de Pernambuco com 750 por Mes e um Alq. de Cevada passado em Lisboa a 2 de Maio de 1661, e se lhe lançou o habito de Xº no Convento de S. Francisco da Bahia pelo Guardião do mesmo Fr. Rafael de S. Boaventura aos 14 de Julho de 1640.

8

Miguel Francisco Duarte § 7

N 8 MANOEL ANTONIO DUARTE fº. de Manoel Antonio Duarte N 7 casou na fregª. de Salvador do

Campo com

9 Manoel Antonio Duarte

N 9 MANOEL ANTONIO DUARTE fº. de Manoel Antonio Duarte N 8 casou na mesma Casa fregª. do

Salvador com

10

Costodia Duarte casada na mesma fregª. com Manoel Franco

10

Domingos Pinheiro Duarte morreu militar andando na India teve Ordens menores

10

Maria Duarte casou no Salvador

10

Francisco Duarte q mataram no sitio de Reborido dia de S. Bento

§ 2

N 8 MANOEL ANTONIO DUARTE fº. de Manoel Antonio Duarte N 7 do § 1 casou na fregª. de S.

Martinho de Aborim

 

9

Maria Duarte casada com Antonio Francisco Colaço na mesma fregª. c.g.

9

Costodia Duarte casada na fregª. de Lijo com Manoel Glz Mouta c.g.

9

Antonia Duarte casada na fregª. de Galegos s.g.

9

Manoel Antonio Duarte Clerigo falecido na America

 

§ 3

N

8 DOMINGOS DUARTE fº. de Manoel Antonio Duarte N 7 do § 1 casou no Algarve na cidade de

 

9

Francisco Pereira Duarte P.e da Companhia q foi cativo pelos Mouros

9

9

9

9

9

 

§

4

N

8 MARIA FRANCISCA DUARTE fª. de Manoel Antonio Duarte N 7 do § 1 casou na fregª. de Lijo

(esta linha estava escrita com confusão pois ou é assim como vai, ou todos os do N 9 — 10, 11 e 12 eram filhos do dito N 8)

com

9 João Ferreira Duarte

N

9 JOÃO FERREIRA DUARTE fº. de Maria Francisca N 8 casou na Casa com

10

Francisca Duarte de Macedo

N

10 FRANCISCA DUARTE DE MACEDO fª. de João Ferreira N 9 casou na fregª. de Lijo Lugar da

Igª: com Antonio Francisco natural de S. Eugenia

11 Domingos Teixeira Duarte

N

11 DOMINGOS TEIXEIRA DUARTE fº. de Francisca Duarte N 10 casou em Lijo Lugar de Paredes

12

Anna Duarte casada em S. Maria de Galegos com Manoel de Macedo c.g.

 

§

5

N

8 ANDRE DUARTE fº. de Manoel Antonio Duarte N 7 do § 1 casou com Anna de Macedo

9

Anna Duarte de Macedo c.c. João de Macedo em Galegos seus parente c.g.

9

Francisco Duarte Graduado em Canones, e Clerigo

9

Mnª. Duarte c.c. Manoel Glz em S. Leucadia c.g.

9

João Duarte de Macedo casado em Barcellos c.g.

9

Costodia Duarte c.c. Jeronimo Vaz Pias em Carapecos c.g. § 8

9

Izabel Duarte casada em Paredes com Andre Ferreira s.g.

N

9 DOMINGOS DUARTE DE MACEDO fº. de Andre Duarte N 8 casou 1ª vez com Antonio Manoel

de

S. Pedro c.g.

Casou 2ª vez com Manoel Machado c.g.

§ 6

N

8 DOMINGAS FRANCISCA DUARTE fª. de Manoel Antonio Duarte N 7 do § 1 casou na freguesia

de

Lijo com Antonio Pires Ribeiro do Lugar de Retorta

 
 

9

Antonio Ribeiro Duarte Clerigo Vigº. no Couto de Cambezes

9

Andre Duarte Ribeiro casou na fregª. de Salvador do Campo

9

Marianna Duarte s.g.

9

Sabastianna Duarte s.g.

9

Domingos Duarte Ribeiro casado com Catarina de

 

§

7

N

8 MIGUEL FRANCISCO DUARTE fº. de Manoel Antonio Duarte N 7 do § 1 casou na freguesia de

S. Salvador de Quiras

9

Maria Duarte casou com Andre Duarte seu parente fº. de Domingos Ferreira Duarte

9

Marianna Duarte s.g.

9

Domingas Duarte casou s.m.n.

9

Costodio Francisco Duarte Clerigo

§ 8

N 9 COSTODIA DUARTE fª. de Antonio Duarte N 8 do § 5 casou com Jeronimo Vaz Pias do Lugar da

Pia freguesia de S. Thiago de Carapecos

10

Antonio Joze Duarte Pias

10

Jeronimo Vaz Pias nasceu a 22 de Junho de 1729 Ab.e de Infesta

10

Margarida nasce a 2 de Outubro de 1736

10

Maria Thereza Duarte nasceu em 1740 c.c. Francisco Mz Correa de Carapecos

N 10 MARGARIDA DUARTE PIAS fª. de Costodia Duarte de Macedo N 9 casou com Antonio Domingues da Silva de S. Pedro Fins de Tamel fº. de Antonio Domingues, e Margarida Francisca do lugar da Portella

11 Antonio Domingues Duarte, baptizado em S. Fins de Tamel.

DULGUEZES

§ 1

N 1 D. CRASCONHO ARALDES é o primeiro em q principia o Conde D. Pedro esta familia no ttº. 49

fl. 295 veio de Gasconha com D. Godinho Gasco o velho. Casou com

2 Mem Crasconho

N

2 MEN GRASCONHO fº. de D. Grasconho N 1 casou com

 

3

Salvador Mendes

N

3 SALVADOR MENDES fº. de Mem Crasconho N 2 teve o sobrenome de Salvador Dente foi casado

com

 

4 Pedro Salvadores

N

4 PEDRO SALVADORES fº. de Salvador Mendes N 3 casou com D. Sancha Martins de Braga

 

5

Visente ou Vasco Pires Dulguezes

5

João Pires Dulguezes § 2

5

Fernão Pires Dulguezes § 4

5

D. Estevainha Pires Dulguezes casada

N

5 VISENTE OU VASCO PIRES DULGUEZES fº. de Pedro Salvadores N 4 casou com D. Mor Pires

Pereira fª. de D. Pedro Pires Pereira, e D. Maria Pires Gravel no Conde fl. 56 N 14

6 D. Maria Visente Dulguezes q casou com D. Martim Pires Zote no Conde D. Pedro fl. 235 N 52

§ 2

N 5 JOÃO PIRES DULGUEZES fº. de Pedro Salvadores N 4 do § 1 casou com D. Tareja Fafes fª. de D.

Fafes Godins, e D. Sancha Giraldes no ttº. de Teixeiras

 

6

Martim Annes Dulguezes Clerigo

6

Estevão Annes Dulguezes

6

Lourenco Annes Dulguezes § 3

N

6 ESTEVÃO ANNES DULGUEZES fº. de João Pires N 5 casou com

 

7

Vasco Esteves q chamaram de Carvalhaens

7

Esteves

 

§

3

N

6 LOURENCO ANNES DULGUEZES DE FORMOZELHE fº. de João Pires Dulguezes N 5 do § 2

casou com D. Maria Lopes Teixeira fª. de Lopo Hermiges Teixeira, e D. Ouroanna Pires de Pereira no

Conde D. Pedro fl. 214 N 11

7

João Lourenco Dulguezes

7

D. Joanna ou Maria m.er de Affº. Lopes gato no Conde fl. 238 N 87

N 7 JOÃO LOURENÇO DULGUEZES fº. de Lourenco Annes N 6 casou com D. Maria Rodrigues fª. de

Affº. Rodrigues Michon, e D. Tereja Martins dos Meduay no Conde fl. 359 N 6

8

Goncallo Annes

8

Martim Annes Dulguezes q foi freire do Hospital

8

Lourenco Annes Dulguezes

8

D. Guiomar Annes casada com Vasco Goncalves Peixoto c.g. no ttº. de Peixotos

§ 4

N 5 FERNÃO PIRES DULGUEZES fº. de Pedro Salvadores N 4 do § 1 foi casado com D. Tareja

Martins fª. de Martim Annes de Riba de Vizella, e de Ganca no Conde fl. 282 N 27 por morte desta m.er

casou 2ª vez com D. Sancha Martins de Podentes fª. de D. Martim Velgas de Ataide, e D. Elvira Rz no Conde fl. 291 N 1 e de uma destas teve

6 Martim Fz Dulguezes

N 6 MARTIM FZ DULGUEZES fº. de Fernão Pires Dulguezes N 5 foi Alcaide Mor de Leyria no tempo

do Rey D. Sancho o Capello o qual Castelo deu, ao Rey D. Affº. sendo Conde de Bolonha tendo feito

homenagem ao dito Rey D. Sancho, q lho não quiz dar por lho mandar pedir por homens Fidalgos e por seu porteiro, e por sua Carta, pela q.ta da Arrochela q lhe deram, e por outras herdades no termo de Leyria. Casou com D. Estevainha Martins de Ataide fª. de Martim Veegas de Ataide a fl. 291 N 1 do Conde no ttº. de Ataides e depois com D. Chamoa ou Maria Gomes fª. de Gomes Pires da Ribeira no mesmo Conde fl. 220 N 2 e teve dela

7

Fernão Mz foi Clerigo

7

Martim Martins

7

Gil Martins casado com D. Maria Pereira fª. de Goncallo Pereira e D. Urraca Vasques Pemintel s.g.

7

D. Mor Martins

N 7 MARTIM MARTINS fº. de Martim Fz N 6 chamaram-lhe o Infancão de Beja casou com D. Sancha

Pires fª. de Pedro Rodrigues

8

Pedro Martins

8

D. Mor Martins casada com Martim Esteves Botelho de Muya no ttº. de Botelhos e no dito

Conde fl. 288 N 19 Casou 2ª vez com Goncallo Rz Moreira no ttº. de Moreiras no mesmo Conde fl. 292 N 1 (O Livro antigo faz esta D. Mor Mz fª. de Martim Fz seu avo).

EÇAS

§ 1

N 1 O INFANTE D. JOÃO fº. de El Rey D. Pedro, e de D. Ignez de Castro foi casado a furto com

D.Maria Telles de Menezes fª. de Affº. Telles de Menezes, ou Martim Affonco Telles de Menezes irmãa

da

Rainha D. Leonor Telles m.er de El Rey D. Fernando, e sua m.er D. Aldonça de Vasconcellos no ttº.

de

Menezes § 16 N 7 e § 83 e

(Hist. Gen. da C.Real Tomo 11 Liv. 13 fl. 644)

2 D. Fernando de Ela

Por morte desta m.er q dizem q ele matou se foi para Castella onde casou 2ª vez com D. Constaça fª. B.

do

Rey D. Henrique 2º, e foi em Castella Duque de Vallencia de Campos, e por isso se chamou Valenca

de

D. João

2

D. Beatriz q casou com o Conde Martim Vasques da Cunha Conde de Vallença de Campos § 4 de Cunhas

2

D. Maria m.er de Pedro Ninho Conde de Baelma

2

D. Affonco de Cascaes c.c. D. Branca da Cunha § 18

2

D. Pedro a q chamaram da Guerra

2

D. Fernando Sr. de Bragança q dizem se chamava de Eça

2

D. Brites Affonco de Castro lhe achei mais no § 19

N 2 D. FERNANDO DE EÇA fº. do Infante D. João N 1 foi Sr. de Bragança, e de um lugar em Galliza

chamado de Eça do qual tomou o apelido, o qual lugar lhe deu o Duque de Aragona D. Fradique q era

seu parente; e foi casado com muitas mulheres todas vivas, devia Ter boa conciencia, ou seguir o Alcorão em q se permitem muitas mulheres foi uma de suas mulheres D. Izabel de Vallos fª. de Pedro Lopes de Vallos Adiantado de Murcia fº. do Conde estavel de Castella D. Ruy Lopes Vallos

3

D. Duarte de Eça § 14

3

D. Pedro de Eça § 9

3

D. Branca de Eça m.er do Dr. Vasco Fz no ttº. de Lucenas e depois de João Rz de Azevedo § 10

3

D. Ignez casada com Gracia de Souza Chichorro fº. de Lourenco Mz Chichorro Cap.am de Ginetes do Rey D. Affonco V ttº. de Souzas

3 D. Catharina Abadeça de Lorvão § 6 De outra de suas mulheres teve D. Fernando

3

D. Fernando de Eça

3

D. Gracia de Eça § 5

3 D. Leonor da Guerra casada com Galliote Leitão Sr. da Torre de Ota no termo de Alemquer no ttº. de Vasconcellos § 57 N 16 De outra teve D. Fernando

3

D. João de Eça c.g. nos Antas § 44 N 7

De outra

3

D. Diogo de Eça § 15

3

D. Brites de Eça Abadeça de Cellas

3

D. Maria de Portugal Religiosa de S. Clara do Porto

3

D. Ignez de Portugal q c. em Aragão com D. João de Xiras

3

D. Izabel m.er de D. João de Sotomayor Fr. Antão de Mouros Monge de S. Bernardo

Todos de diferentes mulheres, e q dizem q tivera 42 filhos entre machos, e femeas

N 3 D. FERNANDO DE EÇA fº. de D. Fernando de Eça N 2 deste § 1. Foi Alcaide de Vila Viçosa por

merce do Duque de Bragança pelo bem que o tinha servido casou com D. Joanna Srª. Castelhana fª. de Fernão Lopes de Saldanha Contador Mor de Castella ttº. de Saldanhas § 1 N 17

4

D. João de Eça

4

D. Maria m.er de D. Fernaudo de Boleas Fid. de Caragoça

4

D. Leonor m.er de Igniguo de Moraes

4

B. Henrique de Eça § 4

N 4 D. JOÃO DE EÇA fº. de D. Fernando de Eça N 3 deste § 1 foi tambem Alcaide Mor de Vila Viçosa,

e serviu ao Duque de Bragança como seu pai de seu Fidalgo. Casou com D. Maria de Mello fª. de Vasco Mz de Mello Alcaide Mor de Castello de Vide no ttº. de Mellos § 8 N 11

5

D. Francisco de Eça § 2

5

Fr. P.º Religioso Jeronimo

5

D. Fernando Cad.am de Cananor

5

D. Brites de Eça q casou com Estevão Ferreira Sr. da Casa de Cavalleiros no ttº. de Ferreiras § 1 N 6 e depois com Fernando de Souza de Mag.es ttº. de Mag.es § 12 N 7

5 D. Guiomar m.er de Lopo Vaz de S. Payo no ttº. de S. Payos 5 D. Margarida de Eça m.er de João Mendes de Vasconcellos Sr. de Alvarenga no ttº. de Vasconcellos § 5 N 15 onde corre

5 B. D. Duarte de Eça § 3

N 5 D. VASCO DE EÇA fº. de D. João de Eça N 4 casou com D. Guiomar da Silva fª. de Duarte de

Azevedo e Cayde de alcunha, e sua m.er D. Maria da Silva neste ttº. § 10 N 4

6

D. Duarte de Eça

6

D. Francisco o mesmo

6

D. João de Eça q mataram na India num desafio

6 D. Maria de Eça 5 m.er de João Fz Pacheco fº. de G.de Duarte Pacheco ttº. de Pachecos § 3 N 13 s.g. Casou 2ª vez D. Vasco de Eça com D. Luiza do Rego s.g.

6 B. D. Guiomar de Eça

N

6 D. DUARTE DE EÇA fº. de D. Vasco de Eça N 5 casou com D. Catarina Mendes de Azevedo

7

D. Guiomar da Silva casada com seu tio Pedro Peixoto da Silva Sr. da Casa da Calcada c.g. no ttº. de Peixotos § 1 N 10

 

§

2

N

5 D. FERNANDO DE EÇA fº. de D. JOão de Eça N 4 do § 1 casou com D. Cecilia fª. de Fernão Rz o

Passaro de alcunha q foi Camaceiro do Duque de Bragança D. Jaime, e moço da Estribeira do Duque D. Fernando q digo casaram em Evora, e o q no tempo da traição levava as Cartas e recados. Mataram os Mouros em Azamor ao dito D. Fernando quando o Duque D. Jaime a tomou

6

D. Elena de Eça casada com Fernão de Castro fº. de Pedro de Castro Alcaide Mor de Melgaço no ttº. de Castros § 3 N 21

6

B. D. Henrique de Eça

§ 3

N 5 D. DUARTE DE EÇA fº. B. de D. João de Eça N 4 do § 1 foi Cap.am de Mallaca e Ceilão e de Goa

casou com Leonor de Faria fª. de Pedro de Faria Cap.am de Mallaca no ttº. de Farias § 110 N 5 (Hist. Gen. da C. Real Tomo 11 pag. 672)

6

D. João de Eça

6

D. Duarte de Eça

6

D. Francisco de Eça

6

D. Maria de Eça freira nas Caramelitas de Lisboa

6

D. Antonia de Eça freira no mesmo

§ 4

N

4 D. HENRIQUE DE EÇA fº. B. de D. Fernando de Eça N 3 do § 1 casou com D. Violante Jaques fª.

de

Gomes Gil Jaques

5 D. Fernando de Eça casado com

fª. de Ruy Fragozo Contador dos Contos s.g.

5 Em um Costado q me veio de Estremoz dos Maldonados daquela vila se dá D. Maria de Eça casada com D. Gaspar Maldonado c.g., e q. no ttº. dos mesmos Maldonados se dá casado com D. Luiza da Silva no § 1 N 4, e a Historia Genealogica da Casa Real no Tomo 11 fls. 644 e Seg. lhe não dá senão o casamento de João Fz Pacheco, mas é certo segundo as memorias antigas, e até o uso do apelido de Eça q Gaspar Maldonado foi adultero com a dita D. Maria de Eça q fugiu a seu marido João Fz Pacheco, e teve deste seu Amº. a Francisco da Silva Maldonado c.g. no ttº. de Maldonados e por isso deste facto não tratou a Historia Genealogica.

§ 5

N 3 D. GRACIA DE EÇA Fº. DE d. FERNANDO DE Eça N 2 do § 1 foi Alcaide Mor de Moura ou

Muge. Casou com D. Joanna fª. de Lourenco Mz de Albergaria, e de Maria Nogueira Aya das Infantas

irmãs do Rey D. Affonco V; ou Vasco Martins de Albergaria, Maria Nogueira

4

D. Jorge de Eça

4

D. Francisco de Eça N 6 infra

4

D. Jeronimo de Eça § 7

4

D. Christovão de Eça q foi Clerigo § 8

4

D. Maria de Eça m.er de João Fogaça vedor de El Rey D. João II ttº. de Fogaças § 1 N 4

Casou 2ª vez D. Gracia de Eça com D. Catharina fª. do Conde de Marialva D. Goncallo Coutinho s.g.

N 4 D. JORGE DE EÇA fº. de D. Gracia de Eça N 3 deste § foi Alcaide Mor de Moura ou Muge. Casou

com D. BRites da Silva fª. de Vasco Fz de S. Payo Sr. de Cachim e Vila Flor, e outras terras Alcaide Mor da Torre de Moncorvo, e sua m.er D. Maria Vaz de Mello no ttº. de S. Payos

5

D. Gracia de Eça

5

Duas Religiosas em Santos

Casou 2ª vez com D. Felipa de Abreu fª. de D. Goncallo de Castello Branco G.or da Casa do Civel s.g.

N 5 D. GRACIA DE EÇA fº. de D. Jorge de Eça N 4 deste § foi Alcaide Mor de Moura ou Muge casou

com D. Antonia Forjaz fª. de Jorge de Mello de alcunha o vochexas q foi M.e Salla de El Rey D.

Manoel. E sua m.er D. Izabel Pereira no ttº. de Paes § 1 N 5

6

D. Jorge de Eça q casou 2 vezes a 1ª com D. Paulla de Souza de q teve = D. Paullo de Eça § 16

6

D. João de Eça

6

D. Manoel de Eça

6

D. Francisco de Eça 2º Cap.am de Mallaca

6

D. Pedro da Guerra

6

D. Braz de Eça

6

D. Maria de Eça m.er de Simão de Mello de Mag.es no ttº. de

e

aqui § 22

6

D. Felipa de Eça

6

D. Mecia de Eça

6

D. Anna de Eça

6

D. Jeronima de Eça

N 6 D. FRANCISCO DE EÇA fº. de D. Gracia de Eça N 5 deste § foi 2º Cap.am de Mallaca casou com

Germineza Casco fª. de Nuno Casco de Evora (em outro vi q esre D. Francisco de Eça era fº. de D.

Gracia de Eça N 3 deste §)

7

D. Bernarda de Eça

7

D. Pedro de Eça

N 7 D. PEDRO DE EÇA fº. de D. Francisco de Eça N 6 deste § casou com D. Maria da Silva fª. de

Vasco Annes Corte REal Cap.am da cidade de Angra da Ilha Terceira Alcaide Mor de Tavira e vedor de

El Rey D. Manoel, e sua m.er D. Joanna de Mello ttº. de Cortes Reaes § 1 N 4 (Peg. de Mayoratus Tomo

2 fl 596)

8

D. Catharina ou Joamma de Eça m.er de D. Jeronimo de Ataide fº. do Conde de Castanheira no ttº. de

8

D. Diogo de Eça

8

D. Joanna da Silva m.er de D. Jeronimo de Ataide Com.or de Vila Franca

N 8 D. DIOGO DE EÇA fº. de D. Pedro de Eça N 7 deste § 5 casou com D. Leonor de Noronha fª. de D.

Jeronimo de Noronha o Bacalhao Cap.am de Bacaim.

Casou 2ª vez com D. Luiza de Mendonca viuva de D. Vasco de Ataide fº. de João Arraes de Menodnça s.g. teve da 1ª m.er

9 D. Pedro de Eça casado com D. Izabel de Mendonça s.g.

N 9 D. MARIA DE EÇA fª. de D. Diogo de Eça N 8 herdou a Casa por falta de sucessão de seu irmão.

Casou com Pedro de Mendonca Arraes, ou Diogo de Mendonca Arraes (Peg. de Mayorat. Tom. 2 pag.

243)

 

10

D.

João de Eça s.g.

10

D.

Diogo de Eça s.g.

10

D.

Luiza de Eça c.c. Cristovão de Almada s.g.

§ 6

N 3 D. CATHARINA DE EÇA fª. de D. Fernando de Eça § 1 N 2 foi Abadeça de Lorvão, teve filhos de

Pedro Gomes de Abreu dos Abreus de Regalados fº. de Lopo Gomes de Abreu, e sua m.er D. Ignez de Lima no ttº. de Abreus de Regalados § 1 N 6 onde corre esta descendencia c.g.

§ 7

N 4 D. JERONIMO DE EÇA fº. de D. Gracia de Eça N 3 do § 5 casou com D. Maria fª. de Affonco Mz

Fibão cidadão honrado de Lisboa

5 D. Izabel de Eca

N 5 D. IZABEL DE EÇA fª. de D. Jeronimo de Eça N 4 deste § casou com Lourenco de Souza

Apozentador Mor de El Rey D. João III fº. de Ruy de Souza da Silva, e D. Leonor de Noronha no ttº. de Silvas § 9 N 11 (vay no ttº. de Silvas § 9 N 11)

6

Manoel de Souza

6

D. Catarina

6

D. Joanna Freira

N 6 MANOEL DE SOUZA DA SILVA fº. de D. Izabel de Eça N 5 foi Apozentador Mor do Rey D.

Sebastião Com.or de Vila Froy e Alfaates na Ordem de Xº. Casou 1ª vez com D. Francisca de Vilhena fª.

de Jorge de Lima Cap.am de Chaul o Galego, e sua m.er D. Izabel de Lima no ttº. de Limas § 10 N 14

7 D. Maria Manoel q foi unica casada com Manoel de Mello Mag.es G.or de Malaca fº. de Simão de Mello, e sua m.er D. Gracia de Eca c.g. no ttº. de Mag.es § 21 N 9

Casou 2ª vez Manoel de Souza com D. Anna de Tavora fª. de Luiz Alz de Tavora Sr. do Mogadouro, e sua m.er D. Felipa de Vilhena no ttº. de Tavoras § 1 N 16

7

Lourenco da Silva e Souza 3º Apozentador Mor casado com D. Luiza de Menezes c.g. no ttº. de Mendoncas § 10 N 16 s.g.

7

D. Felipa m.er de Mathias de Albuquerque seu tio s.g.

7

D. Lourenca de Menezes e Tavora m.er de D. Bernardino de Menezes Com.or de Proenca fº. de

D.

Francisco de Menezes o Mouco e sua m.er D. Maria de Noronha no ttº. de Menezes § 10 N

14

N 7 LOURENCO DA SILVA E SOUZA fº. de Manoel de Souza e sua 2ª m.er N 6 foi 3 Apozentador

Mor c.c. D. Luiza de Menezes fª. de D. Alvaro de Menezes, e D. Violante de Ataide no ttº. de Menezes §

22 N 14

8 Manoel de Souza c.c. D. Joanna de Mendonca fª. de Diogo de Mendonca ttº. de Mendonças § 10 N 16 c.g.

§ 8

N

4 D. CHISTOVÃO DE EÇA fº. de D. Gracia de Eça N 3 do § 5 foi Clerigo, e de sua manceba

 

5

B. D. Gracia de Eça

5

B. D. Joanna de Eça m.er de Lopo Barriga c.g. no ttº. de Barrigas § 1 N 2

N

5 D. GRACIA DE EÇA fº. de D. Christovão de Eça N 4 foi chamado de alcunha o Coleima casou com

D. Francisca fª. de Pedro de Souza um Cavº. honrado de Çafim

6 D. Gracia de Eça

N 6 D. GRACIA DE EÇA fº. de D. Gracia de Eça N 5 deste § casou 1ª vez com D. Leonor fª. de Visente

Ribeiro s.g.

Casou 2ª vez com D. Maria Coutinho fª. de D. Diogo Coutinho e sua m.er D. Felipa de Abreu parece D. Maria Coutinho fª. de Lourenco Coutinho Castello branco, e sua m.er no ttº. de Castellos branco § 4 N

15

 

7

D. Izabel de Eça § 20

7

D. maria solteira s.g.

7

D. Ellena m.er de D. fernando de Noronha de Curugeiras bem q no ttº. de Noronhas Morgados de Curugeiras se acha D. Ellena com o apelido de Mesquita fª. de Pedro Lopes de Mesquita, e sua m.er Izabel Correa Sr.es da Casa de Corugeiras. Casou 2ª vez D. Ellena com Antonio Collaço de Leiria criado do Marquez de Vila Real, e dela procedem os Eças daquela cidade

7

D. Joanna de Eça m.er de D. Vasco Coutinho

 

§ 9

N

3 D. PEDRO DE EÇA fº. de D. Fernando de Eça N 2 do § 1 foi Alcaide Mor de Moura casou com D.

Leonor fª. de Ruy Casco de Vacas de Evora

4

D. Rodrigo de Eça casado com D. Guiomar de Noronha de q teve filhos sem geração

4

D. Fernando de Eça

4

D. Francisco de Eça § 11

4

D. Christovão mor. na India s.g.

4

D. Izabel m.er de Christovão Moniz Comendador de Panoyas, e depois 2ª m.er de Christovão Correa Vedor da Rainha D. Catharina

4

B. D. João de Eça § 12

4

B. D. Catharina da Guerra m.er de Alvaro de Carvalho Cap.am de Alcacer ttº. de Carvalhos § 1 N 8

4

B. D. Felipa e outras freiras

4

B. D. Jorge Negro § 13

N 4 D. FERNANDO DE EÇA fº. de D. Pedro de Eça N 3 deste §. Casou com D. Guiomar Pacheco fª. de

Pedro Homem q foi Estribeiro Mor do Rey D. Manoel no ttº. de Freires de Andrade § 26 N 7

5

D. Maria de Eca

5

D. Anna de Eca m.er de Ayres Correa fº. de Simão Correa Vedor da Infª. D. Brites

N 5 D. MARIA DE EÇA fª. de D. Fernando de Eça N 4 deste § casou com Manoel de Souza Rebello ou

com Fernando de Souza c.g.

§ 10

N 3 D. BRANCA DE EÇA fª. de D. Fernando de Eça N 2 do § casou com o Dr. Vasco Fz de Lucena.

Casou 2ª vez D. Branca de Eça com João Rz de Azevedo Sr. de Ponte de Sor fº. do Dr. Ruy Fz do Con.lo

do Rey D. Duarte, e D. Anna de Azevedo ttº. de Azevedos § 157 (no ttº. de Bacellares se dizia q esta D. Branca de Eça casara 2ª vez com João Pereira de Antas no ttº. de Antas § 3 N 12)

4

Duarte de Azevedo o Eloy

4

D. Joanna de Eça q se amancebou com Vasco Gomes de Abreu dos de Regalados no ttº. de Abreus § 10 N 5 c.g. naquele ttº de Abreus de Regalados. Vasco Gomes fº. de Antão Gomes de Abreu, e sua m.er D. Izabel de Mello no dito § 10 N 4 (vão os mais no ttº. de Azevedos § 157 e esta descendencia)

N 4 DUARTE DE AZEVEDO O ELOY fº. de D. Branca de Eça N 3 casou com D. Maria da Silva fª. de

Pedro da Silva e sua m.er D. Izabel Paes fª. de Goncalo Paes Contador do Rey D. Affº. V ttº. de Silvas §

43 N 9

5

D. Guiomar da Silva casada com D. Vasco de Eça neste ttº. § 1 N 5 c.g.

5

D. Izabel da Silva m.er 2ª de Duarte Peixoto de Azevedo Sr. da Casa da Calçada em Pena Fiel de Souza fº. de João Peixoto c.g. no ttº. de Peixotos § 1 N 9

§ 11

N 4 D. FRANCISCO DE EÇA fº. de Pedro de Eça N 3 do § 9. Casou com D. Maria de Ataide fª. de

Jorge Barreto Comendador de Castro Verde

5

D. Pedro de Eça mor. na India

5

D. Rodrigo Frade do Carmo

5

D. Jorge

5

D. Antonio

5

D. Joanna de Castro m.er de Estevão de Esparagoza

5

D. Jorge de Eça casado na India com D. Antonia de Menezes fª. de D. Bernardim da Silva

§ 12

N 4 D. JOÃO DE EÇA fº. de D. Pedro de Eça mas B. N 3 do § 9. Casou com D. Mecia fª. de D. Alvaro

Mendes um Cavaleiro de Tangere

5

D. Bernardo de Eça

5

D. Felipa ou D. Joanna de Eça m.er de João Pereira Dantas no ttº. de Antas

5

B. D. Affonco de Eça

5

B. D. Violante de Eça m.er de João de Araujo e Souza

N 5 D. BERNARDO DE EÇA fº. de D. João de Eça N 4 deste § casou com sua prima D. Aldonça fª. de

Christovão Moniz Comendador de Gravão q tinha sido m.er de D. Pedro Lobo

6

D. João de Eça q casou em Almada com uma filha de sua madrasta

6

D. Catharina

Casou 2ª vez em Almada com D. Violante da Costa fª. de Gomes da Costa

6 D. João de Eça

§ 13

N 4 D. JORGE DE EÇA o Negro fº. B. de D. Pedro de Eça N 3 do § 9. Casou com D. Izabel fª. de

Fernão Rz um Cavº. de Almada

5

D. Pedro de Eça casado com

mor. na India s.g.

5

D. fernando de Eça c.c. D. Cecilia fª. de João Cardim s.g.

5

D. Tristão de Eça casado com D. Cecilia fª. de Jorge Cardiga s.g.

5

D. Catharina

5

D. Leonor, as 2 freiras em Lorvão

N

5 D. FERNANDO DE EÇA fº. de D. Jorge de Eça N 4 deste §. Casou com D. Leonor de Gusmão fª.

de

D. João de Ataide da Ilha Terceira digo de D. João de Teyve da Ilha Terceira

6

D. Izabel de Eça casada com João Rz Pecanha fº de Ambrozio Pesanha

 

§

14

N

3 D. DUARTE DE EÇA fº. de D. Fernando de Eça N 2 do § 1 foi Clerigo mas de sua manceba

4

B. D. Jayme de Eça

N

4 D. JAYME DE EÇA fº. B. de D. Duarte de Eça N 3 deste §. Casou com D. Izabel fª. de João

Pesanha Sr. do Morgado de S. Catharina de Alemquer

5

D. Antonia m.er de Fernão Martins Evangelho no ttº. de Evangelhos Casou 2ª vez com Paullo Ferreira de Gusmão fº. de João Freire da Ilha Terceira

5

B. D. Duarte de Eça

5

B. D. Henrique

5

B. D. Magdalena q casou mal

N 5 D. DUARTE DE EÇA Fº. b. DE d. Jayme de Eça N 4 deste §. Casou com D. Joanna de Castro fª. de

Martim Neto de Setubal

6

D. Jeronimo de Eça

6

D. Francisco de Eça § 17

6

Duas filhas freiras

6

D. Jayme q mor. na India

6

D. Brites de Eça m.er de Francisco Ferreira Sr. do

no ttº. de Ferreiras § 21 N 13

6

D. Margarida Neto c.c. Antonio da Silva e Menezes lhe dão seus descendentes c.g. no ttº. de

Silvas § 80 N 14

N

6 D. JERONIMO DE EÇA fº. de D. Duarte de Eça N 5 deste §. Casou com D. Mecia de Madureira fª.

de

Alvaro de Madureira de Evora

7 D. Mecia de Eça

N 7 D. MECIA DE EÇA fª. de D. Jeronimo de Eça N 6 deste § 14. Casou com Luiz Lopes de Carvalho

Sr. de Abadim e Negrelos fº. do Dr. Gaspar de Carvalho e de sua 2ª m.er D. Anna de Fontes no ttº. de Carvalhos de Abadim e Negrellos § 26 N 12

8 Diogo Lopes de Carvalho

N 8 DIOGO LOPES DE CARVALHO fº. de D. Mecia de Eca N 7 deste § 14 foi Sr. de Abadim e

Negrellos. Casou com D. Anna de Castro fª. de LOpo Vaz de Camoens

9 Luiz Lopo de Carvalho

N 9 LUIZ LOPO DE CARVALHO fº. de Diogo Lopes de Carvalho N 8 deste § 14 foi Sr. de Abadim e

Negrellos. Casou com D. Anna da Silva fª. de Fernão Rebello de Almada Sr. do Morgado dos Almadas

10 Goncallo Lopes de Carvalho da Fon.ca

N 10 GONCALLO LOPES DE CARVALHO fº. de Luiz Lopes de Carvalho N 9 deste § 14 foi Sr. de

Abadim e Negrellos. Casou com D. Guiomar Bernarda da Silva fª. de Goncalo Peixoto da Silva Sr. dos Direitos Reaes de Penafiel e Alcaide Mor e sua m.er D. Anna da Silva

11 ThedeO Luiz Antonio Lopes de Carvalho

N 11 THEDEO LUIZ ANTONIO LOPES DE CARVALHO fº. de Goncallo Lopes de Carvalho N 10

deste § 14 foi Sr. de Abadim e Negrellos e Fidalgo da Casa Real como seus pais e avos. Casou com D. Francisca Roza de Menezes fª. de D. Francisco Furtado de Mendonça Sr. da Casa de Argemil, e sua m.er

12 D. Guiomar Anacleta de Carvalho

N 12 D. GUIOMAR ANACLETA DE CARVALHO fª. de Thedeo Luiz N 11. Casou com D. Antonio de

Alencastro fº. de D. Rodrigo de Alemcastro Camarista

§ 15

N 3 D. DIOGO DE EÇA fº. de D. Fernando de Eça N 2 do § 1. Casou com D. Joanna fª. do Dr. Pedro da

Silva s.g.

§ 16

N 6 D. JORGE DE EÇA fº. de D. Gracia de Eça N 5 do § 4 casou com D. Paulla de Souza na India ou

D. Izabel Lamprea fª. de Pedro Lamprea

7

D. Paullo de Eça

7

D. Francisco de Eça

7

D. Bernarda de Eça m.er de D. Pedro de Menezes

7 D. Izabel de Eça m.er de Jorge da Silva fº. de Ruy Pereira da Silva Casou 2ª vez D. Jorge de Eça com D. Paulla Camera de Souza

7 D. Pedro de Eça

N 7 D. PAULLO DE EÇA fº. de D. Jorge de Eça N 6 deste § casou na India com D. Maria de Souza

madastra de D. Paulla e seu 2º marido Pedro Aures da Nobrega

8 D. Pedro de Eça

§ 17

N

6 D. FRANCISCO DE EÇA fº. de D. Duarte de Eça N 5 do § 14 casou com D. Antonia de Mello fª.

de

Francisco Peixoto de Mello fº. de Duarte Peixoto

 
 

7

D. Duarte de Eça Cap.am de Damão c.c. D. Maria da Costa

e teve

 

8 D. Izabel de Eça c.c. D. Alvaro da Costa s.g. e depois com João de Souza e Castro

(Este parece teve B. de Domingas Fz a 8 D. Antonio de Eça de que vem os de S. Comba Dão = Arv. 34 Tomo 4)

 

7

D. Jorge de Eça

7

D. Joanna de Mello m.er de Martim Affº. de Souza

7

D. Francisca da Guerra m.er de Luiz de Castro q ele matou mal

N

7 D. JORGE DE EÇA fº. de D. Francisco de Eça N 6 foi a India casou com D. Luiza de Castro fª. de

Gomes Borges de Castro nos Borges § 1 N 9

8 D. Francisco de Eça casado com D. Maria da Silveira fª. de Manoel Cirne s.g.

Casou 2ª vez com D. Izavel da Silva fª. de Duarte Peixoto da Silva no ttº. de

s.g.

§ 18

N 2 D. AFFONCO DE CASCAES fº. do Infante D. João N 1 do § 1 casou com D. Branca da Cunha fª.

H. de João das Regras Sr. das vilas de Cascaes, Lourinhão e do Reguengo de junto a Oeiras, por merce do Rey D. João I, e sua m.er Leonor da Cunha fª. de Martim Vasques da Cunha Conde de Valença de Campos em Castella no ttº. de Cunhas § 4 N 10

3

D.Izabel da Cunha

3

D. Ignez

3

D. Violante uma destas casou mal em Castella

Casou 2ª. vez D. Affº. de Cascaes N 2 com D. Maria de Vasconcellos fª. H. de Joanne Mendes de Vasconcellos Sr. do Morgado de Soalhaens no ttº. de Vasconcellos § 4 N 13 e teve

3 D. Fernando de Vasconcellos no ttº. de Vasconcellos § 4 N 13 onde corre

N 3 D. IZABEL DA CUNHA fª. H. de D. Affonco de Cascaes N 2 deste §. Casou com D. Alvaro de

Castro Conde de Monsanto fº. de D. Fernando de Castro Conde de Monsanto, e sua m.er D. Izabel de Ataide ttº. de Castros § 34 N 13 onde corre

§ 19

N 2 D. BRITES AFFONCO DE CASTRO fª. do Infante D. João N 1 do § 1 lhe dá o Marquez de Monte

Bello casada com D. João Annes Sarraca q foi sua 2ª m.er = veja-se o Marquez de Monte na Plana 148 pag. 148 = ou D. João Vasques Sarraça

3

Vasco Annes de Castro Sarraça

3

Fernando Annes de Castro Sarraça

3

D. Ignez

3

D. Aldonça, as 2 freiras em Vetorinho

N 3 FERNANDO ANNES DE CASTRO fº. de D. Brites Affº. N 2 foi Prior de S. Thiago cuja filiação

diz o Marquez de Monte Bello se prova por uma escritura q este Fernando Annes fez com sua m.er ao Mosteiro de Gaifem na Quinta e Sollar de Mantelaens onde viveram de certos Casaes q dotaram a este Convento q lhe tocavam por partilhas dos bens q lhe couveram por morte de seus pais, para o q

mostraram poderes dos ditos seus irmãos das partes q lhe tocavam. Casou o dito Fernão Annes de Castro com D. Maria de Valladares Srª. do Sollar de Mantelaens no memorial do dito Marquez de Monte Bello pag. 76

4 D. Ignez de Valladares

N 4 D. IGNEZ DE VALLADARES fª. unica de Fernando Annes de Castro N 3 quiz com seu marido

desfazer a doação q tinham feito seus pais ao Mosteiro de Gaifem, e puzeram por isso pleito aos Padres, mas ficaram estes vencedores, por cuja razão não uzaram eles nem seus descendentes das sepulturas q

tinham naquele Mosteiro. Casou com Alvaro Fernandes de Castro fº. de Fernão Pires de Castro, e D. Ignez Ozorio c.g. no ttº. de Castros § 111 N 13 onde vai

§ 20

N 7 D. IZABEL DE EÇA fª. de D. Gracia de Eça N 6 do § 8 casou com Cristovão de Moraes de Vila

Viçosa

8

Cristovão de Moraes

8

D. Maria Coutinho m.er de Francisco de Mesquita

§ 21

N 2 D. PEDRO DA GUERRA fº. B. do Infante D. João N 1 do § 1. Casou com D. Tereja Andeiro fª. do

Conde de Ourem João Fz Andeiro no ttº. de Andeiros § 1 N 10

 

3

D. Fernando da Guerra Arcebispo de Braga

3

D. Luiz Bispo da Guarda

3

D. Ignez da Guerra 1ª. M.er de Alvaro Pires de Tavora

 

§ 22

N

6 D. MARIA DE EÇA fª. de D. Gracia de Eça N 5 do § 5. Casou com Simão de Mello de Mag.es

 

7

Manoel de Souza São Payo

N

7 MANOEL DE SOUZA SÃO PAYO fº. de D. Maria de Eça N 6. Casou com D. Maria Manoel fª. de

Manoel de Souza Apozentador Mor e sua m.er, neste ttº. § 7 N 7

8 Simão de Souza s.m.n.

ELVAS

Da Ilustre e antiga familia dos d’Elvas 6

PROLOGO

Muitos Genealogicos deduzem a familia dos d’Elvas de Fernão Martins Curutelo o primeiro Alcaide

Mor da cidade de Elvas, de quem fala o Conde D. Pedro no seu Nobiliario Titulo 51 Plana 301: porem

tal

não consta do

nem do Foral da dita Cidade feito em 1229, pois nele se não acha assinado, nem

se

faz menção dele, nem há Memoria q refira q ele se achara na sua Conquista. E pelo q se ve no

referido Nobliario este Cavalleiro viveu em Talavera e recebeu muitos favores de El Rey D. Sancho de Castella, o qual podia ser o Bravo, o quarto de nome, q nasceu em 1265, que sam 39 anos depois de ganhada Elvas, e se foi o terceiro este faleceu em 1158, q sam 68 anos antes deste sucesso, com q de nenhum modo se pode crer q ele fosse Alcaide Mor d’Elvas, nem por consequência ascendente do famoso e sempre Ilustre D. Gil Fernandes, e principalmente quando o Conde diz q ele faleceu freire da Ordem de San Tiago, e q seu filho Ruy Fernandes de quem ele pretende deduzir a mesma familia falecera sem sucessão. É verdade q o Conego Varella alega para provar a sua opinião uma escritura de doação, q Estevão Martins e Maria Rodrigues fizeram aos Religiosos de S. Domingos de certa proção de terra para ali fundarem um Convento em 1304 q corresponde ao ano de Cristo de 1266 da qual consta ser Alcaide Mor e o primeiro desta cidade Fernão Martins Curutello, havia quarenta anos, q estava ganhada esta cidade, não é possivel ser este Fidalgo o de quem trata o Conde como temos dito, nem juntam.te é ter este cargo de idade tão tenra. Como se colhe da mencionada Combinação Chronologica, e mais disso porque razão o não continuou a possuir, e passou a viver em Talavera e como lhe foi bom com El Rey D. Sancho, q começou a reinar em 1284. Eu estou capacitado q ouve em Elvas um Alcaide Mor deste nome mas não é certamente quem diz o Conego nem se pode provar, que seja ascendente dos d’Elvas, nem q estes vem dos Curutellos. Assim com provas mais certas e verosimeis daremos principio em Tronco Certo sem ser preciso recorrer a conjeturas tão mal fundadas, e que em nada aumentam a qualidade desta familia.

§ 1

N 1 RUY FERNANDES de cujos pais não temos noticia foi Alcaide Mor de cidade d’Elvas então vila

em cujo emprego continuou até ao ano de 1282 casou e teve

nº. 2 Pedro Rodrigues segue nº. 2 Estevão Rodrigues § 3

N 2 PEDRO RODRIGUES fº. deste Ruy Fernandes viveu em Elvas nos Reynados dos Senhores Reys D.

Affº. III e D. Deniz; casou e teve

N 3 LOURENSO PIRES q foi bom cavalheiro e segundo a linguagem do tempo quer dizer que era

fidalgo de boa qualidade. Foi grande Servidor dos Senhores Reis com quem viveu como consta de um instrumento, q tirou seu quarto neto Vasco Pires o do § 2 N 2. Viveu em Elvas e jaz na Igreja do Salvador aonde tinha sepultura com as suas armas como juram as testemunhas da dita justificação. Casou e teve

N 4 GIL LOURENSO q viveu nos Reinados dos Sr.es Reis Dom Afonso IV e D. Pedro I aos quais serviu

nas guerras com grande concelho e valor como consta das Chronicas do Reyno. A do Sr. Rey D. Fernando Cap. 18 falando da pessoa de seu neto Gil Fernandes diz q ele saira a este seu avo nas concições talentos militares, e ardileza, e q fora homem de muito esforço, a do Sr. Rey D. Affonso IV fala dele mais largamente, e todas estas memorias, q a antiguidade nos deixou provam assaz a sua grande nobreza, e o seu destinto merecimento, e a certeza da dedução dos seus descendentes sem q possa haver nisto a menor duvida. Foi casado, mas depois de viuvo se ordenou de clerigo como diz o Conego Varella, q teceu a sua genealogia no Livro q compoz das antiguidades da cidade d’Elvas, e q se correbora por se não achar no Livro dos Registos as legitimações de seus filhos, q se fossem bastardos não deixariam de ser legitimados; o certo é q ele foi Prior da Igreja de Santa Maria d’Elvas q era a Matriz naquel tempo, e hoje Catedral da cidade, o mais autorizado e rendoso beneficio dela. Não nos

6 Nota dos Editores — Este Capitulo não é de letra de Felgueiras Gayo.

consta o nome, nem de que familia fosse sua mulher. Ele jaz na mesma Igreja tinha as suas armas sobre

a

Campa e teve nº. 5 Fernão Gil d’Elvas segue nº. 5 Gil Lourenco d’Elvas § 2 nº. 5 D. Brites Gil q casou com João Pires Lobo Alcaide Mor de Castello de Vide cuja geração continua no ttº. de Lobos § 36 N 13 (aliaz § 82 N 13) — 7

N

5 FERNÃO GIL D’ELVAS fº. deste Gil Lourenco foi casado e não nos consta com quem. Faleceu em

vida de seu pai conforme algumas memorias, e teve nº. 6 D. Gil Fernandes d’Elvas segue nº. 6 D. Brites Fernandes c.c. Affonso Alvares de Monterroy c.g. em ttº. de Monterroy § nº. 6 D. Violante Fernandes c.c. Estevão Annes Pegado Vassallo do Sr. Rey D. João I e chefe da familia de Pegados como se ve no ttº. desta familia § 1 N

N 6 DOM GIL FERNANDES D’ELVAS fº. de Fernão Gil d’Elvas sucedeu na Casa de seu avo foi um

valerosissimo Cavalleiro, e um dos famosos herois do seu tempo, q defenderam e seguraram a Coroa ao Sr. Rey D. João I, e pelos grandes danos q ele fazia nos Castelhanos lhe chamavam estes Dom Gil Navalha, e os Portugueses Dom Gil Fernandes o Bom, frase q quer dizer muito na singeleza daqueles tempos. Fernão Lopes na Cronica do dito Sr. Rey p. 1ª. Cap. 107, Duarte Nunes, o Conego Ayres Varela, Rodrigo Mendes da Silva na Vida do Condestavel, e M. de La Clede referem miudamente todos

os passos da sua vida, e suas acções imortais. Nós não diremos todas, mas sim as mais raras unicamente

afim de excitarmos o valor, e brio de quem nos ler, e para se admirar a lealdade, e o extremado heroismo

de tão ilustre e famosissimo Cavalleiro.

Dom Gil Fernandes, diz M. de La Clede era um Fidalgo das vizinhanças d’Elvas, moço valente, e apaixonado pela gloria, nas fronteiras do Alemtejo serviu já com muita distinção nas guerras q o Sr. Rey D. Fernando teve com El Rey Dom Henrique de Castella. Ajuntando 70 cavaleiros e 400 peoens q ele capetineava assolou os contornos de Medelim, e fez grandes proezas com tantos prisioneiros q excediam

ao numero dos seus soldados, e a tempo q ele servia já ao Sr. Rey D. João I. Refletindo pois q quando os

Castelhanos viessem no seu alcance, q não só lhe causariam incomodo tantos prisioneiros, mas q poderiam causar grave dano se resolveu por esta razão dar liberdade a uma parte deles e para o fazer dignamente mandou dizer a Martim Annes seu tio q se fingi-se o Inf.e D. João o qual governava parte da

fronteira, e q solta-se parte dos prisioneiros quando lhos apresenta-se para lhe beijarem a mão em virtude do dito receio. Martim Annes soube desempenhar muito bem esta recomendação e os Castelhanos a quem deu a liberdade em vez de correrem logo as armas e expalharam voz, e fama de q o Infante estava na fronteira e q ia por-se em campo cuja noticia consternou de todo os Castelhanos. Informado Dom Goncallo Mendes de Vasconcellos do bom sucesso de Gil Fernandes lhe mandou propor, q fossem ambos por fogo no territorio de Badajoz, e a propria cidade, assentio Dom Gil Fernandes a este Concelho, e partindo ambos na frente das suas tropas se postaram deante de Badajoz

sairam os Castelhanos da cidade a vingarem quanta afronta, travou-se a pelja aonde Dom Gil Fernandes deu novas provas do seu extraordinario valor em cujo combate os Castelhanos perderam os seus melhores oficiais, e a maior parte dos seus soldados. Em outra ocasião das muitas q entrou em Castela capitaneando cem cavaleiros e quatrocentos peoens infantes correu os Campos de Xerez, e nos serros dos Porcos combateu ali os Castelhanos com tanto valor, os quais fiados no seu grande numero q não obstante a grande desigualdade, o Grande Gil Fernandes os desbaratou e venceu.

A fortuna nem sempre favorece os herois, as vezes lhe é adversa, muitas vezes dos mesmos desastres

ficam elea mais gloriosos; porque sabem tirar dos infelizes acontecimentos um brilhante meio q aumenta

a sua gloria. Com efeito era Payo Rodrigues Marinho (posto q Portugues seguia o partido de Castella)

Alcaide Mor de Campo Maior, fingiu este querer seguir o Partido do Mestre e Dom Gil Fernandes caiu neste engano, e lhe foi falar da parte do dito Senhor Rey afim de agradecer-lhe a sua inclinação, e de o carear inteiramente Dom Payo Rodrigues, q fomentava no seu coração ideias muito diversas, soube enganar e seduzir a bondade e o valor de Dom Gil Fernandes q infelizmente caiu nos astuciosos laços q Dom Payo soube tecer e fingir, e foi por isso preso à traição pelo dito Alcaide Mor de Campo Maior Dom Payo Rodrigues Marinho. Custou-lhe um grande dissabor este negócio; mas como Dom Payo tinha por seu fim grangear fortuna e obter grandezas, e o dinheiro é muito capaz de seduzir de tão indigno carater Dom Gil Fernandes se serviu do q possuia para se regastar de tal cativeiro dando pelo seu resgate

7 Nota dos Editores — Esta nota é de letra de Felgueiras Gayo.

duas mil dobras, q naquele tempo era uma grande soma, e por este meio se viu posto na sua liberdade, meditando desde logo vingar o seu Rey e a sua honra, q se achava ofendida por semelhante acontecimento desastrado, e tão indignamente fomentado contra as pessoas q trilham o caminho da heroicidade, e da gloria q sentem infenitamente tão indignas ciladas. Com efeito buscou depois ocasião assaz oportuna; porque encontrando-se ambos os partidos na herdade da Segovia entre Campo Maior e Elvas foi então morto Dom Payo Rodrigues Marinho com outros muitos cavaleiros da sua Concerca e do Partido de Castella, cuja cabeça foi levada para Elvas em triunfo na ponta da espada de Martim Vasques tio de Dom Gil Fernandes por cuja acção lhe fez cantar o Te Deum na Matriz da dita vila de Elvas com toda a precisa solenidade, por ter deste modo mostrado ao Mundo q os herois sabem muito a tempo desprezar os perigos, e vingar as injurias da Patria, e esquecer-se dos seus interesses quando neles interessa a gloria do seu soberano, por quem ele se expoz a tão grandes perigos. Não deve esquecer-nos de referir aqui um facto q forma enquanto a mim todo o seu elogio, e q dá a conhecer a sua ilustre qualidade e a grande figura q ele representava na vila d’Elvas sua Patria como refere o mesmo Lacled a fl. 249 e é o q se segue. Era Dom Alvaro Pereira Governador de Elvas, e posto q devia seguir a vós e sentimentos do Condestavel seu parente, seguia opinião contraria, e quiz aclamar em Elvas a Rainha Dona Brites como sucessora del Rey o Sr. D. Fernando seu pai opos-se a isto o famoso Dom Gil Fernandes com tanta firmeza, que Dom Alvaro se não atreveu a faze-lo, e daqui se ve a importante figura q ele naquela vila já então representava, e muito antes de dar a conhecer o seu total heroismo; poucos dias depois o convidou D. Alvaro para um banquete, e o prendeu, e logo todo o povo correu a Cidadella pedindo a soltura de Dom Gil Feruandes, e depois disso se deliberou a sair da Parça para não cair em algum novo laço, q o mesmo arderia de novo para o perder de todo. Depois de Ter passado este sucesso e de se ter submetido Elvas por insinuação e autoridade de Dom Gil Fernandes a vós e partido do Sr. Rey D. João I este Senhor o nomiou e o fez Alcaide Mor da dita vila então foi, q El Rey de Castella lhe poz um apertado cerco no qual obrose crueldades expantosas sem se lembrar q este não era o verdadeiro meio de reconquistar Reinis Sublevados, q queriam viver livres, e ter um Principe natural, q os governa-se com independencia. Neste cerco pois El Rey de Castella vendo o pouco fruto q tirava de uma Praça cujo Alcaide Mor era um tão valerozo cavalheiro, q jamais lha entregaria, e q ela estava bem fornecida posto q ele assistia ali em pessoa entrou a usar de meios violentos para ver se assim intimidava os cercados, mandou então, o dito Rey cortar as mãos aim portugues, e lhe poz um escrito ao pescoço q dizia q o mesmo havia de fazer a todos os moradores da vila quando esta logo se lhe não submete-se. Dom Gil Annes mandou recolher este desgraçado, e depois mandou fazer o mesmo a dois castelhanos, e dizendo-lhe um deles, q era homem Fidalgo, e q era muito duro a um homem da sua qualidade o ser tratado como gentalha, Dom Gil Fernandes lhe respondeu, q não tinha tempo de examinar os seus titullos de nobreza, e só vos tenho (lhe disse ele) por um Vasasalo de El Rey de Castella e como lhe devo tão mau exemplo justo é e é necessário pagar-lhe. Mandou logo executar a sua ordem, e remeteu estes desgraçados com outros escritos ao pescoço q diziam q visto o exemplo, que lhe dava ele prometia tratar dali em diante assim a todos os seus vassalos. El Rey corrido deste sucesso deixou o sitio e se retirou para o Campo Maior, q seguia o seu partido. Muitos são os Autores q contam as famosas proezas do Grande e Famoso Capitão Dom Gil Fernandes como temos dito, e nós faziamos um grande tratado se as quizesemos referir a todas e numerar os autores q as tem referido; o imortal Camões no seu Poema Epico Canto 8 e estancia 34 faz nela somente todo o seu elogio pela forma seguinte:

“Olha este desleal o como paga o perjurio, que fez e vil engano, Gil Fernandes he d’Elvas quem o estraga, e faz vir a passar o ultimo damno:

de Xerez rouba o Campo, e quazi allaga có sangue de seus donos Castilhano:

mas olha Ruy Pereira que có rosto faz escudo às gales diante posto”

El Rey o Sr. Dom João I soube premiar estes serviços do Grande Dom Gil Fernandes segundo a sobriedade daqueles tempos, deu-lhe o ttº. de Dom para ele, sua mulher e seus descendentes fe-lo Alcaide Mor d’Elvas como fica dito deu-lhe mais 13 moios de trigo de renda, e é só isto o q nos consta q ele obtivera em Remuneração das suas famosas proezas. Casou e teve

nº. 7 Dona Izabel Fernandes a Dona q casou primeira vez com João Rodrigues Pessanha neto do Almeirante do Reyno Misser Lansarote Pessanha c.g. no ttº. de Pessanhas; e por morte deste casou com Mem Rodrigues de Vas.los o Grande e Ilustre da Ordem de San Thiago, c.g. no ttº. de Vas.los e foi filha deste segundo marido D. Leonor de VAS.LOS Q FOI MULHER DE João Juzarte Alcaide Mor de Monforte c.g. no ttº. de Juzartes § 1 N 1 q são ascendetes de numeraveis Casas Ilustres deste Reyno se pode ver nos referidos trez ttºs. nº. 7 Dona Maria Fernandes q casou com Vasco Rodrigues de Sequeira irmão de D. Fernão Rodrigues de Sequeira Mestre d’Aviz c.g. em ttº. de Sequeiras § nº. 7 D. Leonor Fernandes q casou com Gil Fernandes o Cavalheiro segundo refere o Conego Ayres Varella s.m.n.

§ 2

N 5 GIL LOURENSO D’ELVAS fº. do Prior Gil Lourenso o do § 1 N 4 viveu em Elvas, e seguiu o

partido do Mestre d’Aviz e foi o q se fingiu ser aquele Principe para enganar os castelhanos quando seu sobrinho Dom Gil Fernandes entrou pelos Campos de Medelim como fica recontado. Casou e teve nº. 1 Gil Annes d’Elvas chamado comumente o Cavalheiro por ser muito valerozo e de grandes e notaveis feitos fala dele a Chronica do Sr. Rey D. João I escrita por Fernão Lopes parte 1ª

Cap. 107 foi preso com seu primo Dom Gil Fernandes na traição de Dom Payo Rodrigues Marinho o qual ele depois no encontro q houve entre um e outro partido nos Campos da herdade de Segovia ele derribou do cavalo com uma lansada. Csou e talvez fosse sua mulher Dona Leonor Fernandes sua sobrinha a do § 1 n. 7 posto q o Conego Varella a faz casada com Gil Fernandes trocando talvez o Annes em Fernandes; seja o q for é certo que teve nº. 2 Gil Lourenso d’Elvas s.m.n.

nº. 2

nº. 2 D. Brites Gil c.c. Pedro Affº. Garro Cavº. muito esforçado, q serviu de muitos anos em Seuta, e descendia de homens muito Fidalgos e de boa Linhagem o q tudo consta de um

instrumento, q em 1430 tirou seu filho Vasco Pires Garro para provar a sua nobreza o qual se concerva na Casa dos Aguilares d’Elvas seus descendentes por D. Francisca Xavier da Gama descendente deste Cavº. e desta D. Brites Gil a qual foi mulher de D. João de Aguillar como se ve no ttº. de Garros § Que se V. Sª. souber continuar esta linha me faz favor.

Lourenso c.c. Gonsalo Castanho s.m.n.

§ 3

N 2 ESTEVÃO RODRIGUES fº. de Ruy Fernandes Alcaide Mor d’Elvas o do § 1 n. 1 viveu na dita

cidade então vila no Reynado do Sr. D. Affº. III como consta da Carta de Confirmação q este Principe

fez a D. João de Aboim de uma herdade em Portel casou e teve nº. 1 Vasco Esteves d’Elvas q viveu na dita cidade nos Reynados dos Sr.es Reis D. Deniz e D. Affonso IV casou e teve nº. 2 Lourenso Vasques segue nº. 2 Martim Vasques, q teve o ttº. de Escudeiro e Vassalo d’El Rey D. Fernando e D. João I em atenção aos seus relevantes serviços lhe fez merce este ultimo Principe dos direitos da Portagem de Vila d’Elvas; Fernão Lopes na Chronica do dito Rey p. 1 Cap. 107 faz memoria dele dizendo q fora preso com seu parente D. Gil Fernandes na traição de D. Payo Rodrigues Marinho, ao qual ele cortou a cabeça e a trouxe para Elvas com as de Nuno Fz Cogominho, e a de Alvaro Rodrigues s.m.n. nº. 2 Ruy Vasques d’Elvas § 4

N 2 LOURENSO VASQUES fº. de Vasco Estezes viveu em Elvas nos reinados dos Sr.es Reis D. Pedro e

D. Fernando o q consta do tombo, q se fez em 1339 do Mosteiro de Manellos em q ele tinha Comodoria como descendente de Mem Gonsalves Fonceca no titulo de Infanções, casou e teve nº. 3 Gil Lourenso q serviu com valor ao Senhor Rey D. João I por cujos serviços lhe deu a renda dos direitos de Elvas em sua vida, foi um dos cinco Cavaleiros, que ficaram cativos na traição de Dom Payo Rodrigues Marinho. Achou-se na tomada de Seuta, e foi um dos fidalgos q ficaram em sua defença com o Conde D. Pedro de Menezes, e tambem se achou na tomada de Azurara como se ve na Chronica do dito Conde Cap. 15 usque 17 e nomeado entre os Fidalgos de graduação como Ruy Gomes da Silva, e Lopo Vaz de Castelo branco s.m.n.

nº. 3 Vasco Lourenso serviu o Sr. Rey D. João I foi Alcaide Mor de Olivença c.g. no ttº. de

nº. 3 D. Brites Lourenso c.c. Affonso Gil Lobo c.g. no ttº. de Lobos § 93 N 5

§ 4

N 2 RUY VASQUES D’ELVAS fº. de Vasco Esteves do § 3 N 1 criou-se em casa do Sr. Rey D. João I q

por isso lhe deu varios bens em Campo Maior, e administração da Capella de João Vicente como consta do Resisto da sua Chancelaria casou e teve nº. 1 Pedro Rodrigues d’Elvas segue nº. 1 Lourenso d’Elvas q em 1415 se achou na tomada de Seuta sendo muito moço fala dele Gomes Annes de Azurara na 3ª parte da Chronica d’ElRey D. João I

N 1 PEDRO RODRIGUES D’ELVAS fº. de Ruy Vasques teve o titulo de Vassalo d’El Rey o Sr. D. João

I o qual lhe fez merce da Coutada de Olivença por Carta de 6 de Dezembro de 1410, q corresponde à de

Cristo de 1372. Casou com Brianda Gomes filha herdeira de Gonsalo Gomes Alcaide Mor d’Elvas, e Sr.

de tanta nobreza e riqueza, q o Condestavel a intentou casar com seu irmão Fernão Pereira e foi por isso

a Elvas aonde já se achavem sua mãe Dona Eria Gonçalves de Carvalhal com o mesmo designio o q não

teve efeito por falecer este Fidalgo na expugnação de Vila Viçosa como se ve da Chronica do dito Rey.

Teve

nº. 2 Ruy Peres d’Elvas segue nº. 2 Gonsallo Gomes d’Elvas § 5

N 2 RUY PIRES D’ELVAS fº. deste Pedro Rodrigues d’Elvas viveu nos Reinados dos Senhores Reys

Dom Duarte e Dom

nº. 3 João d’Elvas segue nº. 3 Alvaro Rodrigues d’Elvas q foi pai de João Alves d’Elvas q no ano de 1515 era Reytor de Universidade de Lisboa para onde se tinha mudado

casou e teve

N 3 JOÃO D’ELVAS fº. deste Ruy Pires d’Elvas seguiu as letras foi muito douto, e depois de varios

cargos foi Dezembargador do Paço e exercitou o Offº. de Procurador da Coroa em Evora quando se tratou ali o processo do Duque Dom Fernando em 1483. El Rey o Sr. D. João II o mandou logo nesse

ano por seu Embaixador a Roma, e juntamente com o Caudel Mor Fernão da Silveira como refere Gracia

de

Rezende na Chronica do dito Rey Cap. 33 e 45. Casou e teve nº. 4 D. Izabel Rodrigues d’Elvas herdeira desta grande Casa e mulher de seu tio primo com irmão de seu pai Luiz Gomes d’Elvas o do § 5 N 1 aonde vai a geração.

§

5

N

2 GONSALO GOMES D’ELVAS fº. de Pedro Rodrigues d’Elvas do § 4 N 1 tirou Brazão de armas

para o que fez extrair em 3 de Abril de 1446 um Instrumento de testemunhas em que prova ser da familia dos d’Elvas e de sua verdadeira Linhagem, q era Cavalheiro de geração e q da mesma Casa e familia fora Dom Gil Fernandes Alcaide Mor d’Elvas e Fronteiro daquela vila. Casou e teve nº. 1 Luiz Gomes d’Elvas segue nº. 1 Fernão d’Elvas serviu a Casa de Bragança teve de tença 30.200 reis enquanto se lhe não desse o seu dote, q era o costume de dar-se aos Fidalgos, q se creavam nesta Casa, e por morrer sem sucessão cobrou esta quantia seu irmão Luiz Gomes do Duque Dom Fernando 2º posto q outros lhe dão geração sem noticia.

N 1 LUIZ GOMES D’ELVAS fº. deste Gonsalo Gomes d’Elvas fez uma justificação em 10 de Abril de

1460 na cidade d’Elvas de q foi Tabalião Alvaro Louzada provando não só esta sua ascendencia e nobreza; mas a limpeza de seu sangue e q seus avos eram parentes de Dom Gil Fernandes Alcaide Mor da dita cidade. Foi Sr. de uma grande Casa instituiu a sua tersa em Morgado tomando nela as herdades da Rebolla, Lagarteira, Freixo e a Deveza dos 3 maravedis, e um olival para que andasse nos filhos

primogenitos. Casou com sua sobrinha D. Izabel Rodrigues fª. do Dezembargador João d’Elvas o do § 4

N

3 e seu testamento foi feito em Elvas a 9 de Abril de 1496. Teve nº. 2 Belxor Gomes d’Elvas segue nº. 2 D. Maria Gomes d’Elvas § 22

N

2 BELXOR GOMES D’ELVAS fº. deste Luiz Gomes d’Elvas sucedeu na Casa viveu em Elvas aonde

foi um dos seis nobres da Mesa da Misericordia em 1556 como consta do Cartorio da mesma. Casou com D. Brites Faracerto fª. de João Rodrigues Faracerto. Teve nº. 3 Luiz Gomes d’Elvas foi Moço da Camera d’El Rey D. João III este lhe fez merce da herdade do Cavalleiro termo de Fronteira q ele depois vendeu a B.al da Fon.ca Secretario do Cardeal Rey em 9 de Julho de 1565. Casou em Porto de Mós com Maria Pinheira com quem era casado no dito ano e s.g. nº. 3 Francisco Gomes d’Elvas segue nº. 3 Gonsalo Rodrigues d’Elvas § 15

N 3 FRANCISCO GOMES D’ELVAS fº. deste Belxor Gomes d’Elvas veio a suceder nesta Casa e casou

com Leonor Frz. da Ponte fª. de Nuno Frz da Ponte nº. 4 Belxor Gomes d’Elvas segue nº. 4 Antonio Gomes d’Elvas § 12 nº. 4 Jorge Frz d’Elvas § 8

N 4 BELXOR GOMES D’ELVAS fº. deste Francisco Rodrigues d’Elvas sucedeu na Casa de seu pai e na

de seus avos a seu tio Luiz Gomes o do nº. 3. Casou com Brites Nunes Angel fª. de Gonsalo Rodrigues Angel e de Guiomar Nunes ttº. de Angel § 15 N 3. Teve

nº. 5 Francisco Rodrigues d’Elvas segue nº. 5 João Rodrigues d’Elvas § 6 nº. 5 Gonsalo Rodrigues d’Elvas § 19 nº. 5 Jeronimo Rodrigues d’Elvas nº. 5 D. Izabel Gomes d’Elvas nº. 5 D. Aldonsa Pereira casada com Diogo de Brito Cavº. da Ordem de Xº. deixou o q tinha aos P.P. da Companhia para fundarem o seu convento em Elvas em cuja Igreja eles jazem em dois magnificos masoleus na Capela Mor. nº. 5 D. Luiza Gomes d’Elvas casada com Lopo Rodrigues d’Evora e Veiga irmão do Barão de Rodes, e fundaram ambos a Casa do Capitulo dos Carmelitas descalços com muita magnificencia s.g. nº. 5 D. Guiomar Nunes c.c. Duarte Mendes Coronel irmão do Correo Mor do Reyno o do § 2 N 4

N 5 FRANCISCO RODRIGUES D’ELVAS fº. deste Belxor Gomes d’Elvas sucedeu na Casa, e foi

Cavaleiro Fidalgo, e teve negocios no mar, e por um arbitrio q deu a El Rey lhe fez merce de dois mil cruzados de renda, e por esta razão lhos descontavam livres na Alfandega nos despachos de sua fazenda. Casou em Elvas com D. Brianda Nunes Coronel irmã do primeiro Correio Mor do Reyno fª. de seu primo 3º. Antonio Gomes Coronel do § 22 N 3. Passou a viver a Lisboa aonde fundou a Casa do Capitulo de São Domingos com Capela da invocação das Almas aonde jaz sepultado e sua mulher, fez testamento em 30 de Setembro de 1587 aprovado pelo Tabalião Manoel Ribeiro e faleceu a 25 de Outubro do dito ano, e fez testamenteiros a seus irmãos João Rodrigues, e Luiz Gomes, Duarte Mendes e Gonsalo Rodrigues este lhe fez testamento, e a estes os fazem outros filhos de Belxor Gomes seu filho ficando netos de quem eram irmãos. Teve nº. 6 Belxor Gomes Coronel q viveu em Elvas e foi casado com D. Brites Nunes Angel irmã de Ruy Dias Angel, e filhos de Gonsalo Rodrigues Angel, q foi Cavº. Fidalgo, e de Guiomar Nunes mas isto se tem por apocrifo, pois esta Brites Nunes foi sua avó, que por Ter o nome do dito seu avo os confundiram certamente; porque este Belxor Gomes faleceu solteiro q é o mais certo em 10 de Outubro de 1611 com testamento aprovado pelo Tabalião B.meu Bernardes em 3 de Novembro do dito ano em que nomeia por herdeira e testamenteira a sua mãe Brianda Nunes e da tersa instituiu Capela em São Domingos com missa cotidiana; e posto q alguns lhe dão sucessão isto não é assim se não como fica dito. Nº. 6 Gonsalo Rodrigues d’Elvas, a quem em 23 de Agosto de 1628 se lhe passou Provizão para administrar e ser curador da fazenda de sua tia D. Aldonsa Pereira moradora em Elvas, de que ficou depositario Alvaro Pires Paredes q consistia na herdade de Penaclara, Cabeço de

Azinheiro, metade da herdade da Rebola, metade da Lagarteira, e Oitava dos Galhos termo de Campo Maior faleceu solteiro deixa duas alampedas de prata as Capelas do Sr. Jesus e Nossa Senhora do Rozario de S. Domingos de Lisboa e com certa porção de azeite de renda para estarem sempre acesas s.g. nº. 6 Nicolao Nunes Coronel chamado o Briando para o diferenciarem de outro do mesmo nome foi Fidalgo da Casa Real e tirou Brazão de armas a 29 de Outubro de 1612 em q prova esta ascendencia tratou-se com grande explendor de couxes, liteiras e muitos criados casou com D. Margarida da Silva fª. de D. Fernando da Silva e de sua 2ª mulher D. Brites de Menezes, ela por sua morte casou com Francisco de Sá de Menezes (o do § 26 N 3); faleceu em 5 de Julho de 1647 nomeia seus testamenteiros o Conde de Odemira D. Francisco de Faro, e o Dz.or Gregorio de Valcacer Moraes, e Miguel Pinheiro de Brito, e q por morte destes nomeia-se a Relação 3 Dezembargadores como o faz presentemente, pela qualidade e grande numero de seus legados se reconhece q era prodigiosamente rico pois são inumeraveis as missas cotidianas, officios, Mercieiras, e se não esquece da Misericordia d’Elvas s.g. nº. 6 Antonio Gomes d’Elvas já falecido em 1611 nº. 6 Brites Nunes Coronel c.c. Luiz d’Elvas o do § 10 N 3 s.g.

§ 6

N 5 JOÃO RODRIGUES D’ELVAS fº. de Belxor Gomes d’Elvas e de Brites Nunes Angel os do § 5 N 4

foi fidalgo da Casa Real no foro de Fidalgo Cavº. casou com D. Izabel Gomes Coronel irmã do 1º

Correio Mor do Reyno fª. de Antonio Gomes Coronel o do § 22 N 3 e de Brites Mendes. Instituiu morgado de seus bens com a dita sua mulher, de tersa de ambos a favor de seu filho Luiz Rodrigues d’Elvas jaz no segundo Claustro de São Francisco de Lisboa. Teve nº 1 Belxor Gomes d’Elvas foi fidalgo da Casa Real, os seus inimigos o macularam impondo-lhe

a nota de Cristão novo, e o quizeram meter nas fintas, porem seus 3 irmãos fizeram notificar o

Procurador Fiscal, e lhe mostraram por testemunhas sua antiguidade e nobreza, e fidalguia, e pelos Coroneis por onde o notavam q eram quintos netos de Fernão Peres Coronel Regedor de

Segovia, q não só era Cristão velho, mas fidalgo do Concelho d’El Rey Catolico, e seu

secretario, e por este modo obtiveram sentença a seu favor em 5 de Novembro de 1621. Casou em Elvas com D. Francisca Lopes Angel prima irmã de sua mãe e fª. do L.do Ruy Dias Angel,

e de Maior Nunes Coronel os do § 15 N 2 faleceu s.g. e instituiu a Capella de São Marsal na Igreja da Graça de Lisboa. Nº. 1 Antonio Gomes d’Elvas segue

nº. 1 Francisco Rodrigues d’Elvas c.c. sua sobrinha Maior Angel fª. de Gonsalo Rodrigues Angel

o do § 19 n. 2 instituiu Capella s.g.

nº. 1 Luiz Rodrigues d’Elvas q foi Sr. do morgado q para ele seus pais instituiram foi fidalgo da Casa Real. O Sr. Rey D. Affº. VI lhe escreveu uma carta em q lhe ordenava o acompanhasse na jornada, q intentava fazer ao Alemtejo foi muito rico; não casou; comprou aos P.es da Compª. em 19 de Janeiro de 1651 a Capella de São Francisco Xavier q ele fundou para seu jazigo e para os sucessores do morgado q ele instituiu com duas missas cotidianas cujo testamento foi feito em 2 de Setembro de 1672 e aprovado pelo T.am Domingos de Barros no dito dia. Nº. 1 D. Francisca Maria Coronel sem estado

N 1 ANTONIO GOMES D’ELVAS fº. de João Rodrigues d’Elvas veio a suceder na Casa de seu pai foi

Fidalgo Cavº. da Casa Real com 1600 reis de moradia, reformou a Capella de São Francisco Xavier em

S. Roque com a magnificencia q hoje tem acrecentando-lhe a renda da fabrica com ordenados de

Capelães; faleceu em 25 de Dezembro de 1647 e jaz na dita Capella. Casou duas vezes a 1ª com D. Brites Angel de Oliveira sua prima Segunda fª. de Gonsalo Rodrigues Angel Fidalgo da Casa REal e de

D. Antonia de Oliveira os do § 15 N 2. Teve

nº. 2 João Rodrigues d’Elvas segue nº. 2 Frei Joze frade Trino a quem seu tio Luiz Rodrigues deixou 40$000 de tença Casou 2ª vez com D. Maria de Sá Coutinho fª. de Ruy Vaz Pinto Governador do Rio de Janeiro e de D. Francisca de Mag.es e desta teve nº. 2 Ruy Vaz Pinto § 7 nº. 2 D. Francisca de Sá nº. 2 D. Jozefa de Sá

nº. 2 D. Joanna de Sá, as 3 freiras em S.ta Monica de Lisboa

N 2 JOÃO RODRIGUES D’ELVAS fº. da 1ª m.er deste Antonio Gomes d’Elvas foi baptizado em S.ta

Justa de Lisboa, em 10 de Abril de 1616 não teve o foro nem sucedeu na Casa por falecer em vida de seu

pai, e jaz na Capela de S. Francisco Xavier. Foi casado com D. Branca Manoel fª. de Cosme Lopes Neto sobrinho de Dom Braz Neto Bispo de Cabo Verde e de D. Brites H.es irmã do P.e João Manoel de Aguilar com quem se recebeu com fiança de banhos em 19 de Outubro de 1639, do dote se fez morgado

os do § 9 n 3; e faleceu no 1º de Janeiro de 1650, e a 18 do dito mes se fez inventario, e emportaram os bens livres em 3.776$420 reis. Teve nº. 3 Antonio Gomes d’Elvas segue nº. 3 Manoel Gomes foi fidalgo da Casa Real por Alvara de 13 de Abril de 1660 foi baptizado em S.ta Justa a 9 de Novembro de 1640 foi Licenciado em Leis s.g. nº. 3 Luiz Rodrigues d’Elvas baptizado em S.ta Justa a 17 de Dezembro de 1644 Fid. da Casa Real e formado em Leis s.g. nº. 3 João Roiz d’Elvas foi postumo, e faleceu menino nº. 3 D. Maria Ribeira faleceu sem estado

N 3 ANTONIO GOMES D’ELVAS fº. deste João Rodrigues d’Elvas foi baptizado em S.ta Justa aos 18

de Dezembro de 1642 foi Fidalgo Cavaleiro da Casa Real, e El Rey o Sr. Dom Affº. VI lhe escreveu ordenando-lhe em 22 de Maio de 1663 o acompanhasse na jornada q ele intentava fazer ao Alemtejo, e fosse ter a Setubal aonda era a sua primeira jornada pois convinha acompanha-se a primeira nobreza do

Reyno; casou com D. Anna Maria Armanda de Verger irmã de Jaques Pastre de Verger Cavº. de Cristo e Governador de uma fortaleza na India, e de Pedro Antonio de Verger, Consul Geral da Nação Francesa neste Reyno filhos de Pedro Pastre Sr. de Verger gentilhomem ordinario da Casa de Condé, general de Artilharia de França, primo do Marquez de Pastre, e de sua m.er Catharina Thereza Bruchard n.al de Liege e fª. de João Bruchard Barão de Evittem o qual com sua filha D. Anna veio para este Reyno em serviço da Rainha Maria Francisca Izabel de Saboya. Teve nº. 4 João Luiz d?elvas segue e fora do matrimonio teve nº. 4 D. Violante Maria Freira em S.ta Monica

N 4 JOÃO LUIZ D’ELVAS fº. deste Antonio Gomes d’Elvas nasceu em 31 de Março de 1689 foi

baptizado em São Julião sucedeu em toda a casa de seu pai teve o foro de Fidalgo Cavº. Casou com D. Leonor Thomazia Menezes e Castro fª. de Henrique Correa de La Cerda fidalgo da Casa Real, e de D. Francisca Thomazia de Menezes fª. dos Condes de Vila Pouca. Teve nº. 5 Pedro Jorge d’Elvas e Menezes nasceu em 29 de Junho de 1719 s.g.

§ 7

N 2 RUY VAZ PINTO fº. de Antonio Gomes d’Elvas e de sua 2ª m.er D. Maria de Sá Coutinho os do §

6 N 1 foi fidalgo Cavº. da Casa Real por Alvara de 25 de Setembro de 1659; foi Cap.am de Infantaria no Alemtejo, e depois Cap.am de Mar e Guerra. teve nº. 1 Antonio Vaz Pinto segue

N 1 ANTONIO VAZ PINTO fº. deste Ruy Vaz Pinto foi fidalgo da Casa Real serviu na guerra de 1700 e

era Tenente em 1711. Casou com D. Maria Magdalena de Lemos Madureira fª. de

nº. 2 D. Joana Cazemira q teve uma filha ilegitima de Luiz Pedro Coutinho chamada D. Antonia Caetana Coutinho de Sá e Castro q se recebeu em 28 de Junho de 1733 com Amaro de Macedo e Vasconcellos fº. de outro q serviu de Tenente General e de D. Gracia da Costa s.m.n.

teve

§ 8

N 4 JORGE FERNANDES D’ELVAS fº. de Francisco Rodrigues d’Elvas e de Leonor Fz da Ponte no §

5 n. 3. Viveu nos Reynados do Sr. Rey D. João III foi Sr. do Pontão termo de d’Elvas, q hoje ainda a possuem seus descendentes. Veio d’Elvas para Lisboa com a sua Casa e familia, e jaz na Magdalena desta cidade (Os ossos destes mandou tresladar no seu testamento seu fº. Antonio Fz o Sardo da Igreja

da Magdalena para a Capella de Santo Antonio q Instituio). Casou com D. Brites Vaz Coronel fª. de Pedro Nunes Reymão seu primo 2º e de Izabel Vaz os do § 27 nº. 2. Teve nº. 1 O Dr. Francisco Vaz Coronel segue nº. 1 Antonio Fz d’Elvas § 10 nº. 1 Diogo Fz d’Elvas § 9 nº. 1 Ayres Vaz Coronel teve duas filhas freiras no Salvador de Lisboa nº. 1 D. Thereza Vaz Coronel s.n.

N 1 DR. FRANCISCO VAZ CORONEL fº. deste Jorge Fz d’Elvas servio vários lugares da

Magistratura. Casou com

nº. 2 Jorge Vaz Coronel vivia em 18 de Setembro de 1583 foi sua Tutora sua avo materna Izabel Lopes pois esta como tal compra a herdade o Cubo termo de Campo Maior a Luiz de Mesquita Pemintel em 17 de Julho de 1579 por 300$000 s.m.n. nº. 2 Várias filhas freiras em Vila Viçosa

teve

§ 9

N

1 DIOGO FERNANDES D’ELVAS fº. de Jorge Fz d’Elvas e de D. Brites Vaz Coronel os do § 8 nº. 4

foi

Moço da Camera de El Rey D. Sebastião. Casou com Leonor Vaz irmã de Antonio Nunes de Aguilar

filhos de João Nunes de Aguilar e de Maria Affonso Barreta fª. de Gonsalo de Moura e Leonor Vaz.

Teve

N 2 ANTONIO FZ DE AGUILAR q foi Testamenteiro de seu pai e lhe deu quitação de ter cumprido os

Legados em 31 de Março de 1610 na cidade d’Elvas casou com Leonor Manoel fª. de Diogo Manoel.

Teve

nº. 3 Diogo Fz de Aguilar fez testamento em 13 de Agosto de 1650 instituio Morgado s.g. nº. 3 O P.e João Manoel de Aguilar foi morto por seu sobrinho Thomé Lopes Neto com duas facadas em 17 de Janeiro de 1653 pelas sete horas da manhã nº. 3 Fr. Jeronimo frade de S.to Agostinho nº. 3 Soror Ignez freira na Roza de Lisboa nº. 3 D. Brites H.es segue

N 3 D. BRITES HENRIQUES DE AGUILAR fª. deste Antonio Fz de Aguilar casou com Cosme Lopes

Neto com o dote de oito mil cruzados q era sobrinho de Dom Braz Neto Bispo de São Thomé e Cabo Verde. Teve nº. 4 D. Branca Manoel q se recebeu em 19 de Outubro de 1639 com seu parente João Rodrigues d’Elvas o do § 6 nº. 2 aonde fica a geração, e do dote se fez Morgado.

§ 10

N 1 ANTONIO FZ D’ELVAS O SURDO fº. de Jorge Fz d’Elvas e de Brites Vaz Coronel os do § 8 nº. 4

enclinou-se ao Comercio em q juntou grossos cabedaes com q se fez conhecido e respeitado na Corte a Senhota Infanta D. Maria fª. do Sr. Rey D. Manoel o fez Tesoureiro da sua Casa e depois o tomou por Fidalgo por Alvara de 23 de Março de 1573, comprou imensas fazendas em Coruche, Camarate, Elvas Fronteira e Campo Maior, instituio dois morgados para seus filhos Jorge e Diogo como se ve do seus testamento feito em Elvas a 10 de Janeiro de 1584 importou o seu inventario em 255 mil cruzados, outros dizem contos de Reis, e tinha dado de legitima a cada um dos filhos por morte da mulher 18.500 cruzados, q tão bem outros dizem em contos, o certo é q era uma crecida soma naquele tempo. Casou com Mor Fernandes fª. de Diogo Fz n.al de Trancozo e de Teresa Vasques (Ve. Corograf. Portug. Tom. 1º. fl. 491). Teve nº. 2 Jorge Fernandes d’Elvas segue nº. 2 Diogo Fernandes d’Elvas § 11 nº. 2 D. Brites Jorge casou com Jeronimo Fernandes de Vila Nova com 25 contos de dote nas duas legitimas. Teve duas filhas freiras em Vila Viçosa nº. 2 D. Tereza Vasques d’Elvas casou com Thomé Ximenes de Aragão, e teve a Fernão Ximenes Arcediago em Braga, Antonio Fernandes Ximenes fundador do Colegio de São Patricio de Lisboa, e Fr. Jorge Ximenes frade Domenico e fundador do Seminario de Purganda em Roma ttº. de Pereiras § 17

nº. 2 D. Branca Antonia c.c. seu tio Luiz Gomes d’Elvas da Mata o do § 22 nº. 4

N 2 JORGE FERNANDES D’ELVAS fº. deste Antonio Fernandes d’Elvas foi Fidalgo da C.R. (por

Alvará de 1573 no mesmo de seu fº.) Sr. do Morgado q seu pai instituio da tersa o qual emportou em 16

contos de Reis e nesta quantia entraram as suas Casas no Largo do Carmo, a Quinta de mil fontes com varios foros em Camarate e Unhos, as herdades de Fronteira, Ouguella, Pontão e Serra e uma Casas da Rua da Feira d’Elvas q tudo se unio a Capela de Santo Antonio. Casou com D. Branca Mendes Coronel irmã de seu cunhado o Correio Mor fª. de Antonio Gomes d?elvas o do § 22 nº. 3. Faleceu em 5 de Outubro de 1597 com testamento feito em 10 de Outubro de 1596 mandou-se sepultar na Capela de

Santo Antonio sita na Igreja da Trindade, e fez-se inventario de seus bens em 15 de Dezembro de 1596.

Teve

nº. 3 Antonio Fz d’Elvas segue nº. 3 Luiz Gomes d’Elvas c.c. sua prima Brites Nunes fª. de Francisco Rodrigues d’Elvas e de Brianda Nunes os do § 5 nº. 5 s.g.

N 3 ANTONIO FZ D’ELVAS fº. deste Jorge Fz d’Elvas sucedeu na Casa e Morgado de seu pai q

acrecentou com a metade da Herdade em Coruche chamada o Casal do Monte Velho, q lhe foi dada em 239$573 Reis, foi Fidalgo da Casa Real por Alvará passado em 1566 e expedido em 1573. Casou com D. Ellena Rodrigues faleceu em 1622 por sua morte se unio a tersa parte da sua tersa a este Morgado e sua mulher faleceu em 1634. Teve nº. 4 Jorge Fz d’Elvas casou com D. Violante de Brito fª. de Duarte Gomes Sulis s.g.

nº. 4 D. Branca Antonia sem estado nº. 4 D. Brites sem estado nº. 4 D. Luiza d’Elvas c.c. Francisco Dias Mendes de Brito Fid. da C.R. e teve a Heitor Mendes de Brito e foi seu herdeiro seu tio Jorge Fz d’Elvas q toda esta Casa possuia D. Francisco Joze Coutinho (ttº. de Britos § 12 N 6 c.g.)

§ 11

N 2 DIOGO FERNANDES D’ELVAS fº. de Antonio Fernandes d’Elvas e de Mor Fernandes os do § 10

nº. 1. Sucedeu no segundo Morgado q seu pai instituio o qual acrescentou com a tersa faleceu em 1605 e neste testamento fez um Morgado com sua m.er para seu filho Jorge entrando nele um juro de 20$000 q

tinha comprado a João de Barros da Silva. Casou com Ignez Lopes e teve nº. 1 Antonio Fz d’Elvas segue nº. 1 Jorge Fz d’Elvas faleceu solteiro em 1620

N 1 ANTONIO FZ D’ELVAS fº. deste Diogo Fernandes d’Elvas sucedeu na Casa e no Morgado que

possui seu irmão Jorge q seu pai para este instituio; anexou ao Morgado desta Casa 32$317 Reis de juro

q tinha na Alfandega de Lisboa casou duas vezes a 1ª com D. Margarida de Castro irmã de Manoel Coutinho de Castro e desta teve nº. 2 D. Ignez de Castro freira no Salvador Casou 2ª vez com D. Maria de Lima fª. de Estevão Brandão de Souza e de D. Brites Maria de Lima fª. de Dom Pedro de Lima e de D. Joanna de Tavora; faleceu em 1633 e sua mulher tornou a casar com D. Antonio de Noronha desta teve nº. 2 D. Mariana de Lima q herdou esta Casa e casou com André de Figueiredo Coutinho s.g. e por sua morte entrou na posse desta Casa D. Manoel Pereira Coutinho e lhe depois lhe sucedeo em 1718 seu fº. D. Francisco Joze Coutinho

§ 12

N 4 ANTONIO FOMES D’ELVAS fº. de Francisco Rodrigues d’Elvas e de D. Leonor Fz da Ponte os do

§ 5 nº. 3. Casou com D. Brites de Brito natural da Vila de Arronches aonde viveram muito ricos; alguns genealogicos tem confundido o introncamento de seus descendentes fazendo-os descender de Belxor Gomes d’Elvas o do § 5 nº. 6. Se eles fossem chronologicos veriam logo o impossivel, pois este Belxor Gomes foi fº. de Francisco Rodrigues e neto de Belxor Gomes d’Elvas irmão deste Antonio Gomes d’Elvas, pelo que fica claro o seu engano e confusão, e o mais certo é como nós o escrevemos e consta de varias memorias dos seus descendentes. Teve

N 1 JOÃO GOMES DE BRITO D’ELVAS q passou a servir a Casa de Bragança, e casou na vila de

Broba com D. Leonor Gomes Faleço filha de Sabastião Gomes Faleço e teve nº. 2 Antonio Gomes de Brito q o mataram de noite em Vila Viçosa solteiro s.g. nº. 2 Sebastião Gomes Faleço segue

N 2 SEBASTIÃO GOMES FALEÇO DE BRITO fº. deste João Gomes de Brito foi Moço da Camera do

Duque de Bragança, e casou com D. Guiomar de Pinna fª. de B.meu Alves de Pinna e de Mor Rodrigues gaga ou gata e teve nº. 3 D. Leonor Gomes Faleço segue nº. 3 D. Guiomar freira na Esperança de Vila Viçosa

N 3 D. LEONOR GOMES FALEÇO fª. deste Sebastião Gomes Faleço casou com Antonio Fernandes

Cheirozo da Fon.ca Mexia q viveu na vila de Borba aonde foi Juiz muitas vezes pela ordenação e o era em 1643 foi tambem Cap. da Ordenança e foi a varias partes com a companhia do seu comando em q fez bons serviços q em remuneração se lhe deu um officio do judicial na dita vila o qual era fº. de Jeronimo Fernandes Cheirozo da Fon.ca Cavalheiro Fid. da C. de Bragança e de sua 2ª m.er Dona Constança Rodrigues Mexia fª. de Pedro Fernandes Mexia e de Ignez Gonsalves como se ve no ttº. de Mexias § 63 e 65 de Cheirozos § 1 nº. 3. Teve nº. 4 Sebastião Gomes Faleço segue nº. 4 O P.e Jeronimo Fz Cheirozo nº. 4 D. Guiomar de Pinna sem estado nº. 4 D. maria Gomes Faleço q casou na Matriz de Borba em 1695 com Bento Lopes de Mizarado fº. de Francisco Lopes de Mizarado e de Izabel Rodrigues Pessoa s.g.

N 4 SEBASTIÃO GOMES FALEÇO fº. deste D. Leonor Gomes Faleço o resto tem já V. Sª. no ttº. de

Mexias § 63 e no ttº. de Monizes § 29, e no de Lobos, Jacomes, Caes, Juzartes, etc. Como sabem daqui dois §§ são os de minhas duas irmãs passo por isso ao § 15.

§ 15

N 3 GONSALO RODRIGUES D’ELVAS fº. de Belxor Gomes d’Elvas e de D. Brites Farausta os do § 5

nº. 2. Casou com Guiomar Nunes Angel. Teve nº. 1 Luiz Nunes Angel s.g. nº. 1 Ruy Dias Angel segue nº. 1 D. Brites Nunes c.c. Belxor Gomes d’Elvas seu primo o do § 5 nº. 4, e diz o ttº. q destes procede D. Miguel da Silva Pessanha nº. 1 D. Violante Nunes c.c. Carlos Nunes Coronel o do § 26 nº. 3

N 1 RUY DIAS ANGEL fº. deste Gonsalo Rodrigues d’Elvas viveu em Elvas e foi um dos 87 irmãos q

fundaram a Casa da Misericordia desta cidade, e dos 6 nobres dela nos anos de 1557 e 1571, e 72. Casou com Maior Nunes Coronel fª. de Luiz Gomes d’Elvas e de Brianda Nunes da Ponte os do § 22, e foi Licenciado em Coimbra. Teve nº. 2 Gonsalo Rodrigues Angel segue nº. 2 Luiz Gomes Angel § 21 nº. 2 Antonio Gomes Angel § 20 nº. 2 Brianda Nunes § 19 nº. 2 Guiomar Nunes Angel c.c. Manoel Soares da V. Boa o do § 17 nº. 1 nº. 2 Izabel Gomes Angel § 16 nº. 2 Francisca LOpes c.c. Belxor Gomes d’Elvas o do § 6 nº. 1 s.g.

N

2 GONSALO RODRIGUES D’ELVAS fº. deste Ruy Dias Angel casou com Antonia de Oliveira fª. de e teve nº. 3 Ruy Dias Angel segue nº. 3 Luiz Angel s.g. nº. 3 Brites Angel c.c. Antonio Gomes d’Elvas o do § 6 nº. 1

N

3 RUY DIAS ANGEL fº. deste Gonsalo Rodrigues Angel casou com sua prima D. Maria Angel fª. de

seu tio Luiz Gomes Angel o do § 21 N 2 teve

nº. 4 Gonsalo Roiz Angel segue nº. 4 Fr. Luiz do Rozario frade Domenico nº. 4 Soror Antonia de Jezus nº. 4 Soror Brites de São Jacinto, as 2 freiras no Salvador de Lisboa

N 4 GONSALO RODRIGUES ANGEL fº. deste Ruy Dias Angel foi Cavº. da Ordem de S. Thiago.

Casou com D. Violante Eufrazia de Brito fª. de Pedro Machado de Brito Sr. de São Seregem em ttº. de Carregueiros. Teve nº. 5 Rodrigo Braz Machado Sr. desta Casa q o mataram uma noite em Lisboa a São Cristovão

s.g.

§ 16

N 2 D. IZABEL GOMES ANGEL fª. de Ruy Dias Angel e de D. Maior Nunes Coronel os do § 15 N 1.

Casou com Manoel da Veiga d’Evora fº. de Ruy Lopes d’Evora e de Leonor Rodrigues da Veiga, o qual Ruy Lopes era parente do Papa Xisto 5º., e de D. Lopo Rodrigues d’Evora Marquez de Rodes o q se prova com autenticos documentos, foi administrador do morgado q seu pai Instituio q ele acrecentou com os Senhorios das vilas de Caravanha, Val de Leiçorozo e suas jurisdições por morte de Felipe 2º em 1619. Teve nº. 1 Ruy Lopes da Veiga Perete segue nº. 1 D. Clara Rodrigues d’Evora § 17

N 1 RUY LOPES DA VEIGA PERETE fº. desta D. Izabel Gomes foi Fid. da C.R., Comendador de

Cristo, Notario de Toledo Sr. do dito Morgado e suas vilas anexas. Casou com D. Brites de Vilhena fª.

de

Nuno da Cunha e de D. Leonor de Souza Sr.es de São Vicente da Beira. Teve nº. 2 D. Manoel da Veiga Perete da Cunha segue nº. 2 D. Nuno da Veiga nº. 2 D. Luiz da Veiga nº. 2 D. Jeronimo da Veiga s.g. nº. 2 D. Leonor freira na Conceição de Madrid

N

2 D. MANOEL DA VEIGA PERETE DA CUNHA fº. deste Ruy Lopes da Veiga foi Sr. desta Casa e

casou com D. Leonor de Mendosa Tello fª. de D. Eugenio Alveres Ponce de Leão Conde de Cedilho e de D. Liuza Maria Salazar. Teve

nº. 3 D. Rodrigo da Veiga casou com D. Catharina Gordio Galindo e faleceu a 5 de Agosto de 1670 s.g. nº. 3 D. Eugenio da Veiga c.c. D. Joana de Vª. Nova e morreu em 11 de Fevereiro de 1683

§ 17

N 1 D. CLARA RODRIGUES D’EVORA fª. de Izabel Gomes Angel e de Manoel da Veiga os do § 16 N

2. Casou com Jeronimo Fernandes de Vª. Boa fidalgo da C.R. fº. do Mestre em Artes Manoel de Vª. Boa Cavº. Fidalgo por merce do Sr. Rey D. João III como se ve do brazão q este lhe deu e de D. Francisca Soares de Toledo Vilhegas fª. de seu 2º primo Sancho Soares de Vilhegas, o qual Manoel de Vª. Boa faleceu em Beja a 21 de Junho de 1546 ttº. de Vª. Boa § 1. Teve nº. 2 Manoel Soares de Vª. Boa segue nº. 2 nº. 2

N 2 MANOEL SOARES DE Vª. BOA E VILHEGAS fº. desta D. Clara Roiz d’Evora foi fidalgo da Casa

REal e casou com sua tia D. Guiomar Nunes Angel fª. de Ruy Dias Angel e de Mor Nunes Coronel, q por estas contas vem a ser dita D. Guiomar irmã da sua avó, o q é duro de crer, e talvez seja antes fª. de Ruy Dias nº. 3 do dito § 16 e q alguem as tenha confundido. Teve nº. 3 Jeronimo Soares de Vª. Boa segue nº. 3 Ruy Soares, morreu na India nº. 3 Antonio Soares, morreu na India

nº. 3 Fr. Nicolao frade Agostinho nº. 3 Vicente Soares de Vª. Boa § 18 nº. 3 D. Clara Soares, freira em Odivelas nº. 3 D. Maioe Soares, freira em Odivelas nº. 3 D. Francisca Soares de Toledo morreu em 1669

N 3 JERONIMO SOARES DE Vª. BOA E VILHEGAS fº. deste Manoel Soares de Vª. Boa lhe

chamaram o Conde de Monturos, por Ter ideias de o ser, foi Fidalgo da Casa Real e casou em 1580 com

D. Archangela de Noronha fª. de Dom Jeronimo de Almeida descendente do segundo Conde de Abrantes

e de sua 1ª m.er D. Izabel Pegado. Teve nº. 4 Manoel Soares d’Almeida segue nº. 4 Jeronimo Soares nasceu em 1618 nº. 4 D. Mecia de Noronha nasceu em 1619 nº. 4 D. Archangela de Noronha freira em Odivelas Casou 2ª vez com D. Magdalena de Tavora fª. de Francisco do Campo de Tavora e de D. Mecia de Ribera viviam em 17 de Setembro de 1639 junto a Igreja de Santo Velho, e ele faleceu em 1665 e jas no Salvador de Lisboa desta teve nº. 4 Bernardo de Tavora morreu solteiro em 1640

N 4 MANOEL SOARES D’ALMEIDA DE Vª. BOA VILHEGAS DE NORONHA seguio a Un.e e foi

Juis de fora na Certãa onde casou contra vontade de seu pai com D. Auta de Brito Caldeira da dita vila

fª. de Pedro de Andrade e de D. Elena de Brito Caldeira sobrinha do Dezembargador do Paço Vicente

Caldeira de Brito, neta paterna de Julião Nunes e de Maria de Andrade fª. de Antonio de Andrade; foi depois juis dos orfans em Lisboa e faleceu em vida do pai no ano de 1657. Teve

nº. 5 Jeronimo Soares d’Almeida segue nº. 5 D. Ellena falecida menina em 1665 nº. 5 D. Archangela de Noronha morreu em 1689 sem estado

N 5 JERONIMO SOARES DE VILHEGAS DE Vª. BOA E NORONHA fº. deste Manoel Soares

d’Almeida sucedeo a seu avo na Casa, e casou com D. Brites Soares de Vª. Boa sua prima fª. de Manoel Cid e de D. Guiomar Soares de Toledo os do § 18 nº. 1 teve nº. 6 Pedro Soares d’Almeida segue

nº. 6 Joze Soares faleceu menino nº. 6 D. Tereza Catherina vivia sem estado em 1725 nº. 6 D. Elena Jozefa de Noronha casou com Francisco Pereira Barreto Cap.am de Cavalos em Moura, por morte do marido se meteo freira na Esperança de Beja

N 6 PEDRO SOARES D’ALMEIDA VILHEGAS DE NORONHA E Vª. BOA fº. deste Jeronimo Soares

nasceu em 1680 e morreu a 16 de Dezembro de 1735 tendo casado com sua prima D. Maria Soares

Coutinho fª. de Gonsalo Soares Monteiro Correio Mor de G.es e de D. Ignez Soares de Toledo os do § 18

nº.

3. Teve nº. 7 Jeronimo Soares faleceu com 5 anos nº. 7 Christovão Soares solteiro s.g. nº. 7 D. Ignez Maria de Noronha segue

N

7 D. IGNEZ MARIA DE NORONHA fª. q veio a ser H. deste Pedro Soares d’Almeida casou por

namoro em 1733 com Francisco Caetano de Vasconcellos e Lugo n.al da Ilha da Madeira fº. de teve nº. 8 Thomaz Mariano Gonsalo Xavier nasceu em 1636 morreu menino nº. 8 João Joze de Vasconcellos segue nº. 8 Pedro Caetano nasceu em 1755 morreu menino nº. 8 Joze Braz nasceu em 1742 morreu menino nº. 8 Christovão Joze nasceu em 12 de Fevereiro de 1772 faleceu em Estremoz solteiro sendo cadete do Regimento de Moura nº. 8 D. Ignez Antonia de Noronha nº. 8 D. Maria Antonia de Noronha nº. 8 D. Mariana Marcelina, as 3 sem estado

N 8 JOÃO JOZE DE VASCONCELLOS SOARES D’ALMEIDA NORONHA ANGEL D’ELVAS fº.

desta D. Ignez Maria de Noronha sucedeu na Casa de sua mãe, é conhecido neste Reyno como seus avós pelo Conde de Monturos, e Cap.am de Cavalos em Olivença, onde casou em 2 de Julho de 1787 com D. Anna Francisca Xavier da Gama Lobo já viuva do Marchal Shiarpe, e fª. de Dom Francisco Xavier da Silva Lobo Sr. do Morgado de Malpique Coronel de Infantaria e Governador de Monsaraz e de D. Clara Eugenia de Brito fª. de Manoel Freire de Brito Brigadeiro de Infantaria e Governador de Olivença ttº. de Lobos § 83 nº. 14. Teve nº. 9 Francisco Affra de Vª. Boa Soares Angel d’Elvas Coronel d’Almeida e Noronha nasceu a 24 de Maio de 1788 baptizado na Matriz de Olivença nº. 9 João Ancelmo nasceu a 21 de Abril de 1789 nº. 9 João Antonio Marcos Emilio nasceu a 21 de Abril de 1790 foi seu padrinho o Principe D. João nº. 9 D. Ignez Joze Soares nasceu a 6 de Março de 1787 foi legitimada por subsequente matrimonio de seus pais nº. 9 D. Maria das Dores nasceu a 3 de Agosto de 1791 foi seu padrinho Luiz Pinto de Souza Sr. da Casa de Balsemão.

§ 18

N 3 VICENTE SOARES DE Vª: BOA fº. de Manoel Soares de Vª. Boa e Vilhegas e de D. Guiomar

Nunes Angel os do § 17 N 2 casou com D. Ignez Machado de Souto Maior fª. de

e teve

nº. 1 D. Guiomar Soares, que contra vontade de seu pai casou com D. Manoel Sid. N.al de Sevilha fº. de D. Francisco Cid Fiscal da Salla de Sevilha. Teve nº. 2 Vicente Soares morreu moço s.g. nº. 2 Francisco Soares s.g. nº. 2 D. Brites Soares c.c. Jeronimo Soares d’Almeida o do § 17 nº. 5 nº. 2 D. Ignez Soares de Toledo segue

N 2 D. IGNEZ SOARES DE TOLEDO fª. deste D. Guiomar Soares casou com Gonsalo Soares Monteiro

Correio Mor de G.es n.al de Coimbra fº. de

teve

nº. 3 Duarte Soares Monteiro s.g. nº. 3 D. Maria Soares de Toledo c.c. seu primo Pedro Soares d’Almeida o do § 17 nº. 6

§ 19

N 2 D. BRIANDA NUNES ANGEL fª. de Ruy Dias Angel e de Mor Nunes Coronel os do § 15 nº. 1.

Casou com Gonsalo Rodrigues d’Elvas cuja filiação ainda se não verificou pois uns o fazem fº. de Belxor

Gomes d’Elvas e de Francisca Lopes os do § 6 nº. 1 cujos Belxores ambos se diz que não tiveram filhos mas eu me capacito o ser ele desta familia q será talvez o Gonsalo Rodrigues d’Elvas de quem se fala no § 5 nº. 5 e q se dá por fº. de Belxor Gomes d’Elvas e de Brites Nunes Angel e se lhe não continua a sucessão. É certo q este Gonsalo Rodrigues d’Elvas de q se foi um dos 87 irmãos da Misericordia d’Elvas em 1544 e um dos seis nobres da Mesa. Teve nº. 1 Francisco Rodrigues d’Elvas sucedeu por morte de seu tio Nicolao Nunes Coronel no morgado q assim este o declarou no seu testamento e morreu em 1665 s.g. o do § 5 nº. 6 nº. 1 Belxor Gomes d’Elvas segue nº. 1 Fr. Rodrigo Angel nº. 1 D. Brites Coronel q casou com Antonio Gomes seu parente cunhado de D. Fernando da Silva, e fº. de Duarte Mendes Coronel do § 25 nº. 1 nº. 1 D. Maior Angel c.c. Francisco Rodrigues d’Elvas seu tio primo irmão de seu avo paterno segundo se opina como fica dito o do § 6 nº. 1 s.g.

N 1 BELXOR GOMES D’ELVAS fº. desta D. Brianda Nunes Angel casou em 13 de Abril de 1622 com

D. Guiomar Maria d’Elvas sua sobrinha irmã de Luiz de Gomes d’Elvas fª. de sua irmã Brites Coronel e

de Antonio Gomes os do § 25 nº. 1 importou o inventario feito em 9 de Novembro de 1644 na quantia de

14:245$506 reis. Teve nº. 2 Gonsalo Rodrigues d’Elvas morreu em 1692 s.g. nº. 2 Antonio Gomes foi herdeiro de seu tio Francisco Roiz s.g. nº. 2 Francisco Rodrigues d’Elvas s.g.

nº. 2 D. Leonor Maria c.c. D. Martinho Ribera da Sargento Mor de Batalhas teve 15 mil cruzados de dote em morgado s.g. nº. 2 D. Luiza Maria sem estado morreu em 18 de Julho de 1618 de 80 anos de idade

§ 20

N 2 ANTONIO GOMES ANGEL fº. de Ruy Dias Angel e de D. Mor Nunes Coronel os do § 15 nº. 1

para cada uma de suas filhas instituio um morgado, o qual veio a possuir Ruy Braz Angel. Casou com D. Joanna Jeronima Ximenes fª. de Diogo Rodrigues d’Evora e de Gracia Ximenes. Teve nº. 1 D. Maria Angel c.c. D. Luiz Coutinho fº. do Conde de Redondo s.g. nº. 1 D. Gracia freira em Odivelas

§ 21

N

2 LUIZ GOMES ANGEL fº. de Ruy Dias Angel e de Mor Nunes Coronel os do § 15 nº. 1. Casou com

D.

Joanna Ximenes fª. de Duarte Ximenes. Teve

nº. 1 Ruy Dias Angel segue nº. 1 Antonio Angel Clerigo nº. 1 O Dr. Lopo Duarte Angel Instituio Morgado nº. 1 Manoel Angel nº. 1 Gonsalo Rodrigues Angel Ab.e de nº. 1 D. Maria Angel c.c. Ruy Dias Angel o do § 15 nº. 3 nº. 1 3 filhas freiras em Santa Clara de Lisboa Casou 2ª vez com Maria Gomes fª. de Luiz Gomes d’Elvas e de Brianda Nunes os do § 22 nº. 2 teve nº. 1 D. Aldonsa 1ª m.er de Diogo de Brito do Rio s.g. E fora do casamento antes q tivesse casado teve nº. 1 B. D. Joanna Angel c.c. Martinho da Ponte

N

1 RUY DIAS ANGEL fº. deste Luiz Gomes Angel casou com Izabel Duarte fª. de Francisco Duarte e

de

Felipa Duarte. Teve nº. 2 Luiz Angel Coronel Cavº. de Alcantara morreu a 29 de Outubro de 1695 casou com D. Izabel Levins de Savedra fª. de Nicolao Levins e de D. Maria de Savedra s.g. nº. 2 D. Izabel Angel Coronel q c.c. D. JOão Furtado de Mendonça fº. de D. Pedro de Mendosa Sr. de Lubeze da Casa dos Duques de Infantado s.g.

§

22

N

2 D. MARIA GOMES D’ELVAS fª. de Luiz Gomes d’Elvas e de D. Izabel Rodrigues os do § 5 nº. 1.

Casou com Carlos Nunes da Ponte pessoa nobre e dos Principais da cidade d’Elvas. Teve nº. 1 O P.e Antonio Nunes da Ponte nº. 1 D. Izabel Nunes da Ponte segue

N

1 D. IZABEL NUNES DA PONTE fª. desta Maria Gomes d’Elvas casou com Tristão Reymão Coronel

fº.

de Inigo Peres Coronel Regedor de Segovia e de D. Guiomar Mendes del Rio neto de Fernão Peres

Coronel Regedor de Segovia em 1492 como dizem seus descendentes o qual Tristão Reimão Coronel

viveu em Elvas aonde se tratou nobremente como o provou seu bisneto Luiz Gomes d’Elvas em 1610.

Teve

nº. 2 Luiz Gomes Coronel segue nº. 2 Pedro Nunes Reymão § 27 nº. 2 D. Izabel Vaz em duvida, e a fazem casada com Luiz Gomes d’Elvas o do §

N 2 LUIZ GOMES D’ELVAS fº. desta Izabel Nunes da Ponte viveu em Elvas aonde se tratou

nobremente foi dos seis irmãos nobres da Misericordia e casou com Brianda Nunes da Ponte sua parente

fª. de Francisco da Ponte e de Brites Cacella. Teve nº. 3 Antonio Gomes d’Elvas segue

nº. 3 Carlos Nunes Coronel § 26 nº. 3 Mor Nunes Coronel c.c. o L.do Ruy Dias Angel o do § 15 nº. 1 nº. 3 Francisca Mendes c.c. Luiz Nunes Angel s.g. nº. 3 Maria Gomes c.c. Luiz Gomes Angel o do § 21 nº. 2 de quem foi 2ª m.er

E

em Izabel Vaz escrava de Gonsalo de Pina morador em Elvas teve nº. 3 B. Manoel Gomes d’Elvas q nasceu em 1550 foi muito rico fez testamento em 29 de Junho de 1620 instituio dois morgados cada um de dois mil e quinhentos cruzados renda naquele tempo. Manda fazer o Convento dos Trinos ao Rato com varias rendas destinadas para sustento das Religiosas do q se ve q tinha um grande cabedal e é por esta razão que chamam os Ratinhos aos administradores destes Morgados q os possue hoje a Condeça de S. Miguel nº. 3 B. Maria Vaz q foi mãe de Jeronimo Lopes c.c. Diogo Duarte Reymão

N

3 ANTONIO GOMES D’ELVAS fº. deste Luiz Gomes Coronel passou a viver em Lisboa. Casou com

Brites Mendes de Azevedo n.al de Estremoz fª. de Sebastião Mendes Cavº. Fidalgo e faleceu em 1550

em dia de S. João. Teve nº. 4 Luiz Gomes d’Elvas Coronel segue nº. 4 Duarte Mendes d’Elvas § 25 nº. 4 D. Francisca Coronel c.c. S.P. Luiz Nunes Coronel o do § 26 N 1 nº. 4 D. Brianda Nunes c.c. Francisco Rodrigues d’Elvas o do § nº. 5 nº. 4 D. Branca Mendes c.c. Jorge Frz d’Elvas o do § 10 N 2

N 4 LUIZ GOMES D’ELVAS fº. deste Antonio Gomes d’Elvas ajuntou grandes cabedais, e foi um dos

mais ricos portugueses do seu tempo, e do seu dinheiro se servio para comprar em 1602 o Officio de Correio Mor do Reyno por setenta mil cruzados a Felipe 2º, este Rey o fez fidalgo da Sua Casa por Alvará de 18 de Fevereiro de 1606 e o fez chefe dos Matas erigindo em Sollar a Quinta da Mata dando- lhe os privilegios dos Sollares antigos dando-lhe armas novas como se ve do dito brazão. Em 1607 provou por testemunhas segundo o estilo de Castella ser descendente de Fernão Pires Coronel Regedor

de Segovia por carta de 26 de Setembro do dito ano. E querendo o Conde de Villa Mediana Correio Mor

de Castella comprar-lhe o de Portugal para o ajuntar, Luiz Gomes respondeu que ele tambem tinha iguais desejos e q logo lhe aprontaria o dinheiro pelo q se ve q era muito rico. Casou com D. Branca

Antonia d’Elvas filha de Antonio Frz d’Elvas Fid. da C.R., e Tesoureiro da Infanta D. Maria os do § 10

N 1. Teve

nº. 5 Antonio Gomes da Mata Coronel q foi o 2º. Correio Mor do Reyno provou a sua ascendencia, e tirou Brazão em 1634 instituio 3 morgados. Casou duas vezes a 1ª com D. Izabel Barboza, e a 2ª com Mecia de Abranches s.g. nº. 5 Pedro Antonio da Mata c.c. D. Maria Caminha fª. de Dom Manoel de La Cerda Cap.am de Ormuz, e de D. Joana de Menezes s.g. nº. 5 João Gomes da Mata segue nº. 5 D. Brites Coronel § 24 nº. 5 D. Mor Frz, morreu em 18 de Fevereiro de 1594 Casou 2ª vez com D. Izabel Vaz Coronel sua prima fª. de Reymão Nunes Pereira e de Ignez Peres Coronel fª. de Pedro Nunes Reymão o do § 27 N 1. Teve nº. 5 Duarte Reymão Coronel c.g.s.n. nº. 5 D. Francisca freira em Odivelas

N 5 JOÃO GOMES DA MATA CORONEL fº. 3º. Deste Luiz Gomes da Mata não sucedeo na Casq

porque faleceu em vida de seu irmão Antonio Gomes. casou com D. Felipa Barboza n.al de Vila Viçosa baptizada em 27 de Fevereiro de 1583 irmã de sua cunhada D. Izabel Barboza fª. de João Barboza da Costa Taveira e de D. Maria da Fon.ca neta paterna de B.ar Peres da Costa, e de Catharina Frz Barbosa, e materna de Gaspar da Fon.ca o Velho e de D. Felipa de Sande ttº. de Sandes. Teve nº. 6 Luiz Gomes da Mata segue nº. 6 Fr. João frade Trino nº. 6 Duarte Gomes Conego, Dr. em Theologia, e Arcediago de Braga nº. 6 Fr. Antonio do Rozario Domenico vivia em 1671

N 6 LUIZ GOMES DA MATA CORONEL fº. deste João Gomes da Mata sucedeo a seu tio Antonio

Gomes na Casa de seu avo e foi 3º Correio Mor do Reyno. Casou em 1647 com D. Violante de Castro fª.

de Lopo de Souza Coutinho G.or de Angola, e de D. Joanna de Castro neta paterna de Gonsalo Vaz Coutinho G.or da Ilha de São Miguel Comendador de Farinha Podre, e de D. Jeronima de Moraes, e pela materna de D. manoel Pereira Comendador de Penella na Ordem de Aviz G.or de Angola, e de D. Violante de Castro neta dos Condes de Monsanto. Teve nº. 7 Duarte de Souza da Mata Coutinho segue nº. 7 Antonio de Souza nasceu em 1649 e morreu em 1637 de 88 anos nº. 7 Manoel de Souza Coutinho morreu em 1735 s.g. nº. 7 D. Maria Magdalena sem estado nº. 7 D. Ignez nº. 7 D. Francisca, as 2 freiras na Esperança de Lisboa

N 7 DUARTE DE SOUZA DA MATA COUTINHO fº. deste Luiz Gomes da Mata foi o 4º Correio Mor

do Reyno, viajou pelas Cortes Estrangeiras e casou em 1690 com D. IzabelCafaro irmã do Marquez de Cafaro D. Antonio fª. de Dom Thomaz Cafaro Barão de Grey 1º. Senador de Missina General de

Artilharia Conservador do Reyno de Cecilia, e de sua 2ª m.er a Marqueza D. Anna Berenguer pessoas Ilustrissimas de Napoles. Teve nº. 8 Luiz Vitorio de Souza da Mata segue nº. 8 Thomaz Cafaro s.g. nº. 8 João de Souza Coutinho § 23 nº. 8 D. Anna sem estado nº. 8 D. Violante Maria nº. 8 D. Maria Joanna nº. 8 D. Joanna Roza, as 3 freiras na Esperança de Lisboa

E fora do casamento em D. Angela Thomazia fª. de Leonardo Leal e de Maria de Navarrete n.al de

Malaga

nº. 8 B. Luiz de Souza Coutinho G.or de uma fortaleza na India s.g. nº. 8 B. Lopo de Souza Coutinho G.or de São Tomé Cavº. de Cristo s.g. nº. 8 B. D. Joanna Micaela freira em Santa Anna de Lisboa

N 8 LUIZ VITORIO DA MATA DE SOUZA COUTINHO fº. deste Duarte de Souza Coutinho foi o 5º.

Correio Mor do Reyno, q fazia administrar por um Tenente a quem dava cinco mil cruzados de renda foi fidalgo da Casa Real e morreu em 18 de Maio de 1735 e jaz na Capela Mor na convalecença dos

Capuchos de q esta casa é Padroeiro. Casou com D. Joanna de Menezes fª. de João Gonçalves da Camera Coutinho Almotace Mor do Reyno e de D. Luiza de Meenzes neta paterna de Antonio Luiz da Camera G.or da India e de D. Constança da Silva fª. dos segundos Condes de Aveiras, etc.; teve nº. 9 Joze Antonio de Souza da Mata nasceu em 5 de Agosto de 1718 nº. 9 Duarte de Souza Cavº. de Malta nº. 9 D. Maria nº. 9 D. Izabel, as 2 freiras na Esperança de Lisboa

E

fora do casamento em D. Maria Jozefa fª. de Manoel Nunes o frade de alcunha, e de Maria do Ó teve nº. 9 B. Duarte de Souza Coutinho baptizado em 18 de Novembro de 1710 foi Correio Mor do Porto por merce de seu pai. Solteiro

E

em uma Mauricia de

teve

nº. 9 B. D. Violante nº. 9

,

as 2 educandas na Esperança

 
 

§

23

N

8 JOÃO DE SOUZA COUTINHO fº. de Duarte de Souza Coutinho e de D. Izabel Caetana os do § 22

nº. 7 foi fidalgo da Casa Real Cap.am de Infantaria; não casou mas em Gusmana Ignacia fª. de Thomaz

da Mota e de Izabel Teixeira parente de Dom Manoel Lopes Simões Bispo de Portalegre, teve nº. 1 B. Manoel de Souza Coutinho nº. 1 B. Antonio de Souza nº. 1 B. D. Anna Magdalena nº. 1 B. D. Joana Cafaro, as 2 educandas na Esperança de Lisboa

§ 24

N

5 D. BRITES CORONEL fª. de Luiz Gomes d’Elvas e de D. Branca Antonia d’Elvas os do § 22 nº. 4.

Casou com Andre de Azevedo de Vasconcellos Fidalgo da Casa Real por Alvará de 1594 fº. de Mem

Rodrigues de Vasconcellos e de D. Joanna Colaço cuja geração já V. Sª. tem no ttº. de Juzartes parte § 9

nº.

5 q pode continuar, e por ora não sei mais q o q está no dito § posto q tem mais geração q lá.

§

25

N

4 DUARTE MENDES D’ELVAS fº. de Antonio Gomes d’Elvas e de Brites Mendes os do § 22 nº. 3.

Casou com D. Guiomar Nunes fª. de Belxor Gomes d’Elvas e de D. Brites Nunes Angel os do § 5 nº. 4.

Teve

nº. 1 Antonio Gomes d’Elvas segue nº. 1 Sebastião Nunes Coronel nº. 1 Luiz Gomes d’Elvas nº. 1 D. Brites Coronel c.c. Dom Fernando da Silva c.g. ve. o § 15 N 1 pois que destes procede D. Miguel da Silva Pessanha s.m.n.

N 1 ANTONIO GOMES D’ELVAS fº. deste Duarte Mendes casou com D. Brites fª. de Gonsalo Roiz

d’Elvas e de Brianda Nunes os do § 19 nº. 2. Teve nº. 2 Luiz Mendes Fidalgo da C.R. e do Concelho d’ElRey s.g. nº. 2 D. Leonor c.c. Batista do Valle Teixeira e 2ª vez com D. Martinho de Ribera s.g. nº. 2 D. Guiomar Maria d’Elvas c.c. Belxor Gomes d’Elvas seu tio o do § 19 nº. 1 aonde fica a

geração

§ 26

N 3 CARLOS NUNES CORONEL fº. de Luiz Gomes d’Elvas e de Brianda Nunes os do § 22 nº. 2.

Casou com Violante Alves fª. de Gonsalo Rodrigues e de Guiomar Nunes Angel os do § 15 nº. 3. Teve nº. 1 Luiz Gomes Nunes segue

nº. 1 Gonsalo Roiz c.c. Francisca Lopes s.g. nº. 1 Antonio Gomes s.g.

N 1 LUIZ GOMES NUNES fº. deste Carlos Nunes c.c. sua prima D. Francisca Coronel fª. de seu tio

Antonio Gomes d’Elvas e de D. Brites d’Azevedo os do § 22 nº. 3. Teve nº. 2 Carlos Nunes s.g. nº. 2 Luiz Gomes segue nº. 2 D. Violante c.c. D. Fernando de Atayde fº. de D. Antonio de Atayde Conde da Castanheira

N 2 LUIZ GOMES NUNES CORONEL fº. deste Luiz Gomes chamaram-lhe o Rato por ser Sr. do

Morgado q Instituio Manoel Gomes o do § 22 nº. 3 a q anda anexo o Padroado do Convento dos Trinos ao Rato. Casou com D. Maria de Sá e Menezes fª. de D. Francisco de Sá e Menezes Comendador de Sines. Teve nº. 3 Luiz Gomes de Sá e Menezes segue nº. 3 Francisco de Sá e Menezes c.c. D. Margarida da Silva fª. de D. Fernando da Silva e viuva de Nicolao Nunes o Briando o do § 5 nº. 6 e teve a D. Marianna c.c. Francisco Cabral s.g.

N

3 LUIZ GOMES DE SÁ E MENEZES fº. deste Luiz Gomes casou com D. Maria de Portugal irmã de

D.

Luiz d’Almeida 1º Conde d’Avintes e fª. de D. Antonio d’Almeida. Teve nº. 4 D. Luiza Maria de Portugal c.c. Manoel Correia de Lacerda c.g. q hoje está na Casa dos Condes de S. Miguel Sr.es desta Casa dos Ratinhos nº. 4 filhos q faleceram meninos

§

27

N

2 PEDRO NUNES REYMÃO fº. de D. Izabel Nunes da Ponte e de Tristão Reymão Coronel casou

com Izabel Vaz. Teve

nº. 1 Manoel Nunes Reymão vivia em Elvas em 1579 e teve sentença a seu favor para não poder ser obrigado a contribuir com o tributo lançado ao povo d’Elvas por ser nobre e bisneto de Fernão Peres Coronel nº. 1 Brites Vaz Coronel c.c. Jorge Fz d’Elvas o do § 8 nº. 4 nº. 1 D. Izabel Vaz c.c. Reymão Nunes Pereira de q nasceu D. Izabel Vaz 2ª m.er de seu primo Luiz Gomes da Mata o do § 22 nº. 4.

ENCOURADOS

§ 1

N 1 FERNÃO SILVESTRE DE ENCOURADOS casou com D. Urraca Gomes fª. de D. Gomes Ramires neta de D. Ramiro Ayres no ttº. de Carpinteiros § 1

2

Lourenço Fz de Aboim

2

D. Chamoa Fz m.er de D. Pedro Fz de Vinhal no Conde fl. 343 N 11

§ 2

N 1 D. SOEIRO MENDES DE ENCOURADOS casou com D. Urraca Gil fª. de Goncallo Gil de Eyró e sua m.er D. Urraca Annes fª. de Lourenco de Macieira ttº. de Macieiras § 2 N 4.

EROZAS

N

1 D. SOEIRO DE LONGO DE BALSAR foi bom Cavaleiro e honrado (ve. ttº. de Balsar)

2

Payo Soares

N

2 PAYO SOARES fº. de D. Soeiro N 1

3

Martim Paes de Eroza casado com D. Maria Mz de Barrelha donde vem os da Granja e outros

3

Payo Paes de Eroza

N

3 PAYO PAES DE EROZA fº. de Payo Soares N 2 casou com D. Mor Mendes de Espada

4 Ruy Paes Bagalho

Casou 2ª vez com D. Estevainha Nogueira s.g.

N 4 RUY PAES BAGALHO fº. de Payo Paes N 3 foi bom cavaleiro Privado de El Rey D. Diniz casou

com D. Urraca de Santarem

5 D. Tereja Rz m.er de Ruy Vasques Pemintel no ttº. de Peminteis

§ 2

N 1 FERNÃO RZ BAGALHO pelo patronimico parece ser filho de Ruy paes Bagalho. Casou com D.

Maria Affonco fª. de Affonco Guilherme

2

D. Mor Fz m.er de Martim Esteves de Moles

2

D. Leonor Fz m.er de Affº. Mz Barreto fº. de Martim Fz Barreto.

ESCOVAR

Descendem de um Cavaleiro q estando cativo em poder de Mouros na cidade de Almeria, teve tal esforço

e fortaleza q entregou a Praça ao Rey D. Fernando, mandando dizer-lhe q quando visse uma escova

posta no muro q a remetesse, e este Cavº. de noite com grande industria e valor matou os Guardas da Fortaleza, e abriu as portas a El Rey e foi entrada a fortaleza; e deste facto se chamou escovar, e lhe deu

as Armas das cinco escovas. As Armas desta Familia são em Campo de Prata cinco escovas de Azul e

todas com uns trocaes vermelho postos em Sinto, e por Timbre um braço vestido de verde com uma das escovas na mão

§ 1

N 1 ALVARO RZ DE ESCOVARA foi um Fid. Castelhano q veio com a ecelente Srª. e dizem ser fº. de

D. Rodrigo de Escovar, e de sua m.er D. Branca Coronel. Viveu em Santarem casou com D. Izabel de Belves fª. de Rodrigo de Chaves q dizem foi Rico Homem

2

Pedro de Escovar Coronel

2

Francisco de Escovar § 4

2

Affº. de Escovar s.g.

N 2 PEDRO DE ESCOVAR CORONEL fº. de Alvaro Rz de Escovar N 1 deu-lhe El Rey D. Affº. V o

Paul de Peoins. Casou com Catarina Palha fª. de Vasco Palha de Santarem

 

3

João de Escovar

3

Pedro de Escovar § 2

3

Francisco de Escovar § 3

3

Angela Palha m.er de João de Barros c.g.

N

3 JOÃO DE ESCOVAR fº. de Pedro de Escovar N 2 casou com

 

4

Antonio de Escovar

N

4 ANTONIO DE ESCOVAR fº. de João de Escovar N 3 foi Cap.am da Mina, e casou com Brites da

Fon.ca fª. de Rodrigo da Fon.ca

5

Izabel de Escovar q foi H. casada na Ilha da Madeira com Antonio Fz da Silva

5

Maria de Escovar casada em Valenca do Minho com Gergorio da Silva Pereira c.g.

§ 2

N

3 PEDRO DE ESCOVAR fº. de Pedro de Escovar N 2 do § 1 foi por mandado do Rey D. Affº. V viver

a

Ilha da Madeira onde lhe deu as terras de Ponta do Sol

 

4

Pedro de Escovar Coronel casado com Guiomar de Castello fª. de Pedro do Castello da mesma Ilha teve 5 Alvaro Rz de Escovar q os Mouros mataram em Arzila s.g. 5 João de Escovar s.g.

4

Felipa Alz de Escovar m.er de Gil Fz Teixeira c.g. no ttº

 

§

3

N

3 FRANCISCO DE ESCOVARA fº. de Pedro de Escovar N 2 do § 1 casou com Izabel da Fon.ca

viuva de Jorge Viegas e fª. de Jorge da Costa

4

Leonardo de Escovar

4

Brites de Escovar

§ 4

N 2 FRANCISCO DE ESCOVAR fº. de Alvaro de Escovar N 1 do § 1 foi dos Comendadores q não

podiam casar; teve B.B.

3 Alvaro Rz de Escovar q os Mouros mataram s.g.

ESMERALDOS

N 1 JOÃO ESMERALDO chamado o velho da Ilha do Funchal Instituiu o Morgado dos Esmeraldos na

Ilha do Funchal com sua m.er Agueda de Abreu em 1522, a depois acrecentou em 1527 como se ve em Peg. de Mayoratus Tomo 2 pag. 709

 

2

João Esmeraldo o novo q teve B. e legitimada 3 D. Izabel Esmeraldo casada com Francisco Glz da Camera seu primo abaixo s.g.

2

Antonio Esmeraldo s.g.

2

Cristovão Esmeraldo

N

2 CRISTOVÃO ESMERALDO fº. legitimo de João Esmeraldo N 1 casou e teve

 

3

D. Anna Esmeraldo

N

3 D. ANNA ESMERALDO fª. de Cristovão Esmeraldo N 2 casou

 

4

Pedro Ribeiro Esmeraldo

4

Francisco Glz da Camera

N

4 PEDRO RIBEIRO ESMERALDO fº. de D. Anna Esmeraldo

 

5

Francisco Glz da Camera § 2

5

Antonio do Carvalhal Esmeraldo

5

N

5 ANTONIO DO CARVALHAL ESMERALDO fº. de Pedro Ribeiro Esmeraldo N 4 tirou o Morgadio

dos Esmeraldos a Francisco Glz da Camera por ser descendente bastardo. Casou

6 Pedro Ribeiro Esmeraldo

N 6 PEDRO RIBEIRO ESMERALDO fº. de Antonio do Carvalhal Esmeraldo § 5 foi Sr. do Morgado

dos Esmeraldos (Moço Fidalgo). Casou com Maria Betancur fª. de João Glz o Bico

7 Luiz Esmeraldo de Atouguia

N 7 LUIZ ESMERALDO DE ATOUGUIA fº. de Pedro Ribeiro Esmeraldo N 5 foi Sr. do Morgado dos

Esmeraldos (Moço Fidalgo da C.R.). casou com sua prima D. Izabel Esmeraldo fª. de Pedro Ribeiro

Esmeraldo, e D. Joanna da Camera neste ttº. § 2 N 6 (corre no Costado fls 161 do Tomo 4)

8

Cristovão Esmeraldo de Atouguia

8

João Esmeraldo de Atouguia § 3

8

N 8 CRISTOVÃO ESMERALDO DE ATUOGUIA fº. de Luiz Esmeraldo N 7 foi Fid. da Casa Sr. do

Morgado da Lombada. Casou com D. Ellena Thereza Luiza de Castro fª. de Ayres Telles de Menezes B. e sua parente D. Joanna Maria de Castro; Ayres Telles era fº. B. de Antonio Telles de Menezes Conde de Vila Pouca, e sua m.er D. Maria Landrave

9 Luiz Antonio do Carvalhal Esmeraldo Sr. do Morgado da Lombada c.c. D. Leonor de Vilhena, fª. de D. Maria Ignez de Vilhena e Francisco Luiz de Vasconcellos c.g. no ttº. de Souzas § 317 N 25

§ 2

N 5 FRANCISCO GLZ DA CAMERA fº. de Pedro Ribeiro Esmeraldo N 4 do § 1 foi Administrador do

Morgado dos Esmeraldos por casar com D. Izabel Esmeraldo fª. B. de João Esmeraldo de q não teve filhos. Teve Bastardo q legitimou

6 Pedro Ribeiro Esmeraldo

N 6 PEDRO RIBEIRO ESMERALDO fº. de Francisco Glz da Camera N 5 foi legitimado, e esteve de

posse do vincullo dos Esmeraldos. Casou com D. Joanna da Camera fª. de

7 Francisco da Camera Esmeraldo

N 7 FRANCISCO DA CAMARA ESMERALDO fº. de Pedro Ribeiro N 6 possuiu o Morgado dos

Esmeraldos, q lhe tirou seu primo Antonio Carvalhal Esmeraldo no § 1 N 5; casou

N

8 Francisco Glz da Camera

8 FRANCISCO GLZ DA CAMERA fº. de Francisco da Camera Esmeraldo N 6. Casou com

9 Luiz da Camera Esmeraldo

§ 3

8 JOÃO ESMERALDO DE ATOUGUIA fº. de Luiz Esmeraldo de Atouguia § 1 N 7. Casou com D.

Maria Thereza de Menezes fª. de Antonio Correa Henriques e D. Maria da Camera no ttº. de Betancurt

(ve. Costado N

(Antonio Correa Henriques c.c. D. Maria da Camera era fº. de João Betancurt Henriques e D. Antonia de Castello Branco = D. Maria da Camera era fª. de Diogo da França de Carvalho = D. Izabel

de M.el nezes era fª. de Manoel Cabral de Aguiar, e D. Izabel de Andrade e Menezes neta paterna de outro Manoel Cabral de Aguiar, e D. Joanna de Andrade e neta materna de Manoel de Carvalho Val de Visso, e D. Ignez de Menezes de Castro)

9 D. Roza Esmeraldo de Menezes c.c. o Dr. João Villela Betancurt fº. de Diogo Villela Betancurt, e D. Antonia Bazilia de Achioli no ttº. de Achiolis § 4 N 8.

N

)

ESPINEIS

N 1 PEDRO GOMES ESPINEL casou com D. Tereja Annes de Paravinas no Conde D. Pedro fl. 289 prº.

em q o Conde principia

2

Martim Pires Espinel

2

D. Alda Pires Espinel m.er de Affonco Viegas o moço no Conde fl. 191 N 9

N 2 MARTIM PIRES ESPINEL fº. de Pedro Gomes N 1

3

Martim Pires Espinel casado e teve 4 D. Tereja Mz Espinel m.er de Soeiro Correa no Conde D. Pedro fl. 349 N 55 ttº. de Correas

3

Gracia Mz Espinel

N 3 GRACIA MZ ESPINEL fº. de Martim Pires N 2 teve B.

4 João Gracia Espinel

N 4 JOÃO GRACIA ESPINEL fº. B. de Gracia Mz Espinel N 3 casou com D. Urraca Mendes fª. de

Mem Cravo, ou Curvo

5

D. Marinha Annes m.er de Martim Rodrigues Rabello

5

D. Guiomar Annes m.er de João Vasques Peixoto

§ 2

N 1 D. Pº. OU JOÃO PIRES ESPINEL casou com D. Tereja Annes fª. de João Fernandes de Riba de

Vizella

2 Pedro Espinel

2

2 Gracia Espinel

Estevão Espinel frade do Templo

N 2 GRACIA ESPINEL fº. de Pedro ou João Pires Espinel N 1 teve B.

3 B. João Gracia.

ESTEVES DE FIGUEIREDO

Pello P.e Fr. Reimundo

N 1 ELENA ESTEVES é a mais antiga q se acha desta Familia foi Dama da Duqueza de Bragança, e

Goncallo de Figueiredo Sr. da Quinta de

sua muito mimoza casou-a o m.mo Duque com

Figueiredo na fregª. de Cepellos de quem tomou o nome cita no Concelho de Gouvea de Riba Tamega

2 Goncallo Esteves de Figdº.

N 2 GONCALLO ESTEVES DE FIGDº. fº. de Elena Esteves N 1 foi chamado o Grande de Figdº. foi

Apozentador Mor do Rey nas Guerras de Azamor casou com segundo Fr. João da M.e de Deus com

Cecilia de Figdº. fª. de Henrique de Figdº. e sua m.er D. Cecilia de Castro no ttº. de Figdºs. § 7 N 8 a qual acho casada no dito ttº. com Affº. Vaz Caminha

3

Goncallo Esteves de Figdº. Rabello

3

Antonio Esteves Rebello § 9

N 3 GONCALLO ESTEVES DE FIGDº. ou RABELLO fº. de Goncallo Esteves N 2 (em um ttº. de

Cunhas Coutinhos de Amarante me diz o meu Primo Deão de Lamego se faz este Goncallo Esteves

Rabello deste N 3 fº. dos q leva por avos Elena Esteves e Goncallo de Figdº. N 1). Foi as Guerras de Azamor com cavalos e Armas e foi Apozentador Mor do Rey como seu pai. Casou com Maria Annes fª.

de

um cidadão da cidade do Porto

 

4

João Esteves Rebello casado com Izabel de Queiroz fª. de João de Queiroz, e sua m.er Maria Marinho c.g. no ttº. de Queirozes § 17 N 16 onde vai

4

Brites Rebello segue

4

Violante Glz

4

Lancarote Glz § 3

4

Estevão Esteves Rebello § 8

N

4 BRITES GLZ REBELLO ou BRITES REBELLO DE FIGDª. fª. de Goncallo Esteves N 3 casou com

Diogo Glz

5

Elena Esteves Rebello

5

Anna Glz chamada a Gata Negra § 2

5

B.ar Cardozo c.g. em Lisboa

5

Lancarote de Figdº.

5

Heytor Rebello Cavº. de Xº e Cap.am em Tangere

N 5 ELENA ESTEVES fª. de Brites Glz Rebello N 4 casou com Antonio de Macedo fº. de um Ab.e de S.

Clemente de Basto dos Macedos de Coimbra ttº. de Macedos § 40 N 13

6

Guiomar de Macedo

6

Clemencia de Macedo m.er do L.do Goncallo Ribeiro dos Ribeiros de Basto § 36 N 2

Casou 2ª vez Elena Esteves com Simão de Carvalho de Abreu fº. de Gergorio Lopes do Rego, e sua m.er

Izabel de Abreu no ttº. de Abreus § 30 N 9 (Um Brazão q se passou a Gaspar da Cunha fº. de Simão de Carvalho aos 21 de Fevereiro de 1608 diz

q sua mãe era Ellena Esteves sem dizer de quem era fª., assim supomos q Ellena Esteves casada com

Antonio de Macedo casamento q supunha)

casaria 2ª vez com Simão de Carvalho = agora se confirma o 2º

§ 2

N 5 ANNA GLZ REBELO fª. de Brites Glz Rebello N 4 do § 1 foi chamada a Gata Negra casou com

Francisco Jorge irmão de Pedro Jorge primos de Sabastião Affº. Vigario de Tergim

6

Guiomar Rebello

6

Izabel Francisca casada com Antonio Mendes

6

Maria de Freitas a beata

6

Fr. Antonio Agostinho

N 6 GUIOMAR REBELLO fª. de Anna Glz N 5 casou com Thome de Basto fº. de João Glz e sua m.er

7

O L,do João Esteves de Basto q foi medico casado com sua parente Rozaria da Cunha fª. do L.do Gaspar da Cunha c.g. no ttº. de Abreus de Regallados § 33 N 11

7

Manoel Rebello Sac.

7

D. Marta Rebello m.er do L.do Manoel Peixoto

7

D. Maria de Figdº. m.er de João Peixoto irmão do sobredito naturais de entre ambos os Rios

§ 3

N 4 LANCAROTE GLZ q tambem se acha com o apelido de Leitão fº. de G.lo Esteves N 3 do § 1.

Casou com Guiomar Affº. irmã do D. Prior de G.es Gomes Affº. naturais de Barrozo

5

Leonor Glz

5

B.ar Glz § 7

5

Cecilia Glz de q não há geração

5

Gomes Glz chamado o Pe de Boy Lente de Canones na universidade de Coimbra

5

Antonio Esteves

5

B.ar Glz, os 2 foram para a India

N

5

LEONOR

GLZ

fª.

de

Lancarote

Glz

N

4

casou

com

Antonio

Vieira

do

Canto

fº.

de

 

6

Paulla Vieira

6

Patornilha Vieira § 5

 

6

Izabel Vieira

N

6 PAULLA VIEIRA fª. de Leonor Glz N 5 casou com Manoel da Cunha de Mesquita fº. de Gaspar da

Cunha ttº. de Carvalhos § 36 N 11 (vai daqui para baixo no ttº. de Carvalhos § 36 N 11)

7

Eugenia de Mesquita

7

Angella da Cunha § 4

7

Theodozia de Mesquita § 6

7

Patornilha Vieira c.c. Penro de Mag.es Villella ttº. de Mag.es § 39 N 10

N 7 EUGENIA DE MESQUITA fª. de Paulla Vieira N 6. Casou com Pedro de Souza fº. de Mathias de

Souza, e sua m.er Anastacia de Barros fª. de Goncallo de Barros Ab.e de Taboado ttº. de Souzas § 15 N

22 (daqui para baixo no ttº. de Carvalhos § 36 N 12)

8

D. Maria de Barros e Mesquita

8

D. Theodozia de Barros

N 8 D. MARIA DE BARROS DE MESQUITA fª. de Eugenia de Mesquita N 7 foi Srª. da Casa de seu

pai. Casou com Sabastião Correa Montenegro fº. de Miguel Correa Pinto, e sua m.er Antonia de

Almeida no ttº. de Monteiros § 37 N 10

9

Luiz Correa de Souza Montenegro Sr. do Morgado de Nozoens casado com D. Violante da Silva fª. de B.ar de Azevedo Sr. da Quinta de Tuya no ttº. de Azevedos § 61 N 23 c.g.

9

Antonio Correa Maltez Balio de Leça

9

Antonio de Souza Maltez Com.or de Santarem Balio ad honorem

§ 4

N 7 ANGELLA DA CUNHA fª. de Paulla Vieira N 6 do § 3 casou com Mathias de Souza viuvo de

Annastacia de Barros fª. de Antonio de Souza de Amarante e sua m.er Maria de Miranda fª. de Pedro L.co de Miranda ttº. de Souzas § 15 N 22

8 D. Joanna de Souza

N 8 D. JOANNA DE SOUZA fª. H. de Angella da Cunha N 7. Casou com Gabriel Pereira de Castro

Colegial de S. Paulo n.al; ve. ttº. de Araujos § 322 em q se lhe dá outra filiação

§ 5

N

6 PATORNILHA VIEIRA fª. de Leonor Glz N 5 do § 3 casou com Pedro de Mag.es fº. de Francisco

de

Mag.es, e sua m.er Izabel Villella no ttº. de Mag.es § 39 N 10, bem q neste ttº. se faz fª. Patornilha

Vieira de sua irmã Paulla Vieira no § 3 N 6

§ 6

N

7 THEODOZIA DE MESQUITA fª. de Paulla Vieira N 6 do § 3 amancebou-se com Jeronimo Salgado

de

G.es 8 B. Paulla de Mesquita casada com Jeronimo de Souza de Padroens fº. de

§

7

N

5 B.AR GLZ fº. de Lancarote Glz N 4 do § 3 foi Acipreste de G.es teve de Anna Vaz fª. de Maria Vaz,

e seu marido B.eu Glz Carpinteiro

6 Baltezar Glz

N

6 B.AR GLZ fº. B. de B.ar Glz N 5 foi formado em Medicina casou com Maria de Freitas Nogueira fª.

de

N. Nogueira moço da Camera criado escudeiro do Duque digo escudeiro de D. Duarte o qual lhe deu

um offº. de T.am em G.es q dotou a seu fº, e sua m.er Izabel de Freitas de Felgueiras parente de Goncallo de Freitas da Deveza das Corvas do mesmo Con.lo de Felgueiras c.g.

§ 8

N 4 ESTEVÃO ESTEVES REBELLO fº. de Goncallo Esteves N 3 do § 1 casou com Catarina Affº. de

Amarante

5

Froilos Rebello c.g.

5

Izabel Esteves Rebello

5

Antonio Esteves Rabello c.g.

N 5 IZABEL ESTEVES RABELLO fª. H. de Estevão Esteves Rabello N 4 casou com Pedro Annes do

Chafariz da Rua de S. Pedro

Francisco Pires Rabello casado com Apolonia Glz de Queiroz fª. de D. Guiomar de Queiroz, e

6

seu marido Gaspar Glz de Sá c.g. no ttº. de Queirozes § 45 N 17

 

6

Catarina Esteves

N

6 CATARINA ESTEVES RABELLO fª. de Izabel Esteves N 5 casou com Gaspar Glz de Cuvellas

7

Antonio Rebello

N

7 ANTONIO REBELLO fº. de Catarina Esteves N 6 casou com Maria Duarte fª. de Eva Fz, e seu

marido Duarte Fz Sudesno

8

Gracia Rebello

8

Domingos Rebello

N 8 GRACIA REBELLO fª. de Antonio Rebello N 7 casou com Francisco Teixeira fº. de Miguel Dias e

Domingas Glz de Gutiaens

9 Sabastianna Teixeira casada com Antonio de Castro de Vasconcellos fº. de Martim Mendes de Vasconcellos e sua m.er Izabel Monteiro c.g. no ttº. de Vasconcellos § 32 N 20

§ 9

N 3 ANTONIO ESTEVES REBELLO fº. de Goncallo Esteves Rebello o grande de Figdº. N 2 do § 1 foi

grande soldado, e se achou no Cerco de Mazagão, etx. Casou com Anna Mendes de Vasconcellos fª. de Ruy Mendes de Vasconcellos Morgado de Fontellas, e sua m.er Anna de Castro no ttº. de Vasconcellos § 12 N 17. Corre no § 144 N 18.

EVANGELHOS

Tem por Armas uma cruz de Ouro chão firmada entre quatro besantes de Prata, e em cada uma uma divisa dos Evangelistas, no prº. uma Aguia da Sua cor, no segundo o homem vestido de vermelho com Azas verdes, nos dois contrarios o Leão, e o boi, cos rotullos q declaram os nomes de cada um = Timbre dois braços de Anjo com um Livro de rezar Azul com brochas de ouro na mão.

§ 1

N 1 MARTIM ESTEVES EVANGELHO é o primeiro de quem temos por ora noticia era um homem de

bem q morava em Atougia, e lhe chamaram o Beirão por ser n.al da Beira. Casou com Izabel Fernandes

2 Affº. Martins Evangelho Instituiu Morgado em Leiria c.s.g.

2 Guiomar Martins § 2 Casou 2ª vez com Catarina Annes

2

Fernão Mz Evangelho § 2

2

Luiz Martins Evangelho

2

Izabel Martins m.er de Ruy Lourenco Escudeiro de Ovidos

2

Ignez Martins m.er de

N 2 FERNÃO MARTINS EVANGELHO fº. de Martim Esteves N 1 não foi casado teve de Maria Luiza.

Este Fernão Martins enterrado em S. Francisco de Lisboa em uma Capella q fez

3

Affº. Martins Evangelho

3

Fernão Martins Evangelho § 2 N 3

e de uma sua criada chamada Catarina Dias

3 Violante Fernandes Evangelho m.er de Duarte Pacheco Casou 2ª vez com Jorge de Almeida

N

3 AFFONCO MARTINS EVANGELHO fº. de Fernão Martins N 2 casou com Izabel de Payva fª. B.

de

Alvaro Fz o procurador (Instituidor do Morgado dos Payvas e Evangelhos Peg. de Mayorat Tomo 2

fl 167)

4

Pedro Alz de Payva Evangelho q teve

5

João Mz de Payva, ultimo Administrador dos Morgados dos Payvas, e Evangelhos