Você está na página 1de 7

1

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE MENTAL


(Lei Federal nº 11.129/2005)
Processo Seletivo Público TURMA - 2018
EDITAL nº 02/2017 - ERRATA

Seleção de candidatos às vagas do Programa de Pós-Graduação Lato Sensu na Modalidade de


Residência Multiprofissional em Saúde Mental
Período Letivo - 2018/2020

A Comissão de Seleção do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC/CCS/UFPB),


instituído pela PORTARIA/CCS/NESC Nº 06/2017 no uso de suas atribuições legais, torna público,
ERRATA referente ao Edital nº 01/2017; de acordo com o que segue abaixo:

1.0. Os itens abaixo descritos, constantes no Edital n° 01/2017, passam a vigorar com a
seguinte redação:

6.2. As inscrições serão realizadas no período de 08/01/2018 a 12/01/2018, exclusivamente via


SEDEX, para o endereço: NESC – Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva, Centro de Ciências da
Saúde – CCS 2º andar, Campus I da Universidade Federal da Paraíba – UFPB Bairro: Castelo
Branco – CEP - 58.059-900 - João Pessoa/PB.

6.3. O candidato deve preencher a Ficha de Inscrição constante no Apêndice II, e demais
formulários de que se fizerem necessários, os quais podem ser encontrados nos Apêndices,
disponível em http://www.ccs.ufpb.br/nesc, imprimir, preencher e conferir os dados do
respectivo e enviar via SEDEX. A data da postagem do SEDEX deve considerar o período de
inscrição constante no cronograma.

6.10. A lista preliminar de inscritos será divulgada conforme cronograma, no endereço:


http://www.ccs.ufpb.br/nesc e afixada na Secretaria do NESC - Núcleo de Estudos em Saúde
Coletiva, Localizado no Centro de Ciências da Saúde – CCS 2º andar/ UFPB.

6.11. Os candidatos que efetuaram sua inscrição de forma regular e que, porventura, não
constarem na lista preliminar de inscritos deverão apresentar recurso, conforme o cronograma
de execução, o qual deverá ser entregue na Secretaria do NESC - Núcleo de Estudos em Saúde
Coletiva, localizado no Centro de Ciências da Saúde – CCS 2º andar/ UFPB, ou através do e-mail
resmen@ccs.ufpb.br .

11.1. O resultado final do Processo Seletivo Público da Residência Multiprofissional em Saúde


Mental será divulgado nos sítios eletrônico http://www.ccs.ufpb.br/nesc e/ou afixado na
Secretaria do NESC - Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva, localizado no Centro de Ciências da
Saúde – CCS 2º andar/ UFPB NESC.
2

12.3. Para recorrer quanto à inscrição não homologada, o interessado deverá apresentar
pessoalmente o pedido de recurso na Secretaria do NESC – Núcleo de Estudos em Saúde
Coletiva, ou por e-mail no endereço resmen@ccs.ufpb.br no prazo previsto no cronograma de
execução, dirigido à Comissão de Seleção do Processo Seletivo Público da Residência
Multiprofissional em Saúde Mental.

12.4. Os pedidos de recursos quanto ao gabarito preliminar de questões da parte escrita


objetiva, devem ser realizados pessoalmente na Secretaria do NESC ou enviados pelo e-mail:
resmen@ccs.ufpb.br dirigidos á Comissão de Seleção do Processo Seletivo Público da Residência
Multiprofissional em Saúde Mental, no prazo previsto no cronograma de execução.

15.7. A Comissão de Seleção fará divulgar, sempre que se fizer necessário, Normas
Complementares ao presente Edital e Avisos Oficiais no endereço: http://www.ccs.ufpb/nesc .

16. DO CRONOGRAMA
CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO PROCESSO SELETIVO PÚBLICO
RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE MENTAL
TURMA 2018
PERÍODO LETIVO 2018- 2020
ATIVIDADES DIA- HORA*
- Divulgação do Edital. 11/12/2017
- Prazo para requerer a impugnação do edital, exclusivamente Até às 23:59hs do dia
através do e-mail resmen@ccs.ufpb.br 18/12/2017
Resultado da análise dos pedidos de impugnação, no endereço: 20/12/2017
http://www.ccs.ufpb.br/nesc
- Período de inscrições (exclusivamente por SEDEX). 08/01/2018 a
12/01/2018
- Edital de homologação preliminar de inscrições. 19/01/2018
- Recursos contra a homologação preliminar de 22 e 23/01/2018
inscrições, na secretaria do NESC ou no e-mail resmen@ccs.ufpb.br 08h00 às 12h00
- Edital de homologação final de inscrições. A partir das 13:00hs do
dia 24/01/2018
- Divulgação do local e da hora de aplicação da Prova Escrita. A partir das 13:00hs do
dia 01/02/2018
- Aplicação da Prova Escrita (Objetiva e Dissertativa). 03/02/2018
08h00 às 12h00
- Divulgação do gabarito preliminar da Prova Escrita – parte 05/02/2018
objetiva. A partir das 15:00
horas
- Prazo para envio de recursos contra gabarito preliminar 07/02/2018
da parte escrita objetiva, na Secretaria do NESC ou 08h00 às 12h00
no e-mail resmen@ccs.ufpb.br
- Divulgação do gabarito definitivo da parte escrita 09/02/2018
objetiva, após recurso. A partir das 13:00hs
- Divulgação de Edital do resultado da prova escrita 09/02/2018
objetiva, e da relação dos candidatos para a correção da prova
escrita dissertativa, no endereço: http://www.ccs.ufpb.br/nesc
- Divulgação de Edital do resultado da prova escrita 17/02/2018
dissertativa, no endereço: http://www.ccs.ufpb.br/nesc
3

- Prazo para entrega de recursos contra o resultado da 20/02/2018


parte escrita dissertativa (exclusivamente na Secretaria do 08h00 às 12h00
NESC).
- Divulgação de Edital do Resultado Final do Processo Seletivo, no 21//02/2017
endereço: http://www.ccs.ufpb.br/nesc A partir das 13:00hs
-Prazo para envio de recursos contra o resultado final do Até 07/03/2017
processo seletivo, exclusivamente na Secretaria do NESC 08h00 às 12h00
- Divulgação de Edital do Resultado Final do Processo Seletivo após 08/03/2018
recursos, no endereço: http://www.ccs.ufpb.br/nesc
- Período de Matrícula. 09/03/2018
08h00 às 12h00
- Início das atividades da Residência. 12/03/2018 - 08h00
- Segunda chamada de Matrícula, se houver. Divulgação no Até 11/04/2018
endereço: http://www.ccs.ufpb.br/nesc
*Todos são referentes ao horário local – João Pessoa – PB.

2.0. Altera o apêndice III, quanto as referências para a prova escrita, conforme apresentado
no Anexo II deste edital.

3.0. Os itens acima descritos passam a vigorar a partir da presente data.

João Pessoa, 29 de dezembro de 2017.

Coordenação da Comissão de Seleção


Residência Multiprofissional em Saúde Mental
4

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO NA MODALIDADE DE RESIDÊNCIA


MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE MENTAL
PROCESSO SELETIVO PÚBLICO – TURMA 2018
ANEXO I DO EDITAL Nº 02/2017
REFERÊNCIAS DAS PROVAS ESCRITAS

Referências de Políticas Públicas de Saúde

ABRAHÃO, AL. Atenção Primária e o Processo de Trabalho em Saúde. Informe-se em


promoção da saúde. [Internet]. 2007. v. 3, n.1, p. 01-03. Acesso em: 29/12/2017. Disponível
em: http://www.uff.br/promocaodasaude/ana.pdf

BRASIL. Constituição Federal. Artigos 196, 197, 198, 199 e 200. Acesso em: 29/12/2017.
Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as


condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o
funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Acesso em:
29/12/2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm

BRASIL. Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade


na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de
recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União,
Brasília, DF, 31 dez de 1990. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8142.htm

BRASIL. Lei Complementar nº 141 de 13 de janeiro de 2012. Acesso em: 29/12/2017.


Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/Lcp141.htm

BRASIL. Ministério da Saúde. Humaniza SUS: Documento base para gestores e trabalhadores
do SUS. 4 ed. 1ª reimpressão, Série B, Textos Básicos de Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde.
Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização Brasília, 2008. Acesso em: 29/12/2017.
Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/humanizasus_gestores_trabalhadores_sus_4ed.p
df

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. Série B. Textos Básicos
de Saúde. Série Pactos pela Saúde 2006; v.7. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de
Atenção à Saúde. 3ªed. Brasília 2010. 60p. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude_3ed.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Série B.


Textos Básicos de Saúde. Série Pactos pela Saúde 2006, v.9. Secretaria de Gestão do Trabalho e
da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Brasília, 2009. Acesso
em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pacto_saude_volume9.pdf
5

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Educação Popular em Saúde – PNEP-SUS.


CONASS Progestores. Nota Técnica. 16/2013. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://www.conass.org.br/biblioteca/wp-content/uploads/2013/01/NT-16-2013-
Educac%CC%A7a%CC%83o-Popular-em-Sau%CC%81de.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Regulamenta a Lei no


8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde
- SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá
outras providências. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7508.htm

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Série E. Legislação em Saúde.
Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília, 2012. 110p. Acesso
em: 29/12/2017. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. II Caderno de


educação popular em saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e
Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. – Brasília: Ministério da Saúde,
2014. 224 p. : il. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/2_caderno_educacao_popular_saude.pdf

CECCIM, RB; FERLA, A. A. Educação e Saúde: ensino e cidadania como travessia de fronteiras.
Trab. Educ. Saúde [Internet], v.6 nº3, p.443-456, nov2008/fev2009. Acesso em: 29/12/2017.
Disponível em: http://www.revista.epsjv.fiocruz.br/upload/revistas/r219.pdf.

FONTENELLE, LF. Mudanças recentes na Política Nacional de Atenção Básica: uma análise
crítica. Rev. Bras. Med. Fam. Comunidade [Internet]. 2012. Jan-Mar, n7, v.22. Acesso em:
29/12/2017. Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/417/441

MENDES, EV. As Redes de Atenção à Saúde. Cap. III. Os Modelos de Atenção à Saúde. Brasília:
Organização Pan-Americana da Saúde, 2011. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://www.conass.org.br/bibliotecav3/pdfs/redesAtencao.pdf

______________ As Redes de Atenção à Saúde. Cap. IV As Mudanças na Atenção à Saúde e a


Gestão da Clínica. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2011. Acesso em:
29/12/2017. Disponível em: http://www.conass.org.br/bibliotecav3/pdfs/redesAtencao.pdf

RAMOS, M. Educação pelo trabalho: possibilidades, limites e perspectivas da formação


profissional. Rev Saúde e Sociedade [Internet]. 2009, vol.18, supl.2, p. 55-59. Acesso em:
29/12/2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v18s2/08.pdf

RAMOS, A de S. et al. Residências em saúde: Encontros multiprofissionais, sentidos


multidimensionais. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Residência multiprofissional em saúde:
experiências, avanços e desafios. Série B. Textos Básicos de Saúde. Secretaria de Gestão do
Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Brasília,
2006. 414 p. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/residencia_multiprofissional.pdf
6

Referências de Atenção à Saúde Mental

ALVERGA, A. R. de; DIMENSTEIN, M. A reforma psiquiátrica e os desafios na


desinstitucionalização da loucura. Interface[Internet]. 2006, v.10, n.20, p.299-316. Acesso em:
29/12/2017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v10n20/03.pdf
AMARANTE, P. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2007.
BRASIL. Ministério da Saúde. A Política do Ministério da Saúde para Atenção Integral a usuários
de álcool e outras drogas. Brasília: Ministério da Saúde, v. 2. ed. rev. ampl., p.22-40, 2004.
Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/0204.pdf
BRASIL. Ministério da Saúde. Caminhos para uma política de saúde mental infanto-juvenil.
Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. 2. ed.
Brasília–DF. Editora do Ministério da Saúde, 2005. Série B. Textos Básicos em Saúde. Acesso
em: 29/12/2017. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/05_0887_M.pdf
BRASIL. Ministério da Saúde. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Regulamenta a Lei n.
8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde
- SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa e dá
outras providências. Brasília - DF, 2011. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7508.htm
BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os
direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em
saúde mental. Diário Oficial da União. Brasília - DF, 09 abr. 2001. Seção 1: 2. Acesso em:
29/12/2017. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10216.htm
BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as
condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o
funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, DF, 1990.
Acesso em: 29/12/2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm.
BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as
condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o
funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Acesso em:
29/12/2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm
BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de
Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades
de correntes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde
(SUS). Gabinete do Ministro. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088_23_12_2011_rep.html
BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº1.028 de 1º de julho de 2005. Determina que as ações
que visam à redução de danos sociais e à saúde, de correntes do uso de produtos, substâncias
ou drogas que causem dependência, sejam reguladas por esta Portaria. Gabinete do Ministro.
Brasília. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2005/prt1028_01_07_2005.html
BRASIL. Ministério da Saúde. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil.
Documento apresentado à Conferência Regional de Reformados Serviços de Saúde Mental:
15 anos depois de Caracas. OPAS. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações
Programáticas Estratégicas Coordenação Geral de Saúde Mental. Brasília-DF, 2005. Acesso em:
7

29/12/2017. Disponível em:


http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_Caracas.pdf
BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde Mental no SUS: Os Centros de Atenção Psicossocial.
Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília-
DF, 2004. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://www.ee.usp.br/departamento/nucleo/CComs/doc/Manual%20CapsFinal.pdf
BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde Mental. Cadernos de Atenção Básica, nº 34. Secretaria de
Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Departamento de Ações Programáticas
Estratégicas. Brasília - DF. 2013. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_34.pdf
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações
Programáticas Estratégicas. Saúde Mental / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à
Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – Brasília : Ministério da Saúde,
2015. 548 p. : il. (Caderno HumanizaSUS ; v. 5). Acesso em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_mental_volume_5.pdf
CHIAVERINI, D. H. et al. Guia prático de matriciamento em saúde mental. Ministério da Saúde:
Centro de Estudo e Pesquisa em Saúde Coletiva. 2011. Brasília–DF. 236 p.; 13x18 cm. Acesso
em: 29/12/2017. Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_pratico_matriciamento_saudemental.pdf
FIGUEIREDO, Ana Cristina. Uma proposta da psicanálise para o trabalho em equipe na atenção
psicossocial. Mental [online]. 2005, vol.3, n.5 [citado 2018-01-02], pp. 43-55 . Acesso em:
29/12/2017. Disponível em
http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-44272005000200004
GUERRA, A. M. C. Oficina sem Saúde Mental: percurso de uma história, fundamentos de uma
prática. In: MOURA, C. C. et al. Oficinas terapêuticas em saúde mental: sujeito, produção e
cidadania. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2004. 2. ed. p. 23-58.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Relatório sobre a saúde no mundo 2001: Saúde mental:
nova concepção, nova esperança. Organização Panaericana de Saúde. Acesso em: 29/12/2017.
Disponível em http://www.who.int/whr/2001/en/whr01_djmessage_po.pdf
PASSOS, E. H.; SOUZA, T. P. Redução de danos e saúde pública: construções alternativas à
política global de “guerra às drogas”. Psicol. Soc. [Internet]. 2011, v.23, n.1, p.154-162. Acesso
em: 29/12/2017. Disponível em
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822011000100017
SAMPAIO, J. J. C. etal. O trabalho em serviços de saúde mental no contexto da reforma
psiquiátrica: um desafio técnico, político e ético. Ciênc. Saúde Coletiva [Internet] 2011, v.16,
n.12, p.4685-4694. Acesso em: 29/12/2017. Disponível em
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-
81232011001300017&lng=en&nrm=iso&tlng=pt
SARACENO B. Libertando identidades: da reabilitação psicossocial a cidadania possível. Belo
Horizonte: TeCorá, 1999.