Você está na página 1de 4

Série Romanos – O Evangelho de Cristo Jesus – Mensagem 1

Série Romanos – O Evangelho de Deus – Mensagem 101

Ira de Deus – Parte 4


Entrega a uma disposição mental reprovável.
(Texto: Rm 1:28~32)

1. Introdução.

Como está para você gastarmos todas essas semanas falando da “Ira de Deus”? Hoje é a
quarta semana sobre esse assunto. Talvez você possa estar pensando: “isso não é para
mim, sou um bom cristão”, ou “cara, estou perdido!”. Um demonstra estar bem, outro
entendeu que não está bem. A intenção do texto é simples: mostrar exatamente quem
somos e o que acontece quando abandonamos Deus. Não se engane: todos nós ou já
fizemos isso, ou estamos fazendo isso, ou faremos isso. A minha oração é que,
entendendo do amor de Deus, possamos manter nossa fé firme Nele!

Más influências: você já teve uma? Você passou a vida inteira aprendendo na igreja que,
por exemplo, mentir é pecado. Daí, vem alguém e diz: “depende... depende pra quem e
por quê você está mentindo”. Você passou a infância aprendendo histórias lindas de
personagens bíblicos que obedeciam seus pais, eram bonzinhos... daí vem outra pessoa
e diz: “você já é grande, não deve satisfação a ninguém”. A sua mente, que estava
acostumada com algo, para a ser confrontada até chegar ao ponto da sua atitude mudar.
Certa vez li num livro: “darkened mind, darkened behaviour”, ou seja, mente
obscurecida gera atitudes obscuras. É sobre isso que quero compartilhar hoje.

As nossas ações começam muito antes, na nossa cabeça. Se nossas mentes estiverem
cheias de Deus, nossas atitudes serão dignas de bons cristãos, mas se, como dizia Lutero,
mente vazia, oficina do diabo, nossos atos serão guiados pela nossa natureza
pecaminosa e pelos nossos próprios interesses e prazeres.

A sua mente está cheia de Deus?

2. Exposição do texto. (Rm 1:24~27)


28 28
Além do mais, visto que desprezaram καὶ καθὼς οὐκ ἐδοκίµασαν τὸν θεὸν
o conhecimento de Deus, ele os entregou ἔχειν ἐν ἐπιγνώσει, παρέδωκεν αὐτοὺς ὁ
a uma disposição mental reprovável, θεὸς εἰς ἀδόκιµον νοῦν, ποιεῖν τὰ µὴ
para praticarem o que não deviam. καθήκοντα,
29
Tornaram-se cheios de toda sorte de
29
injustiça, maldade, ganância, e πεπληρωµένους πάσῃ ἀδικίᾳ πονηρίᾳ
depravação. Estão cheios de inveja, πλεονεξίᾳ κακίᾳ, µεστοὺς φθόνου φόνου
homicídio, rivalidades, engano e malicia. ἔριδος δόλου κακοηθείας, ψιθυριστάς,
São bisbilhoteiros,
30
caluniadores, inimigos de Deus, 30
καταλάλους, θεοστυγεῖς, ὑβριστάς,
insolentes, arrogantes e presunçosos;
ὑπερηφάνους, ἀλαζόνας, ἐφευρετὰς
inventam maneiras de praticar o mal;
κακῶν, γονεῦσιν ἀπειθεῖς,
desobedecem a seus pais;
31 31
são insensatos, desleais, sem amor ἀσυνέτους, ἀσυνθέτους, ἀστόργους,

1
Pregado no MEP dia 15 de maio de 2011.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com


Série Romanos – O Evangelho de Deus – Mensagem 10

pela família, implacáveis. ἀνελεήµονας·


33
Embora conheçam o justo decreto de 32
οἵτινες τὸ δικαίωµα τοῦ θεοῦ
Deus, de que as pessoas que praticam
ἐπιγνόντες, ὅτι οἱ τὰ τοιαῦτα πράσσοντες
tais coisas merecem a morte, não
ἄξιοι θανάτου εἰσίν, οὐ µόνον αὐτὰ
somente continuam a praticá-las, mas
ποιοῦσιν ἀλλὰ καὶ συνευδοκοῦσιν τοῖς
também aprovam aquelas que as
πράσσουσιν.
praticam.

1. Deus abandona o pecador à sua própria sorte: disposição mental reprovável.

Semana passada vimos que todos aqueles que abandonam o verdadeiro conhecimento
do Verdadeiro Deus são entregues, por Deus, à prática de imoralidade sexual. O sexo
passa a ser o senhor dessas pessoas de tal maneira que a busca pelo prazer carnal torna-
se irrefreável. Vimos que o nosso mundo é reflexo daquilo que Paulo escreveu a mais
de 2000 anos. Esse abandono já parece ser algo muito ruim, quando vemos no texto que
Deus entrega aqueles que são rebeldes a um segundo tipo de coisa: a uma disposição
mental reprovável para praticarem o que não devem.

Quando Paulo está falando de “mente”2, é mais que uma capacidade intelectual, mas é
todo o discernimento que uma pessoa tem como ser humano incluindo compreensão,
pensamento, postura. René Descartes já dizia “Cogito ergo sunt”. O que pensamos diz
muito sobre quem somos. É essa mente que torna-se reprovável àqueles que abandonam
a Deus: “Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou
a uma disposição mental reprovável” (vr. 28a).

Quem já não foi reprovado em uma prova? Quando estudamos para passar de ano, ser
aprovado em um matéria quer dizer saber dominar determinada quantidade de
informação. É um pré-requisito para ir adiante. Se você é reprovado, isso mostra que
não tem conhecimento suficiente do assunto. Deus também tem os Seus padrões. E
quem despreza conhecer a Deus se torna não somente reprovável, mas seus
pensamentos e mente se tornam igualmente reprováveis.

E uma mente reprovada por Deus faz tudo “para praticarem o que não deviam” (vr.
28b). Para mostrar exemplos do que é isso, Paulo nos dá uma extensa lista de
“pecados”. Meus irmãos, a vida sem Deus é uma desgraça total. Sem Ele, a única coisa
que podemos pensar e fazer é justamente aquilo que não deveríamos fazer. Se tirarmos
Deus da nossa vida, ela vira algo totalmente sem sentido, e como não há sentido, não há
razão para viver uma vida correta.

A ira de Deus se manifesta quando Ele entrega pecadores rebeldes às suas próprias
mentalidades corrompidas. Mente corrompida, só pode gerar atitudes pecaminosas!

2. Da mente para a ação, atingindo sempre alguém.

“Tornaram-se cheios de toda sorte de injustiça, maldade, ganância, e depravação.


Estão cheios de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malicia. São bisbilhoteiros,
caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; inventam

2
Cf. Moo, pág. 118.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com 2


Série Romanos – O Evangelho de Deus – Mensagem 10

maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais; são insensatos, desleais, sem
amor pela família, implacáveis” (vr. 29~31).

Imagine os integrantes da sua família assim, com essas características. Você seria feliz?
Claro que não! Agora imagine que sua igreja seja assim, você teria vontade de ir todo
domingo participar de sua comunhão? A menos que você goste de sofrer, não. E
geralmente esses adjetivos são muito facilmente detectáveis nas pessoas. Você pode
muito bem estar pensando numa lista de pessoas enquanto lê esse trecho. Sim! Nós
todos temos um pouco de cada um desses ingredientes, que formam a nossa natureza
pecaminosa. Mas você já experimentou olhar-se no espelho e enxergar toda essa lista
encarnada diante do seu reflexo?

Todos esses pecados nascem de dentro para fora. Nascem de uma mente reprovável, de
uma mente sem o filtro de Deus e sem a presença do Espírito Santo. E todos esses
pecados afetam mais alguém, além de mim. Meus amados irmãos, um dos motivos do
meu pecado ser tão ruim é porque ela sempre afeta alguma outra pessoa. Pode ser até de
uma maneira indireta, quando, por exemplo, estou invejando alguém dentro do meu
coração. Mas o pecado nunca começa e termina em mim mesmo.

3. A gravidade de pecar e deixar pecar

Imagine duas pessoas que foram presas por assassinato. O primeiro é o penitente. Ele
diz: “eu seu que o que fiz é errado. Fiz aquilo no calor do momento, sabendo das
conseqüências. Agora terei de viver para sempre sabendo que fiz algo tão terrível”. O
segundo fala assim: “ele tinha que morrer mesmo! Ele era uma pessoa muito má, ele me
prejudicou, me traiu... não me arrependo do que fiz, porque, afinal, o mundo sem ele é
bem melhor”. Agora deixe-me te perguntar: em qual dos dois mundos você gostaria de
viver? Não seria menos pior viver em um lugar aonde o mal é louvado e o bem punido
do que viver em um lugar onde as pessoas fazem o mal sabendo que é errado?

“Embora conheçam o justo decreto de Deus, de que as pessoas que praticam tais coisas
merecem a morte, não somente continuam a praticá-las, mas também aprovam aquelas
que as praticam.” (vr. 32)

Nossa, mas como um Deus de amor pode condenar alguém à morte? Ele não deveria
perdoar a todos? As pessoas têm uma concepção errada sobre Deus. Ou pensam num
Deus todo amoroso que é obrigado a nos perdoar, ou num Deus todo bravo, que não vê
a hora de nos punir. Nem um nem outro: os decretos de Deus e suas leis são justas!

Dizem que o imperador Romanos Calígula, que por sinal, era um imperador terrível, fez
um conjunto de leis que as escreveu em letras bem pequenas, fixando em cartazes bem
no alto. O que acontecia? As pessoas não podiam ler e algumas desobedeciam alguma
regra. Calígula, talvez por simples divertimento, punia àquelas pessoas, algumas delas
com a morte. Isso é justo para você?

As leis de Deus não servem para punir você ou para oprimi-lo te proibindo de fazer
todas as coisas. Não. O objetivo de Deus é criar uma nova humanidade. Amados, o
pecado é altamente destrutivo. A lista que acabamos de ler não é algo que podemos
ensinar às crianças para que vivam daquela maneira. O pecado é uma picareta que
destrói a criação perfeita de Deus. Por outro lado, a lei, os decretos e vontade de Deus

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com 3


Série Romanos – O Evangelho de Deus – Mensagem 10

são a restauração daquilo que o mal destruiu. Deus, por meio de Jesus Cristo, quer nos
estabelecer na posição original de onde fomos derrubados pelo pecado.

As pessoas que praticam tais coisas são dignos de morte! Aqueles que destroem aquilo
que foi criado de forma perfeita merecem ser destruídos. Mas não somente quem faz,
mas como quem é conivente. Para Deus, tanto quem peca, como quem deixa pecar estão
cometendo o mesmo erro e são reprováveis da mesma maneira. Amados, isso é um
aviso muito sério do Espírito Santo. Como cristãos, temos uma responsabilidade de
viver uma vida santificada, mas também ajudar os outros a viver da mesma maneira. A
beleza do Evangelho de Deus está nisso.

Uma coisa eu sei: viver junto com o pecado é a pior coisa que pode existir. Deus trata o
pecado de uma maneira muito séria porque o ser humano é muito importante para Ele3.
O pecado é justamente aquilo que está destruindo a humanidade criada para viver
desfrutando das bênçãos e glorificando Deus em tudo. Ele tem um plano melhor do que
tudo isso. Amado, o padrão de vida que Deus deseja de você está longe dessa lista!

Conclusão.

O que é a ira de Deus? É Deus entregar o homem às suas próprias paixões. Deus olha e
diz: “Então você não quer nada comigo? Então vá e faça tudo o que você quiser, seja
dono do seu próprio nariz”. Acontece que sempre que isso acontece, a humanidade se
perde e se afoga nos seus próprios pecados. O ser humano passa a ser um animal com
instintos desenfreados: imoralidade sexual e disposição mental reprovável para praticar
coisas ruins.

Meus amados, todos nós somos convidados por Deus para sairmos desse lamaçal, dessa
areia movediça: quando menos esperamos, só nossa cabeça está de fora. Porque o
apóstolo Paulo começa sua carta de uma maneira tão “negativa”? talvez ele queira
mostrar a cada um de nós o quanto precisamos da graça. Quando olhamos para nossos
pecados, e percebemos o quanto nosso coração é “desesperadamente corrupto”, ou
afundamos de vez ou gritamos por socorro, pelo socorro que só Jesus, o nosso maior
salva-vidas, pode nos conceder.

Irmãos, você está em pecado? Deus nunca te abandonará! Ele permanece no mesmo
lugar, à porta, esperando que você retorne. Você é um bom cristão? Continue o
Caminho mantendo seus olhos firmes em Cristo agradecendo e glorificando a Deus
todos os dias!

A ira de Deus é terrível. O inferno já começa aqui para aqueles que abandonaram a
Deus. Quer inferno maior, ou demonstração de ira mais horrível do que o pecador ser
entregue a seus pecados? Quer engano maior do que pecar achando que aquilo é o
melhor para ele? Não abandone a Deus, Deus nunca te abandonará! Se você já
abandonou a Deus, volte-se para Ele, porque Ele é fiel para nos perdoar e salvar. Amém.

3
Cf. Sproul, pág. 53.

Paulo Sung Ho Won – www.sunghojd.blogspot.com 4

Interesses relacionados