P. 1
Placa Précordal – Membrana Bucofaríngea

Placa Précordal – Membrana Bucofaríngea

|Views: 3.775|Likes:
Publicado porrickcmvieira20010

More info:

Published by: rickcmvieira20010 on Jan 09, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/11/2014

pdf

text

original

14 dias

Placa précordal – membrana bucofaríngea

Recordando…

Dobramento do Embrião

22-28 dias

1

Aparelho Faríngeo, Bucofaríngeo ou Branquial
Branquial semelhante ao embrião de peixes com desenvolvimento compatível Forma-se inicialmente um aparelho branquial primitivo mas não se formam guelras

Componentes
 Arcos faríngeos  Bolsas faríngeas  Sulcos faríngeos  Menbranas faríngeas Estruturas embrionárias responsáveis pela formação da região de cabeça e pescoço

Ectomesênquima

Ectomesênquima
tecido de origem neural q passa a se comportar como conjuntivo

tecido de origem neural que passa a se comportar como conjuntivo

Tecido de preenchimento dos arcos faríngeos

Originam as estruturas da cabeça e pescoço

Ausência de expressão da família Hox determina região para formação da face

2

4a semana
Cinco primórdios da face

Face
1P. Prontonasal

1o Arco
2P. Maxilar 2P. Mandubular

Primórdios da face

Síndrome do Primeiro Arco

3

6ª semana

5a semana – proeminências

42 dias

4

Cartilagens da face

Músculatura Facial

Nervos da cabeça e pescoço

Vasos

5

Inervação

Fenda facial

50-51 dias de gestação

Plexo vascular do couro cabeludo

pálpebra olho narina boca Ouvido externo

Bolsas e arcos faríngeos

Fenda labial unilateral

Início da sétima semana gestacional

Lábio inferior

6

Arcos faríngeos Contribuem grandemente para a formação da face, das cavidades nasais, da boca, faringe e pescoço

Destino dos arcos faríngeos:

formação da face cavidades nasais boca laringe faringe pescoço

O 5 e o 6 arco são rudimentares e não são visíveis na superfície do embrião

7

Arcos faríngeos
Iniciam na 4 semana

ARCO Primeiro

MÚSCULO temporal, masséter, med. e lat. pterigóide, cintura ant. digástrico, miloióide, tensor tímpano, tensor palato Músculos da expressão facial, cintura post. digástrico digastric, estapédio, estilóide

NERVO Trigêmeo (raiz motora)

OSSO, LIGAMENTO, CARTILAGEM Cartilagem de Meckel, martelo, bigorna, ligamento esfenomandibular e ligamento do martelo Cartilagem de Reichert, estribo, processo estilóide, estilamento estiloiódeo, peq. grande corno do osso hióideo e ligamento estilohioídeo grande corno e parte inferior do osso hióideo Cartilagem tireóide, cricóide, aritenóide, corniculada e cuneiforme

Segundo

Facial

Primeiro

Segundo
Terceiro Estilofaríngeo Músculos laringe, faringe, palato mole Glossofaríngeo Ramo laríngeo do nervo Vago

Terceiro

Quarto e Sexto

Arcos faríngeos Contribuem grandemente para a formação da face, das cavidades nasais, da boca, faringe e pescoço
Internamente aos arcos encontramos as bolsas faríngeas

Bolsas Faríngeias, membranas e Sulcos
Meato auditivo externo

Brotos linguais mediano e distais Tiróide 1° bolsa – recesso tubo timpânico

Membrana timpânica Seio cervical 3° bolsa – timo

2° bolsa – tonsilas palatinas

O epitélio desta região é responsável pela origem do timo e glândulas exócrinas e endócrinas

3 e 4° bolsa – Paratireóide 4° bolda - corpo ultimo branquial – células parafoliculares da tireóide

8

Paratiróide ectópica Paratiróides

Tireóide

Formação dos primórdios glândulares a partir das bolsas faríngeas

Tubo auditivo

Cavidade timpânica

Amígdala Língua Laringe

Tireóide Corpo pósbranquial

Glândulas paratireóides Timo

Abertura da laringe – mesênquima do 4 e 6 arcos

9

Língua

Língua
Foramen cecum-tireóide

1o Arco 2o Arco - cópula 3o Arco e 4o arco Saliência hipobranquial

Malformações congênitas

Anomalias congênitas da língua: Anquiloglossia (língua presa): algumas vezes o freio é curto e estende-se até a ponta da língua (pode interferir na amamentação)
 

Lingua bífida (lingua e cobra)

*foto

10

Proeminências maxilares

6a semana- Processo palatino

Desenvolvimento do Palato e das Cavidades Nasais

7a semana- palato primário

11

8a semana

Corte histológico 54 dias

9a semana

10a semana

12

Palato primário

Palato Mole

Fissuras labiais e/ou palatinas

13

14

Fenda labial e palatina com protrusão da maxila

FOSSAS NASAIS
Corte longitudinal

O seios paranasais maxilares se desenvolvem no final do período fetal. Os demais apenas após o nascimento

15

Da 6 a 12 semana desenvolve-se o palato e a cavidade nasal

Cavidade Oral - Odontogênese

ectoderma

tecido de origem neural q passa a se comportar como conjuntivo

Importante interação entre os dois tecidos Indução Recíproca!!!!!

Sulco vestibular Arcos dentários

16

Na 5 semana o epitélio começa a invadir o ectomesênquima formando a banda epitelial onde será formado os arcos dentários

Iniciam as interações entre a ectoderme e o ectomesênquima

O germe dentário inicia sua formação

botão

capuz

campânula
Início da histogênese dental

coroa

raiz

17

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->