Você está na página 1de 4

Pastoral de Jovens

CHAMADOS AO AMOR

A- Objectivo
Há motivos que tornam a amizade verdadeira. Devemos persegui-los e animar o
seu cultivo. O homem tem a capacidade de fazer amigos e de viver amplamente a
experiência da amizade verdadeira. Nem todos sabem fazer amigos nem viver au-
tênticas amizades. A amizade verdadeira requer as melhores qualidades do ho-
mem em funcionamento, mediante um processo de maturação lento e difícil.

B- Dinâmica
Exibir o diapositivo «A amizade na vida de Jesus».
No final dialogar com os jovens sobre o que mais lhes chamou a atenção.

C- Desenvolvimento do tema
A amizade é o descobrimento e a escolha de um tu. É uma realidade em cresci-
mento que sempre vai de menos a mais, processo que jamais termina. Esse proces-
so/realidade tem as suas etapas e as suas características próprias.

a) Etapas da amizade
Inicialmente ocorrem, entre duas pessoas, certos elementos que as inter-relacio-
nam. Depois, começa um processo de abertura de um para com o outro, feito de
conversas, de comunicação de vida ou de coisas parecidas. É a etapa da revelação.
À medida que se aprofunda a revelação, vamos chegando ao conhecimento do ou-
tro nos seus defeitos, qualidades, necessidades, possibilidades etc.
Penetra-se lentamente na vida e na pessoa do outro espontaneamente, sem preo-
cupações, sentindo-se simplesmente amigo. É a etapa da descoberta do outro. Com
o passar do tempo, o conhecimento torna-se mais profundo, a amizade avança e
comunicam-se coisas que ninguém mais sabe. Os idealismos do começo vão dei-
xando o espaço à verdade. É uma etapa clarificadora, purificadora e dura que con-
solida a amizade. Exige sacrifício e compreensão, sem ficar simplesmente na ale-
gria de estar juntos por um momento.

b) Características da amizade
A amizade verdadeira é livre. Não permite os ciúmes, que pretendem reter o ami-
go como algo próprio e exclusivo. Isso nos daria a presença de amizades pegajo-
sas, injustas e possessivas, que não seriam verdadeiras amizades.
A amizade verdadeira é exigente e respeitosa. Requer o esforço permanente de
quem vê nela um dom de Deus que se deve manter limpo, livre de contamina-
ções. A amizade impõe respeito, transparência, e rejeita qualquer aparência de
mal que a possa embaçar ou romper.
Pastoral de Jovens

A amizade é serviçal e nobre. Não procura os seus próprios interesses, mas alegra-
se com o crescimento do amigo, com as suas realizações e conquistas, mesmo à
custa de si mesmo.
A amizade, como o amor, identifica as pessoas amigas. Muitos pensamentos, senti-
mentos e atitudes tornam-se comuns, sem o menor esforço, até quase transformar
os amigos em um só coração e uma só alma.
A amizade produz intimidade que se expressa na necessidade de se escutar, com-
preender, comunicar, ajudar, porém, sem se isolar dos grupos ou das comunida-
des de vida ordinária, sem o menor sentido de exclusivismo.

Jesus conheceu a amizade humana e viveu-a intensamente. «Assim como o Pai me


amou também eu vos amei. Permanecei em meu amor». «Chamo-vos amigos, por-
que vos comuniquei todos os segredos do meu Pai». «Ninguém tem maior amor
do que aquele que dá a vida pelos seus amigos». «Vós sereis meus amigos se fizer-
des o que vos mando».
Amizade é descobrir o outro como outro, como pessoa diferente de nós, com uma
vocação tão livre e universal quanto a nossa. A amizade ocorre no centro da pes-
soa e não nos seus afazeres.
A amizade é o sentimento secreto e excelente que responde melhor às necessida-
des mais profundas do homem. Temos necessidade de liberdade, confiança, inte-
gração, solidariedade, comunicação, transcendência, amor.
Para que um homem seja livre é necessário que se ame a si mesmo, que ame os
outros e que ame a Deus. E isto fá-lo somente relacionando-se com os outros. Nes-
ta relação toma consciência de si mesmo, analisa-se, distingue o que tem dentro
do que existe fora, toma consciência dos seus direitos e deveres e dos direitos dos
outros. Vai-se tornando livre e espontâneo na relação e resolve um dos princípios
profundos da pessoa humana.
O clima de amizade permite a necessidade básica do homem, de se comunicar
para se poder entregar e realizar. Na amizade intercambiam-se pensamentos, sen-
timentos, valores; isso realiza a pessoa na sua necessidade radical de se comuni-
car, de se tornar mais pessoa.
A amizade cria o clima de confiança indispensável para que os amigos se sintam
seguros, fiéis, acolhedores e acolhidos, compreensivos e compreendidos, pacientes
e com uma capacidade de amor que chega às estrelas.
A amizade vai compenetrando os amigos num processo de integração assombroso
que os vai realizando, cada vez mais, como pessoas humanas. O processo da ami-
zade exclui, durante todo o tempo, o egoísmo, a manipulação do homem e pede
solidariedade generosa que simplesmente serve e ama.

O animador pode ajudar a esclarecer algumas situações mais dúbias…


Pastoral de Jovens

D- Oração
Pode ser o cântico abaixo indicado…
Pastoral de Jovens