Você está na página 1de 63

Departamento de Desenvolvimento Profissional

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS


Prof.ª Adriana Valente

e-mail: adrianatvalente@hotmail.com

Rio de Janeiro, 1º semestre de 2018.


21/12/2017

Rua 1º de Março, 33 – Centro – Rio de Janeiro/RJ – Cep: 20.010-000


Telefone: (21) 2216-9544 e 2216-9545 cursos@crcrj.org.br – www.crc.org.br
2

O presente material foi estruturado exclusivamente para aplicação da aula


de Análise das Demonstrações Contábeis no Conselho Regional de
Contabilidade (CRC-RJ).

A parte conceitual foi extraída, principalmente, de bibliografias


consagradas sobre os temas, tais Dante C. Matarazzo, Alexandre Assaf,
Antônio Pereira, Fabiano Torres, dentre outros.

Os exercícios foram extraídos, principalmente, de bancas organizadoras


de diversos concursos e adaptados ou não para fixação da teoria.

Bom Estudo!

2
3

1 ESTRUTURA DO CURSO

1.1 Objetivos

Transmitir aos participantes os conhecimentos básicos necessários à


análise das Demonstrações Contábeis.

1.2 Carga Horária

15 h/a.

1.3 Metodologia

Exposição teórica com aplicação de exercícios práticos.

1.4 Programa

PROGRAMA

1. Objetivo da Análise das Demonstrações Contábeis


2. Análise Horizontal e Vertical
3. Análise da Liquidez
4. Análise da Rentabilidade e Rotação
5. Análise do Endividamento
6. Análise do Capital de Giro e a Necessidade de Capital de Giro
7. Ciclo Operacional e Financeiro
8. Giro do Ativo, Retorno sobre o Ativo e Retorno sobre o Patrimônio
Líquido
9. Insolvência
10. EBITIDA

3
4

APRESENTAÇÃO

4
5

5
6

2 INTRODUÇÃO

 FINALIDADE

Estudar a situação patrimonial da entidade através da decomposição,


comparação e interpretação do conteúdo das demonstrações contábeis,
visando obter informações analíticas e precisas sobre a situação
patrimonial da empresa.

 OBJETIVO

Visa relatar, com base nas informações contábeis fornecidas pelas


empresas, a posição econômica financeira atual, as causas que
determinaram a evolução apresentada e as tendências futuras. Pela
análise extraem-se informações sobre a posição passada, presente e
futura (projetada) de uma empresa.

 PROCESSO PREPARATÓRIO

Para conclusões e decisões acerca da análise das demonstrações


financeiras é fundamentalmente importante à qualidade das informações
(exatidão dos valores registrados, rigor nos lançamentos e princípios
contábeis adotados etc.) e do volume de informações disponíveis ao
analista.

6
7

 COMPARAÇÕES

É importante acrescentar, ainda, que a análise de balanços é


fundamentalmente comparativa. Ou seja, determinado índice, quando
avaliado isoladamente, não produz informações suficientes para uma
correta conclusão. É indispensável que se conheça como evoluiu esse
resultado nos últimos anos e em que nível ele se situa em relação aos
concorrentes e aos padrões de mercado.

 EMPRESA E O MERCADO

Uma preocupação essencial do analista deve ser a de conhecer mais


detalhadamente a empresa e seu mercado de atuação, de maneira a
melhor avaliar as decisões financeiras (investimentos e financiamentos)
tomadas.

A análise torna-se bem mais consistente quando interpretada dentro das


características do setor de atividade da empresa.

No estudo do setor de atividade em que uma empresa encontra-se inserida


devem ser avaliados o potencial, atual e futuro do mercado consumidor, o
nível e o tamanho da concorrência, a dependência tecnológica, os
fornecedores, a política de preços adotada para o setor, etc.

 SEGMENTAÇÃO DO RISCO EMPRESARIAL


7
8

 Risco operacional – sazonalidade.


 Risco financeiro – endividamento.
 Risco Legal - Medida de incerteza relacionada aos retornos por falta de um
completo embasamento legal de suas operações.
 Risco de Reputação ou Imagem.
 Risco de Mercado - Preços das ações, Taxas de juro, Taxas de câmbio,
Preços das commodities.

Iudícibus
“Pode-se partilhar a ideia de que a análise de balanços é uma arte, pois,
apesar das técnicas desenvolvidas, não há nenhum critério ou metodologia
formal de análise válidos nas diferentes situações e aceitos pelos analistas.
Dessa maneira, é impossível sugerir-se uma sequência metodológica ou
um instrumental cientifico capazes de fornecer diagnósticos sempre
precisos das empresas.

A maneira com que os indicadores de análise são utilizados é particular de


quem faz a análise, sobressaindo-se, além do conhecimento técnico, a
experiência e a própria intuição do analista.”

Dois analistas podem chegar a uma conclusão bem diferente sobre uma
empresa, mesmo tendo eles trabalhados com as mesmas informações e
utilizado iguais técnicas de análise.”

8
9

ALGUNS AJUSTES NAS DEMONSTRAÇÕES PARA ANÁLISE

 Despesas pagas Antecipadamente – Por não representar mais


entrada de recursos, geralmente é reclassificada para o Patrimônio
Líquido.

 Ações em Tesouraria – em alguns casos pode representar mais


efetivamente uma aplicação financeira, sendo, portanto classificada
no ativo. Dado o caráter controvertido ela é geralmente mantida no
PL.

9
10

3 ANÁLISE HORIZONTAL E VERTICAL

 De evolução, horizontal ou de crescimento.

 De estrutura, vertical ou de composição.

Análise Horizontal

Tem por objetivo avaliar o aumento ou a diminuição dos valores que


expressam os elementos patrimoniais ou do resultado, numa determinada
série histórica de exercícios.

Análise Vertical

Tem por objetivo medir percentualmente cada componente em relação ao


todo do qual faz parte e fazer as comparações caso existam dois ou mais
períodos.

CONTAS 2014 AV 2013 AV AH


Caixa e Equivalentes a Caixa 31.000 39.100
Clientes 10.000 15.000
Estoques 4.000 1.000
Imobilizado Liquido 14.000 13.000
TOTAL ATIVO 59.000 68.100
Fornecedores 12.000 20.000
Salário a Pagar 3.000 4.000
Encargos Sociais 2.000 5.000
Dividendos 3.000 4.000
Empréstimo 18.000 13.000
Patrimônio Líquido 21.000 22.100
TOTAL DO PASSIVO 59.000 68.100

10
11

Contas 2014 AV 2013 AV AH


Vendas Líquidas 55.000 60.000
CMV (29.000) (30.000)
Lucro Bruto 26.000 30.000
Despesas (21.000) (28.000)
Administrativas
Lucro Operacional 5.000 2.000
IR/CSLL (600) (200)
Lucro Líquido 4.600 1.800

Exercícios

1. Julgue os itens em certos ou errados.

a) A análise das demonstrações financeiras visa fundamentalmente ao


estudo do desempenho econômico-financeira de uma empresa em um
período anterior, para diagnosticar sua posição atual e produzir
resultados que subsidiem a previsão de tendências futuras.

b) Para fornecer elementos suficientes a um diagnóstico preciso de uma


determinada empresa, o processo de análise econômico-financeira deve
ser complementado com uma comparação temporal – evolução nos
últimos anos – e setorial – principais concorrentes e média do mercado
do setor – dos indicadores levantados.

c) É obrigatória a reclassificação contábil no balanço patrimonial da conta


fornecedores classificado no passivo circulante, quando se referir a uma
empresa controlada.

d) Na reclassificação do balanço para análise, é comum reduzir o


imobilizado do patrimônio líquido.

11
12

e) O ativo realizável a longo prazo é normalmente transferido para o ativo


circulante, visando uma classificação conservadora. ERRADA

2. Análise as informações da Cia. Nunes S.A num determinado


exercício social:

Elementos do resultado 31/dez/2013 31/dez/2014


Vendas Líquidas de Mercadorias 1.000,00 1.582,00
Custo das Mercadorias Vendidas (620,00) (860,00)
LUCRO BRUTO 380,00 722,00
Despesas Operacionais 200,00 383,00

Na análise horizontal, o percentual da variação ocorrida no lucro bruto da


Cia, Nunes, em 2014, foi:

a) 90,0% b) 158,20% c) 165,00% d) 190,00% e) 265,00%

3. Considerando o Balanço Patrimonial abaixo, julgue os itens em


certos ou errados.

balanço patrimonial (em R$)


movimento 1º movimento 1º
ativo 31/12/2015 31/03/2016 passivo 31/12/2015 31/03/2016
trimestre trimestre
circulante 178.000 43.107 221.107 circulante 82.000 34.142 116.142
disponibilidades 5.000 25.200 30.200 fornecedores 56.000 31.000 87.000
contas a receber de vendas 125.000 15.000 140.000 pessoal e encargos a pagar 5.000 5.000 10.000
estoque de mercadorias 46.000 2.407 48.407 tributos a pagar 6.000 1.642 7.642
despesas do período seguinte 2.000 500 2.500 aluguéis e seguros a pagar 3.000 500 3.500
realizável a longo prazo 5.500 500 6.000 dividendos 11.000 -11.000 0
empréstimos 5.500 500 6.000 empréstimos 1.000 7.000 8.000
permanente 65.500 40.800 106.300 patrimônio líquido 167.000 50.265 217.265
investimentos 2.500 4.000 6.500 capital social 100.000 15.000 115.000
imobilizado 60.000 37.000 97.000 reservas de capital 50.000 50.000
Intangível 3.000 -200 2.800 reservas de lucros 10.000 10.000
lucros acumulados 7.000 35.265 42.265
total 249.000 84.407 333.407 total 249.000 84.407 333.407

Julgue os itens a seguir em certos ou errados, considerando os


elementos do balanço patrimonial apresentado no quadro acima:

12
13

a) Pela análise horizontal, pode-se concluir que os recursos próprios


cresceram no primeiro trimestre em valor absoluto mais que os de
terceiros.

b) Pela análise vertical, pode-se observar que, nos dois balanços, a


empresa opera com capital fixo em proporção superior àquela do
circulante.

c) Caso essa empresa tivesse aplicado mais capital no ativo fixo no


primeiro trimestre, teria de diminuir o ativo circulante ou aumentar uma
das fontes no passivo.

d) Pelo movimento do ativos e passivos no primeiro trimestre, pode-se


concluir que a empresa operou com lucro no período.

4. O balanço patrimonial de uma companhia nos três últimos


exercícios apresentava os seguintes dados (valores em R$):

2012 2013 2014


Ativo Circulante 50.000 96.000 104.000
Passivo Circulante 56.000 84.000 96.000

Tomando como base da série histórica o exercício de 2012, constata-se


que do exercício de 2012 para o exercício de 2013, o crescimento nominal
do ativo circulante foi superior ao do passivo circulante em:

(A) 84% (B) 78% (C) 64% (D) 14%

13
14

5. EXATUS - 2012 - DETRAN-RJ - Qual a finalidade da Análise


Vertical?

a) É apresentar a relação entre o período inicial e o último período.

b) É demonstrar a representatividade que um determinado período tem


em relação aos demais períodos analisados.

c) É apresentar o resultado analisado dos períodos analisados trazendo


benefícios para determinada empresa ou entidade pública.

d) É dar uma ideia da representabilidade que um item ou subgrupo de


uma demonstração financeira tem em relação a um determinado total ou
subtotal tomado como base.

6) FCC - 2011 - TRT - 23ª REGIÃO (MT)


Foram extraídas as seguintes informações do Balanço Patrimonial de 31-
12-2015 da Cia. Hortênsias (em R$):

CONTAS VALORES
Patrimônio Líquido 488.000,00
Ativo Circulante 520.000,00
Ativo Não Circulante 680.000,00
Passivo Não Circulante 270.000,00

Calculado o valor do Passivo Circulante e efetuada a análise vertical e por


indicadores do Balanço Patrimonial da companhia, esse grupo representou

ATIVO PASSIVO

14
15

a) quase 37% do valor do Ativo Total da companhia.

b) 85% do valor do Ativo Não Circulante da companhia.

c) 65% do valor do Ativo Circulante da companhia.

d) aproximadamente 75% do Passivo Não Circulante da companhia.

e) cerca de 110% do Patrimônio Líquido da companhia.

4 INDICES

15
16

 Liquidez – Avalia a capacidade da empresa, para satisfazer


compromissos de pagamentos com terceiros.

 Rentabilidade – Avalia o rendimento, a lucratividade da empresa


obtida em determinado período.

 Rotação – Determina o giro (velocidade) dos valores aplicados.

 Endividamento – Avalia o grau de endividamento da empresa.

 Rentabilidade e Lucratividade – Avalia o rendimento obtido pela


empresa em determinado período.

5 ÍNDICES DE LIQUIDEZ

16
17

Avalia a capacidade da empresa para honrar compromissos assumidos.

“O índice quanto maior melhor”.

Liquidez Fórmula Exemplo

Imediata ou Caixa e Equivalentes de Caixa 31.000 = 0,96 ou 96%


absoluta Passivo Circulante 32.000

Corrente Ativo Circulante 45.000 = 1,40 ou 140%


Passivo Circulante 32.000

Seca Ativo Circulante – (Estoques + *DA) 37.000 = 1,15 ou 115%


Passivo Circulante 32.000

*DA (despesas pagas antecipadamente)

Geral Ativo Circulante + Realizável Longo Prazo 49.000 = 1,08 ou 108%


Passivo Circulante + Exigível Longo Prazo 45.000

Exercícios de Fixação

1)Dados extraídos do balanço da Cia. Gama em 31.12.2016:

17
18

Ativo Circulante (R$)


Disponibilidades ................................................................... 20.000,00
Clientes ....................................................................................130.000,00
Estoques ................................................................................. 90.000,00
240.000,00
Ativo Não Circulante
Realizável a LP 42.000,00
Imobilizado .............................................................................. 68.000,00
Intangível 10.000,00
120.000,00
TOTAL DO ATIVO 360.000,00

Passivo Circulante
Fornecedores ....................................................................................
80.000,00
Outras Obrigações ........................................................................... 70.000,00
150.000,00
Passivo Não Circulante
Financiamentos ...................................................................................
85.000,00
85.000,00
Patrimônio Líquido
Capital ........................................................................................................
50.000,00
Reservas .................................................................................................
75.000,00
125.000,00
TOTAL DO PASSIVO 360.000,00

É correto afirmar que o índice de

a) Liquidez imediata é igual a 0,15.


b) Liquidez geral é igual a 1,2.
c) Liquidez corrente é igual a 1.
d) Liquidez seca é igual a 1,6.
e) Endividamento total é igual a 0,5.

2.

18
19

Ativo R$ Passivo R$
Ativo Circulante 16.520 Passivo Circulante 16.400
Dusponibilidades 1.200 Fornecedores 1.100
Contas a receber 6.000 Salários e encargos a pagar 800
Estoques 8.000 Tributos a recolher 5.000
Despesas do período seguinte 120 Provisões para conting. Fiscais 6.500
Adiantamentos 700 Outras contas a pagar 3.300
Outros valores a receber 500

a) A liquidez corrente da empresa é de 1,99, indicando uma excelente


situação financeira.

b) As disponibilidades, representando 7,3% do total do ativo circulante,


não estão adequadas, pois o mais correto seria a manutenção de um
caixa mais elevado, permanentemente, mesmo considerando que o
mercado financeiro garante uma rentabilidade inferior à aplicação no
negócio da companhia.

c) A companhia dá preferência ao pagamento à vista ou antecipado das


suas compras, mesmo sem desconto, para manter um giro rápido das
suas contas a pagar, medida esta julgada acertada.

3) Observe as informações abaixo, sobre as Empresas Alfa e Beta.

19
20

Liquidez Corrente da Empresa Alfa 2,000


Liquidez Corrente da Empresa Beta 3,000

Sabendo-se que a Alfa compra mercadorias com vencimento de curto


prazo e que a Beta paga uma dívida com vencimento de curto prazo, pode-
se concluir que a liquidez corrente:

(A) manteve-se inalterada nas duas empresas.


(B) aumentou na Empresa Alfa e diminuiu na Empresa Beta.
(C) aumentou nas duas empresas.
(D) diminuiu nas duas empresas.
(E) diminuiu na Empresa Alfa e aumentou na Empresa Beta.

4) A Cia. Sobral apresentou a seguinte estrutura Patrimonial, em


reais, em 31/12/2014:

Ativo Passivo
Ativo Circulante 5.000,00 Passivo Circulante 5.500,00
Realizável LP 2.000,00 Exigível LP 1.500,00
Imobilizado 1.000,00 Patrimônio Líquido 1.000,00
Total 8.000,00 Total 8.000,00

O pagamento de fornecedores com cheque no valor de R$ 500,00:

a) não modifica os índices de liquidez corrente e geral.

b) melhora o índice de liquidez corrente, mas não altera o índice de


liquidez geral.

c) melhora os índices de liquidez corrente e geral.

d) piora os índices de liquidez corrente e geral.

e) piora o índice de liquidez corrente, mas não altera o índice de liquidez


geral.

5) O que ocorrerá se uma empresa apresentar um índice de


liquidez corrente igual a 0,80?

20
21

a) Terá muita dificuldade para honrar compromissos de curto prazo.

b) Deverá providenciar, uma redução simultânea e do mesmo valor, no


Ativo e no Passivo Circulante.

c) Estará praticamente falida.

d) Em condições normais, não poderá pagar suas obrigações de curto


prazo.

e) Em condições normais, não poderá pagar suas dívidas de longo prazo.

6) IDECAN – 2013 – COREN – MA - Contador

A análise das demonstrações contábeis por índices consiste na


confrontação entre os diversos grupos ou contas patrimoniais e de
resultado de forma que se estabeleça uma relação lógica, dentre as
informações apresentadas sobre a entidade. Relacione corretamente as
colunas, de acordo com os preceitos e forma de obtenção de cada índice
aplicado na análise das demonstrações contábeis.

1. Índice de Liquidez Imediata. 2. Índice de Liquidez Seca.

3.Índice de Liquidez Corrente. 4. Índice de Liquidez Geral.

( ) Confronta o ativo circulante com o passivo circulante, porém o ativo


circulante não é considerado na sua totalidade. Os estoques são
subtraídos. Esta subtração é uma forma de eliminar riscos de realização
desse ativo.

( ) Confronta o total de ativos circulantes e realizáveis a longo prazo com


o total dos passivos também circulantes e exigíveis a longo prazo.

( ) Confronta as disponibilidades (Caixa, Bancos e Aplicações Financeiras)


com o total do passivo circulante.

( ) Confronta os ativos e passivos de curto prazo (circulantes) e estabelece


a capacidade de pagamento no período de um ano.

A sequência está correta em:

a) 2, 4, 1, 3 b) 2, 1, 3, 4 c) 3, 2, 1, 4 d) 1, 4, 3, 2
e) 4, 2, 1, 3

7) FUNRIO-2013 – INSS – Analista – Ciências Contábeis


A capacidade financeira da entidade em honrar imediatamente seus
compromissos de curto prazo contando apenas com suas disponibilidades,
21
22

ou seja, os recursos disponíveis em caixa e bancos é evidenciada através


do índice de liquidez

a) seca.
b) constante.
c) geral.
d) imediata.
e) comercial.

8) Uma sociedade empresária apresentava os seguintes índices


de liquidez imediata e corrente em janeiro e fevereiro de 2016:

01/2016 02/2016
Liquidez Imediata 0,6 0,6
Liquidez Corrente 1,0 1,4

Sabe-se que, em fevereiro de 2016, ocorreu apenas um evento na


empresa.

Assinale a opção que pode indicar este evento.

(A) Contração de empréstimo bancário de longo prazo.

(B) Compra de ativo imobilizado à vista.

(C) Compra de ativo imobilizado para pagamento em dois anos.

(D) Venda à vista de ativo imobilizado com lucro.

(E) Integralização de capital social com estoques.

9) Considere as seguintes informações a seguir:

22
23

BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO 2015 2014 PASSIVO E PL 2015 2014
CIRCULANTE 109.002,50 36.334,00 CIRCULANTE 43.601,00 25.200,00
Disponibilidades 40.002,50 12.000,00 Fornecedores 16.101,00 4.000,00
Aplicação Financeira 17.000,00 3.500,00 Salários a Pagar 3.000,00 5.000,00
Contas a Receber 26.000,00 11.000,00 Duplicatas Descontadas 11.600,00 6.000,00
Estoques 18.000,00 6.000,00 Titulos a Pagar 12.000,00 9.000,00
Despesas Antecipadas 8.000,00 3.834,00 Financiamentos 900,00 1.200,00

NÃO CIRCULANTE 36.000,00 41.100,00 NÃO CIRCULANTE 32.401,50 11.650,00


RLP 5.000,00 22.000,00 Empréstimos 32.401,50 11.650,00
Investimento 4.000,00 1.500,00
Imobilizado 18.000,00 13.000,00 Patrimônio Líquido 69.000,00 40.584,00
Intangível 9.000,00 4.600,00 Capital Social 50.000,00 25.000,00
Reservas de Lucros 19.000,00 15.584,00

TOTAL ATIVO 145.002,50 77.434,00 TOTAL PASSIVO 145.002,50 77.434,00

Com base nos dados do Balanço Patrimonial apresentado, pode-se


afirmar que o índice de

(A) liquidez geral de 2014 é 1,9079.


(B) liquidez corrente de 2015 é 2,5000.
(C) imobilizações de 2014 é 0,4493.
(D) liquidez corrente de 2014 é 0,2979.
(E) liquidez geral de 2015 é 2,9000.

6 ÍNDICES DE RENTABILIDADE

Avalia o rendimento, a lucratividade da empresa obtida em determinado


período.

“O índice quanto maior melhor”.


23
24

Índices Fórmula Exemplo

Margem Bruta Lucro Bruto 12.000 = 0,20 ou 20%


Receita Líquida 60.000

Margem Operacional Lucro Operacional 3.750 = 0,06 ou 6%


Receita Líquida 60.000

Margem Líquida Lucro Líquido após o IR 3.000 = 0,05 ou 5%


Receita Líquida 60.000

Exercícios

1.

24
25

Com base na demonstração de resultado apresentada acima, julgue os


itens a seguir em certo ou errado.

I. A empresa está operando com resultado positivo e a sua margem


líquida é superior a 6% sobra as vendas líquidas.

II. A margem bruta sobre a receita líquida é menor que 47%.

III. A margem operacional situa-se em torno de 10% da receita líquida.

2. A Demonstração do Resultado do Exercício da Empresa


Óleos & Lubrificantes apresenta as seguintes contas e
saldos, em reais:

Receitas de Vendas 45.000,00


ICMS sobre Vendas 7.500,00
Devolução de Vendas 1.100,00
25
26

Despesas com Vendas 2.800,00


Resultado Negativo de Equivalência Patrimonial 1.500,00
Provisão para Imposto de Renda 2.250,00
Despesas Financeiras 1.700,00
Custo das Mercadorias Vendidas 12.200,00

Com base nos dados apresentados, a Margem Operacional Líquida da


empresa será, em reais, de:

a) 0,35 b) 0,40 c) 0,50 d) 0,54 e) 0,75

Vendas
(-) Impostos
(-) DV
(=) Receita Líquida
CMV
Lucro Bruto
Despesas com Vendas
Perda com MEP
(=) Lucro antes do resultado financeiro = LO
(-) Despesas financeiras
(=) lucro antes do IR/CSLL
(-) IR
Lucro Líquido

7 CICLO OPERACIONAL

DRE ECONOMICO FLUXO DE CAIXA


Vendas Líquidas 55.000 50.000
CMV (29.000) (18.000)
Lucro Bruto 26.000
26
27

Despesas com salários (9.000) (8.000)


Encargos sociais (8.000) (5.000)
Outras despesas (3.000) (3.000)
Depreciação (1.000) -
Receitas financeiras 500 500
Despesas financeiras (400) (400)
Lucro Líquido 5.100 16.100
DEPRECIAÇÃO 1.000
DF 400
RF (500)
EBITDA 6.000

CICLO OPERACIONAL

Fases operacionais existentes no interior da empresa, que vão desde a


aquisição de materiais para a produção até o recebimento das vendas
efetuadas.

Fases operacionais de uma indústria

Aquisição de Matéria Prima - MP


Prazo Médio de Estocagem da MP - PME
Prazo Médio de Fabricação - PMF
Prazo Médio de Estocagem do Produto Acabado (PA) - PME
Prazo Médio de Recebimento das Vendas – PMRV
Prazo Médio de Pagamento aos Fornecedores - PMPF

Fases operacionais de um comércio


Aquisição de mercadorias para revenda
Prazo Médio de Estocagem - PME
Prazo Médio de Recebimento das Vendas – PMRV
Prazo Médio de Pagamento aos Fornecedores - PMPF

Ciclo Operacional Comercial


PME + PMRV
20 dias + 16 dias = 36 dias Prazo Médio

Quanto mais longo se apresentar o ciclo operacional, mais elevado serão


às necessidades de investimento em giro.

Índices Fórmula Fórmula

27
28

Prazo Médio de Estoque Médio x 360 360


Estocagem CMV CMV
Estoque médio

Prazo Médio Clientes Média x 360 360


Recebimento Vendas anuais a prazo ou Clientes
vendas anuais Vendas anuais a prazo
ou média

Prazo Médio de Fornecedores Média x 360 360


Pagamento Compras anuais a prazo ou Fornecedores
média Duplicatas a pagar ou
média

Rotação 360
Estoques Prazo Médio Estocagem

Rotação 360
Recebimento Prazo Médio de Recebimento
Vendas

Rotação 360
Pagamentos Prazo Médio de Pagamento
Fornecedores

Exercícios

1.

28
29

Ativo R$ Passivo R$
Ativo Circulante 16.520 Passivo Circulante 16.400
Dusponibilidades 1.200 Fornecedores 1.100
Contas a receber 6.000 Salários e encargos a pagar 800
Estoques 8.000 Tributos a recolher 5.000
Despesas do período seguinte 120 Provisões para conting. Fiscais 6.500
Adiantamentos 700 Outras contas a pagar 3.300
Outros valores a receber 500

Considerando o demonstrativo acima, que contém o ativo e o passivo


circulantes de uma companhia em uma determinada data, e ainda, os
princípios de administração financeira aplicáveis, julgue os itens abaixo:

a) As vendas anuais da companhia, no valor de R$ 72.000, indicam


que o giro de contas a receber é muito lento, tomando por base a
mediana do setor em que ela atua, a qual corresponde a um prazo
médio de recebimento de vendas de 60 dias.

b) Considerando que a mediana do prazo médio de renovação dos


estoques que se verifica entre as empresas do setor em que atua a
companhia seja de 30 dias, é correto afirmar que ela apresenta um
giro muito lento para os seus estoques, considerando que o custo
das mercadorias vendidas no período foi de R$ 30.000.

2. Julgue os itens em Certo ou Errado

a) O prazo médio de recebimento de vendas de um ano de R$ 360.000,


para um contas a receber médio, líquido da provisão para devedores
duvidosos, de R$ 30.000, estará em torno de 30 dias.

b) O aumento do prazo de renovação de estoques, com a elevação de


vendas e do custo das mercadorias vendidas, não requererá,
necessariamente, capital para o financiamento desse ativo acrescido.

3.

29
30

balanço patrimonial (em R$)


movimento 1º movimento 1º
ativo 31/12/2015 31/03/2016 passivo 31/12/2015 31/03/2016
trimestre trimestre
circulante 178.000 43.107 221.107 circulante 82.000 34.142 116.142
disponibilidades 5.000 25.200 30.200 fornecedores 56.000 31.000 87.000
contas a receber de vendas 125.000 15.000 140.000 pessoal e encargos a pagar 5.000 5.000 10.000
estoque de mercadorias 46.000 2.407 48.407 tributos a pagar 6.000 1.642 7.642
despesas do período seguinte 2.000 500 2.500 aluguéis e seguros a pagar 3.000 500 3.500
realizável a longo prazo 5.500 500 6.000 dividendos 11.000 -11.000 0
empréstimos 5.500 500 6.000 empréstimos 1.000 7.000 8.000
65.500 40.800 106.300 patrimônio líquido 167.000 50.265 217.265
investimentos 2.500 4.000 6.500 capital social 100.000 15.000 115.000
imobilizado 60.000 37.000 97.000 reservas de capital 50.000 50.000
Intangível 3.000 -200 2.800 reservas de lucros 10.000 10.000
lucros acumulados 7.000 35.265 42.265
total 249.000 84.407 333.407 total 249.000 84.407 333.407

demonstração do resultado do 1º trimestre de 2016 (em R$) fluxo de caixa do 1º trimestre de 2016 (em R$)
vendas brutas 235.000 saldo inicial 5.000
tributos sobre as vendas -43.475 entradas 275.200
vendas líquidas 191.525 de vendas 220.000
custo das mercadorias vendidas -99.593 de empréstmos de curto prazo 40.000
lucro bruto 91.932 de aumento do capital social 15.000
despesas com pessoal -15.000 de rendimento de aplicação das disponibilidades 200
despesas com materiais de serviços -9.000 saída -250.000
despesas com aluguéis e seguros -10.000 pessoal -10.000
depreciação -3.000 fornecedores -80.000
amortização do diferido -200 aluguéis e seguros -10.000
receitas financeiras 700 tributos -60.000
de aplicação das disponibilidades 200 dividendos -11.000
de empréstimos de longo prazo 500 empréstimos recebidos -35.000
despesas financeiras -2.000 aquisição de mobilizado à vista -40.000
lucro antes do IR e CSLL 53.432 aquisição de ações de coligadas à vista -4.000
IR e CSLL -18.167
lucro líquido 35.265 saldo final 30.200

Julgue os itens subsequentes, observando os elementos dos balanços


apresentados nos quadros I e II, que se referem à mesma empresa e ao
mesmo período.

a) Pelos números apresentados, o prazo médio de renovação de estoques


de mercadorias é superior a 30 dias.

b) O prazo médio de recebimento de contas de clientes é inferior a 40


dias.

c) O prazo médio de pagamento de fornecedores é superior a 60 dias,


considerando que as compras do primeiro trimestre foram de R$
102.000.

d) A partir da análise do fluxo de caixa, observa-se que a empresa está


aplicando capitais no crescimento da sua atividade e na compra de
ativo fixo, sem contar com capitais de terceiros.

e) A margem bruta sobre vendas líquidas da empresa é de 48%.

30
31

4. Considere os dados abaixo, com valores em reais, extraídos da


contabilidade da Cia. Gama, referentes ao exercício de 2014:

• Estoque inicial de mercadorias 10.600,00


• Estoque final de mercadorias 9.400,00
• Compra de mercadorias 70.800,00

Considerando-se que o ano comercial tem 360 dias, o prazo médio de


rotação dos estoques da Cia. Gama, no exercício de 2014, em dias, é:

a) 25 b) 50 c) 75 d) 100 e) 125

5. Analisando as demonstrações contábeis de uma companhia comercial,


elaboradas no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2016,
foram apurados os seguintes prazos (índices) de atividade:

• Prazo Médio de Pagamento das Compras (PMPC) = 26 dias


• Prazo Médio de Recebimento das Vendas (PMRV) = 30 dias
• Prazo Médio de Renovação do Estoque (PMRE) = 20 dias

Considerando-se exclusivamente as informações recebidas, a boa técnica


de análise das demonstrações contábeis e a correspondente interpretação
dos índices apurados, o prazo médio que essa companhia leva para vender
suas mercadorias estocadas, em dias, é

(A) 20 (B) 24 (C) 26 (D) 30 (E) 50

31
32

8. ANÁLISE CICLO OPERACIONAL E FINANCEIRO

Ciclo Operacional

A soma dos prazos, PMRE + PMRV, representa o Ciclo Operacional, ou seja,


o tempo decorrido entre a compra e o recebimento das vendas de
mercadorias.

É o tempo decorrido entre o momento em que a empresa paga aos


fornecedores e o recebimento das vendas (clientes).

Exemplo:

Empresa BIG

XI X2 X3
PMRE = 74 dias PMRE = 114 dias PMRE = 112 dias
PMRV = 63 dias PMRV = 67 dias PMRV = 70 dias
PMPC = 85 dias PMPC = 83 dias PMPC = 73 dias

Mercado

X1 X2 X3
PMRE = 66 dias PMRE = 67 dias PMRE = 70 dias
PMRV = 75 dias PMRV = 79 dias PMRV = 77 dias
PMPC = 69 dias PMPC = 76 dias PMPC = 78 dias

Análise de X1

Empresa BIG
Ciclo operacional = 74 dias + 63 dias = 137 dias
Ciclo Financeiro = 137 dias – 85 dias = 52 dias

Mercado
Ciclo operacional = 66 dias + 75 dias = 141 dias
Ciclo Financeiro = 141 dias – 69 dias = 72 dias

32
33

Exercícios

1. Determinada empresa apresentou os seguintes prazos médios


referentes ao ano de 2015:

• Prazo Médio de Renovação de Estoques - 24 dias


• Prazo Médio de Recebimento de Vendas - 15 dias
• Prazo Médio de Pagamento de Compras - 34 dias

É correto afirmar que esta empresa obteve, em 2015, um ciclo


financeiro:

(A) positivo de cinco dias.


(B) positivo de dezenove dias.
(C) negativo de cinco dias.
(D) negativo de dezenove dias.
(E) negativo de quarenta e três dias.

2. Foram calculados os índices de atividade de determinada


empresa e encontrados os seguintes prazos médios:

• Prazo Médio de Renovação de Estoques 36 dias


• Prazo Médio de Pagamento de Compras 45 dias
• Prazo Médio de Recebimento de Vendas 13 dias

Pode-se afirmar que esta empresa apresenta:

Ciclo Operacional de Ciclo Financeiro


a) 4 dias negativo de 32 dias
b) 4 dias positivo de 32 dias
c) 4 dias positivo de 4 dias
d) 49 dias positivo de 4 dias
e) 49 dias negativo de 4 dias

33
34

3)

4. Análise as informações a seguir:


Conta/saldo (R$)
despesa de salários 120
combustíveis a pagar 320
prejuízos acumulados 330
estoque inicial 600
contribuição social sobre o lucro 760
dividendos a pagar 780
fornecedores 780
amortização acumulada 990
estoque final de mercadorias 1.200
investimento em ações 1.230
despesas antecipadas 3.200
contingências trabalhistas 3.210
capital social 5.450
clientes 6.500
custo da mercadoria vendida 7.200
veículos 9.900
receita de vendas 26.000

34
35

Tendo como referência as informações contidas na tabela acima, é correto


afirmar que o giro do estoque apurado é

A) inferior a 1.
B) superior a 1 e inferior a 3.
C) superior a 3 e inferior a 5.
D) superior a 5 e inferior a 7.
E) superior a 7.

5) Ainda com relação à tabela, o prazo do ciclo financeiro apurado, em dias,


é

A) inferior a 110.
B) superior a 110 e inferior a 125.
C) superior a 125 e inferior a 140.
D) superior a 140 e inferior a 155.
E) superior a 155.
QUESTÃO 52

6) Segundo a tabela, o prazo do ciclo operacional apurado, em dias, é

A) inferior a 125.
B) superior a 125 e inferior a 140.
C) superior a 140 e inferior a 155.
D) superior a 155 e inferior a 170.
E) superior a 170.

35
36

7. A Indústria Califórnia, efetuando um estudo com relação ao seu


ciclo financeiro, verificou que o prazo médio de estocagem de suas
matérias-primas é de 45 dias, sendo que os fornecedores dão um
prazo de 30 dias para pagamento das duplicatas. A produção
demanda, normalmente, um prazo de 30 dias, permanecendo os
produtos fabricados estocados durante 15 dias à espera de ser
vendidos. A política de vendas da empresa é a de adotar um prazo
de recebimento de 60 dias.

Com base nesses dados, de quantas vezes é o giro de caixa da empresa?

(A) 3,43 (B) 3,00 (C) 2,57 (D) 2,40 (E) 2,00

36
37

9. CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO (CCL) E CAPITAL DE GIRO

A princípio, quanto maior o CCL melhor, cuja fórmula representa: CCL =


AC – PC. No entanto, há que se considerar o segmento em que a empresa
atua.

Análise do Capital de Giro

A necessidade de Capital de Giro é a chave para a administração financeira


de uma empresa.

Necessidade de Capital de Giro, que designaremos NCG, é não só um


conceito fundamental para a análise da empresa do ponto de vista
financeiro, ou seja, análise de caixa, mas também de estratégias de
financiamento, crescimento e lucratividade.

Nenhuma análise econômico-financeira de empresa produtiva pode


prescindir de abordar a NCG, tamanha a sua importância.

Determinação da Necessidade de Capital de Giro = NCG

Ativo Circulante Operacional – ACO – Investimentos que decorre


automaticamente das atividades de compra, produção, estoque e venda.

Passivo Circulante Operacional – PCO - Financiamento automaticamente


que decorre dessas atividades.

A diferença entre esses investimentos (ACO) e financiamentos (PCO) é


quanto a empresa necessita de capital para financiar o giro, ou seja, a
NCG. Portanto:

NCG = ACO – PCO

As situações básicas que ocorrem numa empresa, com relação ao


ACO/PCO podem ser assim resumidas:

37
38

ACO > PCO


É a situação normal na maioria das empresas. Há uma NCG para a qual a
empresa deve encontrar fontes adequadas de financiamento.

ACO = PCO
Neste caso a NCG é igual a zero e, portanto, a empresa não tem
necessidade de financiamento para o giro.

ACO < PCO


A empresa tem mais financiamentos operacionais do que investimentos
operacionais. Sobram recursos das atividades operacionais, os quais
poderão ser usados para aplicação no mercado financeiro ou para
expansão da planta fixa.

Fontes de Financiamentos da NCG

Para financiar as necessidades de capital de giro, a empresa pode contar


normalmente com três tipos de financiamentos:

 Capital Circulante Próprio


 Empréstimos e Financiamentos Bancários de Longo Prazo
 Empréstimos Bancários de Curto Prazo e Duplicatas Descontadas.

38
39

Exercícios

1. A parcela de capital aplicada pela empresa em seu ciclo


operacional, caracteristicamente de curto prazo, a qual assume
diferentes formas ao longo de seu processo produtivo e de vendas,
corresponde ao (à):

a) capital de giro.
b) capital próprio.
c) fluxo de caixa.
d) ciclo de caixa.
e) rotação de valores a receber.

2. Dados extraídos do Balanço Patrimonial da Cia. Transamérica


em 31.12.2015:

ATIVO CIRCULANTE R$
Disponível 30.000,00
Clientes 250.000,00
Estoques 180.000,00
PASSIVO CIRCULANTE R$
Fornecedores 150.000,00
Impostos a Pagar 40.000,00
Salários a Pagar 60.000,00
Empréstimos Bancários 90.000,00

Com base nessas informações, o Investimento Operacional em Giro


(IOG) da companhia é, em R$.

a) Nulo.
b) 90.000,00.
c) 180.000,00.
d) 210.000,00.
e) 250.000,00.

39
40

3. Trabalhando sobre as Demonstrações Contábeis da Global S/A,


Gregório Fortunato, Contador da empresa, encontrou a seguinte
situação no Balanço:

ATIVO PASSIVO
Disponível 280 Fornecedores 300
Duplicatas a Receber 500 Duplicatas a Pagar 100
Estoques 500 Duplicatas Descontadas 300
ATIVO CIRCULANTE 1.280 Salários a Pagar 80
Empréestimos a Pagar 400
PASSIVO CIRCULANTE 1.180

O Passivo Circulante financeiro, em reais, é:

a) 400,00 b) 480,00 c) 580,00 d)700,00 e)880,00

4) Analise as informações a seguir:


Conta/saldo (R$)
Caixa 100
QUESTÃO 49 outros valores a receber 300
Intangível 500
prejuízos acumulados 500
aplicações financeiras 800
contas a pagar 1.000
energia a pagar 1.000
impostos e taxas a pagar 1.000
Reservas 1.000
Clientes 1.200
Investimentos 2.000
salários e encargos a pagar 2.000
Empréstimos 2.000
mercadorias para revenda 2.100
exigível a longo prazo 4.000
Veículos 5.500
realizável a longo prazo 7.500
Capital 7.500

A partir das informações contidas na tabela acima, que se referem a uma


empresa hipotética, é correto afirmar que o valor da necessidade de
capital de giro dessa empresa, em reais, é igual a

a) 900. b) 1.050. c) 1.100. d) 1.400. e) 2.500.

40
41

10 ESTRUTURA DE CAPITAL

Avalia o grau de endividamento da empresa e aplicação do capital próprio


ou de terceiros.

Índices Fórmula Exemplo

33.000= 0,42 ou 42%


Participação do Exigível Total (PC e ELP) 78.000
Capital de Terceiros PC+ELP + PL
em Relação ao
Capital Total = GE

33.000 = 0,73 ou 73%


Participação Capital Exigível Total 45.000
de Terceiros ao PL PL

Composição do Passivo Circulante 32.000 = 0,71 ou 71%


Endividamento Exigível Total 45.000

Imobilização do PL Imobilizado 38.000= 0,84 ou 84%


PL 45.000

41
42

Exercícios

1. A empresa Ativa de Comércio Ltda, apresentou o seguinte


extrato de seu Balanço, em reais, elaborado em 31 de
dezembro de 2004.

Ativo Circulante R$ Passivo Circulante R$


Disponibilidades 2.232,00 Fornecedores 5.950,00
Duplicatas Receber 4.000,00 Contas a Pagar 8.100,00
Estoques 14.000,00 Passivo exigível a LP
Ativo RLP Financiamentos 8.430,00
Títulos a Receber 5.620,00 Patrimônio Líquido
Ativo Permanente Capital 11.000,00
Imobilizado Líquido 9.273,00 Reservas de Lucros 1.645,00
Total 35.125,00 Total 35.125,00

Para análise através de índices, a composição do endividamento do passivo


é:

a) 0,3600 b) 0,6250 c) 0,6400 d) 1,1500 e) 1,4400

2. Considere os dados, em reais, abaixo.

Itens Empresas
Alfa Beta Gama Delta Ômega
Ativo Total 1.250.000,00 1.340.000,00 2.250.000,00 2.650.000,00 3.125.000,00
Ativo Permanente 600.000,00 765.000,00 1.275.000,00 1.045.000,00 1.250.000,00
PL Total 575.000,00 965.000,00 1.250.000,00 1.115.000,00 1.215.000,00

A empresa que apresentou o maior índice de imobilização do Patrimônio


Líquido e, consequentemente, o maior comprometimento do Patrimônio
Líquido, foi a:

a) Alfa b) Beta. c) Gama. d) Delta. e) Ômega.

42
43

3) FCC – 2012 – TRT/PE – Analista Judiciário

A partir da análise das demonstrações financeiras da empresa AGA,


obteve-se os seguintes indicadores: Grau de Endividamento (participação
de capitais de terceiros em relação ao capital próprio) 200%; Composição
do Endividamento 40%, Liquidez Corrente 1,6 e Liquidez Geral 1,0.
Sabendo que o Ativo Total era R$ 375.000,00, o seu Ativo Circulante era,
em reais,

ATIVO PASSIVO

a) 240.000.
b) 160.000.
c) 150.000.
d) 125.000.
e) 100.000.

4) Observe a relação das contas abaixo, da empresa prestadora


de serviços:

O grau de endividamento geral e a composição das exigibilidades são,


respectivamente, de

a) 53% e 38%.
b) 60% e 44%.
c) 85% e 55%.
d) 71% e 50%.
e) 50% e 35%.

43
44

5) FCC-2012-TRE/PR – Analista Judiciário

Com base nessas informações disponibilizadas acima, é correto afirmar


que:

A) o capital de terceiros representa mais de 70% das fontes de recursos


da empresa.

B) o capital próprio é suficiente para cobrir os investimentos em ativos


permanentes.

C) a maior parte da dívida da empresa tem vencimento no longo prazo.

D) o índice de imobilização dos recursos não correntes é de 0,80.

E) a dívida da empresa representa 200% do seu capital próprio.

6) Analise as informações abaixo:

Contas
Caixa e Equivalentes de Caixa R$ 20.000,00
Clientes R$ 15.000,00
Duplicatas Descontadas R$ 5.000,00
Fornecedores R$ 10.000,00
Imobilizado R$ 21.000,00
Investimento R$ 4.000,00
Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa R$ 5.000,00
Ações em Tesouraria R$ 3.500,00
Financiamentos Contraídos (circulante) R$ 30.000,00
Empréstimos Contraídos (não circulante) R$ 43.000,00
Empréstimos Concedidos (não circulante) R$ 45.000,00
Capital Social R$ 15.500,00

O endividamento geral é

a) 5,6774.
b) 6,9167.
c) 7,3333.
d) 5,3548.
e) 7,5000.
44
45

7)Analise as informações a seguir:

BALANÇO PATRIMONIAL
ATIVO 2015 2014 PASSIVO E PL 2015 2014
CIRCULANTE 109.002,50 36.334,00 CIRCULANTE 43.601,00 25.200,00
Disponibilidades 40.002,50 12.000,00 Fornecedores 16.101,00 4.000,00
Aplicação Financeira 17.000,00 3.500,00 Salários a Pagar 3.000,00 5.000,00
Contas a Receber 26.000,00 11.000,00 Duplicatas Descontadas 11.600,00 6.000,00
Estoques 18.000,00 6.000,00 Titulos a Pagar 12.000,00 9.000,00
Despesas Antecipadas 8.000,00 3.834,00 Financiamentos 900,00 1.200,00

NÃO CIRCULANTE 36.000,00 41.100,00 NÃO CIRCULANTE 32.401,50 11.650,00


RLP 5.000,00 22.000,00 Empréstimos 32.401,50 11.650,00
Investimento 4.000,00 1.500,00
Imobilizado 18.000,00 13.000,00 Patrimônio Líquido 69.000,00 40.584,00
Intangível 9.000,00 4.600,00 Capital Social 50.000,00 25.000,00
Reservas de Lucros 19.000,00 15.584,00

TOTAL ATIVO 145.002,50 77.434,00 TOTAL PASSIVO 145.002,50 77.434,00

Com base nos dados do Balanço Patrimonial apresentado, pode-se afirmar


que o índice de endividamento total de 2015 foi de:

a) 0,449275.
b) 0,297972.
c) 0,524146.
d) 0,325438.
e) 0,297972.

45
46

Analise os dados de duas empresas, apresentados na tabela a seguir:

EMPRESA “A” EMPRESA “B”


ATIVO PASSIVO ATIVO PASSIVO
Disponibilidade 10 Fornecedor 100 Disponibilidade 10 Fornecedor 300
Clientes 40 IR 200 Clientes 30 IR 110
Estoques 50 Estoques 60
ELP 500 ELP 100
RLP 100 RLP 100
PL 200 PL -10
Imobilizado 800 Imobilizado 300
TOTAL 1.000 TOTAL 1.000 TOTAL 500 TOTAL 500

8)Analise as afirmativas a seguir e assinale V para a verdadeira e


F para a falsa.

( ) Empresa “B” apresenta um grau de endividamento maior que a


Empresa “A”

( ) Empresa “A” apresenta menos dívida que a Empresa “B”

( ) Empresa “B” apresenta situação líquida de Passivo a Descoberto

( ) Empresa “A” apresenta situação líquida favorável

As afirmativas acima são, respectivamente,

(A) F, V, F e F.
(B) F, V, F e V.
(C) V, F, F e V.
(D) V, F, V e V.
(E) V, V, V e V.

9)O índice de liquidez corrente da Empresa “A” e o de liquidez


geral da Empresa “B” são, respectivamente,

(A) 0,25 e 0,49.


(B) 0,33 e 0,39.
(C) 0,33 e 0,24.
(D) 0,67 e 0,25.
(E) 0,67 e 0,49.

46
47

10) FUNCAB-2011 – Prefeitura de Várzea Grande-MT-Auditor de


Controle Interno

Com o objetivo de analisar diversas Demonstrações Contábeis de um


conjunto de empresas que solicitaram financiamento, ficou decidido que
inicialmente, seriam escolhidos apenas 3 indicadores, de tal maneira que
fosse possível fazer uma espécie de ranking das empresas de acordo com
sua situação geral e também que não se perdessem muitas horas de
trabalho nessas análises preliminares. A alternativa que apresenta
indicadores que possibilitam avaliar a situação econômica e financeira das
empresas, permitindo a partir dessa análise prévia descartar as empresas
com menor potencial de pagamento dos financiamentos solicitados, é
composta de indicadores:

a) de liquidez corrente, liquidez geral e liquidez seca, pois são os


indicadores determinantes para avaliar a capacidade de pagamento.

b) de endividamento, pois eles é que determinarão as margens de


comprometimento dos recursos totais das empresas.

c) de liquidez, de endividamento e de rentabilidade, pois são um conjunto


de informações que se completam para fins de obtenção de uma
análise ampla.

d) de liquidez, da taxa de retorno sobre o investimento e índices de


atividade, pois são um conjunto de informações que se completam para
fins de obtenção de uma análise ampla.

e) de endividamento, de liquidez e de atividade, pois são um conjunto de


informações que se completam para fins de obtenção de uma análise
ampla.

47
48

11 OUTROS ÍNDICES

Índices Fórmula Significado

Quanto cada unidade


Giro do Ativo – GA Receita Bruta monetária investida no
Ativo Ativo gerou de vendas.

Quanto cada unidade


Retorno sobre o Ativo - RSA LL antes das DF monetária investida no
Ativo médio Ativo gerou de lucro.
*Despesa Financeira
Quanto cada unidade
RSPL (Retorno sobre o PL) ou Lucro Líquido monetária no PL gerou
retorno do capital próprio Patrimônio Líquido Médio em termos de lucro
líquido.

48
49

Exercícios

1. A companhia T apresentou as seguintes informações referentes


ao exercício social / 2016:

Receita Operacional Bruta 550.000,00


(-) Deduções (50.000,00)
(=) Receita Operacional Líquida 500.000,00
(-) Custo das Mercadorias Vendidas (170.000,00)
(=) Lucro Operacional Bruto 330.000,00
(-) Despesas Operacionais (220.000,00)
(=) Resultado Operacional 110.000,00
(-) Imposto de Renda e CSLL (22.000,00)
(=) Lucro Líquido do Exercício 88.000,00

Outras informações:
• O Resultado Operacional é igual ao Lucro antes do Imposto de Renda.
• O Imposto de Renda e a CSLL foram devidamente calculados com base
no Lucro Real apurado no LALUR.
• Giro do ativo = 4.

Considerando exclusivamente as informações apresentadas e os termos


da análise das demonstrações contábeis, o percentual da taxa de retorno
sobre o ativo (rentabilidade) da companhia, em 2016, é

(A) 20,0% (B) 22,0% (C) 60,0% (D) 66,0% (E) 70,4%

49
50

2. Em 31/12/2015, o balanço patrimonial da Cia. ABC apresentava


os seguintes dados (valores em R$):

Caixa e Equivalente de Caixa 10.000


Clientes 20.000
Capital Social 60.000
Financiamento a Longo Prazo 24.000
Mercadorias 12.000
Fornecedores a Curto Prazo 10.000
Reservas de Lucros 6.800
Investimentos 12.800
Contas a Pagar 6.000
Imobilizado 52.000

Na análise econômico-financeira realizada, o analista apurou que o índice


de rentabilidade do ativo era igual a 2,5. Considerando esses dados,
pode-se concluir que o lucro líquido do exercício foi igual a:

(A) R$ 1.920,00 (B) R$ 2.400,00 (C) R$ 2.490,00 (D) R$ 2.670,00

ATIVO PASSIVO

50
51

3. Em 31/12/2014, foram levantadas as seguintes informações da


Empresa ABC (valores em R$):

Ativo Circulante 60.000


Ativo Não Circulante 180.000
Passivo Circulante 40.000
Passivo Não Circulante 80.000
Vendas 300.000
Custos e Despesas Totais 172.000
Deduções sobre Vendas 80.000

Pode-se afirmar que, no exercício, a taxa de retorno do patrimônio líquido


correspondeu a:

(A) 40%
(B) 50%
(C) 70%
(D) 250%

51
52

12 FÓRMULA DE PREVISÃO DE FALÊNCIA

A análise discriminante leva obtenção dos pesos e ao fornecimento de uma


nota final que, comparada a uma escala de avaliação, dará a classificação
de risco da empresa.

A insolvência de uma empresa ocorre pela incapacidade de solver suas


obrigações, ou seja, pela falta de dinheiro no momento de vencimento de
uma dívida.

A falta crônica de dinheiro e a perspectiva a longo prazo de agravamento


da insuficiência de entradas em caixa em face das saídas comprometidas
caracteriza a insolvência, cujas soluções só podem ser a concordata ou a
falência.

Via de regra, a falta de dinheiro a curto prazo deve-se a cinco motivos:

 Desempenho de vendas aquém do esperado;


 Falta de controle das despesas;
 Prejuízos;
 Má administração do Ativo e Passivo Circulantes; PRAZOS
 Excesso de investimentos em Ativos (Investimento, Imobilizado e
Intangível).

Toda empresa tem um fluxo de caixa – movimento de entrada e saída de


caixa – em que as entradas naturalmente se equilibram com as saídas.
Essa harmonia é quebrada quase sempre por uma daquelas cinco
hipóteses e só será corrigida se a empresa for capaz de obter os
empréstimos adicionais necessários.

52
53

FATOR DE INSOLVÊNCIA – Avalia a solvência da empresa.

Modelo desenvolvido por Stephen Charles Kanitz

Índices
X1 – Rentabilidade do PL = LL / PL x 0,05

X2 – Liquidez Geral = AC + RLP / ET (PC + ELP) x 1,65

X3 - Liquidez Seca = AC-E-DPA / PC x 3,55

X4 – Liquidez Corrente = AC / PC x 1,06

X5 – Grau de Endividamento = ET / PL x 0,33

Fator = X1 + X2 + X3 – X4 – X5

Entre zero e 7 = Empresa está solvente


Entre -3 e zero= Empresa está em dúvida
Entre -7 e –3 = Empresa está insolvente

53
54

Exercícios

1. O modelo desenvolvido por Stephen C. Kanitz, utilizando a metodologia


de análise discriminante, para mensurar a solvência de uma empresa é
constituído pela seguinte fórmula:

FI = 0,05 X1 + 1,65 X2 + 3,55 X3 – 1,06 X4 – 0,332 X5

Onde:

FI = fator de insolvência
X1 = lucro líquido / patrimônio líquido= RPL
X2 = (ativo circulante + realizável a longo prazo) / passivo
exigível
X3 = (ativo circulante – estoques) / passivo circulante
X4 = ativo circulante / passivo circulante
X5 = exigível total / patrimônio líquido

No modelo, quanto maior o valor de FI, mais solvente é a


empresa. Logo, pode-se afirmar que a empresa será mais
solvente, segundo esse modelo,

a) quanto menor for seu retorno sobre o patrimônio líquido.

b) quanto maior for seu índice de liquidez corrente.

c) quanto maior for seu índice de participação de capital de terceiros.

d) quanto maior for seu índice de liquidez seca.

e) quanto maior for seu índice de liquidez geral.

54
55

Questões para Análise

1) Uma empresa apresentou uma variação do capital circulante


líquido negativa no exercício social de 2016 e, a partir de uma
análise da situação, solicitada por sua Diretoria, constatou que
houve uma sensível redução do contas a receber, em função de
uma nova política de financiamento de clientes. e, por outro lado,
houve um aumento do prazo médio de pagamento aos
fornecedores, ampliando o contas a pagar, tudo isso em um ano
em que o lucro aumentou muito. Mesmo tendo sido observado um
aumento das disponibilidades, ainda o capital circulante líquido
apresentou variação negativa. Nas conclusões da análise da
situação financeira, é correto que o analista da empresa conclua
que a variação negativa do capital circulante líquido foi um fator:

a)intermediário, porque houve aumento na disponibilidade, apesar da


piora no ativo de contas a receber e no passivo de contas a pagar, em
função da redução verificada no primeiro e do aumento, no segundo.

a) negativo, porque diminuiu o índice de liquidez corrente da empresa.

b) negativo, porque além da empresa perder ativo de contas a receber


aumentou o passivo de contas a pagar a fornecedores.

c) negativo, porque aumentou as disponibilidades de dinheiro parado, que


deveria estar aplicado no negócio, diminuiu o ativo de contas a receber e
aumentou o passivo de contas a pagar a fornecedores.

d) positivo, pois liberou recursos para investimentos, tendo permitido a


empresa crescer a sua planta instalada sem se financiar junto às
instituições financeiras.

55
56

2. A análise de demonstrações contábeis envolve vários aspectos,


como a estrutura de capitais, a situação econômica ou de
rentabilidade e a situação financeira. Vários indicadores são
utilizados sobre elementos patrimoniais ou estáticos, sobre
elementos dinâmicos ou de fluxo, como a demonstração do
resultado e a demonstração do fluxo de caixa, e sobre ambos.
Sempre que se fizer uma análise a respeito de elementos estáticos
é preciso alguns cuidados para evitar o juízo inadequado,
especialmente quanto a índices de liquidez e de endividamento.
Um índice de liquidez elevado nem sempre é bom e um de liquidez
baixo nem sempre é ruim; tudo depende do fluxo de caixa. Um
endividamento alto pode ser bom, se o custo do dinheiro produzir
uma alavancagem positiva e a situação de caixa estiver
equilibrada. Da mesma forma, um endividamento baixo, com
alavancagem financeira positiva, pode ser ruim. Em consonância
com esse assunto, julgue os itens abaixo em certos ou errados.

a) Um índice de liquidez de uma empresa de 0,70 indica uma situação


sofrível, independentemente do seu ramo de atividade.

b) Uma liquidez absoluta de 0,01 é sofrível, mesmo considerando que a


empresa esteja operando com rentabilidade elevada, que tenha um
fluxo de caixa equilibrado e que esse quociente se apresente assim
apenas em um determinado mês.

c) A imobilização de capitais próprios de 0,30 é excelente, já que gera


sobras para formar uma liquidez forte. Mesmo considerando o caso de
um mercado em expansão e de uma empresa com excelente
rentabilidade, não é recomendável elevar o grau de imobilização, para
garantir sobras de capital de giro.

3. Acerca da interpretação de indicadores financeiros, econômicos


e patrimoniais, assinale a opção correta.
56
57

a) Em uma empresa que tenha necessidade de capital de giro próprio


para operar o seu negócio, quanto maior for o seu índice de
imobilização de capital próprio, melhor será para ela.

b) Do ponto de vista de segurança para terceiros que avaliam o risco de


uma empresa, quanto menor for seu índice de liquidez corrente,
melhor será para ela.

c) Para uma empresa que atue no ramo de comércio de mercadorias a


varejo e tenha vendas elevadas e boa margem de lucro, quanto mais
próximo for o seu índice de liquidez seca do índice de liquidez corrente,
melhor será para ela.

d) Do ponto de vista de folga para o fluxo de caixa de uma empresa,


quanto maior for a sua participação de passivo circulante no total do
passivo, melhor será para ela.

4. Solvência Geral indica a capacidade de cobertura que os ativos


têm para cobrir todos os passivos, sendo apurada pela seguinte
fórmula:

Onde:
SG = ATO SG = Solvência Geral
CTER ATO = Ativo Total
CTER = Capital de Terceiros

Analisando os balanços de uma companhia de capital aberto, publicados


em janeiro de 2016, referentes aos exercícios findos em 31 de dezembro
de 2014 e 31 de dezembro de 2015, um analista apurou os seguintes
índices de solvência geral:

Indicador 31/dezembro/2014 31/dezembro/2015


Solvência Geral (SG) 2,000 4,000

Considerando exclusivamente os indicadores recebidos e a boa técnica de


análise de balanço, apresente e explique a variação ocorrida na estrutura
de capitais de 2015, em relação a 2014.

5. Do balanço patrimonial de uma determinada companhia,


elaborado em 31/12/2016, são conhecidos os seguintes dados:

57
58

Passivo Circulante.......................R$ 18.000,00


Realizável a Longo Prazo..............R$ 10.800,00

Com base na análise elaborada sobre a demonstração, foram obtidos os


seguintes índices:

Liquidez Corrente = 1,8


Liquidez Geral = 1,6
Solvência Geral = 3,0

Com base nessas informações, o balanço elaborado indicava que o


somatório do Ativo Investimento, Imobilizado e Intangível correspondia a:

(A)R$ 25.200,00
(B)R$ 27.000,00
(C)R$ 34.200,00
(D)R$ 37.800,00

6. Na primeira reunião da diretoria da Cia. Beta em janeiro de x3,


foram analisados os seguintes indicadores relativos aos últimos
dois exercícios sociais da companhia:

X1 X2
Retorno Sobre o Patrimônio Líquido 4,8% 7,43%
58
59

Retorno sobre o ativo 2,40% 3,38%


Margem líquida 2,00% 2,70%
Margem Bruta 26,50% 25,30%
Giro do ativo 1,20 1,25
Alavancagem 2,00 2,20
Liquidez corrente 1,80 1,60
Perfil da dívida 30,00% 32,00%

Para manter a tendência de aumento do retorno sobre o patrimônio


líquido, foram sugeridas algumas estratégias durante a reunião. Sabendo-
se que a análise horizontal indicou não ter havido variação no total do ativo
de x1 para x2, é possivelmente consistente com o que foi feito durante x2
a estratégia de:

(A) diminuir a margem de lucro para aumentar o volume de vendas;

(B) diminuir o capital de giro, ampliando investimentos de longo prazo que


ofereçam maior rentabilidade;

(C) alongar o perfil da dívida da companhia, utilizando financiamentos de


longo prazo para ampliar os investimentos de longo prazo;

(D) aumentar a participação do capital próprio no financiamento da


companhia;

(E) reduzir os custos de produção e ampliar os gastos com publicidade e


propaganda.

EBITDA

GERAÇÃO DE CAIXA

59
60

DRE CAIXA GERADO NO


ECONOMICO PERÍODO – FINANCEIRO
Vendas = clientes 55.000 50.000
CMV (29.000) (18.000)
Lucro Bruto 26.000
Despesas com salários (9.000) (8.000)
Encargos sociais (8.000) (5.000)
Outras despesas (3.000) (3.000)
Depreciação (1.000) -
Receitas financeiras 500 500
Despesas financeiras (400) (400)
Lucro Líquido 5.100 16.100
DEPRECIAÇÃO 1.000
DF 400
RF (500)
EBITDA 6.000

Reinaldo Luiz Lunelli

Um indicador financeiro bastante utilizado pelas empresas de capital


aberto e pelos analistas de mercado é o chamado EBITDA, cujo conceito
ainda não é claro para muitas pessoas.

A sigla corresponde a "Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and


Amortization", ou seja, lucro antes dos juros, impostos, depreciação e
amortização. MEP

CONCEITO

Em linhas gerais, o EBITDA representa a geração operacional de caixa da


companhia, ou seja, o quanto a empresa gera de recursos apenas em suas
atividades operacionais, sem levar em consideração os efeitos financeiros
e de impostos.

Difere do EBIT, conhecido como o lucro na atividade, no que se refere à


depreciação e amortização, pois o EBIT considera estes efeitos contábeis.

60
61

A utilização do EBITDA ganha importância, porque analisar apenas o


resultado final da empresa (lucro ou prejuízo) muitas vezes tem sido
insuficiente para avaliar seu real desempenho em um dado período, já que
muitas vezes é influenciado por fatores difíceis de serem mensurados.

CÁLCULO DO EBITDA

Um primeiro passo é calcular o lucro operacional, que, de acordo com o


critério utilizado no Brasil, é obtido como a subtração, a partir da receita
líquida, do custo das mercadorias vendidas (CMV), das despesas
operacionais e das despesas financeiras líquidas (despesas menos receitas
com juros e outros itens financeiros). Vale lembrar que a definição de lucro
operacional em boa parte do mundo exclui o resultado financeiro.

Já para calcular o EBITDA, é preciso somar ao lucro operacional a


depreciação e amortização inclusas no CMV e nas despesas operacionais.
Isso porque essas contas não representam saída de caixa efetiva no
período.

Em resumo, a depreciação de um equipamento quantifica a perda de sua


capacidade produtiva graças ao uso ou tempo, e, portanto, a perda de seu
valor para a empresa. Essa perda, vale ressaltar, é apenas econômica e
não financeira, ou seja, não há um desembolso efetivo do recursos no
período.

Outra conta que deve ser acrescentada no EBITDA é a despesa financeira


líquida, que foge do escopo de análise do indicador, ou seja, de efetivo
desempenho operacional. Assim, para o cálculo do EBITDA, adicionam-se
os juros, depreciação e amortização ao Lucro Operacional Líquido antes
dos impostos.

Vale lembrar que muitas empresas já publicam diretamente o indicador,


que não é de divulgação obrigatória de acordo com as regras da CVM. Isso

61
62

tende a facilitar a análise, embora muitos analistas critiquem as diferentes


metodologias adotadas, principalmente em relação a itens extraordinários.

Exercícios

1) Julgue o itens abaixo, relativo ao EBITDA (earnings before interest, tax,


depreciation and amortization) em certos ou errados.

62
63

a) O EBITDA representa a geração de caixa operacional da empresa, ou


seja, o montante de recursos gerados pela empresa de em suas
atividades operacionais.

b) O EBITDA constitui medida de desempenho operacional que considera


as receitas operacionais líquidas com o acréscimo das depreciações e
amortizações. Trata-se, pois, de um lucro calculado antes das despesas
financeiras e dos tributos incidentes sobre o resultado. Assim, para
efeito de avaliação do desempenho operacional, excluem-se o impacto
das imobilizações (pela exclusão das depreciações e amortizações) e os
efeitos da estrutura de capital (pela exclusão das despesas financeiras).

c) No cálculo do chamado EBITDA, frequentemente divulgado por


publicações especializadas, não se consideram as depreciações e as
amortizações, as despesas financeiras, os tributos sobre o resultado e o
resultado da equivalência patrimonial. Isso significa que se trata de uma
avaliação que leva em conta a política de investimentos da empresa e a
dependência de capitais alheios.

d) O EBITDA (earning before interests, taxes, depreciation and


amortization) é um indicador de desempenho que não se restringe aos
custos operacionais diretamente administráveis pela empresa, podendo
ser apurado a partir do lucro operacional líquido antes dos impostos,
adicionando-se juros, depreciação e amortização.

2) O indicador EBITDA é muito utilizado no mercado para se


calcular uma estimativa, uma proxy, do fluxo de caixa operacional
gerado ou a ser gerado por uma empresa. Isso se dá
principalmente pelo fato de que esse indicador considera:

a) amortização financeira como amortização contábil;


b) depreciação como despesa puramente contábil
c) despesas financeiras como fluxo de caixa operacional;
d) despesas a prazo como despesas à vista
e) receitas a prazo como receitas à vista.

63