Você está na página 1de 1

Hemocaterese

Processo de destruição dos eritrócitos

Após cerca de 90 a 120 dias de atividade normal as hemácias circulantes são


destruídas em um processo chamado de hemocaterese que ocorre no baço,
fígado e medula óssea por lise por ação de macrófagos.
Ocorre a liberação então da hemoglobina.A cadeia globinica pode ser
reaproveitada inteiramente ou na forma de aminoácidos livres.
A fração porfirinica da heme será convertida em pigmentos biliares e excretado
por via fecal e urinaria.
Quem começa a degradação da heme é o complexo enzimático chamado de
heme oxidase que faz a cisão na ligação de metileno entre o anel pirrolico um e
dois o que por sua vês quebra o anel pirrolico tendo-se então a saída do ferro o
que desnatura a proteína.
As hemácias são quebradas no baço por hemocatarese liberando a heme e
globina, a globina será reutilizada a varias formaçoes de hemacias e virando
outro eritrócito e o heme vai se transformar em bilirrubina e biliverdina e sera
quebrada em ferro e proteina.
O ferro é armazenado por um novo grupo heme. A bilirrubina é pouco solúvel em
meio aquoso (plasma), para ser transportado então no sangue associa-se a uma
proteína plasmática, a albumina.
A bilirrubina indireta na circulação chega ao fígado dos capilares sinusoide e nos
hepatocitos tem-se o desligamento da albumina e a associação com o acido
glicurônico.