Você está na página 1de 7

BARRAGENS DE ENROCAMENTO

Este tipo de barragem é geralmente constituído de blocos de rocha de


tamanho variável e uma membrana impermeável na face a montante do efluente,
membrana esta que pode ser feita por uma camada de asfalto, chapa de aço ou
outro tipo de material.

O custo pra a produção de grandes quantidades de rocha, para a


construção desse tipo de barragem somente é econômico em áreas onde o custo
do concreto é elevado ou onde ocorre escassez de materiais terrosos e que
dispõe de rocha dura e resistente em abundancia, lembrando que a rocha
utilizada para a fundação deste tipo de barragem não é a mesma utilizada para
barragens de concreto. Por isso rochas que se fragmentam em pedação muito
pequenos quando submetidas a ação de explosivos são consideradas
improprias para utilização neste tipo de barragem.

Para selecionar uma barragem de enrocamento o local considerado


adequado deverá possuir as seguintes características:

 A disponibilidade de material rochoso em quantidade suficiente.


Normalmente é necessário desmontar 100 m³ de rocha para cada
130 m³ lançados no corpo da barragem. As pedreiras devem estar
localizadas preferencialmente em cotas superiores às da área de
construção da barragem, visando facilitar o transporte de materiais;
 A possibilidade de utilização direta do material independente da
fonte seja proveniente da escavação das fundações ou das outras
estruturas, ou das pedreiras;
 A largura do vale, na cota da crista da barragem, deve ser a mais
estreita no trecho aproveitável do rio, visando reduzir o volume da
barragem;
 As fundações e as ombreiras devem ser resistentes e estanques;
 Deve haver facilidade para construção e acessos.

O aterro desse tipo de barragem é feito com fragmentos de rocha ou


cascalho, compactado em camadas. Deve possuir uma zona impermeável
formada por solos e filtros de material granular. Geralmente, uma barragem de
enrocamento possui mais de 50% de material permeável.
Barragem de Enrocamento com Núcleo de Argila

São o tipo de barragem de enrocamento mais comum, se caracteriza por


utilizar a argila como material de vedação e o enrocamento com função de dar
estabilidade ao corpo do barramento com um todo. Devido ao fato de o ângulo
de atrito ser maior nas barragens desse tipo, faz com que se use mesmo material
se comparada as barragens de terra. Os taludes do núcleo argiloso podem ser
mais verticais porque são executados juntamente aos espaldares de montante e
jusante, mantendo-se sempre estável.
Para a que a execução do corpo de barragem é importante ter todos os
materiais previamente ensaiados, quantificados e com estudos de compactação
bem elaborados. Sempre que possível a execução de aterros experimentais
devem ser realizados, para garantir que durante o processo de execução dos
aterros os diferentes graus de compactação vão ser atendidos e que os materiais
para os filtros e transições estarem compatíveis e que assim o corpo do aterro
da barragem possa ser elevado de forma uniforme.

Figura 1. Execução do corpo da barragem subindo simultaneamente, enrocamento, núcleo


argiloso, transições, filtros e riprap.

Alguns outros pontos complementares ao corpo da barragem importantes


devem ser destacados e observados durante a construção, tais como:
instrumentação, proteção de taludes, dreno de pé etc.

Barragem de concreto de enrocamento com face de concreto (BEFC’s)

O desenvolvimento das BEFC’s teve início nos Estados Unidos, na


Califórnia, no final da década de 30. Esta tecnologia foi adotada na Austrália,
seguindo então para América do Sul, principalmente Colômbia e Brasil. E desde
os anos 90 tem tido grande contribuição da China, onde as BEFC’s com o uso
de modernas tecnologias de compactação dos enrocamentos que iniciou-se em
1985, com a construção da barragem de Xibeikou. No final do ano de 1999, mais
de 40 barragens de enrocamento com face de concreto já haviam sido
construídas na China, sendo que mais 30 se encontravam em fase de execução.
Entre elas 12 apresentavam altura superior a 100m, incluído a de Tianshenqiao,
com 178 m de altura.
Figura 2. Zoneamento típico de uma barragem de enrocamento com face de concreto.

A primeira barragem deste tipo a ser construída no Brasil foi a barragem


de U.H.E de Foz do Areia com 180 m de altura, atualmente existem diversas
outras BEFC’s no país, entre elas a de Campos Novos (2005) com 196 m de
altura e a de Barra Grande (2005) com 220 m de altura, mostrando um
considerável crescimento na altura máximas das barragens.

A figura mostra um resumo das principais barragens construídas no Brasil


até o ano de 2005 e algumas de suas características.

Figura 3.Principais características das BEFC’s construídas no Brasil.


As barragens de enrocamento com face de concreto (BEFC) são formada
por uma face de concreto a montante, simplesmente apoiada sobre o maciço de
enrocamento e ancorada na base ao longo de uma estrutura de concreto
denominada plinto. A união da laje e o plinto é feita por meio de uma junta
perimetral, O plinto e a face de concreto são ditos como os principais elementos
do sistema de impermeabilização

Face de concreto - é uma estrutura de concreto armado de alta resistência e


baixa permeabilidade, cuja função é impedir a percolação de água e suportar
certa deformação induzida pelo enrocamento.

Plinto - é a estrutura de concreto ancorada na rocha de fundação da barragem,


com a finalidade de ligar à laje a fundação, garantindo a estabilidade da mesma.
Com também serve de área de trabalho pra injeção do impermeabilizante da
fundação, sua ligação com a fundação é feita por meio de ancoragens.

Juntas - existem dois tipos de juntas as verticais que ligam os painéis da laje
entre si e a junta perimetral que liga o plinto a laje.

As barragens de enrocamento com face de concreto apresentam uma


série de vantagens em relação a outros tipos de barragem que podem ser
empregadas para as mesmas condições. Podemos destacar entre essas
vantagens, maior velocidade de execução, a falta de poropressão no maciço,
estabilidade inerente à estrutura, fundações com tratamento relativamente
simples e processo simplificado de construção. Essas vantagens vêm
contribuindo pra que seja cada vez maior o número de execução desse tipo de
barragem, assim como o aumento crescente na altura destas.

Outra vantagem da barragem de enrocamento é a possibilidade de que a


mesma seja galgada pelo rio durante a sua construção, desde que isto tenha
sido previsto e que se tenham tomado todas as providências para tal. No Brasil
esta solução foi adotada na barragem de Xingó, mas na prática não se deu o
galgamento estimado em 11.800 m3 /s para um período de recorrência de 180
anos. De qualquer modo o planejamento deve considerar a estratégia de desvio
a ser implementada.
Um dos lados negativos disto é o agravamento dos problemas
relacionados à impermeabilização da barragem em caso de ocorrência de trincas
na mesma e em casos de vedação precária dá ao longo da junta perimetral. As
trincas são quase sempre resultados da incompatibilidade entre o
comportamento da laje de concreto na em face de montante e o enrocamento do
corpo da barragem.

Quando se encontra camadas de solo ou rocha alterada na fundação da


barragem a interação entre esta e o maciço pode produzir movimentos na laje
da face, capaz de gerar trincar.

Nos últimos anos notou-se uma grande evolução nos projetos de


barragem de enrocamento com face de concreto, com o aumento do uso desse
tipo de barragem, que passou a ser utilizada pra barragens com altura acima de
100 metros, essa difusão se deu ao desenvolvimento de técnicas de construção
de enrocamentos compactados, das trincheiras de vedação e dos dispositivos
de impermeabilização das juntas de lajes.

A barragem de Foz do Areia, da COPEL, recentemente concluída no Rio


Iguaçu é um exemplo dos mais importantes desse tipo de obra. Para minimizar
os problemas de recalques, o enrocamento na zona sobrejacente à laje de
concreto é construído com rocha sã, lançada e compactada em camadas de
pequena espessura. Entre o enrocamento e a laje são constituídas camadas de
transição, de granulometria adequada, que são compactadas por meio de rolos
vibratórios, movimentando se sobre os taludes por meio de um sistema de cabos
e guinchos. A laje de concreto, com cerca de 30 cm no topo e espessura
crescendo na ordem de 0,3 % com a profundidade, é constituída em painéis,
com formas deslizantes, preferencialmente sem juntas horizontais.

A junta que merece maiores atenções é a situada próximo às ombreiras


(junta perimetral), onde são introduzidos veda juntas duplos e enchimentos
especiais, onde os recalques diferenciais são mais acentuados. Na figura 2 é
apresentada uma seção típica da Barragem de Foz do Areia com indicação dos
materiais utilizados e na figura 3 um detalhe da junta perimetral adotada na
construção dessa barragem.
Na fase de execução, a instrumentação das barragens de enrocamento
com face de concreto é realizada principalmente com o objetivo de monitorar os
movimentos internos e externos do enrocamento. Os movimentos externos são
medidos topograficamente e restringem-se aos taludes de montante e jusante,
na medida em que eles atinjam as linhas de projetos. Dentre os movimentos
internos é rotineira a medição dos recalques, o que é usualmente feito por meio
de células hidrostáticas, do tipo “caixa sueca”. Quando o reservatório enche, a
pressão da água sobre a face se transmite ao enrocamento e,
consequentemente, são produzidos movimentos internos no maciço (recalques
e deslocamentos horizontais), movimentos dos taludes e superfícies (movimento
da crista, movimento do talude de jusante e deformação da face de concreto),
movimento das juntas da face (perimetral e verticais); deformações especificas,
tensões na laje de concreto e infiltrações de água. Esses dependem das
características de deformabilidade do material de enrocamento, de modo que
quando são conhecidas pode-se estimar a grandeza dos movimentos e projetar
adequadamente os dispositivos de proteção contra infiltrações.