Você está na página 1de 19

HIPERTENSÃO ARTERIAL

Grupo 2
Rotação 1

ALLPPT.com _ Free PowerPoint Templates, Diagrams and Charts


INTRODUÇÃO

O Presente trabalho, visa abordar a hipertensão arterial,


sendo esta uma doença crônica e silenciosa, caracterizada pela el
evação das cifras tensionais acima dos valores considerados nor
mais (120/80mmH) aferidas mais de duas vezes em condições ba
sais
OBJECTIVOS
Objetivo Geral: Conhecer a hipertensão arterial
e a sua relação com o rim.

Objetivos Específicos:
1.Definir a hipertensão arterial
2. Classificar a Hipertensão
3. Descrever os pilares de tratamento da Hiper
tensão
4.Identificar as complicações da Hipertensão
5.Descrever os fatores de risco.
HIPERTENSÃO ARTERIAL
Conceito

É uma doença sistêmica, que ocorre qua


ndo os niveis da pressão arterial encontram-se
acima dos valores normais, aferidos com esfigm
omanômetro em condições basais, em três ou
mais ocasiões por semana.
Epidemiologia

A HTA tem maior prevalência no mundo mod


erno. Em 2001, cerca de 7,6 milhões de mortes no
mundo foram atribuídas a elevação da PA ,50 % por a
cidente vascular encefálico e 47 % por doença
isquémica cardíaca, sendo a maioria em países de
baixo e médio desenvolvimento econômico e mais d
a metade em indivíduos entre 45 e 69 anos.
Sinais e sintomas

Cefaleia Palpitações Insónia


Aferimento da PA
Monitoramento ambulatorial da PA
Classificação

Primaria ou
Secundaria
essencial

95% 5%
SRAA
Sistema Calicreina-Cininas
Fatores de risco não modificáveis

Hereditariedade Idade Raça


Fatores de risco modificáveis
Pilares de Tratamento
Complicações
Crises Hipertensiva
CONCLUSÃO

Apôs a elaboração do trabalho, conclui-se que a


hipertensão, mais do que ser uma enfermidade
insidiosa e crônica é considerada um problema
de saúde pública, caracterizada por elevação
permanente e sustentável dos níveis tensionais
Esta classifica-se em essencial e secundária...
RECOMENDAÇÕES
BIBLIOGRAFIA
 Brunton, L. L., Chabner, B. A., & Knollmann, B. C
. (2012). As bases farmacologicas da terapeutic
a de goodman e gilma. Porto alegre: Mcgraw-
Hill.
 Guyton, & Hall. (2011). Tratado de Fisiologia M
edica. São Paulo: Elsevier.
 Kasper, D. L. (2017). Medicina interna de Harriso
n. (A. V. Fonseca, Trad.) Porto alegre: Mcgraw-H
ill Education.
 Riella MC. Principios de Nefreologia e Disturbio
s Hidroelectrolito. 4a. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan; 2003.
 Goderich R. Temas de Medicina. 5a. Havana: Edi
torial Ciéncias Medicas; 2017