Você está na página 1de 5

Série Davi, o homem segundo o coração de Deus1 – Mensagem 1/6

Para o que Deus olha?


(1Sm 16:1~13)

Introdução.

Uma notícia muito interessante nos mostra a preocupação do homem de hoje com a sua
beleza exterior:

WASHINGTON (AFP) 2 — As intervenções estéticas com ou sem cirurgia


aumentaram 8% em 2007 nos Estados Unidos em relação a 2006, e 457% nos
últimos dez anos, de acordo com estatísticas da Associação Norte-Americana de
Cirurgia Plástica (ASAPS) divulgadas em seu site na internet.

Estas 11,7 milhões de intervenções 18% cirúrgicas e 82% não cirúrgicas


representaram cerca de 13 bilhões de dólares, segundo a ASAPS.

Nos últimos dez anos a quantidade destes procedimentos aumentou


vertiginosamente, 457%, indicou a associação profissional que registra estes
dados desde 1997.

As intervenções estéticas subiram 114% durante a última década e os


procedimentos sem cirurgia registraram uma alta de 754%, ressaltou a ASAPS.

As injeções de Botox foram, com 2,77 milhões de procedimentos em 2007, as


intervenções mais freqüentes, enquanto que a cirurgia mais popular foi a
lipoaspiração (456.828).

Além da lipoaspiração, as cinco operações de cirurgia estética mais solicitadas


foram o aumento dos seios, o estiramento das pálpebras, a redução do abdômen
e a redução dos seios.

No caso dos procedimentos não cirúrgicos, os mais populares são a depilação a


laser e a regeneração da epiderme, também praticada com laser.

As mulheres representaram 91% dos pacientes em 2007, mas o número de


homens aumentou 17% em 2007.

A cirurgia estética mais freqüente entre os homens foi a lipoaspiração, com


57.980 intervenções, enquanto as injeções de Botox para apagar rugas foram o
procedimento mais popular (329.519).

O aumento das nádegas foi o procedimento que mais cresceu em 2007 entre as
mulheres.

1
Pregado no Acampamento do MEP, Vargem Grande Paulista, em 14 de fevereiro de 2010.
2
Disponível em http://www.info-cirurgiaplastica.com/2008/03/intervenes-estticas-aumentaram-457-nos.html,
acessado dia 08 de fevereiro de 2010.

1
No caso dos homens, foram as injeções de Radiesse, um preparado a base de
cálcio para apagar rugas, as que mais aumentaram.

De acordo com pesquisas, as cirurgias estéticas mais comumente realizadas são:


rinoplastia (cirurgia do nariz), blefaroplastia (cirurgia das pálpebras), ritidoplastia
(cirurgia das rugas faciais), lipoaspiração (cirurgia para remoção de gordura localizada),
dermolipectomia abdominal (cirurgia para remoção do excesso de pele abdominal),
mamoplastia redutora (cirurgia para redução e suspensão das mamas), mamoplastia de
aumento (cirurgia para aumento das mams, geralmente com próteses de silicone),
otoplastia (correção de orelhas de abano), implante capilar (correção da calvície)3.

Podemos perceber que a preocupação com o estético exterior é imperativo no mundo


em que vivemos. As pessoas parecem aceitar umas as outras pautadas no exterior. Se a
pessoa é bonita, temos facilidade em nos relacionarmos com ela. Se ela for feia, já será
alvo de preconceito.

A busca pela beleza exterior sempre foi uma preocupação do homem. Porém, será que
esse é uma preocupação de Deus? Quando colocamos em paralelo o relato da vida de
Saul e da vida de Davi, podemos perceber que a preocupação de Deus não estava na
aparência física dos dois, mas sim no caráter, no coração. Um foi reprovado porque,
embora belo aos olhos humanos, tinha um coração "feio" para Deus. Outro, um jovem
normal, queimado pelo sol do deserto, que foi aprovado e escolhido como rei só por
causa do seu coração.

Qual é o parâmetro que nós usamos?

Qual é o parâmetro que Deus usa?

O Texto. 1Sm 16:1~13.


1
O SENHOR disse a Samuel: “Até quando você irá se entristecer por causa de
Saul? Eu o rejeitei como rei de Israel. Encha um chifre com óleo e vá a Belém; eu o
enviarei a Jessé. Escolhi um de seus filhos para fazê-lo rei”.
2
Samuel, porém, disse: “Como poderei ir? Saul saberá disto e me matará”.
O SENHOR disse: “Leve um novilho com você e diga que foi sacrificar ao
SENHOR. 3 Convide Jessé para o sacrifício, e eu lhe mostrarei o que fazer. Você irá
ungir para mim aquele que eu indicar”.
4
Samuel fez o que o SENHOR disse. Quando chegou a Belém, as autoridades da
cidade foram encontrar-se com ele, tremendo de medo, e perguntaram: “Vens em paz?”
5
Respondeu Samuel: “Sim, venho em paz; vim sacrificar ao SENHOR.
Consagrem-se e venham ao sacrifício comigo”. Então ele consagrou Jessé e os filhos
dele e os convidou para o sacrifício.
6
Quando chegaram, Samuel viu Eliabe e pensou: “Com certeza é este que o
SENHOR quer ungir”.
7
O SENHOR, contudo, disse a Samuel: “Não considere sua aparência nem sua
altura, pois eu o rejeitei. O SENHOR não vê como o homem: o homem vê a aparência,
mas o SENHOR vê o coração”.

3
Disponível em http://www.copacabanarunners.net/cirurgia-estetica.html, acessado dia 8 de fevereiro de 2010.

2
8
Então Jessé chamou Abinadabe e o levou a Samuel. Ele, porém, disse: “O
SENHOR também não escolheu este”. 9 Em seguida Jessé levou Samá a Samuel, mas este
disse: “Também não foi este que o SENHOR escolheu”. 10 Jessé levou a Samuel sete de
seus filhos, mas Samuel lhe disse: “O SENHOR não escolheu nenhum destes”. 11 Então
perguntou a Jessé: “Estes são todos os filhos que você tem?” Jessé respondeu: “Ainda
tenho o caçula, mas ele está cuidando das ovelhas”. Samuel disse: “Traga-o aqui; não
nos sentaremos para comer enquanto ele não chegar”.
12
Jessé mandou chamá-lo e ele veio. Ele era ruivo 4 , de belos olhos e boa
aparência. Então o SENHOR disse a Samuel: “É este! Levante-se e unja-o”.
13
Samuel apanhou o chifre cheio de óleo e o ungiu na presença de seus irmãos, e,
a partir daquele dia, o Espírito do SENHOR apoderou-se de Davi. E Samuel voltou para
Ramá.

Exposição.

1. A lição de obediência do profeta Samuel.

Após o episódio da desobediência de Saul à ordem de Deus na batalha contra os


amalequitas, Samuel ficou profundamente triste com a situação de Saul. Ele mesmo
havia ungido Saul como rei de Israel, e ele estava testemunhando a degradação de seu
reinado. Deve ter sido uma mistura de frustração e profunda tristeza pelos atos de
desobediência explícita à vontade de Deus. Diante dessa tristeza, o Senhor fala a
Samuel não se entristecer mais com aquele que Ele havia rejeitado. Agora a missão de
Samuel era outra: ungir o segundo Rei: "“Até quando você irá se entristecer por causa
de Saul? Eu o rejeitei como rei de Israel. Encha um chifre com óleo e vá a Belém; eu o
enviarei a Jessé. Escolhi um de seus filhos para fazê-lo rei”" (v. 1).

Samuel, o único profeta que ungiu dois reis em seguida, ficou com medo da reação de
Saul. O que Samuel estava fazendo era um ato de flagrante traição contra um rei posto.
Porém, Deus dá uma estratégia a Samuel: ele deveria ir sacrificar junto à família de um
homem chamado Jessé, da pequena cidade de Belém. Daquela família, Deus escolheria
o futuro rei de Israel. A ordem de Deus era clara: "Você irá ungir para mim aquele que
eu indicar" (v. 3). Samuel sabia das consequências de se desobedecer a uma ordem de
Deus. Ele passara a vida inteira vendo isso: na família do sacerdote Eli, no seu próprio
povo, na vida de Saul. Por isso, Samuel, mesmo correndo o risco de ser pego e morto
por Saul, foi a Belém cumprir a ordem de Deus.

"Samuel fez o que o SENHOR disse. Quando chegou a Belém, as autoridades da cidade
foram encontrar-se com ele, tremendo de medo, e perguntaram: “Vens em paz?”" (v. 4).
Chegando naquela pequena cidade, as autoridades foram ao encontro de Samuel com
medo e temor: "O que o grande profeta veio fazer nessa pequena cidade?", "Será que a
missão dele aqui é de paz?". "Respondeu Samuel: “Sim, venho em paz; vim sacrificar
ao SENHOR. Consagrem-se e venham ao sacrifício comigo”. Então ele consagrou Jessé
e os filhos dele e os convidou para o sacrifício." (v. 5).

Obediência! O capítulo 15 fala da desobediência de Saul. O Capítulo 16 abre com um


ato de total submissão de Samuel à vontade de Deus. Tudo aquilo que Deus deseja fazer
através de nossas vidas, Ele fará se nós nos mantermos fiéis e submissos à Sua Palavra!

4
16.12 Ou moreno.

3
2. O que o homem vê.

Samuel chega à casa de Jessé. Ele convida todos os seus filhos para o solene momento
do sacrifício. Todos se juntam em redor do altar preparado para aquele fim. Samuel olha
para os filos de Jessé com a expectativa de saber quem seria o novo rei de Israel. Porém,
o velho profeta queria ver o novo rei na semelhança do que era Saul: talvez um jovem
forte, corajoso, aparentemente saudável, robusto. Saul era assim: "Quando ficou em pé
no meio do povo, os mais altos só chegavam aos seus ombros" (1Sm 10:23).

Mas a história de Saul nos provou que a bela aparência de Saul não foi capaz de mantê-
lo no poder. Faltava-lhe caráter. Samuel estava cometendo o mesmo erro. Nós, na
maioria das vezes fazemos as mesmas coisas. Qual é o primeiro critério para avaliarmos
alguém? Não é o seu exterior? Não é aquilo que ele aparenta ser? A maneira que o
homem vê é superficial. O homem não pode ver aquilo que está dentro das mentes e dos
corações de outras pessoas. "Quando chegaram, Samuel viu Eliabe e pensou: “Com
certeza é este que o SENHOR quer ungir”." (v. 6).

3. O que Deus vê.

"O SENHOR, contudo, disse a Samuel: “Não considere sua aparência nem sua altura,
pois eu o rejeitei. O SENHOR não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o
SENHOR vê o coração”." (v. 7).

Deus não vê como o homem vê. Quando Samuel pensou que o escolhido poderia ser
Eliabe, filho mais velho de Jessé, soldado do exército de Saul, Deus fala a seu coração
uma verdade muito profunda: Samuel estava olhando para a aparência de Eliabe, porém,
Deus já vira o seu coração e reprovou Eliabe.

Mais tarde, a própria história mesmo contaria um pouco da personalidade Eliabe.


Quando Davi foi levar comida aos seus irmãos que estavam servindo ao exército,
Eliabe repreendeu a Davi chamando-o de bisbilhoteiro. O interessante é que esse Davi,
sozinho, venceria a batalha que nenhum homem ali tinha coragem de enfrentar. Deus já
havia visto o seu coração. O relato continua.

"Então Jessé chamou Abinadabe e o levou a Samuel. Ele, porém, disse: “O SENHOR
também não escolheu este”. Em seguida Jessé levou Samá a Samuel, mas este disse:
“Também não foi este que o SENHOR escolheu”. Jessé levou a Samuel sete de seus
filhos, mas Samuel lhe disse: “O SENHOR não escolheu nenhum destes”." (v. 8~10).
Um por um, todos os filhos de Jessé eram sendo reprovados por Deus. Até que todos os
filhos presentes havia sido reprovados. Sete filhos, e nenhum rei. Talvez um desespero
temou conta de Samuel: "Jessé, são só esses filhos que você tem? Você não se esqueceu
de mais algum?". "Jessé respondeu: “Ainda tenho o caçula, mas ele está cuidando das
ovelhas”. Samuel disse: “Traga-o aqui; não nos sentaremos para comer enquanto ele
não chegar”." (v. 11).

Ora, Jessé havia deixado de lado o seu caçula. O jovem Davi, era pastor das ovelhas do
seu pai. A bíblia nos relata que ele era "Ele era ruivo, de belos olhos e boa aparência"
(v. 12). Mas Deus acabara de falar que não estava levando em conta a aparência física
das pessoas para escolher o novo rei. O que estava acontecendo? A resposta é simples.

4
Embora Davi tivesse uma aparência boa, não era isso que Deus estava atentando. A
metodologia que Deus estava usando era essa: "o SENHOR procurou um homem
segundo o seu coração e o designou líder de seu povo" (1Sm 13:14).

Ninguém estava enteressado em Davi naquelas situações. Ele era a última opção. Nem
guerreiro ele era. Naquela época, somente o filho mais velho herdava todas as
propriedades do pai. Davi teria que viver sua vida inteira assim, na cola do seu irmão.
Porém, Deus viu Davi. Ninguém o viu, mas Deus o viu. E mesmo Davi, sendo aos olhos
das pessoas, uma pessoa sem importância, aquilo que chamou a atenção de Deus foi o
seu coração totalmente inclinado à vontade do Senhor.

"Então o SENHOR disse a Samuel: “É este! Levante-se e unja-o”." (v. 12b). É


impressionante ver como Deus escolhe as pessoas. Davi não fez campanha para ter o
voto de Deus. Ele não precisou convencer ninguém, aliás, Davi nem imaginaria ser
escolhido para ser rei de Israel! Mas Deus o escolheu por uma razão muito óbvia: Davi,
diferente de Saul, tinha um coração segundo a Sua vontade. Se Saul é símbolo de
desobediência, Davi é a expressão de uma pessoa obediente. Se Saul mostra o fracasso
de um líder que se baseava em sua aparência, Davi nos mostra que Deus quer usar uma
pessoa com o coração totalmente maleável para fazer grande coisas!

"Samuel apanhou o chifre cheio de óleo e o ungiu na presença de seus irmãos, e, a


partir daquele dia, o Espírito do SENHOR apoderou-se de Davi. E Samuel voltou para
Ramá." (v. 13). A escolha estava feita: Davi. Samuel pega o chifre cheio de óleo da
unção e derrama sobre a cabeça de Davi. O ato de derramar óleo sagrado sobre alguém
significava a provação e a escolha de Deus, mas também, o derramar do Espírito Santo
sobre aquela vida. A partir daquele momento, o Espírito de Deus "apoderou-se" de Davi.
Esse fato é de fundamental relevância para o que viria pela frente em sua vida. Não
basta um bom coração, mas sim, um bom coração cheio da presença de Deus.

Conclusão

A maneira que Deus escolhe um líder, um servo, uma pessoa é totalmente diferente da
maneira pela qual estamos acostumados a ver. Nós escolhemos pessoas para nos liderar
vendo suas qualidades exteriores, suas obras, seus talentos, sua habilidade em conduzir
e falar. Porém, para Deus, esse não é um ponto crítico e crucial. Deus olha o coração!

Saul que tinha todas as qualidades exteriores para começar e terminar bem o seu reinado,
no meio do caminho, foi rejeitado por Deus. E quem foi escolhido para assumir o lugar
de Saul? Um menino que tinha qualidades opostas ao Rei de Israel. Um simples pastor
de ovelhas, que no seu canto, nas suas tarefas, era em tudo fiel a Deus. Quando nos
mantemos fiéis a Ele, nas nossas pequenas atividades e tarefas, com certeza, Deus pode
nos honrar, para a Sua glória, usando as nossas vidas para alcançar cada vez mais
pessoas. Seja fiel no pouco, que Deus te colocará sobre o muito.

Coração! É isso que Deus olha.

Que Ele encontre um coração segundo a sua vontade em nossas vidas. Amém.