Você está na página 1de 152

Perseguida

Como não ser seduzida por um Bilionário

Livro 01 Marian Tee

Disponibilização: Soryu Tradução: Anna Bya Azul Revisão Inicial: Gi Vagliengo Revisão Final: Carla Fernanda Leitura

Disponibilização: Soryu Tradução: Anna Bya Azul Revisão Inicial: Gi Vagliengo Revisão Final: Carla Fernanda Leitura Final: Luisinha Almeida Formatação e Layout: Luisinha Almeida

Gi Vagliengo Revisão Final: Carla Fernanda Leitura Final: Luisinha Almeida Formatação e Layout: Luisinha Almeida

Informações sobre a Série

Perseguida --- Distribuído Cortejando --- Em breve Aprisionada --- Em breve

Informações sobre a Série Perseguida --- Distribuído Cortejando --- Em breve Aprisionada --- Em breve

Sinopse

Meu nome é Yanna Everleigh. Estava acostumada a pensar que ser uma virgem estava fora de moda e seria suficiente para manter longe os bonitos e sexys milionários Bom, pelo menos do tipo dos que não te namorariam. Mas estava enganada. Isso só fazia que meu milionário me quisesse inclusive mais.

Seu nome é Constantijin Kastein. É quente e frio, arrogante e cínico em um momento e malditamente doce no seguinte. Faz-me esquecer tudo sobre esperar um verdadeiro amor e ir diretamente ao sexo quente. Mas também é o playboy n 1 da Holanda e sou a dona do meu pior inimigo. Devo estar em vigia.

Talvez se lutar com força para conseguir e fingir que meu coração não bate loucamente cada vez que o vejo - fingir que meu corpo não fica fraco quando ele está perto - talvez finalmente ele pare de tentar me seduzir. Ou não.

Lição #1 "Puta merda" não são as melhores palavras Quando vê seu magnífico milionário pela

Lição #1

"Puta merda" não são as melhores palavras Quando vê seu magnífico milionário pela primeira vez. Afinal de contas, você vai querer transar com ele.

Oh Deus, vou chegar muito tarde.

Lancei um olhar de horror para Alyx, antes de virar o olhar para o teclado digital do elevador, desejando que houvesse uma forma que pudesse ser acelerado. Se conseguisse sobreviver à entrevista de trabalho de hoje, devia lembrar-me de escrever o endereço de Ferrari. Ele deveria saber que as pessoas que chegavam patologicamente tarde como eu, necessitavam de sua ajuda. Ele teria criado uma versão de carros de corrida para os elevadores.

Pare de entrar em pânico. Alyx revirou os olhos enquanto falava. O fazia o tempo todo na realidade, te fazendo incapaz de saber quando estava sendo sincera ou sarcástica.

Alyx continuou.

Qualquer empresa gostaria de ter você, Yanna.

Como agora.

Cale-se. Sei que está mentindo.

Não estou. sua voz ainda tinha esse tom de revirar de olhos que não podia retocar minha mente se realmente quisesse. Tínhamos sido amigas desde os dias do jardim de infância, mas os seus planos só me iludiram todos esses anos. Faz tempo tinha decidido que esta peculiaridade de Alyx era verdadeiramente algo que somente seu chefe,

o Sr.Correto, podia saber. Eu já falei muito, mas Alyx se acabava de rir

e me chamava de "romântica." Pessoalmente, pensei que eu realmente queria continuar além das linhas do ingênuo, bobo e inútil.

Só tem que lhes mostrar o que tem.

Agora isso soava meio sincero, assim duvidosamente perguntei:

O que tenho que ter? percebi pelo efeito, só para que Alyx tivesse piedade de mim e focasse mais em meus pontos bons que nos maus.

Alyx pressionou os lábios, e quando fazia isso parecia mais uma professora, graça aos seus óculos de nerd e a blusa abotoada, tudo bem, que era uma professora em uma mini.

Nós adorávamos nossas minis, a Alyx e eu.

Olhou-me da cabeça aos pés, prolongando-se em como prendi o cabelo em um comportado coque de muito bom gosto, no modesto decote de minha blusa, e a saia, que terminava duas polegadas acima de meus joelhos.

Tinha algum idéia de que diria algo agradável depois disso, mas o que saiu foi:

Bom, poderia ser melhor que muitos dos novos aspirantes entrando no nível

Fiz uma careta de dor.

Vinte e quatro NÃO é mais velha.

Mas se você lhes disser que é porque primeiro teve que cuidar de seus pais doentes, estou segura de que o entenderão.

Vendo a expressão séria em seu rosto, protestei:

Não posso dizer essas coisas! Isso seria como, mentir. e sim, sem dúvida tinha 24 anos com uma tendência a abusar da palavra "como." Era minha própria versão de morder as unhas, verbalmente revertendo a uma adolescente dos anos 90 sempre que estava ansiosa ou assustada. A palavra "em pânico" descrevia-me à perfeição até um T, o qual era o porquê de Alyx sentir a necessidade de me acompanhar de caminho a 34/F, onde meu futuro penduraria mais tarde na balança.

Alyx não pareceu me escutar.

Além disso, precisa lhes fazer saber que fala uma dezena de idiomas e que tem um certificado de honra da universidade.

Três idiomas não são uma dezena.

Alyx não pareceu escutar isso tampouco. Quando as portas do elevador se abriram silenciosamente em minha frente, ela simplesmente levantou o polegar e disse:

Confie em mim. Qualquer um com meio cérebro vai querer te contratar.

Não se chegar atrasada vinte minutos e estiver absolutamente despreparada para sua primeira entrevista de trabalho, pensei uns poucos minutos, depois empurrei as pesadas portas de cristal tinto e encontrei mais de uma dúzia de olhos me olhando.

Sinto muito, sinto muito murmurei com a cara vermelha enquanto me forcei no caminho atrás da fila de assentos no lado esquerdo da mesa. Era a única forma de chegar ao outro lado da sala. Toda a fila esquerda de assentos estava completamente ocupada e as rodas chiavam enquanto os outros aspirantes empurravam as cadeiras para frente para que eu pudesse passar.

Parasita bufou a loira vestida em um sério traje negro, não tão baixo, enquanto passava. Já que estava vestindo meu traje rosa favorito e todos aqui pareciam vestir luto, por que não recebi um memorando de que o negro estava de volta à moda? Disse a mim mesma que deixaria passar isto.

Só uma cadeira da fila oposta das mesas estava ocupada, com um homem vestido formalmente e estudando um maço de papéis, que segurava em uma mão. Inclusive sentava-se como se o estivesse expondo uma aura de autoridade que me fez engolir em seco. Se esse

homem ia atrás do mesmo trabalho que estava me candidatando, poderia bem me render agora.

Sentando ao seu lado, rapidamente coloco a bolsa na cadeira do outro lado e me apresso a passar a mão por meu comprido cabelo castanho, que caía até o ombro, ainda úmido pelo banho.

As pessoas da fila oposta estavam me olhando estranhamente. Podia sentir seus olhares em mim e a maioria não eram nem um pouco amistosas. Meu coração se afundou quando lancei um agradável olhar ao assento não ocupado na frente da mesa. Obviamente, quem fosse o que Kastein Inc. tivesse atribuído para nossa entrevista também chegou tarde, mas o que acontecia que os outros candidatos estavam falando sobre mim, já que ainda não tinha chegado o entrevistador?

Sentindo o homem ao meu lado virar-se em minha direção e sem sentir nada antipático, nem vibrações competitivas dele, silenciosamente soltei um suspiro de alívio diante a ideia de ter ao menos uma pessoa na sala que não fosse antagônica para comigo.

Com um amistoso sorriso em seu lugar, disse:

Oh

merda.

A loira de farmácia suspirou.

Envergonhei-me diante do som. Isso era o que deveria ter feito. Ofeguei. Mas então, realmente, quem podia me culpar? Qualquer um teria estado completamente chocado ao ver alguém tão incrivelmente

lindo pessoalmente. Não se supõe que os homens sejam lindos, merda. Mas ele era. Seu
lindo pessoalmente. Não se supõe que os homens sejam lindos, merda.
Mas ele era.
Seu cabelo beijado pelo sol parecia ter todos os tons entre o louro
dourado e o cobre, em outras palavras, sua cor era de cabelo natural.
Era impossível que qualquer cabelo artificial tingido criasse esse tipo de
cabelo, que também estava naturalmente encaracolado. Esses adoráveis
cachos fariam que se visse cinza, se não fosse pela forte mandíbula.
Seus olhos eram de um tom de cinza, quase prata, sorridentes e os
lábios de aparência sexy estavam curvado em um sorriso leve e
divertido.
Meu coração se afundou pela segunda vez em minutos diante
dessa visão. Genial. Uma maneira de conseguir uma poderosa
impressão de um candidato rival: deixá-lo saber que fez sua cabeça
girar por completo.
Desesperada para lhe fazer esquecer minha gafe constrangedora,
perguntei rápido:
Você
também
vai
se
candidatar
a
vaga
de
pesquisa
de
marketing?
Ele levantou uma sobrancelha, fazendo-me perguntar se tinha dito
algo errado. Com um sexy sorriso silencioso jogando em seus lábios,
simplesmente disse:
— Não.

Olhamos um ao outro depois disso. Não queria, juro que não, mas de algum jeito seu olhar era imponente e magnético, e me sentia como se não fosse capaz de afastar o olhar, a menos que ele me deixasse. E na realidade, sabia como soava ridículo, especialmente por estar interessada.

Meus pais tinham me apelidado "Pequena Miss Férrea" porque era teimosa como uma rocha. Inclusive quando menina tinha tendência a ser teimosa quando havia algo que queria.

Nunca tinha sido uma covarde e estava aqui, uma escrava pelo olhar de um estranho. Estava com medo de que se este homem me pedisse para me inclinar, lhe perguntaria se era para eu tirar a calcinha primeiro ou se ele queria fazer as honras.

É uma ideia enlouquecida que valia a pena, considerando que nunca pensei em sexo em tais términos gráficos. De fato, o único sexo que alguma vez vi em minha vida, foi em “Amanhecer” e a única parte explicita foi quando Edward rompeu a cabeceira da cama em pedaços. Todo o tempo tinha pensado, se suas mãos pudessem fazer isso, o que

faria ele

bom

já sabe? Isso era algo bom?

Você está atrasada, você sabe. O sotaque europeu de sua voz fez com que meus pés se curvassem. Mesmo assim, uma parte minha esteve consternada diante de suas palavras, de verdade tinha que falar assim tão alto? Mas a outra parte de mim estava aliviada de que falasse. De algum modo me deu força para afastar o olhar, e fiz isso com rapidez, guiando meus olhos até sua gravata, que era encantadoramente de um sedoso tom de vermelho. De novo, era do tipo

que deveria lhe fazer parecer extremamente gay. Mas não, não o fazia. Só o fazia mais tentadoramente sexy.

Ainda sem olhá-lo, murmurei:

Calculei erradamente o tráfego do caminho até aqui.

Ah disse.

Mentalmente gemi diante do som. Também era muito, muito sexy. Tudo neste homem era simplesmente sexy, e era extremamente aterrorizante. Você vê, era o que chamaria de uma puritana sexual. Meus pais tinham a mais incrível história de amor, e devido a isso, era o tipo que me batucava desde que fiquei bastante grande para desfrutar de histórias de cama, que estava destinada a uma incrível aventura romântica por minha conta. É claro, que quando fui para o colégio, essas histórias de cama se tornaram nas mais horríveis advertências.

Walter e Carole me advertiam constantemente de como um membro dos homens podia terminar literalmente te rompendo o hímen

e te enviando para a sala de emergência se não estivesse "pronto" para o

verdadeiro amor. Desde que Walter era um cirurgião sênior e Carol sua enfermeira há vinte anos, só podia imaginar serem verdadeiras as suas histórias de horror, durante meus anos de juventude. É obvio, agora sei melhor, mas os antigos medos eram difíceis de matar, especialmente se os tinha escutado desde que tive a primeira menstruação.

Sentindo como se tivesse que dizer algo ao Sr.“Muito - Sexy - Para

- Ser - Verdade” ou saberia como estava me afetando, acrescentei sem convicção:

Não queria chegar tarde.

Sei disse com tanta bondade, que me fez olhá-lo. Inalei bruscamente quando vi como estava me olhando, a forma com que seus olhos tomaram tempo para permanecer em meus lábios. Era como se ele quisesse que soubesse que estava ficando louco, perguntando-se como sabiam meus lábios.

Mordi o lábio.

Suas narinas se alargaram.

Rapidamente liberei o lábio, me dando conta de que ele poderia ter pensado que estava sendo deliberadamente provocadora. Balancei na cadeira, olhando com determinação para a parede de frente a mim. Tive um momento difícil ao acreditar que tive algum tipo de olhada-de-sexo com um quase completo estranho. Realmente era quente de enfartar, mas, ainda um estranho.

Que ainda estava me olhando.

Agarrei os braços da cadeira firmemente, usando-os para me ancorar no lugar e sem me virar para ele como se seus olhos estivessem me exigindo.

Uma suave risada entre dentes e depois escutei a almofadinha de sua cadeira chiar um pouco quando se virou para os outros.

Agora que estamos todos, podemos começar a entrevista.

Diante de suas palavras, tive que me encostar para olhá-lo um segundo. Olhei-o boquiaberta. Tinha escutado corretamente?

O Sr. “Muito-Sexy-Para-Ser-Verdade” me olhou, seu sorriso desta vez não era reservadamente secreto e sim silenciosamente torcido.

Damas e cavalheiros, gostaria de lhes dar oficialmente as boas- vindas a Kastein Inc. Obrigado por seu interesse por unir-se a minha companhia. Estou encantado de ver que estão todos aqui. praticamente ronronou ao pronunciar as últimas palavras, com um ousado olhar aos meus lábios por baixo dos cílios quando falou.

Tinha o mais incrível impacto sobre

meu corpo, e

só podia

silenciosamente ofegar com horror no instante que senti meus mamilos voltando para a vida até estarem tocando a fina seda de minha camisa.

Apressei-me a pegar a bolsa e a coloquei na minha frente, mas um olhar com um conhecedor brilho nos olhos do homem me disse que era muito tarde.

Talvez fosse muito tarde e só com um olhar para mim e ele saberia que podia me ter. Em qualquer lugar, em qualquer momento, em

qualquer

Oh Deus, no que estava pensando?

É Yanna Everleigh? não esperou uma resposta e em seu lugar ofereceu uma mão Sou Constantijin Kastein e hoje serei seu entrevistador.

Não surpreendia que todos estivessem olhando. Malditamente não surpreendia. Era um Kastein, um membro da junta ao fim e ao cabo. E eu tinha sentado ao seu lado como se fosse entrevistar aos outros, quando deveria ter estado com eles no lado oposto da mesa.

Mesmo me afogando em uma piscina mental de vergonha, lentamente tomei sua mão, mas o que fez que meus olhos se lançassem para ele incrédulos foi como também se arrumou para acariciar meus dedos ao mesmo tempo.

Retornou como se fosse inocente.

Já que foi a última a chegar, espero que entenda que será a última a que entrevistarei em particular.

Só pude assentir em silêncio. Não sabia que ia ser em particular. Estava absolutamente pouco preparada para isso, mas neste momento, o que mais me preocupava era como meus mamilos pareciam estar golpeando contra minha blusa e pedindo sua atenção. Pior, sentia que o calor de seu olhar me queimava através da blusa, pouco antes que ele olhasse o resto dos candidatos.Foi somente um segundo, mas Deus! Esse segundo era algo que nunca esqueceria, com esse olhar me fez sentir que estava preparado para apalpar meus peitos e chupar meus mamilos.

Apertei os braços da cadeira com mais desespero. Era tudo o que podia fazer para me conter, sabendo que se cruzasse as pernas ele saberia o que estava fazendo, porque estava começando a me umedecer por ele. Oh deus, estava úmida. Pela primeira vez em minha vida estava úmida entre as pernas e não tinha nada a ver com tomar um banho.

Tinha tudo a ver com o homem que me olhava como se quisesse foder- me e tudo o que podia fazer era não devolver o olhar.

Como

podiam

um

par

de

poderosamente sedutor?

olhos

cinza

selvagens

ser

assim

A natureza de meus pensamentos me fazia querer me jogar na piscina de vergonha de minha mente, agora transformada em uma sauna de humilhação.

Constantijin Kastein.

Dono da companhia para a qual estava me candidatando e nem sequer o tinha reconhecido. Como podia ser assim tão tola? E também chegava tarde a entrevista. Por que sequer estava aqui?

Constantijin ainda estava falando, sua voz profunda e rouca, mas seu acento menos pronunciado desta vez. E então entregou os questionários. Deu o meu por último e nossos dedos não tão acidentalmente, por sua parte, tocaram-se. Contive outro ofego horrorizada e imediatamente aniquilada, ante como o seu mero toque podia me acender, mais do que já estava.

Como é que tinha vivido 24 anos sem sequer ser tentada a ver um filme pornô ou me masturbar e um olhar deste homem já fosse suficiente para me fazer ofegar mentalmente por seu toque? Se fosse totalmente sincera comigo mesma, uma parte de mim estava inclusive, imaginando como seria seu pênis. Não me importava o de ninguém mais, só queria olhar o seu.

Meu rosto ardeu corando tão logo acabou de me chamar em particular. Quando se inclinou para mim, eu fiquei tensa.

Relaxe disse com tanta suavidade que sabia que era a única capaz de escutá-lo Não mordo.

Justo quando abri a boca para responder, acrescentou inclusive mais brandamente.

a encantadores mamilos.

Não

menos

que

você

queira.

Começando

com

esses

Damas e cavalheiros, justo às 9:24 da manhã, neste 21 de Setembro, tenho oficialmente meu primeiro orgasmo, ou algo realmente próximo. Tremendo, rapidamente me afastei, a cadeira girando completamente, ele seria o único capaz de ver as costas da minha cadeira. Não tinha planejado responder, absolutamente sem plano para nada desde que sabia que o que fosse que dissesse não seria capaz de esconder como essas palavras excitaram o meu corpo, apesar de que minha mente retrocedia delas.

Constantijin Kastein não era como ninguém que conhecesse, ou inclusive imaginava conhecer. Nunca teria pensado em algum estranho me dizendo algo assim; mas quando ele o fez, soava terrivelmente correto.

Dez minutos no questionário e podia sentir seu olhar sobre mim de novo, estava mais acalorada que nunca. Ambos sabíamos que estava segura que ele estava me despindo mentalmente com o olhar.

Durante um segundo, meus dedos se apertaram em torno de minha caneta rosa-barbie como um torno, tudo o que eu poderia fazer para liberar a assustadora e intensa pressão que a tensão sexual entre nós tinha criado dentro de mim.

Bonita caneta disse de repente, me surpreendendo me fazendo deixar cair a caneta.

Olhei com frustração como essa ação tinha deixado uma marca em um comprido ziguezague no meio da folha de respostas. Genial, simplesmente malditamente genial. Quem terminasse revisando isto teria razão ao pensar que poderia ter estado rabiscando ao redor porque estava tendo um momento difícil para responder as perguntas.

Obrigada murmurei, girando o assento para ele enquanto levantava o olhar a contra gosto para encontrar o seu, sabendo que lhe devia muito. Era exatamente o que temia.

Constantijin sustentou meu olhar com seus brilhantes olhos cinza, e me dominou por completo com isso. Sua cadeira rodou quando me olhou totalmente, nossos joelhos chocando quando o fez. Só pude tragar, sabendo que tudo o que ele fazia era um movimento calculado para me seduzir, inclusive apesar de ter uma dúzia de outras pessoas na sala conosco.

Com este tipo de tensão sexual, nada disso realmente importava.

O rosa é sua cor favorita? Oh, meu Deus, esse sotaque também era pecaminosamente sexy. Fazia-me pensar nele com um

início de barba de dias atrás, despertando quando usasse a áspera textura para seduzir meus sei

De onde diabos estavam vindo todas essas ideias?

Dando-me conta de que ainda estava esperando uma resposta, assenti, sem confiar em mim para falar. Queria me afastar, mas sabia que seria o máximo da falta de respeito se o fizesse. Ele era Constantijin Kastein da Kastein Incorporações, apesar de tudo.

Aproximou-se inclusive mais e me estiquei de novo quando nossos joelhos chocaram pela segunda vez. Incapaz de suportar outro não-tão- acidental encontro, girei a cadeira e olhei com determinação ao questionário e respondi a folha.

Se tinha pensado que o deteria,pareceu ter o efeito oposto. Constantijin na realidade se aproximou mais, o bastante para que sua respiração ventasse em minha bochecha. Quando falou, pude sentir seu olhar acariciando meus peitos.

Graças a Deus que a tinta não é rosa. Isso seria demais.

Agarrei a caneta com força outra vez. Maldito fosse. Assim ele era

Tudo. Dando uma profunda respiração, preparei-me para

silenciá-lo. Mas quando olhei para cima, ele já estava ocupado falando com a loira de farmácia, que em completo contraste como eu me sentia, parecia mais desejosa por lhe ter para seduzi-lo. Ou inclusive vice- versa. Podia dizê-lo pela forma em que ela estava jogando com o baixo decote de seu ajustado vestido negro, como se estivesse tentando averiguar como fazê-lo "sem intenção" para revelar mais de seu já super

demais

exposto decote. Um pouco mais abaixo e ela estaria lhe mostrando os mamilos.

Constantijin nos pediu para devolver a folha do questionário depois de uns poucos minutos. Deslizei a minha na mesa para ele, pouco disposta que nossos dedos tivessem que tocar-se de novo. Agarrei a bolsa, tendo a esperança de que poderia partir, e que teria tempo para me acalmar antes da entrevista em privado.

Quando me virei para partir, vi Constantijin bloquear meu caminho, de costas para mim enquanto firmemente se despedia da loira de farmácia.

Quando Constantijin se virou para mim, a loira de farmácia me lançou um olhar vicioso de ódio. Fingi não notá-lo, porque se o fizesse, pareceria uma guerra entre uma puta e outra e eu não era uma puta, apesar de que, meu corpo tinha estado pedindo para adiar o momento em que Constantijin começou sua sedução visual.

Assentindo uma despedida educada para ele, mantive a cabeça baixa enquanto tentava lhe passar pela lateral e partir. Mas de repente estava frente a mim, bloqueando de novo meu caminho. Desta vez, não pude evitar olhar com uma mescla de suspeita e exasperação. Sentia um pouco de frustração sexual, também, mas isso não era nem aqui nem aí.

Constantijin só sorriu e diante do olhar que lhe dava, levantou as mãos no ar enquanto a porta se fechava atrás do exasperante balanço de quadris da loira de farmácia.

Não queria causar danos, Senhorita Everleigh disse com exagerados e inocentes olhos abertos.

Levou tudo de mim não lhe devolver o sorriso e continuar franzindo a sobrancelha, embora ele estivesse inclusive mais irresistível enquanto estava tão obviamente flertando comigo. A ideia era enormemente aquecedora, já não sabia o que fazer com meu corpo. Deveria me lançar a ele? Deveria fugir da sala e nunca olhar para trás? Depois de tudo, minha virgindade estava em perigo.

Espero entrevistá-la depois. a forma em que disse as palavras fez óbvio que tinha algo completamente diferente em mente.

Fisicamente tentei plantar os esbeltos saltos de meus sapatos no chão, sabendo que se não o fizesse, meu corpo automaticamente se apoiaria nele, uma instintiva resposta pelo sedutor feitiço que estava tão espertamente entrelaçando-se em torno de mim.

Olhando

suspeitosamente

lentidão em uma sacudida.

sua

mão

estendida,

tomei-a

com

E nem um segundo depois, soube que tinha razão em não confiar nele. A mão de Constantijin imediatamente capturou a minha e a usou para me arrastar para ele. Tropecei sobre ele, e as pontas de meus mamilos se chocaram contra seu peito.

Constantijin inalou profundamente.

É tão malditamente sexy.

Tentei lutar para fora de seu aperto.

Por favor, pare com isto me arrumei para dizer Não estou interessada.

Com uma mão aprisionando a minha, usou a outra mão para pegar meu queixo e me fez olhar para cima.

Seu sorriso era impressionante, e fez que meus mamilos se endurecessem mais.

É obvio que está sussurrou.

Já tinha me liberado no momento em que me arrumei para recuperar o bom sentido. Constantijin estava abrindo a porta, com seu tom de negócios e perfeitamente estranho ao calor sensual de seu olhar.

Até mais tarde, Senhorita Everleigh.

Quando a porta se fechou atrás de mim e uma voz no sistema PA anunciou o nome do primeiro entrevistado, praticamente corri para o salão para que pudesse chamar Alyx em privado.

Não acredita no que acabou de acontecer gritei quando ela respondeu.

Alyx respondeu imediatamente.

Estava em chamas e depois fez algum estranho som. Ela estava trinta andares abaixo, me subornando com uma ameaça de

“beber-tudo-que-conseguir” no Starbucks. Daria, nossa melhor amiga e quem completava nosso trio de décadas, também teria estado com ela, se não estivesse agora navegando no Mediterrâneo em lua de mel com seu magnata grego.

Olhei meu IPhone, desejando ter tempo para ver Alyx, para que ela pudesse dizer exatamente o que pensava de seu show de apoio verbal.

Muito divertido sem esperar sua resposta já que Alyx era invencível quando se tratava dos reaparecimentos arrogantes, disse depois Constantijin Kastein está flertando comigo.

Esperei sua reação com um frenético pulsar de coração. Alyx era jornalista e sabia tudo sobre todos os que lhe importavam. Um olhar para Constantijin e sabia absolutamente o que importava, provavelmente mais que a vida de um milhão de pessoas. Alyx não se decepcionou, e quando parou de tomar sua raspadinha para exclamar "Whoa", o pulso disparou dramaticamente.

Constantijin Kastein, o CEO de sua companhia? O menino BBC apelidado como o Rei da Europa Media e o playboy nº 1 da Holanda? Que a revista Hello teve como capa no último mês e que possui vinte e três propriedades por todo mundo e quarenta e algo coleções de carros esportivos e clássicos? Fala desse Constantijin?

De todas as coisas que disse, só uma permaneceu mais alto em minha mente. Era o playboy nº 1 em todo seu país? Não importava que meus mamilos estivessem duros como pedra. Quantas mulheres levou para cama para conseguir esse tipo de título? A ideia desse excelente corpo ao lado de outra mulher criou uma pontada de dor em meu

coração, mas me disse que estava fora de repulsão. Estava procurando o verdadeiro amor, não sexo. Tinha que recordar isso.

Sim disse ao final com tristezaÉ esse.

Por que parece triste? falou Alyx Isso não é bom? Significa que é uma dinamite na cama!

Não pude evitar de rir com nervosismo, mas só porque Alyx falava como se tivesse um montão de experiência quando era tão virgem como eu.

Você gostaria de saber.

Eu vejo pornô. Você não.

Estou corando por sua culpa disse, e era verdade.

Olhe Yanna. Sabe que não acredito em amor verdadeiro sem sentido. Se Constantijin Kastein te quiser, vá com ele. Não pode querer homem mais perfeito que te deflore

Alyx! não podia acreditar no que estava dizendo.

Só estou sendo sincera disse na defensiva.

É, como isso não ajuda,sabe?

Você está, como, totalmente acesa, verdade?

Só nesse momento desejei que não fosse tão verdadeira. Dessa forma, não teria percebido com tanta facilidade, vendo através de mim.

Yanna Everleigh para a entrevista.

Saltei diante as palavras surpreendida de que inclusive o banheiro também tivesse alto-falantes conectados com o sistema P.A. do edifício. Olhei o relógio, meus olhos ampliando-se quando me dava conta de que só tinham passado dez minutos. Não se supunha que seria a última entrevistada? Então já tinham sido todos entrevistados?

Tenho que ir disse ao Alyx, perto de hiper ventilar diante da ideia de estar cara a cara de novo com Constantijin. Deus, estava tão desesperadamente encantada com ele.

Não se esqueça de usar camisinha Alyx se arrumou para falar justo antes que terminasse a chamada. Olhei o IPhone uma segunda vez inclusive quando a chamada terminou. Camisinha? Sim, verdade.

Estando em frente às portas de cristal, dei outra profunda respiração antes de bater. Os batimentos de meu coração ainda estavam com tanta força que completamente me afoguei diante do som da batida. Girei a fechadura com dedos tremendo e entrei, murmurando:

Senhor Kastein?

Quando a porta se fechou atrás de mim, vi que Constantijin estava de pé no meio da sala, de costas para mim. Parecia estar olhando a

magnífica vista do exterior da janela de 180 graus abrangendo meia sala. Quando se virou, não pude mais evitar tragar.

Não teve que me dizer uma palavra para que soubesse o que ele queria.

O olhar incrivelmente faminto em seus prateados olhos cinza era mais que suficiente.

Me chame por meu nome convidou com voz rouca.

Apressadamente desviei o olhar, antes que fizesse algo que ele queria, ordenandome apenas com os olhos.

Não acredito que isso seja apropriado, Senhor Kastein. Queria soar afetada e pouco amigável, mas não podia me enganar ao ignorar a minha voz ofegante. Soava tão faminta e frustrada como ele estava.

Merda.

Quando o silêncio se alargou, me encontrei olhando-o. Estava sorrindo, um perigosamente sorriso sexy, que levou a minha mão para meu peito. Era um inútil esforço para acalmar a meu forte ritmo cardíaco.

Yanna?

S-sim?

você

você.

Não entrevistei os outros.

Isso me deixou perplexa.

O que?

Soube imediatamente a quem deveria contratar ou não. Mas franziu o cenho Realmente preciso fazer uma entrevista com

Faria? Por que faria?

Objetivamente avaliarei suas respostas e não te farei promessas sobre oportunidades de conseguir o trabalho.

Assenti, sem olhá-lo.

Mas depois disso

deteve-se.

Quando o silêncio se estendeu, fui incapaz de resistir à tentação.

Meus joelhos se dobraram diante da promessa em seus olhos. Mas se foi em um brilho, substituído por uma máscara indiferente caindo sobre o rosto enquanto falava.

Sente-se e começaremos a entrevista.

Quando praticamente paralisei na cadeira que ele cordialmente puxou para mim, tinha que fingir que não lhe escutava rir à direita.

Sentou ao meu lado de novo, empurrando sua cadeira mais perto da minha, mais e mais perto até que nossos joelhos se tocaram de novo.

Olhei-o.

Seus olhos riram de mim, como me desafiando a ser a primeira em reconhecer o que estava ocorrendo entre nós.

Constantijin disse solenemente:

Pelo o que diz em seu currículum, estava acostumada a trabalhar na empresa farmacêutica de seu pai. Por que a deixou?

Cuidadosamente consciente do calor de seu corpo e da forma em que meus joelhos se estremeciam com cada instante em que se movia e seus joelhos me golpearam, disse com a voz entrecortada:

Não foi por mim.

Mas se tomo

Meus olhos se ampliaram. Tomar?,Como, tomar, como, agora?

Ele sorriu.

Oh, Senhorita Everleigh, o que está pensando?

Virei-me corando, me dando conta de que ele sabia exatamente o que eu estava pensando.

Disse suavemente:

Estou me perguntando, como posso estar seguro de que se a contratar em minha companhia não sentirá o mesmo ao final?

Levo uns poucos segundos para responder.

Trabalhei para a empresa de meu pai, por lealdade familiar, lhe dava uma boa ajuda, mas não era um bom ajuste. Mas o trabalho que

Quero-o não por outro motivo mais

porque sei que vou amá-lo e trabalhar com força para ser a melhor

sua empresa está oferecendo

nisso.

Olhou-me, como esperando que dissesse algo mais.

Olhei-o fixamente já que sabia que não havia nada mais que pudesse dizer.

Ao final, falou novamente.

Bem dito, Senhorita Everleigh.

Toda a entrevista levou uma hora e meia, e terminou com o habitual:

Obrigado por seu tempo, Senhorita Everleigh, e a chamaremos sobre o resultado logo.

Soava tão formal que comecei a pensar com inquietação que possivelmente acabava de entender mal a situação, e que ele só tinha

estado na realidade me criticando. Quando ficou de pé, eu também. Abri a boca para agradecê-lo, mas me venceu ao falar.

Agora, com isto terminado

No ato de pegar a bolsa da cadeira, congelei diante do estranho tom de suas palavras. Tinha me entrevistado assim até aborrecer-se?

Já podemos começar a falar sobre nós.

A comoção fez meus dedos afrouxarem-se e a bolsa caiu no assento silenciosamente.

Olhe para mim, Yanna.

Meu coração se acelerou mais rápido diante como diferente soava meu nome quando ele disse com seu sotaque holandês tão pronunciado.

Yanna disse de novo, com advertência esta vez desde que ainda não o tinha olhado.

A ordem em sua voz era como música que meu corpo não podia resistir dançar e me encontrei levantando a cabeça com lentidão para ele.

Deus, realmente era muito encantador com as palavras. Doía olhá-lo e não tocá-lo, e inclusive doía mais me forçar a perceber que suas palavras eram tão descaradamente próximas com suas necessidades.

Quero te foder, Yanna.

Meus lábios se apertaram com surpresa diante do que ele estava dizendo enquanto o resto de meu corpo se derretia. Cada nervo em meu corpo estava gritando, se dispa agora, se dispa agora!

Quando

prostituta?

tinha

me

transformado

em

uma

desavergonhada,

Caminhou para mim, e só podia ficar de pé ali, uma escrava esperando ser reclamada por seu mestre. A ideia me fez tremer. De onde vinha isto?

Senhor Kastein. assim mal podia me escutar sobre o escândalo que meu coração estava fazendo. Comecei a me separar dele, quando me dei conta de que realmente estava determinado a fechar a distância entre nós.

Olhando sobre o ombro para me assegurar de que estava me apoiando no caminho para a porta, olhei-o.

Me chame por meu nome ordenou.

Traguei diante do ardente olhar em seu rosto, porém disse secamente:

Senhor Kaste-in! terminei gritando a última silaba, quando sua mão de repente saiu disparada, me tomando de surpresa enquanto me agarrava.

De repente estive apanhada no círculo de seus braços, sua

respiração

tocando

o

meu

rosto

e

Constantijin

me

olhando

com

satisfação.

É a única mulher que conheço que não está morrendo por me obedecer sussurrou.

Então acredito que deve ter estado saindo com cadelas, e não mulheres.

Riu entre dentes, mas seu tom era mortalmente sério quando murmurou:

Agora vou te beijar.

Meus olhos se ampliaram com pânico. Soube sem uma só dúvida que minha vida mudaria por completo se ele fizesse isso.

Não

Constantijin já tinha inclinado a cabeça para baixo, seus lábios vencendo os meus.

Dei-lhe um tapa sem pensar.

Largou-me com uma murmurada maldição, algo em holandês, mas a forma em que disse era desnecessária uma tradução literal.

Por que diabos me bateu?

Beijou-me! minha voz estava tremendo tão forte como estava meu corpo. Não podia acreditar como esse delicado toque efêmero de seus lábios tivesse me colocado incrivelmente úmida.

Levantou uma sobrancelha.

E? Ambos o queremos.

Seu sarcástico olhar se moveu ao meu peito. Ofeguei, cruzando os braços sobre ele para tampá-lo, enquanto me dava conta de como meus mamilos haviam tornado a me trair.

Constantijin arrastou as palavras.

De fato, acredito que posso ir tão longe ao dizer que quer mais que meus beijos. Também quer que te toque sua voz diminuiu Quer que lhe foda neste mesmo momento.

Não menti inclusive quando meu corpo pedia mais pelo contato pele com pele com ele. O tornado de emoções explodindo dentro de mim me fez querer chorar. Todas se reduziram a uma coisa. Queria que me fodesse, neste momento.

Agarrou-me de novo em seus braços.

Me deixe provar que deliciosa mentirosa é murmurou antes que seus lábios estivessem onde tão desesperadamente eu queria e temia que estivessem.

Esta vez, nem sequer se separou quando lutei tanto como pude. Quando tentei me afastar, ele contra-atacou ao me pegar de costas, sua força bruta ganhando com facilidade sobre a minha. Empurrou-me para trás até que meus quadris tocaram algo por trás.

De repente me encontrei meio tombada sobre a mesa de conferências, Constantijin empurrando a cadeira bloqueando seu caminho. Esta caiu na parede com um barulho, quando ele me pressionou para baixo, aprofundando o beijo, seus lábios metendo-se com força nos meus até que no final ofeguei em gemido.

Sua língua serpenteou para dentro sem vacilar, me saboreando como se minha boca fosse o mais doce e excepcional caramelo. Seus lábios e língua se moveram com uma mescla de doçura e posse, me seduzindo além de todas as inibições sexuais com as quais tinha crescido. Sua dureza me atravessava, mas era um peso que estava ansiosa por sentir, e não podia parar a minhas pernas ao envolver-se entorno dele. Gememos ao mesmo tempo, a nova posição de nossos corpos permitindo a sua ereção pressionar contra mim, uma força de sedução que deslumbrava cada pequeno sentido comum permanecendo em minha mente.

Quando se separou um pouco, só pude lhe devolver o olhar, aturdida.

Fale meu nome ordenou, sua voz mais profunda.

Agora incapaz de resistir a ele, sussurrei:

Constantijin.

Ele gemeu, me beijando novamente, desta vez deixando ir os meus pulsos,para que pudesse acariciar meu seio com uma deliciosa mescla de rudeza e desespero. Quando começou a amassar ao mesmo tempo que seus dedos apertavam meus mamilos, minha cabeça caiu contra a mesa enquanto me arqueava para ele, lhe oferecendo todo meu corpo. Nesse momento era dele.

É tão malditamente sexy -grunhiu, e abri os olhos para vê-lo me olhando com tal fome que ofeguei por isso. Parecia que queria me devorar. E, dava-me conta com surpresa, que eu queria ser devorada por ele.

Fale que quer que lhe foda, Yanna.

Apesar de minha cabeça estar um caos e meu corpo já não me pertencer, não podia dizer as palavras. Era muita exposição, muito estranho para alguém que cresceu pensando nos termos de "fazer o amor" em lugar da simples dor de "foder”.

Seus olhos se obscureceram, e fui consciente de que viu minha resistência como uma provocação.

Constantijin, não

Não te deixarei partir até que diga as palavras murmurou ao mesmo tempo.

Abriu-me a blusa com destreza, levando o sutiã com ela, e depois estava olhando meus peitos nus. Corando, apressadamente tratei de

cobri-los apesar de que podia sentir umedecer diante o calor de seu olhar.

Não! Constantijin tinha levantado meus braços sobre a cabeça outra vez. Usou a outra mão para me cobrir as nádegas e ofeguei quando seus dedos se apertaram ao redor das curvas, antes de se aproximar.

Baixou a cabeça e tomou um mamilo na boca.

Começou a chupar.

Constantijin.

Chupou com mais força.

Constantijin.

Afastou-se e me olhou, com um forte e possessivo olhar,quando ordenou:

Diga. Diga que quer que lhe foda, Yanna.

Sacudi a cabeça.

Tomou meu outro mamilo na boca, chupando inclusive com mais rudeza. Quase chorei diante da sensual tortura, e não pude evitar me arquear para ele inclusive mais. Silenciosamente lhe suplicando que chupasse mais forte e por mais tempo.

Constantijin o fez, e quando me mordeu o mamilo, soltei um gemido. Afastou-se de novo.

Diga que quer que eu lhe foda Yanna. Diga!

Solucei:

Quero que me foda.

Liberou

meus

braços

para

que

pudesse

mamilos, falando com voz rouca:

beliscar

ambos

os

Diga, quero que me foda, Constantijin.

Encontrei-me

agarrando-o

pelos

cabelos

e

a

nuca,

descaradamente voltando a empurrar sua cabeça contra meus peitos.

Quero que me foda, Constantijin.

Ele beliscou meus mamilos com mais força.

Peça.

Por favor me foda

Alguém bateu na porta suavemente e antes que fosse aberta, uma mulher de cabelo grisalho entrou na sala.

Constantijin,

temos

uma

emerg

-

sua

voz

aguda,abruptamente se apagou quando nos viu, e me afastei

de

Constantijin ainda me beliscando os mamilos, meus peitos nus a sua vista.

Lágrimas arderam meus olhos diante da culpa e o horror de ser apanhada assim, e me separei de Constantijin, remexendo a mesa

enquanto cobria meus peitos com os braços. Apressadamente coloquei o sutiã e a blusa, escutei a senhora murmurar uma breve desculpa antes

de fechar a porta. Comecei a chorar por isso. Ela soava tão

estivesse acostumada a fazer isso. Ele fazia isto com cada garota que

gostava?

Como se

Quase me derrubando sobre os saltos enquanto dava a volta, ignorei Constantijin chamando por meu nome, enquanto me apressava a sair da sala, nublada pelas lágrimas.

Esperava, um pouco, que corresse atrás de mim, mas não o fez. Bom, isso estava sendo verdade? As lágrimas caíam de meus olhos com mais fúria diante da ideia.

Alyx saltou sobre seus pés quando me viu.

Que diabos

está bem? O que aconteceu?

Quase dei minha virgindade ao playboy nº 1 da Holanda, isso é tudo. E agora estava pagando o preço por isso.

Assentindo nervosamente, gaguejei.

Nada.

Mas era tudo, e despertava cada manhã chorando, porque sonhava com ele, e me odiava
Mas
era
tudo,
e
despertava
cada
manhã
chorando,
porque
sonhava com ele, e me odiava por ser tão puta.
Então recebi uma ligação.
— Olá, Senhorita Everleigh. Sou Megan da Kastein Inc. me agrada
lhe informar que foi selecionada como parte do novo departamento de
marketing. Se ainda estiver interessada no trabalho, nós adoraríamos
tê-la aqui amanhã às nove da manhã. Sua supervisora, a Senhorita
Charli, estará esperando para lhe dar uma rápida orientação.
Lição #2 “ Não dê desculpas. Se decidir trabalhar para qualquer uma das empresas que

Lição #2

Não dê desculpas. Se decidir trabalhar para qualquer uma das empresas que o multimilionário possui É o mesmo que dizer: "Me seduza, me dispa, sou tua."

Alyx e eu fomos comprar roupas de luto, quero dizer, trajes corporativos. Se fosse pensar na minha entrevista de trabalho, meu arco-íris de vestidos sortidos e de três peças não teria lugar na Kastein Inc.

Está segura de que a última saia que comprou não violará o código de vestimenta de seu local de trabalho? perguntou Alyx rindo depois de mais de duas horas de visitas às boutiques.

Sorri.

Já me dava por vencida com minha roupa colorida. Não podem me tirar minhas minis, também.

Dificultada pelas sacolas de papel, me virei para um lado, com a intenção de empurrar a porta de vidro da entrada da Luigi com meus quadris. Justo ao baixar os quadris com todas minhas forças, alguém abriu a porta do outro lado ao mesmo tempo.

Oh! meu coração saltou de medo quando me senti derrubar, mas um par de mãos imediatamente me segurou pela cintura. Levantei o olhar, e pus um sorriso envergonhado em meus lábios.

Meu salvador me sorriu, seus olhos brilhantes quando me pôs cuidadosamente de novo em meus pés.

De nada respondeu a minha silenciosa desculpa. Estava vestido casualmente em camisa e calças jeans e se via extremamente delicioso. Ou ao menos isso era o que daria haveria dito, já que ela gostava do tipo alto, moreno e bonito.

Corei pela admiração não dissimulada em seus olhos, adulada e incômoda ao mesmo tempo. Meus pais me enviaram a uma escola só para garotas e me convenceram em me inscrever na universidade de damas também. Era o mesmo em nossa empresa, rodeada por farmacêuticas e investigadoras do R&D. Assim confie em mim quando te digo que tudo o que sabia dos meninos era o que tinha visto no The Bachelor e Vampire Diaries, o qual acredite nisso, não era exatamente um grande material de referência. Poderia terminar com um vampiro disposto a me trocar por um milhão de dólares se não tomasse cuidado.

Obrigado disse

com uma leve inclinação de cabeça e

rapidamente o desviei, arrastando uma Alyx sorrindo atrás de mim.

Queria pedir seu número, já sabe disse Alyx depois de dar nossos pedidos ao garçom. Ela tinha pedido salada e café. Tinha pedido o mesmo, junto com um pequeno prato de fettuccine. Dieta nunca tinha

sido uma palavra válida em meu dicionário. No que diz respeito a mim, era uma palavra inventada pelo monstro mau do anti prazer.

Humm. fiz o som evasivo, ocupada cortando as etiquetas dos preços para assim poder ter mais fácil o cálculo de meus gastos mais tarde em casa. Tanto meu avô como o de Alyx era ex-militar de escassos recursos e nos ensinaram isso com muita insistência em nossa infância. Coloque estes dois elementos juntos e tem meninas que compram pouco nas livrarias, inclusive embora nossos limites de cartões de crédito pudessem pagar muito mais que isso.

Enquanto esperávamos os aperitivos, disse a Alyx sobre as outras duas ofertas de trabalho que recebi de empresas, que eram tão bem conhecidas como a Kastein Inc.

Uma delas inclusive me ofereceu mil dólares no ato, como um bônus por aceitar.

Alyx se engasgou.

E não aceitou?

Mordi o lábio.

Realmente quero o trabalho na Kastein. É o trabalho dos meus

sonhos

Ela sorriu.

Além do chefe dos seus sonhos, também, com o pênis dos seus

sonhos

Engasguei-me com meu café.

Não tem nada a ver com isso.

Mas Alyx só cantou:

Assim pensa que seu pênis é

Não, não.

Alyx ainda não sabia o que tinha acontecido,o que quase nos passou e como totalmente tive meu passeio de vergonha depois de meu um a um com o playboy nº 1 da Holanda.

Ontem de noite fiquei acordada até tarde para poder procurar no Google tudo o que tinha que saber sobre Constantijin. O Wikipédia disse que era um graduado de Eton e Cambridge e filho único. Seu pai se retirou fazia muito tempo, mas sua mãe era Presidente da Junta, enquanto que ele tinha assumido o cargo de Diretor Geral fazia uns anos, encabeçando pessoalmente a entrada da companhia no mercado americano.

a Kastein Inc. era

alucinante. Mas o que realmente me deixou assombrada e bastante desgostosa foram os nomes de suas ex-amantes, putas e rameiras poderiam facilmente encher uma lista telefônica.

Aos trinta e

dois anos, o que ele obteve para

Só te aviso,Yanna murmurou Alyx Os romances de escritório nunca terminam bem.

Deixei escapar um sopro impróprio de uma dama, sem poder evitá-lo. Romance definitivamente não era algo no vocabulário de Constantijin Kastein. Sexo surpreendentemente quente, sim, mas não um grande romantismo.

Ele poderia ter me dado meu primeiro mini-orgasmo e poderia me manter desperta com sonhos úmidos consecutivos, mas não era o senhor Correto que estive esperando.

Lição #3 “ Centrar-se na busca do Sr.Correto. E não do Sr.Vulgar. Se seu multimilionário

Lição #3

Centrar-se na busca do Sr.Correto. E não do Sr.Vulgar. Se seu multimilionário te perceber, ele não deixará você ir até que a tenha.

Não vou procurar Constantijin Kastein.

Era um mantra que repetia constantemente em minha mente, enquanto fazia meu caminho até a recepção 34/F dos escritórios executivos da Kastein Inc. A garota atrás do balcão, Megan, sorriu-me simpaticamente. Luzia jovem e borbulhante, mas, também, vestia preto, e era uma prova de que tinha tomado a decisão correta ao comprar todo um guarda-roupa corporativo negro. Neste escritório qualquer outra cor poderia conseguir rotulá-la como Al-Qaeda ou algo igualmente horrível e era algo que devia ser evitado a todocusto.

Senhorita Everleigh?

Essa sou eu. A Senhorita Charli está?

Sim, ela vai apreciar que seja pontual. Deixe que te leve até ela agora. Megan me acompanhou até a mesma sala de conferência, onde tive o pior momento da minha vida. Já estava ruborizada no momento

em que entrei na sala, a vergonha me atacou quando me lembrei do rosto chocado da senhora ao me ver nos braços de seu chefe.

Deus. A lembrança me fez sentir como uma puta.

Constantijin não estava à vista, não é que o estivesse procurando ou algo assim. Só uma mulher estava dentro da sala, e homem, Ela dava medo! Fez que o olhar de Anna Wintour parecesse possivelmente mais simpático.

Ficou de pé no momento que entrei, parecendo esbelta em sua camisa preta abotoada, em cima levava um pulôver de listras em branco e preto e combinava com uma saia de couro e meias negras.

O impacto geral era fenomenal.

Uau! Era tudo o que podia pensar.

Olá, Yanna. Meu nome é Charli, sem o E, e você estará reportando-se a mim. sua voz era muito, muito culta, com o mínimo indício de um sotaque francês.

Era aterrorizante. Estive tentada a fugir, mas a só ideia de trabalhar no trabalho de meus sonhos me manteve em meu lugar. Sacudi sua mão com cautela e uma careta de dor, com um pequeno tremor em minha voz disse:

Olá,

Senhorita

Charli.

Gostaria

de

lhe

dizer

o

quanto

emocionada estou de trabalhar com você e a companhia.

Somente Charli, “Ma belle”.

Assenti estupidamente e com cuidado me sentei na cadeira que ela indicou com um movimento de sua bem cuidada mão.

Agora, sabe o que é a Companhia Kastein?

Sim recitei o que aprendi da página da Web, que era bastante de tudo, já que tinha memória fotográfica É uma das companhias com maior crescimento na Europa e na América do Norte. Especializa-se no setor imobiliário e de entretenimento. O Senhor Erik Kastein se concentra em imóveis enquanto que seu filho, Constantijin Kastein, centra-se em converter livros e mangás em filmes de grande sucesso de bilheteria e séries de televisão. não queria soar como se estivesse tentando impressioná-la ou algo assim, embora na realidade estivesse. Só queria me assegurar de que soubesse que não estava tomando esta entrevista sem interesse.

Isso. Magnífico murmurou com um belo sorriso Agora, a contratamos para ser nossa especialista em marketing.

Pisquei.

Pensei que só estavam procurando uma investigadora.

Certo respondeu Charli. Mas sua investigação será tanto textual como em campo. Na verdade, é que não só estamos interessados realmente aonde você se graduou, qual é seu grau, ou se quiser, onde trabalhou anteriormente.

Referência de trabalho em campo, quer dizer, prática.

Endireitei-me

confusa.

diante

de

suas

palavras,

agora

inclusive

mais

No que estávamos verdadeiramente interessados é em sua habilidade para conhecer talentos de negócios com sua principal paixão. E isso é interpretar, não?

Levou um tempo para me adaptar às suas peculiaridades verbais.

Disse "não,", mas o que realmente queria dizer era "sim"

Finalmente assenti.

Err, sim, eu adoro interpretar.

sim?

Seu rosto permaneceu sério quando perguntou:

Mas não pode escrever para salvar sua vida, não?

A forma com que Charli disse fez me dobrar de dor, mas era verdade.

Sim.

E isso é o porque te necessitamos. Não estamos interessados em contratar escritores. Costumam ser parciais e egoístas com frequência, incapazes de apreciar o que outra pessoa escreve sobre eles. Mas você sabe como julgar os livros e escrever sem ser uma escritora e isso é o porquê te necessitamos.

Entendi. mas não entendia.

Isso é o que chamaria um trabalho dos sonhos, querida.

Cai na minha cadeira com suas palavras.

As palavras soavam misteriosas, mais como uma maldição que uma bênção.

Charli se aproximou.

Seu principal trabalho é conhecer e se for possível, predizer, qual é a tendência do mercado, no momento, com respeito a estes materiais. Precisa procurar trabalhos dignos de espectadores internacionais. Tem um blog, não?

A repentina mudança de assunto fez que minha cabeça girasse um pouco, mas assenti novamente.

E você avalia trabalhos lá, não?

Sim. ela me investigou também? Como sabe tanto de mim?

Assim quero que faça o mesmo aqui, porém só esta vez, escute. colocou-se para trás em sua cadeira e me olhou com seus olhos naturalmente verdes e incrivelmente nítidos Pegará o trabalho, não?

Estaria louca se não. era tudo o que podia dizer.

Depois Charli me disse que eu, junto aos outros dois candidatos, chamados para uma segunda entrevista ontem, teríamos o mesmo trabalho. Trabalharíamos em equipe e de forma individual, em função da necessidade. O salário que ela citou para mim era o salário padrão na indústria, mas também que poderia aumentar em pouco tempo, apoiado em meu rendimento. O lado bom é que receberia comida grátis no trabalho, excelente pagamento extra quando fosse necessário e subsídio de transporte.

De segunda-feira à quinta-feira, era obrigatório estar em traje de escritório. As sextas-feiras era roupa livre. Meu horário de trabalho seria das 8:00am às 5:00pm. Sem descanso. Oh, e uma coisa mais, Charli me enviou uma regra, os romances de escritório não estão permitidos.

Um “Dèjá Vu” me chamou a atenção pela segunda vez, e quase me estremeço diante ele.

Constantijin não estava ainda em nenhuma parte quando finalmente saí pelas portas da Kastein Inc. Meu celular tocou justo quando cheguei ao outro lado da rua.

Alô?

Sentiu saudades, Yanna?

Demônios.

Era ele.

Constantijin.

O mundo inteiro desapareceu no momento no que me dava conta

com quem estava falando. Pessoas passavam caminhando constantemente diante de mim, os motoristas tocavam a buzina, e havia inclusive uma equipe de construção a poucos metros perfurando no cimento, fazendo Deus sabe o que, mas nenhum desses ruídos chegou a meus ouvidos.

Yanna?

Não sabia o que dizer, assim fiquei em silêncio, secretamente repetindo o som de sua voz uma e outra vez, especialmente a parte onde disse meu nome com essa voz com sotaque.

Penso o todo o tempo em você, *“Schat”. (*Tesouro)

O

que queria dizer a última palavra? Buscaria no google depois.

Quando não respondi, seu tom passou de sedutor a sério e perguntou.

Por que fugiu?

Por que não correu atrás de mim?

Mas não podia lhe perguntar isso, Podia? Isso seria, como, estar lhe pedindo que viesse atrás de mim. Finalmente disse com uma voz dura que necessitou de todos meus dotes de atriz para levar-se a sério:

Não acredito que devamos falar assim nunca mais. Estarei trabalhando para você a partir de manhã. Seria inapropriado.

Uma longa pausa seguiu, uma que me colocou ansiosa e tensa apesar de não queria estar assim. Devia parar agora. Sabia, mas não podia.

Isso é impossível.

Inalei bruscamente diante das palavras. Consciente da faísca de alívio que passou por mim, e envergonhada disso. OH, Deus, sou tão patética. Às vezes, era muito teimosa para meu próprio bem. Constantijin Kastein era uma má notícia. Quantas vezes tinha que repetir que tudo o que tinha a ver com o mulherengo número um dos países baixos sem dúvida ia terminar não só com um hímen rompido, mas com um coração quebrado também?

Meus dedos se apertaram ao redor de meu telefone celular.

Vou desligar, Senhor Kastein, por favor só

Quero muito te foder para me manter afastado.

Caralho.

Olhei meu celular, desejando que fosse um magnífico gigante loiro que eu estivesse olhando em seu lugar. Com só essas poucas palavras ele arruinou qualquer compostura que tivesse. Agora a única coisa que podia pensar, era em como me tinha sobre a mesa, devorando meu

peito, sua proeminente ereção contra meu centro, e eu agora, molhada em meio de uma rua pública.

Pare de falar coisas como essas disse fracamente. Era uma resposta pobre, sei, mas o que achava mesmo? Isso era como, o melhor prato que podia servir.

Por que não? o rosnado de sua voz me fez tremer. Algo do que estava segura era que havia pessoas me olhando estranhamente como se me observassem. Ainda era cedo, o sol enviava raios dourados por todo o lugar, e, entretanto aqui estava eu tremendo de desejo.

Simplesmente não podemos. Não é acordo?

Só não podemos, de

Riu entre os dentes, e o som enviou calafrios deliciosamente eróticos por minha espinha. Era como se pudesse sentir seu dedo atrás de minhas costas, prometendo me agradar e ser cem vezes mais intenso se finalmente deixasse que me tomasse.

Yanna, já estamos fazendo, admita ou não. E amanhã, quando chegar ao trabalho, vamos fazer muito mais que isto.

Lição # 4 “ Não peça para ser amigo de seu multimilionário. Ele pensará que

Lição # 4

Não peça para ser amigo de seu multimilionário. Ele pensará que depois dos benefícios, você não será amistosa.

Na teoria, o primeiro dia de trabalho devia ter sido como os primeiros dias na escola. Tinha que inspecionar os arredores, conhecer novos amigos e rivais, e descobrir o que terei que fazer para não ser um exilado. Mas a questão era que nunca tinha experimentado problemas no primeiro dia, sobretudo porque tendia a se esquivar deles por completo. No momento em que me apresentei na escola, Alyx e Daria já tinham suavizado as coisas para mim. Eram geniais, então eu era genial por associação.

Mas, obviamente, essa não era uma opção no trabalho.

Tomei um banho cedo e escolhi um conjunto perfeitamente modesto para meu primeiro dia: blusa preta, calças e botas de salto baixo. Minhas minis estariam em recesso até novo aviso.

Megan e Charli já estavam trabalhando quando cheguei a Kastein, Inc., me fazendo prometer que não ia deixar que meu despertador tocasse três vezes a partir de amanhã. Com sorte, duas repetições seriam suficientes para me fazer chegar ao trabalho antes que meu superior.

Quando cheguei ao escritório onde Charli tinha me enviado, vi os outros dois executivos de marketing que ela tinha me falado. Meu coração se afundou. Um deles era a loira de farmácia. Levava uma blusa de gola alta também, mas desabotoada, aberta para revelar mais de uma olhada de suas taças G. Junto a ela, senti-me como se tivesse peitos do tamanho de ovos. Ovos de passarinho, inclusive. Sua saia era muito mais larga que a minha, mas tinha fendas na metade da coxa de cada lado, e suas pernas pareciam imensamente longas com seus malditos saltos agulha.

Imediatamente, pensei na loira de farmácia com sua roupa à altura de Constantijin e meu coração se apertou.

O último a completar nosso trio foi George, um gay graduado da

Ivy League que parecia ter uma afeição pelos óculos dorky e camisas xadrez. Tinha reparado nele na entrevista, e estava com a mesma combinação.

George e eu nos sorrimos. Em um instante, soube que íamos nos dar bem. A loira de farmácia e eu nos avaliamos uma à outra sem sorrir. Com a mesma rapidez, sabia que íamos ser rivais por toda vida.

O escritório que nos deram tinha paredes de cor púrpura clara,

uma cor que era muito agradável à vista. Um lado da sala era de vidro puro, nos proporcionando uma vista da impressionante paisagem urbana. O lado esquerdo da sala, junto à porta, ligava nosso escritório

com o de Charli, estava dividido em três cubículos. Cada cubículo tinha uma mesa, uma cadeira e um armário arquivo. Vendo-se imensamente diplomático, George optou pela mesa central, para manter a loira de farmácia, ou melhor Arian e a mim separadas. No lado oposto da sala,

estava uma grande mesa de trabalho, a qual pressumi ser onde estaríamos fazendo nosso trabalho em equipe.

Olhei ansiosamente. Não.

Quando cheguei a meu cubículo, encontrei uma nota de post-it colada em minha tela LCD de Charli, nos pedindo para revisar os últimos projetos da Kastein Entretenimentos.

Em torno das 10 horas da manhã, Charli chegou para ver nosso progresso. Para então, fazia-se evidente, para todos nós, que representávamos diferentes categorias. Deram-me a YA e comédias românticas, George estava ali para as séries de luta como Naruto e Pokemon, assim como Yaoi. Yaoi ou shounen-ai era um termo genérico para as histórias de romance entre homens. Ao parecer, Kastein quis capitalizar a moda “Brokeback”. Quanto a Arian, representava o gênero “chicklit” adulto, centrando-se nas obras de manga e asiáticos das linhas de “Bridget Jones” e “Erin Brockovich”.

Meu maior medo sobre o trabalho não era ser capaz de contribuir, mas sim à medida que avançava o dia, pouco a pouco, felizmente, me dar conta de que este trabalho significava algo para mim. Com minha fluidez em japonês e mandarim, tive a oportunidade de obter mais informação a respeito das distintas séries que poderia recomendar para a empresa. Não limitei a sites traduzidos em inglês, mas sim aprofundei nos blogs de ambos os mangaka e seus leitores.

Estava tão absorta com o que estava fazendo que não tinha me dado conta que a hora do almoço tinha chegado e ido. No momento em

que meu estômago soltou um grunhido de protesto audível, vi Arian me olhando e George rindo, já eram três da tarde.

Grande erro podia escutar a sempre prática Alyx estalando em minha cabeça. Nunca mostre ao seu chefe que tem tanta diversão no trabalho que está disposta a pular o almoço. Depois, esperarão por isso o tempo todo.

Poderia dizer a Charli que saí para um almoço rápido? perguntei ao George enquanto agarrava minha bolsa da mesa.

George assentiu, com os olhos fixos na tela. Parecia tão absorto como eu com seu próprio trabalho.

Te mandarei uma mensagem se ela precisar de algo urgente.

Obrigada disse-lhe sobre meu ombro, já a ponto de sair.

Arian e eu não nos olhamos enquanto saía.

Sim, realmente somos rivais.

Os empregados da Kastein, Inc. tinham acesso a um restaurante privado no 30/F, que parecia mais um vestíbulo de hotel celebrando uma feira de mantimentos gourmet. O pessoal estava vestido de, adivinhou, totalmente de preto. Uma parte do restaurante tinha acolhedoras cabines em forma de meia lua enquanto que o resto tinha jogos de mesas de aço e cadeiras com acessórios com as melhores toalhas e almofadas, ambos também em preto.

Todos tínhamos provisões de comida diária. Quanto gastava dependia de seu nível de trabalho. Neste momento, tinha 10 dólares para gastar cada dia e algo mais tinha que pagar do meu bolso.

Para fazer sua hora de almoço, devia marcar a saída. A maioria das pessoas já tinham ido no momento em que a máquina escaneou minha impressão digital. No alto, um enorme tabuleiro mostrava uma lista das iniciais de todos os empregados que trabalham para a Kastein, Inc. A luz junto as minhas iniciais piscou azul, o que significava que estava em descanso. Voltaria para verde uma vez que o relógio rodasse ou vermelho se não me apresentasse para trabalhar.

Meus olhos se desviaram inconscientemente à parte superior do tabuleiro, onde as iniciais de Constantijin também estavam em exibição.

Azul.

Ali ia meu coração, correndo todo o caminho até

a

linha de

chegada da absoluta estupidez emocional e ganhando o primeiro lugar.

O restaurante estava quase deserto quando passei pela porta giratória. Uma mesa na esquina estava ocupada por internas rindo, que em repetidas ocasiões olhavam por cima de seu ombro.

Seu assunto de interesse?

Estava de costas para mim, mas a deliciosa cor de seu cabelo era facilmente reconhecível. Rapidamente dei a volta e caminhei para a seção italiana, meu coração esmigalhado entre querer que me visse e desejando que não o fizesse.

Pedi espaguete com almôndegas e capuchino gelado, esperei pacientemente meu pedido, porque estava muito ocupada tratando de não pensar em Constantijin e depois escolhi uma mesa junto à janela, longe das garotas risonhas.

Enquanto tomava um gole de meu café, dava um olhar muito disfarçado para onde Constantijin estava sentado.

Ele não estava ali.

A decepção fez que meus ombros se inclinassem e me consolei fazendo rodar uma boa quantidade de espaguetes com o garfo e me alimentando. Muito em breve, o delicioso sabor me fez esquecer temporalmente playboys holandeses e mini-orgasmos. Fechei os olhos, saboreando a maravilhosa textura e o sabor picante de minhas almôndegas.

Quando abri os olhos, Constantijin estava sentado de frente para mim, um sorriso malicioso conhecido nos lábios, um copo de água em uma mão. Estava vestido com outro terno de riscas, cinza escuro desta vez, e também definia a amplitude de seus ombros. Sua camisa azul pálido debaixo estava parcialmente desabotoada, deixando ver seu peito, o mesmo peito que tive a oportunidade de

Horrorizada por onde meus pensamentos se dirigiam, sussurrei:

Não deveria estar aqui! então lembrei onde estávamos e com quem estava falando e acrescentei a contra gosto Senhor.

Ele riu quando me viu olhando nervosamente ao redor. Não pude evitá-lo. Não queria que ninguém soubesse, visse, que estava falando com ele, e muito menos compartilhando uma mesa com ele. Beirava a inadequação, do tipo que bem poderia fazer que me despedissem ou virasse uma fofoca. Por sorte, ou por desgraça, não podia decidi-lo nesse momento, não havia ninguém ao redor, e inclusive as internas rindo não estavam à vista.

Pondo o copo sobre a mesa, disse:

Certamente demorou a vir aqui.

Meus olhos se abriram. Ele tinha estado esperando por mim?

Quando não respondi, um sorriso torcido tocou seus lábios.

Você faz deliberadamente?

Franzindo o cenho, confundida, perguntei-lhe:

Fazer o que?

Me deixar louco com seu silêncio. Não fala quando a maioria das mulheres o faz e fala quando espero que não.

Quando não disse nada, suspirou:

É o está fazendo novamente.

Mordendo o lábio, confessei-lhe:

Não estou fazendo deliberadamente. É só que não sei o que dizer quando estou perto de você. era certo. Eu gostava de falar muito. Mas quando Constantijin estava perto, não podia evitar que minha língua travasse, não podia deixar de estar em guarda, já que na primeira vez que nos vimos, ele tinha me mostrado, como tão fácil e absolutamente fraco era meu corpo quando estava em sua presença.

Inclinou-se, tão de repente que quase saltei de meu assento como um coelho assustado.

O que? perguntei quase na defensiva.

Por que fugiu?

Espetei:

Por que não veio atrás de mim? logo que as palavras saíram, amaldiçoei-me sem parar. Merda. Idiota.

Tola. Por que tenho que me colocar em evidência dessa maneira?

A incredulidade brilhou nos olhos de Constantijin, e lhe devolvi o olhar desafiante, com cautela. Estiquei-me quando começou a falar.

Porque não. sua resposta não deveria me surpreender, mas o fez, sua voz implacavelmente dura quando pronunciou essas três pequenas palavras: Te desejo,Yanna.

Mais que um pouco ferida por sua rejeição, porque assim era como sentia, disse com frieza:

Bom, não pode me ter.

Sua voz se fez mais sedutora.

Você e eu sabemos que isso é mentira. Mas não quero te forçar. Quero que venha para mim com gosto e vou fazer o que for

Incapaz de suportar escutar mais porque sabia que estava certo, interrompi-o desesperadamente.

Constantijin

Eu adoro quando diz meu nome sussurrou.

Eu adoro quando diz o meu também, pensei com tristeza. Muito, e esse era o problema.

Olhei-o, esta vez sem me incomodar em ocultar a súplica em meus olhos.

Não sou do seu tipo, Constantijin. Não tenho aventuras de uma

eu não gosto terminei sem poder

só noite. Não faço essas coisas. Só fazer nada.

Sei o que está dizendo, carinho respondeu, e a forma em que seus olhos ardiam direto para mim me fez tragar. Oh Deus. Seus olhos

me diziam que neste momento estava duro, tinha estado desde o começo. Por mim.

A umidade se formou entre minhas pernas em resposta.

O triunfo ardeu em seus olhos.

Mas é muito tarde. No momento em que entrou em meu escritório, com sua roupa de cor rosa e sorriso radiante, a forma em que me falou sem paquera, a forma em que encantou a todo homem na sala, sem nem sequer ser consciente disso

Suas palavras fizeram que meu corpo se enchesse de tanto desejo que não podia respirar. Ele pintava uma mulher que não conhecia e, entretanto a forma em que me olhava com tanta intensidade me disse que eu era ela.

Quero muito estar dentro de você, Yanna, e vou te ter.

Queria olhar para outro lado, mas não podia. Seu olhar tinha me escravizado mais uma vez, e era tudo o que podia fazer para não me inclinar para ele e implorar por seu toque. Em um último esforço para me salvar, disse com voz tremula:

Não podemos ser somente amigos?

Sem prévio aviso, encontrei-me sendo puxada para frente por debaixo da mesa, e deixei escapar um grito afogado de choque, quando senti sua mão passar por debaixo da minha saia.

Fiquei rígida.

Shhh, querida, ou todos saberão sussurrou.

Tratei de me afastar um pouco, mas ele se vingou tocando meu núcleo palpitante, com sua mão o suficientemente grande para marcar cada centímetro com seu toque.

Se continuar se mexendo, rasgarei você

Não vou me mover! meio ofeguei as palavras enquanto o olhava.

Mas isto só fez que seu sorriso se alargasse.

Então senti seus dedos passando por debaixo do tecido da calcinha e minhas costas se ergueram ainda mais.

- sufoquei um gemido quando seus dedos riscaram

uma linha reta contra minha carne, paralelamente as minhas dobras, antes que ele pressionasse seu polegar muito brandamente contra a pequena protuberância de carne que inclusive eu nunca havia tocado.

Não, Com

Quer que te faça gozar? suas palavras zombando, foram acompanhadas pelo movimento de seus dedos, entrando e saindo de mim, mas na realidade nunca entrando.

Enlouquecida de necessidade, de fato, me encontrei avançando pouco a pouco, como se ao fazê-lo pudesse colocar seus dedos dentro de mim.

Oh Deus, o que estava fazendo? Constantijin Kastein era um desconhecido de todas as maneiras. Entretanto, ali estava eu, desejando suas carícias como um vício, com o que não podia viver.

Yanna.

Sim gemi.

Entretanto, tem que me prometer que fará silêncio.

Assenti, incapaz de dizer nada mais, porque seus dedos se moviam de novo, subindo e descendo contra meu calor.

Está preparada?

minha boca se separou em um grito silencioso de

prazer agonizante porque Constantijin tinha me tomado de surpresa de novo, deslizando seu dedo dentro e fora em um ritmo que fez que um enorme calafrio percorresse meu corpo.

Você

Tranquila, carinho.

Assenti, agarrando a toalha desesperadamente com uma mão enquanto fazia meu melhor esforço para evitar que meu corpo se jogasse nas investidas de seus dedos. Estava tão molhada e louca de desejo por ele, que inclusive esta primeira penetração de meu corpo não doeu. Em todo caso, só me deixou com vontades de mais e mais.

Quer que seja mais rápido?

Assenti e fechei os olhos quando seus dedos empurraram dentro e fora aumentando a velocidade, me cortando a respiração.

Mais forte?

Assenti outra vez, porque não queria falar. Tinha medo de que se abrisse a boca, ia terminar gemendo de prazer.

Seus dedos me fodiam duro e mais rápido esta vez, e quase me dobro em meu assento quando um segundo dedo me penetrou. OH,

OH

um terceiro dedo? Isto foi muito.

Yanna. sua voz estava cheia de desejo agora, quase gutural

de novo.

Tive que ser obrigada a abrir os olhos.

-Quero que venha agora.

Minha respiração se deteve.

Quero que venha empalada em meus dedos, tão profundo como pode em seu interior. Muito bem, carinho?

Só podia olhá-lo em desejo silenciado.

Diga sim disse ele entre dentes.

Sim.

Então faça agora. e quase como se o tivéssemos ensaiado mil vezes, empurrou seus dedos justo quando levantei meus quadris para me encontrar com seu impulso. Mordi o lábio com força enquanto convulsionava ao seu redor, consciente da umidade gotejando por minhas coxas.

Enjoada pelo prazer, observei Constantijin pegar um lenço de seu bolso e inundá-lo na água. Depois de um momento, senti o frio tocar do tecido em minhas coxas. Minhas pernas se abriram por si mesmas enquanto Constantijin me limpava de maneira eficiente sob a mesa enquanto sua outra mão tamborilava em um ritmo preguiçoso sobre a mesa, seu olhar dourado brilhando com satisfação.

Tem razão, carinho murmurou quando tirou a mão, aparentemente satisfeito com a forma em que me tinha limpado. Seus lábios se curvaram em um sorriso de cumplicidade quando escutou fechar minhas pernas imediatamente no momento em que retirou a mão.

Ainda cuidando de que minhas pernas não tremessem e me perguntando se podia caminhar em linha reta depois do primeiro orgasmo que tive em minha vida, perguntei com voz tremula:

Tenho razão do que?

Esta nossa amizade. ele ficou de pé em um movimento natural, absolutamente precioso e imperturbável, nem um pouco envergonhado pelo fato de me haver feito participar de um ato público de relações sexuais com ele.

Sorriu de novo.

Eu gosto deste tipo de amizade, Yanna. Espero mais do mesmo.

Lição # 5 “ Não te deixe confundir por um multimilionário. Ele verá como um

Lição # 5

Não te deixe confundir por um multimilionário. Ele verá como um convite e encontrará mais formas para te confundir mais ainda.

Meu fim de semana foi gasto vadiando na casa de Alyx. Que não quis me cobrar o aluguel, mas tinha insistido. Todas nossas comidas consistiam em produtos comprados em supermercados próximos e cadeias de comida rápida, já que ambas não tinha nem ideia de como cozinhar.

Quando saiu no domingo para encontrar-se com outro grupo de amigos, rapidamente aproveitei o tempo para procurar no Google mais informação sobre Constantijin. Não pude evitá-lo. Já que era uma obsessão, mas não podia suportar que ninguém soubesse.

Justo nesta semana, mais fotos de Constantijin foram colocadas, com uma garota diferente no braço, a cada evento que participou.

Nas partes de fofocas, também soube que tinha saído do país para navegar com seus amigos, outros dois multimilionários que eram quase tão bonitos como ele. Um famoso paparazzo de celebridades se referiu a eles coletivamente como os três Mosqueteiros. Estou totalmente de acordo, apesar de que o nome fez que meu coração doesse.

Deus, era patético. Algo sobre ele e eu, estava ali, mas, sabia que necessitava algum tipo de casca dura para meu coração. Tinha que ser mais dura para sobreviver aos ataques do sedutor playboy nº1 da Holanda.

Cheguei mas cedo que pude para trabalhar na segunda-feira, mas Charli já estava instalado em sua cadeira ultrainteligente quando cheguei ao nosso escritório. Ela também tinha um novo conjunto de post-it colados nas nossas telas LCD, e estava se convertendo rapidamente em um Donald Rumsfeld, nesse sentido.

Woodward no estado de negação da verdade, tinha essa coisa estranha com as controvérsias políticas e com os encobrimentos, o autor tinha revelado como Rumsfeld, que seguia sendo o secretário de Defesa dos Estados Unidos, então, emitiria notas adesivas brancas cada vez que tivesse novas responsabilidades e deveres para seu povo. Chamavam-nos os flocos de neve, e a maioria dessas notas adesivas tinham sido sobre a guerra no Iraque.

Dando uma olhada o meu próprio conjunto de flocos de neve, tinha que me perguntar que tipo de guerra estava liderando Charli em nome da Kastein Inc.

Meus Post-It pediam uma apresentação em Power Point para uma série de manga que pudéssemos recomendar, a qual devia ter os três grandes, romance, ação e comédia. E só porque Charli tinha muita fé em nós três, foi dito em seu floco de neve! Estaríamos apresentando nossa recomendação para um pequeno grupo de gerentes de nível médio esta mesma tarde.

Coloquei-me imediatamente a trabalhar, já que me pareceu

totalmente divertido e desafiante, uma grande combinação que tinha meu coração bombeando, quase tão rápido como estava acostumado a

Merda, merda, merda. Não vou pensar

nele, eu não vou, me ordenava em silêncio.

fazer sempre que Constantijin

Com determinação voltei a me centrar em minha apresentação, perguntei a George:

Sabe como importar vídeos para o Power Point?

Sinto muito, hum, nenhuma ideia respondeu imediatamente.

Engoli meu orgulho, e perguntei:

Arian?

Ela me deu um olhar com seus olhos muito abertos como se não estivesse totalmente segura.

Não tenho nem ideia tampouco. hoje ela estava vestida com outro insinuante traje. Pensei que os meninos se acostumariam aos seus trajes, mas não. Enquanto os dias passavam, George me disse que o Clube de fãs de libertinos de Arian só parecia crescer e crescer em número.

Seu rosto estava perfeitamente maquiado, como sempre, a única coisa que eu lhe invejava em segredo. Adorava como se vestia, mas os cosméticos? Nem tanto. Rímel, pó, brilho de lábios e estava em meu

limite de tempo, enquanto acreditava que Arian inclusive cortava o cabelo do nariz. Que seja. Melhor pra ela.

Às doze e meia, saí para comprar uma barra de cereal, das que vendiam na máquina, sem saber que atrás dos vidros fumê havia um par de olhos dourados observando cada um de meus movimentos.

A barra de cereal estava deliciosa, mas insuficiente. Deslizei outra

moeda na abertura e marquei o botão necessário,mas desta vez não

saiu nada.

Oh, vamos! não podia me permitir nenhum atraso neste momento.

Aqui, me deixe ver falou alguém por trás e um momento mais tarde, um homem de cabelo escuro se inclinava ligeiramente para baixo, seu punho golpeando um lado da máquina vendedora.

A barra de cereal finalmente caiu e a agarrei. Olhando para cima,

eu estava a ponto de agradecer ao Sr. Arrumado, por sua ajuda, mas terminei ofegando em seu lugar.

Você!

Estava tão surpreendida que seus lábios formaram um sorriso contente, já que tinha me ruborizado de novo.

Parece um hábito a necessidade da minha ajuda murmurou.

Era o mesmo tipo que tinha me ajudado no momento que fui comprar as roupas de trabalho. Era uma coincidência tão estranha que durante mais de um momento, só pude piscar diante dele, me perguntando se era o homem perfeito.

Sim, sim, sabia que estava saltando totalmente em conclusões, quanto a como do ponto A ao ponto Z, de fato, mas se via como o que tinha acontecido entre meu pai. Carole e Walter se apaixonaram a primeira vista. Nem sequer tinham falado entre si. Eles só se olharam os olhos do outro, e isso foi tudo.

Poderia este homem ser único para mim?

Sem deixar de sorrir, o homem me estendeu a mão e disse:

Sou Drake Morrison. parecia ainda mais alto e mais bonito do que recordava, mas com a mesma pele morena e os olhos castanhos claros.

Yanna Everleigh devolvi-lhe timidamente, lhe estendendo a mão. Ao soltá-la, disse-lhe em tom de desculpa Tenho que ir. Tenho que fazer uma apresentação em três horas.

Claro respondeu ele com facilidade Boa sorte.

Obrigada. quando dei a volta para me afastar, podia sentir seu olhar me seguindo. Fez-me adicionalmente mais desajeitada e consciente, tropeçando em meus próprios pés quando cheguei ao escritório que compartilhava com George e Arian.

George levantou uma sobrancelha quando entrei.

Está feliz. rapidamente lhe contei sobre o Sr. Arrumado.

Oooh. Um romance de escritório proibido com o das obras,

então?

Suas palavras me fizeram pensar em Constantijin, e a lembrança era mais que suficiente para limpar todas as boas sensações que tive sobre Drake. Desinflada, sacudi a cabeça.

Não suspirei Não é para mim. poderia achar o Drake atrativo, mas era provavelmente porque sua admiração era muito óbvia para mim, o que era emocionante. Mas isso era tudo. Ele não me fazia sentir viva com um só olhar e certamente não me fazia sentir quente, úmida e irritada, tudo ao mesmo tempo com umas poucas palavras.

Às três horas chegaram antes do esperado e antes de me dar conta, Megan nos levava a outra sala de conferências, a uma maior, com uma tela em branco já colocada na frente e um projetor conectado e preparado para nosso uso. As únicas luzes na sala se dirigiam para o cenário, deixando o restante da sala, e a nossa audiência, envoltos na escuridão.

George era o primeiro. Ele utilizou uma apresentação com imagens de slides e por ser super criativo, funcionou para ele, embora especificamente Charli tivesse pedido para inserir um vídeo. Arian seguiu depois, e sua apresentação PP tinha um vídeo muito profissional inserido, hipócrita!

Logo foi minha vez. Depois de um rápido sinal da cruz, subi ao pódio, limpando a garganta várias vezes. Passei um par de segundos tentando deixar que meus olhos se acostumassem à luminosidade da luz do teto colocada em mim. Sentia quase como se estivesse falando comigo, o que gostei bastante.

Eu sabia que além de George e Arian, Charli estava ali, também, como nossa supervisora. Mas estava totalmente desorientada sobre as identidades dos outros três diretores, e isso me colocava nervosa. Oxalá tivesse me lembrado de perguntar a respeito deles a Charli antes da apresentação.

Tomando uma respiração profunda, comecei minha apresentação.

Por que Hana Kimi?

Diante essa pergunta me permitam compartilhar algumas coisas primeiro. SlamDunk, Boys Over Flowers, e Coffee Prince são sozinhas algumas séries asiáticas de TV que foram importadas para a Europa e se converteram em grandes sucessos de bilheteria já disponíveis em muitos de nossos mercados.

Os fanáticos,os que adoravam os esportes como o basquete, o harém de meninos Belos que encontramos no Boys Over Flowers, e a ideia de uma garota fazendo-se passar por um menino no Coffee Prince.

Temos tudo isso em Hana Kimi. Por isso acredito que talvez a pergunta devesse ser, por que não Hana Kimi? Já foi adaptada para uma série de televisão em Taiwan e foi um sucesso instantâneo. Com a

fórmula correta, não tenho nenhuma dúvida de que seu sucesso poderia duplicar-se para a audiência ocidental.

A série é sobre uma garota que idolatra um atleta de salto alto que viu uma vez, por isso decidiu transferir-se para a mesma escola onde ele está, inclusive isso significa que deve esconder seu verdadeiro sexo ao inscrever-se em uma escola de meninos.

Em sua nova escola, Mizuki, a heroína da série,se reúne com um elenco completo de meninos lindos, todos eles com possibilidades de ter suas próprias histórias. Quanto à história verdadeira, Mizuki se converte no companheiro de quarto de seu ídolo e amor. Podem imaginar os momentos hiláriosque poderiam se criar!

Outra grande coisa a respeito desta série é que conta com 23 volumes no total, e já com tradução em inglês distribuídas por várias redes de televisão, podem escolher,se quiserem uma série curta e centrar-se em suas cenas favoritas, ou podem produzir uma comprida e maximizar o potencial da série. Tudo depende do cliente, mas de qualquer maneira, é uma situação ganhar, ganhar para a Kastein, Inc.

E logo terminou.

Foram os 15 minutos mais compridos de minha vida, e meus joelhos ainda estavam tremendo debaixo de mim. Alguém acendeu a luz e de repente, ouvi as pessoas ficarem de pé e aplaudir, inclusive com Charli sorrindo para mim. Ela era tão sofisticada que nunca pensei que ela soubesse como sorrir, e muito menos vê-la!

Ainda estava um pouco enjoada na compreensão de que minha apresentação tinha terminado e, que tinha sobrevivido, desci rapidamente do pódio e renunciei ao meu espaço para Charli.

Apertando meu guia da apresentação, deixei que meu olhar vagasse pela sala com ar ausente e congelei quando me encontrei com um par de olhos cinza preguiçosos me estudando com tal intensidade, que me encontrei contendo o fôlego.

Constantijin estava aqui.

Seu rosto sério me pôs nervosa, mas mesmo assim não pude evitar de me sentir gloriosamente viva só de vê-lo. Era exatamente como esse momento, hilário, de que estava falando antes.

Nervosa por sua expressão impassível obriguei-me a escutar Charli, que estava dando os parabéns a nós três, pelas apresentações e dizendo que todas nossas recomendações valiam a pena considerar.

Arian, a apresentação foi preciosa, mas da próxima vez espero que adicione mais dados estatísticos, tal como Yanna compartilhou sobre o desempenho de Hana Kimi no Japão e Europa.

Há! Toma isso, Arian!

George, sua apresentação foi preciosa, mas por agora também, por favor, se mantenha afastado extremamente das gráficas da série Yaoi. Já que não acredito que a maioria da audiência americana esteja preparada para ela ainda.

Dava a George, um polegar para cima, já que estava fazendo o possível por não mostrar-se decepcionado.

E Yanna, fez um grande trabalho. Posso ver quanta paixão pôs em seu projeto, mas a próxima vez, espero ter uma melhor qualidade de vídeo para compartilhar conosco.

Arian, você menina egoísta, você!

Charli sorriu de novo.

Dado que isto foi tão bem, estou encantada de dizer que você vai apresentar a mesma recomendação aos próximos gerentes executivos.

Seu anúncio, feito do nada, fez-me engolir saliva e pude ver que Arian se sentia enjoada diante do pensamento.

Mas Charli não parecia dar-se conta de nosso pânico silencioso. Cumprimentou ao nosso público, fazendo uma nota especial pela presença de Constantijin. Parecia que ele não tinha que estar aqui absolutamente.

Depois, os outros dois executivos falaram conosco, um por um. E Martha, a chefe do departamento de finanças e Lawrence, quem dirigia o departamento de produção.

Ao final da fila estava Constantijin. Tomou seu tempo falando com George e Arian, nenhuma só vez jogou uma olhada para mim.

O que me doeu e me zangou, mas sabia que não podia demonstrá- lo como queria.

Quando deu as costas a Arian, obrigando a outra mulher a fechar a boca e retirar-se, dava-lhe meu melhor sorriso educado, não estava irritada.

Senhor.

Ele não sorriu em troca.

Tenho algumas perguntas a respeito de sua apresentação. a brutalidade de seu tom me fez endireitar. Oh Deus, era por isso que parecia estar de mau humor? Odiou minha apresentação?

Constantijin ia e eu tinha que caminhar bastante rápido para poder caminhar ao seu lado, mas me assegurando de que estava ficando uns poucos centímetros atrás ao mesmo tempo como uma forma de mostrar respeito por sua posição.

Que perguntas você tem? perguntei com nervosismo.

Mais tarde respondeu em um tom ainda brusco, que só me fez ficar mais tensa.

Levou-me ao seu escritório, que tinha sua própria área de recepção. Abri meus olhos quando vi uma mulher familiar de cabelo cinza sentada atrás da mesa junto à porta do escritório privado de Constantijin.

Ela sorriu quando me viu, completamente imperturbável.

Olá, senhorita Everleigh.

O

olá - balbuciei, me perguntando se podia morrer neste

mesmo momento. Oh Deus! Como diabos tinha conseguido esquecer o que acontecer Constantijin e eu Y ?

Yanna ladrou Constantijin do interior de seu escritório.

Eu dei à senhora outro sorriso envergonhado, e me apressei a entrar. Deus, que demônios lhe estava passando de todos os modos? Certamente minha apresentação não foi tão má?

Feche a porta gritou.

Desta vez meu temperamento estava perto de estalar.

Não tem que gritar, já sabe murmurei enquanto fechava a porta. Quando virava para enfrentar a ele, não tive nenhum tempo para reagir.

Constantijin estava sobre mim em um instante, seus lábios tomando os meus em um beijo com a boca aberta, que enviou meus sentidos cambaleando-se, quando chupava minha língua, eu estava apenas consciente do que nos rodeava, sei que tive que caminhar para trás enquanto se movia para frente e mais adiante. Quando golpeei algo atrás, Constantijin levantou-me e me derrubou sobre sua mesa.

Liberando meus lábios, Constantijin me empurrou, deixando que minhas pernas pendurassem da mesa.

Que

?

tratei de protestar, mas seus olhares pensativos, me

calaram. Havia algo nele, algo mais do que raiva ou frustração.

Então o senti empurrar minha roupa interior além de minhas pernas e chiei de novo

O que está fazendo?

Te vendo. tirou minha calcinha, jogando-a.

Tentei me arrastar longe dele, mas já era muito tarde. Inclinou-se sobre mim, seu peso pressionando sobre meu corpo e me prendendo no lugar.

Você estava paquerando com aquele menino.

Levou um tempo para eu entender o que estava falando.

Dei um grito afogado.

Está falando do Sr

Não te atrevas maldita a dizer seu nome em minha presença! grunhiu e mordeu meu lábio, como se estivesse me castigando.

Queixei-me, não por dor, mas sim porque me despertou inclusive mais, seu movimento fazendo com que seu pênis duro como pedra se esfregasse da maneira correta contra meu núcleo nu.

Por que estava paquerando com ele?

Esta vez entendi o que tinha visto antes em seus olhos, e que agora ouvia em sua voz. Estava ciumento. Constantijin Kastein estava ciumento. Por minha culpa. Era uma ideia estúpida de minha parte, sabia, mas de algum jeito a ideia me fez feliz.

Sabia que ele estava com ciumes poderia não significar nada. Só poderia significar que era extremamente possessivo, que pensava que lhe pertencia. Mas isso, não me importava. Agora mesmo, a única coisa que podia pensar, era que tinha que gostar de mim, nem que fosse um pouquinho, para que ele se sentisse tão ciumento e afetado por uma conversa inteiramente casual em frente a uma máquina de alimentos.

Não estava paquerando com ele disse-lhe brandamente. Dentro de minha mente, pude escutar Alyx fazendo um som tsktsk, me advertindo contra ser muito suave. Constantijin revelou um momento de ciúmes e eu pensava que se preocupava comigo. Era meu irremediavelmente lado romântico ganhando do meu sentido comum, Alyx me dizia, mas neste momento, não me importava.

O olhar melancólico de Constantijin não desapareceu, mas seu tom era menos duro quando falou.

Então, o que estava fazendo?

Só conversando. movi-me nervosamente contra seu corpo, seu tentador membro palpitando entre minhas pernas.

Mordeu meus lábios ainda mais, mas desta vez, mais brincalhão que castigando.

Eu não gosto de te ver falando com outro homem, que não seja eu, Yanna.

Falar é diferente de paquerar. fiz meu melhor esforço para não me arquear contra ele, mas era difícil, estava inconscientemente, ou deliberadamente, esfregando-se contra mim, e me deixava louca, como seu toque sempre me fazia.

Suas mãos se apertaram ao redor de minha cintura, me mantendo quieta.

Me prometa que não vai falar com ele de novo.

Nunca vou paquerar com ele lhe disse em seu lugar.

Constantijin me olhou.

Foi totalmente inesperado, estava tão lindo e sexy, me olhando com ciúmes óbvios, já que não podia evitá-lo. Levantei meus braços ao redor de seu pescoço e o beijei.

Ficou sem fôlego contra meus lábios enquanto minha língua deslizava dentro de sua boca, tentadoramente saboreando-o como fez comigo.

Uma risada vibrou contra meu corpo.

Está me seduzindo, Yanna?

Acredito que sim sussurrei, mordendo seu lábio como ele fez.

Gemeu.

Está funcionando.

Podia ouvir um "mas" e me obrigando a retirar meus lábios dos seus, perguntei-lhe:

Mas, o que?

Em resposta, ele de repente se afastou. Fazendo caso omisso de meu protesto, empurrou minha saia e enterrou seus lábios entre minhas pernas.

Gritei.

Yanna, Ssssh

Eu

Eu

gritei outra vez quando ele me lambeu comprida e

lentamente, e depois mais e mais rápido.

Sua língua era uma força implacável. Tentei ficar em silêncio, mas era impossível. Não podia deixar de gemer, me torcendo na mesa

enquanto ele me seguia lambendo em um orgasmo que sabia que ia fazer com que meu corpo se estilhaçasse em mil pedaços.

Sabe tão malditamente bom murmurou entre lambidas,que alternavam entre suaves e ásperas.

Constantijin. era tudo o que podia pensar em dizer.

Me olhe comer sua vagina, Yanna - disse, mais ou menos ordenando em sua voz.

se

estremeceu diante do olhar descarado de desejo nos olhos de

Constantijin, enquanto me lambia.

Levantei-me,

descansando nos

cotovelos,

todo meu corpo

Quero ver quando você vier em minha boca.

Essa foi a única advertência que tive antes de sua boca se fechar sobre meu clitóris, chupando duro e comprido.

Gritei quando vim, nossos olhares se cruzaram enquanto o prazer causado ao meu corpo me fez tremer incontrolavelmente.

Mais tarde, Constantijin tomou o controle de novo, limpou-me com enérgica eficiência. Isso me fez sentir agradecida e me machucou um pouco ao mesmo tempo, apesar de que fiz o maior esforço para não o deixar saber.

Agora é minha, entende?

Seu inglês parecia ir-se ao inferno cada vez que se sentia fortemente possessivo sobre algo, me dava conta. Tinha a testa franzida, como se pensasse em Drake. Franzi a testa para ele, me dando conta de que estava tentando me manipular através do sexo.

Não sou tua. e eu não era, ou embora 99% fosse dele,não tinha por que sabê-lo. Um por cento seguia sendo meu protegido dentro de meu coração até que pudesse fazê-lo cair por mim, já que obviamente estava me apaixonando por ele.

As palavras soavam tolas inclusive aos meus ouvidos, especialmente depois do que aconteceu entre nós, e comigo alisando embaixo de minha saia. Quando levantei os olhos, ele franziu a testa de novo.

Está jogando comigo, tesouro?

Não!

Constantijin relaxou visivelmente surpreso por minha resposta.

, mas não

entendo por que está lutando tanto contra ser minha. Posso te dar tudo. Qualquer coisa que queira. baixou a voz, o olhar que me enviou sob suas pestanas queimando positivamente.

Sabia que não estava paquerando com o tipo

Ninguém pode acender seu corpo da maneira que eu posso,

Yanna.

Estava convencido com tanta arrogância, que não deveria ter sido um estímulo, mas meu débil corpo reagiu da maneira oposta.

Em lugar disso, encontrei suas palavras me estimulando enormemente, meus mamilos se endureceram a espetadas em forma de pontos contra minha blusa.

Não nego isso, Constantijin. Mas isto, tudo isto, não estou acostumada a isso. Preciso de tempo. necessitava de tempo para endurecer meu coração, para protegê-lo, se fosse me usar e logo me deixar, mas não tinha que lhe dizer isso.

Tempo. ele repetiu a palavra com desgosto, por isso não pude evitar sorrir Bem. Darei esse tempo que está pedindo. Mas não muito tempo advertiu sombriamente Sou um homem impaciente e tenho muita fome por você agora. Simplesmente me obriga a tomar banho frio a cada noite.

Meu coração floresceu diante essas palavras apesar de que fiz meu melhor esforço para não lhe deixar saber quão emocionada estava de escutar isso.

Durante meus protestos, Constantijin saiu de seu escritório, passando por sua secretária e ainda sorrindo olhou a sua secretária serena, percorreu todo o caminho até meu escritório. Outros empregados que nos viram, nos olhavam boquiabertos, as perguntas em seus olhos dissipadas, quando Constantijin falou.

Para sua próxima apresentação, espero que possa incluir um elenco em potencial para a série. Incluindo atores desconhecidos e

conhecidos, que acredite que será melhor para o papel - estava dizendo Constantijin.

Olhei-o com desconfiança, sem saber se ele realmente quis dizer o que disse, porque era uma coisa grande o que estava me pedindo. Entretanto, a única coisa que fez, foi sorrir enigmaticamente. Quando chegamos à porta de meu escritório, disse:

Tive razão em contratá-la, Yanna.

Praticamente expirei de felicidade nesse ponto. Sentia-se quase tão bom como os orgasmos que por si só ele poderia me dar.

Corei, porque era simplesmente incapaz de evitar fazê-lo, disse-

lhe:

Estou muito feliz de estar com você, Sr.Kastein.

Abriu-se a porta atrás de mim, quando disse as palavras em voz alta e de repente me encontrei no foco de dois olhares surpresos, George e Constantijin.

Ao me dar conta do que não tinha querido dizer, balbuciei:

Queria dizer, com sua empresa. Oh meu Deus, Oh meu Deus, por que infernos havia dito isso?

Constantijin

sorriu,

a

escuridão

inquietante

em

seus

olhos

completamente acabada por meu lapso freudiano.

Entendido.

Virou-se e George e eu o olhamos em silêncio. Inclusive de costas para mim, ainda parecia imensamente sexy, muito gostoso.

Quando Constantijin estava com certeza fora do alcance para ouvir, George disse com malicia:

Feliz de estar com você? Esse é o seu subconsciente falando?

Não! ou isso era o que esperava.

Lição # 6 “ Não jogue com seu multimilionário - Sobretudo quando se trata de

Lição # 6

Não jogue com seu multimilionário - Sobretudo quando se trata de um jogo que ele inventou.

Alyx estava literalmente rolando pelo chão de rir quando mal- humorada compartilhei com ela o que aconteceu hoje. Bom, não se trata da parte quando eu vim em sua boca Deus, minha calcinha se molha sozinha com o pensamento a não ser sobre o lapso freudiano enlouquecido que fiz na frente de George e Constantijin.

Supõe-se que me console gemi.

Mas isso só fez com que Alyx risse com mais força, me fazendo desejar que a sala de estar tivesse uma cama de espinhos pelo chão em lugar de um suave tapete cinza azulado.

Isso só acontece com você! ofegou.

Sim, sim. Pare de rir!

Alyx fez um visível esforço para frear sua risada.

Estou bem agora disse enquanto seus lábios tremiam. Pus em marcha minha queixa imediatamente.

Como vou olhar para ele amanhã?

Isso se o vir amanhã disse.

Bom ponto. Ele era o diretor geral, afinal. Não tinha que estar no escritório todos os dias. Mas, isso foi um mau momento, também. Isso

significava que não seria capaz de ver Constantijin

vê-lo? Realmente queria que esta coisa entre nós continuasse?

Espere, eu queria

Onde estava a velha Yanna em tudo isto, a que suspirava pelo verdadeiro amor e não pelo sexo quente?

Levantei minhas pernas no colchão, as abraçando perto de meu peito na mais absoluta miséria.

OH, Deus, Alyx, acredito que estou me apaixonando por ele.

Este era um maldito clichê que não era gracioso, não era divertido absolutamente.

O sorriso de Alyx se desfez diante minhas palavras.

Amor? repetiu ela Não é só isto, como, um amor sexual?

Uma paixão sexual? Nem sequer sabia que existia tal coisa! Mas agora que o fiz, pensei muito e sacudi a cabeça depois de um tempo, com tristeza.

Não acredito que seja isso.

Alyx se sentou no chão, um olhar de alarme em seu rosto.

Olhe Yanna. Estou a favor de você e seu chefe sendo sujos, mas só se estiver nisto pelo sexo. Mas se acredita que está apaixonada por ele - seus lábios se franziram em sinal de desaprovação - Deixe-o. Só vai sair machucada.

Não acredito que

Tente interrompeu-me com a testa franzida Busque outras belezas para se relacionar. fez uma pausa Igual ao Sr. Arrumado.

Mas isso seria como usar Drake e não posso fazer isso.

Ela fez uma careta.

É muito boa, já sabe, verdade?

Ela disse que ser boa era uma enfermidade e a maioria das vezes, significava exatamente isso no livro de Alyx. Desde que éramos jovens, manteve-se me perturbando por deixar que as pessoas se aproveitassem de mim, porque eu era -como ela disse -muito agradável.

Sacudi minha cabeça.

Não sou. Estou somente e esse era o problema.

perdendo a cabeça por meu chefe

George ainda me lançava olhadas ardilosas quando fiz um relatório no trabalho no dia seguinte. Não fiz caso dele, certamente. Trabalhei imediatamente na melhora de minha apresentação, já que o novo floco de neve em minha tela do monitor me dizia que a reunião com os executivos foi marcada para amanhã. Uma vez mais, minha fixação em meu trabalho me fez esquecer sobre o almoço, já eram duas da tarde quando meu estômago grunhiu, meu despertador interno para a fome.

O restaurante estava quase vazio quando cheguei ali, mas meus sentidos internos ficaram loucos imediatamente, me dizendo, inclusive sem ver, que ele estava aqui de novo. Ainda incômoda sobre o quão rápido e duro estava me apaixonando pelo playboy nº1 da Holanda, rapidamente dei a volta para escapar.

Mas já era muito tarde.

Constantijin de repente estava diante de mim, como se sentisse minha intenção de lhe evitar.

Yanna.

Acredito firmemente que reprimi o suspiro apaixonado que implorava por sair. Por ouvi-lo dizer meu nome com seu sotaque holandês, inclusive mais de uma vez, neste momento, especialmente quando me olhou como se eu fosse um pirulito que queria lamber todo.

Boa tarde senhor.

Só olhar Constantijin, me fez sentir inquieta, meu corpo palpitante por seu toque. Hoje vestia uma camisa rosa pálida, junto com um par de calças de bom corte, sua jaqueta à vista. Suas roupas faziam mais evidentes ainda seu físico musculoso, e era tudo o que podia fazer para não olhar com avidez seu corpo, sabendo que cada centímetro dele era maravilhosamente duro.

Igual ao seu pênis.

Deus, o que estava pensando?

Os olhos de Constantijin brilharam com diversão, eu sabia que ele tinha adivinhado corretamente a direção que meus pensamentos tinham tomado.

Vamos almoçar juntos disse.

Neguei rapidamente.

Oh, não, senhor, eu não quero impor

Disse muito brandamente: É só um almoço, Yanna.

O tom delicado que utilizou me confundiu. Estava dizendo que eu estava exagerando? Ainda mais confusa e não pouco irritada, encontrei- me, entretanto, seguindo-o a uma das cabines com forma de meia lua.

Estalou os dedos e um garçom apareceu, no mesmo instante, ao nosso lado, preparado para anotar os nossos pedidos. Este era um restaurante de auto-serviço, mas supunha que as regras não se

aplicavam aos CEO. Eu optei por comida japonesa e ele seguiu meu exemplo, pedindo caixas de comida japonesa e aperitivos diferentes.

Sentamos em extremos opostos da cabine. Não podíamos nos sentar juntos, não quando ele era meu chefe e eu era sua empregada. Também, nós não éramos um casal, ainda. Colori em meus pensamentos. Playboy, Yanna, playboy. Playboys como Constantijin não faziam casais. Tinha que lembrar isso.

O garçom voltou não mais de um minuto mais tarde, com nossos aperitivos preparados, sashimi para ele e salada de kani para mim. Separei meus pauzinhos ao mesmo tempo em que se aproximou deles.

Oops? disse com um sorriso envergonhado. Supunha-se que devia jogar a donzela em perigo com meus pauzinhos?

Ele se pôs a rir. O som fez com que meus dedos se dobrassem. Algo sobre Constantijin Kastein desfrutando de minha companhia, completamente vestido, tinha borboletas batendo suas asas em meu estômago.

*Itadakimasu disse, me sentindo tímida de repente. (*Graças ou agradecimento pela refeição que os japoneses fazem antes da mesma).

Itadakimasu disse por sua vez, com os olhos ainda brilhantes de risada.

Almoçamos em silêncio, e fiz meu melhor esforço para não olhar como se estivesse no meio de outro orgasmo gastronômico quando

desfrutei de minha caixa, que consistia em arroz yakimeshi, Teriyaki de frango e sopa de miso.

Constantijin rompeu o silêncio com uma pergunta informal.

Come sashimi?

Assenti com a cabeça, surpreendida.

Habilmente escolheu uma fatia com seus pauzinhos.

Aqui, prove-o. seus olhos prateados dançaram com a risada malvada.

Constantijin. olhei-o.

Mas ele manteve seu salmão sustentado pelos pauzinhos no ar, pacientemente a espera.

O que acontece se as pessoas nos verem?

Não o farão disse com tanta confiança que o olhei com receio.

Por que não?

Porque tenho meu guarda-costas na porta.

Ele o que?

Constantijin murmurou:

Agora, por favor. Prove-o.

Finalmente abri a boca.

Quando me deu de comer uma parte de salmão, que era delicioso, com sua gelada frescura, disse em voz baixa:

A próxima vez, vou estar te dando de comer meu pênis.

OH, OH, OH, por que este homem sempre sabia exatamente o que dizer para me acender?

Tomei um gole de água devagar, tratando de aproveitar o tempo para me acalmar.

Constantijin, não faça.

Não, o que? perguntou com tanta inocência, os olhos muito abertos que me deu vontade de sorrir.

Ainda tenho uma apresentação amanhã, assim, por favor distrações?

Constantijin imediatamente disse:

Sem

Sinto muito. Esqueci-me disto. Está nervosa por isso?

Relaxando um pouco, admiti:

Sim, um pouco.

O resto da comida,e o dia,transcorreram sem incidentes, e manhã chegou inclusive antes que eu estivesse preparada para isso. Megan nos levou a outra sala de conferências, maior que a que fomos antes. Cada vez mais, estava começando a me dar conta de que a Kastein Inc. era tudo a respeito de apresentações, tendo em conta as muitas salas de conferências que a empresa parecia ter.

Esta sala de conferências podia abrigar confortavelmente quarenta pessoas, mas só a metade de seus bancos foi ocupada.

Constantijin se sentou novamente no centro, em frente de sua equipe de executivos, parecendo magnífico, atrativo, e totalmente fora de meu alcance. Fez-me sentir como se eu só tivesse sonhado com os momentos que passei com ele.

A ordem da apresentação foi a mesma. Quando chegou minha vez, eu praticamente utilizei o mesmo discurso, só que desta vez, minha apresentação durou um pouco mais de tempo por causa dos vídeos e dados adicionais que tinha incluído. Constantijin nunca teve o olhar em cima, mas pude ver também em seu rosto que estava escutando com atenção, inclusive com orgulho. Isso me deu uma dose tão grande de confiança que fiquei ainda mais entusiasmada com minha apresentação, fazendo brincadeiras, e conseguindo com que a sala cheia de executivos interagissem.

Depois, Charli assumiu e dirigiu os aplausos que nosso público nos deu.

Charli nos fez voltar

para cenário. Antes de me dar conta, tivemos uma entrevista de painel improvisada sobre nossas recomendações da série.

Então

e isto foi realmente uma surpresa

Os personagens são um pouco jovens disse um executivo de sexo masculino Como você propõe atrair aos adultos, os pais, e assim sucessivamente, para vê-los?

Essa foi uma pergunta difícil. Pelo canto do olho, vi um pequeno sorriso no rosto de Arian. Grrr. Essa bruxa!

Bom, poderia ter o anúncio de lançamento brincalhão com uma linha como 'Lembra como se sentiu quando se apaixonou pela primeira vez?' Porque não importa a idade que temos, nunca nos esquecemos de nosso primeiro amor, o primeiro beijo, nossa primeira angústia, não importa o quanto tentamos nos esquecer disso.

A multidão felizmente riu de minha piada.

Continuei:

E isso é do que Hana Kimi se trata. Todo mundo gosta de recordar o passado sobre esses encantadores primeiros momentos, e esta série lhes dá essa oportunidade. Ainda melhor, dá às pessoas com más lembranças algo melhor para substituí-las.

O executivo sorriu.

Bom ponto.

Queria olhar para Constantijin e ver se ele aprovava também, mas não me atrevi. Em seu lugar, agradeci com acanhamento ao executivo e olhei para Charli por sua confirmação. Ela me deu um sinal de polegar para cima.

Charli assumiu a etapa de novo quando a entrevista de painel terminou meia hora mais tarde.

disse que contratei uma grande equipe de

marketing para nós? gabava-se, e todo mundo concordou entre risadas.

Agora,

não te

George e eu felizmente nos abraçamos quando Charli terminou oficialmente nossa apresentação. Ambos procurávamos Arian para felicitá-la, mas não devíamos nos ter preocupado, não quando ela já estava obtendo a melhor mensagem de felicitação de nada menos que Constantijin.

Arian se aproximou de Constantijin enquanto falava, seus peitos ofegantes com cada risada gutural que liberava.

OH, Meu deus, a cadela murmurou George.

Neguei. Na realidade não. Quero dizer, os dois são solteiros.

Olhou-me como se estivesse louca. Mas você gosta dele!

Lutei com isso. Se George podia ver facilmente através de mim, poderia outros fazer o mesmo?

Por último, murmurei:

É apenas uma paixão.

Ou ao menos isso esperava.

De terça-feira à quinta-feira tudo foi calmo e completamente aborrecido sem Constantijin à vista. Através da vista do escritório, inteirei-me de que tinha que retornar a seu país de origem durante um encontro com sua família.

Na sexta-feira, aproveitei-me da regra de não traje de escritório para me vestir com um vestido preto comprido até o joelho, me fazia distinta por sua gola alta, e mangas sino. Senti-me como se tivesse estado me descuidando ultimamente, ou pelo menos desde que vi Arian paquerar com o Constantijin e ele não fazer nada para detê-la.

Deveria ter lhe detido? Tinha direito de me importar? Odiava a forma em que constantemente pensava nestas perguntas e odiava o fato ainda mais,pois sabia as respostas delas.

Allan, um cara da Produção, assobiou como um lobo quando passei na frente dele.

Está bem, Yanna disse, olhando com luxúria.

Dei-lhe a língua, desejando não ter sido criada em uma academia conservadora de senhoras para que eu pudesse lhe dar o dedo,especialmente quando sua excepcional voz forte tinha feito com que todo mundo se voltasse para mim.

Drake também estava ali e me mexi lenta quando se virou para mim com um sorriso.

Está linda, Yanna. mais uma vez seus olhos não ocultavam sua admiração.

Mais uma vez, me fez corar.

Humm, obrigada.

Tem um encontro essa noite?

Rapidamente neguei.

OH, não. Só uma noite com os amigos. tratei de pensar em algo mais para dizer, mas a forma em que Drake seguiu olhando me deu vontade de me esconder debaixo de uma rocha Humm, tenho que ir.

Seus olhos brilharam como se soubesse e desfrutasse de ver, como me sentia incômoda, Drake se afastou com um sorriso amável.

Se divirta mais tarde.

Uhh, sim, obrigada.

Deus, era tão desajeitada socialmente. Gostaria de poder pensar em algo mais engenhoso, melhor, para dizer a Drake.

Com a cabeça curvada, ainda dando voltas a minha incapacidade social, um par de sapatos de homens feitos à mão caros de repente me fechava o passo. Meu coração galopava, meus nervos picaram na consciência, porque sabia de quem se tratava, inclusive antes que levantasse o olhar e me encontrasse com os ardentes olhos dourados de Constantijin.

Estava furioso, e ciumento.

Meu coração cantou, mas rapidamente me cortei pela raiz, me dizendo que isso não significava nada.

Bom dia, senhor.

Tem um encontro esta noite?

Desta vez menti totalmente.

Sim.

Antes que pudesse responder, caminhava ao lado dele, o coração batendo mais rápido. Quando cheguei ao meu escritório, George jogou um olhar para minha roupa e sorriu.

Bo-Bo-Boom, bebê! Acabou de pegar Ariana pelo nariz. Sim, bom, o que seja.

Sorri de volta a George quando fui ao meu cubículo.

Alyx e eu iremos a uma despedida de solteira esta noite. Então ri Festa de solteira melhor dizendo. Já que tenho a sensação de que não vai ser um assunto saudável.

Ooooh. Terá strippers?

Sim, provavelmente.

Baixando a voz, George sussurrou:

Não terá o Sr. Kastein algo a dizer sobre isto?

Pouco a pouco sacudi a cabeça.

Não é da conta dele.

Na hora do almoço, na realidade consegui recordá-la exatamente ao meio-dia. George e eu entramos de braços dados, no interior do restaurante, que era uma boa coisa já que quase perdi o equilíbrio quando vi Constantijin com Arian, de novo. Meu peito se apertou dolorosamente quando em realidade se sentou junto a ele.

Caça fortunas - murmurou George.

Não. tinha que dizê-lo. Inclusive se eu acreditava o mesmo. Pensei que tinha que dizer que não. Nunca tinha gostado de falar de outras pessoas a suas costas Não é mais que, suponho, só gosta muito.

George revirou os olhos.

Espero que ele não seja o suficientemente estúpido para cair na

dela.

Neguei. Inclusive eu não pensava isso. Mas ainda assim, teria sexo com ela? Seria capaz de suportar isso?

Um impulso de gritar me golpeou inesperadamente, e tive que olhar para baixo, piscando rapidamente para evitar que as lágrimas caíssem. Parecia tão incrivelmente longe a última vez que estive nos braços de Constantijin. Acaso não gostava mais de mim? Eu tinha ouvido falar dos homens que sopram quente e frio. Compreendi a teoria, mas a realidade era muito mais difícil do que esperava.

Aposto cem dólares que está na sua, entretanto.

Sorri sem humor, da intenção de George em me consolar.

Aceito.

O telefone de George de repente tocou e se desculpou, me deixando sozinha em minha cabine. Sentia-me como uma perdedora, com letra maiúscula, e me perguntei se Arian e Constantijin estavam me olhando. O que aconteceria se estivessem rindo de mim?

O pensamento era doloroso, mas era do tipo de fazer frente a meus medos, assim me obriguei a olhar para cima. Constantijin estava me olhando.

Não deveria fazê-lo, não com Arian falando tão animadamente ao lado dele, mas o fazia, e não podia entender as emoções escuras em seus olhos. Seus lábios se comprimiram em uma linha apertada, como se ele estivesse sustentando sua ira sob controle. Estava realmente zangado comigo?

Arian abruptamente deixou de falar enquanto seus olhos se encontraram com os meus. Obriguei-me a olhar para outro lado. Senti a sensação de ardor de ser fulminada a minha direita, onde Arian e Constantijin estavam.

Traguei a saliva. OH, homem! Arian como rival era bastante má, mas como uma inimiga total, isso ia ser um inferno.

Graças a Deus que está de volta exclamei quando George retornou a nossa mesa. Levantei-me e o arrastei comigo antes que pudesse tornar sentar- Temos que ir, é uma emergência.

Mas eu não terminei meu almoço, mas

Emergência apertei.

protestou.

Com um suspiro, deixou que o arrastasse fora do restaurante. Passamos pela mesa de Arian, e ela estava sozinha, Constantijin não estava em nenhuma parte.

Ela sorriu. Era um espetáculo assustador, e tive que me esforçar para não fugir.

Depressa sussurrei ao George. Honestamente, senti-me como se o fantasma de cabelo negro do Ringu estava atrás de mim.

Mas igual ao fantasma, de Arian era impossível escapar.

Quando chegamos ao nosso escritório, Arian estava em nossos calcanhares. Saltei com o som da porta sendo fechada com uma portada, sentindo como se estivesse presa, de repente, em uma jaula com um tubarão assassino chamado Arian.

Olá Yanna, George Arian sussurrou com outro sorriso.

Sorri fracamente. George não o fez. Ele era o tipo brusco, mas educado e nunca se incomodou em fingir interesse em ser amigo de Arian.

Poderia falar com a Yanna em particular? perguntou ao George com doçura.

George nem sequer duvidou. Não.

Arian foi obviamente empurrada, mas se recuperou rapidamente com uma réplica mordaz.

Não é seu guardião, sabe?

Na realidade, considero que sim disse George friamente.

Eu estava olhando para frente e para trás. Estava a ponto de ter uma briga de cadelas em minhas mãos? Esclarecendo minha garganta,disse:

Arian, de verdade, não há necessidade de segredos. Seja o que for que queira dizer

Bem disse ela, cortante Não vamos andar com rodeios. Sei que tem esquentamentos pelo Constantijin.

Não! rejeitamos George e eu imediatamente.

Deixe de mentir, Yanna.

OH. Assim que ela estava falando de mim. Merda.

Seus olhos se endureceram.

Quero te dizer que só entrei nessa empresa porque queria estar perto dele. Tenho exclusividade com Constantijin e não gostaria que alguém tivesse um olho em meu homem.

Discordo -interrompeu George mas ainda não é seu homem.

Mas vai ser. Arian sorriu de novo.

Fiz meu melhor esforço para não tremer. Era um espetáculo realmente assustador, como um tubarão na praia preparado para me comer.

Você e eu não teremos nenhum problema, sempre e quando não se meter em meus planos. olhou-me, esperando claramente uma resposta.

Sabia que deveria haver dito 'não' porque George tinha razão. O que ela dizia da situação, Constantijin ainda não era dela. Mas olhe, eu também tinha essa estranha consciência, uma que nunca me deixará mentir diretamente. Neste momento, não pude me fazer dizer sim ou não a Arian e quando respondi a única coisa que pude dizer foi:

Vou tentar em meu melhor esforço.

George e eu olhamos para Arian quando desfilou de novo a seu cubículo, seus quadris balançando-se como se ainda houvesse homens para ela deslumbrar.

George se voltou para mim com o cenho franzido, perguntando:

Por que o deu?

Encolhi-me de ombros.

Deveria ter lutado por ele queixou-se.

Não lhe respondi, sobretudo porque não podia suportar admitir que não tivesse direito a lutar por Constantijin.

Constantijin não tratou de chamar ou me espreitar durante ou depois do trabalho, o que senti que era uma boa coisa. A despedida de solteira foi divertida e erótica, exatamente como eu esperava. Quando os

strippers na realidade começaram, assim, despindo-se, sabia que tinha que me desculpar. Se tivesse que ver um pênis nu pela primeira vez, preferia que fosse de Constantijin.

Este era o pensamento mais alto em minha mente quando saí da suíte do hotel, assim imagina minha surpresa quando saí e vi Constantijin do outro lado do corredor, caminhando para mim com a testa franzida em seu lindo rosto.

Estava louco como o inferno. Estava quente como o inferno, também.

grunhiu, suas largas

passadas correndo a distância entre nós em segundos, seus dedos envolvendo ao redor de meu pulso esquerdo em um apertão.

De

quem diabos é esse

quarto?

Q-o que-eu

olhei-o consternada.

Me responda rugiu ao mesmo tempo que um dos strippers dentro gritou: "Me deixe nu bebê!" Bom, isso soava muito mal. Constantijin empalideceu.

Eu estava pálida também. Todos os pensamentos de lhe deixar com ciúmes, de me desforrar com ele por deixar que Arian paquerasse com ele,todos me deixaram, com o aspecto de traição no rosto de Constantijin.

Menti. Não tenho um encontro. Estou assistindo a uma despedida de solteira confessei tremendo, dizendo as palavras em um

apuro porque tinha a sensação de que se não as dissesse no momento, ele ia me deixar para sempre.

Ele respirou fundo.

Insegura se acreditou ou não, dei a volta e virei a maçaneta, com a intenção de lhe mostrar a verdade, mas Constantijin disse de repente meu nome. E então estava retorcendo ao redor, seu beijo me empurrando contra a parede.

Constantijin agarrou meu cabelo com uma mão e o utilizou para girar a cabeça para um lado para que sua língua pudesse penetrar minha boca ainda mais. Gemi quando ele começou a chupar minha língua, meus braços ao redor de seu pescoço agindo por sua própria vontade.

O prazer percorreu dentro do meu corpo como um sonho perdido faz muito tempo. Não pude evitar fechar os olhos diante o puro êxtase de estar de volta em seus braços e que ele me beijasse de novo. Quando senti sua ereção contra meu corpo, arqueei-me contra ele, desejando poder fazer mais para moldar meu corpo no seu.

Pensei que estava fodendo alguém mais disse.

queria

embriagadores. Ele levantou a cabeça bruscamente.

Pensei

que

foder

Arian

murmurei

Eu não me engano.

entre

beijos

Eu tampouco admiti e deixei escapar um gemido quando ele mordeu a orelha antes de deixar que sua língua entrasse como um redemoinho, lambendo o lóbulo interior.

Nunca minta para mim outra vez.

Nunca prometi, e fui recompensada com um forte beijo rápido.

Diga que é minha grunhiu enquanto acariciava meu pescoço, suas mãos deslizando-se por minhas nádegas para que pudesse esfregar seu pênis com mais força.

Eu era. Eu já estava. Mas ele era meu também? Era muito volúvel para minha saúde mental. Necessitava algo mais concreto, algo mais emocionalmente simbólico, antes que pudesse me dar a ele.

Desejava tanto lhe perguntar se ele era meu também, mas meu perverso sentido do orgulho não me deixou. Em seu lugar, disse-lhe:

Ainda tenho tempo. mas bem,ainda necessitava tempo.

Pouco a pouco

se

afastou, e

acentuado e acusatório quando falava.

seu inglês estava densamente

É como se estivesse fazendo que ande por um fio,como se fosse uma marionete que está testando, treinando.

Não estou protestei imediatamente, olhando-o diretamente nos olhos, desejando que visse quão sincera eu era.

Constantijin não falou, seus braços caindo aos lados quando me deixou ir por completo. Queria chorar. Senti-me como se tivesse jogado e perdido.

É a forma em que me faz sentir e eu não gosto.

Por que era tão desconfiado e cínico? Não podia ver o muito que lhe queria? Ou era tudo uma artimanha de mestre,digna do playboy nº1 da Holanda?

Poucos metros nos separavam, mas de repente nos sentimos como se estivéssemos em diferentes limites do mundo.

Está jogando comigo.

Disse-o como se estivesse esperando a que eu negasse.

Queria fazê-lo, mas não o fiz. Tinha que dar-se conta disso por si mesmo.

Se isso for o que sente então não há nada que possa fazer.

Lição #7 “ Nunca vá a Las Vegas com seu milionário. É chamada a cidade

Lição #7

Nunca vá a Las Vegas com seu milionário. É chamada a cidade do pecado por uma razão. Sua virgindade está totalmente em risco.

Por que sempre come tão tarde? uma voz resmungona perguntou enquanto me derrubava na autocompaixão com meu café com leite de baunilha e uma fatia gigante de cheesecake. Era meu sexto dia existindo sem Constantijin e se tinha que ser honesta, não estava fazendo-o bem. Absolutamente.

Ele me encantou pior do que qualquer fantasma pôde. Não estava abaixo de minha cama, mas estava ao meu lado. Não estava dentro de meu armário, mas estava comigo no chuveiro. Estava no pior lugar possível, e não podia deixar de pensar nele. Tinha a sensação que

venderia minha alma se soubesse a cura para isto. Certamente estes sentimentos não eram da classe que Walter e Carole mostravam? Era

muito, muito

Muito

sexual, muito obsessivo, muito, menos romântico.

Graças a Deus que tínhamos três dias de fim de semana vindo, com a sexta-feira de feriado no estado. Menos mal, necessitava de um descanso. Felizmente, George tinha me convidado a desfrutar de uma viagem paga para Las Vegas, com tudo incluso, que ele tinha ganhado de um site social gay da internet.

Estou falando contigo a voz mal-humorada continuou.

Olhei acima com meus olhos nublados e quase cuspo meu café com leite. OH Deus, era ela.

Glenda

se

ameaçador.

sentou

na

cadeira

ao

meu

lado,

com

um

olhar

Isso é tudo o que está comendo de almoço?

Na verdade, perdi meu apetite. Com minhas bochechas coradas e mentalmente arrastada pelo que ela pudesse pensar de mim depois do que tinha visto, gaguejei:

Não tenho muita fome

Ela revirou os olhos e, com seu infantil lindo cabelo grisalho, pude imaginar por um momento como Alyx se pareceria quando chegasse a sua meia idade.

Por esse menino?

Levou um segundo me dar conta de quem se referia com esse menino. A cor em minhas bochechas aumentou.

É obvio que não menti rápido.

Ora! Não se incomode. Reconheço uma garota apaixonada quando vejo uma. com um movimento de sua cabeça, Glenda perguntou: O que aconteceu?

Conto ou não conto?

Só levei um segundo para decidir. Mas agora, deveria ser óbvio que tinha uma tendência a mostrar tudo com praticamente todos. Confessei o que aconteceu nas últimas semanas do namoro em queda, bom a versão light pelo menos, e terminei por como Constantijin pensou que estava jogando com ele porque não estava cedendo.

Mas eu não

chorei. As palavras vieram mais fortes e mais

apaixonadas do que quis e fiquei vermelha novamente.

Ela acariciou minha mão.

Silêncio, querida. Não se sinta mal. Não é a primeira garota cujo coração se quebrou.

Devagar disse:

Se com isso se supõe que deveria me sentir melhor

Não é a primeira que apanho brincando com meu filho.

Agora absolutamente não tinha fome.

Senhora

Ela sorriu amavelmente.

Me chame de Glenda.

Não lhe sorri de volta.

Ela revirou seus olhos de volta.

Oh você! Pare de ficar triste. É especial, querida. Possivelmente não é a primeira garota que ele fere, definitivamente não é a primeira garota com quem ele teve sexo

Oficialmente tinha perdido meu apetite por toda a semana.

Mas querida ela terminou triunfante Ė a primeira que o fez celibatário.

Isso me fez cair sentada na cadeira, incapaz de acreditar o que ela acabava de dizer. Constantijin era tão sexual que o que dizia era impossível. Cada vez que nos encontramos, tudo o que ele podia pensar era sexo. E bom, cada vez que nos encontramos, pensei sobre isso, também, mas era entre outras coisas.

Considerando a incredulidade em meus olhos, ela me deu um aceno afiado.

Conheço meu filho. Ele usa o sexo como uma saída, estes dias, ele está como um urso mal-humorado, brigando com todos disse explicitamente isso significa estar sem sexo.

Esfregando minha cabeça dolorida repentinamente, disse:

Estou realmente agradecida que me diga isto, mas fazer agora?

O que devo

Isso depende do que queira fazer com ele.

Não respondi. Não podia, não ainda, não quando estava insegura se Constantijin era o homem para mim.

quando estava insegura se Constantijin era o homem para mim. Na sexta-feira, George e eu chegamos

Na sexta-feira, George e eu chegamos ao hotel perto do meio-dia, graças à viagem cedo. A hospedagem estava incluída no prêmio.

Estávamos na nova boutique do hotel. Novo e clássico, mas não rico como Caesar's Palace, no entanto, era encantador, um feminino hotel, com sua decoração antiga lavanda e azul.

Tenho fome disse para George, porque ficou na fila para nos registrar na recepção Nos registre enquanto eu exploro pela comida?

Meu estômago ecoou minhas palavras com um grunhido.

George sorriu.

Você e sua barriga disse, mas se despediu, dizendo que deixasse minha bagagem com ele.

Havia um restaurante atravessando os elevadores, e antes das portas de vidro havia uma pequena confeitaria. Apressei-me para lá,

minha boca cheia de água. A comida nunca falhou para me reconfortar. Eram confiáveis, a diferença de certo playboy bilionário holandês

Pare Yanna. Pare de pensar nele!

Foquei nos doces. Oh, mas pareciam deliciosos, mais do que acreditável! Eclairs. Cupcakes. Tarts. Macaroons. Truffles

Parecem bons, não?

Não estou escutando isto.

Simplesmente não estou escutando isto.

Meu coração batendo louco, alto, de forma irregular, lentamente me virei.

Era Constantijin.

Seu ligeiro sorriso torcido não chegou aos seus olhos, que eram intensos e cautelosos. Algo doeu em meu coração com esse olhar,fazendo me dar conta que passou por isto com coragem, destruído assim como eu o fiz.

Oi disse brandamente.

Oi disse de volta porque Constantijin em jeans e totalmente rendido, me deixou muda. Constantijin em terno era imponente, mas no jeans era magnífico, cada pingo de sua sensualidade ampliada por sua

camiseta apertada e igualmente apertados jeans. Um olhar para ele e não podia deixar de pensar merda, merda, merda.

Mentalmente dava uma batida com minha cabeça contra uma parede imaginária. Deixa de pensar em sexo, Yanna.

Você almoçou?

Só pude sacudir minha cabeça, minha boca estava grudada. Merda, merda, merda. Minha mente estava congelada naquelas palavras.

Seu sorriso voltou real, e essa visão derretia a casca da dor que tinha rodeado meu coração durante tantos dias até agora.

Está muito bem. seus olhos se detiveram no lugar onde se via o decote de meu vestido de verão, e traguei, envergonhada, mas ao mesmo tempo me excitei sentindo meus peitos responderem, com a sensação de peso e dor quando meus mamilos vieram à vida. Graças a Deus o bico não estava tão exposto.

Escutei a mim mesma perguntando:

Você vai ficar aqui, também?

No lugar de responder, ele disse:

-Deixaria que reservasse uma mesa para nós? Está com o George, não é?

Concordei, embora estivesse um pouco confusa, porque evitou minha pergunta.

Sorriu, parecendo aliviado e isso me confundiu mais ainda.

Deu um passo para frente, e contive a respiração, me perguntando se ia me beijar. Mas o que fez foi levantar a mão, os nós roçando minha bochecha. Fiz tudo o que podia fazer para não fechar os olhos e esfregar meu rosto em sua mão como um gatinho

Constantijin disse brandamente:

e

depois se afastou. Era algo bom que o fizesse. Senão, teria visto como uma mulher de 24 anos de idade, poderia fundir-se em um desastre emocional quente.

Senti saudades, Yanna. Mais do que pensei que poderia.

Glenda tinha razão. Eu gostava, tanto,e estava ferida como a morte com este tipo.

Está tão fodida.

Saltei, me virando para ver George sorrir, uma mala em cada mão. Puxei a minha dele, que perguntou astutamente:

É quem penso que é?

Nop.

Soltou uma risadinha viril, que atraiu os olhares dos outros clientes femininos que saiam da lanchonete. Não podia culpa-las. Inclusive com os óculos dorky e camisa xadrez engomadas com rigidez, ele estava mais que quente. Era muito ruim para a população feminina que fosse gay.

Vai me pagar cem dólares por isso zombou.

Levou um longo momento para entender do que estava falando.

OH. Se refere a aposta? Olhei para Constantijin, que estava a curta distância, falando com o maitre.

Virei para George com a testa franzida, e lhe disse com cuidado:

Isto é só uma coincidência.

George encolheu os ombros.

Hã ,hã.O que você quiser achar.

É assim insisti, mas em seguida parei de falar quando Constantijin começou a virar. Cumprimentou amavelmente George, enquanto seu braço rodeava minha cintura.

Levantei uma sobrancelha.

Ele levantou uma sobrancelha de volta, os olhos brilhantes.

Olhando-nos

também.

a

ambos,

George

levantou

suas

sobrancelhas

Estão certos de que continuo sendo bem-vindo para este encontro de almoço?

Constantijin me puxou mais perto. Se pudesse levantar mais minha sobrancelha, teria feito. Será que não lembrava que os romances de escritório eram proibidos em sua companhia? Não estava preocupado a respeito de que outras pessoas nos vissem ou ele não se deu conta

Yanna.

Esse Oh! Sonhado sotaque holandês que eu gostava tanto, ia ser minha morte.

Precisei tudo de mim para não piscar minhas pestanas como se fosse uma total garota apaixonada,que era. 24 anos e queria piscar minhas pestanas desse modo! Essa era a classe de efeito que alguém precioso e sexy como Constantijin Kastein tinha sobre mim!

Limpei a garganta.

Sim?

Pare de se preocupar.

Mordi o lábio.

Mas

Não sabe o que as pessoas dizem sobre Vegas?

George disse:

Eu sim.

Constantijin sorriu, o sorriso reservado e perversamente lúdico que eu adorava tanto que na realidade poderia fazer que meu coração pulasse.

Então, por favor, George, faça a honras.

Meu suposto amigo me deu um olhar solene.

Yanna

George disse em sinal de advertência. Tinha um desagradável pensamento que não ia gostar do que ele estava a ponto de dizer.

Ele disse com uma falsa inocência:

O que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas.

Lição # 8 “ O caminho ao coração de um homem normalmente é através de

Lição # 8

O caminho ao coração de um homem normalmente é através de seu estômago. A forma de matar a ereção de um multimilionário é através de seu coração.

O almoço foi um momento ruim, sobretudo porque George e Constantijin estavam totalmente decididos a passar por cima de que estavam fazendo algo completamente inapropriado. Ou, melhor dizendo, Constantijin e eu estávamos fazendo algo completamente errado.

George seguiu contando piadas durante o almoço e embora estivesse muito tensa pelo fato de que Constantijin e eu ficaríamos no mesmo hotel, não podia deixar de rir de todas as piadas do meu amigo. Tive que dar crédito a George. Quando ele queria ser divertido, era melhor estar preparado para dobrar-se de risos.

Constantijin era mau, mas de uma maneira diferente. Aproveitou cada oportunidade que podia para paquerar comigo, colocando meu cabelo atrás das orelhas, tomando minha mão debaixo da mesa, e me olhava como se estivesse morrendo por me ter atrás de uma porta fechada e ter seu mau caminho comigo.

Entre eles dois, senti-me totalmente como se estivesse apanhada em uma espécie de Twilight Zone pervertida, e que estivesse sendo pressionada para perder minha virgindade nesta mesma noite. Uma

rachadura em nosso mundo perfeito de Glamour apareceu quando o garçom voltou com nossos pedidos. George teve seu sanduíche clubhouse habitual e suco, Constantijin tinha pedido uma espécie de sopa grega, enquanto eu tinha minha própria festa,e queria dizer isso, literalmente.

Quando vi a risada em seu olhar enquanto assimilava o que tinha pedido, disse-lhe à defensiva:

Não tomei o café da manhã.

E era verdade, tecnicamente. Quero dizer, uma pequena tigela de cereal não era realmente um café da manhã, verdade?

Ele levantou as mãos em sinal de rendição.

Não disse nada!

Enquanto tomava uma colherada de sopa, não pude evitar compará-la com meu prato de salada, frango assado com molho, uma grande porção de purê de batatas, salada de couve, e uma porção saudável de creme de cogumelos.

Não pode

na verdade estar comendo só isso?! estalei,

seriamente alterada. Sentia-me como um porco junto a estes dois.

Constantijin pareceu surpreso por minha zanga.

Já tomei o café da manhã e almocei, assim isto foi o único que me atraiu. logo sorriu Mas não me importa. Você e George desfrutem de seu almoço.

Não importa se o faço disse George, que estava já em seu segundo sanduíche.

E eu o invejava.

Constantijin franziu o cenho.

Há algum problema?

Acredito que perdi o apetite menti com tristeza apesar de meu estômago deixar imediatamente uma não tão silenciosa queixa de protesto.

Um olhar de decepção cruzou seu rosto.

Não me diga que é uma dessas garotas que não podem comer na frente de um homem.

Fiz uma careta.

Já viu como eu como.

Então qual é o problema?

É porque está comendo muito pouco - admiti sem poder fazer nada Me faz sentir como uma esfomeada glutão. parei de falar diante seu sorriso.

É isso o que te preocupa?

Em meu assentimento triste, ele disse:

Ajudaria se te dissesse que antes de chegar aqui passei em um drive-thru e comi dois Big Macs? E para o café da manhã, tive que dobrar os crepes e as salsichas?

Pensei nisso e finalmente sorri.

Sim e agarrei meu garfo e faca de novo.

Constantijin começou a rir,assim como George.

O que? gemi, mas eu sorria, também, sobretudo porque havia passado um longo tempo, desde que vi Constantijin agir sem preocupações.

Depois do jantar, nós três combinamos de nos reunir na piscina uma hora mais tarde. Ou melhor dizendo, George e Constantijin fizeram os acertos e eu de certo modo, me encontrei concordando. Mas todas minhas dúvidas voltaram com toda sua força depois que Constantijin nos levou a nossa suíte.

Vou ser 100 dólares mais rico quando acabar o fim de semana falou George.

Só está paquerando comigo disse, tratando de não deixar que me animasse com o otimismo de George Não é nada sério. Ele o faz por não ter nada que fazer, não tem com quem falar com

Ele bufou.

Você espera mesmo que eu acredite nisso? Um: é um multimilionário. Por que está passando as férias aqui em Las Vegas quando podia ter ido para Ibiza, Ilhas Maldivas, ou inclusive o maldito Pólo Norte?

Moveu seu segundo dedo.

Dois: Não estou cego, Yanna. Vi como a olha. Se eu não tivesse estado ali, não estaria surpreso se estivessem os dois brincando por debaixo da mesa.

Fiz o melhor, para não corar.

George deixou escapar uma exclamação afogada.

Sei que fracassei totalmente.

Oh meu Deus, merda, verdade que o estavam fazendo, não é assim? Está tão mal!

Não é o que pensa protestei, mas corei ainda mais diante seu olhar malicioso.

George se dobrou de risada.

Oh, já sei o que fez.

limpando as lágrimas de alegria dos

olhos, murmurou: Ele gosta de você, Yanna. Confie em mim.

Atirei-me na cama, ricocheteando em minhas costas quando o fiz.

Não entende, George. Esqueceu-se de quem é ele? Alyx me disse que ele é o playboy nº 1 dos Países Baixos.

E?

É um dos Três mosqueteiros.

E?

Grunhi.

Não pode estar falando sério comigo, sabe o que isso é.

Observando George, fiquei muito surpreendida ao ver que não parecia preocupado absolutamente.

Yanna disse pacientemente Pode ser que tudo seja verdade, mas só significa uma coisa. Simplesmente tem que trabalhar mais para fazê-lo sério contigo.

É mais fácil dizer do que fazer, pensei com um grunhido silencioso quando fomos, meia hora mais tarde para a piscina.

Constantijin Kastein era um homem que bem poderia ter descendido de Helena de Troia, com uma cara para conseguir o que queria, o que podia, enlouquecendo a mil e 747. E eu era só Yanna Everleigh, vinte e quatro anos de idade, romântica incorrigível, que tinha sido recentemente introduzida aos prazeres ilícitos do quase sexo.

Se alguém ia fazer algo convincente, sem dúvida seria Constantijin, me tentando esquecer tudo sobre minhas inibições e iria acabar mandando minha virgindade para longe como um prêmio da maldita loteria.

Não era difícil detectar Constantijin, inclusive com todos os homens com o peito nu ao redor. Só tinha que seguir o rastro de suspiros, risadas e sussurros e aí estava ele, Constantijin, que estava com uma bermuda reta que caía pecaminosamente abaixo de seus quadris. Seu abdômen era musculoso, os músculos de suas pernas se escondiam progressivamente debaixo de sua bermuda, e a perfeição de

Oh, Meu Deus, senão fosse uma virgem

incorrigível, teria implorado que me levasse.

seu rosto esculpido

Apoiado na barra com os cotovelos apoiados no balcão, Constantijin escaneava a área com óbvia impaciência. Quando se sacudiu e de repente virou para minha direção, como se tivesse uma espécie de sexto sentido quando se tratava de minha presença. Isso roubou meu coração e desgastou com sucesso minha não relação com as crenças sexuais por alguns centímetros.

Seus olhos ardiam brilhantes quando ele me olhou dos pés a cabeça, seu olhar movendo-se tão lentamente como uma carícia visual, me fazendo tremer em meu modesto biquíni.

Encontramos-nos na metade do caminho e imediatamente o braço de Constantijin se curvou ao redor da minha cintura, a possessividade em seu corpo era inconfundível. Estava emocionada por seu toque, soando doce quando me sussurrou ao ouvido:

Vejo você tão quente que quero te trancar em meu quarto por ao menos um dia.

Digo o mesmo, pensei com uma careta secreta. Era totalmente o mesmo para mim, especialmente com todas as mulheres que nos rodeavam olhando-o com fome não dissimulada.

Caminhamos para as cadeiras disponíveis que estavam mais próximas, George ocupando uma, enquanto Constantijin se uniu comigo na minha.

Quando George começou a conversar com o menino ao seu lado, podia sentir o olhar de Constantijin seguir cada um de meus movimentos.

Me permita disse com voz rouca atrás das minhas costas, quando peguei um frasco de loção bronzeadora da minha bolsa.

Constantijin. foi um protesto muito débil e ambos sabíamos.

Não se incomodou em responder. Ouvi o som do clique da tampa do frasco quando se abriu e do pingo da loção ao ser posto em liberdade, e de repente suas mãos estavam passando o creme quente por todas minhas costas.

Apesar de massagear os músculos de minhas costas muito bem, como um perito terapeuta de massagem, não conseguia fazer que eu relaxasse. E quando senti seus dedos tocando a parte inferior de meus peitos, não pude evitá-lo. Instintivamente me virei e golpeei sua mão.

Mas que

Constantijin me olhou fixamente Juro, Yanna.

Que não sei o que passa contigo e sua tendência de me bater?

É sua culpa estalei Sempre está me tocando de surpresa.

Pode dizer'OH, meu Deus' como uma garota normal?

Corei.

tossi

me levantei muito zangada,

ferida, e ciumenta de que ele tivesse me comparado tão desfavoravelmente com seu batalhão de antigas amantes.

"cadelas" sob meu fôlego.

Bem, sinto não ser como essas garotas normais

Tuas.

Yanna, volte aqui disse entre dentes.

Nunca murmurei, olhando para longe.

Yanna, lhe advirto isso

deixei escapar

um grito quando me senti voando e caindo na água uns segundos depois. Saí da piscina. Ofegando, não podia acreditar que alguém com

Sinto muito, não é meu Chefe oficial superior

supostamente boas maneiras, como Constantijin Kastein tivesse me empurrado na piscina.

Virei-me diante o som de sua risada.

Você

Ele riu mais forte.

Minha raiva morreu diante do olhar genuíno de diversão em seu lindo rosto. Durante muito tempo não fui capaz de ver Constantijin sem ser observando em nosso local de trabalho, sempre era encantador e muito bem educado, de voz suave e sorridente. Mas nunca o tinha visto tão feliz.

OH, OH, Senhor. Sei que estava em problemas com este tipo. Fazia querer proteger e cuidar dele, que ideia tão absurda tendo em conta que era bem mais alto do que eu, mais pesado, e milhares de milhões de dólares mais rico.

Yanna?

Sentindo o movimento da água enquanto caminhava para mim, forcei minha cabeça para o lado e seus lábios imediatamente capturaram os meus. Ah. Meu multimilionário holandês tinha conseguido me desarmar outra vez. Fiquei sem fôlego contra seus lábios, mas isso só causou o sorriso em Constantijin antes de aprofundar seu beijo. O beijo foi quente e úmido, um encontro carnal entre nossas bocas que me deixavam em silêncio, gemendo e desejando que não estivéssemos em um lugar muito público.

Só podia olhá-lo fixamente quando ele levantou a cabeça, surpreendida pela forma em que meu corpo ainda doía por seu toque, até podia sentir as olhadas agudas das outras mulheres que nos rodeavam. Não podia culpá-las. Se estivesse no lugar delas, também estaria invejosa depois de nossa briga e a demonstração de afeto publico extremo.

Mas Constantijin não parecia ser consciente de como todas as mulheres ficaram olhando ao redor dos cinco metros com avidez. Ele só tinha olhos para mim e isso também era uma efetiva erosão de minhas inibições uns escassos centímetros mais. Senão colocasse fim nisto, poderia me encontrar violando-o ao final.

Seus olhos ardiam com necessidade e desejo, disse:

Vamos nadar,Yanna.

Oh, vamos, sobretudo quando ele disse as palavras como se estivesse dizendo "Vamos foder" em seu lugar.

Só uns poucos casais estavam na água conosco, e todos eles ocupavam o extremo menos profundo da piscina. Constantijin começou a rir quando me viu agarrando os lados da piscina no momento de chegar à marca dos cinco metros de profundidade.

Não sabe nadar?

Sim, sei disse com arrogância. Mas diante do seu olhar de cumplicidade, queixei-me Mas não sei como flutuar.

Ele riu mais forte.

É muito adorável com as palavras, tesouro.

Revirei os olhos.

Adoravelmente patética, quer dizer?

Ele sorriu, mas não disse nada. Vi sacudir a cabeça um pouco, fascinada pela forma em que várias mechas de seu cabelo atiravam gotas de água sobre seus ombros largos. Deu-me vontade de lamber cada gota até que estivesse seco e gotejando, mas de outra razão.

Fechei os olhos. É uma garota má, Yanna.

Quando abri os olhos, ele sorria.

Yanna, se agarre em mim, assim podemos ir mais longe.

Pisquei rápido diante sua sugestão, e balbuciei:

Eu

Eu

Vamos, será divertido.

E então ele estava me puxando lentamente da borda. Pensei que queria dizer que devia ficar nas suas costas, enquanto ele flutuava por nós, mas parecia que tinha outra coisa em mente, algo que tinha me excitado de novo em segundos.

Constantijin me tomou em seus braços, colocando minhas pernas ao redor de sua cintura.

Em minha mente, ouvi minha versão imaginária de George rindo. O que passa em Las Vegas fica em Las Vegas.

Desta vez, estive totalmente de acordo com ele.

Constantijin me olhou desafiante, como se esperasse que eu protestasse. Quando coloquei meus braços ao redor de seu pescoço, estava tão perto que ao me mover meus peitos roçavam seu peito, e chupou seu fôlego em estado de choque.

O olhar em seus olhos era de puro calor, e envolvi minhas pernas ao redor dele mais fortemente. Ele me puxou mais contra ele, e seu pênis se levantou contra mim, exigindo a entrada mais na frente do pequeno triângulo azul que me servia de fundo de biquíni.

Está tão perto de ser fodida sussurrou.

Estou? sussurrei-lhe, bêbada diante das sensações embriagadoras que seu corpo me produzia, seu toque, que só sua presença provocava. Minha voz soou um pouco confusa quando falei. Oh, sim, eu estava tão bêbada, intoxicada com a paixão que nunca deixava de explodir entre nós.

Retorci meus quadris sob a água, mordendo meu lábio quando consegui o que queria, seu pênis praticamente empurrando contra meu núcleo.

Seus olhos se abriram, e sua advertência saiu vacilante quando falou, seus dedos se cravavam com força na suavidade da minha bunda.

Yanna. Pare de brincar com fogo.

Assim, bêbada, pensei, ainda atrapalhada em uma névoa sensual de sua obra e a minha. Não havia nenhuma necessidade de tomar vinho. Só tinha que olhar a forma quase nua de Constantijin e estar exposta a ela durante mais de cinco minutos, e eu estava totalmente desfeita.

Só por esta noite, prometi a mim mesma. Com certeza, que neste

século, o meu homem perfeito, não se importaria que alguém mais tivesse tomado minha virgindade. E se lhe importasse, então ele não era o Sr. perfeito, depois de tudo.

O olhar de Constantijin foi enfocado em meus peitos que se

balançavam na água cada vez que me movia.

Rindo, inclinei-me mais baixo para Constantijin, querendo que ele visse mais.

Oh, Deus, eu estava tão, tão bêbada.

Seu rosto se escureceu com o desejo, seus dedos cavando a parte inferior de meu traseiro como por reflexo.

Yanna, não faça.

Fazer o que? pisquei meus cílios para ele.

Seus olhos se estreitaram.

Não comece algo que não pode levar até o final.

Caiu a ficha.

Quem disse que não faria?

Constantijin nos tinha arrastado para fora da piscina em questão de segundos e me encontrei sendo literalmente carregada.

Constantijin.

Fiquei sem fôlego, já não totalmente bêbada, por isso pude sentir todo mundo que nos rodeava boquiabertos. Alguém, George provavelmente, inclusive assobiava.

Ele não respondeu, caminhando resolutamente para o elevador mais próximo. O qual se abriu quase no momento certo quando chegamos na frente das portas, e entrou, ainda me levando em seus braços.

Constantijin não pareceu notar o número cada vez maior de olhos muito abertos que deixávamos no nosso caminho, mas eu notei.

Me deixe sussurrei-lhe, tratando de lutar para sair de seus braços, sem ser muito óbvio.

Meu coração pulsava loucamente todo o tempo, uma resposta instintiva à profunda e ardente paixão com a que Constantijin estava visivelmente lutando para manter sob controle, seu corpo vibrando positivamente pela tensão sexual.

Pare de se mexer ou juro que te agarrarei aqui disse entre dentes com os dentes apertados.

Acalmei-me.

Sabe? perguntou com uma voz rouca que fez com que suas palavras fossem quase incompreensíveis. Estive pensando muito em você, como não posso ir trabalhar do momento em que deixei que minha mente se consumisse completamente pelos pensamentos de seu pequeno e quente corpo?

Eu estava tão, tão molhada quando ele terminou de falar.

Uma parte de mim se perguntava o que estava fazendo. Que demônios tinha que ver o verdadeiro amor com tudo isto? Mas a outra parte estava entusiasmada com a minha decisão, de ser finalmente livre de todas as inibições e só ser capaz de desfrutar.

Las Vegas me fez isto, me desfazer de minhas inibições, todas de uma vez, Para assim poder finalmente saber o que era ter relações sexuais com Constantijin? Ou era meu subconsciente quem só tinha estado esperando um bode expiatório, e Las Vegas era exatamente isso, uma razão para desculpar o indesculpável?

No final, não importava.

Eu o queria. Ele me queria.

Constantijin me levou ao seu quarto, que era, como era de esperar, a suíte no apartamento de cobertura do hotel. Mas eu realmente não tinha tempo para olhar ao redor, não com Constantijin me beijando grosseiramente no momento em que entrava em seu quarto.

Seu beijo deixou minha cabeça cambaleando outra vez, tanto que não podia respirar, não podia pensar, e totalmente não havia uma pista sobre o que eu devia fazer.

Espera.

Eu ofegava contra sua boca, perto de entrar em pânico.

Relaxe