Resumo do Livro: A Odisséia narra as aventuras de Ulisses durante 10 anos de ausência ao lar, compondo de quatro partes a -se narrativa.

Na primeira parte aparece a Assembléia dos Deuses. Ulisses partira. Muitos eram os pretendentes da mão de sua esposa Penélope. Atena estimula Telêmaco para proteger sua mãe contra esse pretendentes. Entretanto os dias passavam e uma angústia, o desespero apodera-se de Telêmaco. Decide sair à procura de seu pai Ulisses, percorrendo Pilo e após a Lacedônia, porém sem êxito. Enquanto isso os pretendentes emsua casa lançam mão da emboscada. Na segunda parte, os deuses se reúnem, em assembléia, novamente. Após atender solicitação de Atena, Zeus dá o encargo a Hermes que ordene a Calipso permitir que Ulisses parta, após sete anos de retenção. Uma jangada é construída por Ulisses. Nela se encontrava navegando quando é colhido por uma tempestade. É atirado na Ilha dos Feaces. Adormece. Quem o encontra e dele procura cuidar, acolhendo em seu palácio é Náusica, a filha do Rei -o Alcinoo. Ulisses dá prova de sua forte compleição atlética quando participa no jogo da projeção dodisco que é promovido em honra de Náusica, saindo vitorioso da disputa. Sua volta à pátria estava prestes a concretizar -se. Na terceira parte é encontrado o relato de Ulisses sobre as suas aventuras. Sua partida de Tróia, o país dos Cicones dos Ciclopes, e os seus seis companheiros devorados. Também é relatado o episódio de Polifemo. Na Ilha de Eolo os ventos se encontram presos nos odres, que após abertos por seus companheiros, desencadea uma -se violenta tempestade. Circe transforma-os em porcos. Só depois de muita persuasão é que Ulisses consegue convencê-lo para quebrar o encanto. Seus companheiros voltam á forma humana. Ulisses é seguido pelas sereias. Após outras peripécias consegue finalmente alcançar a Ilha de Calipso. Na quarta parte há o retorno de Ulisses à Ítaca. Disfarça-se de mendigo. É reconhecido pelo seu filho Telêmaco na casa de Eumeu. Chega ao palácio, é menosprezado e sofre os maiores escârnios e ultrajes dos que pretendiam a mão de Penélope. Não é reconhecido por sua esposa. Soment Euricléia sua ama, consegue reconhecê-lo por uma e cicatriz, após banhar-lhe os pés. O grande banquete é preparado para disputar Penélope, porque prometera contrair matrimônio com aquele que fosse capaz de conseguir entesar o arco de Ulisses e após arreme ssar a flecha e atravessar doze machados. Tentaram, porém em vão, apesar da grande força que faziam. Só Ulisses o consegue. Causa pânico nos pretendentes quando abandona os andrajos, sendo reconhecido. Só após longa hesitação, Penélope finalmente se convence de que se trata realmente de Ulisses, o seu verdadeiro esposo. Ajudado por Telêmaco, Ulissses massacra os pretendentes. Suas almas são conduzidas por Hermes, nas profundezas dos infernos.

Telêmaco, filho de Odisseu, tem apenas um mês de idade quando seu pai sai para combater em Tróia, numa guerra da qual ele não quer fazer parte.[5] No ponto em que a obra se inicia, já se passaram dez anos após o fim da Guerra de Troia - que por sua vez durou dez anos - Telêmaco tem 20 anos e está dividindo a casa de seu pai ausente, localizada na ilha de Ítaca, com sua mãe e uma multidão de 108 arruacei os, "os pretendentes", cuja meta é r persuadir Penélope de que seu marido está morto, e que ela deve se casar com um deles. A deusa Atena, a protetora de Odisseu, discute seu destino com Zeus, rei dos deuses, no momento em que o inimigo do herói, o deus do mar, Posídon, se ausenta do Monte Olimpo. Escondida como um chefe táfio chamado Mentes, ela visita Telêmaco e o encoraja a procurar notícias de seu pai. Ele oferece sua hospitalidade, e ela pode observar o comportamento inapropriado dos pretendentes, jantando no meio de arruaças enquanto obardo Fêmio lhes interpretava um poema narrativo. Penélope opõe-se ao tema de Fêmio, o "Retorno de Tróia",[6] por lembrá-la de seu marido desaparecido, porém Telêmaco refuta suas objeções. Naquela noite, Atena, disfarçada como Telêmaco, encontra um navio e uma tripulação para o verdadeiro Telêmaco. No dia seguinte, este reúne uma assembleia de cidadãos de Ítaca, para discutir o que deveria ser feito com os pretendentes. Acompanhado por Atena (agora disfarçada como seu amigo, Mentor), ele parte para a Grécia continental, onde é recebido por Nestor, o mais respeitável dos guerreiros gregos de Tróia, já de volta a seu lar, em Pilos. De lá, Telêmaco parte por terra, acompanhado pelo filho de Nestor, para Esparta, onde encontra Menelau e Helena, já reconciliados; estes descrevem como retornaram à Grécia depois de uma longa viagem, que passou pelo Egito e, de lá, pela ilha mágica de Faros, onde Menelau encontrou o velho deus do mar Proteu, que o contou que Odisseu havia sido aprisionado pela ninfa Calipso. Telêmaco também descobre o destino do irmão de Menelau, Agamenon, rei de Micenas e líder dos gregos em Tróia, assassinado logo depois de retornar ao seu lar, por sua esposa Clitemnestra e seu amante Egisto.

Esta é persuadida a libertá-lo pelo deus mensageiro. Aretê e Alcínoo. que dá a Odisseu um saco de couro contendo todos os ventos (com a exceção do vento oeste). acaba naufragando. Odisseu se disfarça como um mendigo vagrante. Odisseu finalmente revela sua identidade. Após costearem a terra das Sereias. que veio com suas criadas lavar roupas à beira do mar. após alimentá-los com vinho e queijo. ele se esconde numa pilha de folhas e adormece. que havia alertado Odisseu a respeito de Circe. comida e bebida de Calipso. conta aos trabalhadores da fazenda uma história fictícia sobre si. pai e filho se e ncontram. Na manhã seguinte. que consegue chegar à ilha de Calipso. O primeiro é um incidente obscuro da Guerra de Troia. todo o vento voou para fora do saco. que lhe informa sobre s eu assassinato e lhe alerta sobre os perigos das mulheres (ver Nekyia para maiores detalhes do encontro de Odisseu com os mortos). e a tempestade resultante mandou os navios de volta para onde haviam vindo. desperto pelas risadas de garotas que se aproximam. viajando até encontrar o canibal Lestrigão. escapar. os feácios. Visitam então os letárgicos Comedores de Lótus. quando Ítaca havia acabado de aparecer no horizonte. que o encoraja a procurar a hospitalidade de seus país. que havia morrido de desgosto durante sua longa ausência. e o redemoinho Caribde. e testa suas intenções com uma história . Odisseu e as Sereias. vindo de Esparta. Lá. os homens de Odisseu o convencem que é hora de partir para Ítaca. Após pedir em vão para que Éolo o ajudasse novamente. ameaçada pela cobiça dos pretendentes. 1813-15 Após uma incursão pirática em Ismara. e Odisseu se identifica para o filho (embora ainda não para Eumeu). afirma ter nascido em Creta. um monstro de muitas cabeças. Em seguida Odisseu encontra o espírito de sua própria mãe. é bem recebido. Odisseu pede então a Demódoco que retorne ao tema da Guerra de Tróia. que conta sobre o Cavalo de Tróia. por obra de Posídon. enquanto o segundo é a narrativa de um caso de amor entre dois deuses do Olimpo. Hermes. e é obrigado a nadar até a ilha deEsquéria onde. no entanto. na terra dos cicones. e ter liderado um grupo de cretenses que lutaram ao lado dos gregos na Guerra de Tróia. Odisseu arrebatado pela canção de Demódoco. a "Disputa ente Odisseu e Aquiles". Telêmaco chega à sua casa primeiro. ainda fingindo ser um mendigo. Lá encontra também os espíritos de mulheres e homens famosos. Lá ele consegue chegar à casa de um de seus antigos escravos. guiado pelas instruções de Circe. de John William Waterhouse. nu e exausto. um estratagema no qual Odisseu havia desempenhado um papel crucial. no entanto. dela. passam por entre Cila.Odisseu e Nausícaa. seus marinheiros. com a exceção de Odisseu. Hermes. os homens de Odisseu ignoram os avisos de Tirésias e Circe. Enquanto isso. enviado por Zeus. Ares e Afrodite. lá. Depois de ouvir com grande atenção a história. vê a jovem Nausícaa. pensando que continha ouro. permanece no local por diversos dias. abrem de maneira tola o saco enquanto Odisseu dormia. são aconselhados por ela sobre as etapas restantes de sua jornada. Finalmente. dá a ele uma droga -se chamada móli. que o fazia resistente à magia de Circe. de Francesco Hayez. 1891. onde todos morrem afogados. Odisseu constrói uma jangada e recebe roupas. Encontra-se com Penélope. Após jantar. Trinácia. de onde teria vindo a Ítaca. fugindo de uma emboscada preparada pelos pretendentes. durante o qual festejaram. e abatem o gado sagrado do deus este sacrilégio lhes traz como punição um naufrágio. apaixonou por ele e libertou seus homens a seu pedido. senhor dos ventos. beberam e realizaram banquetes incessantes. Esta. e depois naufragado na Tesprócia. Incapaz de esconder suas emoções ao narrar o episódio. e decidem que os pretendentes devem ser mortos. e acaba indo parar junto à deusa-bruxa Circe. de Charles Gleyre. São recebidos por Éolo. na ilha de Calipso. Ao retornar à ilha de Circe. o pastor de porcos Eumeu. do qual escapa apenas após cegá-lo com um pedaço afiado de madeira. descobre pela primeira vez notícias de sua própria casa e família. onde Odisseu sacrifica aos mortos e invoca o espírito do velho profeta Tirésias para aconselhá-lo. que transforma metade dos seus homens em porcos. enquanto está em sono pesado. cruzam o oceano a atingem um porto na beira ocidental do mundo. para descobrir como estão as coisas em sua residência. um presente que deveria lhe ter garantido a viagem de volta para casa. Deixam-no à noite. participa de um pentatlo e ouve o cantor cego Demódoco executar dois poemas narrativos. Odisseu e seus companheiros reembarcaram nos navios e zarparam. e chegam à ilha de -sol. concordam em ajudar Odisseu a voltar para casa. Desembarca na costa de Ítaca e se dirige à casa de Eumeu. Telêmaco navega para casa. atraída por esta resistência. num porto escondido em Ítaca. Odisseu e sua tripulação permaneceram na liha por um ano. Odisseu que inicialmente não se identifica. e presencia as arruaças dos pretendentes. e começa a contar a fantástica história de seu retorno à Tróia. entre eles Agamenon. O navio de Odisseu acaba sendo o único a sobreviver ao ataque. que passou sete anos no cativeiro. Hélio. acompanhado por Eumeu. ninfa que o força a se tornar seu amante por sete ano até que ele consegue s. e que havia passado sete anos na corte do rei do Egito. e são capturados pelo ciclope Polifemo. A obra chega então à história de Odisseu. Odisseu pede ajuda a ela. Odisseu e seus doze navios são desviados do curso por tempestades. marinheiros experientes. Odisseu retorna ao seu lar.

hesitante. Sua identidade é descoberta pela caseira. Odis seu grita seu próprio nome. Equeneu. quando os outros ciclopes perguntaram a Polifemo que seu nome era o motivo de seus gritos. o aceita após ele descrevê-la a cama que teria construído para ela após se casarem. ou "inteligência astuta". Pontónoo. pai idoso de Odisseu. herói da guerra de Tróia e que quer voltar para junto dos seus familiares. um pastor. um dos pretendentes que copia tudo o que Antinoo diz. acrescenta que também havia estado recentemente em Tesprócia. Telêmaco. fruto de uma caçada a javalis. Odisseu então finalmente se identifica para Penélope. utilizando o arco de Odisseu . rei dos feácios. Penélope. Ítaca finalmente está em paz novamente. o senhor Posídon". e os outros assumem que "Se sozinho como você está [Polifemo] ninguém usa violência sobre si. Penélope convence os pretendentes a competir por sua mão. filho de Odisseu e de Penélope. Ulisses). Seus disfarces podem tanto ser físicos (alterando sua aparência) como verbais. O líder do grupo afirma que Odisseu havia causado a morte de duas gerações de homens de Ítaca . todos são mortos. com a ajuda de Atena. ele a faz jurar segredo. numa competição de arco-e-flecha. idem. e convence ambos os lados a abandonar a vingança.que participa da competição. segundo ele. A deusa Atena intervem pessoalmente. Nausícaa. o que o faz impedir o retorno de Odisseu a seu lar por muitos anos. Laodamante. isto enfurece o deus. e rezam para seu pai. contador lírico de histórias. um dos pretendentes o mais malvado de todos. Euricleia. Laertes. A falha mais evidente que Odisseu ostenta é a sua arrogância e seu orgulho. e. princesa dos Feácios. Odisseu passa então a disparar flechas contra os pretendentes.inventada sobre seu nascimento em Creta onde. e os pretendentes. Demódoco. prima de Helena de Tróia. quando ela lava seus pés e descobre uma antiga cicatriz que Odisseu tinha. esposa de Odisseu. . Eumeu. seus filhos. que. Posídon. que havia caçoado de Odisseu e o maltratado. Casa de Odisseu Odisseu (conhecido também pela forma latina. Euricleia. juntamente com Telêmaco. Eurimaco. No dia seguinte Odisseu e Telêmaco visitam a fazenda de seu velho pai. ele responde que "Ninguém" lhe está machucando. doze das criadas da casa que haviam feito sexo com os pretendentes. e. não há como escapar do mal enviado pelo grande [8] Zeus. a vence. no entanto. atleta. Odisseu ainda executa. onde fora informado sobre as viagens recentes de Odisseu. Hálio. e fugir após cegá-lo. atleta. Clitóneo. idem. desafiador de Odisseu nos jogos. planejandovingar as mortes dos pretendentes. após ser o único com força suficiente para dobrar o arco. Odisseu O traço heroico de Odisseu está em sua m tis. Laertes. como fez ao contar para o ciclope Polifemo (Oútis). seguem Odisseu e Telêmaco ao longo da estrada. então melhor rezar a seu pai. dizendo que ele cegou um de seus filhos. Euríalo. Esta sua inteligência se manifesta no uso de disfarces e em falas e discursos enganosos. "Ninguém". ou hubris. velho herói. À medida que ele navega para longe da ilha dos ciclopes. e a Odisseia é concluída. esposa de Alcínoo. Eumeu e Filoteu. ainda disfarçado. Ao ser interrogado. ele frequentemente é descrito como "Par de Zeus em Conselhos". que ele havia agora executado. ama de confiança de Odisseu. instigada por Atena. também executam o pastor de cabras Melâncio. desafiador de Odisseu nos jogos. No dia seguinte. após mutilá-lo. Telémaco. teria se encontrado com Odisseu. Areta.seus marinheiros. nenhum dos quais havia sobrevivido à jornada de volta. Anfíloo. irmão de Nausícaa. Casa dos Feácios Alcínoo. o deus do mar. Os cidadãos de Ítaca. porqueiro. aedo. ora. Antinoo. que também só aceita sua identidade após ver Odisseu descrever corretamente o pomar que Laertes lhe dera certa vez. Os ciclopes jogam então a metade superior de uma montanha sobre ele. e se orgulha de que ninguém pode derrotar o "Grande Odisseu".

Sereias. atraem os navegantes para sua ilha com um canto magnífico e depois os devoram. filha de Posseidon e Gaia.Marinheiros de Odisseu Baio Euríloco Perimedes Elpenor Deuses intervenientes Zeus rei dos deuses. povo fantástico que vivem próximo as regiões da Líbia na África e se alimentam somente de flores. Éolo deus dos ventos. Leucótea deusa marinha que salva Odisseu de um naufrágio. Monstros e criaturas Cila. Hermes mensageiro dos deuses. Hélios deus do Sol. que recebe Odisseu e seus amigos em sua ilha. Caríbdis. de sua cintura brotam 6 cabeças de cães famintos que devoram navegadores. Calipso ninfa marinha da morte que se apaixona por Odisseu. Posídon deus dos mares(maior inimigo de Odisseu). em particular Polifemo. . Circe deusa feiticeira. Antes foi uma mulher de apetite voraz. Zeus a transformou num monstro desforme e a aprisionou no fundo do mar. Ciclopes. filha de Hélios(a favor de Odisseu). Atena deusa da sabedoria(a favor de Odisseu). de onde ele abre a boca e suga as águas em imensos redemoinhos. ninfas do mar. de quem os companheiros de Odisseu mataram o gado. Lotófagos ("Comedores de Lótus"). filho de Possêidon e da ninfa Toosa. filhas da deusa Terpsícore e do rio Aqueloo. uma linda mulher que se esconde num rochedo.

Nausícaa e as servas a fazerem um jogo atirando uma bola umas às outras. Canto III Estada de Telemaco em Pilo Em Pilo. Assembléia dos deuses. Odisseu fica a rezar a Atena. o Posêidon (o Neptuno dos latinos) levanta uma tempestade para o fustigar. Canto VII Entrada de Odisseu no palácio de Alcínoo Nausícaa chega a casa. Telémaco vai a casa. Se ele cair nas suas boas graças é certo que regress a Ítaca porque os Feácios são ará óptimos construtores de barcos. Atena. Os Deuses na ausência de Poseídon (que odeia Odisseu) reúnem-se em Concílio e decidem que Odisseu deverá voltar à sua terra natal (Ítaca). Ele aproxima-se de Nausícaa. que Odisseu ainda estaria vivo em uma ilha. Emprestam. Vai a caminho da cidade dos Feácios e encontra uma garota que não é mais do que Atena disfarçada. Adormece num sono profundo providenciado por Atena. enquanto nadava para terra. Nausícaa Odisseu está a dormir. s Atena fala com Zeus acerca das mágoas de Odisseu. Canto VI Chegada de Odisseu ao país dos Feácios. Dá-lhe um véu para o proteger. No caminho passam por um bosque onde Odisseu dirige preces à deusa Atena. pede a Euricleia que lhe prepare provisões para a viagem. Hermes não encontra Odisseu na gruta de Calipso. Atena intercede para que os ventos se acalmem. Ela acede-lhe gentilmente às súplicas. esta não foge dele. Faz as preces ao espírito do rio. abusando da hospitalidade da casa. então cavalo a Telémaco para sua viagem. Disfarçada de Mentor. Depois de conseguir não chocar com os rochedos atinge a praia a nado. Nestor narra a Telémaco a viagem de volta da Guerra de Tróia. Proteus. e óleo para ele untar o corpo depois de se banhar no rio. Atena disfarçase de Mentes e vai falar com Telémaco para que este parta em busca de novas de seu pai. faz amor pela última vez com Calipso. Entretanto Atena entra num sonho de Nausícaa e diz -lhe para ir lavar a roupa ao rio. Atena desaparece. para acalmá la.Resumo dos Cantos Canto I Invocação à musa. Odisseu acorda. Eurimaco replica-lhe. viu-se obrigado a libertar-se das armas e das roupas para estas não pesarem). para se atirar aos joelhos de sua mãe e suplicar-lhe ajuda. Concorda em lhe ajudar a fazer uma jangada. Após narrar seu retorno de Tróia diz que ouviu do Velho do Mar. As servas de Nausícaa tratam de Odisseu. Telémaco fala com Nestor. Transformando-se em gaivota aparece-lhe e fala-lhe na proa da jangada. terra de Menelau. Antes de partir na jangada. Canto V A ilha de Calipso. Apesar de bem tratado Odisseu tem saudade da sua família. Iftima. Deita na floresta cobrindo-se de -se folhas. Hermes convence Calipso a libertar Odisseu. Odisseu pergunta -lhe onde fica o palácio de Alcínoo. Abandona a ilha depois de receber recomendações de Calipso (que vai usar quando f r descer ao Hades).ele então estende o véu sobre o peito e poe-se a nadar. Telémaco parte em procura do pai Telémaco convoca a assembleia de Ítaca para que lhe aparelhem um barco para poder ir em busca de alguma notícia de seu pai. Exortação de Atena a Telémaco. Festim dos pretendentes. Ela dá-lhe as . Os pretendentes de Penélope estão em festim. Prólogo e invocação à musa. Odisseu está retido na Ilha de Calipso. quer ir ter com ela. Odisseu está preso na ilha da ninfa Calipso. Em Ítaca os pretendentes planejammatar Telémaco durante sua volta. Nausícaa dá-lhe instruções para ele se dirigir ao palácio de seu pai (Alcínoo). Questiona onde -se estará. Canto IV Estada de Telémaco na Lacedemónia (Esparta) Telémaco e Pisístrato chegam à Lacedemónia. Atena providencia um barco e ambos partem (Telémaco e Atena). Antinous replica culpando Penélope. este encontra junto ao mar olhando o -se infinito nostalgicamente. Ino avista-o no meio da tempestade apieda-se dele e vai em seu auxílio. é acompanhado por s Pisístrato. apesar de sua esposa (Penélope) ser uma mortal. A jangada desconjunta-se. apesar de estar nu (Ulisses. Depois dão-lhe comida e bebida. filho de Nestor. Quando Nausícaa acorda dirige-se ao rio com as servas para lavar a sua roupa nos lavadouros do r Atena induz io. Telémaco replica e invoca a ajuda de Zeus. Hermes é enviado por Zeus para interceder junto de Calipso em favor de Odisseu. oferecemlhe um manto e uma túnica. Telémaco queixa-se do comportamento dos pretendentes. aparece a Telémaco e promete-lhe ajuda e acompanhamento. Odisseu. Odisseu põe na posição do -se suplicante para Nausícaa. Esteve dois dias e duas noites à deriva. Atena aparece em um sonho para Penélope na forma de sua irmã. Canto II Assembleia dos itacenses. Ela lamenta-se porque o ama e lhe tinha prometido torná-lo num imortal. mas nada sabe sobre o paradeiro de Odisseu. A jangada de Odisseu. Discurso de Aegipo.

Cantam o episódio picaresco de Afrodite a trair o seu marido Hefesto com Ares (Marte). Polifemo pergunta-lhe o nome ele responde eu sou "ninguém". que vivem sem lei e são trogloditas (vivem em cavernas). Odisseu teve que obrigá-los a embarcarem. Em cada nau morreram seis dos de Odisseu. canta o episódio do cavalo de Tróia. Ítaca). enquanto u Polifemo estava com o rebanho fora. chora e cobre-se com um pano para não o verem. e que a única coisa que o preocupa é voltar a casa. Os Feácios admiram a beleza de Odisseu. se calhar. Depois. dançarin e excelentes os cantores. onde propõe que se ajude Odisseu a voltar para Ítaca. para que ele não se esqueça dela e que é graças a ela que ele foi salvo. Eles perguntam: Por quem? Polifemo responde: Por "ninguém". Come-se. Odisseu pega na espada mas depois reconsidera porque não poderia depois abrir a entrada da gr ta para sair. que está cansado. inspirado. e pergunta-lhe por fim: quem é. Euqueneu. Odisseu afirma que não recusa nenhuma prova. afia-lhe a ponta e endurece-a ao lume. Saem todos para a rua. Odisseu fica irritado. Na prova de corrida Clitonéo destaca-se. Só Alcínoo repara nisso. Aparecem outros Ciclopes lá fora a perguntar-lhe o que lhe aconteceu. Hálio e Laodamante dançam. Oferecem-lhe estadia. As servas lavam Odisseu e untam-no com óleo. No dia seguinte os Aqueus e Odisseu penduram por baixo das ovelhas.indicações. . toldado pelo vinho. No banquete. e como foi parar ao país dos Feácios. Apaziguador. Alcínoo providencia uma arca com mais presentes para Odisseu. Odisseu. Este levanta-se aos gritos. Odisseu aconselhou os seus a se retirarem mas estes ficaram a beber o vinho e a degolar bois em abundância. não se apercebe do estratagema. No dia seguinte. Euríalo oferece uma espada a Odisseu. Ciclopes) Odisseu vira-se para o seu anfitrião. e que as tacteia por cima. Oferecem -lhe comida. Polifemo agradece-lhe o vinho e diz-lhe que. Na luta Euríadalo. o Polifemo cego que -se agarra nas ovelhas uma a uma para as pôr para fora. Alcínoo oferece a Odisseu o lugar de seu filho Laodamante. vai deixar Odisseu ser o último a ser comido. Depois de levantarem ferro. Aqui dá-se um dos episódios mais conhecidos da saga de Odisseu. Os ciclopes são homens gigantescos. Contra-atacaram rechaçando os Aqueus. Senta-se humildemente na cinza e aguarda. Mostram a Odisseu as artes do canto. Euríalo desafia-o com mais arrogância. O aedo canta episódios da guerra de Tróia. Os ciclopes são pastores de ovelhas. ela saúda-o. Odisseu fica maravilhado à porta do palácio. Odisseu segue envolto numa nuvem providenciada por Atena para que os habitantes da Feácia n o ão vejam. Alcínoo diz que as palavras de Odisseu são sábias e que os Feácios não são perfeitos no pugilato nem na luta. Assim. Canto VIII Odisseu no país dos Feácios Alcínoo leva Odisseu até à Ágora. lê a marca. corredores. Atena. Ele responde fui cegado. Odisseu. Fogem assim os que sobram para as naus ancoradas. Quando Polifemo dorme. No salto foi Anfíalo que se destacou. Odisseu não passa de um corsário dos mares. mas que são excelentes marinheiros. Aí Odisseu e os seus saquearam a cidade apoderando-se das mulheres e das riquezas. Diz-lhe quem é e de onde vem (Odisseu. Seguem para o palácio. toma a palavra e intercede por Odisseu. Polifemo volta e come mais dois Aqueus. Alcínoo diz a Euríalo para pedir desculpa a Odisseu pelas provocações de há bocado. Lotófagos. quer ver e falar com um ciclope. Odisseu afirma ao anfitrião que nas artes da dança não há ninguém como os Feácios. Os companheiros de Odisseu queriam ficar com os Lotófagos a comer lótus que lhes provocava o esquecimento. Um velho. Canto IX Relatos de Odisseu (Cícones. Este num acesso de raiva atira-lhes grandes pedregulhos que quase acertam nas naus Canto X Relatos de Odisseu (Éolo. Fugiram e deixaram os companheiros mortos na praia. Nausícaa e Odisseu fitam-se nos olhos. comovido. Odisseu oferece um pedaço de carne ao aedo Demódoco e gabalhe o canto. em retribuição da bebida. Os Lestrígones). Outra vez só Alcínoo viu as lágrimas de Odisseu. movido pela curiosidade. Odisseu oferece -lhe vinho. Todos se vão deitar. O aedo Pontonoo é chamado e fica no meio da sala do palácio para recitar. Odisseu entra no palácio e lança-se aos pés de Areta. Depois de nove dias de viagem arribamà terra dos Lotófagos (literalmente os comedores de lótus). o gigante adormece. E Odisseu tem outro momento de grande choro. E Odisseu o chão e comeu-os. onde é a sua terra. disfarçada de homem. Laodamante questiona se Odisseu saberá algum jogo. Vai contar a sua viagem desde que partiu de Tróia. com os seus amigos prepara uma grande vara. Aproximou-se dos Cícones que viviam na Trácia. O aedo. Os Cícones ent etanto r foram chamar reforços. Chegam à terra dos Ciclopes. Vão começar os jogos. ele que anda há tanto tempo longe da civilização. excepto com Laodamante que é seu anfitrião. Então Odisseu e os seus camaradas espetam-lhe a grande lança no olho. Suplica-lhe que o ajude a voltar a Ítaca. Pega num disco e atira-o mais longe que algum Feácio poderia atirar. Afirma que só tem receio de ser posto à prova na corrida porque está muito quebrado pelas desventuras e naufrágios no mar. porque estes são muito agressivos para com os estrangeiros. Odisseu a alguma distância da costa grita injúrias a Polifemo cego. Odisseu argumenta que não quer jogar. Alcínoo e diz-lhe que vai-lhe relatar as suas aventuras. Euríalo pica-o com soberba e alude que.

deve ir a morada de Hades e da terrível Perséfone. enquanto Odisseu dormia. embora com a perda de companheiros queridos. Eles desembarcaram e percor reram uma estrada lisa por onde carroças transportavam lenha das altas montanhas para a cidade. quando Circe quiser tanger se com sua longa vara. que na figura de um jovem lhe dá uma erva benéfica. a curiosidade dos companheiros aqueus foi maior e. ficaram presos em pocilgas. Odisseu sugeriu que dividissem em dois grupos: um -se seria liderado por ele e o outro pelo denodado Euríloco. ela fica com medo. Ele vai a casa de Circe. comerem e beberam. devorando o coração de fadiga e tristeza. o que provocou uma violenta tempestade. iria convidálo a se deitar com ela. no sétimo dia chegaram a cidadela de Lamos. Logo Éolo deduz que estes viajantes não eram queridos pelos deuses e portanto não mereciam ajuda. A ele Perséfone concedeu inteligência ainda após a morte. mas no caminho conseguiu abater um cervo. Numa clareira da baixada. Euríloco voltou correndo para o barco e contou o que havia acontecido com muito nervosismo. o adivinho cego. por ela enfeitiçados com drogas venenosas. de humana linguagem. pois ainda tinham muito presentes os infortúnios que passaram. Circe amedrontada. Odisseu disse que ele poderia ali focar. logo viraram em suínos. cuja mente continua viva. pois não poderiam trazer de volta os companheiros. O rei deu o alarme na cidade e de todos os lados vinham lestrígones aos milhares. Odisseu recusa-se a fazer o que ela quer antes dela libertar seus companheiros. Ela abriu a porta e os convidou a entrar. e sim o recebiam bem. construído de pedras polidas. No terceiro dia. Quando a tempestade acalmou. ele saca a faca. o ilustre Antífates. Perguntaram -lhe quem era o rei do local. menos Euríloco. afim de consultar a alma do tebano Tirésias. enquanto os outros adejam como sombras. O primeiro a lhe falar foi Polita. não pareciam homens e sim gigantes. mas este recusou de novo a ajuda. de ricas tranças. Euríloco insistiu para que fossem embora. os companheiros se reunirão e disseram a Odisseu que estava na hora de irem para casa. que pensou em lhes dar um triste fim. ela lhe dá a comida. da vara de ouro. mas que ele iria atrás dos companheiros. Os outros dois companheiros correram para o barco. subiu até o cume do monte mais próximo e de lá avistou uma casa no meio de um bosque. manda que vá para junto dos companheiros. Os homens ficaram muito alegres ao vê-lo chegar com a caça e fizeram um festim de carne e vinho na praia. mas que antes deve fazer outra viagem. Odisseu despachou uns companheiros para investigar quem ali morava. Rodeada de lobos e leões. o mais caro e precioso dos companheiros de Odisseu. deusa terrível. que descera a fonte para pegar água. que disse que a deviam chamar. abriram o saco. este. que vá. Depois das libações e das oferendas aos deuses. ele obedece. Ela chamou da praça o marido. Dali prosseguíram como coração pesaroso.Quando Ulisses chega à terra de Éolo. em Teléfilo dos Lestrígones. e tirariam a sorte para decidir qual dos dois exploraria a ilha. Canto XI Relatos de Odisseu (Evocação dos Mortos) Depois de um vento favorável providenciado por Circe. Odisseu dirige para a entrada do -se Inferno para descer ao mundo subterrâneo dos mortos e consultar Tirésias. que iam chorando temendo que lhes acontecesse o mesmo que com os outros companheiros. Dentro ouviam o canto de Circe que trabalhava a tecer uma grande trama. No entanto. ele deveria sacar de junto da coxa o gládio aguçado e fazer como se fosse atacá-la.Circe lhe diz que se assim deseja. mas que não fará efeito por causa da droga que ele estava lhe dando. pergunta sobre ele. Chegaram a Ilha de Eéia. Indo ao solar de Circe. todos entraram. mas os homens não ficaram animados com a idéia de explorar a ilha. Todos os companheiros foram com Odisseu. por fim lhe convida para se deitar com ela. Retornou a seus companheiros. onde vivia "Circe". Voltaram ao mar. Agarrou um dos camaradas e fez o jantar. Odisseu pegou sua lança e sua espada. Odisseu é abordado por Hermes. o . Eles começaram a jogar pedregulhos que atingiam os barcos e companheiros. de onde de facto saíram todos os maus ventos para a viagem. mas contentes de escapar à morte. a nau de Odisseu chega ao país dos Cimérios. Circe lhes deu comida de porcos. embora preservassem a inteligência. Odisseu foi falar para que Circe os deixa-se ir. Era a corpolenta filha de lestrígone Antífates. Enquanto isso os outros eram destruídos em massa. Encontraram diante da cidade uma moça com um cântaro. que suspeitou. dá-lhe um saco que continha todos os ventos que os podiam incomodar durante a sua viagem. Os homens aceitaram e o grupo de Euríloco partiu a frente de 22 homens. Ao entrarem na mansão se depararam com uma mulher tal alta que os encheu de pavor. Ele disse que Circe lhe dará comida com uma droga. Desembarcamos e deixamo nos ficar por ali dois dias e duas noites. como as deusas o fazem. acharam o solar de Circe. Ele não deveria negá-la nada. mortos. e assim por 1 ano ali ficaram.Eles não atacavam os companheiros de Odisseu. uma vez que não foram cuidadosos.Os companheiros voltam a forma humana. Serviu-lhe comidas com drogas e que provocavam esquecimento de casa. que somente os deuses conseguiam arrancar. Odisseu só lhes contou o que vira no dia seguinte. mas com a condição de nunca o abrir. Ela indicou a mansão de seu pai. para que só ele fosse inspirado. vendo que Odisseu era um homem de caráter elevado. Odisseu endereça uma prece aos mortos. Dito isso tirou do chão môli. Eles os fisgavam como peixes e levavam-os para o seu jantar. os fazendo em pedaços.Após um ano. voltaram atrás para de novo pedir ajuda a Éolo.Ela os recebeu todos bem. Odisseu rapidamente cortou as amarras de seu barco e rapidamente seus companheiros rapidamente remaram. (Note-se que o reino dos mortos.Circe lhe diz que bonha o barco a seco e volte com os outros companheiros para o seu solar.

Ariana. XI. Vão encontrar sucessivamente as Sereias. Circe responde -lhe que não. E se ele já se aproximou de Ítaca. Aqui acaba o relato de Odisseu aos Feácios que ocupou todos os capítulos IX. E que o pai ainda vive mas está muito apagado. O que nos lembra que estamos na corte dos Feácios a ouvir Odisseu contar (em analepse. Prócris. O corpo é sujeito a cremação numa fogueira. Podeidon fala com Zeus sobre o castigo que quer dar aos feáceos. trouxe-lhes carnes e vinhos em abundância.. convertê lo num ilhéu junto da terra firme . A mãe de Odisseu diz-lhe que Penélope continua fiel no seu coração a Odisseu. Os mortos começam a acumular-se em volta de Odisseu com gritos medonhos e este. tomados de medo prepararam os touros. Odisseu conta que encontrou mais personagens no reino dos mortos. Circe dá-lhes instruções para a viagem. Títio. Odisseu encontra o seu companheiro Elpenor. Que consta que são cânticos tão divinos que um mortal enlouquece e atira-se à água. Caríbdis. "dos mil ardis".. a mãe de Édipo. Assim o inteligente Odisseu consegue ser o único ser humano que ouviu o canto das sereias e que ficou vivo para contar. X. Cila e Caríbdis.Hades. Ájax. Canto XII Relatos de Odisseu (Sereias. Odisseu comove-se ante a sua aparição. fazendo rituais para acalmar os mortos." Ao ver isto. Sísifo (que levava um rochedo às costas ladeira acima que depois escorregava. XII e XIII. Zeus aprova lhe dizendo: "[.]quando o barco estiver singrando à vista de toda a cidade. que cause maravilha a toda gente . E que acabará numa velhice opulenta e que em sua volta os povos florescerão. Odisseu deixa o país dos Feácios. Areta. Os gregos não tinham a noção de Paraíso. despertando a ira de Poseidon por insistirem em tranportar os forasteiros que em sua terra chegam. Repare-se que isto é uma narrativa de encaixe dentro de uma história maior. Circe diz-lhe ainda que ele chegará a seguir à ilha da Trinácria (que quer dizer três montes. Encontra a sua defunta mãe Anticleia. O barco retorna à sua terra. Erifila. Alcínoo e todos os feáceos. e o reino dos mortos era um sítio onde apenas havia sombras. heróis e companheiros de Odisseu na guerra de Tróia. especialmente Odisseu. A Odisseia é um poema narrativo. Aquiles. puseram-se a orar a Podeidon. Mera. e já tendo consultado Tirésias que era a razão de ter descido àquele reino. Odisseu pede aos seus colegas que ponham todos cera nos ouvidos para não ouvirem o canto. retira-se. Bois de Hélios). Cila. tendo assim algumas características do género romance. Odisseu manda os seus companheiros à mansão de Circe para recuperar o corpo de Elpenor. Odisseu diz-lhe que lhe era necessário ir ao Hades para consultar Tirésias e que não chegou ainda a ítaca. um resquício triste do que as pessoas foram em vida). Avista ainda Minos. quer ouvir o canto imortal das sereias. Circe vai-se embora e Odisseu e os seus retomam viagem. Então Odisseu entra no mundo dos morto os seus companheiros ficam à superfície s.ilhéu em forma de ligeiro barco. . Que quando encontrar os Bois de Hélio não os deve molestar. Fedra. E que quando chegar a casa grandes preocupações virão porque haverá homens que pretendem a sua esposa e que dilapidam os seus bens. e que se o fizer grande mal acontecerá. os caudilhos e conselheiros do povo feáceo. Chega a Ítaca. tomado pelo medo. Tirésias prediz ainda que Odisseu matará os pretendentes. filha de Minos. Circe. Odisseu tenta abraçar três vezes a mãe mas três vezes abraça só um sonho. Clémene. Ifimedia. ou flashback) as suas aventuras até chegar ao reino de Alcínoo. Tirési s retira-se a para os fundos do reino dos mortos. Odisseu. Os feáceos o deixam em terra firme (este em sono profundo) junto com todos os presentes que ganhara dos feáceos. que corresponde à Sicília). Interrompe-se o relato de Odisseu. Além de Clóris. também chamado de inferno ou infernos é muito diferente do inferno dos cristãos. Depois avista Herácles (Hércules). que não deve estar sempre a pensar em feitos guerreiros (aconselha-lhe portanto temperança). não ignorando que Odisseu regressou do Hades. Entre as quais Jocasta. Canto XIII chegada de Odisséu a Ítaca O barco que transportava Odisseu chega a Ítaca. levanta ferros. e depois voltava a empurrá -lo eternamente). Depois pede que o amarrem ao mastro e que por mais que ele suplique que não o desamarrem. A mãe de Odisseu pergunta-lhe como foi ele capaz de chegar até debaixo do mundo. Depois Odisseu avista várias princesas. Odisseu retira-se para a superfície e. chegando junto dos companheiros.e também rodear sua cidade com alta montanha que a esconda. Odisseu questiona que se puder evitar Caríbdis poderia atacar Cila. Tântalo (que tinha o suplício de estar preso de pé num lago a morrer de sede sem conseguir beber). de pé em torno de um altar. Leda. Depois encontra Tirésias e recebe os seus conselhos/profecias: Poseídon tentará tudo para que Odisseu não regresse a casa.

mas que em breve o filho do amo passaria por ali e lhe daria roupas novas. Líbia e Creta onde pereceram todos os companheiros tendo sobrevivido do naufrágio agarrado ao mastro da nau e sido arrastado até Tesprócios. que o amo está vivo e que no decurso do mês. pobre viajante. Eumeu diz que naquele momento também está preocupado com Telémaco que partiu para Pilos à procura do pai e que os preten dentes lhe preparam uma emboscada para o regresso. completamente diferente de sua figura. . não de uma maneira vulgar. chegará a Ítaca." Tradução da "Odisseia" por Frederico Lourenço lhe dissera Atena que encontraria Eumeu. Mas que antes Odisseu deve procurar o porqueiro que guarda os porcos dele e que gosta de Penélope e Telémaco. depois. Mas diz que alguns moços esperam Telêmaco de tocaia em Ítaca. Ulisses ficou muito agradado sobre tudo o que ouviu do porqueiro. Eumeu dirige-se a Ulisses e. aconselha -o como evitar a emboscada dos pretendentes e que ao desembarcar em Ítaca visite. a bela Helena. Pergunta á Atena. Odisseu fica feliz por voltar. começando por pedir que Eumeu lhe fale sobre o amo pois. Eumeu responde que tudo o que qualquer viajante possa dizer sobre o amo é para tirar disso benefícios e está convencido que o amo morreu. Canto XIV Conversa de Odisseu com o porqueiro Eumeu " Porém Ulisses subiu do porto por caminhos agrestes. talvez lhe possa dar alguma informação útil. Foi recolher os porcos. um dos servos mais zelosos de Ulisses. Eumeu mata dois porcos para a ceia do estrangeiro. Egipto. a refeição com vinho doce. polvilha a carne com cevada branca e põe-a a grelhar em espetos. Seguiu-se um jantar com carne e vinho. Atenas diz que cuidou dele e que conseguiu assim renome. Inicia então um relato fantasioso da sua vida. Fenícia. Odisseu cobra de Atena por que deixou que seu filho o procurasse sem rumo. que está sendo bem cuidado no palácio do filho de Atreu e é servido com abundância. Atena vai a Lacedemôniaem busca de Telémaco. Enquanto conversavam uma águia voou do lado direito o que significava bom presságio que a própria Helena decifrou dizendo significar o regresso de Ulisses a casa onde castigará os pretendentes. Odisseu não acredita. o porqueiro que levará a notícia do seu regresso à mãe. que lhe falou de Ulisses e o informou ter uma nau pronta para levar este a Dodona onde ouviria a vontade de Zeus sobre o seu regresso a casa. Telémaco inicia o regresso por Feras. Disse que Odisseu deve contar-lhe tudo enquanto ela vai a Esparta chamar Telémaco.. acompanhando. Ele. Atena puxa assunto com Odisse sobre a sua vingança u com os abusados pretendentes. Eumeu profere considerações de reprovação contra o comportamento dos pretendentes de Penélope. tendo passado a noite em casa de Díocles e embarcado na manhã seguinte. filhas de Zeus. onde foi recolhido pelo rei. Ulisses diz-lhe. O viajante faz novos relatos e pediu uma capa ao que Eumeu responde que eles não tinham roupas para além das que vestiam. Quando chega os cães recebem-no com grande alarido. Eumeu comove-se com o relato mas diz não acreditar estar Ulisses com vida. entre o quarto minguante e a lua nova. Príamo. mas conseguiu libertar-se e fugir quando a nau atracou a Ítaca. sendo ele muito viajado. Fez a cama de Ulisses e saiu para ir dormir junto dos porcos. faz referências elogiosas ao amo que partiu e convida o visitante para o seu casebre enquanto tece considerações sobre a justiça dos homens e sobre os prejuízos que tem sido causados ao seu falecido amo. onde Zeus esteve contra ele. os pretendentes. Atena bola um plano para que o engenhoso Odis seu possa reaver seus bens e sua família. embarcou numa nau que partia para Dulíquo e. sem o reconhecer. mas sob juramento. para que não seja reconhecido. cortar lenha e matar um porco para a ceia. Atenas assume a forma de uma bela mulher e lhe fala. Atena toca Odisseu com uma vara e o transforma em um morimbundo. Segue-se a vez de Ulisses falar. o divino porqueiro. por má deliberação da tripulação foi feito prisioneiro e pretendia vendê-lo como escravo. realçando os feitos de guerra em Ilion (Tróia). em primeiro lugar.. Na hora do embarque aproximou-se de si Teoclímeno que lhe fez perguntas sobre o propósito da sua viagem e lhe pediu para embarcar ao que ele acedeu. Primeiro faz Odisseu guardar os presentes em uma gruta que era onde Odisseu orava as ninfas náiades. após por todos os presentes lá Atena fechou a entrada com uma laje. Atena diz que o transformará em um mendigo repugnante a quem lhe vê.Odisseu acorda sem saber onde está. Telémaco pede auxílio a Menelau para a viagem e recebe uma oferta das mãos da mulher de Menelau. Eumeu pede ao viajante que lhe conte as desgraças que sofreu ao que Ulisses responde que tendo comida e vinho poderá falar-lhe sobre isso durante um ano. Canto XV Chegada de Telémaco a casa de Eumeu Atena recomenda a Telémaco que regresse a casa onde Penélope está a ser pressionada a casar. através de um terreno arborizado por cima das serras até ao lugar onde lhe dissera Atena que encontraria. que disfarçada de pastor lhe diz que está em Ítaca. Mostra sua terra.

Lá Penélope. disfarçado de velho mendigo. Eumeu . a primeira a ver Telémaco foi a ama Euricléia. Telémaco teme que a idéia de Odisseu de testar um a um o povo de sua terra demore e que enquanto isso sua casa continue sendo alvo de desrespeito. O Porcariço recebeu com muito carinho o querido Telémaco. pois Odisseu iria por todos à prova. doze. o trata por paizinho devido ao carinho que este lhe tem. Telémaco não deveria interferir mesmo que maltratassem Ulisses. tomasse banho e vestisse roupas limpas. Telémaco responde que nada pode fazer.e . Eurímaco responde -lhe que não se preocupe pois ninguém tocará em seu filho. como Atena lhe disse. Pediu que ao seu sinal Telémaco pegasse as armas de guerra existentes no solar e as levasse para o fundo da sala de armas. Ao chegar em sua casa. também fenícia. O porcariço pergunta se deve avisar Laertes também. De Dulíquio são cinqüenta e dois moços de escol. mas muito choroso pela morte da esposa e ausência do filho. de Zacinto vinte filhos de aqueus. Ulisses diz que é seu pai. Conta depois que é originário da ilha de Síria onde reinava o seu pai Ctésio. Enquanto isso. Atena aparece para Odisseu. Porém. Para experimentar Eumeu.Entretanto no casebre do divino porqueiro jantavam o forasteiro (Ulisses) e os outros servos. mas Ulisses explica que Atena o ajudou e como chegou até lá. um de lanças e um de escudos de couro à mão para eles. prefere consultar o oráculo e se. Os pretendentes vêm o barco vindo e se reúnem planejando a morte de Telémaco. se entendeu para o raptar. logo Odisseu viu que era seu filho que chegara. filho de Eupites fala: quer que matem Telemaco. Telémeco disse a mãe que subisse. este consentir ai sim matá-lo. diz que deve dizer a verdade a Telémaco. Penélope ficara sabendo que o filho havia retornado. considera a ideia perigosa e recomenda-lhe que aguarde a chegada do filho de Ulisses. fracassará. Ulisses pede que Eumeu conte a sua história ao que este diz ir responder no dia seguinte pois há um tempo próprio para cada coisa. Queria saber quais realmente gostavam dele e ainda eram fiéis a sua lembrança. Canto XVII Telémaco volta à cidade de Ítaca Na manhã seguinte. o forasteiro pede para ir à cidade e manifesta a intenção de visitar Penélope no palácio de Odisseu onde se proporia fazer os trabalhos em que é sabedor tais como rachar lenha trinchar a carne e servir os vinhos. que os pretendentes continuam em sua casa. ou se Atena e Zeus lhe bastarão. Telémaco teme que precisem de ajuda: "Os pretendentes não são apenas uma dezena ou duas. o arauto. Que ele só deixasse um par de adagas. como não era de costume. Odisseu pede que Telémaco veja se precisarão de ajuda. O porcariço lhe conta que é um viajante sem rumo e que seu destino é vagar pelas cidades(Era a história que Ulisses havia lhe dito). Telémaco não acredita.E queninguém soubesse que Odisseu estava em casa. são vinte e quatro varões de Same. Ao entardecer Eumeu voltou e Odisseu já havia posto trajes de mendigo para não ser reconhecido. hábeis trinchões. Quando criança aportou à sua ilha uma nau de fenícios com quem a sua ama. ela o abraçou e ficou emocionada. sendo que ele próprio pensara em sua morte. Telémaco fala com o porcariço. Canto XVI Telémaco reconhece o pai Odisseu Ao chegar na casa do porcariço os cães fizeram festa para Telémaco. mais o divino aedo e dois servidores. Entretanto Telémaco chega a Ítaca onde diz aos companheiros para seguirem no barco enquanto ele irá por terra visitar uns pastores. quando um homem poderoso fosse dado como morto a esposa deveria escolher o pretendente mais nobre para ocupar seu lugar). A ama morre na viagem e ele chega a Ítaca onde Laertes o comprou e criou com amabilidade. perguntou o que este soubera do pai em sua viagem a Pilos. este aparece para Telémaco que assustado pensa ser um deus. Antínoo. Odisseu. pois há muitos nobres da região que desejam ocupar o lugar de seu pai (pela cultura da época. todos fidalgos. Telémaco. acompanhados de seis servidores. trazido pelos feáceos. Telémaco disse a Eumeu que iria retornar à sua casa e rever sua mãe. Ulisses pede que Telemaco lhe conte quantos são os pretendentes e como são para poderem articular umavingança. disfarçado de miserável acompanhava a conversa do filho. pede que o porcariço avise Penélope que ele chegou de Pilos e está bem.repartam seus bens e que Penélope escolha com quem casará e este ficará com a casa. Telémaco pede que o porcariço cuide do forasteiro. disse que levasse o forasteiro para mendigar na cidade. Atena transforma Ulisses em sua antiga forma." Telêmaco teme que se Ulisses sozinho quiser se vingar de todos. aparece e repudia Antínoo por planejar a morte de seu filho. A proposta agradou os pretendentes que foram até a casa de Odisseu.Em seguida Penélope veio emocionada ao reencontro do filho. e com eles se acha Medonte. e conta-lhe seu plano: mais tarde o porcariço iria levá-lo à cidade. Um falcão segurando uma pomba com as garras voou do lado direito no que Teoclímaco vê bom augúrio. aquide Ítaca. O porcariço conta o que está acontecendo em Ítaca. Telémaco pede que peça a uma criada para avisá-lo. Ulisses pergunta por que Telémaco deixa que os pretendentes abusem de seus bens. Anfínomoteme matar alguém de sangue nobre. Que se perguntarem desse uma desculpa que as armas estavam se degradando por causa da fumaça. Odisseu acompanhou o movimento do convidado com cautela. O forasteiro pede que o porqueiro lhe fale dos pais de Ulisses tendo sabido que Laertes está vivo. Eumeu vai avisar Penélope. Telémaco calça as belas sandálias e caminhou veloz a caminho da pocilga. por que o velho estava triste e solitário desde a partida do neto.Telémaco pergunta de onde era o forasteiro(Ulisses).

Canto XXIII Penélope reconhece Odisseu Euricléia vai acordar Penélope. que nada pode fazer. apenas ouvi o gemido dos que iam morrendo. Canto XXI O arcko Canto XXII O Massacre dos Pretendentes.Ulisses aplica uns golpes. Telémaco lhe conta de sua viagem. A rainha põe à prova a sinceridade do mendigo. Todos se suprendem quando Ulisses tira a camisa e mostra um corpo bastante musculado. Nós outras sentava -mos apavoradas no fundo dos bem construídos aposentos. viram Melântio que ia levando cabras para o banquete dos pretendentes. por Menelau (onde viu a bela Helena). conta que ouviu que de Menelau que Ulisses estava prisioneiro na Ilha de Calipso e não conseguia voltar a Ítaca. Depois de os pretendentes terem saído. Penélope ordena à velha Euricléia que lave os pés do mendigo. O porcariço e Odisseu apressam para chegarem logo à cidade. Ulisses acaba por condescender: Penélope ouve com emoção a narrativa do hóspede.Penélope deseja saber o que lhe disseram sobre o regresso de Ulisses. Após essa notícia Telémaco voltou para casa. Aproxima-se a hora do castigo. Penélope diz que Euricléia está insana e lhe causou de ter ela lhe acordado dos melhores dos sonos que já teve. O Cabreiro Melântio quer expulsar de casa o estrangeiro. Ulisses pede a Zeus que lhe envie dois presságios: sua prece é atendida. Encontra Pireu. levanta a voz e prediz a desgraça que impende sobre os pretendentes. fechadas sobre nós as bem ajustadas portas. querida filha. mas guardava segredo para que o pai se vingasse. que ele estava guardando em sua casa. -se Ao chegares. O forasteiro porém lhe diz que interpretou no vôo de uma ave que avistou que Odisseu já estava em sua terra. Telémaco e o forasteiro banham-se. Penélope tem esperanças. Propõe-se com a aprovação do mendigo. Atena guia-o. veio chamar-me. que disse-lhe que buscasse os presentes que recebera de Menelau. Euricléia diz como Odisseu matou os pretendentes: Não vi nem perguntei.prometesse imolar hecatombes na esperança de que um dia Zeus permita a consumação de vingança. que desistem do projeto de matar Telêmaco. Telémaco diz que prrefere que eles fiquem com Pireu por enquanto. insiste de novo. Deparei então. Penélope interroga o estrangeiro acerca de sua naturalidade e. Este fala. estabelecer um concurso entre os pretendentes casará com o : encedor. Penélope lamenta sua desgraça. que lhe anuncia o próximo regresso de Ulisses. o teu filho. As escravas procedem a limpeza da casa. por haver insultado o mendigo. para surpresa de Odisseu este lhes dispreza e ofende. Canto XX Preparação para o massacre dos pretendentes Ulisses não consegue dormir. empunhando um facho. mas contém-se e comtemporiza. Penélope repreende a escrava Melanto. O banho de pés. Euricléi reconhece Ulisses por uma ferida que ele tem na a perna. onde as pessoas o cercam querendo revê assim como os pretendentes -lo. onde o banquete estava sendo servido Canto XVIII Pugilato de Odisseu e de Iro Iro insulta Ulisses. Odisseu de pé cercado dos corpos dos mortos. mas Melântio ainda diz que ficaria feliz se Telémaco também morrese. chegando a dar um pontapé nas nádegas de Odisseu. Ulisses manda que seu filho esconda as armas que houver no palácio. Penélope obedece. conversando com Telémaco. Odisseu voltou e está em saca. Canto XIX Conversas de Odisseu com Penélope. Euricléia diz-lhe que Odisseu era o forasteiro e que Telêmaco já sabia. para veres com os teus olhos o que desejaste dia após dia. Sacrifício e refeição. O porcariço o defende e diz que Odisseu deveria voltar. Agelau exorta os pretendentes a que se mostrem calmos. mas veio e exterminou os arrogantes pretendentes.e parte o queixo a Iro. até que Telêmaco. Telêmaco dirige-se à assembléia. que afligiam sua família. Atena adormece-o. A noite chega. Os pretendentes jogam. Ulisses intima-lhe que guarde silêncio. os pastores chegam.Chegaram a casa. é hora do jantar. os pretendentes vão comer o banquete na mansão.Os pretendentes combinam um combate entre os dois mendigos. Como foi bem recebido na casa de Nestor. hóspede da casa. trazendo suas vítimas. e aconselha Telêmaco a apressar o casamento de sua mãe. Penélope dá um salto da cama alegre. em . devoravam sua fortuna e oprimiam seu filho. Teoclímeno. Sente-se tentado a punir as escravas. Penélope conta a Ulisses um sonho que parece anunciar o regresso do esposo. com medo que os pretendentes o matassem e se apoderassem dos bens. diz que seu esposo se encontrava na casa: Acorda Penélope. tardou. Um sinistro presságio inquieta os pretendentes. mandado do salão pelo pai. estes. perante recusa dele em responder. que declara ter visto Ulisses em Creta. como dono da casa: ninguém insultará impunimente seu hóspede. o pastor Filécio interessa pelo infeliz -se estrangeiro e fala-lhe de Ulisses em termos comovetes. que fingiam afetividade por ele. Telémaco vai para fora da casa.

disse que era de família itacense e que seu pai era Laertes. Aquiles fala a Agamêmnon. Odisseu diz que irá ver seu pai Laertes com o porcariço. Hoje. a ti e ao filho. enquanto ele existir. acendeu um grane fogo e mandou-me aqui chamar-te. Penélope diz que se aquele for Odisseu ela saberá. Convence-o de que é seu filho pela cicatriz na perna e pela descrição do pomar de Laerte. Antíloco. Agamêmnon. em sua casa (foi m orto em Ítaca pelo amante de sua esposa após regressar de Tróia). o mal de seus próprios desatinos. Agamêmnon reconhece Anfimedonte (um dos pretendentes) e lhe pergunta o que houve. Almas ali presentes: Aquiles. diz que parece mau cuidado por seu patrão. Odisseu sai em busca de Laerte. fizeram oferendas. Odisseu fala sobre as futuras provações que passarão ainda. Penélope vai ao encontro de Odisseu. espectros dos finados. no fundo do coração. Anfimedonte explica o que houve (desde o começo). pois. vindo de longe. onde habitam as almas. ele foi cremado em roupas de deuses. Por fim chegaram ao Vergel dos Asfódelos. Euricléia fala da cicatriz de Odisseu. jaziam amontoados uns sobre os outros no chão duro. Penélope se nega a acreditar que é Odiseu. Telêmaco reclama por que a mãe não reconhece o esposo. Pergunta quem é o seu dono. o vaqueiro e o porcariço param a música do aedo e se deitam. mas lhe explica que não queria mais se enganar. Disse para lavá-los. Tomada essa decisão. Para lhe testar Odisseu vai de encontro a Laertes. e tomou vingança em sua própria casa de todos os pretendentes causadores de tanto mal. Hermes de Cilene ia chamando a alma dos pretendentes. Eles obedecem as ordens. Odisseu se sente ofendido com tais palavras e pergunta quem teria mudado seu leito de lugar.contando-lhe por miúdo como viera e chegara à terra pátria. Odisseu se comoveu e lançando-se a ele. e ainda ao voltar para casa foi morto por Egisto. sendo assim seu senhor injusto. pareceu-lhe melhor partido experimentá-lo primeiro com desaforos. Laertes lhe diz que ele está mesmo em Ítaca. vosso longo desejo se realiza. que Penélope havia desposado enfim algum dos pretendentes. seu pai. Telêmaco e o vaqueiro Canto XXIV O mensageiro Hermes convida as almas dos pretendentes a entrar no Hades (espécie de inferno). abraçou-o e beijou-o e disse que ele era seu filho e que havia matado os pretendentes. assim como Penélope. Ocorre o reconhecimento e ambos festejam. Argeifontes traz as almas dos pretendentes ao vê-los Agamêmnon e Aquiles foram ao encontro deles. pede desculpas. forasteiro. Quando o avistou acabado de velho e com grande tristeza na alma. diz que certo algum deus teria matado os pretendentes sofreram. Os que estavam fora da mansão acreditam ao ouvirem a música. o divino Odisseu atribulado parou sob uma alta pereira. que o seguiam dando gritos. o divino Odisseu caminhou direto a ele. Agora se acham todos empilhados às portas do pátio e Odisseu. Odisseu e Penélope vão para a cama. Laertes estava de cabeça curvada cavando ao redor duma árvore. Laertes entristeceu. entre ir abraçar e beijar o pai. Disse-lhe que certa vez hospedou em sua casa um homem. encontrouvos no solar. Laertes lhe fez várias perguntas sobre a origem daquele homem. Odisseu chega a fazenda de Laertes. Retoma os eventos dizendo que Aquiles sempre será lembrado. Que o aedo (poeta) toque a sua lira para que ninguém desconfie da matança antes deles irem para a fazenda. A cena houvera de aquecerte o coração. Refletindo. Depois foi ao encontro de Penélope. mas que Laertes é muito esforçado. pois que muita adversidade sofrestes. Amanheceu mais tarde (devido aos deuses que deixaram o casal mais tempo juntos na cama). Atena o embelezou (parecia um deus). profetizadas por Tirésias (no Hades). a fim de pordes ambos o coração na senda da alegria. por túnicas e que as servas os vestissem com roupas escolhidas. lhe deu muitos presentes como de costume. alguns até a julgam por não ter esperado por Odisseu! A despenseira banhava e untava de óleo Odisseu. Odisseu perdeu seu regresso de longe da Aquéia e pereceu ele próprio . Odisseu diz que Penélope tem o coração mais duro de todas as mulheres. Penélope pede para que Euricléia leve a cama feita por ele para fora para ele dormir ( Penélope arma essa armadilha para ver se aquele era mesmo Odisseu). Odisseu fala para Telêmaco meditar sobre os pretendentes que haviam matado (os moços de melhor linhagem de Ítaca). não sabe em que acreditar. Laertes lhe perguntou quando havia estado com seu filho mal-afortunado (que havia passado por tantas desgraças). enquanto ele nada ganhou com a guerra. Laertes pede uma prova Convence-o de que é seu filho pela cicatriz na . disse Penélpe. Vem portanto. Odisseu conta por tudo (relata resumidamente por todos povos e desgraças passou) que passou enquanto esteve fora. enfim. ocupado com a defumação da bela casa pelo enxofre. Hesitou em seguida. Lá pensaremos que socorros o deus do Olimpo nos há de proporcionar disse Odisseu. Aquiles lamenta a morte dele. Penélope então se convence que aquele é Odisseu. Odisseu lhe canta mais uma de suas engenhosas mentiras a fim de lhe por à proa. Elas descem dos aposentos superiores. derramando lágrimas. ou interrogá primeiro e submetê-lo a provas -lo minuciosas. Já Agamêmnon fala do glorioso enterro de Aquiles (onde veio sua mãe do mar com as nereidas. ele regressou vivo ao lar. Telêmaco. Ájax. pois ele conta como ele mesmo o fez com muito esforço e que seria necessário um deus a mudá-la de lugar ou alguém cortar o tronco de oliveira que a sustenta. ele diz que irá se deitar sozinho . Odisseu diz que viu o filho de Laertes (ele mesmo) pela última vez a 5 anos e que ele zarpou em paz ele esperava que trocassem presentes no futuro. Penélope está confusa. assim como as nove musas) choraram por 17 dias .seu redor. porém os homens insolentes se apossaram dela(os pretendentes).

filha de um pai poderoso. Mas mais da metade dos que ali estavam. os 4 de Odisseu ( Telêmaco. Assim. Laertes desmaia em seus braços de tanta emoção. que.iam se juntando na praça com luto no coração. senhor de Égide. itacenses. Na cidade. Ao vê-la Odisseu diz a Telêmaco que é sua vez que honrar o nome da família. primeiro falou Eupites.. deusa de olhos verde -mar. N a casa de Laertes após todos comerem. Telêmaco diz que assim o fará. Laertes se alegra ao ver os homens da família juntos. Dóliio festeja sua volta.Odisseu ia à frente. para que vos possais separar quanto antes sem derramamento de sangue. contava sobre a chacina dos pretendentes. Odisseu diz-lhe para não se preocupar com aquilo agora. o ancião Haliterses lhes fala. perguntou sobre o que acontecerá com Odisseu. mandavam os de outras cidades para suas casas de barco. filha de Zeus. . afinal. se agaste comigo. Um filho de Dólio avisa que estão perto. progênie de Zeus. de voz longe ouvida. Atenas. Vaqueiro e o porcariço lhes prepararem uma refeição. por fim. Odisseu e Telêmaco matam vários da primeira fila e matariam todos se Atena não interferisse. deixando cair as armas no chão e foram à cidade com desejo de viver. que pediu para Telêmaco. que ele já aguardava). iam se vingar de Odisseu. sou. pergunta se Penélope já sabe. Então. o porcariço. Assim falou Atena e um pálido terror se apossou deles.Laertes teme a vingança dos familiares dos pretendentes mortos. Formou uma -se assembléia. se não queres que Zeus. Entretanto. Atena ordena que Laertes atire bem alto a sua lança. cessa o combate duma guerra funesta e ambos os lados. o vaqueiro..perna e pela descrição do pomar de Laerte. sustei. releguemos ao esquecimento o morticínio dos filhos e irmãos para que se estimem mutuante como antes e sobeje riqueza e paz. o filho de Crono vibrou um raio fumerante. alegrando no seu coração. Assim falou Atenas. Assim Atena desceu do Olimpo. a penosa batalha. pai de Antínoo ( o 1° a ser morto). disse que os pretendentes morreram devido ao desrespeito com a casa de Odisseu e que os outros (eles) não deveriam procurar vingança. depois de solenizarem um juramento fidedigno. ele diz que é pr eciso uma vingança pelas mortes dos parentes. Uma multidão vinda de todas as partes foi para frente da casa de Odisseu. pois essa seria a sua desgraça. que via ao lado dele um deus parecido com Mentor. A serva Sícula banhou e untou Laertes. engenhoso Odisseu. a mãe deles e quem cuidava de Laertes.. que morre. vingança dos pretendentes. Atena o tornou mais alto e encorpado que antes. Nisso sai da mansão o aedo (um dos únicos que sobreviveram ao massacre no salão) e Medonte que lhes diz que foi com o consentimento dos deuses que Odisseu matou os pretendentes. Eles comeram. A multidão se apavora. ele acerta Eupites. que peguem as armas depressa. Laertes) Dólio e seus 6 filhos se armaram e abriram as portas saindo. que caiu diante da deusa de olhos verde-mar. por nossa vez. Sícula. Odisseu pede que vejam se eles estão vindo (os familiares dos pretendentes. soube o aspecto de mentor no corpo e na voz asselou entre ambas a s partes um juramento de paz para o futuro. o mensageiro Boato. Sustai. Aparece o velho Dólio e seus filhos. e -se Palas Atena. filho de Cronos. havia ido chamá-los. Disse. Eles reconhecem Odisseu. Cada qual tirava da casa os seus mortos e sepultava-os. a Odisseu: -Filho de Laertes. Atena interpelou a Zeus. Zeus responde: Agora que o divino Odisseu tomou. reine ele toda a vida e nós. Ele obedeceu. seguindo Eupites foram pegar suas armaduras.. Acercou-se deles Atena disfarçada de Mentor.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful