Você está na página 1de 11

ANALISTA DO TRT E TST

Direito Processual do Trabalho


Leone Pereira
Data: 09/05/2012
Aula 2
Módulo 2

RESUMO

SUMÁRIO

Continuação... RECURSOS TRABALHISTAS


I) TEORIA GERAL
1) CARACTERÍSTICAS OU PECULIARIDADES DOS RECURSOS TRABALHISTAS
2) EFEITOS DOS RECURSOS TRABALHISTAS
3) JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE E JUÍZO DE MÉRITO

RECURSOS TRABALHISTAS

I) TEORIA GERAL
1. CARACTERÍSTICAS OU PECULIARIDADES DOS RECURSOS TRABALHISTAS (continuação)

1.1. Irrecorribilidade imediata ou direta das decisões interlocutórias (é a mais importante)

A doutrina aponta a regra da irrecorribilidade imediata (direta) das decisões interlocutórias nos artigos
893, §1º e 799, §2º da CLT e súmulas nº 214 e 414 do TST.

Art. 893 - CLT - Das decisões são admissíveis os seguintes recursos:


I. embargos;
II. recurso ordinário;
III. recurso de revista;
IV. agravo.
§ 1º Os incidentes do processo são resolvido pelo próprio Juízo ou
Tribunal, admitindo-se a apreciação do merecimento das decisões
interlocutórias somente em recurso da decisão definitiva.

Art. 799 – CLT - Nas causas da jurisdição da Justiça do Trabalho


somente podem ser opostas, com suspensão do feito, as exceções
de suspeição ou incompetência.
§ 2º Das decisões sobre exceções de suspeição e incompetência,
salvo, quanto a estas, se terminativas do feito, não caberá
recurso, podendo, no entanto, as partes alegá-las novamente no
recurso que couber da decisão final.

SÚMULA Nº 214 DO TST:

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA. IRRECORRIBILIDADE (nova redação) -


Res. 127/2005, DJ 14, 15 e 16.03.2005
Na Justiça do Trabalho, nos termos do art. 893, § 1º, da CLT, as
decisões interlocutórias não ensejam recurso imediato, salvo nas
hipóteses de decisão: a) de Tribunal Regional do Trabalho

ANALISTA DO TRT E TST – 2012


Anotador(a): Cecília Morais
Complexo Educacional Damásio de Jesus
contrária à Súmula ou Orientação Jurisprudencial do Tribunal
Superior do Trabalho; b) suscetível de impugnação mediante
recurso para o mesmo Tribunal; c) que acolhe exceção de
incompetência territorial, com a remessa dos autos para Tribunal
Regional distinto daquele a que se vincula o juízo excepcionado,
consoante o disposto no art. 799, § 2º, da CLT.

SÚMULA Nº 414 DO TST:

MANDADO DE SEGURANÇA. ANTECIPAÇÃO DE TUTELA (OU


LIMINAR) CONCEDIDA ANTES OU NA SENTENÇA (conversão das
Orientações Jurisprudenciais nºs 50, 51, 58, 86 e 139 da SBDI-2) -
Res. 137/2005, DJ 22, 23 e 24.08.2005
I - A antecipação da tutela concedida na sentença não comporta
impugnação pela via do mandado de segurança, por ser
impugnável mediante recurso ordinário. A ação cautelar é o meio
próprio para se obter efeito suspensivo a recurso. (ex-OJ nº 51 da
SBDI-2 - inserida em 20.09.2000)
II - No caso da tutela antecipada (ou liminar) ser concedida antes
da sentença, cabe a impetração do mandado de segurança, em
face da inexistência de recurso próprio. (ex-OJs nºs 50 e 58 da
SBDI-2 - inseridas em 20.09.2000)
III - A superveniência da sentença, nos autos originários, faz perder
o objeto do mandado de segurança que impugnava a concessão
da tutela antecipada (ou liminar). (ex-Ojs da SBDI-2 nºs 86 -
inserida em 13.03.2002 - e 139 - DJ 04.05.2004)

Cabe recurso no processo civil e cabe recurso no processo do trabalho. Em nenhum momento a CLT diz
que não cabe recurso, cabe recurso, o que não cabe é recurso imediato.

Despacho é um ato de mera movimentação processual. Não cabe recurso contra despacho, artigo 504 do
CPC.

Art. 504 - CPC - Dos despachos não cabe recurso.

O conceito de decisão interlocutória encontra-se no artigo 162, §2º do CPC (memorizar o conceito do
CPC): é o ato do juiz que resolve questão incidente no curso do processo.

Art. 162 – CPC - Os atos do juiz consistirão em sentenças, decisões


interlocutórias e despachos.
§ 2º - Decisão interlocutória é o ato pelo qual o juiz, no curso do
processo, resolve questão incidente.

Portanto, a decisão interlocutória apresenta conteúdo decisório e resolve questão incidente. Exemplos de
decisões interlocutórias:

 Liminar (tem natureza jurídica de decisão interlocutória), é o principal exemplo;

 Indeferimento de oitiva de testemunha;

 Decisão que resolve exceção ritual → de incompetência relativa, de suspeição e de impedimento.

2 de 11
No processo do trabalho temos uma importante regra → não cabe recurso imediato ou direto, mas cabe
recurso mediato ou indireto.

Conceito do recurso mediato ou indireto → somente será admitida a apreciação do merecimento de uma
decisão interlocutória em recurso da decisão definitiva.

Recurso Recurso
_________________________________________________________________
Reclamação Decisão Sentença
Trabalhista interlocutória

No processo do trabalho não existe agravo retido e o agravo de instrumento tem outra função, qual seja,
destrancar recurso “a quo”, artigo 897, “b” da CLT.

Art. 897 – CLT - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:


b) de instrumento, dos despachos que denegarem a interposição
de recursos.

Obs. 1. Se trancar o recurso no “a quo” cabe agravo de instrumento, se trancar o recurso no “ad quem”
cabe o agravo regimental/interno.

Obs. 2. Na praxe forense foi criada a figura do protesto nos autos, também chamado de protesto anti-
preclusivo previsto no artigo 795 da CLT para que a parte pudesse manifestar o seu inconformismo na primeira
oportunidade processual sob pena de preclusão, é o princípio da preclusão ou da convalidação (“esse protesto
é uma gambiarra de agravo retido”).

Art. 795 – CLT - As nulidades não serão declaradas senão


mediante provocação das partes, as quais deverão argüi-las à
primeira vez em que tiverem de falar em audiência ou nos autos.
§ 1º Deverá, entretanto, ser declarada ex officio a nulidade
fundada em incompetência de foro. Nesse caso, serão
considerados nulos os atos decisórios.
§ 2º O juiz ou Tribunal que se julgar incompetente determinará, na
mesma ocasião, que se faça remessa do processo, com urgência, à
autoridade competente, fundamentando sua decisão.

Obs. 3. Caso prático:

Mandado de segurança

Recurso Recurso ordinário


___________________________________________________________________
Reclamação Liminar Sentença
trabalhista

Tutela antecipada (artigo 273, CPC)

A tutela foi concedida liminarmente ou na sentença, se nesse caso, existe algum meio processual de
impugnação? Se a tutela antecipada for concedida na sentença, cabe recurso?

3 de 11
A natureza jurídica da liminar é uma decisão interlocutória, não cabe recurso. Impetra mandado de
segurança (não é um recurso) que é uma ação autônoma de impugnação. Tudo isso está previsto na súmula
414 do TST.

Se a tutela antecipada for concedida liminarmente não caberá recurso imediato e sim mandado de
segurança. De outra sorte, se a tutela antecipada for concedida na sentença caberá recurso ordinário e não
mandado de segurança.

Obs. 4. A superveniência de sentença resultará na perda do objeto do mandado de segurança


anteriormente impetrado.

Exceções que traduzem a possibilidade de cabimento de recurso imediato X decisão interlocutória:

As exceções estão previstas na súmula nº 214 do TST.

1º. Quando tivermos decisões dos TRTs contrárias as súmulas ou OJs do TST.

Exemplo: no dia da audiência a reclamada chegou cinco minutos atrasada, o juiz do trabalho aplicou o
artigo 844 da CLT e determinou a revelia + a confissão quanto a matéria de fato, o juiz observou a OJ nº 245 da
SDI-1 do TST.

Art. 844 – CLT - O não-comparecimento do reclamante à audiência


importa o arquivamento da reclamação, e o não-comparecimento
do reclamado importa revelia, além de confissão quanto à matéria
de fato.
Parágrafo único. Ocorrendo, entretanto, motivo relevante, poderá
o presidente suspender o julgamento, designando nova audiência.

ORIENTAÇÃO JURISPRUDENCIAL Nº 245 DA SDI-1 DO TST:

245. REVELIA. ATRASO. AUDIÊNCIA (inserida em 20.06.2001)


Inexiste previsão legal tolerando atraso no horário de
comparecimento da parte na audiência.

O juiz aplicou o artigo 330, II do CPC e determinou o julgamento antecipado da lide, proferiu uma sentença
totalmente procedente. O advogado interpôs recurso ordinário com a tese de cerceamento de defesa,
também chamada de negativa de prestação jurisdicional.

Art. 330 - CPC - O juiz conhecerá diretamente do pedido,


proferindo sentença:
II - quando ocorrer a revelia (Art. 319).

O TRT deu provimento ao recurso ordinário (acolheu), julgou declarando a nulidade da sentença e mandou
fazer a reabertura da instrução processual com a baixa dos autos.

O provimento tem natureza jurídica de decisão interlocutória porque está resolvendo uma questão
incidente e nessa linha de raciocínio o reclamante interpôs recurso de revista alegando que essa decisão
contrariava a OJ nº 245 da SDI-1 do TST. Nesse recurso de revista o TST deu provimento. Justificativa:
princípios da celeridade processual e da razoável duração do processo.

2º. Quando tivermos decisão suscetível de impugnação mediante recurso para o mesmo Tribunal.

4 de 11
Ex. uma decisão do relator que concede ou denega tutela antecipada, a natureza jurídica dessa decisão é
decisão interlocutória, cabe recurso imediato, cabe agravo regimental ou interno. Sempre quando tivermos
decisão monocrática de Tribunal cabe agravo regimental, é chamado de interno porque é julgado pelo próprio
TRT.

3º. Decisão que acolhe exceção de incompetência relativa, com a remessa dos autos a TRT distinto
daquele a que se vincula o juízo excepcionado. Artigo 799, §2º da CLT.

Esse artigo traduz o que chamamos de decisões terminativas do feito, quando acontece troca de TRT ou de
ramo do poder judiciário.

_____________________________________________________
TRT 3º Região TRT 4º Região
MG RS
(contratação) (serviços)

Ex. Entram com a reclamação trabalhista em MG, está errado; a empresa entra com exceção de
incompetência relativa, o juiz acolhe a exceção. A natureza jurídica dessa decisão do juiz é uma decisão
interlocutória porque quando a exceção é acolhida os autos serão encaminhados ao juízo competente, haverá
uma troca de TRT, é o que chamamos de decisão interlocutória terminativa do feito. Caberá recurso imediato,
que será o recurso ordinário e quem julgará é o TRT da 3º Região.

O mesmo raciocínio é aplicável a troca de ramo do poder judiciário sendo cabível recurso imediato. Ex.
decisão do juiz do trabalho que acolhe preliminar de incompetência absoluta determinando a remessa dos
autos a justiça comum.

Outro exemplo de recurso imediato contra decisão interlocutória seria o recurso de revisão ou pedido de
revisão que está previsto no artigo 2º da lei nº 5.584/70.

Art 2º - Lei nº 5.584/70 - Nos dissídios individuais, proposta a


conciliação, e não havendo acôrdo, o Presidente, da Junta ou o
Juiz, antes de passar à instrução da causa, fixar-lhe-á o valor para
a determinação da alçada, se êste fôr indeterminado no pedido.
§ 1º Em audiência, ao aduzir razões finais, poderá qualquer das
partes, impugnar o valor fixado e, se o Juiz o mantiver, pedir
revisão da decisão, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, ao
Presidente do Tribunal Regional.
§ 2º O pedido de revisão, que não terá efeito suspensivo deverá
ser instruído com a petição inicial e a Ata da Audiência, em cópia
autenticada pela Secretaria da Junta, e será julgado em 48
(quarenta e oito) horas, a partir do seu recebimento pelo
Presidente do Tribunal Regional.
§ 3º Quando o valor fixado para a causa, na forma dêste artigo,
não exceder de 2 (duas) vêzes o salário-mínimo vigente na sede do
Juízo, será dispensável o resumo dos depoimentos, devendo
constar da Ata a conclusão da Junta quanto à matéria de fato.
§ 4º - Salvo se versarem sobre matéria constitucional, nenhum
recurso caberá das sentenças proferidas nos dissídios da alçada a
que se refere o parágrafo anterior, considerado, para esse fim, o
valor do salário mínimo à data do ajuizamento da ação.

5 de 11
2. EFEITOS DOS RECURSOS TRABALHISTAS

6.1. Efeito devolutivo

Artigo 899, “caput”, CLT:

Art. 899 – CLT - Os recurso serão interpostos por simples petição e


terão efeito meramente devolutivo, salvo as exceções previstas
neste Titulo, permitida a execução provisória até a penhora.

6.1.1. Classificação do efeito devolutivo

A classificação do efeito devolutivo é pautada na súmula nº 393 do TST.

SÚMULA Nº 393 DO TST:

RECURSO ORDINÁRIO. EFEITO DEVOLUTIVO EM PROFUNDIDADE.


ART. 515, § 1º, DO CPC (redação alterada pelo Tribunal Pleno na
sessão realizada em 16.11.2010) - Res. 169/2010, DEJT divulgado
em 19, 22 e 23.11.2010
O efeito devolutivo em profundidade do recurso ordinário, que se
extrai do § 1º do art. 515 do CPC, transfere ao Tribunal a
apreciação dos fundamentos da inicial ou da defesa, não
examinados pela sentença, ainda que não renovados em
contrarrazões. Não se aplica, todavia, ao caso de pedido não
apreciado na sentença, salvo a hipótese contida no § 3º do art.
515 do CPC.

a) Efeito devolutivo em extensão ou horizontal

Pedidos (é um efeito que tem haver com pedidos).

O Tribunal ao julgar um recurso fica adstrito aos pedidos ventilados nas razões.

Ex. o reclamante pede A, B e C na reclamação trabalhista, o juiz julgou um pedido procedente e dois
pedidos improcedentes, nesse caso caberiam inclusive, recurso de ambas as partes, o reclamante interpõe
recurso ordinário pedindo a reforma de um pedido julgado improcedente. Quando o Tribunal for julgar o
recurso ficará adstrito ao único pedido ventilado nas razões. Em relação aquilo que não foi objeto do recurso
se torna coisa julgada.

Aqui o Tribunal fica limitado ao que foi pedido.

b) Efeito devolutivo em profundidade ou vertical

Fundamentos

O Tribunal ao julgar um recurso poderá analisar todos os fundamentos da inicial e da defesa ainda que
não renovados nas razões ou nas contrarrazões (artigo 515, §§ 1º e 2º do CPC).

6 de 11
Art. 515 - CPC - A apelação devolverá ao tribunal o conhecimento
da matéria impugnada.
§ 1º - Serão, porém, objeto de apreciação e julgamento pelo
tribunal todas as questões suscitadas e discutidas no processo,
ainda que a sentença não as tenha julgado por inteiro.
§ 2º - Quando o pedido ou a defesa tiver mais de um fundamento
e o juiz acolher apenas um deles, a apelação devolverá ao tribunal
o conhecimento dos demais.

Ex. o reclamante faz um pedido, trazendo o fundamento 1, 2, 3, 4 e 5, o juiz julga um pedido


improcedente, o reclamante interpõe o recurso ordinário renovando somente um fundamento, o Tribunal ao
julgar um recurso ele pode analisar tudo que foi falado no processo (pode analisar toda a fundamentação).

A profundidade sobe inteira e a extensão é limitada.

Obs. 1. O efeito devolutivo em extensão ou horizontal é uma manifestação recursal do princípio da


adstrição, correlação, congruência, simetria ou correspondência, previsto nos artigos 128 e 460 do CPC.

Art. 128 - CPC - O juiz decidirá a lide nos limites em que foi
proposta, sendo-lhe defeso conhecer de questões, não suscitadas,
a cujo respeito a lei exige a iniciativa da parte.

Art. 460 – CPC - Se for aleatório o contrato, por se referir a coisas


existentes, mas expostas a risco, assumido pelo adquirente, terá
igualmente direito o alienante a todo o preço, posto que a coisa já
não existisse, em parte, ou de todo, no dia do contrato.

Com efeito, o juiz ao proferir a sentença fica adstrito aos limites objetivos da lide, não podendo proferir
julgamento extra petita (fora do pedido), ultra petita (além do pedido) ou infra petita (menos do pedido).

Obs. 2. Recentemente a mencionada súmula nº 393 do TST foi alterada para admitir uma exceção ao
efeito devolutivo em extensão ou horizontal.

Essa exceção vai autorizar a julgar um pedido que não foi pedido, está prevista no artigo 515, § 3º do CPC
que é a teoria da causa madura, para essa teoria na hipótese de extinção do processo sem resolução do
mérito, havendo recurso o Tribunal poderá julgar desde logo a lide se a causa versar matéria exclusivamente
de direito e estiver em condições de imediato julgamento.

Art. 515 - CPC - A apelação devolverá ao tribunal o conhecimento


da matéria impugnada.
§ 3º Nos casos de extinção do processo sem julgamento do mérito
(art. 267), o tribunal pode julgar desde logo a lide, se a causa
versar questão exclusivamente de direito e estiver em condições
de imediato julgamento.

6.2. Efeito suspensivo

O grande objetivo é de obstar a execução provisória, consubstancia exceção.

Ação cautelar é o meio próprio para obtenção do efeito suspensivo, súmula nº 414, I, parte final do TST.

7 de 11
Há outra hipótese de efeito suspensivo nos recursos trabalhistas, está prevista no artigo 9º da lei nº
7.701/88. Dessa forma, interposto recurso ordinário em face de sentença normativa proferida pelo TRT em
dissídio coletivo de sua competência originária, o Presidente do TST poderá atribuir efeito suspensivo pelo
prazo improrrogável de 120 dias contados da publicação da decisão.

Art. 9º - Lei nº 7.701/88 - O efeito suspensivo deferido pelo


Presidente do Tribunal Superior do Trabalho terá eficácia pelo
prazo improrrogável de 120 (cento e vinte) dias contados da
publicação, salvo se o recurso ordinário for julgado antes do
término do prazo.

O efeito suspensivo é excepcional, a regra é o efeito devolutivo.

6.3. Efeito translativo

O efeito translativo tem haver com matérias de ordem pública, também chamadas de objeções
processuais.

O Tribunal ao julgar um recurso deverá conhecer “ex officio” matérias de ordem pública ainda que não
ventiladas nas razões ou contrarrazões (matéria de ordem pública sobe por bem ou por mal).

Exemplos: ausência de condições da ação ou de pressupostos processuais.

Conforme a posição majoritária o efeito translativo representa exceção do princípio da proibição da


“reformatio in pejus”.

6.4. Efeito regressivo dos recursos

Efeito regressivo é a possibilidade do juízo de retratação ou reconsideração em relação a decisão


impugnada, ler o artigo 463 do CPC.

Art. 463 - CPC - Publicada a sentença, o juiz só poderá alterá-la:


I - para lhe corrigir, de ofício ou a requerimento da parte,
inexatidões materiais, ou lhe retificar erros de cálculo;
II - por meio de embargos de declaração.

No processo do trabalho o agravo de instrumento e o agravo regimental apresentam efeito regressivo.

6.5. Efeito substitutivo

Está previsto no artigo 512 do CPC:

Art. 512 – CPC - O julgamento proferido pelo tribunal substituirá a


sentença ou a decisão recorrida no que tiver sido objeto de
recurso.

A ideia do efeito suspensivo é que o julgamento de um recurso substitui a decisão recorrida naquilo que
foi objeto das razões.

8 de 11
Ex. o reclamante pediu A e B, ambos foram julgados improcedentes, no recurso ordinário ele pediu para
reformar A, o Acórdão vai substituir a sentença somente em relação aquilo que foi objeto do recurso, o que
não foi objeto temos o trânsito em julgado.

6.6. Efeito extensivo ou expansivo

Previsto no artigo 509 do CPC:

Art. 509 - CPC - O recurso interposto por um dos litisconsortes a


todos aproveita, salvo se distintos ou opostos os seus interesses.
Parágrafo único - Havendo solidariedade passiva, o recurso
interposto por um devedor aproveitará aos outros, quando as
defesas opostas ao credor lhes forem comuns.

Associar esse efeito a litisconsórcio.

O recurso interposto por um dos litisconsortes a todos aproveita, salvo se distintos ou opostos os seus
interesses.

Ex. A entra com a ação em face de B, C e D, são empresas pertencentes ao mesmo grupo econômico, ele
pleiteia responsabilidade solidária, somente B interpõe o recurso ordinário que aproveitará as outras duas
empresas C e D. O recurso interposto por uma empresa aproveita as demais.

Ex. 2. A empresa B interpõe pleiteando dizendo que não faz parte desse grupo, nesse caso, não
aproveitará as demais.

Essa regra faz sentido na hipótese de litisconsórcio unitário no qual os interesses são comuns.

3. JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE E JUÍZO DE MÉRITO

O Juízo de mérito é quando o Tribunal analisa se o que está sendo pedido tem razão.

Juízo de admissibilidade recursal é um juízo processual, o Tribunal vai analisar aspectos processuais.

O juízo de admissibilidade serve para a análise dos pressupostos recursais, também chamados de
requisitos de admissibilidade recursal.

Qual a relação dos pressupostos recursais com as condições da ação?

Esses pressupostos são requisitos que deverão ser preenchidos pela parte recorrente para que um recurso
tenha o seu mérito apreciado.

Em regra os recursos passam por um duplo juízo de admissibilidade recursal:

1º. Juízo “a quo”:

É o primeiro juízo de admissibilidade recursal → é realizado pro quem proferiu a decisão impugnada.

2º. Juízo “ad quem”.

Macete: quem vai julgar o recurso.

9 de 11
É o segundo juízo de admissibilidade recursal → realizado pelo órgão competente para o julgamento do
recurso.

O duplo juízo é absoluto?

Não, tendo em vista os embargos declaratórios que passam por um único juízo.

A decisão exarada pelo juízo “a quo” vincula o juízo “ad quem”?

Não, pois os pressupostos são matérias de ordem pública. Ex. súmula nº 285 do TST (cai muito nas provas),
o fato do juízo “a quo” do recurso de revista ter recebido o apelo em relação a parte da matéria veiculada não
vincula o juízo “ad quem” que poderá apreciar integralmente o recurso.

SÚMULA Nº 285 DO TST:

RECURSO DE REVISTA. ADMISSIBILIDADE PARCIAL PELO JUIZ-


PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO. EFEITO
(mantida) - Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.20036.
O fato de o juízo primeiro de admissibilidade do recurso de revista
entendê-lo cabível apenas quanto a parte das matérias veiculadas
não impede a apreciação integral pela Turma do Tribunal Superior
do Trabalho, sendo imprópria a interposição de agravo de
instrumento.

3.1. Classificação dos pressupostos

Os pressupostos recursais são classificados em objetivos ou extrínsecos e subjetivos ou intrínsecos. Isso


não é pacífico, a posição majoritária pauta na posição do prof. Nelson Nery Junior.

3.1.1. Pressupostos objetivos ou extrínsecos

São aqueles que dizem respeito a aspectos externos da decisão recorrida. São eles:

a) Cabimento ou previsão legal

b) Adequação

c) Tempestividade

d) Preparo

e) Regularidade de representação

3.1.2. Pressupostos subjetivos ou intrínsecos

São aqueles que dizem respeito a aspectos internos da decisão recorrida. São eles:

a) Legitimidade

b) Interesse

10 de 11
c) Capacidade

Vamos estudá-los:

a) Cabimento/previsão legal

Associação com o princípio da taxatividade ou da legalidade.

b) Adequação

Associação com o princípio da fungibilidade ou da conversibilidade recursal.

c) Tempestividade

Falamos da tempestividade quando falamos dos prazos recursais uniformes.

Recurso tempestivo é aquele interposto no prazo legal.

A OJ nº 357 da SDI-1 do TST criou o nome de recurso extemporâneo e não deve ser conhecido, pois ele é
interposto antes da publicação do Acórdão, essa OJ foi cancelada e convertida na súmula 434 do TST.

SÚMULA Nº 434 DO TST:

RECURSO. INTERPOSIÇÃO ANTES DA PUBLICAÇÃO DO ACÓRDÃO


IMPUGNADO. EXTEMPORANEIDADE. (Conversão da Orientação
Jurisprudencial nº 357 da SBDI-1 e inserção do item II à redação)
- Res. 177/2012, DEJT divulgado em 13, 14 e 15.02.2012
I) É extemporâneo recurso interposto antes de publicado o
acórdão impugnado.(ex-OJ nº 357 da SBDI-1 – inserida em
14.03.2008)
II) A interrupção do prazo recursal em razão da interposição de
embargos de declaração pela parte adversa não acarreta qualquer
prejuízo àquele que apresentou seu recurso tempestivamente.

Recurso interposto após o prazo é intempestivo e não conhecido, antes do prazo é extemporâneo e
também não conhecido.

Próxima aula: terminar os pressupostos e recursos trabalhistas em espécie.

11 de 11