Você está na página 1de 2

Espermatozoide artificial

Cientistas criam sêmen a partir de células-tronco. Técnica pode


ajudar homens inférteis

Pela primeira vez, espermatozóides humanos foram criados em laboratório. O estudo,


de cientistas britânicos aumenta a esperança de que homens hoje totalmente inférteis
possam um dia ter filhos biológicos, mesmo sendo incapazes de fabricar o gameta
masculino. Os espermatozóides foram desenvolvidos a partir de células-tronco
extraídas de um embrião masculino de cinco dias.

A pesquisa, publicada na revista "Stern Cells and Development", levanta questões


éticas à respeito da segurança do procedimento e ao futuro do papel dos homens.

Alguns especialistas, no entanto, receberam a experiência com ceticismo. Eles


argumentam que não foram criados espermatozoides autênticos, mas células
semelhantes a estes.

Se a técnica desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Newcastle, liderados


por Karim Nayernia, se mostrar de fato viável, um único embrião masculino poderia,
em tese, fornecer uma linhagem de células-tronco; que, armazenada, seria usada
como suprimento ilimitado de espermatozoides. E teoricamente não haveria
necessidade de outros homens para reprodução.

Em resposta, os autores destacam que as células-tronco a partir das quais os


espermatozoides foram desenvolvidos só poderiam ser obtidas a partir de um
embrião masculino contendo cromossomo sexual Y (o masculino). Portanto, pelo
menos um homem seria necessário.

— Seria possível dispensar os homens. Mas só se você quiser produzir uma população
com o mesmo tamanho e forma, porque ela teria a mesma origem genética
masculina. Fazemos pesquisas para ajudar homens inférteis, e não para substituir um
processo reprodutivo — disse Nayernia.

Na experiência, os espermatozóides obtidos eram "plenamente maduros e


funcionais". Numa pesquisa paralela, ainda incompleta, o mesmo grupo está usando
células-tronco de pele para obter espermatozóides. Isso permitiria a homens estéreis
ter filhos biológicos.