P. 1
Plano de Aula Filosofia

Plano de Aula Filosofia

|Views: 3.293|Likes:

More info:

Published by: Alejandro Rincon Arias on Oct 21, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/14/2013

pdf

text

original

PLANO DE CURSO ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

Ementa A disciplina de Filosofia do segundo ano do Ensino Médio, através do Projeto Pensar: pensando a vida, debaterá a importância da autonomia do pensar na leitura da realidade urdida e tecida ao longo do tempo e ao largo do espaço no mundo ocidental. Objetivo Desenvolver com o educando experiências de pensamento que o torne competente para uma leitura critica e criativa da realidade urdida e tecida ao longo do tempo e ao largo do espaço. “(...), o real não está na saída nem na chegada. Ele se dispõe para gente é no meio da travessia. Mire e veja : o mais importante e bonito nesse mundo é : que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas – mas que estão sempre mudando. Afinam e desafinam. Verdade maior é o que a vida me ensinou.” Guimarães Rosa CONTEÚDOS Tema/Tópicos FILOSOFAR • • • • • Juízos intuitivos Real/Realidade Mito/Razão FILOSOFIA A condição humana D1 – Identificar as características dos conhecimentos construídos pelos juízos intuitivos. (b) D2 – Reconhecer os conhecimentos criados pelos juízos intuitivos sobre: Real/Realidade, Mito/Razão, FILOSOFIA. ( b ) D3 – Interpretar esses conhecimentos na criação da realidade. ( o ) D4 - Avaliar a leitura da realidade pela ótica do mito. ( g ) D5 – Criticar a passagem do mito para a razão. ( g ) D6 – Avaliar os conceitos de filosofia. ( g ) D7 – Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. ( g )

Tema/Tópicos RAZÃO • • • • Juízos intuitivos Os sentidos da palavra Os princípios racionais A condição humana D1 – Identificar os preconceitos sobre a razão criados pelos juízos intuitivos. ( b ) D2 – Avaliar a realidade criada por tais preconceitos. ( g ) D3 – Interpretar a relação entre a razão e o mito. ( o ) D5 – Criticar a relação entre a razão e o mito. (g)

(b) D2 – Avaliar a realidade criada por tais preconceitos. (g) D5 – Criticar o significado do diálogo na construção do conhecimento. (g) D5 – Criticar a relação entre as concepções de verdade. (b) D2 – Interpretar a relação entre os elementos de lógica. (g) D7 – Criticar os MCS na construção do conhecimento.D6 – Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. (g) Tema/Tópicos A LÓGICA • • • • Juízos intuitivos O nascimento da lógica Elementos de lógica A condição humana D1 – Identificar os preconceitos sobre a lógica criados pelos juízos intuitivos. (o) D3 – Criticar a relação entre lógica e conhecimento/pensamento.Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. (g) Tema/Tópicos O CONHECIMENTO • • • • • • • Juízos intuitivos A preocupação com o conhecimento A linguagem O pensamento O diálogo Os MCS A condição humana D1 – Identificar os preconceitos sobre o conhecimento criados pelos juízos intuitivos. (g) Tema/Tópicos VERDADE • • • • Juízos intuitivos Ignorância e verdade As concepções de verdade A condição humana D1 – Identificar os preconceitos sobre a verdade criados pelos juízos intuitivos. (g) D6 – Avaliar os conceitos de conhecimento. (o) D4 – Avaliar os conceitos de verdade. (g) D8 – Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. (g) . (b) D2 – Avaliar a realidade criada pelo conhecimento. (g) D3 – Interpretar a relação entre a ignorância e a verdade. (g) D6 – Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. (g) D5 . (g) D3 – Interpretar a relação entre conhecimento e linguagem. (g) D4 – Avaliar os conceitos de lógica. (o) D4 – Analisar a relação entre a linguagem e o pensamento.

(b) D2 – Avaliar a relação entre ciências e filosofia. (g) Tema/Tópicos AS CIÊNCIAS • • • • • Juízos intuitivos A atitude científica O ideal científico e a razão instrumental A tecnologia A condição humana D1 – Identificar os preconceitos sobre ciências criados pelos juízos intuitivos. (g) Metodologia A proposta metodológica do Projeto Pensar:pensando a vida encontra-se centrada no educando como sujeito pensante. (g) D3 – Interpretar a função das ciências.Tema/Tópicos METAFÍSICA • • • • Juízos intuitivos Indagações metafísicas Características da metafísica em seus períodos A condição humana D1 – Identificar o conceito de metafísica. ética/moral. religião. (g) D4 – Criticar a função desses conceitos na construção da cidadania. Busca levá-lo a uma experiência de pensamento .(b) D2 – Interpretar a relação entre os conceitos de cultura. liberdade/amor e política/ideologia criados pelos juízos intuitivos. (g) Tema/Tópicos O MUNDO DA PRÁTICA • • • • • • • • Juízos intuitivos A cultura A religião As artes É tica/Moral Liberdade/Amor A política A condição humana D1 – Identificar os preconceitos sobre cultura. (o) D3 – Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. religião. (g) D6 – Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. (g) D3 – Interpretar a relação entre as concepções de metafísica. (g) D6 – Avaliar a importância do domínio desses conceitos para o exercício da cidadania. ética/moral. (b) D2 – Analisar a relação entre física e metafísica. liberdade/amor. (o) D4 – Criticar as funções da metafísica na sociedade tecnológica. (g) D5 – Avaliar os conceitos de ciências. política/ideologia. (g) D5 – Avaliar os conceitos de metafísica.

CUNHA. Leonardo. Convite à Filosofia.ed. J. / Fernando Savater. 2000. Vol. 1993. Filosofia: Série Novo Ensino Médio.. – São Paulo: Martins Fontes. tradução de Maria Luiza X. Auri Filosofia: investigação à iniciação filosófica. 2001 17. Jacob. 1993 10. é a imagem e o conhecimento é uma construção interdisciplinar de sujeitos solidários. ver. por escrito. Introdução ao pensar: o ser. 6. São Paulo: Moderna. Petrópolis: 5. ARANHA. . Leonardo. Fernando. T. Cassiano et alii. RUSS. Fernando. O valor de educar. 2001 18. vol 1 – 2. crítico e criativo tendo como suporte o texto escrito e as ferramentas da multimídia. NEEDLEMAN. Angélica. Filosofia para todos. e ampl. a linguagem. o signo da contemporaneidade. traduç~cao de Mônica Stahel. concordância. Jaqueline. 1994 Londrina: Ed. Além do uso do laboratório de informática com INTERNET e as demais ferramentas da informática disponíveis no mesmo. do projeto.U. 8. São Paulo: Atual. São Paulo : Paulus. MORRA. 1994 15. Para filosofar. 2002 3. SÁTIRO. Um outro olhar. São Paulo : Scipione. São Paulo: Ática. . o conhecimento. Gianfranco. 1995 Vozes./ Fernando Savater: tradução Monica Stahel. Avaliação A avaliação encontra-se diretamente integrada à metodologia. dos pré-socráticos a Aristóteles. São Paulo: Ática. As perguntas da vida. Único. Ana Míriam. São Paulo: Scipione. 1994. São Paulo: Ática. Arcângelo R. Filosofando: introdução à Filosofia.P. de A. A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana. BOFF. Dicionário de filosofia. Marilena. Higgins. Carlos. São Paulo: FTD. Kathleen M. O que é Filosofia?. Marilena. BOFF. Maria Lúcia de Arruda & MARTINS.São Paulo: Martins Fontes. 2002. SOLOMON. Robert C. Maria Helena Pires. da UEL. 2001. CORDI. 2. Petrópolis: Vozes . Campinas: Verus. 14. Aprimoramento pessoal pela filosofia: método sem método. Paixão pelo saber: uma breve história da filosofia / Robert C. II – Apresentação do trabalho : Conteúdo & Debate III – Grau de pesquisa IV – Assiduidade V – Ortografia. 1991. 12. GILES. SAVATER. Pensando Melhor: iniciação ao 16. coerência VI – Participação e interesse: questionamento etc VII – Concidadania & Cidadania VIII – Dissertações individuais VIII – FATOR “X” BIBLIOGRAFIA 1. Solomon. & WUENSCH.autônomo. BUZZI. SOUZA. seguindo o calendário escolar do CEFET-GO e tomando como parâmetros os seguintes critérios : I – Apresentação. São Paulo: E. _______________. R. São Paulo : Palas Athena. 1995 9. Borges. RIBEIRO. 1998 4. São Paulo: Saraiva. CHAUÍ. SAVATER. 1997 Filosofia. 1992 13. Experimentar Deus: a transparência de todas as coisas. 1997 Notas: 1) Temos como base o livro-texto CHAUÍ. Sônia Maria Ribeiro de. Introdução à história da filosofia . 1992 filosofar. 1996 11. – São Paulo : Companhia das letras. entendendo que. 7. O coração da filosofia. – Rio de Janeiro : Civilização Brasileira.

2) Descritores Níveis de Competência : Básica .(B) Operacional – (O) Global – (G) .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->