Você está na página 1de 6

1 de 6

Rafael Theis Dittgen
CIRCUITOS ELÉTRICOS II
ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO
UNIPAMPA
Universidade Federal do Pampa Campus Bagé

1. Ressonância Série:

dependência, em um circuito RLC podemos ter uma

1.1 CONCEITO DE IMPEDÂNCIA SÉRIE

impedância mínima, que é quando Xc = Xl, pois neste caso a

Em um circuito RLC temos o conceito de impedância, que

impedância total será apenas a resistência resistiva (Zt = R),

podemos dizer que é a resistência máxima do circuito, esta

ou então podemos ter uma impedância máxima que será

impedância representamos com a letra Z.

quando apenas um, Xl ou Xc, for igual a zero. Desta forma

Como temos três tipos de componentes, são eles:

teremos Zt = R * jXc ou Zt = R – jXl.

resistores, indutores e capacitores, também vamos ter três
tipos de impedâncias, a impedância resistiva representada por
Zr, a impedância indutiva representada por Zl e a impedância
capacitiva representada por Zc.

1.2 FREQUÊNCIA DE RESSONÂNCIA SÉRIE
A freqüência de um circuito RLC em que teremos a
impedância mínima (Xl = Xc) é a que chamamos de

A impedância total de um circuito RLC (Zt) podemos
dizer que é a soma das três impedâncias:

freqüência de ressonância, podemos calcular esta freqüência
para qualquer circuito RLC série da seguinte forma:
Primeiro partimos das equações de Xc e Xl, sendo L a
indutância de um indutor e C a capacitância de um capacitor.

Zt = Zr + Zl + Zc
eq. 1

Xc =
As

impedâncias

resistiva,

indutiva

e

capacitiva

1
2πf C

Xl = 2𝜋f L

representamos da seguinte forma, sendo R (resistência
resistiva), Xl (resistência indutiva) e Xc (resistência
capacitiva)

Analisando as equações de Xc e Xl em relação a
frequência percebemos que conforme a frequência aumenta,

Zr = R
Zl = jXl

Xc diminui e Xl aumenta, então por conseqüência teremos
uma frequência em que os dois valores serão iguais.

Zc = -jXc
Igualando as duas frequencia teremos:
Substituindo estas três impedâncias na eq. 1 teremos:

Xc = Xl

Zt = R + jXl – jXc

1
2πf C

= 2𝜋f L

Zt = R + (Xl – Xc)j
eq.2

Isolando a frequencia:
f2 =

Observando a eq. 2 percebemos que a impedância total do

f=

circuito RLC série não será a soma “direta” das resistências
do resistor, do indutor e do capacitor. Como Xl e Xc
dependem da freqüência do circuito, o Zt também terá esta

Por fim teremos:

1
2π 2 ∗ C∗L
1
2π 2 ∗ C∗L

Do mesmo jeito que temos as três impedâncias.2 FREQUÊNCIA DE RESSONÂNCIA PARALELO Tanto no circuito série e paralelo teremos que a frequência Admitância Resistiva representada por Yr: Yr = 1 𝑍𝑟 de ressonância será quando Xl for igual a Xc (Xl=Xc). Ressonância Paralelo: Yt = 2. o circuito RLC terá a admitância 1 𝑍 . 3 Da mesma forma que representamos a impedância Total de A equação 3 nos mostra como calcular a frequência de ressonância para qualquer circuito RLC série. 6 Em um circuito RLC paralelo temos outro conceito além de 𝟏 𝑿𝒍 - admitância. 1 𝑅 mínima. significa Percebemos pela eq. circuito com qualquer valor de L e C podemos achar qual será a frequência em que Xl = Xc. A admitância total (Yt) de um circuito RLC será a soma de todas as admitâncias: quanto maior a admitância significa que maior será a corrente. também teremos as três admitâncias. então um circuito RLC paralelo funciona ao . Como Zr = R.1 CONCEITO DE ADMITÂNCIA 𝟏 𝑹 +( impedância. são elas: 2. Xl e Xc da seguinte forma: 1. 4 eq. A admitância total (Yt) será: Zt = 0 1 1 𝑅 𝑗𝑋𝑙 Yt = + 2. Xc e Xl. representado por Y. é equivalente a teremos que Yt = . então a equação para calcular a frequência de ressonância nos dois casos será a mesma: Admitância indutiva representada por Yl: Yl = 1 𝑍𝑙 Admitância capacitiva representada por Yc Yc = 1 𝑍𝑐 f= 1 1 2π C∗L Em um circuito paralelo percebemos que a frequência de ressonância em vez de termos a impedância mínima. ou seja.2 de 6 f= 𝟏 𝟏 𝟐𝛑 𝐂∗𝐋 Yt = Yr + Yl + Yc.3 PROBLEMAS DA RESSONÂNCIA SÉRIE Em circuitos que não possuem resistência Real (R) é 1 Yr = 𝑅 necessário evitar a frequência de ressonância. Zl = jXl e Zc = -jXc. que é o contrário da impedância. que é o inverso da impedância. dado qualquer um circuito RLC série em relação a R. pois neste caso Yl = a impedância total do circuito será nula resultando em um curto circuito. Xl e Xc. 6 que quando Xl e Xc forem iguais a facilidade do circuito em conduzir corrente. podemos representar a admitância total em relação a R. teremos a admitância mínima. Teremos: Yc = 1 𝑗𝑋𝑙 1 −𝐽𝑋𝑐 Zt =R + (Xl – Xc)j Sendo R = 0 e Xc = Xl. usamos o conceito de - 1 𝐽𝑋𝑐 𝟏 𝑿𝒄 ) 1/j eq. Eq. escrevemos as admitâncias em relação a R.

fazemos isso diminuindo a potência reativa de um determinado circuito. e que o resistor dissipa uma potência P = 100W. Fator de Potência e Correção do Fator de Potência O fator de potência é determinado pelo cos(Φ) representado no triângulo de potências. Exemplo com um circuito RL: Considere o circuito RL abaixo. FP = cos(Φ) Então: Potência Ativa: representada por P. é a soma vetorial das potências ativas e reativas do circuito. e o indutor uma potência Q = 50Var.3 CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA Quando falamos em correção do fator de potência. onde V = 100V 0º. esta energia é devolvida a fonte após ser convertida em campo magnético (caso do indutor) ou em campo elétrico (caso do capacitor). é a energia dissipada FP = em cargas resistivas. Em outras palavras o Fator de potência nos diz qual a porcentagem da potência aparente é realmente convertida em Circuito série: Impedância Mínima. equivale à potência total do circuito RLC. sua unidade é Var (Volt-ampere reativo) Potência Aparente: representada por S. Vamos aproximar o valor do Φ para zero. tem como unidade o W(watt) Potência Reativa: representada por Q. é a energia armazenada em componentes indutivos e capacitivos. é a energia que é transformada em 𝐏 𝐒 trabalho útil. Já quando o fator de potencia é a impedância equivalente será a maior possível.2 FATOR DE POTÊNCIA O fator de potência nos mostra o quanto de potência Ativa da potência total o nosso circuito está consumindo. em potência ativa. em sua frequência de ressonância total (potência aparente). A forma de diminuirmos o ângulo Φ é acrescentando elementos capacitivos ou indutivos em nosso circuito. teremos que P = S. podemos descobrir o que vamos ter que acrescentar observando as potências do circuito.1 TRIÂNGULO DE POTÊNCIAS Antes de falarmos do fator de potência e da correção do fator de potência precisamos lembrar-nos dos tipos de cos(Φ) = 𝑃 𝑆 sendo: potências existentes em um circuito RLC.3 de 6 contrário do circuito RLC. igual a 1 significa que toda a potência do circuito está na Podemos fazer as seguintes analogias para a frequência de ressonância: forma de potência ativa. corrente mínima 3. por trigonometria podemos dizer que: 3. Circuito paralelo: Impedância máxima. 3. chamado de triângulo de potências: 3. queremos que uma maior porcentagem da potência aparente de um circuito seja convertida em potência ativa. Podemos representar as três potências graficamente como um triângulo. e geralmente sem modificar a potência ativa. consequentemente levando o FP (cosΦ) próximo de 1. quando o fator de potência é baixo significa que nosso circuito apresenta uma baixa potência ativa em relação a potência Circuito 1 . corrente máxima trabalho útil.

a potência reativa indutiva e a potência reativa capacitiva. diminuindo também a potência reativa equivalente.70º 1 Φ = tg 0.3 = 16.92.5 Q P = 30 100 = 0.4 EXEMPLOS DE CORREÇÃO DO FP Exemplo 01. Considerando V=100V 0º. nosso Q final será de: Qr = 50 – 20 = 30Var O fator de potência original do circuito: Conhecemos Q e P então por trigonometria podemos usar tangente para descobrir o Φ.3 Φ = tg1 0. Solução: Primeiro calculamos qual deve ser valor da potência reativa equivalente para que o FP seja 0.92. P = 100W e Qr indutiva = 50Var indutiva da potência reativa capacitiva.4 de 6 O triângulo de potências será: Observe pelo desenho que ao inserir uma potência reativa capacitiva ela anula um pouco a reatância reativa indutiva. diminuindo desta maneira o Φ.92 . se no circuito 1 inserirmos um capacitor em paralelo ao circuito com potência de 20 Var. desta maneira uma maior quantidade da potência aparente é convertida em potência ativa.56º FP = cos 16. então se desejamos diminuir o Φ. abaixo como fica o triângulo de potências ao colocar um elemento com potência reativa capacitiva. desejamos diminuir o Φ. e que cada uma é o inverso da outra. temos que colocar elementos capacitivos no circuito. como só há elementos indutivos e resistivos no circuito sabemos que este fator de potência será atrasado. TgΦ = Qr P Φ = cos-1 0. nosso fator de potência passou a ser 0.96.5 = 25. TgΦ = Q P = 50 100 Logo o novo fator de potência passaria a ter o valor de: TgΦ = = 0. vamos lembrar que existem dois tipos de potências reativas. que vale 0. Corrigindo o fator de potência: Se queremos corrigir o fator de potência.89.70° = 0.56°) = 0. Por exemplo.89 Ao colocar o elemento capacitivo com potência de 20Var Calculamos o fator de potência do circuito.96 FP = cos(26. fizemos isso diminuindo o valor de Q. No circuito acima temos apenas potência reativa indutiva. Dado o circuito abaixo determine qual a potência reativa capacitiva deveríamos colocar em paralelo ao circuito para corrigirmos o fator de potência em 0. pois a corrente estará atrasada em relação a tensão. diminuímos a potência reativa do circuito e consequentemente diminuímos também a potência aparente. significa que a potência reativa equivalente será a subtração da potência reativa 3. ou seja.89 FP = 0.89 FP = 0.

então no capacitor teremos: Qr = 50Var – 42.42º 1200 Qr = 1600Var.6 alimentada por uma tensão de 220V/60Hz.65Var. temos que diminuir a potência reativa do circuito de 1600Var para 581Var. Esta potência deve ser ao contrário da potência reativa original.07° A potência reativa com FP = 0. RESPOSTA Devemos gerar uma potência de: 1600Var – 581Var = 1019Var Se no indutor há 50Var.6. Como a potência reativa original é indutiva.9 = 25.60Var. Obs: 1 HP = 746W.65Var Qr P Tg 25. Determinar a potência reativa capacitiva Solução: Primeiramente vamos descobrir o Φ do triângulo de necessária para isso.60Var = 7.13º SOLUÇÃO Primeiro vamos determinar a potência total gerada pelas Com o ângulo conseguimos determinar a potência reativa lâmpadas.13º = Qr Φ = cos-1 0. o novo Φ deve ser de: A potência reativa de cada lâmpada deve ser de: Tg Φ = Qr p Φ = cos-1 0.60 Var Precisamos de uma potência reativa de 42. P = 20 X 40W = 800W Qr = 20 * 91.40Var RESPOSTA A potência reativa capacitiva deve ser de 7.6 = 53.9 o fator de potência da carga com P = 1200W e fator de potência 0. Exemplo 03 Deseja-se corrigir totalmente o fator de potência de certa instalação monofásica 220V onde estão ligadas 20 lâmpadas fluorecentes de 40W/ FP = 0.6 = 53.9.07° = Qr 100 Qr = 42.84º Qr = tg 66.92. potências do circuito oritiginal: Φ = cos-1 0. E a potência reativa nova deve ser de: Tg Φ = Qr = 91. além dos 40W elas também geram uma potência reativa: original: Tg Φ = Qr Considerando apenas as lâmpadas: p Tg 53. Se queremos FP = 0.13º .6 é de 1600 Var e a potência reativa com FP = 0.4 = 66. significa que Tg 23. Exemplo 2: Deseja-se aumentar para 0.9 é de 581 Var. Que potência reativa deve ser gerada para isso? Obs: a carga gera potência reativa indutiva.60Var junto o resistor para termos uma FP de 0.65Var = 1833Var Considerando apenas os motores: Φ = cos-1 0.5 de 6 Φ = 23.4 e 5 máquinas de 1/3 HP/FP=0.42º * 40W = 91.84º = A potência total das lâmpadas será: Qr 1200 Qr = 581 Var. devemos associar em paralelo a carga um capacitor que gere 581 Var.

68º) = 0.75Var RESPOSTA Se quiséssemos corrigir o FP para 1 deveríamos associar em paralelo uma potência reativa contrário do sistema original. Qr = 331.13º * (746/3) = 331.33 = 1. deveríamos associar em paralelo um capacitor que tenha potência de 3490.50 . A potência total das máquinas será de: P = 5 X (746/3)W = 1243.75Var = 3490.68º FP = cos(59.55Var = 1657. como temos potência indutiva no sistema.75Var O fator de potência Final do sistema original será de: Tg Φ = Tg Φ = Qr P 3489 .55Var.75Var A potência Ativa total do sistema será de: 800 W + 1243.71) = 59.33W Qr = 5 * 331.50 FP = 0.6 de 6 A potência reativa de cada motor deve ser de: Tg Φ = Qr p Qr = tg 53.55Var.33W A potência reativa total do sistema será de: 1833 Var + 1657.33 W = 2043.75 2043 .71 Φ = tg -1(1.