Você está na página 1de 54

Normalização e Qualidade na

Construção Civil

Prof a Ana Gabriela Saraiva

Histórico da normalização

Há algumas décadas produção artesanal; Início da revolução industrial organização dos processos produtivos para manter as características da produção; Disparidades entre indústrias do mesmo tipo de produto;

2ª Guerra Mundial necessidade de padronização de equipamentos bélicos

Objetivos das normas na construção civil

Uniformizar os procedimentos relativos a projetos, materiais e execução, bem como oferecer alternativas simplificadoras de cálculo para as situações gerais e específicas de projetos com segurança adequada

Organismos responsáveis pela normalização no Brasil:

ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Entidade privada responsável pela edição, aprovação e revisão das normas que

são divididas por tipos.

INMETRO Instituto Brasileiro de Metrologia Caráter público responsável pelo registro das normas independente do tipo, pelo

prefixo NBR, acompanhado do número de ordem (que não coincide com o da

ABNT)

Exemplos:

NB-1 (NBR 6118/2007) Projeto de estruturas de concreto - procedimento

EB-3 (NBR 7480/2007) Aço destinado a armaduras para estruturas de concreto armado - Especificação

Ex: NR 18 – Ministério do trabalho – estabelece diretrizes para o planejamento e organização dos
Ex: NR 18 – Ministério do trabalho – estabelece diretrizes para o planejamento e organização dos

Ex: NR 18 Ministério do trabalho estabelece diretrizes para o planejamento e organização dos canteiros de obras da Indústria da Construção

Exemplos: ABNT – Brasil AFNOR – França ANSI – EUA DIN – Alemanha JIS – Japão

Exemplos:

ABNT Brasil AFNOR França ANSI EUA

DIN Alemanha JIS Japão IRAM - Argentina

Exemplos: ISO – Internacional Organization for Standardization IEC - Internacional Eletrotechnical Comission

Exemplos:

ISO Internacional Organization for Standardization

IEC - Internacional Eletrotechnical Comission

Normas ISO

Normas ISO

Observação:

A observância das normas não é obrigatória a não ser quando explicitadas por instrumento do poder público (lei, decreto, portaria, etc) ou quando citadas em contratos, entretanto, as normas são sistematicamente adotadas em questões judiciais por conta do inciso VIII do Art. 39 do Código de Defesa do Consumidor (Lei no 8078 11/09/1990)

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas

técnicas

O cumprimento das normas técnicas é um dever sob dois aspectos:

aspecto contratual aspecto legal (propriamente dito)

Aspecto contratual:

É obrigação do fornecedor, fornecer um produto ou serviço de qualidade; (e como as normas técnicas estabelecem requisitos de

qualidade

...

)

É um direito do contratante ou adquirente receber um produto ou

serviço com as qualidades que razoavelmente dele se esperam (= de acordo com as normas)

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas

técnicas

O cumprimento das normas técnicas é um dever sob dois aspectos:

aspecto contratual aspecto legal (propriamente dito)

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas

Aspecto contratual:

técnicas

É obrigação do fornecedor, fornecer um produto ou serviço de qualidade; (e como as normas técnicas estabelecem requisitos de

qualidade

...

)

É um direito do contratante ou adquirente receber um produto ou

serviço com as qualidades que razoavelmente dele se esperam (= de acordo com as normas)

Consequências da infração:

Rejeição do produto e/ou rescisão do contrato Abatimento do preço (ou indenização pela depreciação)

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas

Aspecto contratual:

Código Civil:

técnicas

Art. 615. Concluída a obra de acordo com o ajuste, ou o costume do lugar, o dono é obrigado a recebê-la. Poderá, porém, rejeitá-la, se o empreiteiro se afastou das instruções recebidas e dos planos dados, ou das regras técnicas em trabalhos de tal natureza.

Art. 616. No caso da segunda parte do artigo antecedente, pode quem encomendou a obra, em vez de enjeitá-la, recebê-la com abatimento do preço. Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Aspecto legal:

É um dever legal quando houver lei estabelecendo ao obrigatoriedade de cumprimento

Código(s) de Obra(s) Municipal(ais) atendimento às normas técnicas

Lei 4.150/62 (regime obrigatório de cumprimento das normas da ABNT, nos contratos de obras e compras do serviço público federal); Lei de incorporações (4.591/64); Lei de acessibilidade; Lei de licitações (n. 8.666/93) projetos de acordo com as normas desclassificação

Código de Defesa do Consumidor art. 39 É vedado ao fornecedor

...

;

Lei do CAU (n. 12.378/10) determina a observância das normas técnicas nas atividades de arquitetura e urbanismo - infração disciplinar

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Lei 8.078/90 (Código de Defesa do Consumidor) Art. 39º É vedado ao fornecedor de produtos e serviços:

VIII colocar, no mercado de consumo, qualquer produto ou serviço em desacordo com as normas expedidas pelos órgãos oficiais

competentes ou, se normas específicas não existirem, pela

Associação Brasileira de Normas Técnicas ou outra entidade credenciada pelo Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial CONMETRO.

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Lei nº 12.378, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2010

(Regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo, cria o CAU

...

)

Art. 18. Constituem infrações disciplinares, além de outras definidas

pelo Código de Ética e Disciplina:

IX - deixar de observar as normas legais e técnicas pertinentes na

execução de atividades de arquitetura e urbanismo;

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Riscos na esfera criminal:

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas Riscos na esfera criminal:
Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas Riscos na esfera criminal:

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Conclusão:

As Normas Técnicas devem ser observadas O seu descumprimento traz consequências, sanções

NORMA TÉCNICA NÃO É LEI, MAS TEM FORÇA OBRIGATÓRIA

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Ressalvas:

Há mais de 10.000 normas

Há normas com impropriedades na redação, na tradução, e que não foram ainda revisadas (“shall”; “must”; “deve”, “recomenda- se”, etc.)

Há normas que são meras recomendações (ex.: NBR 5671 - Participação dos intervenientes em serviços e obras de engenharia e arquitetura)

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

Há normas cujo desatendimento não traz consequências graves (ex.: NBR 13142 Dobramento de cópia)

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas Há normas cujo desatendimento não traz consequências graves

Sobre a obrigatoriedade de atendimento às normas técnicas

É preciso distinguir:

1.Normas que estabelecem procedimentos imperativos, que

devem ser seguidos em qualquer circunstância (têm caráter

normativo)

2.Normas que tratam de meras recomendações (têm caráter informativo)

3.Normas eventualmente superadas ou comprometidas

(nanquim) O atendimento às normas técnicas é uma PRESUNÇÃO

DE REGULARIDADE

Introdução: Qualidade, controle e garantia

“Adequação ao uso” – J. M. Juram; “Conformidade aos requisitos” – E. Deming; “Características do produto ou serviço que satisfazem às necessidades do usuário e

geram satisfação” K. ISHIKAWA;

Controle de Qualidade

 

Anos

Um luxo

50

60

Uma despesa

60

70

Um argumento de venda

70

80

Uma fonte de lucro

80

90

Uma questão de sobrevivência

90

Uma exigência

atualmente

Introdução: Qualidade, controle e garantia

Qualidade é o produto, processo ou o serviço estar adequado a uma finalidade Deve satisfazer ao usuário;

Controle é o conjunto de atividades técnicas e planejadas para alcançar uma meta e assegurar um nível predeterminado

de qualidade;

Garantia é o conjunto de atividades planejadas, que levando em conta os fatores técnicos e humanos, se implementam

através de sistemáticas de treinamento, motivação e controle

de todas as etapas do processo.

Conceito moderno de qualidade

Adequação ao uso na construção civil

Ter resistência estrutural adequada;

Ser funcional;

Possuir condições ideais de habitabilidade;

Ser durável (vida útil elevada);

Possuir baixo custo de manutenção e operação;

Ter preço acessível.

Adequação ao uso na construção civil • Ter resistência estrutural adequada; • Ser funcional; • Possuir

Desempenho

NBR 15575

O QUE É NORMA DE DESEMPENHO?

Norma nacional que estabelece:

requisitos e critérios de desempenho; métodos de avaliação de sistemas construtivos;

O QUE É NORMA DE DESEMPENHO? Norma nacional que estabelece: • requisitos e critérios de desempenho;

Exigências do usuário

A) SEGURANÇA 1. Segurança estrutural 2. Segurança contra o fogo 3. Segurança no uso e operação
A) SEGURANÇA
1.
Segurança estrutural
2.
Segurança contra o fogo
3.
Segurança no uso e
operação
C) SUSTENTABILIDADE 12. Durabilidade 13. Manutenabilidade 14. Adequação ambiental
C) SUSTENTABILIDADE
12.
Durabilidade
13.
Manutenabilidade
14.
Adequação ambiental
B) HABITABILIDADE 4. Estanqueidade 5. Conforto higrotérmico 6. Conforto acústico 7. Conforto lumínico 8. Saúde e
B) HABITABILIDADE
4.
Estanqueidade
5.
Conforto higrotérmico
6.
Conforto acústico
7.
Conforto lumínico
8.
Saúde e higiene
9.
Funcionalidade e
acessibilidade
10. Conforto tátil
11. Qualidade do ar

ELEMENTOS CONTEMPLADOS NA NBR 15575

  • Parte 1 Requisitos Gerais

  • Parte 2 Estrutura

  • Parte 3 Pisos

  • Parte 4 Sistemas de Vedação Vertical (Paredes internas e Fachadas)

  • Parte 5 Cobertura

  • Parte 6 Sistemas hidráulico-sanitários

ELEMENTOS CONTEMPLADOS NA NBR 15575  Parte 1 – Requisitos Gerais  Parte 2 – Estrutura