Você está na página 1de 5

Série Jonas - Culto de Domingo1 - Mensagem 4

Demorou, mas a ficha caiu.


(Texto: Jonas 4)

Introdução

"Tendo em vista o que eles fizeram e como abandonaram os seus maus caminhos, Deus
se arrependeu e não os destruiu como tinha ameaçado" (Jn 3:10). Essa é a maneira pela
qual o capítulo 3 se encerra. Através de um profeta teimoso, Deus fez o que pode ser
chamado de "o maior avivamento" do Antigo Testamento! Mais de trezentas mil
pessoas se arrependeram, com a pregação-corrida de Jonas. Tudo isso em um dia!

Vendo toda aquela cena, de pessoas e animais se arrependendo, e também sabendo da


decisão de Deus em não mais destruir aquela cidade, Jonas ficou profundamente irado.
Quer dizer que aquilo que deveria dar motivos de muita alegria, se transformou na
maior frustração do profeta de Deus.

Jonas é um livro recheado de ironias. De um lado, um Deus que perdoa e que é


misericordioso. Do outro lado, um profeta teimoso e rigoroso em seu julgamento! Há
um conflito claro entre o amor de Deus e o egoísmo de Jonas. Nesse capítulo,
encontramos a razão de Jonas ter fugido no primeiro chamado de Deus, para Társis.
Vemos como Jonas não compreendeu o coração de Deus. Jonas se apresenta como uma
pessoa extremamente egoísta!

Podemos ver em Jonas o reflexo de nossas vidas. Podemos ver o quanto nós também
somos egoístas e não compreendemos o coração de Deus. Quando não temos as nossas
condições e os nossos interesses atendidos por Deus, ficamos indignados com Ele. É
como se todo o universo tivesse que orbitar em meu redor.

Hoje em dia, muitas pessoas dizem que o avivamento, por exemplo, acontece quando
seguimos um determinado método: muita oração, muito jejum, muito evangelismo...
Jonas, sem dúvida nenhuma seria reprovado em todos esses métodos. Isso significa algo
muito importante a todos nós: Mesmo que sejamos imperfeitos, Deus é perfeito e
soberano: Ele faz tudo de acordo com a sua vontade, somos apenas instrumentos! O
mérito é todo Dele!

Qual é a grande lição desse último capítulo de Jonas? Deus é amor! Esse amor divino
tem um contraste muito acentuado com o egoísmo de Jonas. Se por um lado Deus está
pensando em cada vida que habita aquela cidade, para dar-lhes salvação, Jonas está
pensando em si e em seu povo. Se Deus está perdoando pessoas antes incrédulas, Jonas
deseja a destruição dos seus inimigos!

O chamado de Deus, através da vida de Jonas é: Viva com o amor de Deus, olhando
para as necessidades das pessoas, mas do que a sua própria necessidade! Entenda o
coração de Deus! Não seja egoísta! Viva e pratique a misericórdia divina! Como
veremos, há um grande lição que Deus dará a Jonas, que também deve ser aplicada a
todos nós!

1
Pregado dia no MKJ em 03 de janeiro de 2010.
O texto: Jn 4:1~11
1
Jonas, porém, ficou profundamente descontente com isso e enfureceu-se. 2 Ele
orou ao SENHOR: “SENHOR, não foi isso que eu disse quando ainda estava em casa? Foi
por isso que me apressei em fugir para Társis. Eu sabia que tu és Deus misericordioso e
compassivo, muito paciente, cheio de amor e que prometes castigar mas depois te
arrependes. 3 Agora, SENHOR, tira a minha vida, eu imploro, porque para mim é
melhor morrer do que viver”.
4
O SENHOR lhe respondeu: “Você tem alguma razão para essa fúria?”.
5
Jonas saiu e sentou-se num lugar a leste da cidade. Ali, construiu para si um
abrigo, sentou-se à sua sombra e esperou para ver o que aconteceria com a cidade.
6
Então o SENHOR Deus fez crescer uma planta sobre Jonas, para dar sombra à sua
cabeça e livrá-lo do calor, o que deu grande alegria a Jonas. 7 Mas na madrugada do
dia seguinte, Deus mandou uma lagarta atacar a planta e ela secou-se. 8 Ao nascer do sol,
Deus trouxe um vento oriental muito quente, e o sol bateu na cabeça de Jonas, ao ponto
de ele quase desmaiar. Com isso ele desejou morrer, e disse: “Para mim seria melhor
morrer do que viver”.
9
Mas Deus disse a Jonas: “Você tem alguma razão para estar tão furioso por
causa da planta?” Respondeu ele: “Sim, tenho! E estou furioso ao ponto de querer
morrer”.
10
Mas o SENHOR lhe disse: “Você tem pena dessa planta, embora não a tenha
podado nem a tenha feito crescer. Ela nasceu numa noite e numa noite morreu.
11
Contudo, Nínive tem mais de cento e vinte mil pessoas que não sabem nem distinguir
a mão direita da esquerda2, além de muitos rebanhos. Não deveria eu ter pena dessa
grande cidade?”.

Exposição.

1. Depois de um grande avivamento, uma grande frustração.

Tudo deu errado. Jonas tentou fugir de Deus, mas acabou sendo trazido de volta por ele.
Ele desejou ver a cidade de seus inimigos destruída, e em lugar disso, ele testemunhou o
maior avivamento, que nem o seu próprio povo havia experimentado até então. Jonas
deve ter colocado tudo isso na balança. Por isso, ele encontrou motivos de sobra para
ficar bravo com Deus: "Jonas, porém, ficou profundamente descontente com isso e
enfureceu-se." (v. 1).

Na sua raiva, Jonas desabafou a Deus: "“SENHOR, não foi isso que eu disse quando
ainda estava em casa? Foi por isso que me apressei em fugir para Társis. Eu sabia que
tu és Deus misericordioso e compassivo, muito paciente, cheio de amor e que prometes
castigar mas depois te arrependes." (v. 2). Jonas foi relutante até o final porque ele
sabia que Deus, diante do arrependimento das pessoas, iria mudar de ideia e perdoar
aquela cidade! Por isso Jonas fugiu: Jonas queria mais que os ninivitas fossem
destruídos, sem lhes dar nenhuma chance de se arrependerem.

Jonas conhecia Deus. Ele sabia que o Deus a quem ele servia era misericordioso,
paciente e cheio de amor! Mas esse fato só era algo aceitável a Jonas enquanto tudo isso

2
4.11 Ou o certo do errado
fosse destinado a ele e aos seus. No instante em que Deus estendeu a sua misericórdia
aos ninivitas, aquilo em que Jonas cria se tornou no motivo de sua maior indignação.

Quando Jonas percebe que nada havia saído conforme a sua íntima vontade, ele perdeu
a razão de sua existência desejando morrer: "Agora, SENHOR, tira a minha vida, eu
imploro, porque para mim é melhor morrer do que viver" (v. 2b). Mais duas vezes
Jonas dirá que prefere morrer. O que isso significa? Quando uma pessoa vive apenas em
função de sua vontade, e de repente ela não consegue atingir seus alvos, a sua vida
perde o sentido! Em outras palavras, Jonas era muito egoísta! Quando nossa vida ganha
um sentido verdadeiro? Quando ela estiver baseada totalmente em Deus, e não em mim,
nos interesses Dele e não dos meus.

Interessante ver que não estamos falando de uma pessoa qualquer: estamos falando de
um profeta de Deus, usado como instrumento de uma obra formidável de restauração.
Porém, o ponto a ser considerado é que, independente do que o homem seja, Deus é
soberano para fazer a sua vontade.

2. Você tem alguma razão para essa fúria?

"O SENHOR lhe respondeu: “Você tem alguma razão para essa fúria?”." (v. 4). Deus
estava questionando a atitude de Jonas. Por que ele estava tão bravo, diante de um
acontecimento tão bom e extraordinário? Mesmo diante da indagação de Deus, Jonas
manteve-se inflexível na sua ira.

Jonas saiu da cidade, se deslocou para o leste e sentou em um lugar para ver o que iria
acontecer com a grande cidade. Talvez, ainda restasse uma ponta de esperança de Deus
intervir com ira e juízo em Nínive. Porém, algo muito interessante acontece:

"Então o SENHOR Deus fez crescer uma planta sobre Jonas, para dar sombra à
sua cabeça e livrá-lo do calor, o que deu grande alegria a Jonas." (v. 6)

Há uma rápida mudança no humor de Jonas. Deus faz crescer uma planta que serviu
como guarda-sol ao profeta. Estava um dia muito calor. Essa sombra foi suficiente para
dar "grande alegria" ao coração de Jonas. Na medida em que Deus "beneficiava" Jonas,
ele se sentia bem e alegre. Quando Deus, em nossas vidas, nos dá uma "planta" para
servir de sombra, ficamos muito felizes, e isso não é errado.

Mas, quando na madrugada seguinte a planta é morta por uma lagarta, e Jonas fica sem
sombra, ele logo volta ao seu estado de humor anterior, desejando novamente morrer:
"Mas na madrugada do dia seguinte, Deus mandou uma lagarta atacar a planta e ela
secou-se. Ao nascer do sol, Deus trouxe um vento oriental muito quente, e o sol bateu
na cabeça de Jonas, ao ponto de ele quase desmaiar. Com isso ele desejou morrer, e
disse: “Para mim seria melhor morrer do que viver”" (v. 7, 8). É muito interessante
notar que até a lagarta a foi mais obediente a Deus do que foi o próprio profeta!

Quer dizer que Jonas ficou de bem com Deus até à medida que Ele o beneficiou, o
abençoou? Sim, esse não é somente o coração de Jonas, mas também de todos nós
pecadores. O nosso interesse sempre está voltado para nós mesmos, e da mesma forma
queremos que a vontade de Deus venha me beneficiar.
"Mas Deus disse a Jonas: “Você tem alguma razão para estar tão furioso por causa da
planta?” Respondeu ele: “Sim, tenho! E estou furioso ao ponto de querer morrer”" (v.
9). Jonas ficou bravo com a planta que morreu. Deus veio e pela segunda vez indagar se
essa ira seria justificável, e o nosso profeta, por sua vez, reafirmou, como uma criança
que faz "birra", que estava sim muito bravo, a ponto de querer morrer a viver.

Porém, tudo isso que Deus fez era parte da grande lição que Ele queria dar ao seu
profeta "teimoso".

3. Deus ensina Jonas sobre o seu amor!

"Mas o SENHOR lhe disse: “Você tem pena dessa planta, embora não a tenha
podado nem a tenha feito crescer. Ela nasceu numa noite e numa noite morreu.
Contudo, Nínive tem mais de cento e vinte mil pessoas que não sabem nem
distinguir a mão direita da esquerda, além de muitos rebanhos. Não deveria eu
ter pena dessa grande cidade?”" (v. 10,11)

O que Deus estava dizendo a Jonas é simples: se você sente pena dessa planta que
morreu, que é insignificante, será que você não tem a mesmo sentimento por tantas
pessoas que habitam aquela cidade?

"Que penas que a planta morreu e não pode me dar mais sombra" era o lamento de
Jonas. Um lamento egoísta. Ele lamenta pela planta, mas não pelas pessoas que habitam
Nínive. Deus revela seu grande amor. São mais de trezentas mil pessoas que não sabem
distinguir o que é certo do errado. Será que Deus não teria pena dessas pessoas?

As pessoas do mundo pensam que Deus é extremamente injusto e impiedoso. Mas aqui
vemos que Deus é extremamente amoroso. Mesmo que os ninivitas sejam ímpios, Ele
quer e deseja que todos eles O reconheçam e se entreguem a Ele. Jonas estava pensando
nele e não nas pessoas que estavam à beira da destruição.

Muitas vezes pensamos que Deus deve só a mim. Eu devo ser o centro das vontades e
do plano divino. Porém, Deus ama a todos, igualmente! E Ele quer que tenhamos esse
mesmo amor para com as pessoas, especialmente para àqueles que ainda não conhecem
a Verdade! Cristo morreu por todos. Paulo nos diz assim em Rm 5:6ss:

"De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos
ímpios. Dificilmente haverá alguém que morra por um justo, embora pelo
homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas Deus demonstra seu
amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores."

O convite de Deus a Jonas foi: "Jonas, pare de olhar para você achando que Eu só amo
você. Olhe para o seu redor, olhe para os ninivitas, porque ainda que você não goste
deles, eu ainda continuo os amando e os esperando. Entenda o meu coração e seja você
também assim!"

Conclusão: Arrependimento e perdão!

O convite de Deus a Jonas foi: "Jonas, pare de olhar para você achando que Eu só amo
você. Olhe para o seu redor, olhe para os ninivitas, porque ainda que você não goste
deles, eu ainda continuo os amando e os esperando. Entenda o meu coração e seja você
também assim!". Aí sim, a "ficha de Jonas caiu".

Precisamos aprender com o amor de Deus. Paulo dizia que "O amor é paciente, o amor
é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura
seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a
injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo
suporta." (1Co 13:4~7). O amor de Deus nada tem a ver com egoísmo, mas sim com
misericórdia, graça, altruísmo.

Que Deus nos ensine, assim como fez com Jonas, a amar como Ele ama. Que tenhamos
o nosso coração egoísta transformado pelo coração cheio de amor de Deus! Amém!