Segundo a OMS:
 Saúde é um estado completo de bem estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades.

 Saúde Mental – estado de bem estar em que o indivíduo tem percepção do seu potencial, consegue lidar com o stress do dia-adia, trabalhar de forma produtiva e contribuir para sua comunidade.

 Ocorre com a chegada da família real em 1808, constituindo o marco inicial da aplicação de práticas interventivas;  É um movimento contemporâneo da eclosão do “movimento sanitário”, em favor de mudanças nos modelos de atenção nas práticas de saúde;  A reforma psiquiátrica surge mais concretamente na década de 70;  Surgiu o movimento de trabalhadores de Saúde Mental. Caracterizado por críticas à:  Hospitalização;  Estigmatização do doente;  Hegemonia da rede privada.

Década de 80/90- lei 8080/90- criação do SUS:
 Saúde como Dever do Estado e Direito de Todos;
 Aprovação do Programa de Reorientação da Assistência Psiquiátrica Previdenciária e Assistência Social.

Princípios do SUS  Acesso Universal.  Controle Social.  Equidade.  Descentralização.  Integralidade das Ações. .

 Estruturação de uma rede pública de atenção a saúde mental. “Por uma sociedade sem manicômios”.  Em 1987.I Conferência Nacional de Saúde Mental .2º Encontro de Trabalhadores em Saúde Mental. . Criação de uma política de saúde mental no combate à cultura hospitalêmica e à institucionalização.

Movimento da Luta antimanicomial –  18 de maio houve a superação do manicômio .  Criação de recursos assistenciais substitutivos.  Regulamentação da internação compulsória. . .Estrutura física/ideológica.Dispõe acerca de:  Extinção progressiva dos manicômios.Lei – 89 .  Tendo como principal objetivo da reinserção social: o exercício da cidadania vendo o deficiente mental como um “ ATOR SOCIAL”.

Lei Paulo Delgado – sancionada em 2001/ LEI FEDERAL 10.  Impõe novo impulso e ritmo para o processo da Reforma Psiquiátrica no Brasil.  Dispõe sobre a proteção e direitos das pessoas com transtornos mentais. .216 Redireciona a assistência em saúde mental.

com base no território.Política Nacional de Saúde Mental –  Redução gradual e planejada de leitos em hospitais psiquiátricos. . com possibilidades de criação de vínculos.  Implantação e Implementação de uma rede diversificada de serviços de saúde mental de base comunitária eficaz. .  Os serviços de saúde possam se tornar mais acolhedores.1. Saúde Mental no NASF  Ampliação e Qualificação do cuidado às pessoas com transtornos mentais nos serviços.

. ‘’  Atuação das Equipes de Saúde da Família e de Saúde Mental – o trabalho integrado das equipes potencializa o cuidado. facilita uma abordagem integral e aumenta a qualidade de vida dos indivíduos e comunidade. ‘’Pode-se dizer que todo problema de saúde é também – e sempre – mental e que toda saúde mental é também – e sempre – produção de saúde.

que necessitam de cuidados eventuais.Segundo o Ministério da Saúde: • Apresentam transtornos mentais severos e persistentes. • Apresentam transtornos mentais leves. .  Sendo que os grupos mais vulneráveis são os de mulheres. pessoas com baixa escolaridade e menor renda per capita. idosos.

.

estimulando a interdisciplinaridade e a aquisição de novas competências. com a construção de vínculos entre profissionais e usuários.2. . Diretrizes  Apoio Matricial – é um arranjo técnico – assistencial que visa a ampliação da clínica das equipes de Saúde da Família.  A responsabilidade compartilhada visa aumentar a capacidade resolutiva da equipe local.

Diretrizes Gerais para a atuação das Equipes de Saúde 1. promoção. Cuidado Integral articula ações de prevenção. 6. 2. A educação permanente deve ser o dispositivo para a organização das ações de saúde mental na Atenção Primária. As redes sanitárias e comunitárias são importantes nas estratégias a serem pensadas para o trabalho conjunto. 5. em seus graus variados de severidade. 7. Garantia da continuidade do cuidado pelas equipes de Saúde da Família. que exigem cuidados mais imediatos. As intervenções devem se dar a partir do contexto familiar e comunitário. 4. Deve-se identificar. tratamento e reabilitação psicossocial. Devem ser priorizadas as situações mais graves. 3. . acolher e atender às demandas de saúde mental do território.

sem tratamento extra hospitalar.  Abuso ou negligência familiar. Situação de Riscos e Definição de Prioridades  Cárcere privado.  Suspeita de maus tratos e abuso sexual de crianças e adolescentes.  Indivíduos com história de múltiplas internações psiquiátricas.3.  Situações de grave exclusão social.  Problemas graves relacionados ao abuso de álcool e outras drogas. .  Uso de medicação por longo período sem avaliação médica.

 Reuniões periódicas.  Planejamento e execução conjunta de atividades comunitárias e terapêuticas.  Romper com encaminhamento. Responsabilidades NASF – Equipes de Saúde da Família relativas à Saúde Mental  Responsabilidade pelo cuidado aos usuários de saúde mental do território. a lógica do  Reuniões interdisciplinares periódicas entre os profissionais da equipe. interdisciplinares .4.  Atendimento compartilhado por meio de consultas conjuntas. NASF e as redes de saúde de apoio social.  Planejamento e realização do diagnóstico da situação de saúde mental.  Integração entre equipes de Saúde da Família.

no território. equipes de Saúde da Família e o Caps. levando em conta que também é tarefa do Caps realizar ações de apoio matricial.5. .  Importante integração entre o Nasf. Articulação com a Rede de Serviços de Saúde Mental  Articulação com os serviços especializados. organiza o fluxo de atendimento e o processo de trabalho de modo a tornar horizontais as especialidades e permitir que permeiem toda a atuação das equipes de saúde. principalmente com os Caps.  Deve-se buscar integração permanente entre Nasf e o Caps.

.

realizando o acompanhamento clínico e a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho. psicoses.  Lugar de referência e tratamento para pessoas que sofrem com transtornos mentais. “Oferecer um atendimento à população de sua área de abrangência. lazer e fortalecimento dos laços familiares e comunitários. Serviço de saúde aberto e comunitário do SUS. neuroses graves.” .

. Prestar atendimento em regime de atenção diária.  Gerenciar os projetos terapêuticos oferecendo cuidado clínico eficiente e personalizado.  Regular o porte de entrada da rede de assistência em saúde mental de sua área.

 Encaminhamento e acompanhamento de usuários que moram em residências terapêuticas. .  Dispensa de medicamentos.  Projetos terapêuticos e comunitários. Direcionamento local das políticas e programas de saúde mental.

 Março 1986 em São Paulo: Centro de Atenção Psicossocial Professor Luiz da Rocha Cerqueira.  Um intenso movimento social por parte dos trabalhadores de saúde mental que buscavam uma melhoria da assistência.” .  Portaria GM 224/92 e eram definidos como “unidades de saúde locais/regionalizadas que contam com uma população adscrita definida pelo nível local e que oferecem atendimento de cuidados intermediários entre o regime ambulatorial e internação hospitalar.

num dado território. São regulados atualmente pela Portaria nº 336/GM de 19 de fevereiro de 2002 e integram a rede do SUS. .  Dar atendimento diuturno às pessoas que sofrem com transtornos mentais severos e persistentes. oferecendo cuidados clínicos e reabilitação psicossocial.  Essa Portaria reconheceu e ampliou o funcionamento e a complexidade dos CAPS.

.  Pessoas com grave comprometimento psíquico.  Pessoas com transtornos mentais severos e/ou persistentes.  Crianças e adolescentes com transtornos mentais. incluindo transtornos relacionados às substâncias psicoativas (álcool e outras drogas). Aquelas que apresentam intenso sofrimento psíquico.

 Caso a pessoa não queira ou não possa ser beneficiada com o trabalho oferecido pelo CAPS.  Sozinha ou acompanhada. . Procurar diretamente esse serviço ou ser encaminhado pelo PSF ou qualquer serviço de saúde. ela deverá ser encaminhada para outro serviço de saúde mais adequado à sua necessidade.  Acolhimento nas suas diversas formas.

É oferecida quando o sofrimento e a desestruturação psíquica da pessoa diminuíram.  Atendimento Semi-Intensivo: o usuário pode ser atendido até 12 dias no mês. . quando a pessoa se encontra com grave sofrimento psíquico.  Atendimento Não-Intensivo: oferecido quando a pessoa não precisa de suporte contínuo da equipe. Atendimento pode ser domiciliar. podendo ser atendido até 3 dias no mês. se necessário. Atendimento pode ser domiciliar. Atendimento pode ser domiciliar.O CAPS poderá oferecer. se necessário. conforme as determinações da Portaria GM 336/02:  Atendimento Intensivo: trata-se de atendimento diário.

.  Atividades artísticas.  Oficinas terapêuticas.  Atividades comunitárias.  Orientação e acompanhamento do uso de medicação. Psicoterapia individual ou em grupo. atendimento e aos familiares.

expressão corporal. monitores e/ou estagiários.  Oficinas geradoras de renda: servem como instrumento de geração de renda através do aprendizado de uma atividade específica. São atividades realizadas em grupo com a presença e orientação de um ou mais profissionais. fotografia.  Oficinas de alfabetização: esse tipo de oficina contribui para que os usuários que não tiveram acesso. costura. teatro. que pode ser igual ou diferente da profissão do usuário. etc. Ex: culinária. não puderam permanecer na escola. marcenaria. expressão musical. . As oficinas terapêuticas podem ser:  Oficinas expressivas: espaços de expressão plástica. expressão verbal.

.  Participando diretamente das atividades do serviço.  Os familiares são considerados pelos CAPS como parceiros no tratamento.Incentivando o usuário a se envolver no projeto terapêutico. tanto internas como nos projetos de trabalho e ações comunitárias de integração social.

 Associações comunitárias.  Realização conjunta de um evento especial.  Prestação de serviços.  Associações de moradores.A comunidade – serviços públicos das áreas:  Da educação.  Através de doações.  Voluntários.  Do esporte e lazer.  Clube de mães. .  Do trabalho.  Instrução ou treinamento em algum assunto ou ofício.

geralmente disponíveis em grandes cidades que atendem a clientela adulta. . CAPS I .São serviços 24horas.São serviços para cidade de pequenos porte que devem dar cobertura para toda clientela com transtornos mentais severos durante o dia (adultos.  CAPS II .São serviços para cidade de médio porte e atendem durante o dia a clientela adulta. crianças e adolescentes e pessoas com problemas devido ao uso de álcool e outras drogas).  CAPS III .

São serviços para crianças e adolescentes. Funciona durante o dia. CAPS ia . . em cidades de médio porte. que funcionam durante o dia.  CAPS ad .São serviços para pessoas com problemas pelo álcool ou outras drogas geralmente disponíveis em cidades de médio porte.

com presença obrigatória de psiquiatra. . desenvolvimento de atividades coletivas e individuais.  Deve ser compatível com o acolhimento. Todos os tipos são compostos por equipe multiprofissionais. psicólogo e assistente social. enfermeiro.

000 habitantes .000 habitantes . .rede básica com ações de saúde mental.  Municípios até 20.  Municípios entre 20.CAPS II. CAPS ad e rede de saúde mental e capacitação do SAMU.000 habitantes . CAPS ia.000 habitantes . De acordo o critério populacional e realidade local. CAPS III.  Municípios com mais de 200.  Municípios entre 70. CAPS ad e rede básica com ações de saúde mental.CAPS I e rede básica com ações de saúde mental.000 e 70.CAPS II.000 e 200.

 Regular a porta de entrada da rede de assistência em saúde mental de sua área. trabalho.  Promover a inserção social dos usuários através de ações intersetoriais que envolvam educação.  Gerenciar os projetos terapêuticos oferecendo cuidado clínico eficiente e personalizado. .Dar suporte e supervisionar a atenção à saúde mental na rede básica. cultura e laser.  Prestar atendimento em regime de atenção diária. esporte.

 Serviço Residencial Terapêutico. Programa de Volta Para Casa  Leitos de Atenção Integral em Álcool e Outras Drogas. .

 Os SRTS deverão estar vinculados aos CAPS ou outro serviço ambulatorial. São casas localizadas no espaço urbano constituídas para responder as necessidades de moradia de pessoas com transtornos mentais que perderam os vínculos familiares e sociais. que deverão contar com suporte profissional sensível as demandas e necessárias de cada um.  Usuários em cada SRT pode variar de uma pessoa até um pequeno grupo de no máximo oito pessoas.  Implantação de SRTS os municípios sede de hospitais psiquiátricos. .

o acompanhamento e a integração social fora da unidade hospitalar.  Pode ser beneficiário qualquer pessoa com transtornos mental que tenha passado dois ou mais anos internada. de pessoas acometidas de transtornos mentais com história de longa internação psiquiátrica. . Garantir a assistência.

.  Devem trabalhar com lógica da redução de danos com eixo central ao atendimento aos usuários.  O tratamento deve estar pautado na realidade de cada caso. Prevê a constituição de uma rede que articule os CAPS ad e os leitos para internação em hospitais gerais.

 Redução de internações de alcoolista e dependentes de outras drogas em hospitais psiquiátricos. Atendimento de casos de urgência/emergência relacionados a álcool e outras drogas (Síndrome de Abstinência Alcoólica. etc). . Overdose.

pdf>. SAÚDE MENTAL. gov.saude. Acesso em: 04 de setembro de 2012. .datasus. Disponível em: < saude mental@saude. Acesso em: 04 de setembro de 2012. Disponível em: < www. Acesso em: 01de setembro de 2012.brhttp://pvc. SAÚDE MENTAL.gov.br >.gov. Disponível em: <http://www.gov.ccs.br/saude_mental/pdf/SM_Sus. SAÚDE MENTAL.saude.br>. CAPS.MINISTÉRIO DA SAÚDE.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful