P. 1
Dinâmica da Caixa de Bombons-Jogos

Dinâmica da Caixa de Bombons-Jogos

|Views: 646|Likes:
Publicado poraguedaschonfield

More info:

Published by: aguedaschonfield on Jul 09, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/14/2014

pdf

text

original

Dinâmica da Caixa de Bombons

Esta dinâmica pode ser aplicada com crianças, adultos ou adolescentes, sem que se altere o conteúdo moral implícito em sua mensagem. Abaixo damos o exemplo com 14 adjetivos podendo ser acrescentado ou diminuído conforme o número de participantes. Material e desenvolvimento: um presente numa caixa bem bonita, enfeitada contendo a quantidade de bombons igual ao número de participantes. A caixa será sorteada entre os presentes e o ganhador ouvira e seguirá as instruções da seguinte mensagem: 01 - ³Você tem muita sorte, foi o sorteado com este presente. Ele simboliza a compreensão , a confraternização e a amizade entre nós. Mas o presente não será seu, observe os amigos e aquele que considerar mais organizado será o ganhador(a) dele. 02 ± A organização é algo de grande valor e você como possuidor dessa virtude, irá levantar-se para entregar este presente ao amigo que você achar mais feliz. 03 ± Você é feliz, construa sempre a sua felicidade em bases sólidas. A felicidade, não depende dos outros, mas de nós mesmos, mas o presente ainda não será seu, entregue-o para uma pessoa que na sua opinião é muito meiga. 04 ± A meiguice é algo muito raro e você a possui, parabéns, mas o presente ainda não será seu, e você com jeito amigo não vai fazer questão de entregá-lo a quem você acha mais

extrovertido.
05 ± Por ter esse jeito tão extrovertido é que você está sendo escolhido para receber este presente, mas infelizmente ele não é seu, passe-o para quem você considera muito corajoso. 06 ± Você foi contemplado com este presente e agora demonstrando a virtude da coragem pela qual você foi escolhido para recebê-lo, entregue-o para quem você acha mais inteligente. 07 ± A inteligência nos foi dada por Deus, parabéns por ter encontrado espaço para demonstrar este talento. Agora passe o presente para quem você acha mais simpático. 08 ±O mundo está tão amargo e para melhorar um pouco necessitamos de pessoas simpáticas como você, parabéns pela simpatia, não fique triste o presente não será seu, passe-o a quem você acha mais dinâmico.

09 ±Dinamismo é fortaleza, coragem, compromisso e irradia energia, seja sempre agente multiplicador de boas idéias e boas ações em seu meio, precisamos de pessoas como você, parabéns, mas passe o presente a quem você acha mais solidário. 10 ± Solidariedade é coisa rara no mundo em que vivemos, de pessoas egocêntricas, você está de parabéns por ser solidário(a) com os colegas, mas o presente não será seu, passe a quem -o você acha mais alegre.
11 ± Alegria!! Você poderá fazer renascer em muitos corações a alegria de viver, pessoas alegres como você transmitem otimismo e alto astral. Com sua alegria passe o presente a quem você acha mais elegante.

12 ± Parabéns, a elegância completa a citação humana e a sua presença se torna mais marcante, mas o presente não será seu, passe-o para aquele(a) amigo(a) que você acha mais

bonito.
13 ± Que bom! Você foi escolhido(a) amigo(a) o mais bonito(a) entre os presentes , por isso mostre desfilando para todos observarem o quanto é bonito. Mas o presente não será seu passe-o para quem lhe transmite

paz.
14 ± O mundo inteiro clama por paz e você gratuitamente, transmite esta tão grande riqueza, parabéns!! Você está fazendo falta a grandes potências do mundo, responsáveis por tantos conflitos entre a humanidade, com muita paz, abra o presente e sirva a todos os presentes desejando muitas felicidades e sucesso para cada um de seus amigos.

Outras virtudes para continuar o jogo: caprichoso, sorridente, otimista, discreto, persistente, amigo, confiável, criativo, bondoso, decidido...

Várias atividades interessantes podem ser realizadas a partir de m sicas conhecidas ou não. Algumas delas exigem certo repertório conhecido pelos participantes por isso a ordem em que essas atividades são realizadas é importante para facilitar a aquisição de um repertório mais vasto. de legendas de forma indi idual ou coleti a. 1-Vi okê ± l it Disputa pela maior nota na interpretação da música. 2-Quem sabe canta ! - parar a música em determinado ponto e dei ar que alguém continue a cant -la. 3-A palavra que falta ! ± Distribuir a letra de uma música não muito

 

Jogos músi is

conhecida pelos participantes com algumas palavras faltando. Deixar a canção tocar e cada um completa seu texto prestando muita atenção no que vai ouvir. 4- Qual é a música? Material: pratos de papelão branco rígido, gizes de cera, folhas brancas e canetas. Desenvolvimento: Escreva um número atrás de cada prato branco rígido, dê um para cada pessoa e deixe gizes de cera disponíveis. Peça para cada pessoa pensar no nome de uma música. Cada um irá desenhar no seu prato, imagens que representem esta música (sem palavras, só imagens). Cada participante escreve em uma folha de papel, sem mostrar para os demais, o nome da música e o número do prato em que ela está desenhada. Então, começam a circular os pratos desenhados. Cada um vai escrever atrás do prato, o nome da música que acha que é. No final, cada um terá seu prato na mão com as possíveis respostas, lerá as respostas em voz alta e falará a resposta correta . Haverá muita risada das respostas erradas e desenhos engraçados. 5- Quem é o intérprete? Material: um CD de áudio gravado com trechos de músicas de diversos gêneros (30 ou 40 seg de cada música); folha de papel numerada de acordo com a quantidade de trechos que serão ouvidos, por exemplo, 1 a 20 ou 1 a 30. Desenvolvimento: deixar o CD tocar e cada participante ou cada dupla anota na sua folha o nome do intérprete que ouviu cantar. Depois de ouvir e anotar, os participantes trocam as folhas e confe rem quem obteve mais acertos.

Jogos com o nome
1-Bingo de letras ± usar o crachá com o nome como cartela de um

bingo. De acordo com o nível de alfabetização das crianças, as letras sorteadas podem ser mostradas ou apenas faladas. Trocar o crachá como colega para repetir a brincadeira. 2-Acróstico - usar o próprio nome como base para um acróstico que

apresente as características de quem o escreveu. 3-Embaralhando ± Cada criança usa as letras de seu próprio n ome para formar uma outra palavra (todas as letras devem ser usadas). De preferência que essa palavra seja conhecida, mas se não for possível, ³Denise´ pode virar ³Siende´, por exemplo. As novas palavras são embaralhadas e redistribuídas para que o colega tente reconstruir o nome original. 4-A rima do nome ± Cada participante escreve numa folha uma rima com seu próprio nome. Ex: Carolina tem cara de gelatina. A folha é passada adiante de acordo com a ordem pré -estabelecida (para trás, para frente, para o lado) e quem recebeu a fo lha faz uma nova rima. Ex: De gelatina cor de anilina. Assim cada nome terá 4 ou 5 rimas e cada aluno lê para a classe as rimas que forma feitas com seu nome.(Lembrar que rimas ofensivas estão proibidas).

Interpretação Musical - A Casa

O objetivo dessa atividade é trabalhar a letra da música A Casa, de Vinícius de Morais, utilizando técnicas variadas onde a criança, além de cantar, entenderá o significado de cada frase da música, interpretando a letra, fazendo relaxamento, propiciando a socialização, brincando com a expressão corporal e participando ativamente da atividade proposta.
‡

A Casa Era uma casa, muito engraçada Não tinha teto, não tinha nada Ninguém podia, entrar nela não! Porque na casa não tinha chão Ninguém podia dormir na rede Porque na casa não tinha parede Ninguém podia, fazer pipi! Porque penico, não tinha ali Mas era feita, com muito esmero Na rua dos bobos, número zero. Vinícius de Morais
‡

Sugestões: * Pode-se desenhar uma casa na lousa e, em seguida apagá-la, pedindo ajuda para que as crianças também o façam. *Questionar por que a casa some? Como é a casa de cada um, o que acontece com a casa dos nossos sonhos, como são as outras casas.
‡

*Trazer a criança para a nossa realidade, fazendo comentários sobre quem não tem casa; pode-se explorar os diferentes materiais de que as casas podem ser feitas; porque não podia entrar na casa (na música). *Contextualizar o regionalismo e costumes com dormir na rede. *Explicar o significado de feita com muito esmero. Na finalização, podem ser feitas uma ou várias das atividades a seguir: casa feita de sucata por cada criança da sala; dobradura da casa em papel espelho; desenho livre ou pintura

em papel craft (em conjunto) o que poderá estimular a sociabilização e a criatividade que são muito importantes nessa fase. Os demais poemas do livro ³A Arca de Noé´ que foram musicados poderão ser lidos acompanhados por suas respectivas canções.

Mude as Regras ± Jogo das Instruções
O texto instrucional contém informações sobre procedimentos ou normas adequadas a um determinado contexto, por exemplo: uma receita de comida; uso e dosagens de um medicamento; uso de um aparelho eletrônico; um jogo. A linguagem deve ser clara e objetiva, identificar todos os passos a serem percorridos, indicar quantidades ou informações relevantes e os cuidados a serem tomados. Relacionar esses conteúdos ao cotidiano do aluno t orna a aprendizagem significativa e prazerosa. O ³Jogo das Instruções´ é uma atividade que atende esses objetivos e é uma alternativa para mobilizar o pensamento da criança sobre suas próprias ações e sobre as ações do seu grupo. O registro das instruções e regras de um jogo e a interação entre os elementos do grupo torna mais dinâmica a escrita de um texto instrucional. O ³Jogo das Instruções´ parte de brincadeiras conhecidas pelos alunos. O professor pede a eles que tragam de casa um jogo de que gostem, divide a classe em grupos e os deixa jogar na sala de aula. Depois de uma partida, o professor solicita a eles que escrevam as regras que utilizaram para jogar. Esse é um momento precioso para a intervenção na escrita de instruções: clareza das regras, seqüência das ações, estabelecimento de critérios de ganhos ou perdas etc Como desafio, os grupos podem ser orientados a criar outra fo rma de jogar o mesmo jogo, enfatizando -se que as idéias devem ser novas, estimulando a reflexão e a criatividade dos alunos. As novas instruções precisam ser testadas pelos jogadores. Uma possibilidade é trocar os jogos e as instruções escritas entre os grupos, pedir para que joguem a partir das regras escritas pelos colegas e façam a crítica desses textos. Pode-se associar a discussão sobre as regras a outras situações de convivência e organização coletiva ² como escola, casa, trânsito ², ampliando a especificidade do jogo. Por exemplo: O que acontece quando chegamos atrasados na escola? Qual a regra que temos de respeitar para atravessar a rua? Por quê? Podemos falar todos ao mesmo tempo? Produzindo textos antes de saber escrever

Uma das maneiras de os alunos não alfabetizados terem contato com a linguagem escrita é por meio da escuta da leitura de textos produzidos em linguagem escrita. Para isso, é preciso planejar as aulas de modo que haja leitores que possam ler para os alunos que ainda não saibam ler. Os alunos, então, podem: Ouvir a leitura de contos e recontá -los, procurando aproximar-se da linguagem utilizada pelo autor do texto. Solicitar que um companheiro registre o texto para posterior publicação. Gravar o texto ² em áudio e/ou vídeo ², lendo-o para que outros possam conhecê-lo. Ouvir a leitura de notícias e depois ditá -las para que um parceiro que saiba escrever um pouco melhor registre -as, para depois montarem um jornal da classe, mural, impresso ou falado. Ouvir a leitura de verbetes enciclopédicos para compor fichas descritivas de animais, plantas, povos indígenas ² ou outros assuntos ² que comporão pequenos cadernos, ³dicionários´, arquivos, pastas sobre temas específicos em estudo. Ouvir a leitura de regras de determinados jogos e, depois, produzir regras a serem escritas em folhetos explicativos, para jogos criados pela classeEstudar sobre determinado assunto, a partir da leitura de textos impressos sobre o tema, e depois apresentar sínteses escritas ² registradas por um colega que já saiba escrever (parceiro mais proficiente) ² a respeito do que foi estudado, compondo cadernos, arquivos, pastas e murais.

Projetos de leitura e escrita
Os projetos de leitura, escrita e produção de d iscursos em linguagem oral são importantes ferramentas para trabalhar com a Língua Portuguesa. Apresentamos, a seguir, alguns exemplos de projetos que podem ser desenvolvidos nos anos iniciais de escolaridade:
1. De escrita

Produzir uma coletânea de contos de fadas recontados pela classe. Produzir uma coletânea de contos reescritos a partir da vis ão de um dos personagens da narrativa. Produzir fábulas a respeito de preocupações mais atuais das pessoas, ou fábulas humorísticas. Produzir um capítulo a mais, a ser inserido em um determinado conto de aventuras lido pela classe ou escolhido pelo aluno. Produzir uma coletânea de contos policiais e detetivescos elaborados pela classe. Produzir encartes que contenham instruções para jogos criados pela

classe.
2. De leitura

Produzir um jornal mural temático (por exemplo, sobre clonagem, transgênicos, pesquisas a respeito do genoma humano, perdas que a biosfera vem sofrendo, candidatos da próxima eleição e suas plataformas de governo etc.). Produzir uma coletânea dos melhores contos de ficção científica (ou outro gênero) escolhidos pela classe. Produzir uma coletânea das diversas versões já produzidas sobre determinado conto de fadas (ou outro gênero). Organizar um sarau literário sobre a obra de determinado autor. Gravar uma fita cassete ² ou de vídeo ² em que sejam lidos contos ou poemas, para enviar a escolas de portadores de deficiência visual.

Interferindo nos textos lidos
um determinado momento. 2. As crianças são convidadas a trocar as aventuras por outras. Sozinhas ou em grupos podem escolher novas aventuras para o personagem principal. Que outros desafios, ele poderia enfrentar e resolver? 3. O texto pode ser lido em etapas, deixando momentos de expectativa para a próxima leitura. 4. Pode ser feito um trabalho coletivo com duas ou mais salas de aula. Uma parte da história é contada para um sala e outra parte em outra sala. As crianças se encarregam de contar aos seus colegas de outra turma a parte faltante. É um excelente exercício de memória e de diálogo entre as turmas. Os professores envolvidos podem criar situações muito interessantes de intercâmbio com os alunos. 5. As crianças são convidadas a desenhar os personagens coletivamente. 6. As crianças são convidadas a ler ou contar a história para alunos menores; o que é um exercício também muito bom para construção de autonomia do aluno e de um trabalho coletivo. e depois relatar para a turma o resultado da leitura. 8. Que tal uma visita à biblioteca? Será que encontramos Alguma história parecida em algum livro? 9. Que tal uma visita a nossa memória? Em quais outros contos de fada, encontramos situações parecidas? Esta é uma atividade importante para começar formar nas crianças a idéia de gênero literário, pois a partir do momento que ela começa a perceber as características fundamentais dos
7.As crianças são convidadas a ler ou contar a história em casa 1.As crianças inventam novos finais para a história a partir de

contos de fadas, das crônicas, das poesias. É possível começar identificar os gêneros e adiantar conhecimentos importantes para o futuro

Curiosidades
‡

O livro encadernado mais antigo do mundo foi encontrado durante uma escavação no Saara. É um livro de contabilidade feito de madeira no século IV e cada folha mede 12,5 x 33 cm. O livro tem quatro furos amarrados com um cordão, muito parecido com a encadernação atual. Antes do papel, o pergaminho foi o material mais utilizado para a escrita. Havia um tipo especial que era feito de pele de carneiro, e que para fazer uma Bíblia, por exemplo, eram necessárias as peles de 500 animais!
‡ ‡

As pessoas demoraram muito a ler em voz baixa (apenas com os olhos), e a leitura comum, mesmo dentro das bibliotecas, era feita em voz bem alta O primeiro livro editado foi um exemplar da Bíblia e até hoje é o livro mais vendido em todo o mundo!
‡ ‡

O segundo livro mais vendido é a maravilhosa história de Dom Quixote, do autor espanhol Miguel de Cervantes, escrito em 1553!
‡

O menor livro do mundo foi escrito na Holanda em 1673 e mede 0,8 x 1,25 cm (menor que um selo de carta comum) e chama-se "Jardim Fechado"

Atividades nos

Livro: 365 Atividades Infantis sem TV

04 (Alfamist); 06 (Anagramas); 22 (Bingo das Crianças); 24 (Biografia não autorizada); 37 (Carreira); 74 (Dicionário Falsificado); 103 (Guia da Cidade); 112 (Cara de Comida); 118 (Livros de Gigante); 125 (Lista de Compras); 134 (Olá); 139 (Palavras Homônimas); 152 (Loucuras com Letrinhas); 175 (Trocando as Letras); 176 (Letras e Números); 181 (Cartão de Macarrão); 186 (Fazendo um Livro); 205 (Variações do Nome);

209 (Alfabeto Numérico); 221 (Palíndromo); 233 (Amigos por Correspondência);

Jogos de Palavras
1-Troca de Fonemas ± Quantas palavras podem ser formadas a

partir de outra pré -determinada trocando-se apenas 1 letra? Por exemplo: VOTO; loto, boto, foto, moto, noto, roto, vota, vote, vovô. 2-Escada de Palavras ± Desenhar na lousa ou numa fol ha uma escada com vários degraus. No primeiro o professor escreve uma palavra e no degrau seguinte o aluno continua colocando uma palavra que comece com a última sílaba da palavra anterior. Assim:
AZUL > ZULMIRA > RARIDADE > DECIDIDO>>>>>

3-Progressão de Palavras ± Mudar uma letra de cada vez até

transformar uma palavra em outra pré-determinada. Por exemplo: SIM em NÃO: SIM; MIM; MI L; M AL; MÃO; NÃO

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->