Você está na página 1de 18
TREINAMENTO - DATA CENTER Tema: S-Cord, 2-Cord, STS e Disponibilidade de carga Apresentação: Eng. Leandro
TREINAMENTO - DATA CENTER Tema: S-Cord, 2-Cord, STS e Disponibilidade de carga Apresentação: Eng. Leandro

TREINAMENTO - DATA CENTER

Tema: S-Cord, 2-Cord, STS e Disponibilidade de carga

Apresentação:

Eng. Leandro Ozilio

1
1
TREINAMENTO - DATA CENTER Índice: I.   Equipamentos s-cord e 2-cord: significado e Norma II.
TREINAMENTO - DATA CENTER Índice: I.   Equipamentos s-cord e 2-cord: significado e Norma II.

TREINAMENTO - DATA CENTER

Índice:

I.Equipamentos s-cord e 2-cord: significado e Norma

II.A disponibilidade + próxima da carga

III.A função da STS

IV.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP

II.   A disponibilidade + próxima da carga III.   A função da STS IV.  
TREINAMENTO - DATA CENTER 1.   Single Cord e Dual Cord, significado e norma:  
TREINAMENTO - DATA CENTER 1.   Single Cord e Dual Cord, significado e norma:  

TREINAMENTO - DATA CENTER

1.Single Cord e Dual Cord, significado e norma:

 

Cargas

de

cabo

simples

Quando

o

ambiente

consiste

em

cargas de cabo simples, cada peça de equipamento TI pode ser alimentada por uma STS para se obter uma certa redundância, porém, a mesma torna-se um ponto único de falha juntamente com as fontes de alimentação dessas cargas.

 

Cargas

de

cabos

duplos

Os

equipamentos

com

fontes

de

energia redundantes também são chamados de equipamentos de dois cabos. O uso de equipamentos de dois cabos é uma “melhor prática” para ajudar na manutenção de um nível de disponibilidade de energia ótimo para os equipamentos de TI e fornece a redundância necessária para evitar os tempos de inatividade causados por uma falha única no sistema de distribuição de energia. Esta redundância adicional também facilita a manutenção do sistema de energia. Portanto torna-se dispensável a utilização de um STS. As cargas podem ser simplesmente ligadas a duas PDUs separadas, que são alimentadas por sistemas UPS separados.

um STS. As cargas podem ser simplesmente ligadas a duas PDUs separadas, que são alimentadas por
TREINAMENTO - DATA CENTER 1.   Single Cord e Dual Cord, significado e norma: Vantagens
TREINAMENTO - DATA CENTER 1.   Single Cord e Dual Cord, significado e norma: Vantagens

TREINAMENTO - DATA CENTER

1.Single Cord e Dual Cord, significado e norma:

Vantagens

• Permite manutenção em simultâneo de todos os componentes, se todas as cargas forem de cabos duplos;

menor

• Economia

número de módulos UPS

• Dois circuitos de alimentação separados num cenário qualquer de cargas de cabos duplos proporciona redundância de alimentação

distribuição e outro equipamento de distribuição sem ter de transferir a

carga para modo bypass, caso contrário a carga ficaria exposta a alimentação não condicionada.

de

custo

versus

concepção

2(N+1)

devido

ao

Pode

ser

efetuada

manutenção

em

módulos

UPS,

quadro

de

não condicionada. de custo versus concepção 2(N+1) devido ao Pode ser efetuada manutenção em módulos UPS,
TREINAMENTO - DATA CENTER 2.   A disponibilidade + próxima da carga Quanto mais próxima
TREINAMENTO - DATA CENTER 2.   A disponibilidade + próxima da carga Quanto mais próxima

TREINAMENTO - DATA CENTER

2.A disponibilidade + próxima da carga

Quanto

mais

próxima

da

carga

a

redundância

de

sistemas

chegar, mais elevada será a disponibilidade total, pois se reduzirão os pontos únicos de falha e a probabilidade de “downtime”.

elevada será a disponibilidade total, pois se reduzirão os pontos únicos de falha e a probabilidade
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6

TREINAMENTO - DATA CENTER

3.A STS: Três exemplos

TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6
6
6
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A STS: Três exemplos 6
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A função da STS: A primeira Chave Estática de
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A função da STS: A primeira Chave Estática de

TREINAMENTO - DATA CENTER

3.A função da STS:

A

primeira

Chave

Estática

de

Transferência(STS)

foi

criada

em

1971 pela Cyberex e, posteriormente, a primeira Chave Estática de Transferência completamente Digital em 1994.

As

STS’s,

baseiam-se

na

tecnologia

de

chaveamento

Estático

a Semicondutor, (SCR’s ou IGBT’s), sem a presença de contatos móveis. Ela utiliza-se de um gate(gatilho) do SCR que faz o controle on/

off do mesmo, fazendo-o conduzir corrente ou não.

O

sistema

de

controle

monitora

constantemente

as

duas

redes

de entrada e saída nos parâmetros de tensão, fase, freqüência e sincronismo para decidir qual é a rede que alimentará a carga com segurança.

Caso

algum

destes

parâmetros

saia

fora

dos

limites

pré-

ajustados o controle impedirá que esta rede, inadequada, alimente a

carga crítica.

fora dos limites pré- ajustados o controle impedirá que esta rede, inadequada, alimente a carga crítica.
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A função da STS: Baseada nesses pré-ajustes ela comuta
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A função da STS: Baseada nesses pré-ajustes ela comuta

TREINAMENTO - DATA CENTER

3.A função da STS:

Baseada

nesses

pré-ajustes

ela

comuta

a

alimentação

do(s)

equipamentos ligados a ela entre duas ou três fontes independentes e redundantes. As STS’s transferem a carga a uma fonte de energia alternativa estável entre 2 a 4ms no modo de transição aberta, porém, imperceptível para o consumidor, dando a impressão de uma transição fechada. Mesmo em condições extremas, como no caso de uma

defasagem de 180 graus, os tempos de detecção e transferência da STS serão 10 vezes mais rápidos do que qualquer outro switch.

Aplicações usuais para este tipo de chave são:

 

-

Cargas

receptoras

não-lineares

(Equipamentos

de

TI,

UPS,

No-Breaks estáticos, etc.), onde a carga ou sistema de cargas não admite nem a mais curta interrupção na alimentação.

- O

acionamento

de

cargas

mecânicas

ou

ativas

é

possível,

porém, não usual e problemático pois é preciso um criterioso dimensionamento (até um sobre-dimensionamento) para prevenir que transitórios inerentes às operações de manobra dessas cargas venha a danificar a STS.

para prevenir que transitórios inerentes às operações de manobra dessas cargas venha a danificar a STS.
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A função da STS: Modos de operação: Automático: A
TREINAMENTO - DATA CENTER 3.   A função da STS: Modos de operação: Automático: A

TREINAMENTO - DATA CENTER

3.A função da STS:

Modos de operação:

Automático:

A

chave

estática

seleciona

a

rede

mais

adequada para carga respeitando o setup inserido pelo técnico. Caso a tensão ou a freqüência da rede selecionada saia fora dos limites pré- ajustados ou ocorra uma falta de fase a chave estática transfere a alimentação da carga para outra rede sem interrupção. Quando a rede prioritária restabelecer sua normalidade de tensão e freqüência a chave

estática re-transfere a carga para a rede prioritária também sem interrupção.

A d i c i o n a l m e n t e

a s

m e s m a s

p o s s u e m

i n t e r f a c e

d e

comunicação com protocolo Modbus para monitoração remota.

Manual: A seleção de qual

rede

alimentará

a

carga

é

feita

manualmente pelo usuário através do botão de transferência. O Botão

de Transferência executa a transferência e/ou desbloqueio da chave estática quando estiver nessa condição.

O Botão de Transferência executa a transferência e/ou desbloqueio da chave estática quando estiver nessa condição.
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP:

A PDU (Unidade de Distribuição de Potência):

- A

P D U

d e v e

c o n t e r :

t r a n s f o r m a d o r

d e

i s o l a ç ã o ,

TVSS(Supressor de Surtos de Voltagem Transiente), disjuntores duplos de entrada, painéis de tomadas e monitoramento de energia. E por conveniência: STS, filtros de entrada e transformadores redundantes;

-A

PDU

proporciona

alta

proteção

por

transformadores

com

elevados níveis de isolação (fator K), atenuando significantemente as

distorções harmônicas na carga crítica. O fator de isolação dos transformadores variam de K1 a K30 , com neutro super-dimensionados para atender cargas não lineares. Normalmente configurado como um transformador de redução;

neutro super-dimensionados para atender cargas não lineares. Normalmente configurado como um transformador de redução;
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP:

A

PDU (Unidade de Distribuição de Potência):

-A

PDU

oferece

uma

distribuição

confiável

da

energia

através

de uma única entrada com múltiplas tomadas de saída e distribui desde

a energia de circuitos monofásicos de baixa amperagem até soluções

trifásicas de alta potência. Podem ser fabricadas com barramentos de 42 até 252 pólos, adequados para instalação de disjuntores do tipo

"Plug-In". A norma que certifica a fabricação de PDU’s é a UL 478;

-Ela deve ser instalada o mais próximo possível das cargas consumidoras;

-A

PDU

inclui

várias

conexões

de

entrada

e

de

saída

para

distribuir energia em 120 V, 208 V ou 230 V para várias tomadas;

PDU inclui várias conexões de entrada e de saída para distribuir energia em 120 V, 208
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP :

A RPP (Painel Remoto de Potência)

TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A RPP
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : A RPP
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : O
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : O

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP :

O RPP (Painel Remoto de Potência) Uma das vantagens principais de um RPP é que ele proporciona maior capacidade de distribuição em um design pequeno e compacto. Algumas aplicações do RPP:

- Expansão de capacidade: até 168 disjuntores instalado de fábrica;

-

RPP

pode

ser

colocada

no

final

da

ilha,

ou

dentro

de

uma

ilha para ajudar a reduzir os custos de cabo. Esse recurso diminui o comprimento do cabo que é executado entre o RPP e suas cargas periféricos, eliminando a confusão e ainda otimiza o uso dos caros

 

espaço do Data Center.

 

-

Pode

ser

usada

para

Retrofit

com

qualquer

sistema

de

distribuição existente;

 

-

Pode

ser

usada

para

ligar

uma

carga

em

outra

ambiente

sem

precisar instalar uma nova PDU próxima àquela carga.

para ligar uma carga em outra ambiente sem precisar instalar uma nova PDU próxima àquela carga.
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Por
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Por

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP :

Por que usar esses equipamentos?

A

STS,

usualmente,

é

instalada

antes

ou

dentro

da

PDU

para

que a

mesma

tenha

uma

dupla

alimentação

aumentando

assim

disponibilidade do sistema de energia para as cargas TI, porém tornando-se um ponto único de falha. O mesmo pode acontecer com o RPP.

 

A

PDU

pode

ser

instalada

dentro

ou

fora

do

ambiente

da

sala

de rack de TI. Quando a PDU é instalada dentro? Quando não há corredor técnico ou não há a preocupação com espaço dentro da sala de racks, mas como o metro quadrado de piso elevado dentro da sala de racks é um espaço caro, usualmente elas são instaladas do lado de fora, no corredor técnico. Em substituição à PDU pode-se instalar um RPP dentro da sala de racks.

do lado de fora, no corredor técnico. Em substituição à PDU pode-se instalar um RPP dentro
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP:

Exemplo de aplicação: STS instalada dentro da PDU

4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação: STS instalada dentro

Ponto único de falha

4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação: STS instalada dentro
4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação: STS instalada dentro
4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação: STS instalada dentro
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP:

Exemplo de aplicação Dual Cord s/ STS

CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord

Sem ponto único de falha

CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo de aplicação Dual Cord
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo
TREINAMENTO - DATA CENTER 4.   Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP : Exemplo

TREINAMENTO - DATA CENTER

4.Aplicação da STS com PDU ou PDU+RPP:

Exemplo de aplicação no mesmo ambiente de cargas Single Cord e Dual Cord com redundância total (próximo slide).

Nesta

instalação,

a

redundância

total

de

energia

para

os

equipamentos de TI de dois cabos é mantida. Para os equipamentos de

cabo simples, a redundância se mantém até a STS em rack, neste caso, as fontes de energia dos equipamentos e a chave são pontos de falha únicos.

Para

se

ter

um

Tier

IV

é

imprescindível

que

todo

hardware

de

TI seja Dual Cord.

Para se ter um Tier IV é imprescindível que todo hardware de TI seja Dual Cord.
Sem ponto único de falha
Sem ponto único de falha
Sem ponto único de falha
Sem ponto único de falha

Sem ponto único de falha

Sem ponto único de falha
Sem ponto único de falha
Sem ponto único de falha