3

I - INTRODUÇÃO

Ética e moral são diferentes, coabitam a sociedade e o comportamento humano, definir uma das duas sem comparar com a outra é sempre muito difícil, por isso vários pensadores tanto dos tempos antigos quanto da era contemporânea, assumiram a missão de elucidar essa questão. A ética vinda do ser humano, enquanto individuo, é norteada por diversos fatores intrínsecos, que se formam ao longo da vida do mesmo, a ética é um componente importante da índole, já a moral ela será norteada por fatores extrínsecos, a moral vai acompanhar o individuo, enquanto sociedade e enquanto membro de um grupo, a exemplo disso temos a moral que é regida pelas normas profissionais que se adéquam de acordo com a profissão exercida. Na enfermagem as normas que circundam a ética profissional envolvem não só a atuação do gestor, mas como também o relacionamento interpessoal, é firmado um parâmetro de atitudes convencionais e não convencionais, que vai fazer com que o profissional se comporte dentro do ambiente de trabalho. O gestor por sua vez é o exemplo de toda a equipe, parte dele todas as ações que vão influenciar o bom funcionamento da equipe. Por isso é importante que o gestor tenha discernimento da importância de sua ética, a fim de zelar pela harmonia de sua equipe. Quando procuramos ética no dicionário está é a definição que encontramos: “parte prática da filosofia social, que indica as normas a que devem ajustar-se as relações entre os diversos membros da sociedade” – Ou seja, éticas são as normas que padronizam a sociedade, normas que são usadas de base para classificar os comportamentos dos componentes de uma sociedade em: adequado e não adequado.

pois não há sentido falar de norma ou de responsabilidade se não partirmos da suposição de que o ser humano é realmente livre. uma liberdade abstrata. é porque também podemos não agir deste modo. alguns afirmam que a Ética nada mais é do que a disciplina que estabelece regras de conduta para a sociedade por influência de fatores de ordem religiosa. se devemos agir de tal modo. não há o que falar de ética. então. não há espaço para a ética. Num primeiro momento. se elas são totalmente determinadas de fora para dentro. mas que efetivamente se manifesta na conduta do ser humano livre. Por isso. consequentemente. Isto é. do latim. mas. O extremo oposto ao determinismo. palavra que deriva de resposta. e. relacionada aos costumes e hábitos. mas.1. de acordo com os pensamentos. se o condicionamento ou o determinismo fosse tão completo a ponto de considerar a resposta como mecânica ou automática se afirmarmos que o determinismo é total. dá origem à palavra “ética”. servem para nomear duas disciplinas distintas. muitos citam a palavra "ética". que não é apenas teórica. nega igualmente a ética. não conseguem explicá-la nem defini-la. representado por uma concepção que acredita na liberdade total e absolutamente incondicionada. embora a primeira seja subordinada à segunda. na prática. quando perguntados. dá origem à palavra “moral”. enfim. A norma diz-nos como devemos agir e. ou pode sê-lo. econômica. é porque podemos desobedecer ou somos capazes de desobedecer à norma. Também não haveria sentido falar de responsabilidade.DESENVOLVIMENTO 2. numa análise mais rigorosa. porque se resumiria apenas à liberdade de pensamento. o objetivo deste tópico é colocar o conceito de ética em crise com a intenção de torná-lo mais radical e profundo. . sem a possibilidade de se agir. Dessa forma. São palavras que diferem na origem e só se aproximam no significado. Ética e Moral têm o mesmo significado. do grego. Desta forma. O termo mos. vamos abordar a questão da ética de acordo com a concepção original da reflexão grega.1. se devemos obedecer. relacionada ao modo de ser ou à maneira pela qual alguém se expressa. falar de ética significa falar de liberdade. porque as condutas morais acabam expressando um determinado tipo de postura ética. como autodeterminação e.4 II . Os autores divergem. ética lembra-nos norma e responsabilidade. política. Seria. não há espaço para a liberdade. podemos constatar que são conceitos diferentes. enquanto o termo ethos. ÉTICA E MORAL Nos dias de hoje. deixando que a liberdade real se resumisse a algo meramente interior. pois a ética refere-se às ações humanas. Portanto. ideológica. Para a maioria das pessoas.

parece que desta vez a ouvidoria não ficaria satisfeita somente em nos chamar a atenção. É a consolidação de práticas e costumes. em nome da humanização. Para que haja ética. Ética envolve reflexão. E. Entretanto.N. mas sim. determinássemos quais os valores pessoais que cada um deve ter.1. por isso não significa um conjunto qualquer de normas. na dimensão institucional. O QUE A ÉTICA TEM HAVER COM A HUMANIZAÇÃO As reflexões sobre a tarefa assistencial conduzem também ao campo ético. “Já passava da metade do expediente.1. neste ponto de vista. conclui-se que assistência humanizada e ética caminha junta. desta vez seria necessário que atitudes fossem tomadas de forma efetiva. um conjunto de juízos valorativos. a fim de acabar com as reclamações constantes que chegavam a eles. 2. 2. Partindo desse pressuposto. modo de ser e pensar e agir no sentido do bem claro que seria um ato de violência se. de enfermagem. coletivamente. O agir ético.H. é concursada e está na unidade à 4 anos.3. sem questionar. 25 anos. assumidos e manifestados na ação individual de cada um (a pressão é interna). de um hospital geral no interior da cidade de Godric Hollows. aqui pensada como um princípio organizador da ação. Ainda na parte . A questão ética surge quando alguém se preocupa com as consequências que sua conduta tem sobre o outro. ESTUDO DE CASO . téc. A humanização propõe a construção coletiva de valores que resgatem a dignidade humana na área da saúde e o exercício da ética. é preciso ver (perceber) o outro. confrontando os princípios institucionais com os próprios valores.5 Moral é o conjunto de regras que se impõem às pessoas por um impulso que move o grupo. se para a assistência humanizada também é preciso perceber o outro. todo ser humano é moral ao cumprir ou deixar de cumprir as regras sociais. se considera bom e justo (Rios. tínhamos tido uma reunião com os coordenadores do andar. 1994). profissionais da saúde. trabalha na unidade de nefrologia. 2009). tem o dever de realizar. trata-se de valores fundamentais para balizar a atitude profissional de todos com diretrizes éticas que expressem o que. Segundo (Autor desconhecido.O. numa ação coletiva que tende a agir de determinada maneira. se refere à reflexão crítica que cada um de nós.2. observadas no geral pelo receio de uma reprovação social (a pressão é externa).

Podemos dizer que a comunicação está no núcleo da liderança. que haviam tido parentes ou que ficaram internados durante algum tempo em nosso setor. qual seria imagem que você passaria a ter após o fato? Na condição de gestor. A comunicação visa.Nesta situação como gestor. Ao olhar ao redor percebi que o profissional em questão não estava presente e optei por me retirar da reunião. reconheceria que foi um erro ter marcado a reunião sem a presença da citada. A reunião começou na presença do enfermeiro gestor e dos técnicos e auxiliares. Ao esclarecer melhor. (MARQUIS.1999) . porém apenas especulava sobre tal sem dar muita certeza. que não durou muito. logo o enfermeiro gestor se levantou e nos cumprimentou. explicou o motivo da reunião. respondi: “Não podemos falar sobre as atitudes de uma pessoa que não está aqui para justificá-las. ele resolveu por detalhar as situações ocorridas e por nomear o profissional envolvido.” Pergunta 1. Quando fui questionada por tal atitude. provocar mudanças no comportamento dos indivíduos. uma vez que a liderança está voltada ao relacionamento interpessoal. e existia aqueles que não sabiam e que apenas especulavam. reunião onde iriam ser tratadas as queixas da ouvidoria. As reclamações vindas da ouvidoria eram todas registradas por clientes. Durante a troca de roupa no vestiário os comentários sobre a reunião eram uma unanimidade.” Percebi que automaticamente todos se questionaram sobre o que estava acontecendo ali. havia quem não fazia idéia do que se tratava. através de atitudes positivas que estão relacionadas ao seu desempenho. havia quem sabia do que se tratava. alguns discordaram e manifestaram o interesse por se manter na reunião. e que termina com a satisfação do profissional. nem complementar com a sua versão dos fatos. alguns ficaram indecisos e outros decidiram se retirar junto a mim. no qual os líderes encantam e influenciam pessoas para mudança através processo de comunicação. em um clima de mistério.6 da tarde fomos avisados sobre a reunião que aconteceria na troca de turnos.

.Qual a forma mais ética de resolver esse impasse? A forma mais ética seria antes de convocar uma reunião com a equipe conversar a sós com o técnico que estava trazendo os transtornos. A falta de ética partiu do gestor. para a efetivação do processo de liderança. É vetado prejudicar deliberadamente a reputação de outros servidores ou de cidadãos que deles dependam. pois o gestor teve uma atitude não justificável quando resolveu fazer a reunião sem conversar com sua funcionária antes e sem a mesma estar presente.O deve ser advertida.Como gestor que proposta você faria a sua equipe. Então vejamos.( Código de Ética do Funcionalismo Público.A téc. (TREVIZAN. 1993). por conduta de insubordinação? Justifique sua resposta.7 2. com a finalidade de atingir objetivos e metas específicas . coordenação das atividades grupais e. por conseguinte. e para isso é preciso fazer valer o processo da comunicação. Desta maneira a comunicação é a mola mestra para o exercício da influência. Seção III Inciso XV) 3. N. a Liderança é a capacidade que um ser humano tem de influenciar um grupo ou de uma equipe de trabalho. a fim de melhorar a imagem dela? Como gestor tomaria atitudes para melhorar a minha imagem diante de minha equipe.H. Não achamos que lhe caiba advertência. 4. O alicerce da liderança está na capacidade de se comunicar.

qual a qualidade da influência que você tem sobre si mesmo. Se liderança é a capacidade de influenciar pessoas. Entender isto seria suficiente para nos mobilizar a refletir sobre que tipo de resultados nossas ações individuais estão gerando para nós mesmos. pois as organizações atuais possuem um papel fundamental para ajudar na evolução das pessoas. Considero a base de qualquer liderança a qualidade que a pessoa busca ser. para o nosso próximo e para as gerações futuras? Para falar sobre liderança e valores no contexto organizacional é necessário consideraramos essas questões. mas falamos pouco sobre a intimidade que devemos ter conosco. Antes de melhorar a organização à qual pertence. cidade. pois somos seres inacabados. no poder da influência que o líder tem de ter sobre os outros. empresa.8 III – CONCLUSÃO Percebemos um crescente interesse por parte de muitas organizações sobre ética. seus próprios pensamentos e atitudes? Como vou lidar com o outro se não consigo lidar adequadamente comigo mesmo? Falamos com muita eloquência sobre as relações que devemos construir com os outros. Temos de nos comprometer a melhorar a qualidade do que somos antes de melhorar a organização onde atuamos. refinando a cultura e o modo de pensar da sociedade. valores e qualidade de vida com objetivo de melhorar o desempenho de líderes e favorecer uma cultura organizacional mais sustentável. melhore a organização que você é. estamos evoluindo o tempo todo (física e intelectualmente). Consideramos essa tendência muito positiva e de uma importância que vai além dos interesses da empresa. A mudança sustentável na organização começa pelo indivíduo. planeta) é um aglomerado de indivíduos e cada um é co-responsável pelo seu êxito ou fracasso. país. Qualquer organização (família. . não há outro caminho.

Disponível em: <http://www. COUTINHO.br/ph/texto.asp?id=57>. 31-05 (Dicionário Online) . dissertações e teses.2011. 2.uol.br/pdf/rbem/v33n2/13. RIOS. Disponível em: <http://www. MARTINS.pdf>>. Guia para elaborar estrutura e apresentar monografias.com. Humanização na Saúde.portalhumaniza. Acesso em: 28 mai.scielo. Idalberto. Izabel Cristina.org.br/modern/português/índex.2011. Vânia Monteiro. Introdução à teoria geral da administração: edição compacta. 2005. Humanização: a Essência da Ação Técnica e Ética nas Práticas de Saúde. Rio de Janeiro: Campus. 2000. Acesso em: 28 mai. Duque de Caxias: UNIGRANRIO.php?lingua=portuguêsportugues&palavra=%E9tica Dicionário Michaelis. LAXE Celi Cortenes. Maria Cezira. htpp://Michaelis.ed.9 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CHIAVENATO.