Você está na página 1de 28

Manual de Procedimentos

PREFÁCIO __________________________
Manual de Procedimentos
Este trabalho tem como objetivo orientar
Manual
enfermeiros quanto de Procedimentos
a montagem de sistemas e descrição
de materiais em diversos procedimentos em terapia
Manual
intensiva. de Procedimentos
Manual deGilberto
O enfermeiro Procedimentos
em seu treinamento no
Centro de Tratamento Intensivo do Hospital de Clínicas
Manual
de Porto Alegre de Procedimentos
percebeu a necessidade de ter um
manual de orientação para montagem de sistemas como
Manual
hemodiálise lentade Procedimentos
e contínua, ultrafiltrado, circuitos de
respiradores, Swan-ganz e outros. Conversando com esta
Manual de aProcedimentos
chefia foi desafiado utilizar seu talento artístico

Manual de Procedimentos
(desenho) no desenvolvimento de esquemas destes
sistemas.
Manual deé o Procedimentos
Este manual resultado do seu trabalho e da
colaboração de seus colegas Simone e Ivan. Parabenizo
Manual de
o Enf. Gilberto, bem como Procedimentos
seus colaboradores por terem
aceito este desafio e terem produzido um trabalho desta
Manual de que
qualidade. Acreditamos Procedimentos
com este manual poderemos

Manual dede Terapia


Procedimentos
auxiliar a acadêmicos de enfermagem e futuros
enfermeiros na área Intensiva.
Manual de Procedimentos Profª Enfª Débora Vieira,
Manual de Procedimentos Chefe do Serviço / SETI.
Manual de Procedimentos -1-
GLOSSÁRIO ________________________

VP - Via Proximal
VD - Via Distal
PAOP - Pressão Oclusão Artéria Pulmonar
PCP - Pressão Capilar Pulmonar
PVC - Pressão Venosa Central
DC - Débito Cardíaco
CO - Índice Cardíaco
FC - Freqüência Cardíaca
PAD - Pressão Átrio Direito
PAM - Pressão Arterial Média
PSAP - Pressão Sistólica da Artéria Pulmonar
PMAP - Pressão Média da Artéria Pulmonar
SF - Soro Fisiológico
ETO - Óxido Etileno
ATC - Anti-coagulação contínua
BH - Balanço Hídrico
Un - Unidades
Cm - Centímetros
DPI - Diálise Peritoneal Intermitente
L - Litros
MI - Milímetros
HEP - Heparina
PCR - Parada Cárdio Respiratória
IV - Intra-venoso
BIA - Balão Intra-aórtico
CPAP - Pressão Positiva Contínua Vias Aéreas

-2- Manual de Procedimentos


SUMÁRIO __________________________

HDLC - material ...............................................................04


HEMODIÁLISE LENTA CONTÍNUA - sistema...................05
ULTRAFILTRADO- sistema................................................05
HDLC - montagem do sistema.......................................06
HDLC - folha de balanço hídrico ....................................08
DPI - material e sistema ..................................................09
DPI - planilha de controle............................................... 10
Montagem e troca do sistema DPI ...............................11
SWAN-GANZ -material .................................................... 13
SWAN-GANZ - sistema e catéter implantado ................14
Medidas hemodinâmicas ..............................................15
LINHA PAM - material e sistema ....................................17
BIA - material e sistema - com transdutor específico ...18
BIA - material e sistema - sem transdutor específico ...20
BIRD MARK 7 e MARK 8 - sistema..................................22
BEAR e Máscara de Venturi - sistema ............................23
SERVO 300 e máscara CPAP - com válvula .....................24
Máscara CPAP - controle FIO2 e com a BIRD ................25
Limpeza de respiradores e máscaras ............................26

Manual de Procedimentos -3-


HEMODIÁLISE LENTA CONTÍNUA ______
MATERIAL
Mesa
Máquina para hemolenta
Máquina com sensor de bolhas
Extensão elétrica (voltagem compatível)
Suporte específico
Pinça com protetor (6cm.)
Manômetro
Seringa de 20 ml
Fita adesiva
Linha arterial (vermelha)
Linha venosa (azul)
Filtro dialisador
Hansen vermelho
Hansen azul
Bolsa coletora de urina sistema fechado
Silicone esterilizado (5 cm)
Ponteira (2 un.)
Equipo de gotas (2un.)
SF 0,9% 1000 ml (2un.)
Solução para diálise 1000 ml (2un.)
Luva de procedimento
Se indicação médica:
Solução de heparina (ATC)
Equipo de soro
Bomba de infusão
Heparina (para lavar o sistema)
Seringa
Agulha
-4- Manual de Procedimentos
HEMODIÁLISE LENTA CONTÍNUA

Linha arterial Frasco de peritofundin c/equipo


Linha venosa Filtro dialisador (capilar)
Sistema de drenagem fechado

ULTRAFILTRADO

Manual de Procedimentos -5-


HEMODIÁLISE LENTA CONTÍNUA ______
MONTAGEM DO SISTEMA
1 Conectar no filtro as linhas arterial e venosa obedecendo as cores.
2 Adaptar o filtro no suporte.
3 Fixar com fita adesiva o catabolha da linha venosa no suporte e o
da linha arterial na mesa
4 Fixar a maquina com sensor de bolhas no suporte
5 Posicionar parte da linha venosa na maquina com sensor de
bolhas
6 Conectar com uma ponteira o manômetro na via específica da
linha venosa (extremidade mais longa acima do catabolha) e
posicioná-lo no suporte.
7 Conectar a seringa de 20 ml na via específica da linha
venosa(extremidade mais curta acima do catabolha)
8 Adaptar a parte siliconizada da linha arterial para hemolenta (a
entrada do giro recebe próximo a via de reposição)
9 Adaptar o SF com equipo na via de reposição
10 Adaptar cada Hansen no filtro (cores correspondentes).
11 Adaptar o frasco de solução para diálise com equipo no Hansen
azul utilizando uma ponteira para a conexão
12 Adaptar a bolsa coletora de urina no Hansen vermelho utilizando
o silicone para a conexão
-6- Manual de Procedimentos
13 Ligar os fios elétricos, conferindo a igualdade de voltagem dos
aparelhos:
- máquina para hemolenta na máquina com sensor de bolhas
- máquina com sensor de bolhas na parede
- se necessário, para a máquina com sensor de bolhas alcançar
a parede, utilizar a extensão elétrica com a compatibilidade de
voltagem
14 Realizar a lavagem do sistema:
- se indicação médica, acrescentar heparina ao SF
- com o auxilio das pinças, lavar por partes seguindo o caminho
que o fluxo de sangue irá fazer a apartir do paciente e deixando
sempre uma via aberta para fuga do ar e do SF
- procurar retirar todo o ar do sistema
- utilizar 2 litros SF para lavagem do sistema
15 Preencher o filtro com a solução para diálise
- utilizar 2 litros da solução durante a lavagem do sistema
16 Se indicação médica, instalar na via apropriada a solução ATC em
bomba de infusão e/ou acrescentar heparina no SF para fazer a
lavagem do sistema
17 O balanço hídrico deve ser calculado a cada 6h, incluindo-se as
perdas insensíveis (peso do paciente x 0,5 x número de horas)

Manual de Procedimentos -7-


EN TRAD A SAÍD A
H O RA BAN H O N º BH PARCIAL BH TO TAL O BSERVAÇÕ ES
VO LU M E VO LU M E

-8-
00 h
01 h
02 h
03 h
04 h
05 h
06 h

06h
07 h
08h
09 h
10 h
11 h
12 h

12 h
13 h
14 h
15 h
16 h
17 h
18 h

18 h
19 h
20 h
21 h
22 h
23 h

24 h

Manual de Procedimentos
HDLC - B ALANÇO HÍDRICO
DIÁLISE PERITONEAL INTERMITENTE ___

MATERIAL
Bolsa para diálise 5000 ml com glicose 1,5 % ou 4,25%
(conforme indicação médica (4un.))
Bolsa para diálise 5000 ml vazia
Bolsa para diálise 2000 ml vazia
Equipo “polvo”
Mesa para diálise (com aquecedor)
Balança
Etiquetas adesivas para registro dos pesos das bolsas
Luvas estéreis
Máscara

DIÁLISE PERITONEAL INTERMITENTE

BOLSA PARA
BANHOS 200ml

PLACA
AQUECEDORA

CONTROLE DE
TEMPERATURA
BOLSA COLETORA DA PLACA
5000ml

EQUIPO “POLVO”

Manual de Procedimentos -9-


Nº IN ÍCIO VO LU M E TÉRM IN O IN ÍCIO TÉRM IN O PESO BO LSA VO LU M E BALAN ÇO
O BSERVAÇÕ ES

-10-
BAN H O EN TRAD A EN TRAD A EN TRAD A SAÍD A SAÍD A CO LETO RA D E SAÍD A PARCIAL

BH TO TAL =

Manual de Procedimentos
DIÁLISE PERITONEAL
MONTAGEM E TROCA DO SISTEMA DE DPI __

1) Pesar cada bolsa de 5000ml e colocar etiqueta adesiva com o


peso encontrado. Somar o peso de todas e anotar na folha de
balanço como peso inicial (PI) - na coluna de observações.
2) Vestir a máscara e as luvas estéreis.
3) Conectar as vias do equipo “polvo” às bolsas de diálise.
4) No caso de acrescentarem-se medicamentos e/ou eletrólitos
às bolsas, a antissepsia, na via de medicação, deverá ser feita
com álcool iodado ou álcool 70%. Medicamentos e/ou eletrólitos
devem ser acrescentados às bolsas à medida em que estas
forem sendo utilizadas.
5) Encher a bolsa menor (de 2000ml) com o volume indicado na
prescrição médica para os banhos e colocá-la sobre a placa
aquecida até amornar o líquido (37°C).
6) Iniciar a infusão do banho obedecendo o tempo de entrada
prescrito e anotar o horário na folha de balanço.
7) Durante o tempo de permanência preparar o próximo banho
(aquecer).
8) Após o tempo de permanência prescrito, iniciar a drenagem
(tempo de saída), sempre anotando os horários na folha de
balanço. A bolsa coletora deverá ser colocada sobre a balança.
9) Ao final do tempo de saída, verificar o peso da bolsa coletora e
anotá-lo na folha de balanço.
10) Repetir os passos de 4 a 9 sucessivamente até a entrada de
todas as bolsas. Proceder a troca do sistema.
Manual de Procedimentos -11-
11) Na troca do sistema, clampear as bolsas cheias com os clamps
de DPI.
12) Repetir os passos 1 e 2.

13) Retirar a ponteira da bolsa antiga e introduzir na bolsa nova


tendo o máximo cuidade para não contaminar.

14) Reiniciar o novo sistema repetindo os passos de 4 a 10.

15) Proceder a pesagem das bolsas antigas. A soma dos valores


encontrados é igual ao peso final (PF) - anotar na folha abaixo
do PI.

16) Realizar o balanço hídrico (PF-PI).

17) Após o desprezo das bolsas antigas no expurgo os clamps de


DPI devem ser limpos e reutilizados

LIMPEZA DOS CLAMPS DE DPI

1) Quando em uso, durante a DPI, fazer desinfecção com álccol


iodado (não é necessário deixar de molho).
2) Após o uso, quando o sistema é encerrado, lavar com água e
sabão, secar e fazer desinfacção no CIDEX por 30min.
3) Acondicionar em caixas plásticas com tampa.

-12- Manual de Procedimentos


CATÉTER DE SWAN-GANZ _____________

MATERIAL
Cateter Swan-Ganz 7F Equipo para bomba de infusão
Introdutor 8.5F (2un)
Bandeja de punção subclávia SF 0,9% 250ml+0,3ml heparina
Luva esterilizada (par) (2un)
Gaze (3 pacotes) Bomba de infusão (2un)
Clorohexidine Equipo gotas para soro (flush)
Campo esterilizado (2 un. SF 0,9% 250 ml
grande) SF 0,9% 100ml (para
Xylocaina 2 ou 1% sem termômetro do cabo de
vasoconstritor débito cardíaco
Seringa de 10 ml Módulo C.O .
Agulha 25x06 (2un) Equipo para soro(gotas ou
SF 0,9% 250ml (frasco) micro, conforme opção de
Seringa 20 ml (3ml) infusão no introdutor
Torneirinha (7un) Soro conforme indicação
Extensão para soro (4 un ) médica para infusão no
Membrana de pressão introdutor)
Transdutor Fio de sutura
Suporte para transdutor Material para curativo(obs...
Suporte para soro rotina)
Módulo PRESS Micropore
Monitor cardíaco Carro PCR

Manual de Procedimentos -13-


- SWAN - GANZ - SISTEMA

Cabo módulo CO Via proximal SWG

Cabo módulo press Via distal SWG


Membrana do transdutor de pressão Via do débito cardíaco
Torneirinhas Via do balonete

- SWAN - GANZ - CATÉTER IMPLANTADO

ARTÉRIA PULMONAR
TERMISTOR

BALONETE

VIA PROXIMAL

ÁTRIO DIREITO

VIA DISTAL

-14- Manual de Procedimentos


MEDIDAS HEMODINÂMICAS __________
1. Posicionar o paciente obedecendo o nível "zero" da cama x mem-
brana de pressão.
2. "Zerar" a pressão da membrana e confirmar permeabilidade VP
e VD (flush).
3. PAOP - Abrir VD para a membrana de pressão.
- Monitoring Procedures + Wedge
- Insuflar balonete (confirmar alteração específica na
curva de pressão).
- Stop Trace: desinflar o balonete.
- Edit + Wedge.
- Posicionar linha do cursor sobre a curva de
pressão: no final da expiração ou, se hipertensão
pulmonar, na onda de deflexão (PCP).
- Anotar o valor.
4. PAP - Anotar valores das pressões sistólica, diastólica e
média.
5. PVC - Abrir VP para a membrana de pressão.
- Monitoring Procedures + Wedge
- Anotar valor.
6. DC - Standard Display + Monitoring Procedures + CO
- Repetir 3 vezes:
•aspirar 10 ml de SF na seringa conectada à VP
•Start CO (ler inject Now)
•injetar rapidamente o conteúdo da seringa,
máximo 4 seg.
Manual de Procedimentos -15-
- Edit CO . obs tolerância 10% na diferença de valores do DC
•se quiser excluir alguma cur va: Select Curve +
On/Off For Avg
7. Confirm + Hemo Calc.
8. Registrar na tabela os valores: CO, FC, PAS + PAD ou PAM, PSAP +
PDAP ou PMAP, PVC, PCP ou PAOP, Weight, Height.
9. Perform Calc
10. Copiar valores para a folha de controle Monitorização da
Hemodinâmica

-16- Manual de Procedimentos


LINHA PARA PAM ___________________

MATERIAL
- Cateter IV (“abocacath” - - Suporte para soro
opções de calibre) - Módulo PRESS
- Luva de procedimento - Monitor cardíaco
- Gaze(1pacote) - Seringa 20 ml
- Clorohexidine - Equipo para bomba de
- Micropore infusão
- Esparadrapo - SF. 0,9% 250 ml+ 0,3ml
- Extensão para soro (3un.) heparina
- Torneirinha - Bomba de infusão
- Membrana de pressão - Equipo gotas para soro (flush)
- Transdutor - SF. 0,9% 250 ml (flush)
- Suporte para transdutor - Régua para nível

- PAM -

Cabo módulo
press

Membrana do
transdutor de
pressão
Torneirinhas

Extensor p/PAM

Manual de Procedimentos -17-


BALÃO INTRA-AÓRTICO ______________
(com transdutor específico)

MATERIAL
– Cateter balão intra-aórtico
– Console de controle
– Cabo do console para monitorização cardíaca
– Eletrodos (5un.)
– Bandeja de punção subclávia
– Luva esterilizada (Par)
– Gaze (3 Pacotes)
– Clorohexidine
– Campo esterilizado (2 un. grande)
– Xilocaína 2 ou 1% sem
vasoconstritor
– Seringa 10 ml
– Agulha 25 x 06 (2 un.)
– SF 0,9% 250 ml (frasco)
– Seringa de 20 ml (3un.)
– Torneirinha (5 un.)
– Extensão para soro (2un.)
– Membrana de pressão(em cúpula)
– Transdutor específico (do console)
– Suporte para soro
– Monitor cardíaco
– Equipo para bomba de infusão
– SF 0,9%250ml+0,3ml heparina
-18- Manual de Procedimentos
– Bomba de infusão
– Equipo gotas para soro (flush)
– SF 0,9% 250ml (flush)
– Material para curativo (obs. rotina)
– Micropore
– Régua para nível
– Carro PCR

- BIA -
com
transdutor
específico

Membrana de pressão (em cúpula) Torneirinhas

Cabo do console p/ Via p/monitorização da


monitorização cardíaca pressão BIA (arterial)

Extensor específico do BIA Transdutor específico


do console

Manual de Procedimentos -19-


BALÃO INTRA-AÓRTICO ______________
(sem transdutor específico)

MATERIAL
– Cateter balão intra-aórtico
– Console de controle
– Cabo do console para monitorização cardíaca
– Eletrodos (5un.)
– Bandeja de punção subclávia
– Luva esterilizada (Par)
– Gaze (3 Pacotes)
– Clorohexidine
– Campo esterilizado (2 un. grande)
– Xilocaína 2 ou 1% sem vasoconstritor
– Seringa 10 ml
– Agulha 25 x 06 (2 un.)
– SF 0,9% 250 ml (frasco)
– Seringa de 20 ml (3un.)
– Torneirinha (5 un.)
– Extensão para soro (2un.)
– Membrana de pressão(plana)
– Transdutor (do monitor cardíaco)
– Suporte para transdutor
– Suporte para soro
– Módulo PRESS
– Monitor cardíaco
– Equipo para bomba de infusão
-20- Manual de Procedimentos
– SF 0,9%250ml+0,3ml heparina
– Bomba de infusão
– Equipo gotas para soro (flush)
– SF 0,9% 250ml (flush)
– Material para curativo (obs. rotina)
– Micropore
– Régua para nível
– Carro PCR

- BIA -
sem
transdutor
específico

Cabo do módulo press-transdutor

Membrana de pressão (plana)

Manual de Procedimentos -21-


BIRD MARK 7_______________________

BIRD MARK 8_______________________

-22- Manual de Procedimentos


BEAR ______________________________
Extensor de
Oxigênio

MÁSCARA DE VENTURI _______________

MÁSCARA

TRAQUÉIA

“CACHIMBO”

EXTENSOR DE
VÁLVULA OXIGÊNIO

Manual de Procedimentos -23-


SERVO 300 _________________________

Fio cinza longo

Fio cinza curto

MÁSCARA CPAP _____________________


(com válvula)

-24- Manual de Procedimentos


MÁSCARA CPAP _____________________
(controle FiO2)

MÁSCARA CPAP _____________________


(com Bird)

Manual de Procedimentos -25-


LIMPEZA DE RESPIRADORES
E MÁSCARAS _______________________

BIRD MARK 7, MARK 8 e BEAR 5


1)Desmontar e lavar o circuito com água morna e sabão
enzimático (molho por 30min.).
2)Enxaguar em água corrente.
3)Secar o material.
4)Colocar em glutaraldeído por 30min.
5)Retirar o material do glutaraldeído, enxaguar em água
destilada estéril e secar com ar comprimido sobre campo
estéril.
6)Proceder a montagem e adaptar ao respirador, protegendo a
extensão da traquéia.

SERVO 900 e SERVO 300


1)Desmontar o respirador e trocar o filtro verde pequeno do
circuito interno.
2)Limpar o respirador externamente com pano úmido.
3)Lavar o circuito com água morna e sabão enzimático (molho
por 30min.).
4)Retirar do sabão, escovar e lavar em água corrente.
5)Secar o material no ar comprimido.
-26- Manual de Procedimentos
6)Montar o circuito (com ter mômetro) e encaminhá-lo,
devidamente identificado, ao CME, com CI.
7)O respirador deverá ser montado com circuito avulso,
previamente esterilizado.

OBSERVAÇÃO:
a)Termômetro do SERVO
- passar pano úmido com água e sabão (não molhar o
plug)
- passar pano umedecido para enxaguar e secar.

b) Sensor de controle de temperatura do circuito dos


SERVOS (fio cinza)
- Passar pano úmido com água e sabão, enxaguar e secar.
- Recolocar no devido lugar.
- Na montagem do circuito, passar gaze umedecida com
álcool 70% somente nas ponteiras de encaixe no circuito.

c) Sensor elétrico do circuito interno


- deve ficar submerso em uma cuba redonda com álcool
70% por 30min.
- Após seco, recolocá-lo no seu devido lugar.

Manual de Procedimentos -27-


MÁSCARA DE CPAP

1) Lavar a máscara com água morna e sabão enzimático,


juntamente com a presilha (molho por 30min.).
2) Secar e guardar em caixa plástica seca, limpa e fechada
3) A válvula expiratória, a mangueira plástica e o conector devem
ser lavados com água e sabão enzimático (molho por 30min.),
enxaguados em água corrente e secos.
4) Após devem ser colocados por 30min. no glutaraldeído e
enxaguadas com água destilada estéril. Devem ser secos no
ar comprimido sobre campo estéril.
5) Após secos devem ser acondicionados na caixa plástica
juntamente com a máscara.

MÁSCARA DE VENTURI

1) Lavar a máscara, a traquéia, a válvula e o nebulizador


(“cachimbo”) em água morna e sabão enzimático (molho
por 30min.). Remover secreções e/ou crostas.
2) Enxaguar em água corrente e secar o material.
3) Colocar o material no glutaraldeído por 30min., retirar e
enxaguar em água destilada estéril.
4) 1Secar no ar comprimido sobre campo estéril.
5) Acondicionar em caixas secas, limpas e fechadas.

-28- Manual de Procedimentos