Você está na página 1de 5

Involuta da

Circunferência

Bianca Bianchi (bianchibianca@gmail.com)
Stella Christina Cajueiro Camargo (stellinha_tete@hotmail.com)
Thelma Regina Vitor da Costa (thelma.vitor@hotmail.com)

Curso de Licenciatura em Matemática
Universidade Estadual Paulista – Campus Guaratinguetá
Junho de 2007

Palavras-chave: involuta, curvas especiais.

Trabalho desenvolvido durante a disciplina de Cálculo Diferencial e Integral II ministrada
pelo Prof. Dr. José Ricardo de Rezende Zeni.

então a involuta ic deixa de ser regular apenas em s = c. to I. é o comprimento de arco a partir de um ponto t0. e que o fio começa a se desenrolar no ponto A = (a. para todo s I. ’(t) . du.1 (involuta de uma circunferência) A involuta de uma circunferência é a curva traçada pelo ponto de extremidade de um fio quando o mesmo. (sen – . ’(s). cos ). Quando de está parametrizada pelo comprimento de arco s.I)Definição • Definição 1. ’’(s) = (c – s) . é desenrolado de um carretel fixo.s) . onde s(t) = to II ’(u)II . 0 2 Definição 1. isto é o traço de ic intersecta ortogonalmente as retas tangentes a . ( ic’(s). Nota- se que se k(s) 0. ’(s)) = 0 para todo s I. A involuta de a partir de c.0).sen ) y( ) = a. (cos + . 2 . é a R² dada por: ic(t) = (t) + ( s(c) – s(t) ) . a expressão da involuta a partir de c se reduz a: ic(s) = (s) + (c . n(s) e. portanto. mantido tenso. A equação paramétrica da involuta ao desenrolar uma volta do fio no carretel. Suponha que o centro do carretel está colocado na origem do plano xy e seu raio é a. são: • x( ) = a.s) .2 (involuta de uma curva plana regular) Seja : I curva plana ic: I R² uma curva plana regular. onde c I. k(s) . Neste caso ic’(s) = (c . II ’(t)II t para todo t I.

Para o traçado da curva basta fazer o seguinte: em cada ponto considerado do círculo.(s) II é a em s. O lugar dos pontos M assim obtidos é a curva chamada involuta da circunferência. divide-se o círculo em partes iguais. Para facilidade de traçado. como por exemplo o ponto P. e marca-se em cada tangente o segmento correspondente ao respectivo arco retificado. II)Traçado da involuta Seja um círculo de raio AO e seja t a tangente em A. 3 .Proposição: O traço de uma involuta de uma curva regular quando o mesmo é desenrolado do traço de (Prova) Suponhamos que é a trajetória descrita por um fio permanecendo tenso durante o movimento. marca-se na respectiva tangente o segmento PM igual ao arco PA retificado. divide-se a retificação do círculo no mesmo número de partes.(s) II = I c – s I é a distância entre (s) e (c) medida ao longo de distância de ic(s) e (s) medida ao longo da reta tangente a enquanto que II ic(s) . está parametrizada pelo comprimento de arco s. Então II (c) .

(sen . por tanto n = a.1 de involuta.sen ) y( ) = n – m = a. Logo PA = a . por tanto h = a. cos = m . a distância do ponto de tangência.sen a Portanto: x( ) = h + d = a.III)Equação paramétrica Pela definição 1.sen – a.(cos + . . . P. . na circunferência ao ponto A é igual ao comprimento do arco entre o ponto de tangência P e o ponto A1. .. sen = h .cos a sen = n . por tanto m = a.sen = a. por tanto d = a.cos + a.cos = a.sen a.cos a.cos ) 4 . cos = d . Chamemos o ponto de tangência de P.

Conforme os dentes começam a se unir.estv.famat. publicação independente. Mas como as engrenagens continuam girando.polf • Curvas – Alcyr Pinheiro Rangel. Na involuta ordinária o raio de curvatura em um ponto da curva é diretamente proporcional à raiz quadrada do comprimento do arco da curva que tem um extremo nesse ponto e o outro extremo em um ponto fixo da curva.1974. tirando um pouco de velocidade da engrenagem superior para compensar pelo aumento do diâmetro de contato.pdf 5 . As involutas são curvas planas e transcendentes . Conforme os dentes continuam a girar. o afastamento é a distância média de contato. • http://ares. Na involuta. Isso significa que o raio do ponto de contato cresce conforme os dentes se encontram.presp. Se tivesse de seguir o ponto de contato. 3. de forma a compensar o diâmetro de contato que ficou um pouco menor. o perfil do dente inferior compensa esse movimento. E isso empurra a engrenagem superior para frente.htm • http://www.htm • www. O resultado final é que mesmo com o ponto de contato mudando continuamente. 2.ipv. o ponto de contato se distancia dessa engrenagem e vai em direção à outra.br/pos/edmat/ma/demostracao_carlos_roberto_silva.ufu. E já que o diâmetro de contato não é constante.pt/PaginasPessoais/ppestana/cardioide/glossario. a velocidade continua a mesma.ve/nucleotrujillo/alperez/teoria/cap_01aconceptos_geometricos/02c-curva. O que faz com que uma engrenagem involuta produza uma relação constante de velocidade de rotação. VII)Referência Bibliografica • http://www. As normais à involuta são tangentes ao círculo. O diâmetro de afastamento é o diâmetro de contato.ppt#18 • http://webdelprofesor.unimet. conforme ela gira. 4. o ponto de contato começa mais próximo a uma engrenagem e. VI)Aplicação • Detalhes das engrenagens involutas No dente de uma engrenagem involuta.ve/matematica/fbmi04/docum_web/Parametrizacion. Mas repare que a parte do dente superior que entra em contato com o dente inferior ainda é muito pequena nesse ponto. o ponto de contato desliza para a parte mais espessa do dente superior. ele descreveria uma linha reta que começa perto de uma engrenagem e termina próximo de outra.br/semat/docs/rosa. saindo do afastamento. o ponto de contato fica ainda mais distante. o dente superior da engrenagem entra em contato com o dente inferior dentro do afastamento. O ponto de contato começa a deslizar sobre a parte mais fina do dente inferior. em cada posição do ponto gerador a sua distância ao ponto de tangencia da respectiva tangente é igual ao arco percorrido pelo ponto de tangência. No entanto.IV) Propriedades 1.edu.ula.