Você está na página 1de 297

Aula 11

Direito Processual do Trabalho para TRT-MG (Analista Judiciário - Área Jud e Of Just
Avaliador)

Professor: Bruno Klippel


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

AULA EXTRA: QUESTÕES COMENTADAS DE


DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO –
CESPE/Unb – TRT/MG

1. APRESENTAÇÃO:

Sejam bem vindos à AULA EXTRA do nosso curso de DIREITO


PROCESSUAL DO TRABALHO para o TRT/MG. Na presente aula vamos
analisar centenas de questões que já foram cobradas pelo CESPE/Unb em
concursos anteriores, já que há uma forte informação de que tal banca será
escolhida para organizar o certame.

Posteriormente será postada a aula somente com questões de 2014, para


que o seu estudo seja o mais atual possível !!

Abraços

Bruno Klippel
Vitória/ES

09032041690

www.brunoklippel.com.br
www.youtube.com/brunoagklippel

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 1 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

1 Da Justiça do Trabalho: organização e competência. 2 Das


Varas do Trabalho, dos Tribunais Regionais do Trabalho e do
Tribunal Superior do Trabalho: jurisdição e competência. Da
competência da Justiça do Trabalho.

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q248721 ( Prova: CESPE - 2012 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Organização da Justiça do Trabalho; )
Julgue os itens que se seguem, relativos à organização e
competência da justiça do trabalho e ao processo do trabalho.

São órgãos da justiça do trabalho: o TST, os tribunais regionais do trabalho,


os juízes do trabalho e os juizados especiais trabalhistas.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação está em descompasso com


o art. 111 da CF/88, pois tal dispositivo legal não menciona os juizados especiais
trabalhistas. Além disso, a CF/88 diz que os órgãos são os Juízes do Trabalho e
não as Varas do Trabalho.

2 - Q100214 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
09032041690

Trabalho; )
Acerca de jurisdição e competência, organização, composição e
funcionamento da justiça do trabalho, julgue os itens
subseqüentes.
São órgãos da justiça do trabalho, além do TST, dos tribunais regionais do
trabalho (TRTs) e dos juízes do trabalho, também os juízes de direito nas
comarcas onde não houver instalada vara do trabalho, caso em que os
recursos interponíveis serão para os respectivos tribunais de justiça.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 2 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O erro está no final da afirmativa, pois
os recursos, conforme art. 112 da CF/888, serão interpostos para o respectivo
tribunal regional do trabalho. A questão que se coloca é a seguinte, nos termos
do artigo mencionado acima:

“A lei criará varas da Justiça do Trabalho, podendo, nas comarcas


não abrangidas por sua jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito,
com recurso para o respectivo Tribunal Regional do Trabalho”.

Assim, caso exista localidade que não é abrangida pela competência da Justiça do
Trabalho, podendo a lei atribuir tal competência para os Juízes de Direito (Juiz
estadual, por exemplo), que atuará naqueles determinados processos como Juízes
do Trabalho, sentenciando como tal. Da sentença será interposto o recurso cabível
no processo do trabalho, qual seja, o recurso ordinário (art. 895 da CLT), que será
remetido e julgado pelo TRT e não Pelo Tribunal de Justiça, apesar do Juiz ser
estadual.

3 - Q95712 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Organização da Justiça do Trabalho; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
As comissões de conciliação prévia compõem a estrutura da justiça do
trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os órgãos componentes da Justiça do


09032041690

Trabalho estão expressos no art. 111 da CF/88, sendo o TST, os TRTs e os Juízes
do Trabalho. Não faz menção ás comissões de conciliação prévias, que são órgãos
administrativos, que podem ser criadas nas empresas ou nos sindicatos, conforme
disposto nos artigos 625-A a H da CLT. Não são órgãos jurisdicionais, e sim,
administrativos.

4 - Q99136 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 3 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Acerca da Justiça do Trabalho, julgue os itens que se seguem.
São órgãos da Justiça do Trabalho: o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e
os tribunais regionais do trabalho (TRTs), que detêm competências
originárias ou recursais, e os juízes do trabalho, integrantes do primeiro grau
de jurisdição trabalhista, que processam e julgam as causas não-previstas
na competência originária dos referidos tribunais.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. As informações estão de acordo com as


normas de processo que criam e organizam as atividades dos tribunais, bem como
das Varas do Trabalho, órgãos de primeiro grau. As informações pertinentes, que
devem ser entendidas, são as seguintes:

 Os tribunais (TST e TRT) possuem competência originária: algumas


ações são ajuizadas diretamente nos tribunais, ou seja, tem o seu início já
nesses órgãos superiores, por isso afirma-se que a competência é
originária. São exemplos de ações que iniciam nos tribunais (TST e TRT):
dissídio coletivo, ação cautelar, mandado de segurança, ação
rescisória, dentre outras. Quando uma ação tem início direto no tribunal,
dizemos que a competência exercida é originária.

 Os tribunais (TST e TRT) possuem competência recursal: na maioria


das vezes, os processos chegam aos tribunais por meio dos recursos. As
ações iniciam nas Varas do Trabalho, que proferem sentenças e, por meio
dos recursos, chegam aos Tribunais Regionais do Trabalho e o Tribunal
Superior do Trabalho. Como os tribunais estão analisando recursos, diz-se
09032041690

que a competência exercida é recursal.

 Os Juízes do Trabalho (Varas do Trabalho) possuem competência


residual: a competência das Varas do Trabalho (ou Juízes do trabalho) é
dita residual, pois cabe à elas a análise dos processos que não são de
competência dos tribunais. As reclamações trabalhistas típicas, em que são
buscadas as verbas salariais e rescisórias, são ajuizadas nas Varas do
Trabalho por não caber a análise aos tribunais.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 4 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
5 - Q99138 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área
Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) é composto por ministros escolhidos
entre brasileiros com mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta e cinco
anos de idade, nomeados pelo presidente da República após aprovados pela
maioria absoluta do Senado Federal. A Constituição Federal vigente prevê
que 21 (vinte e um) dos ministros sejam necessariamente oriundos da
magistratura de carreira, indicados pelo TST ao presidente da República
dentre juízes de tribunais regionais do trabalho; três dentre advogados com
mais de dez anos de efetiva atividade profissional e três dentre membros do
Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de efetivo exercício,
estes últimos seis a partir de listas tríplices encaminhadas ao presidente da
República pelo TST, depois de reduzidas as listas sêxtuplas encaminhadas
pelos órgãos de classe das respectivas corporações.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. As informações estão totalmente certas,


tendo sido retiradas de dois artigos da Constituição Federal, a seguir transcritos,
a saber: artigos 111-A e 94. O primeiro trata especificamente do TST e o segundo
genericamente da formação dos tribunais. Contudo, se completam a respondem
ao questionamento do CESPE/Unb. Vejamos:

Art. 111-A. O Tribunal Superior do Trabalho compor-se-á de vinte


e sete Ministros, escolhidos dentre brasileiros com mais de trinta
e cinco e menos de sessenta e cinco anos, nomeados pelo
09032041690

Presidente da República após aprovação pela maioria absoluta do


Senado Federal, sendo:
I um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva
atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho
com mais de dez anos de efetivo exercício, observado o disposto
no art. 94;
II os demais dentre juízes dos Tribunais Regionais do Trabalho,
oriundos da magistratura da carreira, indicados pelo próprio
Tribunal Superior.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 5 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Art. 94. Um quinto dos lugares dos Tribunais Regionais Federais,
dos Tribunais dos Estados, e do Distrito Federal e Territórios será
composto de membros, do Ministério Público, com mais de dez
anos de carreira, e de advogados de notório saber jurídico e de
reputação ilibada, com mais de dez anos de efetiva atividade
profissional, indicados em lista sêxtupla pelos órgãos de
representação das respectivas classes.
Parágrafo único. Recebidas as indicações, o tribunal formará lista
tríplice, enviando-a ao Poder Executivo, que, nos vinte dias
subseqüentes, escolherá um de seus integrantes para nomeação.

Somente há uma informação simples, porém, que deve ser analisada com cuidado,
acerca do número de Juízes, Advogados e Membros do Ministério Público.
Como já dito, são 27 ministros do TST, 1/5 vindos da Advocacia e do Ministério
Público. Assim, calcula-se 1/5 de 27 que dá 5,4 (cinco vírgula quatro). Como
temos que arredondar, 6 ministros virão da Advocacia e do Ministério Público (3
de cada um) e 21 ministros da Magistratura. Essas informações constam da
assertiva que, portanto, está totalmente correta.

6 - Q99360 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da
Justiça do Trabalho; )
Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça
do Trabalho, julgue os seguintes itens. 09032041690

São órgãos da Justiça do Trabalho o Supremo Tribunal Federal (STF), o


Tribunal Superior do Trabalho (TST), os tribunais regionais do trabalho
(TRTs) e os juízes do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos do art. 111 da CF/88, o


Supremo Tribunal Federal não é órgão da Justiça do Trabalho. Os órgãos são
o TST, TRTs e Juízes do Trabalho. Não são as Varas do Trabalho, e sim, os
Juízes do Trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 6 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
7 - Q99361 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da
Justiça do Trabalho; )
Os tribunais do trabalho são compostos por juízes togados e juízes classistas.
Estes últimos representam as categorias econômicas e profissionais, em
representação paritária.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os Juízes Classistas, que representavam


as categorias econômicas e profissionais, em representação paritária, não mais
existem na Justiça do Trabalho, pois foram extintos pela EC nº 24/99. Até aquele
momento, tínhamos as Juntas de Conciliação e Julgamento, que eram formadas
pelo Juiz Togado (Juiz do Trabalho) e por dois classistas, um representante dos
empregados e outro dos empregadores. A partir da EC nº 24/99, as JCJ passaram
a ser denominadas de Varas do Trabalho.

08 - Q99366 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da
Justiça do Trabalho; )
O Ministério Público do Trabalho exerce função essencial à justiça, por isso
os procuradores do trabalho podem ser promovidos a integrar os tribunais
do trabalho nas vagas reservadas ao respectivo quinto constitucional.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A questão aqui é sutil: Os Procuradores


do Trabalho, na qualidade de Membros do Ministério Público do Trabalho,
participam da formação dos Tribunais do Trabalho no quinto constitucional, junto
09032041690

com a Advocacia, conforme artigos 94 e 111 da CF. Contudo, não há que se falar
em “promoção” dos procuradores, pois esses, a partir da nomeação para os
Tribunais, deixam de ser membros do MPT, passando a integrar a Magistratura.
Logo, não há promoção. Em verdade, se trata de nova carreira.

09 - Q35861 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Técnico Judiciário -


Especialidade - Enfermagem / Direito Processual do Trabalho / Organização
da Justiça do Trabalho; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 7 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Considerando as normas vigentes da Constituição Federal relativas à
organização e competência da justiça do trabalho, julgue os itens a seguir.
A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do
Trabalho funcionará junto ao TST, cabendo-lhe, entre outras funções,
regulamentar os cursos oficiais para o ingresso e promoção na carreira.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Talvez tenha sido essa a questão mais
cobrada desde a entrada em vigor da EC nº 45/04, quando o assunto é
organização do Poder Judiciário Trabalhista. Trata-se do art. 111-A, §2º da CF/88,
que trata da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do
Trabalho e Conselho Superior da Justiça do Trabalho. A questão trata apenas da
Escola e de suas funções, que são facilmente respondidas através do texto legal
abaixo transcrito:

“§ 2º Funcionarão junto ao Tribunal Superior do Trabalho:

I a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados


do Trabalho, cabendo-lhe, dentre outras funções, regulamentar os
cursos oficiais para o ingresso e promoção na carreira”.

10 - Q35859 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Técnico Judiciário -


Especialidade - Enfermagem / Direito Processual do Trabalho / Organização
da Justiça do Trabalho; )
A Constituição Federal determina que haverá pelo menos um tribunal
regional do trabalho em cada estado e no Distrito Federal. Cada tribunal será
09032041690

composto de, no mínimo, sete juízes, recrutados, quando possível, na


respectiva região e nomeados pelo presidente da República.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os Tribunais Regionais do Trabalho estão


regulamentados pelo art. 115 da CF/88, sendo que tal norma não determina a
necessidade de criação de pelo menos um TRT por estado e no Distrito Federal.
Transcreve-se o artigo abaixo, pois o seu conhecimento é imprescindível para as
provas:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 8 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“Os Tribunais Regionais do Trabalho compõem-se de, no mínimo,
sete juízes, recrutados, quando possível, na respectiva região, e
nomeados pelo Presidente da República dentre brasileiros com
mais de trinta e menos de sessenta e cinco anos, sendo:
I um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva
atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho
com mais de dez anos de efetivo exercício, observado o disposto
no art. 94;
II os demais, mediante promoção de juízes do trabalho por
antigüidade e merecimento, alternadamente.
§ 1º Os Tribunais Regionais do Trabalho instalarão a justiça
itinerante, com a realização de audiências e demais funções de
atividade jurisdicional, nos limites territoriais da respectiva
jurisdição, servindo-se de equipamentos públicos e comunitários.
§ 2º Os Tribunais Regionais do Trabalho poderão funcionar
descentralizadamente, constituindo Câmaras regionais, a fim de
assegurar o pleno acesso do jurisdicionado à justiça em todas as
fases do processo”.

11 - Q22834 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
Ao Conselho Superior da Justiça do Trabalho, que funciona junto ao TST,
cabe a supervisão administrativa, orçamentária, financeira e patrimonial da
Justiça do Trabalho de primeiro e de segundo graus.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Uma vez mais é necessário o conhecimento


do art. 111-A da CF/88, em especial, o seu §2º, que trata da Escola de Formação
de Magistrados e do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, que nos
termos do inciso II do §2º possui por principal função “a supervisão
administrativa, orçamentária, financeira e patrimonial da Justiça do Trabalho de
primeiro e segundo graus, como órgão central do sistema, cujas decisões terão
efeito vinculante”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 9 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
12 - Q22832 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área
Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
Julgue os itens a seguir.
Os juízes do trabalho exercem jurisdição, singularmente, nas varas do
trabalho criadas por lei.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A questão é simples, mas deve ser levada
em consideração na hora dos estudos, pois uma vez mais tem-se uma norma
retirada da CF/88 acerca da organização da Justiça do Trabalho. Trata-se do art.
116, assim redigido: “Nas Varas do Trabalho, a jurisdição será exercida por um
juiz singular”. Nas provas do CESPE/Unb, quando o assunto é organização da
Justiça do Trabalho, é quase certo que será cobrada alguma informação na
Constituição Federal, tendo em vista as normas criadas pela EC nº 45/04.

13 - Q22831 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
Os TRTs são compostos por, no mínimo, 7 juízes, garantida a representação
de um quinto a procuradores do trabalho e a advogados; os demais são
juízes do trabalho de primeiro grau, promovidos, alternadamente, por
antiguidade e por merecimento.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Novamente (vou até cansar de dizer isso),
um questionamento cuja resposta está na CF/88, em especial, no art. 115, que
09032041690

trata dos Tribunais Regionais do Trabalho. A formação dos TRTs também leva em
consideração a formação por meio do quinto constitucional, contemplando
membros do Ministério Público e da Advocacia, nos seguintes termos:

“Art. 115. Os Tribunais Regionais do Trabalho compõem-se de, no


mínimo, sete juízes, recrutados, quando possível, na respectiva
região, e nomeados pelo Presidente da República dentre brasileiros
com mais de trinta e menos de sessenta e cinco anos, sendo:
I um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva
atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 10 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
com mais de dez anos de efetivo exercício, observado o disposto
no art. 94;
II os demais, mediante promoção de juízes do trabalho por
antigüidade e merecimento, alternadamente”.

14 - Q22829 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
O TST compõe-se de 27 ministros.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Informação simples, mas indispensável,


pois as questões de concursos ainda cobram o número de Ministros que compõem
os Tribunais. As regras, na esfera trabalhista são:
 TRTs: pelo menos 7 Desembargadores.
 TST: 27 Ministros. Não são pelo menos 27, e sim, um número fixo de
27 Ministros.
Caso queira gravar, lembre-se de Trinta (T) sem (S) três (T) – TST.

15 - Q19492 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Organização da Justiça do Trabalho; )
Considerando a jurisdição, a competência e a composição das
varas do trabalho e dos tribunais regionais do trabalho (TRTs),
julgue os itens seguintes.
Os TRTs compõem-se de, no mínimo, oito juízes, recrutados, quando
09032041690

possível, na respectiva região e nomeados pelo presidente da República


entre brasileiros com mais de trinta e menos de 65 anos de idade.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Percebam a questão que foi cobrada no


ÚLTIMO CONCURSO DO TRT/ES, para Oficial de Justiça. Novamente o art. 115
da CF/88, que trata do número mínimo de membros dos Tribunais Regionais do
Trabalho. Não são no mínimo 8, e sim, 7 membros. Transcrevo o art. 115
novamente, pois é muito importante:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 11 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“Art. 115. Os Tribunais Regionais do Trabalho compõem-se de, no
mínimo, sete juízes, recrutados, quando possível, na respectiva
região, e nomeados pelo Presidente da República dentre brasileiros
com mais de trinta e menos de sessenta e cinco anos, sendo:
I um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva
atividade profissional e membros do Ministério Público do Trabalho
com mais de dez anos de efetivo exercício, observado o disposto
no art. 94;
II os demais, mediante promoção de juízes do trabalho por
antigüidade e merecimento, alternadamente”.

16 - Q19412 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Organização da Justiça do Trabalho; )
O juiz do trabalho ingressa na carreira como substituto, mediante concurso
público de provas e títulos, com a participação da Ordem dos Advogados do
Brasil em todas as fases, no qual se exige do bacharel em direito no mínimo
três anos de atividade jurídica e se obedece, nas nomeações, à ordem de
classificação.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O ingresso na Magistratura, não só do


Trabalho, mas também para essa, ocorre nos estritos termos do art. 93 da CF/88,
que em seu inciso I diz exatamente o que foi afirmado pelo CESPE/Unb, ou seja:

“(...) ingresso na carreira, cujo cargo inicial será o de juiz


09032041690

substituto, mediante concurso público de provas e títulos, com a


participação da Ordem dos Advogados do Brasil em todas as fases,
exigindo-se do bacharel em direito, no mínimo, três anos de
atividade jurídica e obedecendo-se, nas nomeações, à ordem de
classificação”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 12 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
17 - Q301048 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -
Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Compete à justiça do trabalho processar e julgar as ações sobre
representação sindical em que sejam partes sindicatos, sindicatos e
trabalhadores, e sindicatos e empregadores.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O artigo mais importante acerca da


competência material da Justiça do Trabalho, que deve ser de conhecimentos dos
alunos é, sem dúvidas, o art. 114 da CF/88. Esse artigo possui diversos incisos,
dentre os quais, o III, que trata das “ações sobre representação sindical,
entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e
empregadores”. Assim, se um sindicato estiver discutindo com outro a
legitimidade para representar determinada categoria, tal ação será da
competência da Justiça do Trabalho. Igualmente, caso um empregado ou
empregador queiram discutir acerca do enquadramento sindical, caberá tal análise
ao Juiz do Trabalho tal julgamento. Pouco importa quem está ajuizamento:
sindicato, empregado ou empregador. Se a causa de pedir for representação
sindical, a competência será da trabalhista.

18 - Q256165 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Por não tratarem de relação de emprego ou trabalho, conflitos que envolvam
representação sindical são de competência da justiça comum.

09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Prezados, favor reler o comentário à


questão anterior, pois trata do mesmo assunto, ou seja, do inciso III do art. 114
da CF/88.

19 - Q248718 ( Prova: CESPE - 2012 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Competência; )
Julgue os itens que se seguem, relativos à organização e
competência da justiça do trabalho e ao processo do trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 13 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Compete ao TRT processar e julgar a ação rescisória de decisão proferida
pelo próprio TRT, devendo-se seguir o rito procedimental previsto no
processo civil, exceto quanto ao depósito prévio, que, no processo do
trabalho, é de 15% sobre o valor dado à causa.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Existe uma regra importante em


processo – civil ou trabalhista – acerca da competência dos tribunais para o
julgamento de ações rescisórias, qual seja: todo tribunal tem competência
para julgar as ações rescisórias de seus próprios julgados. Assim, se a
decisão que transitou em julgado foi proferida pelo TRT, caberá a ele mesmo o
julgamento da ação rescisória. Nesse ponto o CESPE/Unb está certo. Ocorre que
em relação ao depósito prévio, a informação está em descompasso com o art. 836
da CLT, que prevê deposito prévio de 20% do valor da causa, conforme transcrição
abaixo:

“É vedado aos órgãos da Justiça do Trabalho conhecer de questões


já decididas, excetuados os casos expressamente previstos neste
Título e a ação rescisória, que será admitida na forma do disposto
no Capítulo IV do Título IX da Lei no 5.869, de 11 de janeiro de
1973 – Código de Processo Civil, sujeita ao depósito prévio de 20%
(vinte por cento) do valor da causa, salvo prova de miserabilidade
jurídica do autor”.

20 - Q100215 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
09032041690

Acerca de jurisdição e competência, organização, composição e


funcionamento da justiça do trabalho, julgue os itens
subseqüentes.
Conforme entendimento do STF, a justiça do trabalho passou a ser
competente para todas as causas envolvendo relação de trabalho, exceto
quando envolvidos servidor público federal e a União.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Na verdade, o STF, quando do


julgamento da ADI 3395-6, excluiu da apreciação do Poder Judiciário Trabalhista
as demandas envolvendo servidores públicos estatutários, não só da União, e

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 14 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
sim, também dos Estados, Municípios e DF. A Justiça do Trabalho passou a ser
competente após tal decisão apenas para as ações envolvendo empregados
celetistas, seja de entes privados ou públicos, como ocorre nas sociedades de
economia mista e empresas públicas. O CESPE/Unb fez uma restrição indevida,
ao tratar apenas do servidor público federal.

21 - Q100216 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os conflitos de competência envolvendo juiz de direito investido de jurisdição
trabalhista e juiz do trabalho, no âmbito da mesma região da justiça do
trabalho, compete ao Superior Tribunal de Justiça.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Dispõe o art. 112 da CF/88, que poderá
ser atribuída competência trabalhista ao Juiz de Direito, que passaria a atuar em
processos trabalhistas a ele apresentados como verdadeiro Juiz do Trabalho, para
todos os efeitos, inclusive em conflitos de competência. Assim, se o conflito
envolve juiz de direito investido de jurisdição trabalhista e juiz do trabalho da
mesma região, temos, para todos os fins, um conflito entre dois juízes do trabalho.
Como estão na mesma região, tal conflito será julgado pelo TRT correspondente
à região, e não pelo STJ.

22 - Q100217 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Havendo conflito de competência entre TRT e juízo do trabalho ao mesmo
vinculado, caberá a decisão pertinente ao TST.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Não há conflito de competência entre


TRT e juízo do trabalho ao mesmo vinculado, conforme Súmula nº 420 do TST,
pois há subordinação hierárquica. Assim, não há conflito de competência entre
Vara do Trabalho de Vitória e TRT/ES, mas há conflito entre Vara do Trabalho de
Vitória e TRT/RJ, pois não há vinculação entre ambos.

23 - Q152941 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Competência; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 15 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
Os crimes contra a organização do trabalho devem ser julgados por juiz
federal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Deve-se ter em mente que a


Justiça do Trabalho não possui competência criminal. Os crimes contra a
organização do trabalho são processados e julgados na Justiça Comum Federal,
ou seja, por Juiz Federal, conforme o art. 109, VI da CF/88. A afirmação do
CESPE/Unb é genérica, portanto, não comporta análise de situações excepcionais,
e sim, apenas a regra geral prevista na Constituição Federal.

24 - Q98549 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /


Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca da ampliação da competência da justiça do trabalho
promovida pela chamada reforma do Poder Judiciário (Emenda
Constitucional n.º 45/2004), julgue os itens a seguir.
As controvérsias entre os servidores públicos estatutários e as pessoas
jurídicas de direito público sobre a aplicação do respectivo estatuto passaram
para a competência da justiça do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Apesar da redação do art. 114, I da


CF/88, alterado pela EC nº 45/2004, o STF no julgamento da ADI 3395-6, excluiu
da competência da Justiça do Trabalho a competência para julgamento das
demandas envolvendo servidores públicos estatutários. Assim, à tal justiça
09032041690

somente cabe a análise de ações propostas por servidores públicos celetistas.

25 - Q98551 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /


Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os processos sobre indenização pelo empregador por dano moral ou
patrimonial decorrentes de acidente do trabalho já sentenciados antes do
advento da EC mencionada devem ser deslocados para a justiça do trabalho,
em razão da nova competência.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 16 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O tema é extremamente importante para


os concursos públicos, pois há a SÚMULA VINCULANTE Nº 22 DO STF, cuja
redação é a seguir transcrita:

“A Justiça do Trabalho é competente para processar e julgar as


ações de indenização por danos morais e patrimoniais decorrentes
de acidente de trabalho propostas por empregado contra
empregador, inclusive aquelas que ainda não possuíam sentença
de mérito em primeiro grau quando da promulgação da Emenda
Constitucional nº 45/04”.

Perceba que as ações decorrentes de acidentes de trabalho que já tinham


sentença quando da entrada em vigor da EC nº 45/04, permanecem na Justiça
Comum, não sendo remetidas para a Justiça do Trabalho. Somente as novas e
aquelas que não possuíam sentença, são da competência da Justiça especializada
(trabalhista).

26 - Q99632 ( Prova: CESPE - 2007 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
No que concerne à competência da justiça do trabalho, julgue os
itens subseqüentes.
A justiça do trabalho é competente para julgar todas as controvérsias
decorrentes das relações de trabalho, inclusive, de acordo com a
jurisprudência, as resultantes da relação estatutária com o servidor público.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Atenção: observar novamente a decisão


proferida pelo STF na ADI nº 3395-6, que excluiu da apreciação da Justiça do
Trabalho as demandas em que se discutam direitos dos servidores públicos
estatutários, restando apenas competência para os celetistas.

27 - Q99633 ( Prova: CESPE - 2007 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 17 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
A justiça do trabalho é competente para julgar as ações relativas às
penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de
fiscalização das relações de trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Nos termos do art. 114, VII da CF/88,
alterado pela EC nº 45/2004, é competente a Justiça do Trabalho para:

“as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos


empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de
trabalho”.

Assim, todas as ações que tenham por causa de pedir as penalidades


administrativas impostas pela fiscalização do trabalho, tais como multas impostas
pelo MTE, são da competência da Justiça do Trabalho. Podem ser mandados de
segurança, ações anulatórias, etc, pois não há relevância o tipo de ação, e sim, o
objeto, a causa de pedir, que deve enquadrar-se no inciso VII do art. 114 da
CF/88.

28 - Q99365 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça
do Trabalho, julgue os seguintes itens.
A Justiça do Trabalho tem competência para processar e julgar as causas
envolvendo as relações de trabalho, além das matérias que envolvam
dissídios coletivos, greve, representação sindical, indenizações derivadas da
09032041690

relação de trabalho, exame judicial das penalidades administrativas impostas


pela fiscalização do trabalho e execução das contribuições previdenciárias
pertinentes às sentenças que proferir, podendo ter acrescidas outras
competências por lei, quando a controvérsia se coligar à relação de trabalho
ou dela decorrer.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O item está totalmente correto, pois faz
menção à diversos incisos do art. 114 da CF/88, que segundo já informado em
outras questões, deve ser de conhecimento do aluno. Não gosto de dizer isso,
mas tem que decorar. Assim, conforme incisos do artigo mencionado, cabe à

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 18 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Justiça do Trabalho a análise de ações envolvendo relações de trabalho, dissídios
coletivos, greve, etc etc e, por fim, outras demandas relacionadas à relação de
trabalho, conforme prevê o inciso IX do art. 114 da CF/88, em cláusula aberta.

29 - Q19491 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Competência; )
Considerando a jurisdição, a competência e a composição das
varas do trabalho e dos tribunais regionais do trabalho (TRTs),
julgue os itens seguintes.
As varas do trabalho são competentes para julgar dissídio coletivo de
trabalho em que se busca reajuste salarial.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os dissídios coletivos nunca são da


competência das Varas do Trabalho, pois são ações de competência originária
dos tribunais – TRT e TST. Os dissídios coletivos sempre serão ajuizados em
tribunais, a depender a extensão das categorias envolvidas no dissídio, nos
seguintes termos:
a. TRT: será da competência do TRT, se as categorias envolvidas no dissídio
coletivo tiverem âmbito territorial restrito a um TRT, ou seja, se as
categorias, por exemplo, estiverem restritas ao Estado do Espírito Santo,
sendo, nesse caso, a competência do TRT/ES.
b. TST: será da competência do TST se as categorias envolvidas extrapolarem
a área de abrangência de um TRT, como acontece com o dissídio coletivo
dos correios. 09032041690

O importante é fixar que não é competência das Varas do Trabalho.

30 - Q19490 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Competência; )
Em todos os TRTs existentes no país, compete ao tribunal pleno o julgamento
dos dissídios coletivos.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Em matéria de organização interna, cabe


a análise de cada regimento interno dos tribunais, que podem atribuir a

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 19 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
competência para análise dos dissídios coletivos à outro órgão, sem ser o pleno.
Geralmente cabe ao Tribunal Pleno a análise dos dissídios coletivos quando não
há órgão com tal competência específica, como ocorre nos tribunais menores.
Como exemplo, temos o TRT/ES, em que cabe ao pleno a análise de tais
processos. Não há possibilidade de generalização.

31 - Q19417 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Inexiste possibilidade de juízes de direito atuarem na área trabalhista,
considerando-se ser a justiça do trabalho especializada.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação contraria o art. 112 da CF,


tantas vezes citado aqui nas questões, que diz ser possível atribuir a jurisdição
trabalhista aos juízos de direito, sendo que o recurso da sentença por eles
proferida será da competência dos tribunais regionais do trabalho. Nessas
situações, o juízo de direito será tratado como juízo trabalhista, inclusive para fins
de verificação da competência para julgamento de conflito de competência.

32 - Q19411 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A ação de indenização de dano moral decorrente de acidente do trabalho não
é de competência da justiça do trabalho, considerando-se integrar,
obrigatoriamente, no polo passivo, a previdência social.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação está totalmente errada,


contrariando o inciso VI do art. 114 da CF/88, bem como a Súmula nº 392 do TST,
que tratam da competência da justiça do trabalho para a análise de ações de dano
moral ou patrimonial. Não há que se falar em pólo passivo composto pela
previdência social em tais demandas, pois a ação é ajuizada em face do
empregador.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 20 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
33 - Q17928 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes.
A incompetência em razão da matéria é de natureza absoluta e, em assim
sendo, deve ser declarada de ofício pelo juiz, independentemente de
provocação das partes do processo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A competência em razão da matéria, que


é aquela prevista no art. 114 da CF/88, que trata dos pedidos que podem ser
formulados perante a Justiça do Trabalho, é de natureza absoluta, ou seja,
representam interesse do Estado e não das partes, como ocorre com a
competência territorial (art. 651 da CLT). Em havendo incompetência material, o
Juiz do Trabalho, mesmo sem provocação das partes, deve reconhecer o vício,
declarar nulos os atos decisórios e remeter os autos ao juízo competente, nos
termos do art. 113 do CPC, em especial, o seu §2º, assim redigido:

Art. 113. A incompetência absoluta deve ser declarada de ofício


e pode ser alegada, em qualquer tempo e grau de jurisdição,
independentemente de exceção.
§ 1o Não sendo, porém, deduzida no prazo da contestação, ou na
primeira oportunidade em que Ihe couber falar nos autos, a parte
responderá integralmente pelas custas.
§ 2o Declarada a incompetência absoluta, somente os atos
09032041690

decisórios serão nulos, remetendo-se os autos ao juiz competente.

34 - Q17927 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 21 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
A justiça do trabalho tem competência para processar e julgar as ações
acerca de representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e
trabalhadores e entre sindicatos e empregadores.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Novamente mais uma questão sobre


competência que levou em consideração a literalidade do art. 114 da CF/88,
explorando o inciso III, que trata das ações de representação sindical, nos
seguintes termos: compete à Justiça do Trabalho processo e julgas “as ações
sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e
entre sindicatos e empregadores”.
O conhecimento do art. 114 da CF, como já dito, é imprescindível para acertar as
questões sobre competência trabalhista.

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q248721 ( Prova: CESPE - 2012 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Organização da Justiça do Trabalho; )
Julgue os itens que se seguem, relativos à organização e
competência da justiça do trabalho e ao processo do trabalho.

São órgãos da justiça do trabalho: o TST, os tribunais regionais do trabalho,


os juízes do trabalho e os juizados especiais trabalhistas.
09032041690

2 - Q100214 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
Acerca de jurisdição e competência, organização, composição e
funcionamento da justiça do trabalho, julgue os itens
subseqüentes.
São órgãos da justiça do trabalho, além do TST, dos tribunais regionais do
trabalho (TRTs) e dos juízes do trabalho, também os juízes de direito nas

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 22 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
comarcas onde não houver instalada vara do trabalho, caso em que os
recursos interponíveis serão para os respectivos tribunais de justiça.

3 - Q95712 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Organização da Justiça do Trabalho; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
As comissões de conciliação prévia compõem a estrutura da justiça do
trabalho.

4 - Q99136 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
Acerca da Justiça do Trabalho, julgue os itens que se seguem.
São órgãos da Justiça do Trabalho: o Tribunal Superior do Trabalho (TST) e
os tribunais regionais do trabalho (TRTs), que detêm competências
originárias ou recursais, e os juízes do trabalho, integrantes do primeiro grau
de jurisdição trabalhista, que processam e julgam as causas não-previstas
na competência originária dos referidos tribunais.

5 - Q99138 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) é composto por ministros escolhidos
entre brasileiros com mais de trinta e cinco anos e menos de sessenta e cinco
09032041690

anos de idade, nomeados pelo presidente da República após aprovados pela


maioria absoluta do Senado Federal. A Constituição Federal vigente prevê
que 21 (vinte e um) dos ministros sejam necessariamente oriundos da
magistratura de carreira, indicados pelo TST ao presidente da República
dentre juízes de tribunais regionais do trabalho; três dentre advogados com
mais de dez anos de efetiva atividade profissional e três dentre membros do
Ministério Público do Trabalho com mais de dez anos de efetivo exercício,
estes últimos seis a partir de listas tríplices encaminhadas ao presidente da

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 23 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
República pelo TST, depois de reduzidas as listas sêxtuplas encaminhadas
pelos órgãos de classe das respectivas corporações.

6 - Q99360 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da
Justiça do Trabalho; )
Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça
do Trabalho, julgue os seguintes itens.
São órgãos da Justiça do Trabalho o Supremo Tribunal Federal (STF), o
Tribunal Superior do Trabalho (TST), os tribunais regionais do trabalho
(TRTs) e os juízes do trabalho.

7 - Q99361 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da
Justiça do Trabalho; )
Os tribunais do trabalho são compostos por juízes togados e juízes classistas.
Estes últimos representam as categorias econômicas e profissionais, em
representação paritária.

08 - Q99366 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Organização da
Justiça do Trabalho; )
O Ministério Público do Trabalho exerce função essencial à justiça, por isso
os procuradores do trabalho podem ser promovidos a integrar os tribunais
do trabalho nas vagas reservadas ao respectivo quinto constitucional.
09032041690

09 - Q35861 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Técnico Judiciário -


Especialidade - Enfermagem / Direito Processual do Trabalho / Organização
da Justiça do Trabalho; )
Considerando as normas vigentes da Constituição Federal relativas à
organização e competência da justiça do trabalho, julgue os itens a seguir.
A Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados do
Trabalho funcionará junto ao TST, cabendo-lhe, entre outras funções,
regulamentar os cursos oficiais para o ingresso e promoção na carreira.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 24 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

10 - Q35859 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Técnico Judiciário -


Especialidade - Enfermagem / Direito Processual do Trabalho / Organização
da Justiça do Trabalho; )
A Constituição Federal determina que haverá pelo menos um tribunal
regional do trabalho em cada estado e no Distrito Federal. Cada tribunal será
composto de, no mínimo, sete juízes, recrutados, quando possível, na
respectiva região e nomeados pelo presidente da República.

11 - Q22834 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
Ao Conselho Superior da Justiça do Trabalho, que funciona junto ao TST,
cabe a supervisão administrativa, orçamentária, financeira e patrimonial da
Justiça do Trabalho de primeiro e de segundo graus.

12 - Q22832 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )
Julgue os itens a seguir.
Os juízes do trabalho exercem jurisdição, singularmente, nas varas do
trabalho criadas por lei.

13 - Q22831 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
09032041690

Trabalho; )
Os TRTs são compostos por, no mínimo, 7 juízes, garantida a representação
de um quinto a procuradores do trabalho e a advogados; os demais são
juízes do trabalho de primeiro grau, promovidos, alternadamente, por
antiguidade e por merecimento.

14 - Q22829 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Organização da Justiça do
Trabalho; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 25 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
O TST compõe-se de 27 ministros.

15 - Q19492 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Organização da Justiça do Trabalho; )
Considerando a jurisdição, a competência e a composição das
varas do trabalho e dos tribunais regionais do trabalho (TRTs),
julgue os itens seguintes.
Os TRTs compõem-se de, no mínimo, oito juízes, recrutados, quando
possível, na respectiva região e nomeados pelo presidente da República
entre brasileiros com mais de trinta e menos de 65 anos de idade.

16 - Q19412 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Organização da Justiça do Trabalho; )
O juiz do trabalho ingressa na carreira como substituto, mediante concurso
público de provas e títulos, com a participação da Ordem dos Advogados do
Brasil em todas as fases, no qual se exige do bacharel em direito no mínimo
três anos de atividade jurídica e se obedece, nas nomeações, à ordem de
classificação.

17 - Q301048 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -


Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Compete à justiça do trabalho processar e julgar as ações sobre
09032041690

representação sindical em que sejam partes sindicatos, sindicatos e


trabalhadores, e sindicatos e empregadores.

18 - Q256165 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Por não tratarem de relação de emprego ou trabalho, conflitos que envolvam
representação sindical são de competência da justiça comum.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 26 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
19 - Q248718 ( Prova: CESPE - 2012 - AGU - Advogado / Direito Processual
do Trabalho / Competência; )
Julgue os itens que se seguem, relativos à organização e
competência da justiça do trabalho e ao processo do trabalho.

Compete ao TRT processar e julgar a ação rescisória de decisão proferida


pelo próprio TRT, devendo-se seguir o rito procedimental previsto no
processo civil, exceto quanto ao depósito prévio, que, no processo do
trabalho, é de 15% sobre o valor dado à causa.

20 - Q100215 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca de jurisdição e competência, organização, composição e
funcionamento da justiça do trabalho, julgue os itens
subseqüentes.
Conforme entendimento do STF, a justiça do trabalho passou a ser
competente para todas as causas envolvendo relação de trabalho, exceto
quando envolvidos servidor público federal e a União.

21 - Q100216 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os conflitos de competência envolvendo juiz de direito investido de jurisdição
trabalhista e juiz do trabalho, no âmbito da mesma região da justiça do
trabalho, compete ao Superior Tribunal de Justiça.
09032041690

22 - Q100217 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Havendo conflito de competência entre TRT e juízo do trabalho ao mesmo
vinculado, caberá a decisão pertinente ao TST.

23 - Q152941 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Competência; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 27 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Os crimes contra a organização do trabalho devem ser julgados por juiz
federal.

24 - Q98549 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /


Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca da ampliação da competência da justiça do trabalho
promovida pela chamada reforma do Poder Judiciário (Emenda
Constitucional n.º 45/2004), julgue os itens a seguir.
As controvérsias entre os servidores públicos estatutários e as pessoas
jurídicas de direito público sobre a aplicação do respectivo estatuto passaram
para a competência da justiça do trabalho.

25 - Q98551 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /


Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os processos sobre indenização pelo empregador por dano moral ou
patrimonial decorrentes de acidente do trabalho já sentenciados antes do
advento da EC mencionada devem ser deslocados para a justiça do trabalho,
em razão da nova competência.

26 - Q99632 ( Prova: CESPE - 2007 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
No que concerne à competência da justiça do trabalho, julgue os
itens subseqüentes.
A justiça do trabalho é competente para julgar todas as controvérsias
decorrentes das relações de trabalho, inclusive, de acordo com a
09032041690

jurisprudência, as resultantes da relação estatutária com o servidor público.

27 - Q99633 ( Prova: CESPE - 2007 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
A justiça do trabalho é competente para julgar as ações relativas às
penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de
fiscalização das relações de trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 28 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
28 - Q99365 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça
do Trabalho, julgue os seguintes itens.
A Justiça do Trabalho tem competência para processar e julgar as causas
envolvendo as relações de trabalho, além das matérias que envolvam
dissídios coletivos, greve, representação sindical, indenizações derivadas da
relação de trabalho, exame judicial das penalidades administrativas impostas
pela fiscalização do trabalho e execução das contribuições previdenciárias
pertinentes às sentenças que proferir, podendo ter acrescidas outras
competências por lei, quando a controvérsia se coligar à relação de trabalho
ou dela decorrer.

29 - Q19491 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Competência; )
Considerando a jurisdição, a competência e a composição das
varas do trabalho e dos tribunais regionais do trabalho (TRTs),
julgue os itens seguintes.
As varas do trabalho são competentes para julgar dissídio coletivo de
trabalho em que se busca reajuste salarial.

30 - Q19490 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Competência; ) 09032041690

Em todos os TRTs existentes no país, compete ao tribunal pleno o julgamento


dos dissídios coletivos.

31 - Q19417 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Inexiste possibilidade de juízes de direito atuarem na área trabalhista,
considerando-se ser a justiça do trabalho especializada.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 29 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
32 - Q19411 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A ação de indenização de dano moral decorrente de acidente do trabalho não
é de competência da justiça do trabalho, considerando-se integrar,
obrigatoriamente, no polo passivo, a previdência social.

33 - Q17928 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes.
A incompetência em razão da matéria é de natureza absoluta e, em assim
sendo, deve ser declarada de ofício pelo juiz, independentemente de
provocação das partes do processo.

34 - Q17927 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes.
A justiça do trabalho tem competência para processar e julgar as ações
acerca de representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e
trabalhadores e entre sindicatos e empregadores.
09032041690

4.

1 – errado 2 – errado 3 – errado 4 – certo 5 – certo


6 – errado 7 – errado 8 – errado 9 – certo 10 – errado
11. certo 12. certo 13. certo 14. certo 15. errado

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 30 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
16. certo 17. certo 18. errado 19. errado 20. errado
21. errado 22. errado 23. certo 24. errado 25. errado
26. errado 27. certo 28. certo 29. errado 30. errado
31. errado 32. errado 33. certo 34. certo

Da competência da Justiça do Trabalho.

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q301048( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Compete à justiça do trabalho processar e julgar as ações sobre
representação sindical em que sejam partes sindicatos, sindicatos e
trabalhadores, e sindicatos e empregadores.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O item está de acordo com a competência


da Justiça do Trabalho instaurado com a EC nº 45/2004, que alterou o art. 114 da
CF, instituindo o inciso III, com a seguinte redação: “as ações sobre representação
sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e
empregadores”. Assim, pouco importa quem são as partes envolvidas no litígio,
podendo ser empregados, empregadores ou sindicatos. A competência é em
09032041690

decorrência da matéria, isto é, sendo a ação voltada à análise do tema


representação sindical, é certo que a competência será trabalhista.

2 - Q256165( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico Científico


- Direito / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Por não tratarem de relação de emprego ou trabalho, conflitos que envolvam
representação sindical são de competência da justiça comum.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Conforme afirmado na questão anterior,


o inciso III do art. 114 da CF/88 diz que compete à Justiça do Trabalho “as ações

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 31 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e
entre sindicatos e empregadores”. Portanto, a competência não é da Justiça
Comum, pois a matéria representação sindicial é tipicamente trabalhista e o
legislador constituinte derivado, ao criar a EC nº 45/04, entendeu por bem retirar
tais demandas da Justiça Comum e trazê-las para a trabalhista.

3 - Q248718( Prova: CESPE - 2012 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Competência; )
Julgue os itens que se seguem, relativos à organização e
competência da justiça do trabalho e ao processo do trabalho.

Compete ao TRT processar e julgar a ação rescisória de decisão proferida


pelo próprio TRT, devendo-se seguir o rito procedimental previsto no
processo civil, exceto quanto ao depósito prévio, que, no processo do
trabalho, é de 15% sobre o valor dado à causa.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A primeira parte da questão está correta.


Realmente cabe ao próprio TRT o julgamento de rescisão ajuizado em face de
decisão do próprio TRT que transitou em julgado com os vícios do art. 485 do CPC.
Aliás, há uma regra importante em direito processual (civil e trabalhista) que diz
que todo tribunal tem competência para julgar as ações rescisão ajuizadas
de seus próprios julgados. Assim, se transitou em julgado no TRT, cabe ao
próprio TRT. Se transitou em julgado no TST, cabe ao próprio TST. A exceção é
quando o trânsito em julgado ocorre na Vara do Trabalho, já que a rescisória,
nesse caso, é da competência do TRT, já que tal ação é de competência originária
09032041690

dos tribunais, não tramitando em primeiro grau de jurisdição. O erro da questão


nem se refere à competência, e sim, ao depósito a ser realizado, que segundo o
art. 836 da CLT não é de 15%, e sim, de 20% do valor da causa, salvo
demonstração de miserabilidade jurídica.

4 - Q100215( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 32 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Acerca de jurisdição e competência, organização, composição e
funcionamento da justiça do trabalho, julgue os itens
subseqüentes.
Conforme entendimento do STF, a justiça do trabalho passou a ser
competente para todas as causas envolvendo relação de trabalho, exceto
quando envolvidos servidor público federal e a União.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O erro aqui é sutil. Vejam que o STF, por
meio da ADI nº 3395-6, interpretou o art. 114, I da CF de forma a excluir da
competência da Justiça do Trabalho as lides envolvendo servidores públicos
estatutários de uma forma genérica, e não apenas o servidor público federal,
que ajuizaria a sua demanda em face da União. A exclusão também abrangeu os
servidores públicos estatutários dos Estados, Municípios e DF, que passaram para
a Justiça Comum, estadual ou federal.

5 - Q100216( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os conflitos de competência envolvendo juiz de direito investido de jurisdição
trabalhista e juiz do trabalho, no âmbito da mesma região da justiça do
trabalho, compete ao Superior Tribunal de Justiça.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O importante art. 112 da CF/88, diz que
“A lei criará varas da Justiça do Trabalho, podendo, nas comarcas não abrangidas
por sua jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito, com recurso para o respectivo
Tribunal Regional do Trabalho”, sendo que nessas hipóteses, o Juiz de Direito é
09032041690

tratado para todos os fins, inclusive em conflitos de competência, como Juiz


Trabalhista, tanto que o recurso é interposto para o TRT. Assim, se há conflito
entre tal Juízo investido da jurisdição trabalhista e um juiz do trabalho, pode-se
dizer que estão em conflito dois juízes trabalhistas. Se vinculados à mesma região
(ao mesmo TRT), caberá a esse tribunal a análise do conflito, e não ao STJ.

6 - Q100217( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 33 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Havendo conflito de competência entre TRT e juízo do trabalho ao mesmo
vinculado, caberá a decisão pertinente ao TST.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A resposta ao item é bem simples e


direta. Não há conflito de competência entre TRT e juízo do trabalho a ele
vinculado, nos termos da Súmula nº 420 do TST, pela idéia de hierarquia que
existe. Se não há conflito, não há que se falar em órgão julgador. Nos termos da
Súmula referida:

“Não se configura conflito de competência entre Tribunal Regional


do Trabalho e Vara do Trabalho a ele vinculada”.

7 - Q152941( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
Os crimes contra a organização do trabalho devem ser julgados por juiz
federal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Uma primeiro informação que deve ficar
clara, sempre: a Justiça do trabalho não possui competência criminal, para
crime algum, em nenhum situação, conforme decidido pelo STF. Havendo
crime contra a organização do trabalho, caberá à Justiça Federal, ao seja, a um
juiz federal, o julgamento da demanda criminal, tendo em vista o disposto no art.
109, VI da CF/88, assim redigido: “os crimes contra a organização do trabalho e,
09032041690

nos casos determinados por lei, contra o sistema financeiro e a ordem econômico-
financeira”.

8 - Q98549( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho /
Competência; )
Acerca da ampliação da competência da justiça do trabalho
promovida pela chamada reforma do Poder Judiciário (Emenda
Constitucional n.º 45/2004), julgue os itens a seguir.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 34 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
As controvérsias entre os servidores públicos estatutários e as pessoas
jurídicas de direito público sobre a aplicação do respectivo estatuto passaram
para a competência da justiça do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos do art. 114, I da CF/88, a


afirmativa feita pelo CESPE/Unb estaria correta, pois aquele dispositivo afirma ser
competência da Justiça do Trabalho processar e julgar: “as ações oriundas da
relação de trabalho, abrangidos os entes de direito público externo e da
administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal
e dos Municípios”. Contudo, o STF, por meio da ADI nº 3395-6, entendeu por
interpretar tal preceito de lei de forma a excluir da competência da Justiça do
Trabalho as demandas envolvendo servidores públicos estatutários, sejam
federais, estaduais e municipais. Tais servidores devem valer-se da Justiça
Comum, Estadual ou Federal para ajuizamento de suas demanda. O CESPE/Unb
não levou em consideração tal decisão, mais do que notória, que não pode ser
esquecida.

9 - Q98551( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
Os processos sobre indenização pelo empregador por dano moral ou
patrimonial decorrentes de acidente do trabalho já sentenciados antes do
advento da EC mencionada devem ser deslocados para a justiça do trabalho,
em razão da nova competência.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação do CESPE/Unb vai ao


09032041690

encontro do que dispõe a Súmula vinculante nº 22 do STF, assim redigida:

“Justiça do Trabalho é competente para processar e julgar as ações


de indenização por danos morais e patrimoniais decorrentes de
acidente de trabalho propostas por empregado contra
empregador, inclusive aquelas que ainda não possuíam sentença
de mérito em primeiro grau quando da promulgação da Emenda
Constitucional nº 45/04”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 35 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Se em 30 de dezembro de 2004, data da entrada em vigor da EC nº 45/2004, já
houvesse sentença de mérito, os autos permaneceriam na Justiça Comum, sendo
interposto recurso de apelação, com julgamento pelo Tribunal de Justiça e, após,
interposição de recurso especial para o STJ. Se naquela data não houvesse
sentença, os autos seriam remetidos à Justiça do Trabalho, nos termos do art.
113 do CPC, para que lá fossem realizados os demais atos processuais. Em
resumo:
 Com sentença em 30/12/2004: permanece na Justiça Comum;
 Sem sentença em 30/12/2004: remessa para a Justiça do Trabalho;

10 - Q95710( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
A justiça do trabalho é competente para julgar as ações de acidente do
trabalho em que se discuta a controvérsia acerca de benefício previdenciário.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A competência para processar e julgar


ações envolvendo acidentes de trabalho está atrelada ao fato da ação ser ajuizada
em face do empregador, para pleitear, por exemplo, danos materiais e morais. As
demais ações envolvendo acidentes de trabalho tramitam na Justiça Comum,
como ocorre na questão dada, em que a controvérsia toca à um benefício
previdenciário. Tal ação não é, de forma alguma, de competência da Justiça do
Trabalho.

09032041690

11 - Q99142( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os juízes de direito podem, excepcionalmente, nos termos da lei, quando as
respectivas comarcas não integrarem jurisdição de vara do trabalho, exercer
jurisdição trabalhista, mas, nesse caso, o recurso interposto contra suas
sentenças deve ser remetido ao tribunal de justiça estadual ao qual estejam
vinculados, que absorve, por conseqüência, a jurisdição trabalhista em grau
recursal.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 36 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Trata-se de uma das questões
“preferidas” do CESPE/Unb sobre competência da Justiça do Trabalho. A resposta
é facilmente encontrada no art. 112 da CF, assim redigido:

“A lei criará varas da Justiça do Trabalho, podendo, nas comarcas


não abrangidas por sua jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito,
com recurso para o respectivo Tribunal Regional do Trabalho”

Caso seja atribuída competência trabalhista à algum Juízo de Direito, esta será
tratado como Juízo Trabalhista para aquelas demandas cuja matéria esteja
descrita no art. 114 da CF. Tratando-se aquele como Juiz do Trabalho, da sentença
proferida caberá Recurso Ordinário (RO), no prazo de 8 dias, conforme art. 895
da CLT. Assim, tal recurso será remetido ao TRT, pois se trata de recurso
trabalhista interposto de sentença em processo trabalho, proferida por quem,
naquele momento, agia como Juiz do Trabalho. Não há que se falar em remessa
para o Tribunal de Justiça.

12 - Q99633( Prova: CESPE - 2007 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
A justiça do trabalho é competente para julgar as ações relativas às
penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de
fiscalização das relações de trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Você já deve estar percebendo que as


questões são respondidas por meio dos incisos do art. 114 da CF/88. É isso
09032041690

mesmo! Você deve decorar tal dispositivo da Constituição Federal, pois o seu
conhecimento é indispensável para as provas de concurso. Logo, para auxiliar nos
estudos, transcrevemos o mesmo aqui:

Art. 114. Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar:


I as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito
público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
II as ações que envolvam exercício do direito de greve;

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 37 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
III as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre
sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores;
IV os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data , quando o
ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição;
V os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição trabalhista,
ressalvado o disposto no art. 102, I, o;
VI as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes
da relação de trabalho;
VII as ações relativas às penalidades administrativas impostas
aos empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de
trabalho;
VIII a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no art. 195,
I, a , e II, e seus acréscimos legais, decorrentes das sentenças que
proferir;
IX outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma da
lei.
(...)”

A questão do CESPE/Unb que está sendo analisada é respondida por meio do inciso
VII do art. 114 da CF/88. Assim, se o MTE autua determinada empresa, aplicando
multa, eventual ação que tenha por objeto a anulação de tal penalidade tramitará
perante a Justiça do Trabalho. Trata-se, como já se sabe, de competência
material, ou seja, que leva em consideração o objeto, a matéria, o que está sendo
tratado na demanda ajuizada.

13 - Q99365( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
09032041690

Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça


do Trabalho, julgue os seguintes itens.
A Justiça do Trabalho tem competência para processar e julgar as causas
envolvendo as relações de trabalho, além das matérias que envolvam
dissídios coletivos, greve, representação sindical, indenizações derivadas da
relação de trabalho, exame judicial das penalidades administrativas impostas
pela fiscalização do trabalho e execução das contribuições previdenciárias
pertinentes às sentenças que proferir, podendo ter acrescidas outras

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 38 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
competências por lei, quando a controvérsia se coligar à relação de trabalho
ou dela decorrer.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Com a alteração do art. 114 da CF/88, por
meio da EC nº 45/2004, vários questionamentos que antes estavam afetos à
Justiça Comum passaram para a Justiça Trabalhista. Assim, estão nos incisos de
tal artigo todas as demandas listadas pelo CESPE, como greve, representação
sindical, dissídios coletivos, ações de indenização, dentre outros. Nesse ponto,
importante dizer que o inciso IX do art. 114 da CF/88 afirma, textualmente, que
a competência da especialização também se estende á “outras controvérsias
decorrentes da relação de trabalho, na forma da lei”. Assim, está totalmente
correta a assertiva da banca examinadora.

14 - Q99367( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça
do Trabalho, julgue os seguintes itens.
Nas reclamações trabalhistas, a competência dos juízes do trabalho se
define, em regra, pela coincidência da circunscrição judiciária da respectiva
vara do trabalho com a localidade onde o empregado tenha prestado seus
serviços, ainda que contratado em outro local ou no estrangeiro. Contudo, o
juiz do trabalho que não tenha competência territorial pode processar e
julgar a causa, se não for oposta exceção de incompetência territorial.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A questão está relacionada à competência


09032041690

territorial no processo do trabalho, ou seja, o local de ajuizamento da ação. A


regra acerca da matéria está inscrita no art. 651 da CLT, que afirma a competência
da Vara do Trabalho do local da prestação dos serviços, sendo irrelevante o lugar
da contratação, mesmo que seja no estrangeiro. Assim, se contratado em
Vitória/ES para prestar serviços em Aracaju/SE, a demanda será ajuizada nessa
segunda cidade, mesmo que não seja o domicílio do empregado, pois esse
também não possui relevância. Nesse ponto, a informação do CESPE é perfeita. A
segunda informação trata da prorrogação da competência, fenômeno que ocorre
quando a ação é ajuizada em local distinto daquele em que foram prestados ou
serviços e o reclamado (réu) não apresenta a peça de defesa denominada exceção

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 39 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
de incompetência. Em não havendo a alegação pelo reclamado do erro, por meio
da aludida peça, o Juízo que não era competente passará a ser, julgando a ação
até o seu final. Assim, tal informação trazida pelo CESPE também está correta.
Para complementar o estudo, transcreve-se o art. 651 da CLT:

“Art. 651 - A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento é


determinada pela localidade onde o empregado, reclamante ou
reclamado, prestar serviços ao empregador, ainda que tenha sido
contratado noutro local ou no estrangeiro.

§ 1º - Quando for parte de dissídio agente ou viajante comercial, a


competência será da Junta da localidade em que a empresa tenha agência
ou filial e a esta o empregado esteja subordinado e, na falta, será
competente a Junta da localização em que o empregado tenha domicílio
ou a localidade mais próxima.

§ 2º - A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento,


estabelecida neste artigo, estende-se aos dissídios ocorridos em agência
ou filial no estrangeiro, desde que o empregado seja brasileiro e não haja
convenção internacional dispondo em contrário.

§ 3º - Em se tratando de empregador que promova realização de


atividades fora do lugar do contrato de trabalho, é assegurado ao
empregado apresentar reclamação no foro da celebração do contrato ou
no da prestação dos respectivos serviços”.

15 - Q99368( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os TRTs são competentes para processar e julgar os mandados de segurança
impetrados contra atos dos juízes do trabalho da respectiva jurisdição, assim
como as ações rescisórias contra as sentenças que forem por estes
09032041690

proferidas ou contra os acórdãos oriundos do próprio tribunal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A questão do CESPE trata de três situações,


a saber:
 Mandado de segurança contra ato de Juiz do Trabalho: nessa primeira
situação, o Mandado de Segurança impetrado em face de ato de Juiz do
Trabalho será da competência do TRT a que está vinculado o Magistrado,
autoridade coatora no mandado de segurança.
 Ação rescisória em face de sentença transitada em julgado na Vara
do Trabalho: nessa hipótese, a ação rescisória será da competência do

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 40 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
TRT a que se vincula a Vara do Trabalho, por ser o órgão hierarquicamente
superior, com competência para desconstituir a decisão que transitou em
julgado no órgão de primeiro grau. Lembrando que não existe ação
rescisória em 1º grau de jurisdição. Tal ação sempre será da competência
originária de tribunal.
 Ação rescisória em face de acórdão transitado em julgado no
Tribunal Regional do Trabalho: Na hipótese do acórdão que transitou
em julgado no Tribunal Regional do Trabalho, a ação rescisória será
processada e julgada no próprio TRT, pois “todo tribunal possui
competência para as ações rescisórias ajuizadas dos seus próprios
julgados”.

Analisando as informações acima, concluiu-se que o CESPE trouxe informações


corretas.

16 - Q101762( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Em cada um dos itens que se sucedem, é apresentada uma situação
hipotética relativa à competência da justiça do trabalho, seguida de
uma assertiva a ser julgada.
Embora contratado na cidade de São Luís – MA, Saulo prestou serviços como
empregado na cidade de Carolina – MA. Rescindido o contrato por iniciativa
do empregador, Saulo ajuizou ação trabalhista na cidade de Carolina – MA,
buscando receber as verbas rescisórias. Devidamente citada, a empresa
compareceu ao juízo e excepcionou a competência territorial do foro. Nessa
09032041690

situação, a exceção deverá ser rejeitada, pois o juízo trabalhista de Carolina


– MA é competente para instruir e julgar o conflito.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Realmente a exceção de incompetência


deve ser rejeitada, pois o ajuizamento da ação seguiu a regra do art. 651 da CLT,
que trata do ajuizamento no local da prestação dos serviços, pouco importando
se a contratação ocorreu em outro local ou no estrangeiro. Logo, se o trabalho foi
desenvolvido na cidade de Carolina-MA, ali deve ser ajuizada a demanda
trabalhista. Assim, Saulo ajuizou corretamente a demanda, não sendo possível a
remessa da mesma para outro juízo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 41 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

17 - Q52407( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Acerca da organização e da competência da justiça do trabalho, julgue os
itens a seguir.
Nas comarcas que não sejam abrangidas pela jurisdição da justiça do
trabalho, as demandas trabalhistas podem ser julgadas por um juiz de
direito.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Como já dito, trata-se de uma das questões
mais cobradas pelo CESPE no que concerne à competência da Justiça do Trabalho.
Não nos alongaremos mais, pois a assertiva encontra-se em consonância com o
art. 112 da CF/88, abaixo transcrito:

“A lei criará varas da Justiça do Trabalho, podendo, nas comarcas


não abrangidas por sua jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito,
com recurso para o respectivo Tribunal Regional do Trabalho”

18 - Q52406( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
As ações que envolvem o exercício do direito de greve devem ser julgadas
na justiça do trabalho.

09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Afirmação simples, que está em


conformidade com o inciso II do art. 114 da CF/88. A demanda que envolve o
exercício do direito de greve pode ser individual (uma ação cautelar, por exemplo,
para impedir a paralisação total das atividades) ou coletivo (um dissídio coletivo
de greve). O que importa nesse ponto para verificar a competência da Justiça do
Trabalho é a matéria. Sendo “greve”, restará à referida justiça o julgamento da
demanda. Tal competência é absoluta.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 42 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
19 - Q52203( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Julgue os itens que se seguem em relação à justiça do trabalho, de acordo
com o entendimento do Supremo Tribunal Federal.
O TST é competente para julgar conflito de competência entre o Superior
Tribunal de Justiça e o TRT da 10.ª região, com sede em Brasília.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação de que o conflito instaurado


será julgado pelo TST está errada, pois cabe ao STF – Supremo Tribunal Federal,
nos termos do art. 102, I, “o” da CF/88, que diz caber àquele tribunal julgar “os
conflitos de competência entre o Superior Tribunal de Justiça e quaisquer
tribunais, entre Tribunais Superiores, ou entre estes e qualquer outro
tribunal”.

20 - Q52201( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Considere a seguinte situação hipotética.
Maria trabalhou até dezembro de 2007 em uma fábrica na qual sofreu
acidente que resultou na perda de um dos dedos de sua mão direita. Em
decorrência disso, ajuizou ação para exigir a condenação de sua ex-
empregadora ao pagamento de danos morais.
Nessa situação, a ação deve ser corretamente proposta perante a justiça do
trabalho. 09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Mesmo antes da EC nº 45/04, a


competência para tal ação já estava definida como da Justiça do Trabalho, pois o
TST já havia editada a Súmula nº 392. Para reforçar o entendimento, atualmente
aplica-se também o inciso VI do art. 114 da CF/88, que diz ser competente a
Justiça do Trabalho para “as ações de indenização por dano moral ou patrimonial,
decorrentes da relação de trabalho”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 43 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
21 - Q52200( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Julgue os itens que se seguem em relação à justiça do trabalho, de acordo
com o entendimento do Supremo Tribunal Federal.
Caso um servidor público federal regido pela Lei n.º 8.112/1990, em
exercício em tribunal regional eleitoral, tenha ajuizado reclamação
trabalhista contra a União, com o objetivo de condená-la ao pagamento de
gratificação suprimida de seus vencimentos, a ação deverá ser julgada por
uma das varas da justiça do trabalho da capital onde se encontre o referido
tribunal.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Como já dito anteriormente, quando dos


comentários à questão parecida, após a decisão proferida pelo STF nos autos da
ADI nº 3395-6, a competência para as pretensões dos servidores públicos
estatutários é da Justiça Comum, sejam eles federais, estaduais ou municipais. A
ação será da competência da Justiça Comum Federal (servidores da União, como
o caso narrado na questão) ou Justiça Comum Estadual (servidores dos Estados,
Municípios e DF). Lembre-se que no julgamento da ADI referida, o STF excluiu da
interpretação do inciso I do art. 114 da CF, qualquer possibilidade de Justiça do
Trabalho vir a julgar aqueles servidores, por serem estatutários.

22 - Q52173( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; ) 09032041690

Julgue os próximos itens, relativos à competência da justiça do trabalho.


Considere a seguinte situação hipotética.
Maria trabalhava como secretária de Ana em uma empresa. Em determinado
momento, Maria passou a Ana uma informação equivocada. Ao descobrir o
equívoco, Ana dirigiu-se a Maria e a chamou de incompetente e burra. Nessa
situação, caso Maria deseje obter indenização por danos morais em
decorrência do ato praticado por Ana, um juiz do trabalho será competente
para julgar a demanda.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 44 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Como já dito, sempre que o pedido estiver
relacionado à ocorrência de danos morais decorrentes do vínculo de emprego, a
competência será da Justiça do Trabalho, conforme Súmula nº 392 do TST e inciso
VI do art. 114 da CF/88.

23 - Q38571( Prova: CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
De acordo com a jurisprudência do STF, julgue os itens que se
seguem.
É da competência da justiça do trabalho o processamento e o julgamento
das causas que envolvam pedido de condenação de ente público ao
pagamento de indenização por danos morais e materiais decorrentes de
acidente do trabalho sofrido por servidor público estatutário.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A competência não é da Justiça do


Trabalho, tendo em vista a decisão do STF na ADI nº 3395-6, como já explicado
anteriormente.

24 - Q35860( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Técnico Judiciário -


Especialidade - Enfermagem / Direito Processual do Trabalho / Competência;
)
Considerando as normas vigentes da Constituição Federal relativas à
organização e competência da justiça do trabalho, julgue os itens a seguir.
Entre as competências constitucionais da justiça do trabalho, inclui-se a de
processar e julgar os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data,
09032041690

quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está perfeita, de acordo com


o inciso IV do art. 114 da CF/88, que diz ser competente a Justiça do Trabalho
para “os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data , quando o ato
questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição”. Percebam que o CESPE
pergunta muito sobre o art. 114 da CF/88, devendo esse ser bastante estudado
e, de preferência, decorado, para reduzir as chances de erro no dia da prova.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 45 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
25 - Q33137( Prova: CESPE - 2010 - AGU - Procurador / Direito Processual
do Trabalho / Competência; )
No que concerne à legislação acidentária, ao benefício de
prestação continuada previsto na Lei de Organização da
Assistência Social e jurisprudência dos tribunais superiores, julgue
os itens que se seguem.
A competência para julgar ações de indenização por danos morais e
materiais decorrentes de acidente de trabalho propostas pelo trabalhador,
após a edição da Emenda Constitucional n.º 45/2004, é da justiça comum
estadual.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Como já dito em outra questão, aplica-


se a Súmula Vinculante nº 22 do STF, assim redigida: “A Justiça do Trabalho
é competente para processar e julgar as ações de indenização por danos morais
e patrimoniais decorrentes de acidente de trabalho propostas por empregado
contra empregador, inclusive aquelas que ainda não possuíam sentença de mérito
em primeiro grau quando da promulgação da Emenda Constitucional nº 45/04”.

26 - Q30822( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Competência; Resposta do Reclamado; )
Com relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Considere que Pedro tenha ingressado com reclamação trabalhista perante
vara do trabalho incompetente em razão do lugar. Nesse caso, de acordo
com a CLT, a empresa deverá arguir, na própria contestação, preliminar de
09032041690

incompetência territorial, sendo certo que, caso tal fato não ocorra, ainda
assim o juiz poderá decretá-la de ofício.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A questão traz dois erros graves, a saber:
 Afirma que a argüição da incompetência territorial poderá ser feita em
preliminar de contestação: a incompetência relativa, no caso,
territorial, deve ser argüida em peça própria, denominada exceção
de incompetência e não em preliminar de contestação.
 Afirma que o Juiz poderá decretar a incompetência territorial de ofício: a
incompetência relativa nunca pode ser decretada de ofício,

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 46 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
conforme Súmula nº 33 do STJ. Apenas a incompetência absoluta é que
pode, de acordo com o art. 113 do CPC.

27 - Q22838( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Julgue os itens a seguir.
Competem aos tribunais do trabalho processar e julgar os dissídios coletivos
apenas quando os trabalhadores estiverem em greve.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os dissídios coletivos são de competência


dos tribunais trabalhistas, sejam os Tribunais Regionais do Trabalho ou o Tribunal
Superior do Trabalho. A Vara do Trabalho não possui competência para tanto.
Ocorre que não é dissídio coletivo de greve o único a ser julgado pelos tribunais,
já que também existem duas outras espécies de dissídio coletivo, a saber:
 Dissídio coletivo de natureza econômica: visa alcançar melhores
condições de trabalho para os trabalhadores da categoria, sendo a sua
sentença constitutiva.

 Dissídio coletivo de natureza jurídica: busca a interpretação de norma


jurídica existente, sendo a sua sentença declaratória.

28 - Q22837( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar as ações relativas às
penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de
09032041690

fiscalização das relações de trabalho, exceto quando se tratar de mandado


de segurança.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O erro aqui é grosseiro. O início da frase


está totalmente correto, pois em conformidade com o art. 114, inciso VII, que diz
“as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos empregadores
pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho”. O erro está no fato do
CESPE dizer “exceto quando se tratar de mandado de segurança”, pois nesse caso
esquece-se do inciso IV do mesmo artigo, que diz ser competente a Justiça do
Trabalho para o processamento e julgamento de mandados de segurança, quando

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 47 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição, o que é o caso, pois
se trata de penalidade administrativa imposta pelos órgãos de fiscalização das
relações de trabalho.

29 - Q22835( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar as ações oriundas da
relação de trabalho, salvo quando essas envolverem, como parte, a
administração pública, seja federal, estadual, distrital ou municipal.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A exclusão determinada pelo CESPE não


encontra respaldo no inciso I do art. 114 da CF, assim redigido:
“as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de
direito público externo e da administração pública direta e indireta
da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios”.

A competência para julgar a administração pública direta e indireta da União,


Estados, Distrito Federal e Municípios não foi afastada pelo STF no julgamento da
ADI nº 3395-6. O que fez o STF foi excluir da competência a análise de
pretensão de servidores públicos estatutários. Os celetistas que venham a
ser contratados por aqueles, como por exemplo, os empregadores de sociedades
de economia mista e empresas públicas, demandarão na Justiça do Trabalho,
normalmente.

30 - Q22833( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


09032041690

Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )


As varas do trabalho podem funcionar em caráter itinerante, situação em
que podem ultrapassar os limites territoriais da respectiva jurisdição.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação não está adequada, por


violar o §1º do art. 115 da CF/88, assim redigido:

“Os Tribunais Regionais do Trabalho instalarão a justiça itinerante,


com a realização de audiências e demais funções de atividade

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 48 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
jurisdicional, nos limites territoriais da respectiva jurisdição,
servindo-se de equipamentos públicos e comunitários”.

Percebe-se que não poderá a justiça itinerante criada por um Tribunal regional do
Trabalho “invadir” a competência de outro, pois o legislador disse textualmente
“nos limites territoriais da respectiva jurisdição”. Cuidado com os detalhes”

31 - Q19491( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Competência; )
Considerando a jurisdição, a competência e a composição das
varas do trabalho e dos tribunais regionais do trabalho (TRTs),
julgue os itens seguintes.
As varas do trabalho são competentes para julgar dissídio coletivo de
trabalho em que se busca reajuste salarial.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os dissídios coletivos, sejam de greve,


econômicos ou jurídicos, são ações de competência originária dos tribunais,
ou seja, tramitam apenas nesses órgãos, não se iniciando na Vara do Trabalho. A
depender da situação, a competência será do TRT ou do TST, mas nunca da Vara
do Trabalho. Eventual ação de cumprimento da sentença normativa, ai sim, será
ajuizada perante o órgão de primeiro grau da Justiça do Trabalho.

32 - Q19490( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
09032041690

Trabalho / Competência; )
Em todos os TRTs existentes no país, compete ao tribunal pleno o julgamento
dos dissídios coletivos.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A competência para o julgamento dos


dissídios coletivos pelos tribunais depende da organização interna, ou seja, da
análise do regimento interno. Nos tribunais menores, geralmente é o tribunal
pleno que julga tais demandas, por envolveram matéria afeta à uma coletividade.
Contudo, nada impede que o regimento interno dote de competência outro órgão
para o julgamento de tal demanda coletiva.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 49 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

33 - Q19417( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Inexiste possibilidade de juízes de direito atuarem na área trabalhista,
considerando-se ser a justiça do trabalho especializada.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Como já dito diversas vezes, provando


que o CESPE sempre repete as questões, o art. 112 da CF prevê a possibilidade
de juízes de direito atuarem como juízes trabalhistas, nos seguintes termos:

“A lei criará varas da Justiça do Trabalho, podendo, nas comarcas


não abrangidas por sua jurisdição, atribuí-la aos juízes de direito,
com recurso para o respectivo Tribunal Regional do Trabalho”.

34 - Q19414( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Considerando a organização e a competência da justiça do
trabalho, julgue os itens de 86 a 89.
Os dissídios oriundos das relações entre empregados e empregadores, bem
como entre trabalhadores avulsos e seus tomadores de serviços, em
atividades reguladas na legislação social, são dirimidos pela justiça do
trabalho, de acordo com o disposto em título específico da CLT e na forma
estabelecida pelo processo judiciário do trabalho.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A redação utilizada pelo CESPE é idêntica


aquela contida no art. 643 da CLT. Vejamos:

“Os dissídios, oriundos das relações entre empregados e


empregadores bem como de trabalhadores avulsos e seus
tomadores de serviços, em atividades reguladas na legislação
social, serão dirimidos pela Justiça do Trabalho, de acordo com o
presente Título e na forma estabelecida pelo processo judiciário do
trabalho”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 50 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

Logo, mesmo que os avulsos não tenham vínculo empregatício, a eles foi
assegurado o ajuizamento de suas demandas perante a Justiça do Trabalho, bem
como pelo art. 7º, XXXIV da CF/88, assim redigido: “igualdade de direitos entre o
trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso”.

35 - Q17928( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes.
A incompetência em razão da matéria é de natureza absoluta e, em assim
sendo, deve ser declarada de ofício pelo juiz, independentemente de
provocação das partes do processo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A incompetência material realmente é de


natureza absoluta, assim como a pessoal e funcional ou hierárquica. As normas
relacionadas à tais critérios são criadas no interesse do Estado em melhor julgar,
em julgar de forma mais especializada. Por isso, ao interessas ao Estado, pode o
vício ser declarado de ofício pelo Magistrado, nos termos do art. 113 do CPC. Além
disso, ao reconhecer tal vício, mesmo sem provocação das partes, isto é, ex officio,
serão anuladas as decisões e remetidos os autos ao juízo competente, conforme
§2º do art. 113 do CPC. Transcreve-se o dispositivo do CPC, para que seja lido e
não pairem dúvidas sobre o tema:

09032041690

“Art. 113. A incompetência absoluta deve ser declarada de ofício e pode


ser alegada, em qualquer tempo e grau de jurisdição,
independentemente de exceção.
§ 1o Não sendo, porém, deduzida no prazo da contestação, ou na
primeira oportunidade em que Ihe couber falar nos autos, a parte
responderá integralmente pelas custas.
§ 2o Declarada a incompetência absoluta, somente os atos decisórios
serão nulos, remetendo-se os autos ao juiz competente”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 51 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
36 - Q17927( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes.
A justiça do trabalho tem competência para processar e julgar as ações
acerca de representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e
trabalhadores e entre sindicatos e empregadores.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O item está de acordo com o art. 114, III
da CF, assim redigido: “as ações sobre representação sindical, entre sindicatos,
entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores”. Por que não
aproveitar o momento para reler o art. 114 da CF/88, já que reiteradamente o
mesmo é cobrado nos concursos?

“Art. 114. Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar:


I as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito
público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
II as ações que envolvam exercício do direito de greve;
III as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre
sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores;
IV os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data , quando o
ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição;
V os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição trabalhista,
ressalvado o disposto no art. 102, I, o;
09032041690

VI as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes


da relação de trabalho;
VII as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos
empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho;
VIII a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no art. 195,
I, a , e II, e seus acréscimos legais, decorrentes das sentenças que
proferir;
IX outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma da
lei.
§ 1º - Frustrada a negociação coletiva, as partes poderão eleger árbitros.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 52 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
§ 2º Recusando-se qualquer das partes à negociação coletiva ou à
arbitragem, é facultado às mesmas, de comum acordo, ajuizar dissídio
coletivo de natureza econômica, podendo a Justiça do T rabalho decidir o
conflito, respeitadas as disposições mínimas legais de proteção ao
trabalho, bem como as convencionadas anteriormente.
§ 3º Em caso de greve em atividade essencial, com possibilidade de lesão
do interesse público, o Ministério Público do Trabalho poderá ajuizar
dissídio coletivo, competindo à Justiça do Trabalho decidir o conflito”.

37 - Q17604( Prova: CESPE - 2009 - Prefeitura de Ipojuca - PE - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
A respeito das regras gerais no âmbito do direito processual do
trabalho, considerando o entendimento do TST, julgue os itens a
seguir.
Cabe à justiça comum julgar e processar conflitos entre os servidores
temporários e a administração pública, no caso de contratação temporária
prevista em regime especial e lei própria.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A competência da Justiça do Trabalho para


processar e julgar demandas de servidores públicos restringe-se àqueles
contratados pela CLT, ou seja, os denominados celetistas. Os estatutários, que
são regidos por lei própria, como a Lei nº 8112/90, que trata dos servidores
estatutários da União, tem suas pretensões analisadas pela Justiça Comum,
estadual ou federal. Na questão, afirma-se a existência de conflito entre
administração pública e servidores temporários, regidos por lei própria. Percebe
que, se são regidos por lei própria, à eles não se aplica a CLT. Não se aplicando
09032041690

os preceitos celetistas, a Justiça do Trabalho não é competente, cabendo à justiça


comum processar e julgar tais conflitos.

38 - Q17603( Prova: CESPE - 2009 - Prefeitura de Ipojuca - PE - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
A justiça do trabalho é competente para julgar ação de cobrança de
honorários movida por advogado contra cliente em decorrência de
reclamação trabalhista.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 53 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Tal competência foi afastada pela edição
da Súmula nº 363 do STJ, assim redigida: “Compete à Justiça estadual processar
e julgar a ação de cobrança ajuizada por profissional liberal contra cliente”. Na
hipótese, incluem-se os honorários contratuais do Advogado. Logo, a competência
é da justiça comum. Caso fosse a execução de honorários advocatícios de
sucumbência, porventura deferidos por sentença, ai sim a competência seria da
Justiça do Trabalho, pois estaríamos executando uma sentença, nos termos do
art. 877 da CLT.

39 - Q13319( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Haverá conflito de competência quando houver discordância de
entendimento entre o TRT e a vara do trabalho a ele vinculada, caso em que
caberá ao próprio TRT dirimir o referido conflito.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Na hipótese aventada, de discordância


entre TRT e Vara do Trabalho a ele vinculado, não haverá conflito de
competência, nos termos da Súmula nº 420 do TST, a seguir transcrita:

“Não se configura conflito de competência entre Tribunal Regional


do Trabalho e Vara do Trabalho a ele vinculada”

Cuidado com o termo “a ele vinculado”, pois se não houver vinculação, haverá
conflito de competência a ser julgado pelo TST, como ocorreria se houvesse
discordância entre 2ª Vara do Trabalho de Vitória (TRT 17ª Região) e TRT 2º
09032041690

Região (SP capital).

40 - Q13321( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
A competência das varas do trabalho é definida pela localidade em que o
empregado é contratado para prestar serviços ao empregador.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O local da contratação não é levado em


consideração pelo art. 651 da CLT, que regra geral diz ser a competência da Vara
do Trabalho do local da prestação dos serviços.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 54 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q301048( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Compete à justiça do trabalho processar e julgar as ações sobre
representação sindical em que sejam partes sindicatos, sindicatos e
trabalhadores, e sindicatos e empregadores.

2 - Q256165( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico Científico


- Direito / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Por não tratarem de relação de emprego ou trabalho, conflitos que envolvam
representação sindical são de competência da justiça comum.

3 - Q248718( Prova: CESPE - 2012 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Competência; )
Julgue os itens que se seguem, relativos à organização e
competência da justiça do trabalho e ao processo do trabalho.

Compete ao TRT processar e julgar a ação rescisória de decisão proferida


pelo próprio TRT, devendo-se seguir o rito procedimental previsto no
processo civil, exceto quanto ao depósito prévio, que, no processo do
trabalho, é de 15% sobre o valor dado à causa.
09032041690

4 - Q100215( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca de jurisdição e competência, organização, composição e
funcionamento da justiça do trabalho, julgue os itens
subseqüentes.
Conforme entendimento do STF, a justiça do trabalho passou a ser
competente para todas as causas envolvendo relação de trabalho, exceto
quando envolvidos servidor público federal e a União.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 55 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
5 - Q100216( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador
Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os conflitos de competência envolvendo juiz de direito investido de jurisdição
trabalhista e juiz do trabalho, no âmbito da mesma região da justiça do
trabalho, compete ao Superior Tribunal de Justiça.

6 - Q100217( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Havendo conflito de competência entre TRT e juízo do trabalho ao mesmo
vinculado, caberá a decisão pertinente ao TST.

7 - Q152941( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
Os crimes contra a organização do trabalho devem ser julgados por juiz
federal.

8 - Q98549( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho /
Competência; )
Acerca da ampliação da competência da justiça do trabalho
promovida pela chamada reforma do Poder Judiciário (Emenda
Constitucional n.º 45/2004), julgue os itens a seguir.
As controvérsias entre os servidores públicos estatutários e as pessoas
09032041690

jurídicas de direito público sobre a aplicação do respectivo estatuto passaram


para a competência da justiça do trabalho.

9 - Q98551( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
Os processos sobre indenização pelo empregador por dano moral ou
patrimonial decorrentes de acidente do trabalho já sentenciados antes do
advento da EC mencionada devem ser deslocados para a justiça do trabalho,
em razão da nova competência.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 56 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

10 - Q95710( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
A justiça do trabalho é competente para julgar as ações de acidente do
trabalho em que se discuta a controvérsia acerca de benefício previdenciário.

11 - Q99142( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os juízes de direito podem, excepcionalmente, nos termos da lei, quando as
respectivas comarcas não integrarem jurisdição de vara do trabalho, exercer
jurisdição trabalhista, mas, nesse caso, o recurso interposto contra suas
sentenças deve ser remetido ao tribunal de justiça estadual ao qual estejam
vinculados, que absorve, por conseqüência, a jurisdição trabalhista em grau
recursal.

12 - Q99633( Prova: CESPE - 2007 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Competência; )
A justiça do trabalho é competente para julgar as ações relativas às
penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de
fiscalização das relações de trabalho.

13 - Q99365( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
09032041690

Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça


do Trabalho, julgue os seguintes itens.
A Justiça do Trabalho tem competência para processar e julgar as causas
envolvendo as relações de trabalho, além das matérias que envolvam
dissídios coletivos, greve, representação sindical, indenizações derivadas da
relação de trabalho, exame judicial das penalidades administrativas impostas
pela fiscalização do trabalho e execução das contribuições previdenciárias
pertinentes às sentenças que proferir, podendo ter acrescidas outras

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 57 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
competências por lei, quando a controvérsia se coligar à relação de trabalho
ou dela decorrer.

14 - Q99367( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Acerca da organização, da jurisdição e da competência da Justiça
do Trabalho, julgue os seguintes itens.
Nas reclamações trabalhistas, a competência dos juízes do trabalho se
define, em regra, pela coincidência da circunscrição judiciária da respectiva
vara do trabalho com a localidade onde o empregado tenha prestado seus
serviços, ainda que contratado em outro local ou no estrangeiro. Contudo, o
juiz do trabalho que não tenha competência territorial pode processar e
julgar a causa, se não for oposta exceção de incompetência territorial.

15 - Q99368( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Os TRTs são competentes para processar e julgar os mandados de segurança
impetrados contra atos dos juízes do trabalho da respectiva jurisdição, assim
como as ações rescisórias contra as sentenças que forem por estes
proferidas ou contra os acórdãos oriundos do próprio tribunal.

16 - Q101762( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Em cada um dos itens que se sucedem, é apresentada uma situação
hipotética relativa à competência da justiça do trabalho, seguida de
09032041690

uma assertiva a ser julgada.


Embora contratado na cidade de São Luís – MA, Saulo prestou serviços como
empregado na cidade de Carolina – MA. Rescindido o contrato por iniciativa
do empregador, Saulo ajuizou ação trabalhista na cidade de Carolina – MA,
buscando receber as verbas rescisórias. Devidamente citada, a empresa
compareceu ao juízo e excepcionou a competência territorial do foro. Nessa
situação, a exceção deverá ser rejeitada, pois o juízo trabalhista de Carolina
– MA é competente para instruir e julgar o conflito.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 58 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
17 - Q52407( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Acerca da organização e da competência da justiça do trabalho, julgue os
itens a seguir.
Nas comarcas que não sejam abrangidas pela jurisdição da justiça do
trabalho, as demandas trabalhistas podem ser julgadas por um juiz de
direito.

18 - Q52406( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
As ações que envolvem o exercício do direito de greve devem ser julgadas
na justiça do trabalho.

19 - Q52203( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Julgue os itens que se seguem em relação à justiça do trabalho, de acordo
com o entendimento do Supremo Tribunal Federal.
O TST é competente para julgar conflito de competência entre o Superior
Tribunal de Justiça e o TRT da 10.ª região, com sede em Brasília.

20 - Q52201( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
09032041690

Competência; )
Considere a seguinte situação hipotética.
Maria trabalhou até dezembro de 2007 em uma fábrica na qual sofreu
acidente que resultou na perda de um dos dedos de sua mão direita. Em
decorrência disso, ajuizou ação para exigir a condenação de sua ex-
empregadora ao pagamento de danos morais.
Nessa situação, a ação deve ser corretamente proposta perante a justiça do
trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 59 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
21 - Q52200( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Julgue os itens que se seguem em relação à justiça do trabalho, de acordo
com o entendimento do Supremo Tribunal Federal.
Caso um servidor público federal regido pela Lei n.º 8.112/1990, em
exercício em tribunal regional eleitoral, tenha ajuizado reclamação
trabalhista contra a União, com o objetivo de condená-la ao pagamento de
gratificação suprimida de seus vencimentos, a ação deverá ser julgada por
uma das varas da justiça do trabalho da capital onde se encontre o referido
tribunal.

22 - Q52173( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Julgue os próximos itens, relativos à competência da justiça do trabalho.
Considere a seguinte situação hipotética.
Maria trabalhava como secretária de Ana em uma empresa. Em determinado
momento, Maria passou a Ana uma informação equivocada. Ao descobrir o
equívoco, Ana dirigiu-se a Maria e a chamou de incompetente e burra. Nessa
situação, caso Maria deseje obter indenização por danos morais em
decorrência do ato praticado por Ana, um juiz do trabalho será competente
para julgar a demanda.

23 - Q38571( Prova: CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal / Direito


09032041690

Processual do Trabalho / Competência; )


De acordo com a jurisprudência do STF, julgue os itens que se
seguem.
É da competência da justiça do trabalho o processamento e o julgamento
das causas que envolvam pedido de condenação de ente público ao
pagamento de indenização por danos morais e materiais decorrentes de
acidente do trabalho sofrido por servidor público estatutário.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 60 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
24 - Q35860( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Técnico Judiciário -
Especialidade - Enfermagem / Direito Processual do Trabalho / Competência;
)
Considerando as normas vigentes da Constituição Federal relativas à
organização e competência da justiça do trabalho, julgue os itens a seguir.
Entre as competências constitucionais da justiça do trabalho, inclui-se a de
processar e julgar os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data,
quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição.

25 - Q33137( Prova: CESPE - 2010 - AGU - Procurador / Direito Processual


do Trabalho / Competência; )
No que concerne à legislação acidentária, ao benefício de
prestação continuada previsto na Lei de Organização da
Assistência Social e jurisprudência dos tribunais superiores, julgue
os itens que se seguem.
A competência para julgar ações de indenização por danos morais e
materiais decorrentes de acidente de trabalho propostas pelo trabalhador,
após a edição da Emenda Constitucional n.º 45/2004, é da justiça comum
estadual.

26 - Q30822( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Competência; Resposta do Reclamado; )
Com relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Considere que Pedro tenha ingressado com reclamação trabalhista perante
09032041690

vara do trabalho incompetente em razão do lugar. Nesse caso, de acordo


com a CLT, a empresa deverá arguir, na própria contestação, preliminar de
incompetência territorial, sendo certo que, caso tal fato não ocorra, ainda
assim o juiz poderá decretá-la de ofício.

27 - Q22838( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Julgue os itens a seguir.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 61 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Competem aos tribunais do trabalho processar e julgar os dissídios coletivos
apenas quando os trabalhadores estiverem em greve.

28 - Q22837( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar as ações relativas às
penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de
fiscalização das relações de trabalho, exceto quando se tratar de mandado
de segurança.

29 - Q22835( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar as ações oriundas da
relação de trabalho, salvo quando essas envolverem, como parte, a
administração pública, seja federal, estadual, distrital ou municipal.

30 - Q22833( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
As varas do trabalho podem funcionar em caráter itinerante, situação em
que podem ultrapassar os limites territoriais da respectiva jurisdição.

31 - Q19491( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Competência; )
Considerando a jurisdição, a competência
09032041690

e a composição das
varas do trabalho e dos tribunais regionais do trabalho (TRTs),
julgue os itens seguintes.
As varas do trabalho são competentes para julgar dissídio coletivo de
trabalho em que se busca reajuste salarial.

32 - Q19490( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Competência; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 62 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Em todos os TRTs existentes no país, compete ao tribunal pleno o julgamento
dos dissídios coletivos.

33 - Q19417( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Inexiste possibilidade de juízes de direito atuarem na área trabalhista,
considerando-se ser a justiça do trabalho especializada.

34 - Q19414( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
Considerando a organização e a competência da justiça do
trabalho, julgue os itens de 86 a 89.
Os dissídios oriundos das relações entre empregados e empregadores, bem
como entre trabalhadores avulsos e seus tomadores de serviços, em
atividades reguladas na legislação social, são dirimidos pela justiça do
trabalho, de acordo com o disposto em título específico da CLT e na forma
estabelecida pelo processo judiciário do trabalho.

35 - Q17928( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes. 09032041690

A incompetência em razão da matéria é de natureza absoluta e, em assim


sendo, deve ser declarada de ofício pelo juiz, independentemente de
provocação das partes do processo.

36 - Q17927( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Competência; )
A respeito da organização e da competência da justiça do
trabalho, julgue os itens seguintes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 63 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
A justiça do trabalho tem competência para processar e julgar as ações
acerca de representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e
trabalhadores e entre sindicatos e empregadores.

37 - Q17604( Prova: CESPE - 2009 - Prefeitura de Ipojuca - PE - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
A respeito das regras gerais no âmbito do direito processual do
trabalho, considerando o entendimento do TST, julgue os itens a
seguir.
Cabe à justiça comum julgar e processar conflitos entre os servidores
temporários e a administração pública, no caso de contratação temporária
prevista em regime especial e lei própria.

38 - Q17603( Prova: CESPE - 2009 - Prefeitura de Ipojuca - PE - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
A justiça do trabalho é competente para julgar ação de cobrança de
honorários movida por advogado contra cliente em decorrência de
reclamação trabalhista.

39 - Q13319( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
Haverá conflito de competência quando houver discordância de
entendimento entre o TRT e a vara do trabalho a ele vinculada, caso em que
caberá ao próprio TRT dirimir o referido conflito.
09032041690

40 - Q13321( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Competência; )
A competência das varas do trabalho é definida pela localidade em que o
empregado é contratado para prestar serviços ao empregador.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 64 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

4.

1 – certo 2 – errado 3 – errado 4 – errado 5 – errado


6 – errado 7 – certo 8 – errado 9 – errado 10 – errado
11. errado 12. certo 13. certo 14. certo 15. certo
16. certo 17. certo 18. certo 19. errado 20. certo
21. errado 22. certo 23. errado 24. certo 25. errado
26. errado 27. errado 28. errado 29. errado 30. errado
31. errado 32. errado 33. errado 34. certo 35-certo
36-certo 37-certo 38-errado 39-errado 40-errado

DO PROCESSO JUDICIÁRIO DO TRABALHO: PRINCÍPIOS


GERAIS DO PROCESSO TRABALHISTA (APLICAÇÃO
SUBSIDIÁRIA DO CPC). DOS ATOS, TERMOS E PRAZOS
PROCESSUAIS. DA DISTRIBUIÇÃO. DAS CUSTAS E
EMOLUMENTOS.

2. QUESTÕES COMENTADAS: 09032041690

TEORIA GERAL DO PROCESSO DO TRABALHO

1 - Q99369 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do
Processo do Trabalho; )
Com relação aos princípios inerentes ao processo do trabalho,
julgue os itens subseqüentes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 65 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
O processo civil é fonte subsidiária do processo do trabalho, sendo que, nas
execuções trabalhistas, havendo omissão na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), deve o intérprete, preferencialmente, buscar a regra de
regência aplicável às execuções fiscais.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A regra no processo do trabalho


acerca da aplicação subsidiária de outras normas é muito simples, mas há
um detalhe que merece observação atenta: geralmente, no dia-a-dia
forense, aplicamos o CPC quando não há norma prevista na CLT e inexiste
incompatibilidade entre os sistemas. Contudo, para provas de concursos, a
regra de aplicação subsidiária do CPC passa necessariamente pela anterior
tentativa de aplicação da lei de execução fiscal, qual seja, L. 6830/80.
Somente se a aludida lei também for omissa, será aplicado o Código de
Processo Civil e as demais normas que regem aquele ramo do direito
processual.

2 - Q99370 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do
Processo do Trabalho; )
De acordo com o princípio da oralidade, os atos processuais prescindem de
forma ou transcrição escrita do inteiro teor ou do respectivo resumo e são
sempre realizados em audiência perante o juiz do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Cuidado com o português nessa


09032041690

questão: prescinde significa dizer dispensa! Os atos processuais possuem


forma e quando não for escrita, ou seja, quando puder a forma ser oral,
haverá a transcrição do ato, ou seja, a sua redução a termo. A defesa é um
típico ato oral (pelo menos para concursos), conforme previsão inserta no
art. 847 da CLT, pois realizada na audiência no prazo máximo de 20
minutos. O reclamado “ditar” a sua defesa, que será reduzida a termo, ou
seja, posta no papel, na ata de audiência. Da mesma forma ocorre com a
reclamação trabalhista verbal, prevista no art. 840 da CLT, que será
reduzida a termo pelo servidor da Justiça do Trabalho (você, em um futuro

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 66 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
próximo!!!). Percebam que não há a dispensa da transcrição escrita, como
afirmado.

3 - Q101760 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do Processo do
Trabalho; )
Com relação aos princípios gerais que informam o processo
trabalhista, julgue os itens seguintes.
O princípio da isonomia impõe ao magistrado o dever de assegurar aos
litigantes idêntico tratamento, durante a instrução do processo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A imposição acerca do tratamento


isonômico às partes durante o processo consta no art. 125 do CPC, que
trata dos deveres das partes. Além disso, quando o Magistrado garante tal
tratamento na fase instrutória do processo, ou seja, durante a produção
das provas, está a manter a ampla defesa, que é a paridade de armas entre
as partes. Conforme previsto contida no CPC:

“Art. 125. O juiz dirigirá o processo conforme as disposições


deste Código, competindo-lhe:

I - assegurar às partes igualdade de tratamento”.

Também o art. 5º, LV da CF/88, que prever o contraditório e a ampla


defesa, se aplica ao caso versado pelo CESPE/Unb:
09032041690

“aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos


acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla
defesa, com os meios e recursos a ela inerentes”.

4 - Q101761 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do Processo do
Trabalho; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 67 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Como expressão do postulado ético-jurídico da motivação das decisões, o
juiz do trabalho está obrigado a expor, no julgamento, as razões
determinantes para a formação de seu convencimento.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A necessidade de fundamentação


das decisões encontra amparo na CF/88, na CLT e no CPC, razão pela qual
não há “escapatória” para o Juiz, que deve motivar, fundamentar a sua
decisão. Nos termos dos artigos 93, IX da CF, art. 832 da CLT e 458 do
CPC, respectivamente, temos:

“todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciário serão


públicos, e fundamentadas todas as decisões, sob pena de
nulidade, podendo a lei limitar a presença, em determinados atos,
às próprias partes e a seus advogados, ou somente a estes, em
casos nos quais a preservação do direito à intimidade do
interessado no sigilo não prejudique o interesse público à
informação”.

“Da decisão deverão constar o nome das partes, o resumo do


pedido e da defesa, a apreciação das provas, os fundamentos da
decisão e a respectiva conclusão”

“Art. 458. São requisitos essenciais da sentença: II - os


fundamentos, em que o juiz analisará as questões de fato e de
direito”
09032041690

5 – Q33032 ( Prova: CESPE – 2009 – AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Teoria Geral do Processo do Trabalho; )
Acerca do Direito Processual do Trabalho, julgue os próximos
itens.
Em atenção ao princípio do duplo grau de jurisdição, que possibilita o
reexame da sentença definitiva por órgão de jurisdição não-prolator da
decisão, via de regra, de hierarquia superior, cabe a remessa oficial caso a

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 68 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
fazenda pública seja condenada a pagar, por exemplo, R$ 15.000,00 em
uma ação trabalhista.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Sobre a remessa necessária, ou duplo


grau de jurisdição obrigatório, é indispensável a leitura da Súmula nº 303 do TST,
que responde ao questionamento do CESPE/Unb, demonstrando o erro.

SUM-303 FAZENDA PÚBLICA. DUPLO GRAU DE JURISDIÇÃO


(incorporadas as Orientações Jurisprudenciais nºs 9, 71, 72
e 73 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e 25.04.2005
I - Em dissídio individual, está sujeita ao duplo grau de jurisdição,
mesmo na vigência da CF/1988, decisão contrária à Fazenda
Pública, salvo:
a) quando a condenação não ultrapassar o valor
correspondente a 60 (sessenta) salários mínimos;
b) quando a decisão estiver em consonância com decisão plenária
do Supremo Tribunal Federal ou com súmula ou orientação
jurisprudencial do Tribunal Superior do Trabalho. (ex-Súmula nº
303 - alterada pela Res. 121/2003, DJ 21.11.2003)
II - Em ação rescisória, a decisão proferida pelo juízo de primeiro
grau está sujeita ao duplo grau de jurisdição obrigatório quando
desfavorável ao ente público, exceto nas hipóteses das alíneas "a"
e "b" do inciso anterior. (ex-OJ nº 71 da SBDI-1 - inserida em
03.06.1996)
III - Em mandado de segurança, somente cabe remessa "ex
09032041690

officio" se, na relação processual, figurar pessoa jurídica de direito


público como parte prejudicada pela concessão da ordem. Tal
situação não ocorre na hipótese de figurar no feito como
impetrante e terceiro interessado pessoa de direito privado,
ressalvada a hipótese de matéria administrativa”.

Haverá a dispensa da remessa necessária se a condenação for inferior a 60


(sessenta) salários míninos, o que ocorre no caso em tela. Atualmente o
salário mínimo é de R$678,00 (ano de 2013), sendo que 60 salários

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 69 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
mínimos somam mais de R$40.000,00. Em 2009, época do concurso em
que foi cobrada a questão, o valor do salário mínimo era R$465,00, ou seja,
60 salário mínimo equivalia a R$27.900,00. A condenação imposta de
R$15.000,00 dispensava, portanto, a remessa necessária (duplo grau
obrigatório, recurso de ofício, dentre outras denominações).
Para visualizar os valores dos salários mínimos desde 0 ano de 2000, vide
tabela abaixo:

TABELA DOS VALORES NOMINAIS DO SALÁRIO MÍNIMO

VIGÊNCIA VALOR MENSAL VALOR DIÁRIO VALOR HORA


01.01.2013 R$ 678,00 R$ 22,60 R$ 3,08
01.01.2012 R$ 622,00 R$ 20,73 R$ 2,83
01.03.2011 R$ 545,00 R$ 18,17 R$ 2,48
01.01.2011 R$ 540,00 R$ 18,00 R$ 2,45
01.01.2010 R$ 510,00 R$ 17,00 R$ 2,32
01.02.2009 R$ 465,00 R$ 15,50 R$ 2,11
01.03.2008 R$ 415,00 R$ 13,83 R$ 1,89
01.04.2007 R$ 380,00 R$ 12,67 R$ 1,73
01.04.2006 R$ 350,00 R$ 11,67 R$ 1,59
01.05.2005 R$ 300,00 R$ 10,00 R$ 1,36
01.05.2004 R$ 260,00 R$ 8,67 R$ 1,18
01.04.2003 R$ 240,00 R$ 8,00 R$ 1,09
01.04.2002 R$ 200,00 R$ 6,67 R$ 0,91
01.04.2001 R$ 180,00 R$ 6,00 R$ 0,82
09032041690

03.04.2000 R$ 151,00 R$ 5,03 R$ 0,69

6 - Q33031 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Teoria Geral do Processo do Trabalho; )
O princípio do dispositivo confere ao juiz a prerrogativa de procurar e reunir
o material do processo, devendo o magistrado observar sempre o respeito à
igualdade das partes perante a lei. A inspeção judicial constitui uma das
formas de observância de tal princípio.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 70 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Muito pelo contrário. O princípio
dispositivo é também denominado de “princípio da inércia”, previsto nos
artigos 2º e 262 do CPC, que diz que o Juiz encontra-se limitado a atuar
apenas quando a parte requerer, não podendo agir, regra geral, de ofício
ou sem provocação. Na verdade, o princípio a que faz referência o CESPE,
quando diz que o Magistrado reunirá o material do processo, realizando
inspeção judicial na busca pelas provas, é o inquisitivo, que trata da
atuação ex officio do Magistrado.

7 - Q33030 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Teoria Geral do Processo do Trabalho; )
Os princípios do Direito Processual do Trabalho funcionam como orientadores
das partes, que devem apresentar fatos e postular a solução, e do juiz, o
qual deve interpretar os fatos que lhe são apresentados e, aplicando a lei
aos casos concretos, solucionar a lide. Tais princípios inspiram preceitos
legais, orientam os intérpretes e sanam as omissões legais.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Os princípios possuem triplica função


no direito processual do trabalho:

 Orientação: os princípios do direito processual do trabalho servem


para orientar o legislador na criação de novas normas e alteração das
á existentes, para que aquelas se adéqüem às necessidade sociais.
09032041690

Impossível pensar em uma lei que venha a ferir o princípio da


celeridade processual ou da isonomia no âmbito processual.

 Interpretação: quando já criada a norma, podem surgir dúvidas


acerca da melhor interpretação a ser dada ao preceito legal. Na
dúvida, a interpretação a ser dada deve seguir os parâmetros criados
pelos princípios. Na dúvida, interpreta-se de acordo com o princípio
da proteção do trabalhador, da oralidade, da irrecorribilidade das
decisões interlocutórias, dentre outros.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 71 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

 Integração: por fim, nos termos do art. 4º da LINDB (antiga Lei de


Introdução ao Código Civil – LICC, atualmente Lei de Introdução às
Normas do Direito Brasileiro), bem como do art. 126 do CPC, havendo
omissão legislativa, ou seja, lacuna, deve a mesma ser superada por
meio da aplicação dos princípios. Não sendo possível a analogia,
aplicam-se os princípios para possibilitar ao Juiz o deslinde da
controvérsia, mesmo que não haja lei acerca da matéria.

Por todo o exposto, está totalmente correta a afirmação do CESPE/Unb.

8 - Q22841 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do Processo
do Trabalho; )
Julgue os itens a seguir.
No processo do trabalho, apenas se admite a reclamação trabalhista oral,
dado o princípio da oralidade.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos do art. 840 da CLT, é


possível tanto a reclamação escrita, quanto a oral. Cuidado com as
questões do CESPE/Unb que tragam “apenas”, “somente”, bem como
outras que demonstrem exclusão, exceção, etc. É o caso da questão em
estudo. Conforme redação da CLT:
09032041690

Art. 840 - A reclamação poderá ser escrita ou verbal.


§ 1º - Sendo escrita, a reclamação deverá conter a designação do
Presidente da Junta, ou do juiz de direito a quem for dirigida, a
qualificação do reclamante e do reclamado, uma breve exposição
dos fatos de que resulte o dissídio, o pedido, a data e a assinatura
do reclamante ou de seu representante.
§ 2º - Se verbal, a reclamação será reduzida a termo, em 2 (duas)
vias datadas e assinadas pelo escrivão ou secretário, observado,
no que couber, o disposto no parágrafo anterior.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 72 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

9 - Q13307 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do
Processo do Trabalho; )
Acerca dos princípios gerais do processo trabalhista, bem como
dos prazos da execução, dos recursos e da decadência nesse
âmbito, julgue os itens que se seguem.
Os créditos resultantes das relações de trabalho decaem após passados dois
anos do fim do contrato de trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A questão foi considerada errada pelo


CESPE/Unb, pois afirma que os créditos “decaem” e não “prescrevem” após
passados dois anos do fim do contrato de trabalho. Não se trata de prazo de
prescrição, segundo informação contida no art. 7º, XXIX da CF/88, apesar daquele
ser reconhecido de ofício pelo Magistrado. Como estamos em um concurso de
analista judiciário, as informações geralmente levam em consideração a “letra da
lei seca”, sem qualquer interpretação, como no caso em estudo. Conforme
previsão constitucional, é direito dos trabalhadores, dentre outros:

“ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho,


com prazo prescricional de cinco anos para os trabalhadores
urbanos e rurais, até o limite de dois anos após a extinção do
contrato de trabalho”.

10 - Q13303 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


09032041690

Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do


Processo do Trabalho; )
A posição majoritária da doutrina é de que, por ser aplicável
subsidiariamente o Código de Processo Civil, nos casos em que a CLT nada
dispuser, nem houver incompatibilidade, os entes públicos devam ser
notificados pessoalmente da ação por meio de oficial de justiça, e não por
correio.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 73 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Não há omissão na CLT sobre a
forma de notificação dos entes públicos. Tais entes serão notificados pelos
correios, na forma prevista genericamente pelo art. 841 da CLT. A
intimação por oficial de justiça somente é feita no processo de execução,
conforme art. 880 da CLT. Em relação ao prazo,aplica-se o DL nº 779/69,
que diz ser em quádruplo o prazo para tais entes, o que resulta em dizer
que entre o recebimento da notificação e a realização da audiência deve
haver prazo mínimo de 20 dias.

ATOS, TERMOS E PRAZOS PROCESSUAIS

11 - Q152948 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
A homologação de acordo é uma faculdade do juiz.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Correto. Nos termos da Súmula nº 418 do


TST, o Juiz não é obrigado a homologar acordo, pois pode verificar que o mesmo
traz prejuízo manifesto ao empregado. Nessa hipótese, rejeitará a homologação
do acordo e continuará na realização dos atos processuais, julgando a lide.
Conforme entendimento do TST, na súmula referida:

A concessão de liminar ou a homologação de acordo constituem


09032041690

faculdade do juiz, inexistindo direito líquido e certo tutelável pela


via do mandado de segurança.

Assim, nos termos da Súmula, não cabe mandado de segurança contra o


ato de indeferimento de homologação, pois não há violação à direito líquido
e certo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 74 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
12 - Q100262 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista
Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho / Atos,
Termos e Prazos; )
Em reclamação trabalhista, a notificação encaminhada
ao reclamado foi devolvida sob a indicação de destinatário
desconhecido no endereço, embora este constasse da CTPS do
reclamante como o endereço do seu empregador. Na audiência
inaugural, o reclamante, alegando que o endereço estava correto
e que seu anterior empregador usara subterfúgios impróprios,
solicitou ao juiz que determinasse a citação e intimação do
reclamado por oficial de justiça, o que ocorreu, com designação
de nova audiência. O oficial de justiça, cumprindo o mandado
judicial, verificou que o endereço era efetivamente do reclamado,
mas que este não se encontrava no local quando das diligências,
conforme informações dadas por empregado atual do reclamado,
que estava no local constante da petição inicial e da notificação
originalmente expedida.

Considerando essa situação, julgue os itens que se seguem.


A intimação por oficial de justiça era desnecessária, porque a notificação
dirigida ao endereço do empregador, constante da CTPS do empregado,
pressupunha ser válida, motivo pelo qual o juiz deveria ter considerado a
revelia e confissão da parte ausente à audiência, sem necessidade de
determinar a verificação do ato pelo oficial de justiça.

09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O Juiz agiu corretamente ao não


considerar válida a primeira notificação, pois realmente não foi realizado o
ato, já que a notificação postal foi devolvida. Seria válida se tivesse sido
entregue a alguém no endereço do reclamado, pois a notificação trabalhista
não precisa ser pessoal, como aquela prevista no CPC. Como não houve a
referida entrega, não se poderia considerar revel o reclamado sem antes
buscar a realização de novo notificação. Apesar do art. 841, §1º da CLT
prever a notificação por edital, quando não for possível a sua realização

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 75 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
postal, considerou o CESPE que o Magistrado agiu com prudência ou
determinar fosse aquele realizada pelo Oficial de Justiça.

13 - Q100263 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho / Atos,
Termos e Prazos; Audiências; Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
O oficial de justiça deveria devolver o mandado sem cumprimento, já que a
diligência deveria encerrar-se com a citação e intimação do próprio
reclamado para a audiência inaugural, assim cabendo certificar, apenas, que
este não se encontrava presente para receber a contra-fé da petição inicial,
no endereço indicado pelo reclamante.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Trata-se de questão continuação da


anterior. Assim, o Oficial de Justiça, ao chegar à empresa reclamada a encontrar
um empregado, deveria ter notificação o reclamado com a entrega da contrafé ao
mencionado empregado, pois como já dito, diferentemente do processo civil, no
processo do trabalho dispensa-se a realização de notificação pessoal, sendo válida
com a entrega no local indiciado na petição inicial.

14 - Q19493 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Acerca da distribuição, julgue os itens que se seguem.
A distribuição das reclamações deve ser feita entre as varas do trabalho ou
os juízes de direito do cível, quando investidos na administração da justiça
09032041690

do trabalho, pela ordem rigorosa de sua apresentação ao distribuidor,


quando o houver.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A resposta ao questionamento


encontra-se, em primeiro lugar, no importantíssimo art. 112 da CF/88,
que diz ser possível atribuir a jurisdição trabalhista aos Juízos de Direito,
quando não houver Vara do Trabalho na localidade, bem como no artigo
783 da CLT, que trata dos distribuidores, nos seguintes termos:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 76 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“Art. 783 - A distribuição das reclamações será feita entre as
Juntas de Conciliação e Julgamento, ou os Juízes de Direito do
Cível, nos casos previstos no art. 669, § 1º, pela ordem rigorosa
de sua apresentação ao distribuidor, quando o houver”.

Havendo mais de uma Vara do Trabalho ou Juízo de Direito com


competência para a demanda trabalhista, será realizada a distribuição,
conforme a apresentação cronológica das ações, de forma a manter uma
distribuição igualitária.

15 - Q19489 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
A respeito dos atos, termos e prazos processuais, julgue os itens
a seguir.
Recebida e protocolada reclamação em que integre o polo passivo a União,
o escrivão ou o secretário, dentro de 48 horas, deverá remeter a segunda
via da petição ou do termo ao reclamado, notificando-o ao mesmo tempo
para comparecer à audiência do julgamento, que vai ser a primeira
desimpedida depois de vinte dias.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Cuidado pois temos que


conjugar dois pontos da matéria nessa questão. Em primeiro lugar, o art.
841 da CLT, assim redigido:
09032041690

“Recebida e protocolada a reclamação, o escrivão ou secretário,


dentro de 48 (quarenta e oito) horas, remeterá a segunda via da
petição, ou do termo, ao reclamado, notificando-o ao mesmo
tempo, para comparecer à audiência do julgamento, que será a
primeira desimpedida, depois de 5 (cinco) dias”.

Como a União é reclamada na demanda, aplica-se também o Decreto-Lei


nº 779/69, que prevê prazos em quádruplo para apresentação de defesa e

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 77 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
em dobro para os recursos, da mesma forma como previsto no art. 188 do
CPC. Nos termos do Decreto-Lei:

Art. 1º Nos processos perante a Justiça do Trabalho,


constituem privilégio da União, dos Estados, do Distrito
Federal, dos Municípios e das autarquias ou fundações de
direito público federais, estaduais ou municipais que não
explorem atividade econômica:
I - a presunção relativa de validade dos recibos de quitação ou
pedidos de demissão de seus empregados ainda que não
homologados nem submetidos à assistência mencionada
nos parágrafos 1º, 2º e 3º do artigo 477 da Consolidação das Leis
do Trabalho;
II - o quádruplo do prazo fixado no artigo 841, "in fine", da
Consolidação das Leis do Trabalho;
III - o prazo em dôbro para recurso;
IV - a dispensa de depósito para interposição de recurso;
V - o recurso ordinário "ex officio" das decisões que lhe sejam total
ou parcialmente contrárias;
VI - o pagamento de custas a final salva quanto à União Federal,
que não as pagará.
Art. 2º O disposto no artigo anterior aplica-se aos processos em
curso mas não acarretará a restituição de depósitos ou custas
pagas para efeito de recurso até decisão passada em julgado.
Art. 3º Êste Decreto-lei entra em vigor na data de sua publicação,
09032041690

revogadas as disposições em contrário.

Assim, deve-se aplicar o art. 841 da CLT, apenas atentando para o seu
prazo final, que passa a ser de 20 dias (4 x 5 dias), o que significa dizer
que, entre o recebimento da notificação pela União e a realização da
audiência, é necessário um interregno de 20 dias (corridos e não úteis),
tempo hábil para a preparação da defesa que será apresentada em
audiência.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 78 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
16 - Q19487 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista
Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Considerando que os prazos estabelecidos no título de atos, termos e prazos
processuais contam-se com exclusão do dia do começo e inclusão do dia do
vencimento e são contínuos e irreleváveis, somente podendo ser
prorrogados pelo tempo estritamente necessário pelo juiz ou tribunal ou em
virtude de força maior devidamente comprovada, é certo que o recesso
forense e as férias coletivas dos ministros não suspendem os prazos
recursais.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A primeira parte da afirmativa


encontra-se em consonância com o art. 775 da CLT, assim redigido:

“Os prazos estabelecidos neste Título contam-se com exclusão do


dia do começo e inclusão do dia do vencimento, e são contínuos e
irreleváveis, podendo, entretanto, ser prorrogados pelo tempo
estritamente necessário pelo juiz ou tribunal, ou em virtude de
força maior, devidamente comprovada.
Parágrafo único - Os prazos que se vencerem em sábado, domingo
ou dia feriado, terminarão no primeiro dia útil seguinte”.

Sobre o recesso forense e as férias coletivas dos Ministros, aplica-se o inciso


II da Súmula nº 262 do TST, que prevê a suspensão dos prazos, que voltam
a ser contados de onde pararam quando do retorno das atividades.
09032041690

Vejamos:

“SUM-262 PRAZO JUDICIAL. NOTIFICAÇÃO OU INTIMAÇÃO


EM SÁBADO. RECESSO FORENSE (incorporada a Orientação
Jurisprudencial nº 209 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20,
22 e 25.04.2005
I - Intimada ou notificada a parte no sábado, o início do prazo se
dará no primeiro dia útil imediato e a contagem, no subseqüente.
(ex-Súmula nº 262 - Res. 10/1986, DJ 31.10.1986)

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 79 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
II - O recesso forense e as férias coletivas dos Ministros do
Tribunal Superior do Trabalho (art. 177, § 1º, do RITST)
suspendem os prazos recursais”.

17 - Q19488 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Presume-se recebida a notificação 72 horas depois de sua postagem. O não
recebimento ou a entrega após o decurso desse prazo constitui ônus de
prova do destinatário.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Trata-se de um dos pontos mais


importantes e fáceis sobre notificação no processo do trabalho. A resposta
encontra-se na Súmula nº 16 do TST, que será por vocês memorizada,
uma vez que presume o recebimento da notificação no prazo de 48 horas
após a sua postagem (e não 72h, como afirmado). Nos termos do
entendimento sumulado:

“Presume-se recebida a notificação 48 (quarenta e oito) horas


depois de sua postagem. O seu não-recebimento ou a entrega após
o decurso desse prazo constitui ônus de prova do destinatário”.

18 - Q19486 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
09032041690

Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )


Segundo entendimento do TST, tendo sido intimada ou notificada a parte no
sábado, o início do prazo se dará no primeiro dia útil imediato e a contagem,
no subsequente.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmativa está correta, de acordo


com o entendimento do TST cristalizado na Súmula nº 262 do TST. Se a
parte for intimada no sábado, presumir-se-á que foi intimada no primeiro
dia útil seguinte (segunda-feira, por exemplo), excluindo-se esse e

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 80 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
iniciando-se a contagem no subseqüente (terça-feira, no nosso exemplo).
Assim, cuidado por não se tem o início do prazo na segunda, e sim, na
terça, pois presumo a notificação na segunda, excluindo-se esse dia (por
ser o dia da notificação. Nos termos do entendimento do TST:

“SUM-262 PRAZO JUDICIAL. NOTIFICAÇÃO OU INTIMAÇÃO


EM SÁBADO. RECESSO FORENSE (incorporada a Orientação
Jurisprudencial nº 209 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20,
22 e 25.04.2005
I - Intimada ou notificada a parte no sábado, o início do
prazo se dará no primeiro dia útil imediato e a contagem,
no subseqüente. (ex-Súmula nº 262 - Res. 10/1986, DJ
31.10.1986)
II - O recesso forense e as férias coletivas dos Ministros do Tribunal
Superior do Trabalho (art. 177, § 1º, do RITST) suspendem os
prazos recursais”.

19 - Q19485 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
É possível que a penhora se realize em domingo ou dia feriado.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está correta, apesar de


ligeiramente incompleta. O CESPE/Unb considerou correta a assertiva no ultima
Concurso do TRT/ES, apesar do parágrafo único do art. 770 da CLT trazer algo a
09032041690

mais. Vejamos:

“Art. 770 - Os atos processuais serão públicos salvo quando o


contrário determinar o interesse social, e realizar-se-ão nos dias
úteis das 6 (seis) às 20 (vinte) horas.
Parágrafo único - A penhora poderá realizar-se em domingo
ou dia feriado, mediante autorização expressa do juiz ou
presidente”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 81 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Para que a penhora seja realizada aos domingos e feriados, é necessária a
autorização expressa do Magistrado. Apesar de tal informação não constar
da assertiva do CESPE/Unb, foi considerada correta, por ser genérica.
Assim, aconselha-se seguir a mesma idéia caso a questão seja repetida.
Apesar de incompleta, está correta.

20 - Q19484 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Os atos processuais serão públicos, salvo quando o contrário determinar o
interesse social, e devem ser realizados nos dias úteis, nunca antes das oito
horas, sendo possível sua extensão até as vinte horas.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação do CESPE/Unb contraria o


art. 770 da CLT, que ser serem os atos processuais realizados das 6h às 20h, nos
seguintes termos:

“Os atos processuais serão públicos salvo quando o contrário


determinar o interesse social, e realizar-se-ão nos dias úteis das 6
(seis) às 20 (vinte) horas”

21 - Q5003 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
09032041690

Se a parte for intimada para a audiência de julgamento, ainda que ausente


será considerada intimada da sentença nela proferida, exceto quando
também houver posterior publicação ou notificação direta quanto ao
resultado do julgamento, iniciando-se, a partir desse último ato, o prazo para
recurso.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação está em


desconformidade com a Súmula nº 197 do TST, que diz que o prazo recursal
será iniciado com a publicação da sentença, que ocorre na mesma audiência

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 82 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
em que é proferida. Se a parte, apesar de intimação para comparecer, não
estiver presente, o prazo recursal já terá início no primeiro dia útil seguinte
à audiência, não havendo necessidade de intimação direta da parte. Ao ser
intimada para a audiência de julgamento, já sabia que, sendo nela proferida
a sentença, já seria publicada e intimadas as partes. Conforme
entendimento do TST:

“O prazo para recurso da parte que, intimada, não comparecer à


audiência em prosseguimento para a prolação da sentença conta-
se de sua publicação”.

CUSTAS E EMOLUMENTOS

22 - Q152946 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
As empresas públicas são isentas do pagamento de custas na justiça do
trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A isenção do pagamento de custas na


Justiça do Trabalho encontra-se prevista no art. 790-A da CLT, não alcançando as
empresas públicas, uma vez que essas possuem personalidade jurídica de direito
privado. Nos termos do dispositivo legal:
09032041690

“Art. 790-A. São isentos do pagamento de custas, além dos


beneficiários de justiça gratuita:
I – a União, os Estados, o Distrito Federal, os Municípios e
respectivas autarquias e fundações públicas federais, estaduais ou
municipais que não explorem atividade econômica;
II – o Ministério Público do Trabalho.
Parágrafo único. A isenção prevista neste artigo não alcança as
entidades fiscalizadoras do exercício profissional, nem exime as

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 83 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
pessoas jurídicas referidas no inciso I da obrigação de reembolsar
as despesas judiciais realizadas pela parte vencedora”.

23 - Q199143 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
Julgue os próximos itens, referentes a custas e emolumentos.
De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho, são isentos do
pagamento de custas a União, os estados, o Distrito Federal, os municípios
e respectivas autarquias, fundações públicas e empresas públicas.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmativa, novamente sobre


isenção das custas, encontra-se em dissonância com o art. 790-A da CLT,
acima transcrito, sendo novamente afirmativa, equivocadamente, que as
empresas públicas possuem isenção, o que não é verdade. Não estão
contempladas nas isenções legais, por possuírem natureza jurídica de
direito privado. Transcrevemos novamente o dispositivo legal, para que
seja memorizado para as provas:

“Art. 790-A. São isentos do pagamento de custas, além dos


beneficiários de justiça gratuita:
I – a União, os Estados, o Distrito Federal, os Municípios e
respectivas autarquias e fundações públicas federais, estaduais ou
municipais que não explorem atividade econômica;
II – o Ministério Público do Trabalho.
09032041690

Parágrafo único. A isenção prevista neste artigo não alcança as


entidades fiscalizadoras do exercício profissional, nem exime as
pessoas jurídicas referidas no inciso I da obrigação de reembolsar
as despesas judiciais realizadas pela parte vencedora”.

24 - Q199144 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
No caso de procedência de pedido formulado em ação constitutiva, as custas
relativas ao processo de conhecimento incidirão à base de 2% sobre o valor

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 84 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
da causa e serão pagas pelo vencido, após o trânsito em julgado da decisão,
salvo se houver recurso, situação em que as custas deverão ser pagas com
a devida comprovação do recolhimento dentro do prazo recursal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação do CESPE/Unb, em concurso


de 2011, está em conformidade com o art. 789, III da CLT, que diz que as custas
serão calculadas em 2% sobre o valor da causa nas ações constitutivas. Além
disso, o §1º do mesmo artigo diz que as custas serão pagas ao final, com o
trânsito em julgado, mas se houver interposição de recurso, aquelas
serão depositadas no prazo recursal, por serem consideradas parte do
preparo recursal, juntamente com o depósito recursal. Nos termos dos
dispositivos legais:

Art. 789. Nos dissídios individuais e nos dissídios coletivos do


trabalho, nas ações e procedimentos de competência da Justiça do
Trabalho, bem como nas demandas propostas perante a Justiça
Estadual, no exercício da jurisdição trabalhista, as custas relativas
ao processo de conhecimento incidirão à base de 2% (dois por
cento), observado o mínimo de R$ 10,64 (dez reais e sessenta e
quatro centavos) e serão calculadas:
I – quando houver acordo ou condenação, sobre o respectivo
valor;
II – quando houver extinção do processo, sem julgamento do
mérito, ou julgado totalmente improcedente o pedido, sobre o
valor da causa; 09032041690

III – no caso de procedência do pedido formulado em ação


declaratória e em ação constitutiva, sobre o valor da causa;
IV – quando o valor for indeterminado, sobre o que o juiz fixar.
§ 1o As custas serão pagas pelo vencido, após o trânsito em
julgado da decisão. No caso de recurso, as custas serão
pagas e comprovado o recolhimento dentro do prazo
recursal.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 85 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
25 - Q98548 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /
Direito Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
Ex-empregado, carente de recursos econômicos, pretende
ingressar com reclamação trabalhista na justiça do trabalho para
exigir de seu ex-empregador o pagamento do adicional de
periculosidade. Considerando essa situação, julgue os próximos
itens.
O benefício da justiça gratuita pode ser concedido em qualquer instância, a
requerimento ou de ofício, àqueles que perceberem salário igual ou inferior
ao dobro do mínimo legal, ou declararem, sob as penas da lei, que não estão
em condições de pagar as custas do processo sem prejuízo do sustento
próprio ou de sua família.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. A informação está de acordo com


o art. 790, §3º da CLT, que trata do benefício da justiça gratuita, que pode ser
concedida inclusive de ofício, ou seja, pelo próprio Juiz, sem qualquer
requerimento, em qualquer instância. Nos termos do dispositivo legal, temos:

“É facultado aos juízes, órgãos julgadores e presidentes dos


tribunais do trabalho de qualquer instância conceder, a
requerimento ou de ofício, o benefício da justiça gratuita, inclusive
quanto a traslados e instrumentos, àqueles que perceberem
salário igual ou inferior ao dobro do mínimo legal, ou declararem,
sob as penas da lei, que não estão em condições de pagar as custas
do processo sem prejuízo do sustento próprio ou de sua família”.
09032041690

26 - Q92377 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 86 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Durante a execução, aviando a reclamada embargo à execução, deverá ela
pagar a quantia de R$ 44,26 de custas ao final da execução.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Trata-se de questão “decoreba”, que


infelizmente muitas vezes é utilizada pelo CESPE/Unb, em que não há o que
entender, e sim, apenas reproduzir o que está descrito na lei. O art. 789-A, V trata
do valor das custas para os embargos à execução, que serão pagos ao final da
execução, no valor de R$44,26. Vejamos:

Art. 789-A. No processo de execução são devidas custas, sempre


de responsabilidade do executado e pagas ao final, de
conformidade com a seguinte tabela:
V – embargos à execução, embargos de terceiro e embargos à
arrematação: R$ 44,26 (quarenta e quatro reais e vinte e seis
centavos)”.

27 - Q52410 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
A respeito das custas e emolumentos, bem como das partes e procuradores,
julgue os seguintes itens.
Na justiça do trabalho, não são cobradas custas processuais.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Não são cobradas custas prévias,


mas as custas são devidas sim, pelo vencido, ao final, nos termos dos
09032041690

artigos 789 e seguintes da CLT, já transcritos nas questões anteriores. As


custas não podem ser cobradas previamente, saliente-se, pois o §1º do art.
789 da CLT afirma que: “As custas serão pagas pelo vencido, após o
trânsito em julgado da decisão. No caso de recurso, as custas serão pagas
e comprovado o recolhimento dentro do prazo recursal”.

28 - Q52180 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 87 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Os honorários do assistente técnico indicado para acompanhar perícia em
processo do trabalho deverão ser pagos pela parte vencida na demanda.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A contratação de assistente


técnico é uma faculdade da parte, que deverá arcar sempre e integralmente
pelos honorários contratados, independentemente de ser vencedora ou
vencida na demanda, nos termos da Súmula nº 341 do TST:

“A indicação do perito assistente é faculdade da parte, a qual deve


responder pelos respectivos honorários, ainda que vencedora no
objeto da perícia”.

Em relação ao pagamento dos honorários do perito judicial, aplica-se o art.


790-B da CLT, que assim está redigido: “A responsabilidade pelo
pagamento dos honorários periciais é da parte sucumbente na pretensão
objeto da perícia, salvo se beneficiária de justiça gratuita”.

29 - Q19424 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
Julgue os próximos itens, relativos às custas e aos emolumentos
no processo do trabalho.
Nos dissídios coletivos, as partes respondem solidariamente pelo pagamento
das custas, calculadas sobre o valor arbitrado na decisão ou pelo presidente
09032041690

do tribunal.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Cuidado com esse tipo de questão,


pois a redação do CESPE/Unb é praticamente idêntica àquela prevista no
§4º do art. 789 da CLT. Para comparação:

“Nos dissídios coletivos, as partes vencidas responderão


solidariamente pelo pagamento das custas, calculadas sobre o
valor arbitrado na decisão, ou pelo Presidente do Tribunal”

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 88 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

Percebam que o CESPE afirmou que as partes respondem solidariamente,


sendo que são as partes vencidas. Se não fosse isso, a assertiva estaria
perfeita.

30 - Q19425 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
A responsabilidade pelo pagamento dos honorários periciais é da parte
sucumbente na demanda, salvo se beneficiária de justiça gratuita.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Novamente muito cuidado, pois a


alteração feita pelo CESPE é sutil: a responsabilidade pelo pagamento dos
honorários periciais não é da parte sucumbente na demanda, e sim, da
parte sucumbente na pretensão objeto da perícia, ou seja, no pedido
relacionado à perícia, conforme dispõe o art. 790-B da CLT:

“A responsabilidade pelo pagamento dos honorários periciais é da


parte sucumbente na pretensão objeto da perícia, salvo se
beneficiária de justiça gratuita”.

31 - Q18055 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; Custas e emolumentos; )
09032041690

Acerca das custas e dos emolumentos no processo do trabalho,


julgue os itens que se seguem.
Inexiste deserção do recurso pelo recolhimento insuficiente das custas e do
depósito recursal, ainda que a diferença em relação ao quantum devido seja
ínfima, referente a centavos.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A diferença, mesmo que ínfima em


relação ao quantum devido em relação às custas e depósito recursal, segundo o
entendimento do TST, caracteriza a deserção, mesmo que a diferença seja relativa

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 89 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
a centavos, pois cabe a parte calcular e depositar corretamente o valor. Nos
termos da OJ nº 140 da SDI-1 do TST:

“Ocorre deserção do recurso pelo recolhimento insuficiente das


custas e do depósito recursal, ainda que a diferença em relação ao
“quantum” devido seja ínfima, referente a centavos”.

32 - Q18052 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
No caso de inversão do ônus da sucumbência em segundo grau, sem
acréscimo ou atualização do valor das custas e se estas já tiverem sido
devidamente recolhidas, descabe novo pagamento pela parte vencida, ao
recorrer, mas esta deverá, ao final, se sucumbente, ressarcir a quantia.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está exatamente igual à


Orientação Jurisprudencial nº 186 da SDI-1 do TST, assim redigida:

“No caso de inversão do ônus da sucumbência em segundo grau,


sem acréscimo ou atualização do valor das custas e se estas já
foram devidamente recolhidas, descabe um novo pagamento pela
parte vencida, ao recorrer. Deverá ao final, se sucumbente,
ressarcir a quantia”.

Assim, se João, perdedor em primeiro grau, depositou as custas para


09032041690

recorrer e conseguiu a reversão da decisão (reforma da sentença), não


haverá necessidade de pagamento de custas por Maria, parte contrária, se
não houver acréscimo ou atualização do valor, pois as custas já foram uma
vez depositadas. Ao final, se João, que depositou o valor, sagrar-se
vencedor da demanda, caberá à Maria ressarcir-lhe o valor.

DISTRIBUIÇÃO

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 90 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
33 - Q19495 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista
Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Distribuição; )
Acerca da distribuição, julgue os itens que se seguem.
A reclamação verbal deve ser distribuída antes de sua redução a termo.
Distribuída a reclamação verbal, o reclamante deve, salvo motivo de força
maior, apresentar-se no prazo de cinco dias, ao cartório ou à secretaria, para
reduzi-la a termo, sob pena de perempção.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A questão está de acordo com o art.


786 da CLT, que prevê o procedimento de redução à termo da reclamação
trabalhista verbal, bem como a pena de perempção. Assim, devem ser
seguidos os seguintes passos:
1. Distribuição da reclamação verbal a uma das Varas do Trabalho;
2. Comparecimento em 5 dias do reclamante, salvo motivo de força maior, ao
cartório ou secretaria para redução a termo;
O não comparecimento do reclamante imporá a pena de perempção
provisória, por 6 meses, conforme art. 731 da CLT, ou seja, o mesmo ficará
impedido de ajuizar a ação trabalhista por 6 meses.

34 - Q19494 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Distribuição; )
09032041690

Feita a distribuição, a reclamação deve ser remetida pelo distribuidor à vara


ou ao juízo competente, acompanhada do bilhete de distribuição.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmação consta no art. 788 da


CLT, que afirma a necessidade de remessa com o bilhete de distribuição,
nos termos seguintes:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 91 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“Feita a distribuição, a reclamação será remetida pelo distribuidor
à Junta ou Juízo competente, acompanhada do bilhete de
distribuição”

3. LISTA DE QUESTÕES:

TEORIA GERAL DO PROCESSO DO TRABALHO

1 - Q99369 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do
Processo do Trabalho; )
Com relação aos princípios inerentes ao processo do trabalho,
julgue os itens subseqüentes.
O processo civil é fonte subsidiária do processo do trabalho, sendo que, nas
execuções trabalhistas, havendo omissão na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), deve o intérprete, preferencialmente, buscar a regra de
regência aplicável às execuções fiscais.

2 - Q99370 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do
Processo do Trabalho; )
De acordo com o princípio da oralidade, os atos processuais prescindem de
forma ou transcrição escrita do inteiro teor ou do respectivo resumo e são
sempre realizados em audiência perante o juiz do trabalho.
09032041690

3 - Q101760 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do Processo do
Trabalho; )
Com relação aos princípios gerais que informam o processo
trabalhista, julgue os itens seguintes.
O princípio da isonomia impõe ao magistrado o dever de assegurar aos
litigantes idêntico tratamento, durante a instrução do processo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 92 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
4 - Q101761 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área
Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do Processo do
Trabalho; )
Como expressão do postulado ético-jurídico da motivação das decisões, o
juiz do trabalho está obrigado a expor, no julgamento, as razões
determinantes para a formação de seu convencimento.

5 – Q33032 ( Prova: CESPE – 2009 – AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Teoria Geral do Processo do Trabalho; )
Acerca do Direito Processual do Trabalho, julgue os próximos
itens.
Em atenção ao princípio do duplo grau de jurisdição, que possibilita o
reexame da sentença definitiva por órgão de jurisdição não-prolator da
decisão, via de regra, de hierarquia superior, cabe a remessa oficial caso a
fazenda pública seja condenada a pagar, por exemplo, R$ 15.000,00 em
uma ação trabalhista.

6 - Q33031 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Teoria Geral do Processo do Trabalho; )
O princípio do dispositivo confere ao juiz a prerrogativa de procurar e reunir
o material do processo, devendo o magistrado observar sempre o respeito à
igualdade das partes perante a lei. A inspeção judicial constitui uma das
formas de observância de tal princípio.

7 - Q33030 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


09032041690

do Trabalho / Teoria Geral do Processo do Trabalho; )


Os princípios do Direito Processual do Trabalho funcionam como orientadores
das partes, que devem apresentar fatos e postular a solução, e do juiz, o
qual deve interpretar os fatos que lhe são apresentados e, aplicando a lei
aos casos concretos, solucionar a lide. Tais princípios inspiram preceitos
legais, orientam os intérpretes e sanam as omissões legais.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 93 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
8 - Q22841 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área
Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do Processo
do Trabalho; )
Julgue os itens a seguir.
No processo do trabalho, apenas se admite a reclamação trabalhista oral,
dado o princípio da oralidade.

9 - Q13307 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do
Processo do Trabalho; )
Acerca dos princípios gerais do processo trabalhista, bem como
dos prazos da execução, dos recursos e da decadência nesse
âmbito, julgue os itens que se seguem.
Os créditos resultantes das relações de trabalho decaem após passados dois
anos do fim do contrato de trabalho.

10 - Q13303 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Teoria Geral do
Processo do Trabalho; )
A posição majoritária da doutrina é de que, por ser aplicável
subsidiariamente o Código de Processo Civil, nos casos em que a CLT nada
dispuser, nem houver incompatibilidade, os entes públicos devam ser
notificados pessoalmente da ação por meio de oficial de justiça, e não por
correio.
09032041690

ATOS, TERMOS E PRAZOS PROCESSUAIS

11 - Q152948 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
A homologação de acordo é uma faculdade do juiz.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 94 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
12 - Q100262 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista
Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho / Atos,
Termos e Prazos; )
Em reclamação trabalhista, a notificação encaminhada
ao reclamado foi devolvida sob a indicação de destinatário
desconhecido no endereço, embora este constasse da CTPS do
reclamante como o endereço do seu empregador. Na audiência
inaugural, o reclamante, alegando que o endereço estava correto
e que seu anterior empregador usara subterfúgios impróprios,
solicitou ao juiz que determinasse a citação e intimação do
reclamado por oficial de justiça, o que ocorreu, com designação
de nova audiência. O oficial de justiça, cumprindo o mandado
judicial, verificou que o endereço era efetivamente do reclamado,
mas que este não se encontrava no local quando das diligências,
conforme informações dadas por empregado atual do reclamado,
que estava no local constante da petição inicial e da notificação
originalmente expedida.

Considerando essa situação, julgue os itens que se seguem.


A intimação por oficial de justiça era desnecessária, porque a notificação
dirigida ao endereço do empregador, constante da CTPS do empregado,
pressupunha ser válida, motivo pelo qual o juiz deveria ter considerado a
revelia e confissão da parte ausente à audiência, sem necessidade de
determinar a verificação do ato pelo oficial de justiça.

09032041690

13 - Q100263 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho / Atos,
Termos e Prazos; Audiências; Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
O oficial de justiça deveria devolver o mandado sem cumprimento, já que a
diligência deveria encerrar-se com a citação e intimação do próprio
reclamado para a audiência inaugural, assim cabendo certificar, apenas, que
este não se encontrava presente para receber a contra-fé da petição inicial,
no endereço indicado pelo reclamante.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 95 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
14 - Q19493 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista
Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Acerca da distribuição, julgue os itens que se seguem.
A distribuição das reclamações deve ser feita entre as varas do trabalho ou
os juízes de direito do cível, quando investidos na administração da justiça
do trabalho, pela ordem rigorosa de sua apresentação ao distribuidor,
quando o houver.

15 - Q19489 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
A respeito dos atos, termos e prazos processuais, julgue os itens
a seguir.
Recebida e protocolada reclamação em que integre o polo passivo a União,
o escrivão ou o secretário, dentro de 48 horas, deverá remeter a segunda
via da petição ou do termo ao reclamado, notificando-o ao mesmo tempo
para comparecer à audiência do julgamento, que vai ser a primeira
desimpedida depois de vinte dias.

16 - Q19487 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Considerando que os prazos estabelecidos no título de atos, termos e prazos
processuais contam-se com exclusão do dia do começo e inclusão do dia do
09032041690

vencimento e são contínuos e irreleváveis, somente podendo ser


prorrogados pelo tempo estritamente necessário pelo juiz ou tribunal ou em
virtude de força maior devidamente comprovada, é certo que o recesso
forense e as férias coletivas dos ministros não suspendem os prazos
recursais.

17 - Q19488 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 96 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Presume-se recebida a notificação 72 horas depois de sua postagem. O não
recebimento ou a entrega após o decurso desse prazo constitui ônus de
prova do destinatário.

18 - Q19486 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Segundo entendimento do TST, tendo sido intimada ou notificada a parte no
sábado, o início do prazo se dará no primeiro dia útil imediato e a contagem,
no subsequente.

19 - Q19485 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
É possível que a penhora se realize em domingo ou dia feriado.

20 - Q19484 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
Os atos processuais serão públicos, salvo quando o contrário determinar o
interesse social, e devem ser realizados nos dias úteis, nunca antes das oito
horas, sendo possível sua extensão até as vinte horas.

21 - Q5003 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Atos, Termos e Prazos; )
09032041690

Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os


seguintes itens.
Se a parte for intimada para a audiência de julgamento, ainda que ausente
será considerada intimada da sentença nela proferida, exceto quando
também houver posterior publicação ou notificação direta quanto ao
resultado do julgamento, iniciando-se, a partir desse último ato, o prazo para
recurso.

CUSTAS E EMOLUMENTOS

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 97 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

22 - Q152946 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
As empresas públicas são isentas do pagamento de custas na justiça do
trabalho.

23 - Q199143 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
Julgue os próximos itens, referentes a custas e emolumentos.
De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho, são isentos do
pagamento de custas a União, os estados, o Distrito Federal, os municípios
e respectivas autarquias, fundações públicas e empresas públicas.

24 - Q199144 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
No caso de procedência de pedido formulado em ação constitutiva, as custas
relativas ao processo de conhecimento incidirão à base de 2% sobre o valor
da causa e serão pagas pelo vencido, após o trânsito em julgado da decisão,
salvo se houver recurso, situação em que as custas deverão ser pagas com
a devida comprovação do recolhimento dentro do prazo recursal.

25 - Q98548 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /


Direito Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
09032041690

Ex-empregado, carente de recursos econômicos, pretende


ingressar com reclamação trabalhista na justiça do trabalho para
exigir de seu ex-empregador o pagamento do adicional de
periculosidade. Considerando essa situação, julgue os próximos
itens.
O benefício da justiça gratuita pode ser concedido em qualquer instância, a
requerimento ou de ofício, àqueles que perceberem salário igual ou inferior
ao dobro do mínimo legal, ou declararem, sob as penas da lei, que não estão

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 98 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
em condições de pagar as custas do processo sem prejuízo do sustento
próprio ou de sua família.

26 - Q92377 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
Durante a execução, aviando a reclamada embargo à execução, deverá ela
pagar a quantia de R$ 44,26 de custas ao final da execução.

27 - Q52410 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
A respeito das custas e emolumentos, bem como das partes e procuradores,
julgue os seguintes itens.
Na justiça do trabalho, não são cobradas custas processuais.

28 - Q52180 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
Os honorários do assistente técnico indicado para acompanhar perícia em
processo do trabalho deverão ser pagos pela parte vencida na demanda.
09032041690

29 - Q19424 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
Julgue os próximos itens, relativos às custas e aos emolumentos
no processo do trabalho.
Nos dissídios coletivos, as partes respondem solidariamente pelo pagamento
das custas, calculadas sobre o valor arbitrado na decisão ou pelo presidente
do tribunal.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 99 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

30 - Q19425 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
A responsabilidade pelo pagamento dos honorários periciais é da parte
sucumbente na demanda, salvo se beneficiária de justiça gratuita.

31 - Q18055 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; Custas e emolumentos; )
Acerca das custas e dos emolumentos no processo do trabalho,
julgue os itens que se seguem.
Inexiste deserção do recurso pelo recolhimento insuficiente das custas e do
depósito recursal, ainda que a diferença em relação ao quantum devido seja
ínfima, referente a centavos.

32 - Q18052 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Custas e
emolumentos; )
No caso de inversão do ônus da sucumbência em segundo grau, sem
acréscimo ou atualização do valor das custas e se estas já tiverem sido
devidamente recolhidas, descabe novo pagamento pela parte vencida, ao
recorrer, mas esta deverá, ao final, se sucumbente, ressarcir a quantia.

DISTRIBUIÇÃO 09032041690

33 - Q19495 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Distribuição; )
Acerca da distribuição, julgue os itens que se seguem.
A reclamação verbal deve ser distribuída antes de sua redução a termo.
Distribuída a reclamação verbal, o reclamante deve, salvo motivo de força
maior, apresentar-se no prazo de cinco dias, ao cartório ou à secretaria, para
reduzi-la a termo, sob pena de perempção.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 100 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

34 - Q19494 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Distribuição; )
Feita a distribuição, a reclamação deve ser remetida pelo distribuidor à vara
ou ao juízo competente, acompanhada do bilhete de distribuição.

4.

1 – certo 2 – errado 3 – certo 4 – certo 5 – errado


6 – errado 7 – certo 8 – errado 9 – errado 10 – errado
11. certo 12. errado 13. errado 14. certo 15. certo
16. errado 17. errado 18. certo 19. certo 20. errado
21. errado 22. errado 23. errado 24. certo 25. certo
26. certo 27. errado 28. errado 29. errado 30. errado
31. errado 32. certo 33. certo 34. certo

DAS PARTES E PROCURADORES; DO JUS POSTULANDI; DA


SUBSTITUIÇÃO E REPRESENTAÇÃO PROCESSUAIS; DA
09032041690

ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA; DOS HONORÁRIOS DE


ADVOGADO.

2. QUESTÕES COMENTADAS:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 101 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
1 - Q301050 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Julgue os próximos itens, no que se refere aos princípios gerais do
processo trabalhista.
Segundo o TST, quando litisconsortes forem representados por diferentes
procuradores, serão contados em dobro os prazos a eles disponíveis para
contestar, para recorrer e, de modo geral, para falar nos autos.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação do CESPE/Unb


contraria o entendimento exposto na OJ nº 310 da SDI-1 do TST, assim
redigida:

“A regra contida no art. 191 do CPC é inaplicável ao processo do


trabalho, em decorrência da sua incompatibilidade com o princípio
da celeridade inerente ao processo trabalhista”.

Assim, mesmo que as partes tenham procuradores diferentes, os prazos


serão contados normalmente, sem a dobra descrita no art. 191 do CPC.

2 - Q301051 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Com relação à assistência judiciária e aos honorários advocatícios,
julgue os itens seguintes.
09032041690

A assistência judiciária, nos termos da Lei n.º 5.584/1970, deve ser prestada
pelo sindicato que representa a categoria, ainda que o trabalhador não seja
associado à entidade.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. A informação está de


acordo com o art. 18 da Lei nº 5584/70, que regulamenta o tema. Nos
termos do dispositivo legal: “A assistência judiciária, nos têrmos da
presente lei, será prestada ao trabalhador ainda que não seja associado do
respectivo Sindicato”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 102 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
A Assistência Judiciária gratuita encontra-se prevista no importante art. 14
da mesma Lei, que assim está redigida:

“Na Justiça do Trabalho, a assistência judiciária a que se refere


a Lei nº 1.060, de 5 de fevereiro de 1950, será prestada pelo
Sindicato da categoria profissional a que pertencer o trabalhador.
§ 1º A assistência é devida a todo aquêle que perceber salário igual
ou inferior ao dôbro do mínimo legal, ficando assegurado igual
benefício ao trabalhador de maior salário, uma vez provado que
sua situação econômica não lhe permite demandar, sem prejuízo
do sustento próprio ou da família”.

Sendo deferida a Assistência Judiciária Gratuita, estará o obreiro isento das


custas processuais, bem como haverá a condenação do reclamado ao
pagamento de honorários advocatícios de sucumbência, em favor do
sindicato, conforma Súmula 219, I do TST.

3 - Q301052 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
No âmbito do processo trabalhista, a condenação ao pagamento de
honorários advocatícios, nunca superiores a 15%, não decorre pura e
simplesmente da sucumbência, mas do fato de a parte estar assistida por
sindicato da categoria profissional e comprovar a percepção de salário
09032041690

inferior ao dobro do salário mínimo ou do fato de encontrar-se em situação


econômica que não lhe permita demandar sem prejuízo do próprio sustento
ou da respectiva família.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação cobrada pelo


CESPE/Unb em prova do ano de 2013, está em conformidade com a
Súmula nº 219 do TST, alterada em 2011, que precisa ser de
conhecimento do candidato, em sua integralidade, razão pela qual a
transcrevemos a seguir:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 103 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

“SUM-219 HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. HIPÓTESE DE


CABIMENTO (nova redação do item II e inserido o item III
à redação) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e
31.05.2011
I - Na Justiça do Trabalho, a condenação ao pagamento de
honorários advocatícios, nunca superiores a 15% (quinze por
cento), não decorre pura e simplesmente da sucumbência,
devendo a parte estar assistida por sindicato da categoria
profissional e comprovar a percepção de salário inferior ao dobro
do salário mínimo ou encontrar-se em situação econômica que não
lhe permita demandar sem prejuízo do próprio sustento ou da
respectiva família. (ex-Súmula nº 219 - Res. 14/1985, DJ
26.09.1985)
II - É cabível a condenação ao pagamento de honorários
advocatícios em ação rescisória no processo trabalhista.
III - São devidos os honorários advocatícios nas causas em que o
ente sindical figure como substituto processual e nas lides que não
derivem da relação de emprego”.

4 - Q256161 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Tendo como referência a legislação processual trabalhista, julgue os
próximos itens.

09032041690

O jus postulandi no processo do trabalho tem como base a possibilidade de


as partes demandarem em juízo pessoalmente, até o final da demanda; essa
prerrogativa se estende aos recursos e demais remédios próprios dos
tribunais regionais do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A primeira parte da afirmação está


correta, adequada ao que dispõe o art. 791 da CLT, que não há necessidade
de Advogado para o ajuizamento de ações trabalhistas, bem como para a
apresentação de defesa. Além disso, o jus postulandi mantém-se mesmo

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 104 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
após a CF/88, por não contrariar o art. 133 da Carta Magna. Ocorre que
houve restrição ao instituto pela Súmula nº 425 do TST, que
sinceramente deve ser decorada pelos candidatos, pois sempre é objeto de
questionamento pelas bancas de concursos. A afirmativa do CESPE, de que
o instituto se estenderia aos recursos e demais remédios próprios dos
tribunais regionais do trabalho está em desacordo com o entendimento
sumulado pelo TST, pois para os MANDADOS DE SEGURANÇA, AÇÕES
RESCISÓRIA, AÇÕES CAUTELARES E RECURSOS PARA O TST, o
Advogado é indispensável. Logo, um mandado de segurança, uma ação
rescisória ou uma ação cautelar que venham a ser propostas perante o TRT,
necessitam de Advogado, contrariando o que expôs a banca examinadora.
Nos termos da Súmula, tem-se:

“O jus postulandi das partes, estabelecido no art. 791 da CLT,


limita-se às Varas do Trabalho e aos Tribunais Regionais do
Trabalho, não alcançando a ação rescisória, a ação cautelar, o
mandado de segurança e os recursos de competência do Tribunal
Superior do Trabalho”.

5 - Q152944 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
Caso um trabalhador mova uma reclamação trabalhista contra sua empresa
09032041690

empregadora e, na data designada para a audiência, compareça o advogado


da empresa, portando a procuração, mas o preposto não esteja presente, a
empresa será considerada revel.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A resposta ao questionamento,


como praticamente todos em processo do trabalho, encontra-se em uma
súmula, de nª 122 do TST, assim redigida:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 105 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“A reclamada, ausente à audiência em que deveria apresentar
defesa, é revel, ainda que presente seu advogado munido de
procuração, podendo ser ilidida a revelia mediante a apresentação
de atestado médico, que deverá declarar, expressa-mente, a
impossibilidade de locomoção do empregador ou do seu preposto
no dia da audiência”.

Mesmo que o Advogado esteja presente na audiência, com procuração e


defesa, a empresa será revel, pois a parte deve estar pessoalmente
presente à audiência. Logo, se o preposto não está, entende-se que o
reclamado está ausente.

6 - Q152945 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Para figurar como preposto em uma audiência, em regra, não existe a
necessidade de se comprovar que a pessoa é empregada da reclamada, mas,
sim, que possui conhecimento dos fatos discutidos no processo.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação contraria o


entendimento do TST, exposto em sua Súmula nº 377, assim redigida:

“Exceto quanto à reclamação de empregado doméstico, ou contra


micro ou pequeno empresário, o preposto deve ser
necessariamente empregado do reclamado. Inteligência do art.
09032041690

843, § 1º, da CLT e do art. 54 da Lei Complementar nº 123, de 14


de dezembro de 2006”.

Regra geral o preposto deve ser empregado da reclamada, salvo em


se tratando de empregado doméstico ou reclamação contra micro ou
pequeno empresário. Cuidado para o CESPE/Unb não trocar micro ou
pequeno empresário por médio ou grande empresário, já que as provas
dessa banca são muito detalhistas.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 106 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
7 - Q98546 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito
Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Ex-empregado, carente de recursos econômicos, pretende
ingressar com reclamação trabalhista na justiça do trabalho para
exigir de seu ex-empregador o pagamento do adicional de
periculosidade. Considerando essa situação, julgue os próximos
itens.
O empregado em questão deverá, obrigatoriamente, contratar advogado
para ingressar com a ação trabalhista, considerando que o jus postulandi na
justiça do trabalho não mais subsiste, tendo sido validamente revogado pela
legislação que regula a atividade da advocacia.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Como já dito em outra questão, o


jus postulandi subsiste, tendo sido recepcionado pela CF/88, não havendo
confronto entre o art. 791 da CLT e o art. 133 da CF/88. Contudo, houve
restrição ao instituto com a edição da Súmula nº 425 do TST, de
conhecimento obrigatório pelo candidato, razão pela qual a transcrevemos:

“SUM-425 JUS POSTULANDI NA JUSTIÇA DO TRABALHO.


ALCANCE - Res. 165/2010, DEJT divulgado em 30.04.2010
e 03 e 04.05.2010. O jus postulandi das partes, estabelecido no
art. 791 da CLT, limita-se às Varas do Trabalho e aos Tribunais
Regionais do Trabalho, não alcançando a ação rescisória, a ação
cautelar, o mandado de segurança e os recursos de competência
do Tribunal Superior do Trabalho”.
09032041690

8 - Q98547 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Caso não seja constatada a periculosidade alegada pelo reclamante, e
considerando que ele tenha obtido o benefício da justiça gratuita, a atividade
do perito designado pelo juiz do trabalho será enquadrada como trabalho
voluntário, uma vez que nem o reclamante nem o Estado suportarão o
pagamento dos honorários periciais.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 107 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação contraria o
entendimento exposto na OJ nº 387 da SDI-1 do TST, assim redigida:

OJ-SDI1-387 HONORÁRIOS PERICIAIS. BENEFICIÁRIO DA


JUSTIÇA GRATUITA. RESPONSABILIDADE DA UNIÃO PELO
PAGAMENTO. RE-SOLUÇÃO Nº 35/2007 DO CSJT.
OBSERVÂNCIA. (DEJT divulgado em 09, 10 e 11.06.2010)
A União é responsável pelo pagamento dos honorários de perito
quando a parte sucumbente no objeto da perícia for beneficiária
da assistência judiciária gratuita, observado o procedimento
disposto nos arts. 1º, 2º e 5º da Resolução n.º 35/2007 do
Conselho Superior da Justiça do Trabalho – CSJT.

O trabalho desenvolvido pelo perito não será considerado voluntário, pois


os seus honorários serão pagos pela União, já que a parte que seria
responsável pelos mesmos, por ter sido vencida na pretensão objeto da
perícia, está assistida pela justiça gratuita. Assim, o Estado suportará o
pagamento dos honorários periciais.

9 - Q98553 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Em relação à tutela dos interesses metaindividuais na justiça do
trabalho e levando em conta a jurisprudência do STF a respeito
do assunto, julgue os itens subseqüentes.
09032041690

A substituição processual pelo sindicato é ampla, não se restringindo às


hipóteses expressamente previstas na legislação, podendo ocorrer até
mesmo na fase de execução de sentença.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Com o cancelamento da Súmula nº


310 da SDI-1 do TST, o entendimento passou a ser que o art. 8º. III da
CF/88, concedeu poderes para que o Sindicato atue na qualidade de
substituto processual amplo na defesa dos interesses da categoria, não

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 108 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
mais se limitando as hipóteses expressamente previstas na legislação.
Assim, sempre que houver interesse da categoria representado pelo
Sindicato, poderá esse atuar com legitimidade extraordinária, ou seja, na
qualidade de substituto processual, sendo, inclusive, devidos honorários
advocatícios de sucumbência, conforme Súmula nº 219, III do TST,
alterada em 2011.

10 - Q95715 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; Provas; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Uma testemunha que também esteja litigando contra a mesma empresa
deve ser considerada como suspeita pelo juiz, em razão do interesse direto
no resultado do feito.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação contrasta


frontalmente com o entendimento exposto na Súmula nº 357 do TST,
muitas vezes inserida em concursos públicos. Nos termos do entendimento,
não é suspeita a testemunha pela simples fato de estar litigante ou já ter
litigado em face do mesmo empregador. Tal fato não significa dizer que a
testemunha possui interesse direito no resultado do feito, já que aquela
simplesmente exerceu o seu direito de ação. Nos termos da Súmula:

“SUM-357 TESTEMUNHA.
09032041690

AÇÃO CONTRA A MESMA


RECLAMADA. SUSPEIÇÃO (mantida) - Res. 121/2003, DJ
19, 20 e 21.11.2003. Não torna suspeita a testemunha o simples
fato de estar litigando ou de ter litigado contra o mesmo
empregador”.

11 - Q99377 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
A respeito da sucumbência processual, julgue os itens a seguir.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 109 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Após a Emenda Constitucional n.º 45/2004 — que alterou a competência da
Justiça do Trabalho —, todas as causas de sua competência envolvem a
condenação em honorários advocatícios pela sucumbência, dispensados
apenas no caso de gratuidade judiciária deferida.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A condenação ao pagamento de


honorários advocatícios na Justiça do Trabalho, a regra geral, continua a
ser diversa do processo civil, pois aqui não se aplica o sistema de “mera
sucumbência”, ou seja, “perdeu-pagou”. Para que haja condenação ao
pagamento daquela parcela, devem estar presentes os requisitos descritos
no art. 14 da L. 5584/70, descritos na Súmula nº 219 do TST, de
observância e conhecimento obrigatório para as provas de processo do
trabalho, razão pela qual é transcrita a seguir:

“SUM-219 HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. HIPÓTESE DE


CABIMENTO (nova redação do item II e inserido o item III
à redação) - Res. 174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e
31.05.2011
I - Na Justiça do Trabalho, a condenação ao pagamento de
honorários advocatícios, nunca superiores a 15% (quinze por
cento), não decorre pura e simplesmente da sucumbência,
devendo a parte estar assistida por sindicato da categoria
profissional e comprovar a percepção de salário inferior ao dobro
do salário mínimo ou encontrar-se em situação econômica que não
09032041690

lhe permita demandar sem prejuízo do próprio sustento ou da


respectiva família. (ex-Súmula nº 219 - Res. 14/1985, DJ
26.09.1985)
II - É cabível a condenação ao pagamento de honorários
advocatícios em ação rescisória no processo trabalhista.
III - São devidos os honorários advocatícios nas causas em que o
ente sindical figure como substituto processual e nas lides que não
derivem da relação de emprego”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 110 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
12 - Q101764 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área
Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Em cada um dos itens em seguida, é apresentada uma situação
hipotética acerca da substituição e representação processual na
justiça do trabalho, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Os empregados de uma construtora, responsável pela execução de grandes
obras no estado do Tocantins, prestavam serviços em graves condições de
agressão à saúde. Submetiam-se àquelas condições em razão da
necessidade de preservação dos empregos, fato que acabou chegando ao
conhecimento do sindicato. Nessa situação, em razão da natureza da
infração cometida, o sindicato está autorizado a promover a defesa judicial
do direito dos trabalhadores, na condição de substituto processual.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Claro que sim! Cabe ao sindicato


atuar na defesa dos empregados que estão trabalhando nessas condições,
já que nos termos do art. 8º, III da CF/88:

“ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou


individuais da categoria, inclusive em questões judiciais ou
administrativas”

Além disso, com o cancelamento da Súmula nº 310 do TST, o entendimento


é que o Sindicato pode atuar de forma ampla como substituição processual.

13 - Q93206 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


09032041690

Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e


Procuradores; )
Considerando as partes e o jus postulandi no processo do trabalho,
julgue os próximos itens.
Desde a promulgação da Constituição Federal de 1988, o jus postulandi não
é mais permitido no processo do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Resposta muito simples, pois a


afirmação contraria a Súmula nº 329 do TST, que tão somente serve para

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 111 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
dizer que a regra do jus postulandi foi recepcionada pela CF/88, produzindo
os seus efeitos. Nos termos do enunciado:

“Mesmo após a promulgação da CF/1988, permanece válido o


entendimento consubstanciado na Súmula nº 219 do Tribunal
Superior do Trabalho”.

Lembre-se apenas das restrições impostas pela Súmula nº 425 do TST,


que afirma ser necessário Advogado nas seguintes situações: mandado
de segurança, ação rescisória, ação cautelar e recursos para o TST.

14 - Q93207 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Quando atua na condição de substituto processual, o sindicato o faz em
nome próprio, postulando direito alheio.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Trata-se do art. 6º do CPC,


que trata da substituição processual, também denominada de
legitimidade extraordinária. Nos termos do dispositivo do CPC,
“Ninguém poderá pleitear, em nome próprio, direito alheio, salvo quando
autorizado por lei”. O sindicato está autorizado pelo art. 8º, III da CF/88,
a atuar em nome próprio, defendendo direito alheio, ou seja, dos membros
da categoria. 09032041690

15 - Q93081 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Com relação ao processo do trabalho, julgue os itens que se seguem.
O jus postulandi aplica-se de forma pacífica no primeiro grau de jurisdição,
tanto nas ações trabalhistas quanto nos mandados de segurança, habeas
corpus e habeas data.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 112 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Uma vez mais a questão é
respondida apenas com base na Súmula nº 425 do TST, pois a grande
verdade é que as bancas de concursos não possuem muito o que perguntar
sobre o tema, a não ser:
a. Se o mesmo foi recepcionado ou não pela CF/88?
b. Em que situações o mesmo sofre restrição?
Nessa questão, o erro é facilmente detectado, pois a parte precisa de
Advogado para impetrar mandado de segurança, mesmo que seja em
primeiro grau de jurisdição, ou seja, na Vara do Trabalho.
Uma vez mais, a transcrição da Súmula, que será naturalmente decorada
de tanto ser lida (e é assim que deve ocorrer mesmo!):

“O jus postulandi das partes, estabelecido no art. 791 da CLT,


limita-se às Varas do Trabalho e aos Tribunais Regionais do
Trabalho, não alcançando a ação rescisória, a ação cautelar, o
mandado de segurança e os recursos de competência do Tribunal
Superior do Trabalho”.

16 - Q52413 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Julgue os itens subseqüentes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.
O Código de Processo Civil (CPC) estabelece prazo em dobro para
09032041690

litisconsortes com procuradores distintos. Tal regra não se aplica ao processo


do trabalho, pois é incompatível com o princípio da celeridade inerente ao
processo trabalhista.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Uma das primeiras


questões da aula também era sobre o tema, ou seja, vem sendo repetido
com os anos pelo CESPE. A resposta encontra-se na OJ nº 310 da SDI-1 do
TST, que diz inexistir previsão de alargamento dos prazos pelo fato das
partes estaremos representadas por diferentes procuradores, pois o

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 113 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
aumento do prazo prejudicaria a celeridade do processo. Nos termos
precisos da OJ, tem-se:

“A regra contida no art. 191 do CPC é inaplicável ao processo do


trabalho, em decorrência da sua incompatibilidade com o princípio
da celeridade inerente ao processo trabalhista”.

17 - Q52411 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
A respeito das custas e emolumentos, bem como das partes e procuradores,
julgue os seguintes itens.
Considere a seguinte situação hipotética.
João atuava como advogado de Manoel em um processo trabalhista. O
mandato concedido por Manoel a João ocorreu de forma tácita.
Nessa situação, é permitido a João substabelecer o mandato a outro
profissional para que este continue atuando no processo de Manoel.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Apesar do mandato tácito ser


admitido no processo do trabalho, conforme art. 791, §3º da CLT e Súmula
nº 164 do TST, aquele que o detém não pode substabelecer para outro
Advogado, pois tal ato é entendido como um poder especial, sendo que o
mandato tácito somente outorga os poderes gerais ao Advogado (art. 38
do CPC). Importante lembrar sempre que a impossibilidade de
09032041690

substabelecimento pelo detentor do mandato tácito encontra-se prevista


na OJ nº 200 da SDI-1 do TST, assim redigida:

“É inválido o substabelecimento de advogado investido de


mandato tácito”.

18 - Q52409 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 114 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
A respeito das custas e emolumentos, bem como das partes e procuradores,
julgue os seguintes itens.
Após o advento do Estatuto da Advocacia, todas as reclamações trabalhistas
devem ser propostas e acompanhadas por um advogado.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Novamente o CESPE/Unb


cobrando informações acerca do jus postulandi. Uma vez mais se afirma
que o instituto encontra amparo no art. 791 da CLT, tendo sido
recepcionado pela CF/88, sofrendo restrição apenas nas hipóteses
prescritas na Súmula nº 425 do TST, a saber: mandado de segurança,
ação rescisória, ação cautelar e recursos para o TST.

19 - Q33205 ( Prova: CESPE - 2010 - AGU - Procurador / Direito Processual


do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Acerca dos honorários advocatícios no processo do trabalho, julgue
os itens seguintes.
Na justiça do trabalho, o deferimento de honorários advocatícios sujeita-se
à constatação da ocorrência de assistência por sindicato.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmativa está incompleta, por


isso foi considerada errada. A questão é anterior à alteração sofrida pela
Súmula nº 219 do TST, mas mesmo assim está incompleta, pois a
assistência pelo Sindicato não é o único requisito para o deferimento dos
honorários, pois há que se verificar o salário recebido pelo empregado, se
09032041690

até 2 mínimos mensais, ou se há declaração de pobreza nos autos,


conforme inciso I da Súmula nº 219 do TST, a seguir transcrito:

“Na Justiça do Trabalho, a condenação ao pagamento de


honorários advocatícios, nunca superiores a 15% (quinze por
cento), não decorre pura e simplesmente da sucumbência,
devendo a parte estar assistida por sindicato da categoria
profissional e comprovar a percepção de salário inferior ao dobro
do salário mínimo ou encontrar-se em situação econômica que não

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 115 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
lhe permita demandar sem prejuízo do próprio sustento ou da
respectiva família”.

20 - Q22842 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Julgue os itens a seguir.
A gratuidade judiciária pode ser deferida pelo juiz ou pelo tribunal do
trabalho apenas quando expressamente requerida pela parte interessada e
mediante declaração de que não tem condições de pagar as custas do
processo sem prejuízo do sustento próprio ou de sua família.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O benefício da Justiça Gratuita,


prevista no art. 790, §3º da CLT, pode ser deferido de ofício ou a
requerimento pelo Magistrado, em qualquer instância, àqueles que
não possuem condições de arcar com os cursos do processo. Cuidado, pois
as bancas de concurso gostam de condicionar o deferimento somente ao
fato da parte requerer, o que não é verdade, pois pode ser deferido de
ofício, ou seja, sem requerimento. Nos termos do dispositivo legal,
indispensável para as provas de processo do trabalho:

“É facultado aos juízes, órgãos julgadores e presidentes dos


tribunais do trabalho de qualquer instância conceder, a
requerimento ou de ofício, o benefício da justiça gratuita,
inclusive quanto a traslados e instrumentos, àqueles que
09032041690

perceberem salário igual ou inferior ao dobro do mínimo legal,


ou declararem, sob as penas da lei, que não estão em
condições de pagar as custas do processo sem prejuízo do
sustento próprio ou de sua família”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 116 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q301050 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Julgue os próximos itens, no que se refere aos princípios gerais do
processo trabalhista.
Segundo o TST, quando litisconsortes forem representados por diferentes
procuradores, serão contados em dobro os prazos a eles disponíveis para
contestar, para recorrer e, de modo geral, para falar nos autos.

2 - Q301051 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Com relação à assistência judiciária e aos honorários advocatícios,
julgue os itens seguintes.
A assistência judiciária, nos termos da Lei n.º 5.584/1970, deve ser prestada
pelo sindicato que representa a categoria, ainda que o trabalhador não seja
associado à entidade.

3 - Q301052 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
No âmbito do processo trabalhista, a condenação ao pagamento de
09032041690

honorários advocatícios, nunca superiores a 15%, não decorre pura e


simplesmente da sucumbência, mas do fato de a parte estar assistida por
sindicato da categoria profissional e comprovar a percepção de salário
inferior ao dobro do salário mínimo ou do fato de encontrar-se em situação
econômica que não lhe permita demandar sem prejuízo do próprio sustento
ou da respectiva família.

4 - Q256161 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 117 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Tendo como referência a legislação processual trabalhista, julgue os
próximos itens.

O jus postulandi no processo do trabalho tem como base a possibilidade de


as partes demandarem em juízo pessoalmente, até o final da demanda; essa
prerrogativa se estende aos recursos e demais remédios próprios dos
tribunais regionais do trabalho.

5 - Q152944 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
Caso um trabalhador mova uma reclamação trabalhista contra sua empresa
empregadora e, na data designada para a audiência, compareça o advogado
da empresa, portando a procuração, mas o preposto não esteja presente, a
empresa será considerada revel.

6 - Q152945 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Para figurar como preposto em uma audiência, em regra, não existe a
necessidade de se comprovar que a pessoa é empregada da reclamada, mas,
sim, que possui conhecimento dos fatos discutidos no processo.

7 - Q98546 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
09032041690

Ex-empregado, carente de recursos econômicos, pretende


ingressar com reclamação trabalhista na justiça do trabalho para
exigir de seu ex-empregador o pagamento do adicional de
periculosidade. Considerando essa situação, julgue os próximos
itens.
O empregado em questão deverá, obrigatoriamente, contratar advogado
para ingressar com a ação trabalhista, considerando que o jus postulandi na
justiça do trabalho não mais subsiste, tendo sido validamente revogado pela
legislação que regula a atividade da advocacia.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 118 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

8 - Q98547 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Caso não seja constatada a periculosidade alegada pelo reclamante, e
considerando que ele tenha obtido o benefício da justiça gratuita, a atividade
do perito designado pelo juiz do trabalho será enquadrada como trabalho
voluntário, uma vez que nem o reclamante nem o Estado suportarão o
pagamento dos honorários periciais.

9 - Q98553 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Em relação à tutela dos interesses metaindividuais na justiça do
trabalho e levando em conta a jurisprudência do STF a respeito
do assunto, julgue os itens subseqüentes.
A substituição processual pelo sindicato é ampla, não se restringindo às
hipóteses expressamente previstas na legislação, podendo ocorrer até
mesmo na fase de execução de sentença.

10 - Q95715 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; Provas; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Uma testemunha que também esteja litigando contra a mesma empresa
deve ser considerada como suspeita pelo juiz, em razão do interesse direto
no resultado do feito. 09032041690

11 - Q99377 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
A respeito da sucumbência processual, julgue os itens a seguir.
Após a Emenda Constitucional n.º 45/2004 — que alterou a competência da
Justiça do Trabalho —, todas as causas de sua competência envolvem a
condenação em honorários advocatícios pela sucumbência, dispensados
apenas no caso de gratuidade judiciária deferida.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 119 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

12 - Q101764 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Em cada um dos itens em seguida, é apresentada uma situação
hipotética acerca da substituição e representação processual na
justiça do trabalho, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Os empregados de uma construtora, responsável pela execução de grandes
obras no estado do Tocantins, prestavam serviços em graves condições de
agressão à saúde. Submetiam-se àquelas condições em razão da
necessidade de preservação dos empregos, fato que acabou chegando ao
conhecimento do sindicato. Nessa situação, em razão da natureza da
infração cometida, o sindicato está autorizado a promover a defesa judicial
do direito dos trabalhadores, na condição de substituto processual.

13 - Q93206 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Considerando as partes e o jus postulandi no processo do trabalho,
julgue os próximos itens.
Desde a promulgação da Constituição Federal de 1988, o jus postulandi não
é mais permitido no processo do trabalho.

14 - Q93207 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; ) 09032041690

Quando atua na condição de substituto processual, o sindicato o faz em


nome próprio, postulando direito alheio.

15 - Q93081 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Com relação ao processo do trabalho, julgue os itens que se seguem.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 120 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
O jus postulandi aplica-se de forma pacífica no primeiro grau de jurisdição,
tanto nas ações trabalhistas quanto nos mandados de segurança, habeas
corpus e habeas data.

16 - Q52413 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
Julgue os itens subseqüentes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.
O Código de Processo Civil (CPC) estabelece prazo em dobro para
litisconsortes com procuradores distintos. Tal regra não se aplica ao processo
do trabalho, pois é incompatível com o princípio da celeridade inerente ao
processo trabalhista.

17 - Q52411 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
A respeito das custas e emolumentos, bem como das partes e procuradores,
julgue os seguintes itens.
Considere a seguinte situação hipotética.
João atuava como advogado de Manoel em um processo trabalhista. O
mandato concedido por Manoel a João ocorreu de forma tácita.
Nessa situação, é permitido a João substabelecer o mandato a outro
profissional para que este continue atuando no processo de Manoel.
09032041690

18 - Q52409 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e
Procuradores; )
A respeito das custas e emolumentos, bem como das partes e procuradores,
julgue os seguintes itens.
Após o advento do Estatuto da Advocacia, todas as reclamações trabalhistas
devem ser propostas e acompanhadas por um advogado.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 121 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
19 - Q33205 ( Prova: CESPE - 2010 - AGU - Procurador / Direito Processual
do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Acerca dos honorários advocatícios no processo do trabalho, julgue
os itens seguintes.
Na justiça do trabalho, o deferimento de honorários advocatícios sujeita-se
à constatação da ocorrência de assistência por sindicato.

20 - Q22842 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; )
Julgue os itens a seguir.
A gratuidade judiciária pode ser deferida pelo juiz ou pelo tribunal do
trabalho apenas quando expressamente requerida pela parte interessada e
mediante declaração de que não tem condições de pagar as custas do
processo sem prejuízo do sustento próprio ou de sua família.

4.

1 – errado 2 – certo 3 – certo 4 – errado 5 – certo


6 – errado 7 – errado 8 – errado 9 – certo 10 – errado
11. errado 12. certo 13. errado 14. certo 15. errado
16. certo 17. errado 18. errado
09032041690
19. errado 20. errado

Das nulidades. Das exceções. Das audiências: de conciliação,


de instrução e de julgamento; da notificação das partes; do
arquivamento do processo; da revelia e confissão.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 122 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q152947 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Nulidades; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
A nulidade fundada em incompetência de foro deve ser declarada de ofício.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Muito cuidado com essa frase,


pois pode levar o candidato à erro. A incompetência fundada em foro, para
a CLT, conforme previsão contida no art. 795, §1º, é a que se refere aos
critérios de competência absolutos, demonstrando, por exemplo, que a
Justiça do Trabalho não possui competência para julgar os servidores
públicos estatutários, conforme decisão do STF na Adi 3395-6. Nos termos
do citado artigo, temos:

“Art. 795 - As nulidades não serão declaradas senão mediante


provocação das partes, as quais deverão argüi-las à primeira vez
em que tiverem de falar em audiência ou nos autos.
§ 1º - Deverá, entretanto, ser declarada ex officio a nulidade
fundada em incompetência de foro. Nesse caso, serão
considerados nulos os atos decisórios”.
09032041690

A redação da CLT se assemelha àquela prevista no art. 113 do CPC, em


especial o seu §2º, que diz que a incompetência absoluta pode ser
reconhecida de ofício pelo Magistrado, a qualquer tempo e grau de
jurisdição, declarando nulos os atos decisórios.

2 - Q98552 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Nulidades; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 123 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Em audiência, o juiz do trabalho indeferiu o pleito de uma parte de produzir
prova testemunhal e, no mérito, julgou desfavoravelmente a essa parte.
Considerando essa situação e as previsões da Consolidação das Leis do
Trabalho pertinentes, julgue o item abaixo.
A nulidade do ato de indeferimento da produção de prova testemunhal deve
ser argüida pela primeira vez no recurso ordinário para o tribunal regional
do trabalho, porque, antes da sentença, não é possível constatar a existência
de prejuízo que justifique a pronúncia da nulidade do referido ato.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O item está errado, pois nos


termos do art. 795 da CLT, a nulidade deve ser alegada na primeira vez em
que tiver a parte que falar nos autos. Como estamos diante do
indeferimento de prova testemunhal, que ocorre na audiência, deve a parte
valer-se do conhecido protesto em audiência, para demonstrar o seu
inconformismo e, evitando assim a preclusão, alegar tal matéria em recurso
ordinário, conforme art. 893 da CLT. Não se pode deixar para alegar a
nulidade por cerceamento de defesa somente na audiência. O mecanismo
correto é: protestar em audiência e aguardar o desfecho da demanda. Se
for desfavorável, interpor recurso ordinário, alegando, dentre as questões
de mérito, a nulidade da decisão por cerceamento do direito de defesa.

3 - Q99371 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Nulidades; )
Acerca das nulidades processuais
09032041690
no processo do trabalho, julgue
os itens a seguir.
No processo do trabalho, se considera a nulidade apenas quando do ato
questionado resulte manifesto prejuízo à parte que não o praticou, e desde
que, não tendo sido argüido por quem lhe haja dado causa, seja possível
suprir a falta ou repetir-se o ato, resultando na necessária nulidade do
processa, prejudicando não apenas os atos subseqüentes como os
anteriores, uma vez que prevalece a contaminação dos atos processuais.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 124 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O erro da questão encontra-se em
sua parte final, quando afirma que também os atos anteriores serão
contaminados pelo vício da nulidade, o que vai de encontro ao disposto no
art. 798 da CLT, assim redigido: “Art. 798 - A nulidade do ato não
prejudicará senão os posteriores que dele dependam ou sejam
conseqüência”.
Como são poucos os dispositivos sobre nulidade do processo, mas são
muito cobrados pelos concursos, fazemos a transcrição dos mesmos, para
que sejam memorizados pelo aluno:

“Art. 794 - Nos processos sujeitos à apreciação da Justiça do


Trabalho só haverá nulidade quando resultar dos atos inquinados
manifesto prejuízo às partes litigantes.
Art. 795 - As nulidades não serão declaradas senão mediante
provocação das partes, as quais deverão argüi-las à primeira vez
em que tiverem de falar em audiência ou nos autos.
§ 1º - Deverá, entretanto, ser declarada ex officio a nulidade
fundada em incompetência de foro. Nesse caso, serão
considerados nulos os atos decisórios.
§ 2º - O juiz ou Tribunal que se julgar incompetente determinará,
na mesma ocasião, que se faça remessa do processo, com
urgência, à autoridade competente, fundamentando sua decisão.
Art. 796 - A nulidade não será pronunciada:
a) quando for possível suprir-se a falta ou repetir-se o ato;
09032041690

b) quando argüida por quem lhe tiver dado causa.


Art. 797 - O juiz ou Tribunal que pronunciar a nulidade declarará
os atos a que ela se estende.
Art. 798 - A nulidade do ato não prejudicará senão os
posteriores que dele dependam ou sejam conseqüência”.

Os atos anteriores não são contaminados, pois a nulidade somente ataca


os posteriores e, nem todos, apenas aqueles que sejam conseqüência direta
do ato nulo e desde que não possam ser repetidos ou corrigidos.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 125 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

4 – Q99372 ( Prova: CESPE – 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Nulidades; )
As partes litigantes deverão argüir a nulidade perante o juiz, na primeira
ocasião em que se manifestarem no processo. Se não o fizerem, a eventual
nulidade não poderá ser pronunciada por decorrência da preclusão, mesmo
que envolva questão alusiva a competência material da Justiça do Trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O equívoco da questão encontra-


se na segunda parte, quando afirma que mesmo que envolva questão
alusiva a competência material da justiça do trabalho, não poderá
ser pronunciada, pela ocorrência de preclusão. Tal afirmação entra
em conflito com o §1º do art. 795 da CLT, que trata da incompetência de
foro, assim redigido: “Deverá, entretanto, ser declarada ex officio a
nulidade fundada em incompetência de foro. Nesse caso, serão
considerados nulos os atos decisórios”.
A competência material, como absoluta, pode ser conhecida a qualquer
tempo e grau de jurisdição, conforme art. 113 do CPC, não incorrendo em
preclusão. Em verdade, acarreta até mesmo o ajuizamento de ação
rescisória, conforme art. 485, II do CPC.

5 - Q256162 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Considere a seguinte situação hipotética.
09032041690

Embora tenha sido devidamente notificada para audiência de continuação e


instrução, com as devidas cominações legais em caso de ausência, a parte
reclamada deixou de comparecer, atraindo para si os efeitos de confissão.
Na sentença, o juízo julgou improcedente a reclamatória com base no
princípio do livre convencimento e nas provas pré-constituídas nos autos.
Nessa situação, a confissão ficta por si só não garante o ganho de causa pela
parte reclamante.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 126 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito, pois nos termos do art. 319
do CPC, há apenas a presunção relativa de veracidade dos fatos afirmados
na petição inicial, não significando que haverá o julgamento de procedência
dos pedidos formulados pelo autor. Mesmo que haja confissão ficta
decorrente da revelia, o Juiz deve proferir sua decisão com base no princípio
do livre convencimento motivado, nos termos do art. 130 do CPC, bem
como da Súmula nº 74 do TST. Nos termos de entendimento sumulado pelo
TST, pode o Magistrado produzir as provas que entender necessários ao
deslinde da controvérsia, não havendo vedação.

“SUM-74 CONFISSÃO (nova redação do item I e inserido o


item III à redação em decorrência do julgamento do
processo TST-IUJEEDRR 801385-77.2001.5.02.0017) - Res.
174/2011, DEJT divulgado em 27, 30 e 31.05.2011
I - Aplica-se a confissão à parte que, expressamente intimada com
aquela cominação, não comparecer à audiência em
prosseguimento, na qual deveria depor. (ex-Súmula nº 74 - RA
69/1978, DJ 26.09.1978)
II - A prova pré-constituída nos autos pode ser levada em conta
para confronto com a confissão ficta (art. 400, I, CPC), não
implicando cerceamento de defesa o indeferimento de provas
posteriores. (ex-OJ nº 184 da SBDI-1 - inserida em 08.11.2000)
III- A vedação à produção de prova posterior pela parte confessa
somente a ela se aplica, não afetando o exercício, pelo magistrado,
09032041690

do poder/dever de conduzir o processo”.

6 - Q98558 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Audiências; )
Com relação à pessoa jurídica de direito público como parte em
processo trabalhista, julgue os itens que se seguem.
O não-comparecimento do representante da pessoa jurídica de direito
público na audiência em que deveria produzir defesa não importa revelia e

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 127 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
confissão quanto à matéria de fato, prevalecendo, na hipótese, a busca da
verdade real, por tratar-se de interesse público indisponível.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Não há tratamento diferenciado


em relação às pessoas jurídicas de direito público em relação às
conseqüências do não comparecimento à audiência. Nos termos do art. 844
da CLT, se o reclamante falta à audiência, o processo é arquivado. Se o
reclamado é o faltoso, aplicam os efeitos da revelia, com a presunção de
veracidade dos fatos afirmados na petição inicial. Assim sendo, haverá
confissão em relação aos fatos. Lembrando que o Juiz deve julgar com base
em seu livre convencimento motivado, podendo julgar procedente com
base na confissão ou improcedente tendo em vista a produção de outros
provas, que podem ser por ele mesmo determinadas, conforme autoriza o
art. 131 do CPC, ao tratar dos poderes instrutórios do Juiz.

7 - Q101970 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Julgue os itens seguintes, referentes ao direito processual do
trabalho. Considere a seguinte situação hipotética.
Determinada empresa foi judicialmente notificada a comparecer à audiência
que seria realizada em ação trabalhista ajuizada por uma de suas ex-
empregadas.
Nessa situação, a empresa poderá apresentar a defesa escrita antes da data
09032041690

designada para a audiência, mediante protocolo perante a secretaria da vara


correspondente, ou na própria audiência, sob pena de ser declarada revel e
confessa quanto aos fatos.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A previsão contida no art. 847 da


CLT sobre defesa do reclamado, é no sentido de que aquele ato somente
pode ser realizado oralmente, no prazo de 20 minutos, não havendo
previsão para a entrega antes da audiência ou mesmo naquele ato, de
forma escrita. Apesar de na prática os Advogados levarem defesa escrita,

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 128 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
para questões objetivas deve-se partir da idéia trazida no art. 847 da CLT,
qual seja, defesa oral, em 20 minutos. A não apresentação de defesa
importará em revelia a confissão em relação aos fatos narrados na petição
inicial.

8 - Q99374 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se
seguem.
Após a distribuição da reclamação trabalhista, será designada audiência,
quando o juiz tentará a conciliação entre as partes ou, em caso negativo,
prosseguirá, recebendo a contestação e as demais exceções e instruindo a
causa para imediato julgamento, com as provas que lhe forem apresentadas.
Se não houver condições de concluir a instrução, o juiz designará nova
audiência para prosseguimento, no prazo de trinta dias.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O art. 849 da CLT, que trata do


tema, não diz que a audiência em continuação será realizada no prazo de
30 dias. Diferentemente, o legislador afirmou a necessidade de continuação
da audiência na primeira data desimpedida, ou seja, o mais breve possível,
haja vista que no processo do trabalho a intenção é julgar a demanda no
prazo mais rápido possível. Nos termos do art. 849 da CLT, temos:

“ Art. 849 - A audiência de julgamento será contínua; mas, se não


09032041690

for possível, por motivo de força maior, concluí-la no mesmo dia,


o juiz ou presidente marcará a sua continuação para a primeira
desimpedida, independentemente de nova notificação”.

9 - Q99375 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Se a parte não estiver presente em audiência de julgamento, ainda quando
intimada anteriormente da data da prolação da sentença, será,

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 129 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
necessariamente, a decisão publicada ou notificada pessoalmente à parte,
sob pena de nulidade.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Se a parte é notificada para


comparecer à determinada audiência, na qual será proferida a sentença,
sabe aquele que a partir da audiência, será iniciado o prazo recursal. Por
exemplo, se sou notificado para comparecer à audiência do dia 04/06/2013,
terça-feira, e não compareço, sei que no dia 05/06/2013, quarta-feira, dia
útil, será o primeiro dia do prazo recursal, dispensando-se nova notificação.
Tal entendimento está contido na Súmula nº 197 do TST, assim redigido:

“O prazo para recurso da parte que, intimada, não comparecer à


audiência em prosseguimento para a prolação da sentença conta-
se de sua publicação”.

As partes serão intimadas na própria audiência, presentes ou não.

10 - Q99376 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
No caso de o reclamado não comparecer à audiência inaugural e não
justificar a sua ausência, o processo será arquivado.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O arquivamento do processo por


ausência da parte à audiência encontra-se previsto no art. 844 da CLT para
09032041690

o reclamante e não para o reclamado. Se o reclamado é ausente à


audiência, sem qualquer justificadora, haverá o decreto de revelia e
confissão em relação aos fatos. Conforme dicção legal, temos:

“Art. 844 - O não-comparecimento do reclamante à audiência


importa o arquivamento da reclamação, e o não-
comparecimento do reclamado importa revelia, além de
confissão quanto à matéria de fato.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 130 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Parágrafo único - Ocorrendo, entretanto, motivo relevante,
poderá o presidente suspender o julgamento, designando
nova audiência”.

11 - Q92374 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
A reclamada, para apresentação de defesa, deve observar o prazo mínimo
de oito dias entre a notificação e a data da respectiva audiência inicial.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação acerca do valor da


causa não é importante para a resposta ao questionamento. Na verdade, o
que importa é saber se entre o recebimento da notificação e a realização
da audiência há algum prazo mínimo a ser observado. Nos termos do art.
841 da CLT, para que o empregador possa produzir a defesa que será
aplicada em audiência (art. 847 da CLT), há necessidade da notificação ser
recebida com um tempo mínimo de antecedência, tempo esse que se
encontra previsto no art. 841 da CLT, a seguir transcrito:

“Recebida e protocolada a reclamação, o escrivão ou secretário,


09032041690

dentro de 48 (quarenta e oito) horas, remeterá a segunda via da


petição, ou do termo, ao reclamado, notificando-o ao mesmo
tempo, para comparecer à audiência do julgamento, que será a
primeira desimpedida, depois de 5 (cinco) dias”.

Pelo exposto, não é de 8 dias como afirmado na questão, e sim, de 5 dias


o prazo mínimo que deve existir entre o recebimento da notificação e a
realização da audiência.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 131 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
12 - Q52412 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Augusto moveu reclamação trabalhista contra determinada empresa. No dia
designado para a audiência inaugural, Augusto chegou 15 minutos atrasado.
Quanto à situação hipotética acima e às audiências, julgue o próximo item.

Na situação considerada, não haverá nenhum prejuízo para Augusto, já que


existe previsão legal de tolerância de 15 minutos para as partes.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Trata-se de uma das questões


mais importantes sobre audiências. Não há previsão legal para tolerar
atraso das partes. Nos termos do art. 815 da CLT, as partes devem
tolerar um atraso do Juiz de até 15 minutos, mas conforme OJ nº 245 da
SDI-1 do TST, não se admite atraso das partes, incorrendo aquelas
nas penalidades impostos pelo art. 844 da CLT, quais sejam: arquivamento
(reclamante) e revelia (reclamado).

13 - Q52183 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Quanto às audiências, julgue o item abaixo.

O preposto deve ser necessariamente empregado do reclamado, exceto nas


09032041690

causas de empregados domésticos ou contra micro ou pequeno empresário.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está de acordo com a


Súmula nº 377 do TST, assim redigida:

SUM-377 PREPOSTO. EXIGÊNCIA DA CONDIÇÃO DE


EMPREGADO (nova redação) - Res. 146/2008, DJ
28.04.2008, 02 e 05 .05.2008
Exceto quanto à reclamação de empregado doméstico, ou contra
micro ou pequeno empresário, o preposto deve ser

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 132 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
necessariamente empregado do reclamado. Inteligência do art.
843, § 1º, da CLT e do art. 54 da Lei Complementar nº 123, de 14
de dezembro de 2006.

O preposto deve ser, regra geral, empregado do reclamado, pois deve ter
conhecimento dos fatos, sendo que as informações prestadas no
interrogatório vinculam o empregador. Cuidado apenas com as exceções,
pois as bancas geralmente colocam “micro ou médio empresário”, sendo
que o correto é micro ou pequeno empresário.

14 - Q22844 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Quando o reclamante não comparecer à audiência inaugural, o juiz deve
determinar o arquivamento do processo, mas se quem não comparecer, sem
justificativa, for o reclamado, a pena aplicável é a de revelia e confissão.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A questão leva em consideração as


informações constantes no art. 844 da CLT, que trata das conseqüências
da ausência das partes à audiência. Percebe-se o tratamento diferenciado
entre reclamante e reclamado, já que o reclamante tem sua ação
arquivado, ao passo que ao reclamado é imposta a revelia, com presunção
relativa de veracidade dos fatos. Nos termos do dispositivo mencionado:

“O não-comparecimento do reclamante à audiência importa o


09032041690

arquivamento da reclamação, e o não-comparecimento do


reclamado importa revelia, além de confissão quanto à matéria de
fato”.

15 - Q18051 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Julgue os itens subsequentes, relativos ao processo judiciário do
trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 133 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
É lícito às partes celebrar acordo que ponha termo ao processo, mesmo
depois de encerrado o juízo conciliatório

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. No rito ordinário, existem


dois momentos obrigatórios de conciliação, a saber: no início da audiência
(art. 846 da CLT) e ao término das razões finais (art. 850 da CLT). Ocorre
que, mesmo fora desses momentos, é possível a celebração de acordo. Na
verdade, é dever do Juiz, conforme art. 125 do CPC, zelar pela rápida
solução do conflito, o que engloba a realização de acordos entre os
litigantes. Mesmo na fase executória é possível tal acordo, o que demonstra
que a qualquer momento o juízo conciliatório pode ocorrer.

16 - Q17926 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Com relação a audiências no processo do trabalho, julgue os itens
a seguir.
Após as razões finais, no procedimento ordinário, deve ser procedida a
segunda proposta de conciliação.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação, apesar de simples,


está correta, de acordo com o art. 850 da CLT, que prevê o segundo
momento de conciliação obrigatório no rito ordinário. Conforme disposição
contida na CLT, temos: 09032041690

“Terminada a instrução, poderão as partes aduzir razões finais, em


prazo não excedente de 10 (dez) minutos para cada uma. Em
seguida, o juiz ou presidente renovará a proposta de conciliação,
e não se realizando esta, será proferida a decisão”.

17 - Q17924 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 134 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Quando o reclamante não comparece à audiência una, o arquivamento do
processo pode ser determinado pelo juízo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Uma vez mais, a resposta encontra-


se no art. 844 da CLT, que trata do arquivamento da ação trabalhista
quando da ausência injustificada do reclamante. Há apenas um detalhe a
ser visto aqui: a questão diz audiência una. Se fossem duas ou mais
audiência, o entendimento seria diverso? Depende. A Súmula nº 9 do
TST trata da audiência em prosseguimento, podendo haver ou não o
arquivamento do processo caso o reclamante falta a essa audiência.
Se na primeira audiência houver sido apresentada a defesa, a ausência do
reclamante na segunda audiência não importará em arquivamento. Se
não apresentada defesa, a ausência acarretará o arquivamento do feito.
Nos termos do entendimento sumulado do TST:

“SUM-9 AUSÊNCIA DO RECLAMANTE (mantida) - Res.


121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003
A ausência do reclamante, quando adiada a instrução após
contestada a ação em audiência, não importa arquivamento do
processo”.

18 - Q17925 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; ) 09032041690

Caso não seja bem-sucedida a proposta conciliatória, a audiência destinada


à tentativa de conciliação e entrega da defesa deve ocorrer no prazo mínimo
de 10 dias após o recebimento da contrafé pelo reclamado.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Duas são as situações que podem


ocorrer na hipótese descrita na questão. Percebam que, apesar do art. 849
da CLT dizer que a audiência é una, houver o fracionamento, com a
realização de audiência apenas para conciliação. Caso não haja acordo
entre as partes, dois são os procedimentos que podem ser adotados, mas

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 135 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
todos diversos do que aquele narrado na questão, razão pela qual está
incorreta a afirmativa.
a. Diante da ausência de acordo, o Juiz pode determinar a entrega da
defesa, uma vez que o art. 847 da CLT diz que essa será apresentada
na audiência.
b. Diante da ausência de acordo, o Juiz designará outra audiência,
sendo que entre as duas deve haver, pelo menos, 5 dias de intervalo,
para se garantir o prazo de 5 dias contido no art. 841 da CLT.
De qualquer sorte, a informação está errada, pois fala em 10 dias após o
recebimento da contrafé pelo reclamado.

19 - Q5002 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
A conciliação, mesmo após a Emenda Constitucional n.º 45/2004, que
reformou o Poder Judiciário, persiste como elemento primordial na condução
dos juízes e tribunais do trabalho quanto às causas que lhe são confiadas,
os quais devem, antes de instruir o feito ou de proferir decisão em
reclamação trabalhista, sempre que possível, provocar as partes ao acordo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. O acordo continua sendo


a melhor solução para os conflitos judiciais. Assim, o Juiz tentará a
conciliação no início da audiência, conforme art. 846 da CLT, bem como ao
09032041690

término das razões finais, de acordo com o art. 850 da CLT. Mesmo fora
desses momentos, conforme previsão contida no art. 852-E da CLT, que
trata do rito sumaríssimo, o Juiz deve buscar a conciliação das partes em
todos os momentos do processo. Se for preciso, pode o Magistrado designar
audiência própria para a conciliação e mesmo após o trânsito em julgado,
ou seja, no processo de execução.

20 - Q5004 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 136 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Se o reclamado não comparecer à audiência de instrução, será declarado
confesso, exceto se, na impossibilidade de locomoção para participar do ato
onde poderia ser ouvido, apresentar justificativa relevante e consistente.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está de acordo com a


Súmula nº 122 do TST, muito cobradas em concursos públicos do
CESPE/Unb, pois fala da apresentação de atestado medido que ateste a
impossibilidade de locomoção do reclamado. Vejamos:

“A reclamada, ausente à audiência em que deveria apresentar


defesa, é revel, ainda que presente seu advogado munido de
procuração, podendo ser ilidida a revelia mediante a apresentação
de atestado médico, que deverá declarar, expressa-mente, a
impossibilidade de locomoção do empregador ou do seu preposto
no dia da audiência”.

21 - Q30822 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Competência; Resposta do Reclamado; )
Com relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Considere que Pedro tenha ingressado com reclamação trabalhista perante
vara do trabalho incompetente em razão do lugar. Nesse caso, de acordo
com a CLT, a empresa deverá arguir, na própria contestação, preliminar de
incompetência territorial, sendo certo que, caso tal fato não ocorra, ainda
assim o juiz poderá decretá-la de ofício.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação está totalmente


errada. Nos termos do art. 112 do CPC, a incompetência territorial (em
razão do lugar) deve ser alegada em exceção de incompetência e não como
preliminar de contestação. A incompetência absoluta é que, nos termos do
art. 301 do CPC, deve ser alegada na contestação. Por fim, se não houver
a apresentação de exceção de incompetência pelo réu, não poderá o

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 137 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Magistrado reconhecer de ofício a incompetência, nos termos da Súmula
nº 33 do STJ.

22 - Q17933 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Resposta
do Reclamado; )
Quanto ao processo judiciário do trabalho, julgue os itens
subsequentes.
A fim de evitar o enriquecimento indevido da parte autora, a compensação
ou a retenção pode ser arguida desde que não tenha sido proferida sentença
monocrática.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Conforme afirmação contida no


art. 767 da CLT, a compensação e a retenção somente podem ser alegadas
em defesa, sob pena de preclusão. Já a Súmula nº 48 do TST deixa claro
que a alegação deve ser feita na contestação, na defesa de mérito. Além
disso, a compensação somente pode ocorrer entre dívidas trabalhistas, nos
termos da Súmula nº 18 do TST. Vejamos:

“Art. 767 - A compensação, ou retenção, só poderá ser


argüida como matéria de defesa”,

“Súmula nº 18 do TST – A compensação, na Justiça do Trabalho,


está restrita a dívidas de natureza trabalhista”.
09032041690

“Súmula nº 48 do TST - A compensação só poderá ser argüida com


a contestação”.

23 - Q106976 ( Prova: CESPE - 2011 - Correios - Analista de Correios -


Advogado / Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 138 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue o item subsecutivo, referente a dissídios individuais.

Nos dissídios individuais, o juiz deve provocar a apresentação da primeira


proposta conciliatória logo após a entrega da defesa escrita ou a
apresentação de defesa oral.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação do CESPE/Unb


contrasta com aquela contida no art. 846 da CLT, que diz que a primeira
tentativa de conciliação é realizada no início da audiência, antes, portanto,
da entrega da defesa ou apresentação oral da mesma. Se não houver
acordo, teremos apresentação de defesa pelo reclamado. Nos termos do
art. 846 da CLT:

“Aberta a audiência, o juiz ou presidente proporá a conciliação”.

24 - Q67771 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Na ocorrência de acordo entre as partes, a homologação desse acordo será
irrecorrível.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação está errada, pois


09032041690

está incompleta. A decisão é irrecorrível para as partes, mas o §4º do art.


832 da CLT diz que a União poderá recorrer da sentença, buscando as
contribuições previdenciárias que entende devidas. As partes somente
podem se valer da ação rescisória, conforme Súmula nº 259 do TST.
Apesar do § único do art. 831 da CLT ainda trazer que a Previdência Social
recorrerá de tal sentença, não mais se aplica tal entendimento, tendo em
vista que a Le. 11.457/07 alterou o aludido §4º do art. 832 da CLT,
passando a legitimidade recursal à União.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 139 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“A União será intimada das decisões homologatórias de acordos q
ue contenham parcela indenizatória, na forma do art. 20 da Lei no
11.033, de 21 de dezembro de 2004, facultada a interposição de
recursorelativo aos tributos que lhe forem devidos”.

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q152947 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Nulidades; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
A nulidade fundada em incompetência de foro deve ser declarada de ofício.

2 - Q98552 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Nulidades; )
Em audiência, o juiz do trabalho indeferiu o pleito de uma parte de produzir
prova testemunhal e, no mérito, julgou desfavoravelmente a essa parte.
Considerando essa situação e as previsões da Consolidação das Leis do
Trabalho pertinentes, julgue o item abaixo.
A nulidade do ato de indeferimento da produção de prova testemunhal deve
ser argüida pela primeira vez no recurso ordinário para o tribunal regional
do trabalho, porque, antes da sentença, não é possível constatar a existência
de prejuízo que justifique a pronúncia da nulidade do referido ato.
09032041690

3 - Q99371 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Nulidades; )
Acerca das nulidades processuais no processo do trabalho, julgue
os itens a seguir.
No processo do trabalho, se considera a nulidade apenas quando do ato
questionado resulte manifesto prejuízo à parte que não o praticou, e desde
que, não tendo sido argüido por quem lhe haja dado causa, seja possível
suprir a falta ou repetir-se o ato, resultando na necessária nulidade do

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 140 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
processa, prejudicando não apenas os atos subseqüentes como os
anteriores, uma vez que prevalece a contaminação dos atos processuais.

4 – Q99372 ( Prova: CESPE – 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Nulidades; )
As partes litigantes deverão argüir a nulidade perante o juiz, na primeira
ocasião em que se manifestarem no processo. Se não o fizerem, a eventual
nulidade não poderá ser pronunciada por decorrência da preclusão, mesmo
que envolva questão alusiva a competência material da Justiça do Trabalho.

5 - Q256162 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Considere a seguinte situação hipotética.
Embora tenha sido devidamente notificada para audiência de continuação e
instrução, com as devidas cominações legais em caso de ausência, a parte
reclamada deixou de comparecer, atraindo para si os efeitos de confissão.
Na sentença, o juízo julgou improcedente a reclamatória com base no
princípio do livre convencimento e nas provas pré-constituídas nos autos.
Nessa situação, a confissão ficta por si só não garante o ganho de causa pela
parte reclamante.

6 - Q98558 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Audiências; )
Com relação à pessoa jurídica de direito público como parte em
processo trabalhista, julgue os itens que se seguem.
09032041690

O não-comparecimento do representante da pessoa jurídica de direito


público na audiência em que deveria produzir defesa não importa revelia e
confissão quanto à matéria de fato, prevalecendo, na hipótese, a busca da
verdade real, por tratar-se de interesse público indisponível.

7 - Q101970 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 141 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue os itens seguintes, referentes ao direito processual do
trabalho. Considere a seguinte situação hipotética.
Determinada empresa foi judicialmente notificada a comparecer à audiência
que seria realizada em ação trabalhista ajuizada por uma de suas ex-
empregadas.
Nessa situação, a empresa poderá apresentar a defesa escrita antes da data
designada para a audiência, mediante protocolo perante a secretaria da vara
correspondente, ou na própria audiência, sob pena de ser declarada revel e
confessa quanto aos fatos.

8 - Q99374 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se
seguem.
Após a distribuição da reclamação trabalhista, será designada audiência,
quando o juiz tentará a conciliação entre as partes ou, em caso negativo,
prosseguirá, recebendo a contestação e as demais exceções e instruindo a
causa para imediato julgamento, com as provas que lhe forem apresentadas.
Se não houver condições de concluir a instrução, o juiz designará nova
audiência para prosseguimento, no prazo de trinta dias.

9 - Q99375 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Se a parte não estiver presente em audiência de julgamento, ainda quando
intimada anteriormente da data 09032041690
da prolação da sentença, será,
necessariamente, a decisão publicada ou notificada pessoalmente à parte,
sob pena de nulidade.

10 - Q99376 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
No caso de o reclamado não comparecer à audiência inaugural e não
justificar a sua ausência, o processo será arquivado.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 142 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
11 - Q92374 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
A reclamada, para apresentação de defesa, deve observar o prazo mínimo
de oito dias entre a notificação e a data da respectiva audiência inicial.

12 - Q52412 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Augusto moveu reclamação trabalhista contra determinada empresa. No dia
designado para a audiência inaugural, Augusto chegou 15 minutos atrasado.
Quanto à situação hipotética acima e às audiências, julgue o próximo item.

Na situação considerada, não haverá nenhum prejuízo para Augusto, já que


existe previsão legal de tolerância de 15 minutos para as partes.

13 - Q52183 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Quanto às audiências, julgue o item abaixo.
09032041690

O preposto deve ser necessariamente empregado do reclamado, exceto nas


causas de empregados domésticos ou contra micro ou pequeno empresário.

14 - Q22844 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Quando o reclamante não comparecer à audiência inaugural, o juiz deve
determinar o arquivamento do processo, mas se quem não comparecer, sem
justificativa, for o reclamado, a pena aplicável é a de revelia e confissão.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 143 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
15 - Q18051 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Julgue os itens subsequentes, relativos ao processo judiciário do
trabalho.
É lícito às partes celebrar acordo que ponha termo ao processo, mesmo
depois de encerrado o juízo conciliatório

16 - Q17926 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Com relação a audiências no processo do trabalho, julgue os itens
a seguir.
Após as razões finais, no procedimento ordinário, deve ser procedida a
segunda proposta de conciliação.

17 - Q17924 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Quando o reclamante não comparece à audiência una, o arquivamento do
processo pode ser determinado pelo juízo.

18 - Q17925 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Audiências; )
Caso não seja bem-sucedida a proposta conciliatória, a audiência destinada
09032041690

à tentativa de conciliação e entrega da defesa deve ocorrer no prazo mínimo


de 10 dias após o recebimento da contrafé pelo reclamado.

19 - Q5002 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
A conciliação, mesmo após a Emenda Constitucional n.º 45/2004, que
reformou o Poder Judiciário, persiste como elemento primordial na condução

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 144 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
dos juízes e tribunais do trabalho quanto às causas que lhe são confiadas,
os quais devem, antes de instruir o feito ou de proferir decisão em
reclamação trabalhista, sempre que possível, provocar as partes ao acordo.

20 - Q5004 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Se o reclamado não comparecer à audiência de instrução, será declarado
confesso, exceto se, na impossibilidade de locomoção para participar do ato
onde poderia ser ouvido, apresentar justificativa relevante e consistente.

21 - Q30822 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Competência; Resposta do Reclamado; )
Com relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Considere que Pedro tenha ingressado com reclamação trabalhista perante
vara do trabalho incompetente em razão do lugar. Nesse caso, de acordo
com a CLT, a empresa deverá arguir, na própria contestação, preliminar de
incompetência territorial, sendo certo que, caso tal fato não ocorra, ainda
assim o juiz poderá decretá-la de ofício.

22 - Q17933 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Resposta
do Reclamado; )
Quanto ao processo judiciário do trabalho, julgue os itens
subsequentes. 09032041690

A fim de evitar o enriquecimento indevido da parte autora, a compensação


ou a retenção pode ser arguida desde que não tenha sido proferida sentença
monocrática.

23 - Q106976 ( Prova: CESPE - 2011 - Correios - Analista de Correios -


Advogado / Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
Julgue o item subsecutivo, referente a dissídios individuais.

Nos dissídios individuais, o juiz deve provocar a apresentação da primeira

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 145 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
proposta conciliatória logo após a entrega da defesa escrita ou a
apresentação de defesa oral.

24 - Q67771 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Na ocorrência de acordo entre as partes, a homologação desse acordo será
irrecorrível.

4.

1 – certo 2 – errado 3 – errado 4 – errado 5 – certo


6 – errado 7 – errado 8 – errado 9 – errado 10 – errado
11. errado 12. errado 13. certo 14. certo 15. certo
16. certo 17. certo 18. errado 19. certo 20. certo
21. errado 22. errado 23. errado 24. errado

DAS PROVAS
09032041690

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q98555 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Provas; )
De acordo com a jurisprudência do TST, julgue os itens a seguir,
referentes ao ônus da prova no processo trabalhista.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 146 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
O empregador com mais de dez empregados está obrigado a registrar a
jornada de trabalho de seus empregados, cabendo-lhe, portanto, em
processo trabalhista, o ônus de apresentar esses registros; se não o fizer, o
juiz deferirá de plano o pedido formulado na inicial, na medida em que não
poderá aceitar a produção de prova em contrário.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação trazida pelo CESPE/Unb


está equivocada, pois viola o entendimento do TST consubstanciado na Súmula
nº 338, que de tão importante merece ser transcrita:

“SUM-338 JORNADA DE TRABALHO. REGISTRO. ÔNUS DA PROVA


(incorporadas as Orientações Jurisprudenciais nºs 234 e 306 da
SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e 25.04.2005

I - É ônus do empregador que conta com mais de 10 (dez)


empregados o registro da jornada de trabalho na forma do art.
74, § 2º, da CLT. A não-apresentação in-justificada dos controles
de frequência gera presunção relativa de veracidade da jornada
de trabalho, a qual pode ser elidida por prova em contrário.

II - A presunção de veracidade da jornada de trabalho, ainda que prevista


em instrumento normativo, pode ser elidida por prova em contrário.

III - Os cartões de ponto que demonstram horários de entrada e saída


uniformes são inválidos como meio de prova, invertendo-se o ônus da
prova, relativo às horas extras, que passa a ser do empregador,
prevalecendo a jornada da inicial se dele não se desincumbir”.

Segundo entendimento do TST, a presunção de veracidade pela não apresentação


09032041690

dos cartões de ponto é relativa, podendo ser elidida por prazo em sentido
contrário, podendo inclusive ser prova testemunhal.

2 - Q98556 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Provas; )
Os registros de ponto que apresentem horários de entrada e saída uniformes
são inválidos como meio de prova, invertendo-se o ônus da prova, relativo
às horas extras, que passa a ser do empregador, prevalecendo a jornada da
inicial se dele não se desincumbir.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 147 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Outra questão acerca das provas no


processo do trabalho, cuja resposta está contida na Súmula nº 338 do TST. Sem
sombra de dúvidas, trata-se de um dos entendimentos mais importantes para
concursos, razão pela qual foi transcrita em sua íntegra na questão anterior. Para
saber se o entendimento da questão nº 2 está correto ou errado, basta analisar
o inciso III da súmula referida, que possui a seguinte redação:

“Os cartões de ponto que demonstram horários de entrada e saída


uniformes são inválidos como meio de prova, invertendo-se o ônus da
prova, relativo às horas extras, que passa a ser do empregador,
prevalecendo a jornada da inicial se dele não se desincumbir”.

Percebe-se que o CESPE simplesmente transcreveu o inciso III da Súmula nº 338


do TST, razão pela qual está correto o entendimento.

3 - Q98557 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Provas; )
O ônus de provar o término do contrato de trabalho, quando negados a
prestação de serviço e o despedimento, é do empregador, pois o princípio
da continuidade da relação de emprego constitui presunção favorável ao
empregado.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Na dúvida sobre ser ou não o contrato por
prazo determinado, a presunção será de que o ajuste se deu por prazo
09032041690

indeterminado, pois essa é a regra geral. Da mesma forma, presume-se que a


rescisão se deu por parte do empregador, pois o princípio da continuidade da
relação de emprego, conforme Súmula nº 212 do TST, traz presunção favorável,
apesar de relativa, ao empregado. A afirmação do CESPE está correta, pois na
verdade é a literalidade da Súmula nº 212 do TST, a seguir transcrita:

O ônus de provar o término do contrato de trabalho, quando negados a


prestação de serviço e o despedimento, é do empregador, pois o princípio
da continuidade da relação de emprego constitui presunção favorável ao
empregado.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 148 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

4 - Q95715 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; Provas; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Uma testemunha que também esteja litigando contra a mesma empresa
deve ser considerada como suspeita pelo juiz, em razão do interesse direto
no resultado do feito.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos da Súmula nº 357 do TST,


não é suspeita a testemunhas que foi ou é parte em demanda ajuizada em face
do mesmo empregador, por não se presumir um interesse direto no desfecho da
demanda. Se Bruno ajuizou ação em face de seu ex-empregador, poderá ser
testemunha em ação ajuizada por um ex-colega, em face da mesma empresa.
Conforme entendimento sumulado do TST:

“Não torna suspeita a testemunha o simples fato de estar litigando ou de


ter litigado contra o mesmo empregador”.

5 - Q93204 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Provas; )
Considerando as provas no processo do trabalho, julgue os itens a
seguir.
Considere que Cássio tenha entrado com ação trabalhista que postule a
condenação do seu ex-empregador ao pagamento de indenização
09032041690

correspondente ao vale-transporte relativo a todo o pacto laboral, o qual


durou onze meses. Nesse caso, cabe a Cássio o ônus de comprovar que,
durante o período laboral, satisfez os requisitos indispensáveis à obtenção
do vale- transporte.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O gabarito da época, em 2010 considerou


a informação correto correta, pois naquele momento estava em vigor o
entendimento da OJ nº 215 da SDI-1 do TST, assim redigida:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 149 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“É do empregado o ônus de comprovar que satisfaz os requisitos
indispensáveis à obtenção do vale-transporte”.

Contudo, em 2011, por meio da Resolução nº 175, divulgado nos dias 27, 30 e 31
de Maio daquele ano, a OJ foi cancelada. Assim, não é mais do empregador o
ônus da prova do direito ao vale-transporte. Presume-se a necessidade e o
empregador é que terá que o obreiro não precisava do vale-transporte.

6 - Q93205 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Provas; )
Considere uma empresa cujo quadro funcional sempre tenha sido constituído
de seis a oito funcionários e que um desses empregados tenha ajuizado ação
trabalhista contra ela, postulando o pagamento de horas extras. Nessa
situação, recai sobre a empresa o ônus de apresentar os controles de
frequência desse empregado, e a não apresentação desses controles gera
presunção relativa de veracidade da jornada de trabalho, que pode ser
elidida por prova em contrário.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Se o empresa possui de 6 a 8


empregados, não possui, nos termos do art. 74 da CLT e Súmula nº 338 do TST,
a obrigação de ter registro de ponto. Assim, não cabe à empresa a juntada de
documentos sob pena de presunção de veracidade. Nos termos do inciso I da
Súmula nº 338 do TST, temos:

É ônus do empregador que conta com mais de 10 (dez) empregados o


09032041690

registro da jornada de trabalho na forma do art. 74, § 2º, da CLT. A não-


apresentação injustificada dos controles de frequência gera presunção
relativa de veracidade da jornada de trabalho, a qual pode ser elidida por
prova em contrário.

Somente a empresa que tenha 11 ou mais empregados, é que possui tal


necessidade de registro, o que faz com que surja a necessidade de juntada dos
registros em demanda trabalhista.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 150 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
7 - Q52182 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Provas; )
A respeito das custas e emolumentos e das provas, julgue os itens que se
seguem.
Considere a seguinte situação hipotética. José foi arrolado como testemunha
de Marcos em um processo judicial contra uma determinada empresa. José,
no entanto, também estava litigando contra a mesma empresa, em outra
ação distinta da de Marcos. Nessa situação, José não poderá ser ouvido como
testemunha, pois se tornará suspeito.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Novamente o questionamento sobre


suspeição da testemunha pelo fato de ter litigado ou estar litigando em face do
mesmo empregador. Trata-se de um dos pontos mais cobrados em concursos
públicos sobre provas no processo do trabalho. Não há qualquer suspeição
conforme Súmula nº 357 do TST, que precisa ser memorizado pelo candidato.
Para facilitar, transcreve-se novamente o verbete:

“Não torna suspeita a testemunha o simples fato de estar litigando ou de


ter litigado contra o mesmo empregador”.

8 - Q30821 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; Provas; )
Com relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Na hipótese de justo impedimento para sua oportuna apresentação, o TST
09032041690

admite, excepcionalmente, a juntada de documentos por qualquer das


partes na fase recursal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação do CESPE está perfeita, pois


de acordo com a Súmula nº 8 do TST, que trata da juntada de documentos na
fase recursal. A referida juntada, em momento processual avançado, é possível
mas excepcionalmente, desde que demonstrada a situação excepcional. Duas são
as situações previstas na súmula, a seguir transcrita:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 151 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“A juntada de documentos na fase recursal só se justifica quando provado
o justo impedimento para sua oportuna apresentação ou se referir a fato
posterior à sentença”.

Duas são as situações previstas na Súmula:


a. Documento sobre fato anterior à sentença, que não pode ser juntado aos
autos, conforme justificativa da parte quando da juntada em grau recursal;
b. Documento que se refira à questão posterior à sentença.

Temos que tomar cuidado com afirmações do CESPE sobre tal juntada, que a
tratem de forma ordinária, não excepcional, pois esse tipo de informação está
errada. A regra geral é a juntada na petição inicial e defesa, bem como, já
excepcionalmente, conforme art. 397 do CPC, desde que seja intimada a parte
contrária para manifestação sobre documento juntado aos autos no curso da
demanda.

9 - Q22845 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; Procedimento
ordinário e sumaríssimo; Provas; Inquérito para apuração de falta grave; )
Julgue os itens a seguir.
No processo do trabalho é admitida, em geral, a indicação de três
testemunhas para cada uma das partes, exceto nas reclamações sob rito
sumaríssimo, quando o número de testemunhas é limitado a duas por parte,
ou nos inquéritos para apuração de falta grave, quando poderá chegar a seis
testemunhas para cada parte.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está correta. Trata-se


informação importante, mas facilmente verificada, pois se trata de mera
memorização de uma tabela, a seguir transcrita para vocês:

Inquérito para
PROCEDIMENTO Ordinário Sumário Sumaríssimo apuração de
falta grave

NÚMERO DE
TESTEMUNHAS 3 3 2 6

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 152 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

A informação do CESPE é no sentido de que, regra geral, ou seja, no rito ordinário,


são admitidas 3 testemunhas para cada parte, sendo que no sumaríssima cabem
2 testemunhas para cada uma e no inquérito para apuração de falta grave, até 6
testemunhas para cada parte.

10 - Q52180 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área
Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
A respeito das custas e emolumentos e das provas, julgue os itens que se
seguem.
Os honorários do assistente técnico indicado para acompanhar perícia em
processo do trabalho deverão ser pagos pela parte vencida na demanda.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Ninguém é obrigado a contratar


assistente técnico para acompanhar a realização de perícia deferida em processo
judicial. Trata-se inteiramente de faculdade da parte que, em situações mais
complexas, entende por bem contratar um profissional para acompanhar e auxiliar
o perito judicial na analise dos fatos controvertidos. Assim, se é faculdade da parte
contratar o profissional, deverá essa mesma remunerá-lo, mesmo que venha a
vencer a perícia. Mesmo que o pedido relacionado à pericia seja julgado
procedente, a parte que contratou o assistente técnico é que tem a
responsabilidade de remunerá-lo. Esse é o entendimento da Súmula nº 341 do
TST, abaixo transcrita:

09032041690

“A indicação do perito assistente é faculdade da parte, a qual deve


responder pelos respectivos honorários, ainda que vencedora no objeto
da perícia”.

11 - Q67779 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 153 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
O reclamante pode indicar e requerer a intimação de duas testemunhas.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Apesar da questão ser de 2010, o


entendimento continua o mesmo. R$20.500,00 atualmente representa menos que
40 salários mínimos, o que nos termos do art. 852-A da CLT significa que a ação
tramitará no rito sumaríssimo. Como esse rito foi inserido no processo do
trabalho em 2000 para acelerar o julgamento das demandas de valor inferior, o
legislador trouxe algumas restrições, dentre elas em relação ao número de
testemunhas. Assim, o art. 852-H §2º da CLT dispõe:

“As testemunhas, até o máximo de duas para cada parte,


comparecerão à audiência de instrução e julgamento independentemente
de intimação”.

Como o número de testemunhas é uma matéria simples, mas importante em


concursos públicos, transcreve-se novamente o quadro com os ritos e
testemunhas que podem ser ouvidas:

Inquérito para
PROCEDIMENTO Ordinário Sumário Sumaríssimo apuração de
falta grave

NÚMERO DE
TESTEMUNHAS 3 3 2 6

12 - Q99374 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
09032041690

Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se


seguem.
Após a distribuição da reclamação trabalhista, será designada audiência,
quando o juiz tentará a conciliação entre as partes ou, em caso negativo,
prosseguirá, recebendo a contestação e as demais exceções e instruindo a
causa para imediato julgamento, com as provas que lhe forem apresentadas.
Se não houver condições de concluir a instrução, o juiz designará nova
audiência para prosseguimento, no prazo de trinta dias.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 154 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Se não for possível a conclusão da
instrução, ou seja, da produção das provas, o art. 849 da CLT afirma que o Juiz
determinará a continuidade da audiência o mais breve possível e não no prazo de
30 dias. Nos termos legais, a Juiz marcará a continuação para a primeira data
desimpedida, independentemente de nova notificação. Nos termos legais:

“A audiência de julgamento será contínua; mas, se não for possível, por


motivo de força maior, concluí-la no mesmo dia, o juiz ou presidente
marcará a sua continuação para a primeira desimpedida,
independentemente de nova notificação”.

13 - Q5004 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
Se o reclamado não comparecer à audiência de instrução, será declarado
confesso, exceto se, na impossibilidade de locomoção para participar do ato
onde poderia ser ouvido, apresentar justificativa relevante e consistente.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A ausência do reclamado à audiência de


instrução acarreta a presunção de veracidade dos fatos afirmados na petição
inicial, ou seja, o réu será considerado confesso em relação aos fatos. Ocorre que
tal regra pode ser excepcionada, conforme art. 844 da CLT, a seguir transcrito:

“Art. 844 - O não-comparecimento do reclamante à audiência importa o


arquivamento da reclamação, e o não-comparecimento do reclamado
09032041690

importa revelia, além de confissão quanto à matéria de fato.


Parágrafo único - Ocorrendo, entretanto, motivo relevante,
poderá o presidente suspender o julgamento, designando nova
audiência”.

Se a justificativa da ausência vier acompanhada por atestado médico, deverá


seguir a Súmula nº 122 do TST, que determina a necessidade de menção à
impossibilidade de locomoção, conforme transcrição a seguir:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 155 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“A reclamada, ausente à audiência em que deveria apresentar defesa, é
revel, ainda que presente seu advogado munido de procuração, podendo
ser ilidida a revelia mediante a apresentação de atestado médico, que
deverá declarar, expressa-mente, a impossibilidade de locomoção do
empregador ou do seu preposto no dia da audiência”.

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q98555 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Provas; )
De acordo com a jurisprudência do TST, julgue os itens a seguir,
referentes ao ônus da prova no processo trabalhista.
O empregador com mais de dez empregados está obrigado a registrar a
jornada de trabalho de seus empregados, cabendo-lhe, portanto, em
processo trabalhista, o ônus de apresentar esses registros; se não o fizer, o
juiz deferirá de plano o pedido formulado na inicial, na medida em que não
poderá aceitar a produção de prova em contrário.

2 - Q98556 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Provas; )
Os registros de ponto que apresentem horários de entrada e saída uniformes
são inválidos como meio de prova, invertendo-se o ônus da prova, relativo
às horas extras, que passa a ser do empregador, prevalecendo a jornada da
inicial se dele não se desincumbir.
09032041690

3 - Q98557 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Provas; )
O ônus de provar o término do contrato de trabalho, quando negados a
prestação de serviço e o despedimento, é do empregador, pois o princípio
da continuidade da relação de emprego constitui presunção favorável ao
empregado.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 156 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
4 - Q95715 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito
Processual do Trabalho / Partes e Procuradores; Provas; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Uma testemunha que também esteja litigando contra a mesma empresa
deve ser considerada como suspeita pelo juiz, em razão do interesse direto
no resultado do feito.

5 - Q93204 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Provas; )
Considerando as provas no processo do trabalho, julgue os itens a
seguir.
Considere que Cássio tenha entrado com ação trabalhista que postule a
condenação do seu ex-empregador ao pagamento de indenização
correspondente ao vale-transporte relativo a todo o pacto laboral, o qual
durou onze meses. Nesse caso, cabe a Cássio o ônus de comprovar que,
durante o período laboral, satisfez os requisitos indispensáveis à obtenção
do vale- transporte.

6 - Q93205 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Provas; )
Considere uma empresa cujo quadro funcional sempre tenha sido constituído
de seis a oito funcionários e que um desses empregados tenha ajuizado ação
trabalhista contra ela, postulando o pagamento de horas extras. Nessa
situação, recai sobre a empresa o ônus de apresentar os controles de
09032041690

frequência desse empregado, e a não apresentação desses controles gera


presunção relativa de veracidade da jornada de trabalho, que pode ser
elidida por prova em contrário.

7 - Q52182 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Provas; )
A respeito das custas e emolumentos e das provas, julgue os itens que se
seguem.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 157 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Considere a seguinte situação hipotética. José foi arrolado como testemunha
de Marcos em um processo judicial contra uma determinada empresa. José,
no entanto, também estava litigando contra a mesma empresa, em outra
ação distinta da de Marcos. Nessa situação, José não poderá ser ouvido como
testemunha, pois se tornará suspeito.

8 - Q30821 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; Provas; )
Com relação ao direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Na hipótese de justo impedimento para sua oportuna apresentação, o TST
admite, excepcionalmente, a juntada de documentos por qualquer das
partes na fase recursal.

9 - Q22845 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; Procedimento
ordinário e sumaríssimo; Provas; Inquérito para apuração de falta grave; )
Julgue os itens a seguir.
No processo do trabalho é admitida, em geral, a indicação de três
testemunhas para cada uma das partes, exceto nas reclamações sob rito
sumaríssimo, quando o número de testemunhas é limitado a duas por parte,
ou nos inquéritos para apuração de falta grave, quando poderá chegar a seis
testemunhas para cada parte.

10 - Q52180 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


09032041690

Judiciário - Área
Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Custas e emolumentos; )
A respeito das custas e emolumentos e das provas, julgue os itens que se
seguem.
Os honorários do assistente técnico indicado para acompanhar perícia em
processo do trabalho deverão ser pagos pela parte vencida na demanda.

11 - Q67779 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 158 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
O reclamante pode indicar e requerer a intimação de duas testemunhas.

12 - Q99374 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se
seguem.
Após a distribuição da reclamação trabalhista, será designada audiência,
quando o juiz tentará a conciliação entre as partes ou, em caso negativo,
prosseguirá, recebendo a contestação e as demais exceções e instruindo a
causa para imediato julgamento, com as provas que lhe forem apresentadas.
Se não houver condições de concluir a instrução, o juiz designará nova
audiência para prosseguimento, no prazo de trinta dias.

13 - Q5004 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
Se o reclamado não comparecer à audiência de instrução, será declarado
confesso, exceto se, na impossibilidade de locomoção para participar do ato
onde poderia ser ouvido, apresentar justificativa relevante e consistente.

09032041690

4.

1 – errado 2 – certo 3 – certo 4 – errado 5 – errado


6 – errado 7 – errado 8 – certo 9 – certo 10 – errado
11- certo 12- errado 13- certo

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 159 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

DOS DISSÍDIOS INDIVIDUAIS: DA FORMA DE RECLAMAÇÃO


E NOTIFICAÇÃO; DA RECLAMAÇÃO ESCRITA E VERBAL; DA
LEGITIMIDADE PARA AJUIZAR. DO PROCEDIMENTO
ORDINÁRIO E SUMARÍSSIMO.

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q98562 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Um empregado sofreu redução salarial ilícita, tendo recebido a metade do
valor a que fazia jus, o que fez que o percentual do FGTS incidisse sobre o
valor que efetivamente lhe foi pago, ou seja, o salário reduzido. Essa
situação perdurou por um ano, tendo sido posteriormente regularizada
espontaneamente pelo empregador. Passados mais de dez anos dessa
regularização o empregador dispensou o empregado sem justa causa. Dias
depois da dispensa, o empregado ajuizou reclamação trabalhista pleiteando
o depósito do FGTS integral daquele período considerando que este deveria
incidir na parte do salário que não foi paga.

Considerando essa situação hipotética, julgue o item que se segue, a respeito


da prescrição no direito do trabalho.
09032041690

O empregado não corre o risco de que a prescrição da pretensão deduzida


na inicial seja pronunciada, uma vez que pode exigir os depósitos do FGTS
incidentes sobre a parte do salário que não lhe foi paga no prazo de trinta
anos até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nessa situação, não se aplica a


Súmula nº 362 do TST, que trata da prescrição trintenária do FGTS, e sim,
a Súmula nº 206 do TST, a seguir transcrita e explicada:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 160 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

“A prescrição da pretensão relativa às parcelas remuneratórias


alcança o respectivo recolhimento da contribuição para o FGTS”.

Percebe-se claramente que o FGTS pretendido incide sobre a parte do


salário que não foi paga, diante da redução salarial ilícita. Nos termos
propostos, já houve a prescrição do FGTS, pois o mesmo incide sobre uma
verba também prescrita, que seria o salário não pago (parte dele). Se já
se passaram mais de 10 anos e a prescrição trabalhista é qüinqüenal, o
salário (chamado aqui de verba principal) já prescreveu, sendo que o FGTS
(chamado de verba acessória) também está prescrito. Se o principal
prescreve, também o acessório.

2 – Q101971 ( Prova: CESPE – 2005 – TRT-16R – Analista Judiciário – Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Reclamação Trabalhista; )
Julgue os itens seguintes, referentes ao direito processual do
trabalho.
Na justiça do trabalho, segundo a previsão da Consolidação das Leis do
Trabalho, as reclamações podem ser feitas de forma escrita ou verbal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Nos termos do art. 840 da


CLT, as reclamações trabalhistas podem ser escritas ou verbais. Se verbal,
será reduzida à termo pelo servidor da Justiça do Trabalho. Importante
09032041690

relembrar a regra do art. 786 da CLT, que diz que a reclamação verbal será
distribuída antes de sua redução à termo. Transcreve-se o art. 840 da CLT,
para leitura e conhecimento:

“Art. 840 - A reclamação poderá ser escrita ou verbal.

§ 1º - Sendo escrita, a reclamação deverá conter a designação do


Presidente da Junta, ou do juiz de direito a quem for dirigida, a
qualificação do reclamante e do reclamado, uma breve exposição
dos fatos de que resulte o dissídio, o pedido, a data e a assinatura
do reclamante ou de seu representante.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 161 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
§ 2º - Se verbal, a reclamação será reduzida a termo, em 2 (duas)
vias datadas e assinadas pelo escrivão ou secretário, observado,
no que couber, o disposto no parágrafo anterior”.

3 - Q101766 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Julgue os próximos itens, relativos ao processo judiciário do
trabalho.
Embora o processo do trabalho seja instruído sob o princípio da
informalidade, a petição inicial da reclamação trabalhista há de ser
elaborada, necessariamente, de forma escrita, com estrita observância dos
demais requisitos legais.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Conforme analisado em questão


anterior, dispõe o art. 840 da CLT, já transcrito anteriormente, que a
petição inicial pode ser escrita ou verbal, tendo em vista que o processo do
trabalho é regulado pelo princípio da informalidade. A afirmação está
errada, pois permite apenas a reclamação escrita. Os requisitos da
reclamação, quando escrita, também estão dispostos no art. 840 da CLT,
em seu §1º.

4 - Q67777 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito


Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
09032041690

total de R$ 20.500,00.
Na discussão judicial de direitos, caso o empregador reconheça parte do
crédito almejado pelo obreiro, mas não o quite na primeira assentada,
deverá ser condenado a fazê-lo com a majoração de 50% somente sobre o
salário devido.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Deve-se tomar cuidado com essa


afirmativa, pois está errada, mas em uma leitura desatenta poderia ser tido

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 162 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
por certa, pois o detalhe é realmente imperceptível aos olhos dos cansados,
estressados, etc. O tema é tratado no art. 467 da CLT, que assim diz:

“Em caso de rescisão de contrato de trabalho, havendo


controvérsia sobre o montante das verbas rescisórias, o
empregador é obrigado a pagar ao trabalhador, à data do
comparecimento à Justiça do Trabalho, a parte incontroversa
dessas verbas, sob pena de pagá-las acrescidas de cinqüenta por
cento".

Se as verbas incontroversas não forem pagas na primeira audiência,


incidirá a multa prevista no art. 467 da CLT, de 50% sobre aquelas verbas.
Assim, se o reclamante requer a condenação ao pagamento de 13º salário
de ano de 2012 e há confissão, ficta ou real, do reclamado, deve aquela
verba ser paga na primeira audiência, por ser incontroversa. Se não paga
naquele momento, o reclamado será condenado a pagá-la com adicional de
50%, ou seja, de o valor do 13º salário era R$2.000,00, deverá o
empregador pagar R$3.000,00. A multa de 50% é sobre o valor da verba
incontroversa e não sobre o salário do obreiro, como afirmado pelo
CESPE/Unb.

5 - Q67775 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito


Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Ao postular o reconhecimento de eventual relação de emprego, o obreiro não
09032041690

terá distinção entre os efeitos da prescrição, somente para esse fim, quando
menor ou maior.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O tema, muitas vezes tratado nos


concursos trabalhistas, é facilmente respondido por meio do art. 11, §1º
da CLT, que versa sobre a inexistência de prescrição para as ações em que
se busca o reconhecimento do vínculo de emprego. Nenhum prazo é
aplicável nessa hipótese, podendo o ex-empregado buscar a anotação da

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 163 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
CTPS mesmos após 50, 100 anos do término do vínculo. Trata-se de
direito imprescritível. Conforme a CLT, temos:

“Art. 11 - O direito de ação quanto a créditos resultantes das


relações de trabalho prescreve:

§ 1º O disposto neste artigo não se aplica às ações que tenham


por objeto anotações para fins de prova junto à Previdência
Social”.

Assim, conforme dito pelo CESPE, não haverá distinção entre os efeitos da
prescrição, se maior ou menor, pois não haverá prescrição.

6 - Q5336 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Reclamação Trabalhista; )
Em reclamação trabalhista, a notificação encaminhada ao reclamado foi
devolvida sob a indicação de destinatário desconhecido no endereço, embora
este constasse da CTPS do reclamante como o endereço do seu empregador.
Na audiência inaugural, o reclamante, alegando que o endereço estava
correto e que seu anterior empregador usara subterfúgios impróprios,
solicitou ao juiz que determinasse a citação e intimação do reclamado por
oficial de justiça, o que ocorreu, com designação de nova audiência. O oficial
de justiça, cumprindo o mandado judicial, verificou que o endereço era
efetivamente do reclamado, mas que este não se encontrava no local quando
das diligências, conforme informações dadas por empregado atual do
reclamado, que estava no local constante da petição inicial e da notificação
09032041690

originalmente expedida. Considerando essa situação, julgue os itens que se


seguem.
O oficial de justiça deveria devolver o mandado sem cumprimento, já que a
diligência deveria encerrar-se com a citação e intimação do próprio
reclamado para a audiência inaugural, assim cabendo certificar, apenas, que
este não se encontrava presente para receber a contra-fé da petição inicial,
no endereço indicado pelo reclamante.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Por todos os ângulos, a questão


está errada. Num primeiro momento, não foi correte o deferimento da

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 164 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
notificação do reclamado por oficial de justiça, pois conforme art. 841 da
CLT, quando não for possível a realização do ato por via postal, será
realizada por edital. O oficial de justiça atua na execução, não realizando
notificações no processo de conhecimento. Em segundo lugar, já que o
oficial de justiça foi até o local da empresa e encontrou um empregado,
mesmo que o representante legal não estivesse, deveria dar por feita a
notificação, já que no processo do trabalho aquela não precisa ser pessoal,
podendo efetivar-se com a entrega para quem estiver no local, desde que
essa esteja correto, como na questão do CESPE/Unb. Nos termos do art.
841 da CLT:

“Recebida e protocolada a reclamação, o escrivão ou secretário,


dentro de 48 (quarenta e oito) horas, remeterá a segunda via da
petição, ou do termo, ao reclamado, notificando-o ao mesmo
tempo, para comparecer à audiência do julgamento, que será a
primeira desimpedida, depois de 5 (cinco) dias.
§ 1º - A notificação será feita em registro postal com franquia. Se
o reclamado criar embaraços ao seu recebimento ou não for
encontrado, far-se-á a notificação por edital, inserto no jornal
oficial ou no que publicar o expediente forense, ou, na falta,
afixado na sede da Junta ou Juízo”.

7 - Q5075 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
09032041690

Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se seguem.


Após a distribuição da reclamação trabalhista, será designada audiência,
quando o juiz tentará a conciliação entre as partes ou, em caso negativo,
prosseguirá, recebendo a contestação e as demais exceções e instruindo a
causa para imediato julgamento, com as provas que lhe forem apresentadas.
Se não houver condições de concluir a instrução, o juiz designará nova
audiência para prosseguimento, no prazo de trinta dias.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 165 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. No processo do trabalho a
audiência é UNA, não devendo ser fracionada. Contudo, se houver
necessidade, como na hipótese versada pelo CESPE, em que não foi
possível concluir a instrução no mesmo dia, será designada nova data, mas
não no prazo de 30 dias, e sim, o mais breve possível. O art. 849 da CLT,
que será a seguir transcrito, diz que a continuação será na primeira
audiência desimpedida, independentemente de nova notificação. Assim, o
mais breve possível, será dado continuidade à instrução para chegar-se,
em breve, ao julgamento. Vejamos:

“A audiência de julgamento será contínua; mas, se não for


possível, por motivo de força maior, concluí-la no mesmo dia, o
juiz ou presidente marcará a sua continuação para a primeira
desimpedida, independentemente de nova notificação”.

8 - Q5076 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Se a parte não estiver presente em audiência de julgamento, ainda quando
intimada anteriormente da data da prolação da sentença, será,
necessariamente, a decisão publicada ou notificada pessoalmente à parte,
sob pena de nulidade.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Se a parte foi intimada para


audiência na qual seria publicada a sentença e não comparece, será a
09032041690

sentença proferida e publicada da mesma forma, sendo que o ausente será


considerada intimado da decisão naquele mesmo ato, pois sabia que
naquele dia, em audiência, o Magistrado proferiria e publicaria a decisão.
Essa idéia simples encontra-se na Súmula nº 197 do TST, a seguir
transcrita:

“O prazo para recurso da parte que, intimada, não comparecer à


audiência em prosseguimento para a prolação da sentença conta-
se de sua publicação”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 166 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

Não há necessidade, assim, da parte ser notificada posteriormente, por


imprensa, correio ou outra forma, não havendo qualquer nulidade do
processo. Em termos práticos, afirma-se que o prazo de recurso começa a
ser contado no primeiro dia útil seguinte àquela audiência, mesmo que
ausente a parte intimada.

9 - Q5077 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
No caso de o reclamado não comparecer à audiência inaugural e não
justificar a sua ausência, o processo será arquivado.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A resposta da questão encontra-


se no importantíssimo art. 844 da CLT, que trata das conseqüências da
ausência das partes à audiência. Vejamos:

“O não-comparecimento do reclamante à audiência importa o


arquivamento da reclamação, e o não-comparecimento do
reclamado importa revelia, além de confissão quanto à matéria de
fato”.

A ausência do reclamante importa em arquivamento, ao passo que a


ausência do reclamado importa em revelia, bem como confissão em
relação à matéria de fato. A informação do CESPE/Unb está errada, pois
09032041690

inverteu as informações.

10 - Q256164 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
O termo de acordo entabulado na comissão de conciliação prévia, por
retratar a vontade das partes, possuirá eficácia liberatória geral, havendo ou
não ressalvas no aludido termo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 167 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O art. 625-E, § único da CLT, ao
tratar do termo do acordo realizado na comissão de conciliação prévia diz
que: 1. Trata-se de título executivo extrajudicial, que se não cumprido
poderá ser executado na Justiça do Trabalho; 2. Haverá a eficácia
liberatória geral das parcelas ali consignadas, desde que não haja
ressalvas. Se o empregado fizer ressalva em relação à alguma parcela,
poderá mais tarde discuti-la judicialmente. Nos termos do dispositivo
mencionado:

“O termo de conciliação é título executivo extrajudicial e terá


eficácia liberatória geral, exceto quanto às parcelas
expressamente ressalvadas”.

A mesma idéia é demonstrada por importante Súmula do TST, de nº 330,


que é sempre cobrada nos concursos trabalhistas, razão pela qual é
transcrita para leitura:

“A quitação passada pelo empregado, com assistência de entidade


sindical de sua categoria, ao empregador, com observância dos
requisitos exigidos nos parágrafos do art. 477 da CLT, tem eficácia
liberatória em relação às parcelas expressa-mente consignadas no
recibo, salvo se oposta ressalva expressa e especificada ao valor
dado à parcela ou parcelas impugnadas.
I - A quitação não abrange parcelas não consignadas no recibo de
09032041690

quitação e, conseqüentemente, seus reflexos em outras parcelas,


ainda que estas constem desse recibo.
II - Quanto a direitos que deveriam ter sido satisfeitos durante a
vigência do contrato de trabalho, a quitação é válida em relação
ao período expressamente consignado no recibo de quitação”.

11 - Q106976 ( Prova: CESPE - 2011 - Correios - Analista de Correios -


Advogado / Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 168 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue o item subsecutivo, referente a dissídios individuais.

Nos dissídios individuais, o juiz deve provocar a apresentação da primeira


proposta conciliatória logo após a entrega da defesa escrita ou a
apresentação de defesa oral.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A primeira tentativa de conciliação


no procedimento trabalhista está prevista no art. 846 da CLT e é realizada
antes da apresentação da defesa pelo reclamado. Na audiência, tem-se a
realização do pregão das partes e, em seguida, a primeira tenatativa de
conciliação. Se restar infrutífere, passa à entrega da defesa, instrução do
processo, razões finais e, conforme art. 850 da CLT, a segunda tentativa
de conciliação. Restante novamente infrutífera, será proferida sentença.
Transcrevem-se os dois dispositivos (846 e 850 da CLT, que tratam da
matéria:

“Art. 846 - Aberta a audiência, o juiz ou presidente proporá a


conciliação.

Art. 850 - Terminada a instrução, poderão as partes aduzir razões


finais, em prazo não excedente de 10 (dez) minutos para cada
uma. Em seguida, o juiz ou presidente renovará a proposta de
conciliação, e não se realizando esta, será proferida a decisão”.
09032041690

12 - Q67771 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Na ocorrência de acordo entre as partes, a homologação desse acordo será
irrecorrível.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 169 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Não se pode dizer, genericamente,
que da sentença que homologa acordo ninguém pode recorrer, ou como
disse o CESPE, sem qualquer exceção, “a homologação desse acordo será
irrecorrível”. Tal informação contrasta com o art. 831 da CLT, que em seu
parágrafo único diz que a Previdência Social (hoje União) poderá recorrer
quanto às contribuições que lhe são devidas. Assim, cabe recursal, apenas
pela União, que interporá em 16 dias o recurso ordinário, caso discorde da
homologação do acordo, por entender que lhe retira, ilicitamente,
contribuições devidas. Conforme dispositivo legal:

“Art. 831 - A decisão será proferida depois de rejeitada pelas


partes a proposta de conciliação.
Parágrafo único. No caso de conciliação, o termo que for lavrado
valerá como decisão irrecorrível, salvo para a Previdência Social
quanto às contribuições que lhe forem devidas”.

13 - Q310050 ( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Quanto ao procedimento sumaríssimo, julgue os itens a seguir.
A ausência de pedido certo e determinado e da indicação correta do endereço
do reclamado é causa para o arquivamento da reclamação trabalhista, assim
como a condenação do reclamante em custas sobre o valor da causa.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. A informação consta no art.


09032041690

852-B, §1º da CLT, que diz que são requisitos da petição inicial da
reclamação trabalhista submetida ao procedimento sumaríssimo: 1. pedido
certo e determinado; 2. Indicação correta do endereço do reclamado.
Ausentes tais requisitos, o feito será arquivado, ou seja, extinto sem
resolução do mérito, havendo ainda a condenação do autor ao pagamento
das custas processuais, por ter movido o Poder Judiciário sem o
preenchimento dos requisitos legais. Vejamos:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 170 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“O não atendimento, pelo reclamante, do disposto nos incisos I e
II deste artigo importará no arquivamento da reclamação e
condenação ao pagamento de custas sobre o valor da causa”.

14 - Q301053 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -


Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Acerca de procedimento ordinário, julgue os itens subsecutivos.
Nas causas sujeitas ao procedimento ordinário, não é admitido recurso de
revista contra decisão proferida em grau de recurso ordinário que viole direta
e literalmente dispositivo constitucional.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação é inverídica, pois


esse é uma das hipóteses de cabimento do recurso de revista. Sendo
proferido acórdão em julgamento de recurso ordinário, em que houve
violação direta e literal a disposição constitucional, nos termos do art. 896,
“c” da CLT. Vejamos:

“Art. 896 - Cabe Recurso de Revista para Turma do Tribunal


Superior do Trabalho das decisões proferidas em grau de recurso
ordinário, em dissídio individual, pelos Tribunais Regionais do
Trabalho, quando:
(...)
c) proferidas com violação literal de disposição de lei
09032041690

federal ou afronta direta e literal à Constituição Federal”.

15 - Q301054 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -


Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
No rito ordinário, o juiz somente tem a obrigação de propor a conciliação por
ocasião da abertura da audiência, podendo usar dos meios adequados de
persuasão para a solução conciliatória do litígio, em qualquer fase da
audiência.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 171 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. No rito ordinário, são dois os


momentos obrigatórios em que o Juiz deve tentar a conciliação, a saber:

1. No início da audiência, conforme art. 846 da CLT;


2. Após as razões finais, de acordo com o art. 850 da CLT.

Nas duas situações, feito o acordo será o processo extinto com resolução
do mérito, conforme art. 269, III do CPC, sendo que tal decisão será
irrecorrível para as partes, de acordo com o art. 831, § único da CLT.
Somente a União pode recorrer em relação às contribuições
previdenciárias.

16 – Q277813 ( Prova: CESPE – 2004 – AGU - Advogado / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Acerca do procedimento observado nas ações propostas perante
a justiça do trabalho, julgue os itens seguintes.
Nas reclamações trabalhistas propostas contra entidades da administração
direta, autárquica ou fundacional, cujo valor seja inferior a 60 salários
mínimos, deve ser observado o procedimento sumaríssimo, ainda que
verificado o exercício do jus postulandi pela parte autora da ação.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O rito sumaríssimo, procedimento


09032041690

a ser adotado para ações de até 40 salários mínimos, não é adequado


quando a parte é integrante da administração direta, autárquica ou
fundacional, conforme exclusão do art. 852-A, § único da CLT. Quando a
demanda envolver tais entes, deverá ser adotado o procedimento ordinário,
por ser dotado de mais garantias processuais. Nos termos do dispositivo
legal:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 172 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as demandas em
que é parte a Administração Pública direta, autárquica e
fundacional”.

Cuidado pois não estão excluídos do procedimento sumaríssimo as


demandas em que são partes as sociedades de economia mista e
empresas públicas, por se tratarem de entidades com personalidade
jurídica de direito privado.

17 - Q100218 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Acerca do processo do trabalho, seus princípios, exigências, ritos,
recursos e outras modalidades de impugnação, reexame ou
rescisão de decisões exaradas pela justiça do trabalho, assim
como liquidação e execução de sentenças, julgue os itens de
91 a 96.
Os dissídios individuais envolvendo a administração pública direta,
autárquica e fundacional observarão o rito ordinário trabalhista, exceto
quando o valor da causa não exceder a 40 vezes o salário mínimo vigente
na data do ajuizamento da reclamação.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Da mesma forma como vimos na


questão anterior, mesmo que o valor da causa seja inferior a 40 salários
09032041690

mínimos, as demandas envolvendo a administração pública direta,


autárquica e fundacional, não serão processadas no rito sumaríssimo, e
sim, no ordinário, já que o § único do art. 852-A da CLT exclui tais entes
do procedimento mais célere. Vejamos:

“Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as demandas em


que é parte a Administração Pública direta, autárquica e
fundacional”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 173 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
18 - Q152943 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /
Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
Uma reclamação trabalhista contra uma autarquia e cujo valor seja inferior
a 40 salários mínimos será submetida ao rito sumaríssimo.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Novamente devemos lembrar a


exclusão do § único do art. 852-A da CLT. Se a demanda envolve ente da
administração pública direta, autarquias e fundações, a ação não pode ser
processada pelo rito sumaríssimo, devendo ser apenas no ordinário.
Transcreve-se novamente o dispositivo legal, que precisa ser decorado:

“Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as demandas em


que é parte a Administração Pública direta, autárquica e
fundacional”.

19 - Q199145 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Com relação aos procedimentos ordinário e sumaríssimo, julgue os
itens que se seguem.
No procedimento sumaríssimo, o magistrado está dispensado do relatório no
tocante à sentença.

09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Informação simples, mas


correta. Para facilitar o julgamento das demandas submetidas ao
procedimento sumaríssimo, o legislador valeu-se do seu poder para
dispensar o relatório da sentença naquele procedimento, por meio do
art. 852-I da CLT, a seguir transcrito:

“A sentença mencionará os elementos de convicção do juízo, com


resumo dos fatos relevantes ocorridos em audiência, dispensado o
relatório”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 174 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

No rito ordinário, são obrigatórios o relatório, a fundamentação e o


dispositivo, mesmo que a sentença tenha sito proferida oralmente, sob
pena de nulidade, nos termos do art. 832 da CLT e 458 do CPC.

20 - Q95711 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Os dissídios individuais cujo valor não exceda 40 vezes o salário mínimo em
vigor deverão ser submetidos ao rito sumaríssimo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Informação simples que está


descrita no art. 852-A da CLT, que trata em seu caput acerca da
competência para o procedimento sumaríssimo. Leva-se em consideração
o valor da causa quando do ajuizamento, que não pode ser superior a 40
salários mínimos. Vejamos:

“Os dissídios individuais cujo valor não exceda a quarenta vezes o


salário mínimo vigente na data do ajuizamento da reclamação
ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo”.

21 - Q99143 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
09032041690

sumaríssimo; )
Carlos ajuizou, perante a vara do trabalho, reclamação
trabalhista, com valor de causa igual a vinte salários mínimos,
pretendendo verbas salariais e rescisórias da empresa que fora sua
anterior empregadora e, ainda, a responsabilização subsidiária da
autarquia federal, à qual teria, por meio daquela empresa
interposta, prestado serviços. A ação apresentou pedidos líquidos
e endereço adequado das partes reclamadas. Assistido o
trabalhador pelo sindicato da categoria obreira, postulou na

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 175 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
petição inicial, ainda, honorários advocatícios em favor da
entidade assistente, juntando declaração de que, não obstante
perceba salário superior a dois salários mínimos, não tinha
condições de suportar os ônus do processo sem prejuízo ao
sustento próprio e ao de sua família.

Com base nessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.


A reclamação trabalhista deve seguir o rito sumaríssimo, devido ao valor
dado à causa e à observância da exigência de pedido líquido e de correto
endereçamento da parte reclamada, já que a autarquia federal apenas está
sendo chamada a integrar a lide como responsável subsidiária, e não como
devedora principal.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Mesma que a autarquia federal


tenha sido incluída na lide como responsável subsidiária, não pode o
demanda seguir o procedimento sumaríssimo, ante a exclusão feita no §
único do art. 852-A da CLT. A exclusão das autarquias é para a qualidade
de parte, devedora principal ou subsidiária. A lei não traz qualquer
distinção, razão pela qual não pode aquele ente participar de demanda do
rito sumaríssimo. Esse é o tema mais cobrado em concursos públicos
quando o assunto é procedimento sumaríssimo. Logo, deve-se guardar
todas as informações constantes no art. 852-A da CLT.

22 - Q99164 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


09032041690

Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e


sumaríssimo; )
Quanto aos recursos no processo trabalhista, julgue os itens
subseqüentes.
Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, somente será admitido
recurso de revista ao TST quando houver violação direta à Constituição
Federal pela decisão do TRT.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 176 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O recurso de revista no
procedimento sumaríssimo pode ser interposto sob a alegação de ofensa
à:
a. Súmula do TST;
b. Constituição Federal;
Essa informação consta no §6º do art. 896 da CLT, abaixo transcrito:

“Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, somente será


admitido recurso de revista por contrariedade a súmula de
jurisprudência uniforme do Tribunal Superior do Trabalho e
violação direta da Constituição da República”.

Importante dizer que a Súmula nº 442 do TST, criada em Setembro de


2012, afirma que o termo súmula constante do dispositivo transcrito não
pode ser interpretado também como orientação jurisprudencial do
TST. Assim, súmula é apenas súmula. Se a decisão do TRT violar OJ, não
caberá recurso de revista.

23 – Q101972 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Julgue os itens seguintes, referentes ao direito processual do
trabalho.
Nas ações vinculadas ao denominado procedimento sumaríssimo, o valor
09032041690

correspondente a cada um dos pedidos deduzidos deve figurar na petição


inicial, não podendo a soma de todos eles suplantar o limite de 40 salários
mínimos.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeita a afirmação do CESPE, pois


de acordo com o art. 852—A e B da CLT. O valor da causa nesse rito não
pode ser superior a 40 salários mínimos, considerando-se todos os pedidos
que foram formulados pelo (s) autor (es). Além disso, de acordo com o art.
852-B, I da CLT, os pedidos devem ser certos, determinados e

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 177 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
líquidos, ou seja, devem os valores figurar na petição inicial, isto é, cada
pedido deve vir com o valor especificado, sob pena de arquivamento e
condenação do reclamante ao pagamento das custas processuais,
calculadas sobre o valor da causa.

24 - Q99373 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento
ordinário e sumaríssimo; )
Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se
seguem.
As reclamações trabalhistas podem seguir rito sumaríssimo, se o valor dado
à causa for igual ou superior a 40 salários mínimos. Entretanto, se a causa
envolver o Poder Público, deverá seguir sempre pelo rito ordinário do
processo do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A primeira parte está errada.


Conforme art. 852-A da CLT, as demandas cujo valor seja de até 40 salários
mínimos seguirão o rito sumaríssimo. A segunda parte também contém um
erro, talvez mais difícil de ser percebido. Ao se referir a Poder Público, que
estaria excluído do procedimento sumaríssimo, deveria o CESPE ter dito
Administração Pública Direta, autárquica e fundacional, pois as
sociedades de economia mista e as empresas públicas, por possuírem
personalidade jurídica de direito privado, não estão excluídas do rito
mencionado. Transcreve-se o art. 852-A da CLT:
09032041690

“Art. 852-A. Os dissídios individuais cujo valor não exceda a


quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento
da reclamação ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo.
Parágrafo único. Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as
demandas em que é parte a Administração Pública direta,
autárquica e fundacional”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 178 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
25 - Q101767 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área
Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Julgue os próximos itens, relativos ao processo judiciário do
trabalho.
No rito ordinário trabalhista, o comparecimento das partes à audiência é
obrigatório, independentemente do comparecimento de seus
representantes. Nesse sentido, a ausência do reclamante conduzirá
necessariamente ao arquivamento do feito, independentemente da fase
processual em que se encontre.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação é falsa em virtude do


CESPE ter dito, ao final, “independentemente da fase processual em que se
encontre”. Percebam que o arquivamento determinado pelo art. 844 da
CLT, ocorre quando é na audiência inaugural, mesmo porque o TST
reconhece, por meio de sua Súmula nº 9, que tal ausência, em audiência
de prosseguimento, pode não importar em arquivamento e condenação ao
pagamento de custas, se a defesa já houver sido apresentada. Assim, se o
reclamante falta à uma audiência que está sendo realizada no curso da
instrução processual (produção de provas), não será aplicada aquela
penalidade. Transcreve-se a Súmula nº 9 do TST, para conhecimento:

“A ausência do reclamante, quando adiada a instrução após


09032041690

contestada a ação em audiência, não importa arquivamento do


processo”.

26 - Q101768 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Nas ações vinculadas ao rito sumaríssimo, os pedidos devem ser certos e
determinados, facultada ao autor a respectiva liquidação como forma de
facilitar a tentativa de conciliação.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 179 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Conforme art. 852-B, I da CLT, os


pedidos devem ser certos, determinados e líquidos, devendo o autor, sob
pena de indeferimento da inicial, com conseqüência arquivamento do
processo, afirmar o valor dos pedidos que estão sendo formulados. Não se
trata tal liquidação na inicial de opção do reclamante. Trata-se de
obrigação, que se não satisfeita, gerará a extinção do processo sem
resolução do mérito, de acordo com o §1º do art. 852-B da CLT, abaixo
transcrito para conhecimento:

“Art. 852-B. Nas reclamações enquadradas no procedimento


sumaríssimo:
I - o pedido deverá ser certo ou determinado e indicará o valor
correspondente;
(...)
§ 1º O não atendimento, pelo reclamante, do disposto nos incisos
I e II deste artigo importará no arquivamento da reclamação e
condenação ao pagamento de custas sobre o valor da causa”.

27 - Q93210 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento
ordinário e sumaríssimo; )
09032041690

Julgue os itens seguintes, considerando o procedimento ordinário e


o sumaríssimo.
A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê que, no procedimento
ordinário, a entrega da defesa deve preceder a primeira proposta de
conciliação.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação mais uma vez é


falsa, pois nos termos do art. 846 da CLT, a primeira tentativa de
conciliação será realizada no início da audiência. Somente se não houver

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 180 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
acordo é que o reclamado apresentará a defesa, oral em 20 minutos,
conforme art. 847 da CLT. Assim, a entrega da defesa não precede a
primeira tentativa de conciliação. É exatamente o contrário. A primeira
tentativa de conciliação precede a entrega da defesa. Em relação à defesa,
já leva a pena transcrever o art. 847 da CLT, para ser memorizado por
todos:

“Não havendo acordo, o reclamado terá vinte minutos para aduzir


sua defesa, após a leitura da reclamação, quando esta não for
dispensada por ambas as partes”.

28 - Q93211 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento
ordinário e sumaríssimo; )
No procedimento sumaríssimo, caso o reclamado esteja em local incerto e
não sabido, proceder-se-á a citação por edital.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Se o reclamado estiver em local e


incerto e não sabido, em demanda que tramita pelo rito sumaríssimo, não
será realizada a citação por edital, pois o processo será arquivado com
condenação do reclamante ao pagamento de custas processuais, pois não
é possível aquele tipo de citação no rito sumaríssimo. No art. 852-B, II da
CLT, o legislador afirmou que o reclamante deve indicar na petição inicial o
09032041690

nome e o endereço do reclamado corretamente, pois não seria realizada a


citação por edital. Conforme §1º do mesmo artigo, se não seguidas aquelas
determinações, o processo é extinto sem resolução do mérito. Vejamos:

“não se fará citação por edital, incumbindo ao autor a correta


indicação do nome e endereço do reclamado”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 181 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
29 - Q93082 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Com relação ao processo do trabalho, julgue os itens que se seguem.
A compensação pode ser reconhecida de ofício pelo juiz por ser, em verdade,
uma forma indireta de extinção de obrigações, destinada a possibilitar a
solução de dívidas entre as partes litigantes.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A compensação trabalhista não


pode ser reconhecida de ofício pelo Juiz, já que o art. 767 da CLT diz que
tal matéria deve ser alegada em defesa pelo reclamado. Além disso, as
Súmulas nº 18 e 48 do TST também tratam da matéria, destacando que
é na contestação que a compensação é argüida e que ela só pode se referir
à dívidas de natureza trabalhista. Transcrevemos os referidos
entendimentos:

“Art. 767 - A compensação, ou retenção, só poderá ser


argüida como matéria de defesa”.

“Súmula 18 do TST: A compensação, na Justiça do Trabalho, está


restrita a dívidas de natureza trabalhista”.

“Súmula 48 do TST: A compensação só poderá ser argüida com a


contestação”.
09032041690

30 - Q92379 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
A citação da demanda pode ocorrer por edital.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 182 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Levando-se em consideração o valor
do salário mínimo da época em que foi aplicada a prova – 2010 – tínhamos
mais de 40 salários mínimos, razão pela qual a ação seria ajuizada no rito
ordinário. No rito ordinário, diferentemente do que ocorre no sumaríssimo,
por restrição do art. 852-B, II da CLT, é possível a realização da citação do
reclamado por edital, conforme art. 841 da CLT, assim redigido:

“Art. 841 - Recebida e protocolada a reclamação, o escrivão ou


secretário, dentro de 48 (quarenta e oito) horas, remeterá a
segunda via da petição, ou do termo, ao reclamado, notificando-o
ao mesmo tempo, para comparecer à audiência do julgamento,
que será a primeira desimpedida, depois de 5 (cinco) dias.
§ 1º - A notificação será feita em registro postal com
franquia. Se o reclamado criar embaraços ao seu
recebimento ou não for encontrado, far-se-á a notificação
por edital, inserto no jornal oficial ou no que publicar o
expediente forense, ou, na falta, afixado na sede da Junta
ou Juízo.
§ 2º - O reclamante será notificado no ato da apresentação da
reclamação ou na forma do parágrafo anterior”.

31 - Q33663 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
09032041690

A respeito do procedimento sumaríssimo previsto na CLT, julgue


os seguintes itens.
É possível aos tribunais regionais do trabalho, divididos em Turmas, designar
Turma para o julgamento dos recursos ordinários interpostos das sentenças
prolatadas nos processos submetidos ao rito sumaríssimo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação consta no §2º do art.


895 da CLT, que juntamente com o §1º traz informações sobre o
procedimento a ser adotado nos recursos ordinários interpostos de
sentenças proferidas no rito sumaríssimo. Conforme §2º, tem-se:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 183 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

“Os Tribunais Regionais, divididos em Turmas, poderão designar


Turma para o julgamento dos recursos ordinários interpostos das
sentenças prolatadas nas demandas sujeitas ao procedimento
sumaríssimo”.

Trata-se de um dos procedimentos que podem ser adotados pelos Tribunais


Regionais do Trabalho de forma a acelerar o julgamento de tais recursos,
pois submetidos ao célere rito sumaríssimo, previsto nos artigos 852-A a I
da CLT.

32 - Q33662 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
É vedada a utilização de eqüidade nos julgamentos das causas submetidas
ao rito sumaríssimo.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Não há qualquer previsão legal


acerca da vedação ao julgamento por equidade no rito sumaríssimo. Assim,
aplicam-se os artigos 8º da CLT e 126 do CPC acerca da aplicação de tal
instituto. A equidade, por muitos entendida como o “senso de justiça”, o
“bom senso”, pode ser aplicada no julgamento de demandas trabalhistas,
pouco importando o rito adotado. Transcreve-se o importante art. 8º da
CLT, para conhecimento:
09032041690

“Art. 8º - As autoridades administrativas e a Justiça do Trabalho,


na falta de disposições legais ou contratuais, decidirão, conforme
o caso, pela jurisprudência, por analogia, por eqüidade e outros
princípios e normas gerais de direito, principalmente do direito do
trabalho, e, ainda, de acordo com os usos e costumes, o direito
comparado, mas sempre de maneira que nenhum interesse de
classe ou particular prevaleça sobre o interesse público.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 184 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Parágrafo único - O direito comum será fonte subsidiária do direito
do trabalho, naquilo em que não for incompatível com os princípios
fundamentais deste”.

33 - Q33661 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Em retornando a notificação citatória remetida ao reclamado, sob a indicação
de que o endereço indicado estava incompleto, deverá o juiz do trabalho
intimar o reclamante para, em 10 dias, informar o correto endereço onde
deverá ser citado o reclamado, sob pena de extinção do processo sem exame
do mérito.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A previsão legal não é de emenda,


e sim, por aplicação do art. 841 da CLT, realização de citação por edital.
Vejamos:

Art. 841 - Recebida e protocolada a reclamação, o escrivão ou


secretário, dentro de 48 (quarenta e oito) horas, remeterá a
segunda via da petição, ou do termo, ao reclamado, notificando-o
ao mesmo tempo, para comparecer à audiência do julgamento,
que será a primeira desimpedida, depois de 5 (cinco) dias.
§ 1º - A notificação será feita em registro postal com
franquia. Se o reclamado criar embaraços ao seu
recebimento ou não for encontrado, far-se-á a notificação
por edital, inserto no jornal oficial ou no que publicar o
09032041690

expediente forense, ou, na falta, afixado na sede da Junta


ou Juízo.

Trata-se de questão difícil e complicada, pois nada impede que o


Magistrado, por celeridade e economia processuais, princípios amplamente
aplicáveis ao processo do trabalho, venha a determinar a emenda da
petição inicial, com a indicação de novo endereço. Contudo, não é a
previsão expressa da CLT. Conforme visto no §1º do art. 841 da CLT, a
hipótese é de citação por edital mesmo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 185 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

34 - Q33660 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Serão submetidos ao procedimento sumaríssimo os dissídios individuais cujo
valor não exceda 40 vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento
da reclamação, ainda que figure como parte a administração pública direta.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Conforme já visto em diversas


outras questões, a Administração Pública Direta (autárquica e fundacional
também) está excluída do rito sumaríssimo, mesmo que o valor da ação
seja de até 40 salários mínimos. O art. 852-A da CLT determina tal
exclusão, conforme transcrito a seguir:

“Art. 852-A. Os dissídios individuais cujo valor não exceda a


quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento
da reclamação ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo.
Parágrafo único. Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as
demandas em que é parte a Administração Pública direta,
autárquica e fundacional”.

35 - Q22846 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Julgue os itens a seguir.
09032041690

Se o valor dado à causa não exceder a 60 salários mínimos, as reclamações


trabalhistas deverão seguir o rito sumaríssimo previsto na Consolidação das
Leis do Trabalho (CLT).

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O procedimento sumaríssimo,


como já visto diversas vezes, é para as demandas de valor até 40 salários
mínimos quando do ajuizamento da ação. Vejamos o art. 852-A da CLT:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 186 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“Art. 852-A. Os dissídios individuais cujo valor não exceda a
quarenta vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento
da reclamação ficam submetidos ao procedimento sumaríssimo.
Parágrafo único. Estão excluídas do procedimento sumaríssimo as
demandas em que é parte a Administração Pública direta,
autárquica e fundacional”.

36 - Q22845 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; Procedimento
ordinário e sumaríssimo; Provas; Inquérito para apuração de falta grave; )
No processo do trabalho é admitida, em geral, a indicação de três
testemunhas para cada uma das partes, exceto nas reclamações sob rito
sumaríssimo, quando o número de testemunhas é limitado a duas por parte,
ou nos inquéritos para apuração de falta grave, quando poderá chegar a seis
testemunhas para cada parte.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. No processo do trabalho, o


número de testemunhas leva em consideração o rito a ser adotado. Segue-
se a seguinte tabela:

Procedimento – Rito Número de testemunhas por parte


Ordinário 3 (três)
Sumário 3 (três)
Sumaríssimo 2 (duas)
Inquérito para apuração de falta grave 6 (seis)
09032041690

No sumário, que pela Lei nº 5584/70 é voltado para ações de valor até 2
salários mínimos, aplicam-se as regras do rito ordinário, por ausência de
previsão própria e específica sobre prova testemunhal. No rito
sumaríssimo, aplica-se o art. 852-H, §2º da CLT e no inquérito para
apuração de falta grave, a regra é a contida no art. 821 da CLT, a seguir
transcrito, que trata ao mesmo tempo do rito ordinário e do inquérito:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 187 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“Cada uma das partes não poderá indicar mais de 3 (três)
testemunhas, salvo quando se tratar de inquérito, caso em que
esse número poderá ser elevado a 6 (seis)”.

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q98562 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito


Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Um empregado sofreu redução salarial ilícita, tendo recebido a metade do
valor a que fazia jus, o que fez que o percentual do FGTS incidisse sobre o
valor que efetivamente lhe foi pago, ou seja, o salário reduzido. Essa
situação perdurou por um ano, tendo sido posteriormente regularizada
espontaneamente pelo empregador. Passados mais de dez anos dessa
regularização o empregador dispensou o empregado sem justa causa. Dias
depois da dispensa, o empregado ajuizou reclamação trabalhista pleiteando
o depósito do FGTS integral daquele período considerando que este deveria
incidir na parte do salário que não foi paga.

Considerando essa situação hipotética, julgue o item que se segue, a respeito


da prescrição no direito do trabalho.

O empregado não corre o risco de que a prescrição da pretensão deduzida


na inicial seja pronunciada, uma vez que pode exigir os depósitos do FGTS
09032041690

incidentes sobre a parte do salário que não lhe foi paga no prazo de trinta
anos até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho.

2 – Q101971 ( Prova: CESPE – 2005 – TRT-16R – Analista Judiciário – Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Reclamação Trabalhista; )
Julgue os itens seguintes, referentes ao direito processual do
trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 188 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Na justiça do trabalho, segundo a previsão da Consolidação das Leis do
Trabalho, as reclamações podem ser feitas de forma escrita ou verbal.

3 - Q101766 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Julgue os próximos itens, relativos ao processo judiciário do
trabalho.
Embora o processo do trabalho seja instruído sob o princípio da
informalidade, a petição inicial da reclamação trabalhista há de ser
elaborada, necessariamente, de forma escrita, com estrita observância dos
demais requisitos legais.

4 - Q67777 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito


Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Na discussão judicial de direitos, caso o empregador reconheça parte do
crédito almejado pelo obreiro, mas não o quite na primeira assentada,
deverá ser condenado a fazê-lo com a majoração de 50% somente sobre o
salário devido.

5 - Q67775 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito


Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Ao postular o reconhecimento de eventual relação de emprego, o obreiro não
09032041690

terá distinção entre os efeitos da prescrição, somente para esse fim, quando
menor ou maior.

6 - Q5336 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Reclamação Trabalhista; )
Em reclamação trabalhista, a notificação encaminhada ao reclamado foi
devolvida sob a indicação de destinatário desconhecido no endereço, embora
este constasse da CTPS do reclamante como o endereço do seu empregador.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 189 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Na audiência inaugural, o reclamante, alegando que o endereço estava
correto e que seu anterior empregador usara subterfúgios impróprios,
solicitou ao juiz que determinasse a citação e intimação do reclamado por
oficial de justiça, o que ocorreu, com designação de nova audiência. O oficial
de justiça, cumprindo o mandado judicial, verificou que o endereço era
efetivamente do reclamado, mas que este não se encontrava no local quando
das diligências, conforme informações dadas por empregado atual do
reclamado, que estava no local constante da petição inicial e da notificação
originalmente expedida. Considerando essa situação, julgue os itens que se
seguem.
O oficial de justiça deveria devolver o mandado sem cumprimento, já que a
diligência deveria encerrar-se com a citação e intimação do próprio
reclamado para a audiência inaugural, assim cabendo certificar, apenas, que
este não se encontrava presente para receber a contra-fé da petição inicial,
no endereço indicado pelo reclamante.

7 - Q5075 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se seguem.
Após a distribuição da reclamação trabalhista, será designada audiência,
quando o juiz tentará a conciliação entre as partes ou, em caso negativo,
prosseguirá, recebendo a contestação e as demais exceções e instruindo a
causa para imediato julgamento, com as provas que lhe forem apresentadas.
Se não houver condições de concluir a instrução, o juiz designará nova
audiência para prosseguimento, no prazo de trinta dias.
09032041690

8 - Q5076 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
Se a parte não estiver presente em audiência de julgamento, ainda quando
intimada anteriormente da data da prolação da sentença, será,
necessariamente, a decisão publicada ou notificada pessoalmente à parte,
sob pena de nulidade.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 190 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
9 - Q5077 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área
Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Reclamação Trabalhista; )
No caso de o reclamado não comparecer à audiência inaugural e não
justificar a sua ausência, o processo será arquivado.

10 - Q256164 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
O termo de acordo entabulado na comissão de conciliação prévia, por
retratar a vontade das partes, possuirá eficácia liberatória geral, havendo ou
não ressalvas no aludido termo.

11 - Q106976 ( Prova: CESPE - 2011 - Correios - Analista de Correios -


Advogado / Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
Julgue o item subsecutivo, referente a dissídios individuais.

Nos dissídios individuais, o juiz deve provocar a apresentação da primeira


proposta conciliatória logo após a entrega da defesa escrita ou a
apresentação de defesa oral.

12 - Q67771 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Dissídios Individuais; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Na ocorrência de acordo entre as partes, a homologação desse acordo será
09032041690

irrecorrível.

13 - Q310050 ( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Quanto ao procedimento sumaríssimo, julgue os itens a seguir.
A ausência de pedido certo e determinado e da indicação correta do endereço
do reclamado é causa para o arquivamento da reclamação trabalhista, assim
como a condenação do reclamante em custas sobre o valor da causa.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 191 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
14 - Q301053 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -
Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Acerca de procedimento ordinário, julgue os itens subsecutivos.
Nas causas sujeitas ao procedimento ordinário, não é admitido recurso de
revista contra decisão proferida em grau de recurso ordinário que viole direta
e literalmente dispositivo constitucional.

15 - Q301054 ( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -


Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
No rito ordinário, o juiz somente tem a obrigação de propor a conciliação por
ocasião da abertura da audiência, podendo usar dos meios adequados de
persuasão para a solução conciliatória do litígio, em qualquer fase da
audiência.

16 – Q277813 ( Prova: CESPE – 2004 – AGU - Advogado / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Acerca do procedimento observado nas ações propostas perante
a justiça do trabalho, julgue os itens seguintes.
Nas reclamações trabalhistas propostas contra entidades da administração
direta, autárquica ou fundacional, cujo valor seja inferior a 60 salários
mínimos, deve ser observado o procedimento sumaríssimo, ainda que
verificado o exercício do jus postulandi pela parte autora da ação.
09032041690

17 - Q100218 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Acerca do processo do trabalho, seus princípios, exigências, ritos,
recursos e outras modalidades de impugnação, reexame ou
rescisão de decisões exaradas pela justiça do trabalho, assim
como liquidação e execução de sentenças, julgue os itens de
91 a 96.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 192 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Os dissídios individuais envolvendo a administração pública direta,
autárquica e fundacional observarão o rito ordinário trabalhista, exceto
quando o valor da causa não exceder a 40 vezes o salário mínimo vigente
na data do ajuizamento da reclamação.

18 - Q152943 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
Uma reclamação trabalhista contra uma autarquia e cujo valor seja inferior
a 40 salários mínimos será submetida ao rito sumaríssimo.

19 - Q199145 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Com relação aos procedimentos ordinário e sumaríssimo, julgue os
itens que se seguem.
No procedimento sumaríssimo, o magistrado está dispensado do relatório no
tocante à sentença.

20 - Q95711 ( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Os dissídios individuais cujo valor não exceda 40 vezes o salário mínimo em
vigor deverão ser submetidos ao rito sumaríssimo. 09032041690

21 - Q99143 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Carlos ajuizou, perante a vara do trabalho, reclamação
trabalhista, com valor de causa igual a vinte salários mínimos,
pretendendo verbas salariais e rescisórias da empresa que fora sua
anterior empregadora e, ainda, a responsabilização subsidiária da
autarquia federal, à qual teria, por meio daquela empresa

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 193 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
interposta, prestado serviços. A ação apresentou pedidos líquidos
e endereço adequado das partes reclamadas. Assistido o
trabalhador pelo sindicato da categoria obreira, postulou na
petição inicial, ainda, honorários advocatícios em favor da
entidade assistente, juntando declaração de que, não obstante
perceba salário superior a dois salários mínimos, não tinha
condições de suportar os ônus do processo sem prejuízo ao
sustento próprio e ao de sua família.

Com base nessa situação hipotética, julgue os itens seguintes.


A reclamação trabalhista deve seguir o rito sumaríssimo, devido ao valor
dado à causa e à observância da exigência de pedido líquido e de correto
endereçamento da parte reclamada, já que a autarquia federal apenas está
sendo chamada a integrar a lide como responsável subsidiária, e não como
devedora principal.

22 - Q99164 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Quanto aos recursos no processo trabalhista, julgue os itens
subseqüentes.
Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, somente será admitido
recurso de revista ao TST quando houver violação direta à Constituição
Federal pela decisão do TRT.

09032041690

23 – Q101972 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Julgue os itens seguintes, referentes ao direito processual do
trabalho.
Nas ações vinculadas ao denominado procedimento sumaríssimo, o valor
correspondente a cada um dos pedidos deduzidos deve figurar na petição
inicial, não podendo a soma de todos eles suplantar o limite de 40 salários
mínimos.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 194 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
24 - Q99373 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento
ordinário e sumaríssimo; )
Quanto às reclamações trabalhistas, julgue os itens que se
seguem.
As reclamações trabalhistas podem seguir rito sumaríssimo, se o valor dado
à causa for igual ou superior a 40 salários mínimos. Entretanto, se a causa
envolver o Poder Público, deverá seguir sempre pelo rito ordinário do
processo do trabalho.

25 - Q101767 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Julgue os próximos itens, relativos ao processo judiciário do
trabalho.
No rito ordinário trabalhista, o comparecimento das partes à audiência é
obrigatório, independentemente do comparecimento de seus
representantes. Nesse sentido, a ausência do reclamante conduzirá
necessariamente ao arquivamento do feito, independentemente da fase
processual em que se encontre.

26 - Q101768 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Nas ações vinculadas ao rito sumaríssimo, os pedidos devem ser certos e
09032041690

determinados, facultada ao autor a respectiva liquidação como forma de


facilitar a tentativa de conciliação.

27 - Q93210 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento
ordinário e sumaríssimo; )
Julgue os itens seguintes, considerando o procedimento ordinário e
o sumaríssimo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 195 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê que, no procedimento
ordinário, a entrega da defesa deve preceder a primeira proposta de
conciliação.

28 - Q93211 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Procedimento
ordinário e sumaríssimo; )
No procedimento sumaríssimo, caso o reclamado esteja em local incerto e
não sabido, proceder-se-á a citação por edital.
29 - Q93082 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Com relação ao processo do trabalho, julgue os itens que se seguem.
A compensação pode ser reconhecida de ofício pelo juiz por ser, em verdade,
uma forma indireta de extinção de obrigações, destinada a possibilitar a
solução de dívidas entre as partes litigantes.

30 - Q92379 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
A citação da demanda pode ocorrer por edital.
09032041690

31 - Q33663 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
A respeito do procedimento sumaríssimo previsto na CLT, julgue
os seguintes itens.
É possível aos tribunais regionais do trabalho, divididos em Turmas, designar
Turma para o julgamento dos recursos ordinários interpostos das sentenças
prolatadas nos processos submetidos ao rito sumaríssimo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 196 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

32 - Q33662 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
É vedada a utilização de eqüidade nos julgamentos das causas submetidas
ao rito sumaríssimo.

33 - Q33661 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Em retornando a notificação citatória remetida ao reclamado, sob a indicação
de que o endereço indicado estava incompleto, deverá o juiz do trabalho
intimar o reclamante para, em 10 dias, informar o correto endereço onde
deverá ser citado o reclamado, sob pena de extinção do processo sem exame
do mérito.

34 - Q33660 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e sumaríssimo; )
Serão submetidos ao procedimento sumaríssimo os dissídios individuais cujo
valor não exceda 40 vezes o salário mínimo vigente na data do ajuizamento
da reclamação, ainda que figure como parte a administração pública direta.

35 - Q22846 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
Julgue os itens a seguir.
Se o valor dado à causa não exceder a 60 salários mínimos, as reclamações
09032041690

trabalhistas deverão seguir o rito sumaríssimo previsto na Consolidação das


Leis do Trabalho (CLT).

36 - Q22845 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; Procedimento
ordinário e sumaríssimo; Provas; Inquérito para apuração de falta grave; )
No processo do trabalho é admitida, em geral, a indicação de três
testemunhas para cada uma das partes, exceto nas reclamações sob rito
sumaríssimo, quando o número de testemunhas é limitado a duas por parte,

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 197 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
ou nos inquéritos para apuração de falta grave, quando poderá chegar a seis
testemunhas para cada parte.

4.

1 – errado 2 – certo 3 – errado 4 – errado 5 – certo


6 – errado 7 – errado 8 – errado 9 – errado 10 – errado
11- errado 12- errado 13- certo 14- errado 15- errado
16- errado 17- errado 18- errado 19- Certo 20- certo
21- errado 22- errado 23- certo 24- errado 25- errado
26- errado 27- errado 28- errado 29- errado 30- certo
31- certo 32- errado 33- errado 34- errado 35- errado
36- certo

DOS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS: INQUÉRITO PARA


APURAÇÃO DE FALTA GRAVE, AÇÃO RESCISÓRIA E
MANDADO DE SEGURANÇA. DA SENTENÇA E DA COISA
JULGADA; DA LIQUIDAÇÃO DA SENTENÇA: POR CÁLCULO,
09032041690

POR ARTIGOS E POR ARBITRAMENTO.

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q199146( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Sentença, Coisa Julgada e Liquidação de Sentença;
)

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 198 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Com relação aos procedimentos ordinário e sumaríssimo, julgue os
itens que se seguem.
Os requisitos da sentença no procedimento ordinário são os seguintes: nome
das partes; resumo do pedido e da defesa; apreciação das provas;
fundamentos da decisão; e respectiva conclusão.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O CESPE/Unb considerou errada


a assertiva em decorrência do nome “requisitos da sentença”. Explico. As
informações que devem constar na sentença constam no art. 832 da CLT e
são exatamente aquelas expostas na afirmativa da banca examinadora. A
sentença trabalhista deve mencionar os nomes das partes, resumo do
pedido e da defesa, apreciação das provas, fundamentos da decisão e a
respectiva conclusão. Ocorre que os requisitos da sentença são três,
conforme art. 458 do CPC, a saber: relatório, fundamentação e
dispositivo. Certamente que o entendimento do CESPE dá azo à anulação
da questão, mas devemos entender o motivo que o levou a julgar dessa
forma, para que não seja necessário contar com a anulações para passar
no exame. Lembre-se sempre que, ao se falar em requisitos da
sentença, deve-se lembrar das 3 partes daquela, a saber: relatório,
fundamentação e dispositivo. No tocante ao procedimento sumaríssimo,
conforme autoriza o art. 852-I da CLT, o Juiz está dispensado de realizar o
relatório, passando-se logo à fundamentação e ao dispositivo.

2 - Q100266( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


09032041690

Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /


Sentença, Coisa Julgada e Liquidação de Sentença; )
Considere que, concedida a segurança, o juiz tenha determinado
a expedição de ofício urgente para o imediato cumprimento da
sentença pela autoridade indicada como coatora. Nessa situação,
julgue os itens que se seguem.
A secretaria da vara do trabalho deve providenciar, além da intimação da
sentença dirigida à autoridade coatora, a intimação regular e pessoal do
procurador da União, do estado, do Distrito Federal ou de suas respectivas

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 199 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
autarquias e fundações públicas, conforme a vinculação da autoridade
coatora.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Nos termos do art. 13 da Lei nº


12.016/09, que é a atual lei do Mandado de Segurança, temos que:

“Concedido o mandado, o juiz transmitirá em ofício, por intermédio


do oficial do juízo, ou pelo correio, mediante correspondência com
aviso de recebimento, o inteiro teor da sentença à autoridade
coatora e à pessoa jurídica interessada”.

A pessoa jurídica interessada (União, estado, Distrito Federa ou autarquias


e fundações públicas) será intimada da sentença, haja vista que conforme
art. 6º da mesma lei, recebeu a petição inicial. As referidas pessoas
jurídicas serão intimadas por meio de seus procuradores.

3 - Q100267( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Sentença, Coisa Julgada e Liquidação de Sentença; )
Considerando-se o resultado da sentença, a autoridade coatora poderá
interpor recurso ao respectivo TRT, no prazo de oito dias da intimação pelo
oficial de justiça.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O erro aqui está relacionado à


09032041690

forma de intimação, que não é necessariamente por oficial de justiça, uma


vez que o art. 13 da Lei 12.016/09 dispõe que poderá também ser por
correio com aviso de recebimento. A restante, acerca da legitimidade da
autoridade coatora para recorrer ao TRT de sentença proferida em
mandado de segurança, está de acordo com o art. 14, §2º da mesma lei,
assim redigida:

“Estende-se à autoridade coatora o direito de recorrer”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 200 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
4 - Q22848( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área
Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; Sentença, Coisa
Julgada e Liquidação de Sentença; )
Julgue os itens a seguir.
Ao sentenciar, o juiz deve arbitrar o valor da condenação, quando não for
possível desde logo liquidá-la, mas o valor assim fixado provisoriamente
apenas tem efeito para fins de custas ou de depósito no caso de recurso, eis
que necessária a apuração do efetivamente devido por meio de cálculo,
arbitramento ou artigos, em sendo a sentença ilíquida.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Como regra geral, por trazer maior
economia e celeridade ao processo, o Magistrado, sempre que possível,
deve proferir sentença líquida, ou seja, já com o valor a ser executado.
Contudo, não sendo possível, fixará um valor de condenação para fins de
cálculo de custas processuais e depósito recursal, pois o §2º do art. 832 da
CLT está assim redigido: “A decisão mencionará sempre as custas que
devam ser pagas pela parte vencida”. Mesmo que não seja um valor
exato, e sim, aproximado, tal fixação é necessária, pois sobre aquele valor
fixado para a condenação serão calculadas as custas processuais, nos
termos do art. 789 da CLT (2% sobre o valor da condenação, na hipótese
da questão), bem como o depósito recursal, levando-se em consideração
os valores máximos determinados pelo TST. Sendo ilíquida a sentença,
aplica-se o art. 879 da CLT, que trata das espécies de liquidação de
sentença, nos seguintes termos: 09032041690

Sendo ilíquida a sentença exeqüenda, ordenar-se-á, previamente,


a sua liquidação, que poderá ser feita por cálculo, por arbitramento
ou por artigos.

Portanto, 3 são as espécies de liquidação, assim resumidas:


a. Cálculos: hipótese de a condenação poder ser quantificada por
meros cálculos aritméticos.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 201 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
b. Arbitramento: quando houver necessidade de realização de perícia
para se aferir o montante da condenação.
c. Artigos: quando houver necessidade de prova de fato novo para
liquidar a sentença.

5 - Q310054( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
Em conformidade com a CLT e com os procedimentos e recursos trabalhistas
na jurisprudência do TST, julgue os seguintes itens.
As questões processuais que surgem na tramitação de um processo, como
regra, não são passíveis de ação rescisória, exceto na hipótese de
consistirem em pressuposto de validade de uma sentença de mérito
transitada em julgado.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A situação está em conformidade


com a Súmula nº 412 do TST, assim redigida:

“Pode uma questão processual ser objeto de rescisão desde


que consista em pressuposto de validade de uma sentença
de mérito”.

O objeto da ação rescisória é a decisão de mérito que transitou em julgado


em determinado processo, e não questões processuais que surgem no
curso do processo, pois essas não são consideradas tão importantes quanto
09032041690

aquela primeira, não podendo mais ser discutidas após o trânsito em


julgado. Contudo, se a questão processual for pressuposto de validade da
sentença de mérito, poderá aquela ser objeto da rescisória.

6 - Q277814( Prova: CESPE - 2004 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Ação Rescisória; )
Acerca do procedimento observado nas ações propostas perante
a justiça do trabalho, julgue os itens seguintes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 202 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Tratando-se de ação rescisória proposta em face de pessoa jurídica vinculada
à administração pública indireta, buscando a desconstituição de sentença
proferida por juízo de primeiro grau de jurisdição, a competência originária
será do tribunal regional do trabalho (TRT), não havendo qualquer
prerrogativa de ordem processual a ser observada em favor da pessoa
jurídica demandada.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. A competência para a ação


rescisória é funcional e não pessoal. Não são levadas em consideração as
partes da demanda para chegar à conclusão a acerca do juízo competente
para a ação rescisória. Na verdade, o que é decisivo para a definição da
competência é o juízo que proferiu a decisão que transitou em julgado e
que será objeto do corte rescisório. Se a sentença transitou em julgado na
Vara do Trabalho, a competência para a rescisória será do TRT. Se transitou
em julgado o acórdão do TRT, caberá a rescisória para o próprio TRT. Se
transitou em julgado o acórdão no TST, caberá a rescisória para ele mesmo,
TST. Duas regras são indispensáveis e devem ser guardadas pelos
candidatos:
a. Não há ação rescisória no primeiro grau de jurisdição, razão pela qual
será do TRT a competência quando a sentença transitar em julgado
na Vara do Trabalho.
b. Todo tribunal tem competência para processar e julgar as ações
rescisórias de seus próprios julgados. Por isso é que cabe ao próprio
TRT quando o acórdão nele transita em julgado, bem como ao TST,
09032041690

quando nele há o transito.

7 - Q100220( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
Acerca do processo do trabalho, seus princípios, exigências, ritos,
recursos e outras modalidades de impugnação, reexame ou
rescisão de decisões exaradas pela justiça do trabalho, assim
como liquidação e execução de sentenças, julgue os itens de
91 a 96.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 203 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Não se aplica a restrição de alçada por valor da causa quando se tratar de
ação rescisória, nem ainda os efeitos de revelia a conduzir à confissão ficta,
dada a conseqüência jurídica do reexame excepcional da sentença como ato
estatal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. As duas informações estão corretas:


a. Não se aplica a restrição de alçada em ação rescisória: nos
termos da Lei nº 5584/70, art. 2º, §4º, não caberá recurso em face
de sentença proferidas nas ações de alçada (rito sumário, até 2
salários mínimos), salvo se houver violação à lei. Tal restrição não se
aplica à ação rescisória, pois essa não é ação. A sentença, mesmo no
rito sumário, será objeto de ação rescisória, conforme Súmula nº
365 do TST.

b. Não se aplicam os efeitos da revelia na ação rescisória: de


acordo com o entendimento da Súmula nº 398 do TST, assim
redigida: “Na ação rescisória, o que se ataca na ação é a sentença,
ato oficial do Estado, acobertado pelo manto da coisa julgada. Assim
sendo, e considerando que a coisa julgada envolve questão de ordem
pública, a revelia não produz confissão na ação rescisória”.

8 - Q95714( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
A respeito do direito processual
09032041690

do trabalho, julgue os itens


seguintes.
Uma ação rescisória que tenha como fundamento a violação de lei admite o
reexame de fatos e provas do processo que originou a decisão rescidenda,
desde que tal reexame seja elementar para a análise da ilegalidade alegada.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação do CESPE/Unb


contrasta com a Súmula nº 410 do TST, tantas vezes cobrada em
concursos trabalhistas, assim redigida:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 204 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“A ação rescisória calcada em violação de lei não admite reexame
de fatos e provas do processo que originou a decisão rescindenda”.

O entendimento do TST é no sentido de que, se há necessidade de reexame


de fatos e provas, não cabe a rescisória por violação à literal disposição de
lei, conforme inciso V do art. 485 do CPC, pois nessa hipótese deve estar
clara a violação de dispositivo legal. Se há necessidade de revolvimento de
provas para se saber se o Magistrado acertou ou errou, é porque não há
possibilidade de ajuizamento da rescisória. O erro, para ser desconstituído
por rescisória, que é uma via alternativa, pois o trânsito em julgado é a
regra geral, deve ser claro, facilmente perceptível, ou seja, dispensa o
reexame das provas.

9 - Q69537( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
Com relação à legislação e jurisprudência aplicadas ao direito
processual do trabalho, julgue os itens seguintes.
Segundo pensamento sedimentado do TST, é indispensável ao
processamento da ação rescisória a prova do trânsito em julgado da decisão
rescindenda e caso verifique o relator que a parte interessada não a juntou
à inicial, extinguirá o feito imediata e sumariamente por falta de pressuposto
processual.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Sobre a comprovação do trânsito


09032041690

em julgado da decisão objeto da ação rescisória, mostra-se indispensável


a leitura da Súmula nº 299 do TST, em sua integralidade, razão pela qual
transcrevemos o verbete abaixo:

“SUM-299 AÇÃO RESCISÓRIA. DECISÃO RESCINDENDA.


TRÂNSITO EM JULGADO. COMPROVAÇÃO. EFEITOS I – I - É
indispensável ao processamento da ação rescisória a prova
do trânsito em julgado da decisão rescindenda.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 205 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
II - Verificando o relator que a parte interessada não juntou
à inicial o documento comprobatório, abrirá prazo de 10
(dez) dias para que o faça, sob pena de indeferimento.
III - A comprovação do trânsito em julgado da decisão rescindenda
é pressuposto processual indispensável ao tempo do ajuizamento
da ação rescisória. Eventual trânsito em julgado posterior ao
ajuizamento da ação rescisória não reabilita a ação proposta, na
medida em que o ordenamento jurídico não contempla a ação
rescisória preventiva.
IV - O pretenso vício de intimação, posterior à decisão que se
pretende rescindir, se efetivamente ocorrido, não permite a
formação da coisa julgada material. Assim, a ação rescisória deve
ser julgada extinta, sem julgamento do mérito, por carência de
ação, por inexistir decisão transitada em julgado a ser rescindida”.

Os dois primeiros incisos demonstram que a afirmativa do CESPE/Unb está


errada. A primeira parte está correta, pois realmente a prova do trânsito
em julgado é indispensável ao processamento da rescisória, já que
aquele é um dos requisitos mais importantes para o cabimento da ação.
Ocorre que, na falta da comprovação do trânsito em julgado, não deve o
relator indeferir liminarmente a petição inicial. O Magistrado não deve
sumariamente extinguir o processo sem resolução do mérito. Na verdade,
por economia processual e seguindo-se o entendimento do inciso II da
Súmula transcrita, deve possibilitar à parte autora a emenda da petição
09032041690

inicial, em 10 dias, conforme art. 284 do CPC. Se não houver a emenda


com a juntada da comprovação, assim sim não resta alternativa a não ser
a extinção do feito sem resolução do mérito.

10 - Q67774( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 206 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Ao se pretender promover ação rescisória contra o decidido, deverá ser
sempre observado o depósito prévio de 20% sobre o valor da condenação.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A necessidade de realização do


depósito prévio para a ação rescisória encontra respaldo no art. 836 da
CLT, assim redigido:

“É vedado aos órgãos da Justiça do Trabalho conhecer de questões


já decididas, excetuados os casos expressamente previstos neste
Título e a ação rescisória, que será admitida na forma do disposto
no Capítulo IV do Título IX da Lei no 5.869, de 11 de janeiro de
1973 – Código de Processo Civil, sujeita ao depósito prévio de
20% (vinte por cento) do valor da causa, salvo prova de
miserabilidade jurídica do autor”.

Salvo miserabilidade do autor, o depósito prévio é necessário, sendo que a


ação não será processada e julgada sem a comprovação do mesmo. Ocorre
que o cálculo é realizado com base no valor da causa da rescisória, que
será:
a. O valor da condenação na ação em que foi proferida a decisão objeto
da rescisória.
b. O valor da causa da ação originária, na hipótese de improcedência
dos pedidos.
09032041690

Se ajuizei ação de indenização por danos morais em face do meu ex-


empregador no valor de R$10.000,00 e o pedido foi julgado improcedente,
caso opte por ajuizar a rescisória, o valor da causa dessa será de
R$10.000,00, sendo o depósito de R$2.000,00.
Se ajuizei ação de indenização por danos morais em face do meu ex-
empregador no valor de R$100.000,00 e o pedido foi julgado procedente,
o valor da causa da rescisória a ser proposta pela empresa será de
R$100.000,00 e o depósito de R$20.000,00.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 207 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
11 - Q64930( Prova: CESPE - 2010 - DPU - Defensor Público / Direito
Processual do Trabalho / Recursos; Ação Rescisória; )
Pedido de rescisão de julgado proferido em agravo de instrumento que se
limite a aferir eventual desacerto de juízo de admissibilidade de recurso de
revista é juridicamente impossível, dado que essa decisão não substitui
acórdão regional.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmação do CESPE/Unb


encontra-se em consonância com a Súmula nº 192, IV do TST, assim
redigida:

“É manifesta a impossibilidade jurídica do pedido de rescisão de


julgado proferido em agravo de instrumento que, limitando-se a
aferir o eventual desacerto do juízo negativo de admissibilidade do
recurso de revista, não substitui o acórdão regional, na forma do
art. 512 do CPC”.

Tal decisão não pode ser objeto de ação rescisória pois não se trata de
decisão de mérito. Trata-se apenas de decisão inerente ao juízo de
admissibilidade, que trata dos requisitos para a interposição de recursos e
que, diante disso, não há a substituição da decisão proferida pelo TRT por
essa julgada em agravo de instrumento. Nessa hipótese, a decisão que
seria objeto da rescisória, por ser a ultima decisão de mérito, é o acórdão
do Recurso ordinário, que é objeto do recurso de revista. Se o recurso de
09032041690

revista não foi admitido e julgado no mérito, não houve a substituição


prevista no art. 512 do CPC, permanecendo válido o acórdão do TRT.

12 - Q33028( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Ação Rescisória; )
Prorroga-se, até o primeiro dia útil imediatamente subsequente, o prazo
decadencial para ajuizamento de ação rescisória quando expira em férias
forenses, feriados, finais de semana ou em dia em que não haja expediente
forense.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 208 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está de acordo com a


Súmula nº 100, IX do TST, assim redigida:

“Prorroga-se até o primeiro dia útil, imediatamente subseqüente,


o prazo decadencial para ajuizamento de ação rescisória quando
expira em férias forenses, feriados, finais de semana ou em dia em
que não houver expediente forense. Aplicação do art. 775 da CLT”.

Apesar de se tratar de prazo decadencial e de se saber que, conforme


regras do Código Civil, os prazos decadenciais não se suspendem,
interrompem ou prorrogam, o entendimento do TST, somente em relação
à ação rescisória, foi no sentido de facilitar o ajuizamento da demandas, já
que muitas vezes a manutenção da decisão transitada em julgado, viria a
prejudicar o empregado. Lembrando que atualmente não é mais possível o
ajuizamento dessa ação sem Advogado, diante da restrição da Súmula nº
425 do TST, mas quando da redação da Súmula nº 100 do TST, não havia
tal restrição, podendo ser ajuizada pelo empregado, sem conhecimentos
técnicos. Assim, o entendimento foi sempre no sentido de auxiliar a parte
com a prorrogação do prazo que vencer naqueles dias em que não haja
expediente forense, conforme art. 775 da CLT, assim redigido:

“Os prazos estabelecidos neste Título contam-se com exclusão do


dia do começo e inclusão do dia do vencimento, e são contínuos e
09032041690

irreleváveis, podendo, entretanto, ser prorrogados pelo tempo


estritamente necessário pelo juiz ou tribunal, ou em virtude de
força maior, devidamente comprovada. (Redação dada pelo
Decreto-lei nº 8.737, de 19.1.1946) Parágrafo único - Os
prazos que se vencerem em sábado, domingo ou dia
feriado, terminarão no primeiro dia útil seguinte”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 209 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
13 – Q13384( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista
Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Partes e Procuradores; Ação Rescisória; )
No que concerne à ação rescisória, julgue os itens subseqüentes.
O TST já pacificou entendimento no sentido de que a sentença normativa
decorrente do julgamento do dissídio coletivo faz coisa julgada formal e
material, pelo que cabe, em face dela, ação rescisória.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O entendimento externado pelo


TST em relação à coisa julgada em dissídio coletivo é de que apenas a
formal é que é percebida, não havendo coisa julgada material. Nos termos
da Súmula nº 397 do TST:

“Não procede ação rescisória calcada em ofensa à coisa


julgada perpetrada por decisão proferida em ação de
cumprimento, em face de a sentença normativa, na qual se
louvava, ter sido modificada em grau de recurso, porque em
dissídio coletivo somente se consubstancia coisa
julgada formal. Assim, os meios processuais aptos a
atacarem a execução da cláusula reformada são a exceção
de pré-executividade e o mandado de segurança, no caso de
descumprimento do art. 572 do CPC”.

Assim, não caberia ação rescisória em face de sentença normativa, pela


09032041690

ausência da coisa julgada material, pressuposto indispensável ao


ajuizamento da demanda rescisória.

14 - Q13309( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória;
)
No que concerne à ação rescisória, julgue os itens subseqüentes.

A posição do TST é de que o sindicato, substituto processual e autor de

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 210 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
reclamação trabalhista em cujos autos tenha sido proferida a decisão
rescindenda, possui legitimidade para ser réu na ação rescisória, pelo que é
desnecessário citar-se todos os empregados substituídos, pois inexiste
litisconsórcio passivo necessário.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmação do CESPE/Unb está em


conformidade com o inciso II da Súmula nº 406 do TST, assim redigida:

“O Sindicato, substituto processual e autor da reclamação


trabalhista, em cujos autos fora proferida a decisão rescindenda,
possui legitimidade para figurar como réu na ação rescisória, sendo
descabida a exigência de citação de todos os empregados
substituídos, porquanto inexistente litisconsórcio passivo
necessário”.

Se o Sindicato ajuizou a ação com substituição processual, ou seja, se


aquele ente foi autor da reclamação trabalhista, pode também ser réu em
ação rescisória. Se os empregados não foram partes na ação originária,
não precisam ser réus na rescisória. Não existe litisconsórcio necessário na
hipótese, conforme entendimento do TST.

15 - Q310049( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )
Julgue os próximos itens, relativos ao mandado de segurança de acordo com
09032041690

a jurisprudência do TST.
A homologação de acordo constitui faculdade do juiz e não direito subjetivo
das partes, razão pela qual não é tutelável pela via do mandado de
segurança.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação do CESPE/Unb é no


sentido de que a homologação de acordo pelo Juiz realmente é uma
faculdade, não cabendo mandado de segurança contra o seu indeferimento.
Nos termos da importante Súmula nº 418 do TST:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 211 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

“A concessão de liminar ou a homologação de acordo constituem


faculdade do juiz, inexistindo direito líquido e certo tutelável pela
via do mandado de segurança”.

O Juiz deve analisar se o acordo é viável ou não, ou seja, se traz prejuízos


ao empregado. Não deve, em qualquer situação, homologar, pois pode
haver renúncia da parte do empregado ou eventual coação. Porém, sendo
homologado por sentença, somente cabe ação rescisória, conforme Súmula
nº 259 do TST.

16 - Q310048( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )
É cabível mandado de segurança para atacar decisão de antecipação da
tutela deferida no bojo da sentença, uma vez que o recurso ordinário não
possui efeito suspensivo.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação contrasta com o


inciso I da Súmula nº 414 do TST, assim redigido:

“A antecipação da tutela concedida na sentença não comporta


impugnação pela via do mandado de segurança, por ser
impugnável mediante recurso ordinário. A ação cautelar é o meio
próprio para se obter efeito suspensivo a recurso”.
09032041690

Se a antecipação de tutela foi deferida na sentença, cabe recurso ordinário


e não mandado de segurança, pois aquele é o recurso próprio para a
hipótese, conforme art. 895, I da CLT. O mandado de segurança somente
deve ser utilizado como sucedâneo recursal quando não houver recurso
previsto para a situação.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 212 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
17 - Q301049( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -
Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Mandado de Segurança; )
Julgue os próximos itens, no que se refere aos princípios gerais do
processo trabalhista.
Para o TST, o jus postulandi das partes estende-se ao mandado de
segurança.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Uma das súmulas mais


importantes para provas de concurso, que deve ser “decorada” pelos
candidatos é a de nº 425 do TST, a seguir transcrita:

“O jus postulandi das partes, estabelecido no art. 791 da CLT,


limita-se às Varas do Trabalho e aos Tribunais Regionais do
Trabalho, não alcançando a ação rescisória, a ação cautelar,
o mandado de segurança e os recursos de competência do
Tribunal Superior do Trabalho”.

Percebam que, apesar do jus postulandi ainda ser a regra, sofreu restrição
por meio do verbete, não sendo mais possível manejar os seguintes
procedimentos sem Advogado: ação rescisória, mandado de
segurança, ação cautelar e recursos de competência do TST.

18 - Q99154( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


09032041690

Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )


Em relação ao mandado de segurança na Justiça do Trabalho,
especialmente perante o TST, julgue os itens seguintes,
considerando a Constituição Federal, as leis de regência
específica e o regimento interno do TST.
O mandado de segurança pode ser impetrado perante qualquer juízo ou
tribunal do trabalho, mas, originariamente, os juízes do trabalho detêm
competência para processar e julgar os mandados de segurança coligados à
matéria de sua jurisdição, enquanto os tribunais apreciam os mandados de

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 213 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
segurança impetrados contra seus próprios atos ou dos seus membros, ou,
no caso dos TRTs, também quando a autoridade impetrada é juiz do trabalho
vinculado a esses tribunais.

COMENTÁRIOS: O item está CORRETO. A competência da Justiça do


Trabalho para o processamento e julgamento dos mandados de segurança,
encontra-se prevista no art. 114, IV da CF/88, assim redigido:

“os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data, quando


o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição”.

A competência funcional é que pode ser da Vara do Trabalho, Tribunal


Regional do Trabalho ou Tribunal Superior do Trabalho, seguindo-se as
seguintes regras:
a. Vara do Trabalho: quando o ato questionado por meio do mandado
de segurança for “exterior” á Justiça do Trabalho, como por exemplo,
ato do Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público do
trabalho, etc.
b. Tribunal Regional do Trabalho: quando o ato questionado for
decisão de Juiz do Trabalho ou ato de membro do próprio TRT.
c. Tribunal Superior do Trabalho: quando o ato questionado for de
membro do próprio TST.

19 - Q99159( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


09032041690

Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )


Não cabe mandado de segurança contra ato judicial em execução trabalhista
que determine a penhora em dinheiro do executado, em execução definitiva,
para garantir crédito exeqüendo, por ter sido observada a gradação legal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A assertiva do CESPE/Unb está de


acordo com o inciso I da Súmula nº 417 do TST, a seguir transcrita:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 214 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Não fere direito líquido e certo do impetrante o ato judicial que
determina penhora em dinheiro do executado, em execução
definitiva, para garantir crédito exeqüendo, uma vez que obedece
à gradação prevista no art. 655 do CPC.

Na execução definitiva, não há ilegalidade na determinação de penhora em


dinheiro, pois esse é o primeiro bem a ser penhorado conforme art. 655 do
CPC, não havendo possibilidade de impetração de mandado de segurança
contra tal ato. Contudo, na execução provisória, conforme inciso III da
mesma súmula, não pode ser determinada penhora em dinheiro na
execução provisória caso sejam ofertados outros bens à penhora.

20 – Q99635( Prova: CESPE – 2007 – DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )
Julgue os itens a seguir com base na legislação e na
jurisprudência trabalhistas.
Não é cabível mandado de segurança contra tutela antecipada concedida
antes da sentença, por existir recurso próprio.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação contrasta com a


informação constante no inciso II da Súmula nº 414 do TST, a seguir
transcrito:

“No caso da tutela antecipada (ou liminar) ser concedida antes da


09032041690

sentença, cabe a impetração do mandado de segurança, em face


da inexistência de recurso próprio”.

Como no processo do trabalho vige o principio da irrecorribilidade


imediata das interlocutórias, não cabe recurso (como o agravo, no
processo civil), podendo a parte valer-se do mandado de segurança caso a
decisão judicial viole direito líquido e certo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 215 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
21 - Q100265( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista
Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Mandado de Segurança; )
Considere que, concedida a segurança, o juiz tenha determinado
a expedição de ofício urgente para o imediato cumprimento da
sentença pela autoridade indicada como coatora. Nessa situação,
julgue os itens que se seguem.
O ofício deve seguir acompanhado do inteiro teor da sentença, sob pena de
nulidade da intimação.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A assertiva do CESPE/Unb está em


conformidade com o art. 13 da Lei nº 12.016/09, atual lei de regência do
mandado de segurança, que diz:

“Concedido o mandado, o juiz transmitirá em ofício, por intermédio


do oficial do juízo, ou pelo correio, mediante correspondência com
aviso de recebimento, o inteiro teor da sentença à autoridade
coatora e à pessoa jurídica interessada”.

A intimação deve ser acompanhada do inteiro teor da sentença, para que


a pessoa jurídica e a própria autoridade coatora saibam dos fundamentos
da sentença e possam recorrer, conforme art. 14 da própria lei.

22 - Q27553( Prova: CESPE - 2010 - EMBASA - Analista de Saneamento -


09032041690

Advogado / Direito Processual do Trabalho / Inquérito para apuração de falta


grave; )
Acerca do direito processual do trabalho, julgue os itens a seguir.
O inquérito deve ser instaurado contra o empregado garantido com
estabilidade no prazo decadencial de noventa dias, a contar da suspensão
por falta grave.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O prazo afirmado pelo CESPE/Unb


está errado, pois o prazo decadencial para o ajuizamento da ação de

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 216 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
inquérito para apuração de falta grave é de 30 dias, a contar da suspensão
do empregado, conforme art. 853 da CLT, a seguir transcrito:

“Para a instauração do inquérito para apuração de falta grave


contra empregado garantido com estabilidade, o empregador
apresentará reclamação por escrito à Junta ou Juízo de Direito,
dentro de 30 (trinta) dias, contados da data da suspensão do
empregado”.

23 - Q22845( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; Procedimento
ordinário e sumaríssimo; Provas; Inquérito para apuração de falta grave; )
Julgue os itens a seguir.
No processo do trabalho é admitida, em geral, a indicação de três
testemunhas para cada uma das partes, exceto nas reclamações sob rito
sumaríssimo, quando o número de testemunhas é limitado a duas por parte,
ou nos inquéritos para apuração de falta grave, quando poderá chegar a seis
testemunhas para cada parte.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A resposta ao questionamento está


descrita em dois dispositivos da CLT, a saber: art. 821 e 852-H, §2º, a
seguir transcritos:

Art. 821 da CLT: “Cada uma das partes não poderá indicar mais
09032041690

de 3 (três) testemunhas, salvo quando se tratar de inquérito, caso


em que esse número poderá ser elevado a 6 (seis)”.

Art. 852-H, §2º da CLT: “As testemunhas, até o máximo de duas


para cada parte, comparecerão à audiência de instrução e
julgamento independentemente de intimação”.

As questões sobre número de testemunhas é sempre importante, razão


pela qual inserimos abaixo um quadro sinótico:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 217 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Inquérito para
PROCEDIMENTO Ordinário Sumário Sumaríssimo apuração de falta
grave
NÚMERO DE
TESTEMUNHAS 3 3 2 6

24 - Q13316( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Inquérito para
apuração de falta grave; )
Acerca das alterações e modalidades de interrupção do contrato
de trabalho, do aviso prévio e do inquérito para apuração de falta
grave, julgue os próximos itens.
A jurisprudência considera ser prescricional o prazo de 30 dias para a
instauração de inquérito judicial para apuração de falta grave de empregado
estável, prazo este que se conta a partir da suspensão do trabalhador.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Trata-se de prazo decadencial,


nos termos da Súmula nº 403 do STF, a seguir transcrita para
conhecimento:

“É de decadência o prazo de trinta dias para instauração do


inquérito judicial, a contar da suspensão, por falta grave, de
empregado estável”.

09032041690

Também a Súmula nº 62 do TST demonstra ser o prazo de decadência.


Vejamos:

“O prazo de decadência do direito do empregador de ajuizar


inquérito em face do empregado que incorre em abandono de
emprego é contado a partir do momento em que o empregado
pretendeu seu retorno ao serviço”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 218 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q199146( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Sentença, Coisa Julgada e Liquidação de Sentença;
)
Com relação aos procedimentos ordinário e sumaríssimo, julgue os
itens que se seguem.
Os requisitos da sentença no procedimento ordinário são os seguintes: nome
das partes; resumo do pedido e da defesa; apreciação das provas;
fundamentos da decisão; e respectiva conclusão.

2 - Q100266( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Sentença, Coisa Julgada e Liquidação de Sentença; )
Considere que, concedida a segurança, o juiz tenha determinado
a expedição de ofício urgente para o imediato cumprimento da
sentença pela autoridade indicada como coatora. Nessa situação,
julgue os itens que se seguem.
A secretaria da vara do trabalho deve providenciar, além da intimação da
sentença dirigida à autoridade coatora, a intimação regular e pessoal do
procurador da União, do estado, do Distrito Federal ou de suas respectivas
autarquias e fundações públicas, conforme a vinculação da autoridade
coatora.

3 - Q100267( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


09032041690

Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /


Sentença, Coisa Julgada e Liquidação de Sentença; )
Considerando-se o resultado da sentença, a autoridade coatora poderá
interpor recurso ao respectivo TRT, no prazo de oito dias da intimação pelo
oficial de justiça.

4 - Q22848( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; Sentença, Coisa
Julgada e Liquidação de Sentença; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 219 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue os itens a seguir.
Ao sentenciar, o juiz deve arbitrar o valor da condenação, quando não for
possível desde logo liquidá-la, mas o valor assim fixado provisoriamente
apenas tem efeito para fins de custas ou de depósito no caso de recurso, eis
que necessária a apuração do efetivamente devido por meio de cálculo,
arbitramento ou artigos, em sendo a sentença ilíquida.

5 - Q310054( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
Em conformidade com a CLT e com os procedimentos e recursos trabalhistas
na jurisprudência do TST, julgue os seguintes itens.
As questões processuais que surgem na tramitação de um processo, como
regra, não são passíveis de ação rescisória, exceto na hipótese de
consistirem em pressuposto de validade de uma sentença de mérito
transitada em julgado.

6 - Q277814( Prova: CESPE - 2004 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Ação Rescisória; )
Acerca do procedimento observado nas ações propostas perante
a justiça do trabalho, julgue os itens seguintes.
Tratando-se de ação rescisória proposta em face de pessoa jurídica vinculada
à administração pública indireta, buscando a desconstituição de sentença
proferida por juízo de primeiro grau de jurisdição, a competência originária
será do tribunal regional do trabalho (TRT), não havendo qualquer
prerrogativa de ordem processual a ser observada em favor da pessoa
09032041690

jurídica demandada.

7 - Q100220( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
Acerca do processo do trabalho, seus princípios, exigências, ritos,
recursos e outras modalidades de impugnação, reexame ou
rescisão de decisões exaradas pela justiça do trabalho, assim
como liquidação e execução de sentenças, julgue os itens de
91 a 96.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 220 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Não se aplica a restrição de alçada por valor da causa quando se tratar de
ação rescisória, nem ainda os efeitos de revelia a conduzir à confissão ficta,
dada a conseqüência jurídica do reexame excepcional da sentença como ato
estatal.

8 - Q95714( Prova: CESPE - 2009 - SEAD-SE (FPH) - Procurador / Direito


Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
A respeito do direito processual do trabalho, julgue os itens
seguintes.
Uma ação rescisória que tenha como fundamento a violação de lei admite o
reexame de fatos e provas do processo que originou a decisão rescidenda,
desde que tal reexame seja elementar para a análise da ilegalidade alegada.

9 - Q69537( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
Com relação à legislação e jurisprudência aplicadas ao direito
processual do trabalho, julgue os itens seguintes.
Segundo pensamento sedimentado do TST, é indispensável ao
processamento da ação rescisória a prova do trânsito em julgado da decisão
rescindenda e caso verifique o relator que a parte interessada não a juntou
à inicial, extinguirá o feito imediata e sumariamente por falta de pressuposto
processual.

10 - Q67774( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal /


Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória; )
09032041690

Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha


manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Ao se pretender promover ação rescisória contra o decidido, deverá ser
sempre observado o depósito prévio de 20% sobre o valor da condenação.

11 - Q64930( Prova: CESPE - 2010 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; Ação Rescisória; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 221 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Pedido de rescisão de julgado proferido em agravo de instrumento que se
limite a aferir eventual desacerto de juízo de admissibilidade de recurso de
revista é juridicamente impossível, dado que essa decisão não substitui
acórdão regional.

12 - Q33028( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Ação Rescisória; )
Prorroga-se, até o primeiro dia útil imediatamente subsequente, o prazo
decadencial para ajuizamento de ação rescisória quando expira em férias
forenses, feriados, finais de semana ou em dia em que não haja expediente
forense.

13 – Q13384( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do
Trabalho / Partes e Procuradores; Ação Rescisória; )
No que concerne à ação rescisória, julgue os itens subseqüentes.
O TST já pacificou entendimento no sentido de que a sentença normativa
decorrente do julgamento do dissídio coletivo faz coisa julgada formal e
material, pelo que cabe, em face dela, ação rescisória.

14 - Q13309( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Ação Rescisória;
)
No que concerne à ação rescisória, julgue os itens subseqüentes.
09032041690

A posição do TST é de que o sindicato, substituto processual e autor de


reclamação trabalhista em cujos autos tenha sido proferida a decisão
rescindenda, possui legitimidade para ser réu na ação rescisória, pelo que é
desnecessário citar-se todos os empregados substituídos, pois inexiste
litisconsórcio passivo necessário.

15 - Q310049( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 222 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue os próximos itens, relativos ao mandado de segurança de acordo com
a jurisprudência do TST.
A homologação de acordo constitui faculdade do juiz e não direito subjetivo
das partes, razão pela qual não é tutelável pela via do mandado de
segurança.

16 - Q310048( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )
É cabível mandado de segurança para atacar decisão de antecipação da
tutela deferida no bojo da sentença, uma vez que o recurso ordinário não
possui efeito suspensivo.

17 - Q301049( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) -


Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Mandado de Segurança; )
Julgue os próximos itens, no que se refere aos princípios gerais do
processo trabalhista.
Para o TST, o jus postulandi das partes estende-se ao mandado de
segurança.

18 - Q99154( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )
Em relação ao mandado de segurança na Justiça do Trabalho,
especialmente perante o TST, julgue os itens seguintes,
considerando a Constituição 09032041690
Federal, as leis de regência
específica e o regimento interno do TST.
O mandado de segurança pode ser impetrado perante qualquer juízo ou
tribunal do trabalho, mas, originariamente, os juízes do trabalho detêm
competência para processar e julgar os mandados de segurança coligados à
matéria de sua jurisdição, enquanto os tribunais apreciam os mandados de
segurança impetrados contra seus próprios atos ou dos seus membros, ou,
no caso dos TRTs, também quando a autoridade impetrada é juiz do trabalho
vinculado a esses tribunais.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 223 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
19 - Q99159( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área
Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )
Não cabe mandado de segurança contra ato judicial em execução trabalhista
que determine a penhora em dinheiro do executado, em execução definitiva,
para garantir crédito exeqüendo, por ter sido observada a gradação legal.

20 – Q99635( Prova: CESPE – 2007 – DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Mandado de Segurança; )
Julgue os itens a seguir com base na legislação e na
jurisprudência trabalhistas.
Não é cabível mandado de segurança contra tutela antecipada concedida
antes da sentença, por existir recurso próprio.

21 - Q100265( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Mandado de Segurança; )
Considere que, concedida a segurança, o juiz tenha determinado
a expedição de ofício urgente para o imediato cumprimento da
sentença pela autoridade indicada como coatora. Nessa situação,
julgue os itens que se seguem.
O ofício deve seguir acompanhado do inteiro teor da sentença, sob pena de
nulidade da intimação.

22 - Q27553( Prova: CESPE - 2010 - EMBASA - Analista de Saneamento -


Advogado / Direito Processual do Trabalho / Inquérito para apuração de falta
09032041690

grave; )
Acerca do direito processual do trabalho, julgue os itens a seguir.
O inquérito deve ser instaurado contra o empregado garantido com
estabilidade no prazo decadencial de noventa dias, a contar da suspensão
por falta grave.

23 - Q22845( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Audiências; Procedimento
ordinário e sumaríssimo; Provas; Inquérito para apuração de falta grave; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 224 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue os itens a seguir.
No processo do trabalho é admitida, em geral, a indicação de três
testemunhas para cada uma das partes, exceto nas reclamações sob rito
sumaríssimo, quando o número de testemunhas é limitado a duas por parte,
ou nos inquéritos para apuração de falta grave, quando poderá chegar a seis
testemunhas para cada parte.

24 - Q13316( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Inquérito para
apuração de falta grave; )
Acerca das alterações e modalidades de interrupção do contrato
de trabalho, do aviso prévio e do inquérito para apuração de falta
grave, julgue os próximos itens.
A jurisprudência considera ser prescricional o prazo de 30 dias para a
instauração de inquérito judicial para apuração de falta grave de empregado
estável, prazo este que se conta a partir da suspensão do trabalhador.

4.

1 – errado 2 – certo 3 – errado 4 – certo 5 – certo


6 – certo 7 – certo 8 – errado 9 – errado 10 – errado
09032041690

11- certo 12- certo 13- errado 14- certo 15- certo
16- errado 17- errado 18- correto 19- certo 20- errado
21- certo 22- errado 23- certo 24- errado

DOS DISSÍDIOS COLETIVOS: EXTENSÃO, CUMPRIMENTO E REVISÃO


DA SENTENÇA NORMATIVA. DA EXECUÇÃO: EXECUÇÃO PROVISÓRIA;
EXECUÇÃO POR PRESTAÇÕES SUCESSIVAS; EXECUÇÃO CONTRA A
FAZENDA PÚBLICA; EXECUÇÃO CONTRA A MASSA FALIDA. DA

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 225 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
CITAÇÃO; DO DEPÓSITO DA CONDENAÇÃO E DA NOMEAÇÃO DE BENS;
DO MANDADO E PENHORA; DOS BENS PENHORÁVEIS E
IMPENHORÁVEIS; DA IMPENHORABILIDADE DO BEM DE FAMÍLIA (LEI
Nº 8.009/90).

2. QUESTÕES COMENTADAS:

DISSÍDIOS COLETIVOS

1 - Q315575( Prova: CESPE - 2013 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Dissídios Coletivos; )
No que concerne ao direito processual do trabalho, julgue os itens seguintes.
O fato de dois sindicatos discutirem na justiça do trabalho a interpretação de
cláusula prevista em convenção coletiva de trabalho configura um dissídio
coletivo de natureza jurídica cuja sentença normativa é meramente
declaratória.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Nos termos do Regimento Interno


do Tribunal Superior do Trabalho, art. 219, os dissídios coletivos podem ser
econômicos, jurídicos ou mistos (de greve). Nos primeiros, busca-se a
criação de novas normas a serem aplicadas às categorias em conflito, tais
como reajuste, redução de jornada, dentre outros. Nessa situação, a
sentença normativa é constitutiva, pois cria cláusulas. Já no dissídio
09032041690

coletivo de natureza jurídica, o Poder Judiciário tão somente interpreta


normas já existentes, como aquelas previstas em acordo coletivo de
trabalho, convenção coletiva de trabalho ou sentença normativa. Nessa
hipótese, a sentença normativa será meramente declaratória, pois não
criará nada novo, e sim, apenas declarará qual é a melhor interpretação a
ser dada ao dispositivo antes duvidoso. Por fim, o dissídio de greve também
é chamado misto, pois além de declarar se legal ou ilegal a greve, o poder
judiciário, naquela primeira hipótese, criará cláusulas de direitos a serem

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 226 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
aplicadas, fazendo com que a sentença seja, ao mesmo tempo, declaratória
e constitutiva.

2 - Q101975( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Dissídios Coletivos; )
Em cada um dos itens seguintes, é apresentada uma situação
hipotética acerca das convenções e dos acordos coletivos de
trabalho, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Raul e diversos trabalhadores desligaram-se do sindicato representativo de
sua categoria profissional, por discordarem da forma radical e pouco
democrática como foram conduzidas as assembléias destinadas à aprovação
da pauta de reivindicações a ser apresentada à categoria econômica. Nessa
situação, por força do princípio constitucional da liberdade de filiação, as
regras da futura norma coletiva a ser pactuada não serão aplicadas ao
contrato de trabalho de Raul.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. As normas coletivas criadas por


Acordo Coletivo de trabalho, Convenção Coletiva de trabalho ou sentença
normativa, são aplicada à categoria, independentemente de filiação. Seja
Raul filiado ou não ao sindicato, por ser membro da categoria profissional
(metalúrgico, por exemplo), à ele serão aplicadas todas as normas
coletivas, possuindo os mesmos direitos dos empregados sindicalizados.

09032041690

3 - Q67772( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito


Processual do Trabalho / Dissídios Coletivos; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Se a demanda estiver discutindo descumprimento de norma coletiva, poderá
ocorrer execução direta de direito pelo trabalhador que se julgar prejudicado,
visto ser o instrumento coletivo título passível de execução.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 227 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos do art. 872 da CLT,
em havendo o descumprimento das normas coletivas (acordo coletivo,
convenção coletiva ou sentença normativa), caberá ao titular do direito,
podendo ser um empregado apenas, ajuizar a denominada ação de
cumprimento. Não cabe ação de execução, e sim, uma ação de
conhecimento cujo nome é especial, acima indicado, mas que seguirá o rito
ordinário, sendo da competência da Vara do Trabalho. Como o acordo
coletivo e a convenção coletiva não são títulos executivos, não podem
instruir uma ação de execução. A sentença normativa, por não ser
condenatória, também não é capaz de gerar tal ação executiva. Assim,
caberá apenas a ação de cumprimento.

4 - Q33675( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Dissídios Coletivos; )
Julgue os itens subseqüentes, acerca de direito material e
processual do trabalho.
A greve em atividade essencial, com risco de lesão do interesse público,
possibilita ao Ministério Público do Trabalho o ajuizamento de dissídio
coletivo, cabendo o julgamento respectivo ao tribunal do trabalho
competente para dirimir o conflito.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A legitimidade para o ajuizamento


de dissídio coletivo pelo MPT está descrita no art. 114, §3º da CF/88, assim
redigido: 09032041690

“Em caso de greve em atividade essencial, com possibilidade de


lesão do interesse público, o Ministério Público do Trabalho poderá
ajuizar dissídio coletivo, competindo à Justiça do Trabalho decidir
o conflito”.

Percebe-se que a assertiva do CESPE/Unb é idêntica ao texto da


Constituição Federal de 1988.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 228 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
5 - Q17934( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Dissídios
Individuais; Dissídios Coletivos; )
Quanto ao processo judiciário do trabalho, julgue os itens
subsequentes.
Nos dissídios individuais ou coletivos submetidos à apreciação da justiça do
trabalho, são, na medida do possível, formuladas pelo juízo propostas de
conciliação.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A expressão “na medida do


possível” é que encerra o erro na questão. As tentativas de conciliação são
obrigatórias nos dissídios individuais e coletivos, nos seguintes termos:
a. Dissídios individuais: duas tentativas de conciliação, a saber: no inicio
da audiência (Art. 846 da CLT) e após as razões finais (Art. 850 da
CLT).
b. Dissídios coletivos: O art. 860 da CLT prevê que o Presidente do
Tribunal designará audiência de conciliação.

EXECUÇÃO

6 - Q310045( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
Com referência à jurisprudência do TST acerca da execução trabalhista,
julgue os itens a seguir. 09032041690

É admissível a interposição de recurso de revista para combater acórdão


proferido em sede de agravo de petição, na liquidação de sentença ou em
processo incidente na execução, desde que seja comprovada
inequivocamente violência direta à CF.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A assertiva está de acordo com a


Súmula nº 266 do TST, a seguir redigida:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 229 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“A admissibilidade do recurso de revista interposto de acórdão
proferido em agravo de petição, na liquidação de sentença ou em
processo incidente na execução, inclusive os embargos de terceiro,
depende de demonstração inequívoca de violência direta à
Constituição Federal”.

7 - Q310046( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
Na execução provisória, não fere direito líquido e certo do impetrante o ato
judicial que determina penhora em dinheiro do executado para garantir o
crédito exequendo, ainda que haja nomeação de outros bens pelo executado.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos da Súmula nº 417, III


do TST, se o executado nomear outros bens à penhora, na execução
provisória, não deve ser feita a penhora em dinheiro. Tal determinação é
considerada ilegal. Apenas não há ferimento à direito líquido e certo quando
a penhora em dinheiro é realizada em execução definitiva, pois dinheiro é
o primeiro bem a ser penhorado conforme art. 655 do CPC. Transcreve-se
a súmula referida:

“Em se tratando de execução provisória, fere direito líquido e certo


do impetrante a determinação de penhora em dinheiro, quando
nomeados outros bens à penhora, pois o executado tem direito a
que a execução se processe da forma que lhe seja menos gravosa,
09032041690

nos termos do art. 620 do CPC”.

8 - Q301055( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
A matéria de defesa em sede de embargos à execução é restrita às alegações
de cumprimento da decisão ou do acordo, quitação ou prescrição da dívida.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O CESPE/Unb considerada correta a


assertiva pois de acordo com o art. 884, §1º da CLT, assim redigido:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 230 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

“A matéria de defesa será restrita às alegações de cumprimento


da decisão ou do acordo, quitação ou prescrição da divida”.

Mesmo sabendo que doutrinariamente também se aplica o art. 475-L do


CPC, que traz outras matérias, deve-se adotar a interpretação restritiva,
conforme afirmado acima.

9 - Q100269( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; )
Não sendo líquida a sentença condenatória, o juiz, ainda quando não tenha
sido inserido expresso comando para liquidação, deverá determinar a
apuração do devido para a execução mediante cálculo, arbitramento ou
artigos, incluída, quando for o caso, desde logo, a incidência dos valores
devidos a título de imposto de renda ou de contribuição previdenciária.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O art. 879 da CLT prevê a liquidação


de sentença na hipótese da mesma ser ilíquida, ou seja, não trazer o valor
devido. Assim, caberá ao Magistrado iniciar tal procedimento, mesmo que
não haja sido incluído o mandamento na sentença. As formas de liquidação
encontram-se descritas no caput do mesmo artigo, a seguir transcrito:

“Sendo ilíquida a sentença exeqüenda, ordenar-se-á, previamente,


09032041690

a sua liquidação, que poderá ser feita por cálculo, por arbitramento
ou por artigos”.

O §1ª-A do art. 879 da CLT prevê a inclusão das contribuições


previdenciárias, quando devidas. Além disso, deve-se prever o valor devido
à título de imposto de renda, que será retido e pago diretamente à União.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 231 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
10 - Q100271( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista
Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; )
Garantida a execução ou penhorados os bens, terá o executado cinco dias
para oposição de embargos à execução, contados da juntada do mandado
judicial aos autos do processo pelo oficial de justiça, podendo o exeqüente,
no mesmo prazo, apresentar impugnação quanto ao valor apurado na
execução.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O cabimento dos embargos à


execução encontra-se previsto no art. 884 da CLT, assim redigido:

“Garantida a execução ou penhorados os bens, terá o executado 5


(cinco) dias para apresentar embargos, cabendo igual prazo ao
exeqüente para impugnação”.

O erro da questão é em relação ao início do prazo, que não se dá com a


juntada do mandado judicial aos autos do processo pelo oficial de justiça,
pois inaplicável o art. 241 do CPC ao processo do trabalho. O prazo tem
início conforme art. 774 da CLT, assim redigido:

“Salvo disposição em contrário, os prazos previstos neste Título


contam-se, conforme o caso, a partir da data em que for feita
pessoalmente, ou recebida a notificação, daquela em que for
09032041690

publicado o edital no jornal oficial ou no que publicar o expediente


da Justiça do Trabalho, ou, ainda, daquela em que for afixado o
edital na sede da Junta, Juízo ou Tribunal”.

11 - Q93810( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; )
A execução deve-se processar na forma menos gravosa ao executado,
portanto, na execução provisória, a penhora em dinheiro fere o direito líquido

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 232 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
e certo do executado ainda que não exista a nomeação de outros bens à
penhora.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos da Súmula nº 417, III


do TST, fere direito líquido e certo a penhora em dinheiro quando houver
nomeação de bens à penhora em execução provisória. Conforme
transcrição à seguir:

“Em se tratando de execução provisória, fere direito líquido e certo


do impetrante a determinação de penhora em dinheiro, quando
nomeados outros bens à penhora, pois o executado tem direito a
que a execução se processe da forma que lhe seja menos gravosa,
nos termos do art. 620 do CPC”.

12 - Q93080( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
O objetivo da execução por quantia certa é expropriar bens do devedor a fim
de satisfazer o direito do credor, respondendo o executado com seu
patrimônio, presente ou futuro, para cumprimento das obrigações. Nesse
contexto, achando-se a dívida já com seu valor líquido e certo, será expedido
o mandado executivo, denominado mandado de citação, penhora e
avaliação, a ser cumprido pelo oficial de justiça.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Se o título é líquido, certo e exigível,


09032041690

pode-se iniciar a execução para pagamento da quantia, nos termos do art.


880 da CLT, com a expedição de mandado de citação, penhora e avaliação,
que será cumprido pelo oficial de justiça, que na Justiça do Trabalho
também é avaliador. Nos termos do dispositivo mencionado:

“Art. 880. Requerida a execução, o juiz ou presidente do tribunal


mandará expedir mandado de citação do executado, a fim de que
cumpra a decisão ou o acordo no prazo, pelo modo e sob as
cominações estabelecidas ou, quando se tratar de pagamento em

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 233 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
dinheiro, inclusive de contribuições sociais devidas à União, para
que o faça em 48 (quarenta e oito) horas ou garanta a execução,
sob pena de penhora. § 1º - O mandado de citação deverá conter
a decisão exeqüenda ou o termo de acordo não cumprido. § 2º -
A citação será feita pelos oficiais de diligência. § 3º - Se o
executado, procurado por 2 (duas) vezes no espaço de 48
(quarenta e oito) horas, não for encontrado, far-se-á citação por
edital, publicado no jornal oficial ou, na falta deste, afixado na sede
da Junta ou Juízo, durante 5 (cinco) dias”.

13 - Q92375( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
Oferecendo a reclamada o depósito recursal como garantia da dívida apurada
nos autos e após a penhora do depósito, deve ser facultado à reclamada o
prazo de oito dias para interposição de embargo à execução.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os embargos à execução serão


opostos em 5 dias a contar da garantia do juízo, conforme art. 884 da CLT,
a seguir transcrito:
09032041690

“Garantida a execução ou penhorados os bens, terá o executado 5


(cinco) dias para apresentar embargos, cabendo igual prazo ao
exeqüente para impugnação”.

14 - Q69535( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Execução; )
Com relação à legislação e jurisprudência aplicadas ao direito
processual do trabalho, julgue os itens seguintes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 234 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
No tocante à execução por prestações sucessivas, conforme legislação
celetista, quando as prestações forem por prazo determinado, a execução
pelo não pagamento de uma prestação compreenderá as que lhe sucederem.
Porém, tratando-se de prestações por prazo indeterminado, a execução
compreenderá inicialmente as prestações devidas até a data do ingresso na
execução.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação do CESPE/Unb está de


acordo com os artigos 891 e 892 da CLT, transcritos a seguir:

“Art. 891 - Nas prestações sucessivas por tempo determinado, a


execução pelo não-pagamento de uma prestação compreenderá as
que lhe sucederem.
Art. 892 - Tratando-se de prestações sucessivas por tempo
indeterminado, a execução compreenderá inicialmente as
prestações devidas até a data do ingresso na execução”.

15 - Q64933( Prova: CESPE - 2010 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
Acerca da execução no processo trabalhista e dos embargos a ela inerentes,
julgue o item seguinte.

No caso de execução por carta precatória, os embargos de terceiro podem


ser oferecidos no juízo deprecante ou no deprecado, sendo competente para
o julgamento o deprecante, pelo fato de ser o responsável pela ordenação
09032041690

da apreensão, ainda que os referidos embargos tratem unicamente de vícios


ou irregularidades da penhora, avaliação ou alienação de bens praticados
pelo juízo deprecado.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação do CESPE/Unb está


em desacordo com a Súmula nº 419 do TST, que trata da competência
para julgamentos dos embargos de terceiros. Na hipótese aventada pela
banca examinadora, como os vícios são relacionados à penhora, avaliação
ou alienação realizados pelo juízo deprecado, cabe ao mesmo (deprecado)

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 235 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
o julgamento, e não ao deprecante como afirmado. Transcreve-se a Súmula
referida, para conhecimento:

“Na execução por carta precatória, os embargos de terceiro serão


oferecidos no juízo deprecante ou no juízo deprecado, mas a
competência para julgá-los é do juízo deprecante, salvo se
versarem, unicamente, sobre vícios ou irregularidades da penhora,
avaliação ou alienação dos bens, praticados pelo juízo deprecado,
em que a competência será deste último”.

16 - Q33654( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
À luz do entendimento jurisprudencial sumulado do TST, fere direito líquido
e certo do executado, tutelável pela via do mandado de segurança, o ato
judicial que determina a penhora em dinheiro do executado quando
nomeados outros bens à penhora, pois o executado tem direito a que a
execução, ainda que definitiva, se processe da forma que lhe seja menos
gravosa.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O erro da afirmativa está


relacionado à execução definitiva, pois fere direito líquido e certo a penhora
de dinheiro em execução provisória, quando foram nomeados outros
bens à penhora, conforme importantíssimo inciso III da Súmula nº 417
do TST, a seguir transcrita, já que muitas vezes cobrada pelo CESPE/Unb:
09032041690

“Em se tratando de execução provisória, fere direito líquido e certo


do impetrante a determinação de penhora em dinheiro, quando
nomeados outros bens à penhora, pois o executado tem direito a
que a execução se processe da forma que lhe seja menos gravosa,
nos termos do art. 620 do CPC”.

17 - Q33022( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Execução; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 236 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Com base na teoria da penetração, o juízo trabalhista comumente determina
a constrição de bens particulares dos sócios da empresa, desde que esta não
possua ou ofereça bens suficientes à penhora.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Aplica-se o art. 28 do CDC,


que trata da desconsideração da personalidade jurídica, para determinar a
penhora de bens dos sócios da empresa executada, caso essa não possua
patrimônio suficiente para o pagamento da dívida. No processo do trabalho
adota-se a teoria menor da desconsideração, que tão somente exige a
insuficiência de patrimônio. Conforme art. 28 do CDC, tem-se:

“O juiz poderá desconsiderar a personalidade jurídica da sociedade


quando, em detrimento do consumidor, houver abuso de direito,
excesso de poder, infração da lei, fato ou ato ilícito ou violação dos
estatutos ou contrato social. A desconsideração também será
efetivada quando houver falência, estado de insolvência,
encerramento ou inatividade da pessoa jurídica provocados por má
administração”.

18 - Q22850( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
A execução trabalhista pode ser promovida pelo interessado ou de ofício pelo
09032041690

juiz.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmação está em conformidade


com o art. 878 da CLT, que prevê que o processo de execução será iniciado
pelo próprio interessado ou, ex officio, pelo Magistrado, ou seja, sem
requerimento da parte. Trata-se da incidência do princípio inquisitivo,
exceção ao princípio dispositivo. Nos termos do dispositivo legal:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 237 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
“A execução poderá ser promovida por qualquer interessado, ou
ex officio pelo próprio Juiz ou Presidente ou Tribunal competente,
nos termos do artigo anterior”.

19 - Q19420( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
Considerando a execução, a citação, o depósito da condenação,
a nomeação de bens e o mandado de penhora, julgue os itens
subsequentes.
É admissível a penhora sobre a renda mensal ou faturamento da empresa,
limitada a determinado percentual, desde que não comprometa o
desenvolvimento regular de suas atividades.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. A informação está de


acordo com a OJ nº 93 da SDI-2 do TST, assim redigida:

“É admissível a penhora sobre a renda mensal ou faturamento de


empresa, limitada a determinado percentual, desde que não
comprometa o desenvolvimento regular de suas atividades”.

Assim, pode ser que não haja qualquer bem a ser penhorado, mas a
empresa executada possui renda proveniente dos negócios realizados. Tal
renda, conforme visto, pode ser penhorada para pagamento dos débitos
trabalhistas, desde que seja em percentual razoável, a ser fixada pelo Juiz,
09032041690

para não comprometer o desenvolvimento das atividades.

20 - Q19419( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
As contribuições sociais devidas em decorrência de decisão proferida pelos
juízes e tribunais do trabalho, resultantes de condenação ou homologação
de acordo, somente serão executadas após provocação da União.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 238 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação sobre a necessidade
de provocação da União conflita com o art. 114, VIII da CF/88 ,que prevê
a competência da Justiça do Trabalho para:

“a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no art.


195, I, a , e II, e seus acréscimos legais, decorrentes das
sentenças que proferir”

Também sobre o tema é importante destacar o art. 876, parágrafo único da CLT,
assim redigido, que traz a mesma informação já passada:

“Serão executadas ex-officio as contribuições sociais devidas em


decorrência de decisão proferida pelos Juízes e Tribunais do
Trabalho, resultantes de condenação ou homologação de
acordo,inclusive sobre os salários pagos durante o período
contratual reconhecido”.

21 - Q19418( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
Não há previsão legal no processo trabalhista de execução de título
extrajudicial.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O art. 877-A da CLT faz menção


à competência da Justiça do Trabalho para a execução de título
09032041690

extrajudicial, que pode ser, por exemplo, o termo de acordo firmado


perante a Comissão de Conciliação Prévia ou o Termo de Ajustamento de
Conduta firmado com o MPT. Conforme dispositivo legal mencionado:

“É competente para a execução de título executivo extrajudicial o


juiz que teria competência para o processo de conhecimento
relativo à matéria”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 239 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Também o art. 876 da CLT, a seguir transcrito, faz menção aos títulos
executivos extrajudiciais. Vejamos:

“As decisões passadas em julgado ou das quais não tenha havido


recurso com efeito suspensivo; os acordos, quando não
cumpridos; os termos de ajuste de conduta firmados perante o
Ministério Público do Trabalho e os termos de conciliação firmados
perante as Comissões de Conciliação Prévia serão executada pela
forma estabelecida neste Capítulo”.

22 - Q19405( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
Julgue os itens a seguir, a respeito do direito do trabalho.
Para que se possa executar uma das empresas de um grupo econômico, é
necessário que ela tenha sido parte na fase de conhecimento do processo.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Não há necessidade de que todas


as empresas do grupo tenham participado do processo ou que aquela que
se busca executar tenha sido parte no processo. Basta que apenas uma
empresa do grupo tenha participado do processo, para que todas possam
ser executadas posteriormente. Esse entendimento surgiu com o
cancelamento da Súmula nº 205, que impedia tal execução. A
Súmula cancelada dizia o seguinte:
09032041690

“O responsável solidário, integrante do grupo econômico, que não


participou da relação processual como reclamado e que, portanto,
não consta no título executivo judicial como devedor, não pode ser
sujeito passivo na execução”.

Repita-se: com o cancelamento da Súmula, no ano de 2003, as


empresas do grupo não precisam ter participado do processo,
podendo ser todas elas executadas.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 240 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

23 - Q17606( Prova: CESPE - 2009 - Prefeitura de Ipojuca - PE - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
No que concerne ao processo judiciário do trabalho, à execução
aos recursos, bem como ao posicionamento do TST, no que
couber, julgue os próximos itens.
Conta-salário de sócio de empresa condenada em processo do trabalho não
pode ser objeto de penhora para garantia da execução.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Nos termos da OJ nº 153 da SDI-2


do TST, nenhum valor de salário pode ser penhorado, seja do devedor
direto ou do sócio de empresa executada. Nenhum percentual pode ser
objeto de penhora. A determinação viola direito líquido e certo, pois conflita
com o art. 649, IV do CPC, cabendo mandado de segurança. Nos termos
da OJ mencionada:

“Ofende direito líquido e certo decisão que determina o bloqueio


de numerário existente em conta salário, para satisfação de crédito
trabalhista, ainda que seja limitado a determinado percentual dos
valores recebidos ou a valor revertido para fundo de aplicação ou
poupança, visto que o art. 649, IV, do CPC contém norma
imperativa que não admite interpretação ampliativa, sendo a
exceção prevista no art. 649, § 2º, do CPC espécie e não gênero
de crédito de natureza alimentícia, não englobando o crédito
09032041690

trabalhista”.

24 - Q13330( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
A respeito da liquidação, do cumprimento de sentença e do
processo de execução, julgue os itens seguintes.
O devedor pode alegar excesso de execução como matéria de defesa,
devendo, nesse caso, declarar o valor que considera correto até a prolação
da sentença.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 241 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O entendimento do CESPE/Unb
sobre as matérias que podem ser objeto de discussão pelo executado, em
sede de embargos à execução, é sempre que são restritas àquelas descritas
no art. 884, §1º da CLT, assim redigido:

“A matéria de defesa será restrita às alegações de cumprimento


da decisão ou do acordo, quitação ou prescrição da divida”.

Em vários concursos o CESPE/Unb adotou esse posicionamento, não


permitindo a aplicação do art. 475-L do CPC, que trata de outras matérias
que podem ser alegadas em impugnação ao cumprimento de sentença.

25 - Q5341( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; )
Além das execuções fiscais de multas aplicadas pela fiscalização do trabalho
e inscritas na dívida ativa da União, pode ser ajuizada, junto à justiça do
trabalho, ação de execução de títulos extrajudiciais consistentes nos termos
de ajuste de conduta firmados perante o Ministério Público do Trabalho ou
nos termos de conciliação firmados perante as comissões de conciliação
prévia, sem prejuízo das execuções dos títulos judiciais consistentes nas
sentenças proferidas ou acordos homologados pela própria justiça do
trabalho.

09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A competência descrita na


afirmativa do CESPE/Unb encontra-se prevista no art. 876 da CLT, a seguir
transcrito:

“As decisões passadas em julgado ou das quais não tenha havido


recurso com efeito suspensivo; os acordos, quando não
cumpridos; os termos de ajuste de conduta firmados perante o
Ministério Público do Trabalho e os termos de conciliação firmados

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 242 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
perante as Comissões de Conciliação Prévia serão executada pela
forma estabelecida neste Capítulo”.

26 - Q5010( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
Os embargos à execução apenas serão admitidos pelo juiz do trabalho após
garantida a execução mediante depósito em dinheiro ou penhora de bens.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Um dos requisitos para a admissão


dos embargos à execução é a garantia do juízo, que se dá com o depósito
da quantia integral executada ou a penhora de bens do executado,
conforme art. 884 da CLT, assim redigido:

“Garantida a execução ou penhorados os bens, terá o executado 5


(cinco) dias para apresentar embargos, cabendo igual prazo ao
exeqüente para impugnação”.

27 - Q5011( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; Custas e
emolumentos; )
No processo do trabalho, além do valor principal apurado em favor do
trabalhador, serão executadas apenas as custas fixadas na sentença, após
09032041690

corrigidas monetariamente ou reavaliadas conforme a liquidação da


sentença em relação ao valor inicialmente arbitrado da condenação.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Também serão executadas as


contribuições previdenciárias, de ofício, conforme art. 114, VIII da CF/88,
bem como art. 876, parágrafo único da CLT, a seguir transcritos:

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 243 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Art. 114, VIII da CF/88: “a execução, de ofício, das contribuições
sociais previstas no art. 195, I, a , e II, e seus acréscimos legais,
decorrentes das sentenças que proferir”.

Art. 876, parágrafo único da CLT: “Serão executadas ex-officio


as contribuições sociais devidas em decorrência de decisão
proferida pelos Juízes e Tribunais do Trabalho, resultantes de
condenação ou homologação de acordo, inclusive sobre os salários
pagos durante o período contratual reconhecido”.

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q315575( Prova: CESPE - 2013 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Dissídios Coletivos; )
No que concerne ao direito processual do trabalho, julgue os itens seguintes.
O fato de dois sindicatos discutirem na justiça do trabalho a interpretação de
cláusula prevista em convenção coletiva de trabalho configura um dissídio
coletivo de natureza jurídica cuja sentença normativa é meramente
declaratória.

2 - Q101975( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Dissídios Coletivos; )
Em cada um dos itens seguintes,
09032041690

é apresentada uma situação


hipotética acerca das convenções e dos acordos coletivos de
trabalho, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Raul e diversos trabalhadores desligaram-se do sindicato representativo de
sua categoria profissional, por discordarem da forma radical e pouco
democrática como foram conduzidas as assembléias destinadas à aprovação
da pauta de reivindicações a ser apresentada à categoria econômica. Nessa
situação, por força do princípio constitucional da liberdade de filiação, as
regras da futura norma coletiva a ser pactuada não serão aplicadas ao
contrato de trabalho de Raul.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 244 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

3 - Q67772( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito


Processual do Trabalho / Dissídios Coletivos; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Se a demanda estiver discutindo descumprimento de norma coletiva, poderá
ocorrer execução direta de direito pelo trabalhador que se julgar prejudicado,
visto ser o instrumento coletivo título passível de execução.

4 - Q33675( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Dissídios Coletivos; )
Julgue os itens subseqüentes, acerca de direito material e
processual do trabalho.
A greve em atividade essencial, com risco de lesão do interesse público,
possibilita ao Ministério Público do Trabalho o ajuizamento de dissídio
coletivo, cabendo o julgamento respectivo ao tribunal do trabalho
competente para dirimir o conflito.

5 - Q17934( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Dissídios
Individuais; Dissídios Coletivos; )
Quanto ao processo judiciário do trabalho, julgue os itens
subsequentes.
Nos dissídios individuais ou coletivos submetidos à apreciação da justiça do
09032041690

trabalho, são, na medida do possível, formuladas pelo juízo propostas de


conciliação.

6 - Q310045( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
Com referência à jurisprudência do TST acerca da execução trabalhista,
julgue os itens a seguir.
É admissível a interposição de recurso de revista para combater acórdão
proferido em sede de agravo de petição, na liquidação de sentença ou em

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 245 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
processo incidente na execução, desde que seja comprovada
inequivocamente violência direta à CF.

7 - Q310046( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
Na execução provisória, não fere direito líquido e certo do impetrante o ato
judicial que determina penhora em dinheiro do executado para garantir o
crédito exequendo, ainda que haja nomeação de outros bens pelo executado.

8 - Q301055( Prova: CESPE - 2013 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
A matéria de defesa em sede de embargos à execução é restrita às alegações
de cumprimento da decisão ou do acordo, quitação ou prescrição da dívida.

9 - Q100269( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; )
Não sendo líquida a sentença condenatória, o juiz, ainda quando não tenha
sido inserido expresso comando para liquidação, deverá determinar a
apuração do devido para a execução mediante cálculo, arbitramento ou
artigos, incluída, quando for o caso, desde logo, a incidência dos valores
devidos a título de imposto de renda ou de contribuição previdenciária.

10 - Q100271( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
09032041690

Execução; )
Garantida a execução ou penhorados os bens, terá o executado cinco dias
para oposição de embargos à execução, contados da juntada do mandado
judicial aos autos do processo pelo oficial de justiça, podendo o exeqüente,
no mesmo prazo, apresentar impugnação quanto ao valor apurado na
execução.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 246 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
11 - Q93810( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista
Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; )
A execução deve-se processar na forma menos gravosa ao executado,
portanto, na execução provisória, a penhora em dinheiro fere o direito líquido
e certo do executado ainda que não exista a nomeação de outros bens à
penhora.

12 - Q93080( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
O objetivo da execução por quantia certa é expropriar bens do devedor a fim
de satisfazer o direito do credor, respondendo o executado com seu
patrimônio, presente ou futuro, para cumprimento das obrigações. Nesse
contexto, achando-se a dívida já com seu valor líquido e certo, será expedido
o mandado executivo, denominado mandado de citação, penhora e
avaliação, a ser cumprido pelo oficial de justiça.

13 - Q92375( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir. 09032041690

Oferecendo a reclamada o depósito recursal como garantia da dívida apurada


nos autos e após a penhora do depósito, deve ser facultado à reclamada o
prazo de oito dias para interposição de embargo à execução.

14 - Q69535( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Execução; )
Com relação à legislação e jurisprudência aplicadas ao direito
processual do trabalho, julgue os itens seguintes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 247 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
No tocante à execução por prestações sucessivas, conforme legislação
celetista, quando as prestações forem por prazo determinado, a execução
pelo não pagamento de uma prestação compreenderá as que lhe sucederem.
Porém, tratando-se de prestações por prazo indeterminado, a execução
compreenderá inicialmente as prestações devidas até a data do ingresso na
execução.

15 - Q64933( Prova: CESPE - 2010 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
Acerca da execução no processo trabalhista e dos embargos a ela inerentes,
julgue o item seguinte.

No caso de execução por carta precatória, os embargos de terceiro podem


ser oferecidos no juízo deprecante ou no deprecado, sendo competente para
o julgamento o deprecante, pelo fato de ser o responsável pela ordenação
da apreensão, ainda que os referidos embargos tratem unicamente de vícios
ou irregularidades da penhora, avaliação ou alienação de bens praticados
pelo juízo deprecado.

16 - Q33654( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Execução; )
À luz do entendimento jurisprudencial sumulado do TST, fere direito líquido
e certo do executado, tutelável pela via do mandado de segurança, o ato
judicial que determina a penhora em dinheiro do executado quando
nomeados outros bens à penhora, pois o executado tem direito a que a
09032041690

execução, ainda que definitiva, se processe da forma que lhe seja menos
gravosa.

17 - Q33022( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Execução; )
Com base na teoria da penetração, o juízo trabalhista comumente determina
a constrição de bens particulares dos sócios da empresa, desde que esta não
possua ou ofereça bens suficientes à penhora.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 248 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
18 - Q22850( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Técnico Judiciário - Área
Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
A execução trabalhista pode ser promovida pelo interessado ou de ofício pelo
juiz.

19 - Q19420( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
Considerando a execução, a citação, o depósito da condenação,
a nomeação de bens e o mandado de penhora, julgue os itens
subsequentes.
É admissível a penhora sobre a renda mensal ou faturamento da empresa,
limitada a determinado percentual, desde que não comprometa o
desenvolvimento regular de suas atividades.

20 - Q19419( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
As contribuições sociais devidas em decorrência de decisão proferida pelos
juízes e tribunais do trabalho, resultantes de condenação ou homologação
de acordo, somente serão executadas após provocação da União.

21 - Q19418( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
) 09032041690

Não há previsão legal no processo trabalhista de execução de título


extrajudicial.

22 - Q19405( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução;
)
Julgue os itens a seguir, a respeito do direito do trabalho.
Para que se possa executar uma das empresas de um grupo econômico, é
necessário que ela tenha sido parte na fase de conhecimento do processo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 249 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

23 - Q17606( Prova: CESPE - 2009 - Prefeitura de Ipojuca - PE - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
No que concerne ao processo judiciário do trabalho, à execução
aos recursos, bem como ao posicionamento do TST, no que
couber, julgue os próximos itens.
Conta-salário de sócio de empresa condenada em processo do trabalho não
pode ser objeto de penhora para garantia da execução.

24 - Q13330( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
A respeito da liquidação, do cumprimento de sentença e do
processo de execução, julgue os itens seguintes.
O devedor pode alegar excesso de execução como matéria de defesa,
devendo, nesse caso, declarar o valor que considera correto até a prolação
da sentença.

25 - Q5341( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; )
Além das execuções fiscais de multas aplicadas pela fiscalização do trabalho
e inscritas na dívida ativa da União, pode ser ajuizada, junto à justiça do
trabalho, ação de execução de títulos extrajudiciais consistentes nos termos
de ajuste de conduta firmados perante o Ministério Público do Trabalho ou
nos termos de conciliação firmados perante as comissões de conciliação
09032041690

prévia, sem prejuízo das execuções dos títulos judiciais consistentes nas
sentenças proferidas ou acordos homologados pela própria justiça do
trabalho.

26 - Q5010( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 250 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Os embargos à execução apenas serão admitidos pelo juiz do trabalho após
garantida a execução mediante depósito em dinheiro ou penhora de bens.

27 - Q5011( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Execução; Custas e
emolumentos; )
No processo do trabalho, além do valor principal apurado em favor do
trabalhador, serão executadas apenas as custas fixadas na sentença, após
corrigidas monetariamente ou reavaliadas conforme a liquidação da
sentença em relação ao valor inicialmente arbitrado da condenação.

4.

1 – certo 2 – errado 3 – errado 4 – certo 5 – errado


6 – certo 7 – errado 8 – certo 9 – certo 10 – errado
11- errado 12- certo 13- errado 14- certo 15- errado
16- errado 17- certo 18- certo 19- certo 20- errado
21- errado 22- errado 23- certo 24- errado 25- certo
26- certo 27- errado

09032041690

DOS RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO – PARTE 1

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q315574 ( Prova: CESPE - 2013 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
No que concerne ao direito processual do trabalho, julgue os itens seguintes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 251 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Segundo a CLT, o recurso de agravo de instrumento é adequado para
impugnar decisão interlocutória proferida na justiça do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. As decisões interlocutórias não são


impugnáveis de imediato na Justiça do Trabalho, conforme prevê o art. 893, §1º
da CLT e a Súmula nº 214 do TST. Assim, não cabe a interposição de agravo de
instrumento em face dessas decisões, como ocorre no processo civil, nos termos
do art. 522 do CPC. Contudo, o agravo de instrumento pode ser interposto na
seara trabalhista, conforme art. 897 da CLT, que prevê seu cabimento em face
das decisões de inadmissão de recursos, isto é, quando outro recurso é
inadmitido (não é recebido) pelo Poder Judiciário, por intempestividade, por
exemplo, cabe a interposição daquele recurso no prazo de 8 dias, visando
“destrancar” o recurso denegado.

2 - Q103101 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

O recurso cabível contra decisão que indefere produção de prova


testemunhal em audiência é o agravo de instrumento.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Tal decisão possui natureza interlocutória


e, conforme art. 893, §1º da CLT e Súmula 214 do TST, não pode ser impugnada
09032041690

por qualquer recurso de imediato. Assim, a parte deve aguardar ser proferida
sentença para contra ela interpor o recurso ordinário (art. 895 da CLT). Na
audiência, deverá a parte prejudicada com o indeferimento da prova apresentar o
protesto de forma a evitar a preclusão da matéria.

3 - Q103103 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 252 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Das decisões proferidas nas execuções cabe, no prazo de 8 dias, agravo de


petição.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O item está de acordo com o art. 897, “a”
da CLT, assim redigido:

“Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:


a) de petição, das decisões do Juiz ou Presidente, nas execuções”.

Assim, se requerida a substituição de bem penhorado o indeferido o pedido,


poderá a parte interpor o agravo de petição. Apresentados os embargos à
execução e julgados improcedentes, também caberá o mesmo recurso.

4 - Q103104 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Sob pena de não-conhecimento, as partes promoverão a formação do


agravo, obrigatoriamente, com cópias da decisão agravada, da certidão da
respectiva intimação, das procurações outorgadas aos advogados do
agravante e do agravado, da decisão originária, da comprovação do depósito
09032041690

recursal e do recolhimento das custas e, ainda, da petição inicial e da


contestação.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação acerca da formação do


agravo de instrumento encontra-se no art. 897, §5º da CLT, assim redigido:
“Sob pena de não conhecimento, as partes promoverão a formação do
instrumento do agravo de modo a possibilitar, caso provido, o imediato
julgamento do recurso denegado, instruindo a petição de interposição:I
- obrigatoriamente, com cópias da decisão agravada, da certidão da
respectiva intimação, das procurações outorgadas aos advogados do

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 253 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
agravante e do agravado, da petição inicial, da contestação, da decisão
originária, do depósito recursal referente ao recurso que se pretende
destrancar, da comprovação do recolhimento das custas e do depósito
recursal a que se refere o § 7o do art. 899 desta Consolidação;
II - facultativamente, com outras peças que o agravante reputar úteis ao
deslinde da matéria de mérito controvertida”.

A justificativa para a formação do agravo de instrumento com tantas peças


encontra-se no §7º do mesmo artigo, que prevê a possibilidade de julgamento do
recurso principal, denegado, caso o agravo de instrumento seja provido. Assim,
se interpus um recurso ordinário que foi inadmitido, farei a interposição de agravo
de instrumento com todas as peças descritas acima. Sendo o meu agravo provido,
o TRT julgará o meu recurso ordinário com base nas cópias juntadas ao agravo,
sem necessidade de subida dos autos principais àquele tribunal.

5 - Q103105 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Contra acórdão regional prolatado em agravo de instrumento cabe recurso


de revista.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação contrapõe-se ao descrito na


Súmula nº 218 do TST, abaixo transcrita: 09032041690

“É incabível recurso de revista interposto de acórdão regional prolatado


em agravo de instrumento”.

Como o agravo de instrumento não é o recurso interposto em face da decisão final


do processo (sentença, por exemplo), não tem o condão de chegar ao TST por
meio do recurso de revista, que está previsto no art. 896 da CLT.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 254 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
6 - Q103107 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Da decisão de Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em ação rescisória, é


cabível recurso ordinário para o TST.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. A informação está totalmente de


acordo com a Súmula nº 158 do TST, a seguir transcrita:

“Da decisão de Tribunal Regional do Trabalho, em ação rescisória, é


cabível re-curso ordinário para o Tribunal Superior do Trabalho, em face
da organização judiciária trabalhista”.

Se a ação rescisória é da competência originária do TRT, esse proferirá um


acórdão, passível de recurso ordinário, conforme art. 895, II da CLT, que assim
dispõe:

“Art. 895 - Cabe recurso ordinário para a instância superior:


(...)
II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais, em
processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito) dias, quer
nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos”.
09032041690

7 - Q310052 ( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Em conformidade com a CLT e com os procedimentos e recursos trabalhistas
na jurisprudência do TST, julgue os seguintes itens.
É cabível recurso ordinário das decisões definitivas dos tribunais regionais,
em processos de sua competência originária, no prazo de oito dias.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 255 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Esse é uma das hipóteses de
cabimento do recurso ordinário, conforme previsão contida no art. 895, II da CLT,
a seguir transcrito:

“Art. 895 - Cabe recurso ordinário para a instância superior:


(...)
II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais, em
processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito) dias, quer
nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos”.

Se determinação ação, tal como a rescisória, um mandado de segurança, cautelar


ou dissídio coletivo, é da competência originária do TRT (inicia-se nesse tribunal),
do acórdão que vier a ser proferido será interposto o Recurso Ordinário.

8 - Q310053 ( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
O recurso de revista tem efeito suspensivo e somente deve ser interposto na
hipótese de violação literal de disposição de lei federal ou afronta direta e
literal à CF.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Dois são os erros da questão:


a. O recurso de revista não possui efeito suspensivo, pois segue a regra do
art. 899 da CLT, que diz que os recursos trabalhistas possuem apenas efeito
devolutivo.
b. O recurso não será apenas interposto na hipótese de violação literal de lei
federal ou afronta direta e literal à CF, pois outras são as hipóteses do art.
09032041690

896 da CLT, tais como divergência jurisprudencial e violação à lei estadual,


convenção coletiva, regulamento empresarial, etc.

9 - Q277818 ( Prova: CESPE - 2004 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
Considere a seguinte situação hipotética.

Em razão de greve deflagrada pelos trabalhadores do transporte público da


a
capital da República, o TRT da 10. Região processou e julgou o dissídio

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 256 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
coletivo ajuizado pelo sindicato patronal correspondente. Por considerar
evidente a violação aos dispositivos da Lei de Greve, o tribunal declarou a
paralisação abusiva e ilegal, ordenando o imediato retorno dos trabalhadores
às atividades, sob pena de demissão por justa causa.

Nessa situação, contra a decisão regional, o recurso de revista cabível ao


TST, no prazo de oito dias, deverá ser julgado pela Seção de Dissídios
Coletivos daquele tribunal.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação está errada, pois não há


possibilidade de interposição do recurso de revista na hipótese. Verifica-se,
claramente, que o dissídio coletivo é de competência originária do TRT da 10ª
Região, que proferiu a sentença normativa. Por tratar-se de decisão de TRT em
processo originário, cabe recurso ordinário, nos termos do art. 895, II da CLT.

10 - Q256163 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
O recurso de revista é um dos recursos inclusos na taxatividade prevista na
Consolidação das Leis do Trabalho. Quando esse recurso é utilizado no
procedimento sumaríssimo, a sua admissão estará condicionada à ocorrência
de contrariedade a súmula de jurisprudência uniforme do Tribunal Superior
do Trabalho e violação direta da CF.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Informações perfeitas. Em primeiro lugar,


o recurso de revista encontra-se previsto no art. 896 da CLT, razão pela qual está
09032041690

em conformidade com o princípio da taxatividade. Em segundo lugar, o seu


cabimento no rito sumaríssimo está disciplinado no §6º do art. 896 da CLT, assim
redigido:

“Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, somente será


admitido recurso de revista por contrariedade a súmula de jurisprudência
uniforme do Tribunal Superior do Trabalho e violação direta da
Constituição da República”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 257 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Importante lembrar que em setembro de 2012 o TST editou a Súmula nº 442,
afirmando que a contrariedade à OJ do TST não autoriza a interposição do Recurso
de Revista, pois Súmula é apenas Súmula e não OJ !!!

“Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, a admissibilidade de


recurso de revista está limitada à demonstração de violação direta a
dispositivo da Constituição Federal ou contrariedade a Súmula do Tribunal
Superior do Trabalho, não se admitindo o recurso por contrariedade a
Orientação Jurisprudencial deste Tribunal (Livro II, Título II, Capítulo III,
do RITST), ante a ausência de previsão no art. 896, § 6º, da CLT”.

11 - Q100221 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Na justiça do trabalho, a decisão interlocutória não enseja recurso imediato,
salvo quando envolver decisão de TRT contrária à súmula ou à orientação
jurisprudencial do TST, for decisão suscetível de recurso para o mesmo
tribunal ou que acolher exceção de incompetência territorial com remessa
dos autos para TRT distinto daquele a que se vincula o juízo excepcionado.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. As hipóteses descritas pela CESPE/Unb


nessa questão estão explicitamente arroladas na Súmula nº 214 do TST, que você
deve ler e reler, pois muitas questões são resolvidas com base naquela.
Transcrevemos:

“Na Justiça do Trabalho, nos termos do art. 893, § 1º, da CLT, as decisões
interlocutórias não ensejam recurso imediato, salvo nas hipóteses de
09032041690

decisão: a) de Tribunal Regional do Trabalho contrária à Súmula ou


Orientação Jurisprudencial do Tribunal Superior do Trabalho; b)
suscetível de impugnação mediante recurso para o mesmo Tribunal; c)
que acolhe exceção de incompetência territorial, com a remessa dos
autos para Tribunal Regional distinto daquele a que se vincula o juízo
excepcionado, consoante o disposto no art. 799, § 2º, da CLT”.

12 - Q100222 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 258 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Não cabe o oferecimento tardio de instrumento procuratório em instância
recursal, nem a regularização na fase recursal, porque a interposição de
recurso não pode ser considerada ato urgente nem se aplica a regularização
à instância recursal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Informação perfeita, em conformidade com


a Súmula nº 383 do TST, a seguir transcrita:

“I - É inadmissível, em instância recursal, o oferecimento tardio de


procuração, nos termos do art. 37 do CPC, ainda que mediante protesto
por posterior juntada, já que a interposição de recurso não pode ser
reputada ato urgente. (ex-OJ nº 311 da SBDI-1 - DJ 11.08.2003)
II - Inadmissível na fase recursal a regularização da representação
processual, na forma do art. 13 do CPC, cuja aplicação se restringe ao
Juízo de 1º grau. (ex-OJ nº 149 da SBDI-1 - inserida em 27.11.1998)”.

O TST entende que recorrer não é ato urgente que justifique a juntada posterior
da procuração ou a regulação da representação, pois a parte, ao interpor recurso,
já tem conhecimento do ônus processual.

13 - Q152939 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
No processo do trabalho, não é cabível a interposição de recurso adesivo.
09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O recurso adesivo, previsto no art. 500


do CPC, é perfeitamente cabível no processo do trabalho, sendo que a matéria é
atualmente regulado pela Súmula nº 283 do TST, abaixo transcrita:

“O recurso adesivo é compatível com o processo do trabalho e cabe, no


prazo de 8 (oito) dias, nas hipóteses de interposição de recurso ordinário,
de agravo de petição, de revista e de embargos, sendo desnecessário que
a matéria nele veiculada esteja relacionada com a do recurso interposto
pela parte contrária”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 259 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

14 - Q152940 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
O prazo para a interposição do recurso ordinário é de 8 dias.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O recurso ordinário segue a regra imposta


pela Lei nº 5584/70, acerca da uniformidade dos prazos recursais. O recurso
ordinário, bem como a maioria dos recursos trabalhistas, é interposto em 8 dias.
Exceções são: embargos de declaração (5 dias), recurso extraordinário (15 dias),
agravo regimental (a depender do TRT, sendo, geralmente, de 5 dias naqueles e
8 dias no TST).

15 - Q199147 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
Julgue os itens seguintes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.
Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, admite-se recurso de
revista de decisão proferida em grau de recurso ordinário, em caso de
violação literal de disposição de lei federal.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A interposição de recurso de revista nos


processos do rito sumaríssimo somente é possível nas hipóteses previstas no §6º
do art. 896 da CLT, assim redigido:

“Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, somente será


09032041690

admitido recurso de revista por contrariedade a súmula de jurisprudência


uniforme do Tribunal Superior do Trabalho e violação direta da
Constituição da República.

Ademais, destaque para a Súmula nº 442 do TST, editada em setembro de 2012,


com a seguinte redação:

“Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, a admissibilidade de


recurso de revista está limitada à demonstração de violação direta a
dispositivo da Constituição Federal ou contrariedade a Súmula do Tribunal

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 260 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Superior do Trabalho, não se admitindo o recurso por contrariedade a
Orientação Jurisprudencial deste Tribunal (Livro II, Título II, Capítulo III,
do RITST), ante a ausência de previsão no art. 896, § 6º, da CLT”.

16 - Q98559 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação à pessoa jurídica de direito público como parte em
processo trabalhista, julgue os itens que se seguem.
O prazo para a interposição de embargos de declaração por pessoa jurídica
de direito público é em dobro.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A interposição de recursos por pessoas


jurídicas de direito público é regulado pelo art. 188 do CPC, bem como pelo
Descreto-Lei nº 779/69, que prevê a prerrogativa de prazo em dobro. Assim, como
o art. 897-A da CLT prevê a interposição dos embargos de declaração no prazo de
5 dias, para as pessoas jurídicas de direito público o recurso será interposto no
prazo de 10 dias.

17 - Q99149 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Em assembléia geral, após frustrada negociação coletiva
com o sindicato patronal, os motoristas e cobradores de ônibus de
empresas de transporte coletivo de certo município resolveram
deflagrar movimento paredista. Comunicaram às empresas de
transporte coletivo das quais eram empregados a deliberação pela
09032041690

greve e, no dia seguinte, após anúncio em jornais, rádio e


televisão, pararam de trabalhar, mantendo, contudo, colegas
incumbidos de trafegar com parte dos ônibus, nos horários de
pico, exceto nas linhas que passam pelos lugares mais
movimentados da cidade, que continuam sem atendimento de
transporte público algum.
Com base na situação hipotética apresentada, julgue os itens a
seguir.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 261 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Eventual decisão do TRT acerca da abusividade da greve, julgando dissídio
coletivo que tenha sido ajuizado, está sujeita a recurso de revista para o
TST, cabendo, em tal caso, à respectiva Seção de Dissídios Coletivos o
reexame da decisão regional.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Se o dissídio coletivo é de competência


originária do TRT, da sentença normativa proferida será interposto recurso
ordinário para o TST, conforme art. 895, II da CLT, no prazo de 8 dias. Transcreve-
se o dispositivo legal:

“Art. 895 - Cabe recurso ordinário para a instância superior:


(...)
II - das decisões definitivas ou terminativas dos Tribunais Regionais, em
processos de sua competência originária, no prazo de 8 (oito) dias, quer
nos dissídios individuais, quer nos dissídios coletivos”.

18 - Q99165 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Quanto aos recursos no processo trabalhista, julgue os itens
subseqüentes.
O relator, no TST ou no TRT, pode negar seguimento ou dar provimento a
recurso, por decisão monocrática, nas hipóteses previstas no art. 557 do
Código de Processo Civil (CPC), também aplicável ao processo do trabalho,
sujeita a decisão a agravo para o órgão colegiado do respectivo tribunal que
seria, em princípio, competente para o exame do recurso trancado. Contudo,
se contra a decisão do relator forem opostos embargos de declaração, esses
09032041690

serão decididos pelo próprio relator quando pretenderem suprir mero vício
técnico e não, a modificação do julgado; se o embargante postular efeito
modificativo, os embargos serão convertidos em agravo para exame, como
tal, pelo órgão colegiado.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Essas informações estão totalmente


corretas. Vejamos:
a. O julgamento monocrático do art. 557 do CPC é cabível no processo do
trabalho, conforme Súmula nº 435 do TST, de setembro de 2012.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 262 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
b. O julgamento dos embargos de declaração, quando pedido efeito
modificativo, encontra-se previsto na Súmula nº 421 do TST, a seguir
transcrito:

“I - Tendo a decisão monocrática de provimento ou denegação de


recurso, prevista no art. 557 do CPC, conteúdo decisório definitivo e
conclusivo da lide, comporta ser esclarecida pela via dos embargos de
declaração, em decisão aclaratória, também monocrática, quando se
pretende tão-somente suprir omissão e não, modificação do julgado.
II - Postulando o embargante efeito modificativo, os embargos
declaratórios de-verão ser submetidos ao pronunciamento do Colegiado,
convertidos em agravo, em face dos princípios da fungibilidade e
celeridade processual”.

19 - Q99168 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Provido o agravo de instrumento, o tribunal ou seu órgão fracionário
competente deve deliberar sobre o julgamento do recurso principal antes
denegado no juízo ou tribunal de origem, observando-se, se for o caso, daí
em diante, o procedimento relativo a esse recurso.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O julgamento encontra-se previsto no art.


897, §7º da CLT, a seguir transcrito:

“Provido o agravo, a Turma deliberará sobre o julgamento do recurso


principal, observando-se, se for o caso, daí em diante, o procedimento
09032041690

relativo a esse recurso”.

Se a parte interpõe um recurso ordinário que é inadmitido, caberá agravo de


instrumento, formado com os documentos constantes no §5º do art. 897 da CLT.
Se provido o agravo, o tribunal passará ao julgamento do recurso ordinário com
base nos documentos juntados no agravo, sem necessidade de subido dos autos
originais ao TRT. Essa é a regra do §7º do art. 897 da CLT.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 263 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
20 - Q101973 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área
Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Em cada um dos próximos itens, é apresentada uma situação
hipotética acerca dos recursos admissíveis no processo do
trabalho, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Inconformada com o valor que lhe estava sendo cobrado em determinada
execução trabalhista, uma empresa ofereceu embargos, apontando a
existência de erros nos cálculos. Nessa situação, contra a sentença que vier
a ser proferida, será admissível o recurso de agravo de instrumento.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Os embargos à execução são


apresentados com base no art. 884 da CLT, em 5 dias. Da sentença que vier a ser
proferida, por tratar-se de decisão em execução, caberá agravo de petição,
conforme art. 897, “a” da CLT, e não agravo de instrumento.

21 - Q101974 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Ao julgar o recurso ordinário apresentado contra a sentença proferida em
reclamação trabalhista, o TRT incorreu em afronta direta e literal ao texto de
determinada lei federal. Nessa situação, será admissível o recurso de revista
ao TST, no prazo de 8 dias contados da data da publicação do acórdão.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A situação descrita pelo CESPE/Unb é


09032041690

exatamente a que dá ensejo à interposição do recurso de revista, conforme art.


896 da CLT, a seguir transcrito:

“Cabe Recurso de Revista para Turma do Tribunal Superior do Trabalho


das decisões proferidas em grau de recurso ordinário, em dissídio
individual, pelos Tribunais Regionais do Trabalho, quando:”

A situação é a seguinte: da sentença proferida pela Vara do Trabalho, em um


dissídio individual, foi interposto recurso ordinário. Julgado esse pelo TRT, caberá

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 264 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
recurso de revista se for violada lei federal, conforme alínea “c” do art. 896 da
CLT.

22 - Q101983 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Julgue os itens seguintes, relativos a recursos na justiça do
trabalho.
Considere que, na condição de terceiro, uma determinada empresa tenha
oposto embargos, com o objetivo de desconstituir a penhora de bens seus,
formalizada em execução movida contra outra pessoa jurídica. Nessa
hipótese, confirmada a apreensão nos julgamentos proferidos em primeira e
segunda instâncias da justiça do trabalho, o recurso ao TST será admitido
apenas por ofensa direta e literal à Constituição da República.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O cabimento do recurso de revista em sede


de ação de embargos de terceiro (art. 1046 da CLT), encontra-se disciplinado no
§2º do art. 896 da CLT, assim redigido:

“Das decisões proferidas pelos Tribunais Regionais do Trabalho ou por


suas Turmas, em execução de sentença, inclusive em processo incidente
de embargos de terceiro, não caberá Recurso de Revista, salvo na
hipótese de ofensa direta e literal de norma da Constituição Federal”.

23 - Q99382 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


09032041690

Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )


Quando não se tratar de reclamação trabalhista, o recurso contra sentença
de juiz do trabalho é a apelação prevista no Código de Processo Civil

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Mesmo que não se trate de típica


reclamação trabalhista, da sentença proferida por Juiz do Trabalho caberá recurso
ordinário, previsto no art. 895, I da CLT. Assim ocorrerá no mandado de
segurança, na ação cautelar, em ação de consignação em pagamento, bem como
em outras de procedimento especial, que podem ser ajuizadas perante a Vara do
Trabalho. Não se aplica o CPC, por não haver omissão na CLT.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 265 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

24 - Q99384 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Havendo condenação do Poder Público em sentença proferida por juiz do
trabalho, ocorrerá, necessariamente, a remessa oficial ao tribunal regional
para reexame do julgado, exceto, apenas, quando o valor da condenação
não exceder a 60 salários mínimos ou a decisão recorrida estiver em
consonância com decisão do plenário ou de súmula do STF.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A informação está incompleta, pois não


traz todas as exceções previstas na Súmula nº 303 do TST, a seguir transcrita:

“I - Em dissídio individual, está sujeita ao duplo grau de jurisdição,


mesmo na vigência da CF/1988, decisão contrária à Fazenda Pública,
salvo:
a) quando a condenação não ultrapassar o valor correspondente a 60
(sessenta) salários mínimos;
b) quando a decisão estiver em consonância com decisão plenária do
Supremo Tribunal Federal ou com súmula ou orientação
jurisprudencial do Tribunal Superior do Trabalho.
II - Em ação rescisória, a decisão proferida pelo juízo de primeiro grau
está sujeita ao duplo grau de jurisdição obrigatório quando desfavorável
ao ente público, exceto nas hipóteses das alíneas "a" e "b" do inciso
anterior.
III - Em mandado de segurança, somente cabe remessa "ex officio" se,
09032041690

na relação processual, figurar pessoa jurídica de direito público como


parte prejudicada pela concessão da ordem. Tal situação não ocorre na
hipótese de figurar no feito como impetrante e terceiro interessado
pessoa de direito privado, ressalvada a hipótese de matéria
administrativa”.

A questão trata do inciso I, mas não menciona a dispensa da remessa necessária


quando a sentença está em conformidade com Súmula ou Orientação
Jurisprudencial do TST, mencionando apenas decisão plenária ou Súmula do
STF.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 266 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

25 - Q101770 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Ao receber o recurso após regular distribuição, o juiz relator observou que a
matéria debatida era objeto de pacificação jurisprudencial, inclusive
figurando em súmula do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Por isso,
proferiu de imediato decisão monocrática, negando seguimento ao recurso.
Nessa situação, contra a decisão a parte sucumbente pode apresentar o
recurso de agravo de instrumento, no prazo de oito dias.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A decisão proferida pelo relator está


baseada no art. 557 do CPC, que prevê as hipóteses de julgamento monocrático
nos tribunais. O próprio dispositivo, no §1º, prevê o cabimento de agravo interno,
no prazo de 5 dias, ao órgão colegiado, não sendo correto, portanto, falar-se em
cabimento de agravo de instrumento, conforme dito pelo CESPE/Unb. De decisão
monocrática do art. 557 do CPC, caberá sempre agravo interno, em 5 dias.

26 - Q101771 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Apreciando mandado de segurança impetrado contra ato praticado por um
dos juízes do trabalho de São Luís – MA, o tribunal regional concedeu a
ordem pretendida, tornando ineficaz o ato judicial combatido. Nessa
situação, será cabível a interposição de recurso ordinário ao TST, no prazo
de oito dias.

09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Se o ato atacado pelo mandado


de segurança é oriundo de Juiz do Trabalho, a competência para o mandamus é
do TRT. Do acórdão proferido pelo TRT caberá recurso ordinário, nos termos do
art. 895, II da CLT, pois a competência para o MS é originária daquele tribunal.

27 - Q93806 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 267 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Assim como no processo civil, no processo do trabalho os recursos repousam
na existência comum do efeito suspensivo.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. No processo do trabalho, nos termos do


art. 899 da CLT, os recursos possuem apenas efeito devolutivo, possibilitando,
desde logo, o início da execução provisória do julgado. Nos termos da Súmula nº
414, I do TST, é possível a concessão extraordinária do efeito suspensivo por meio
de ação cautelar.

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q315574 ( Prova: CESPE - 2013 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
No que concerne ao direito processual do trabalho, julgue os itens seguintes.
Segundo a CLT, o recurso de agravo de instrumento é adequado para
impugnar decisão interlocutória proferida na justiça do trabalho.

2 - Q103101 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

O recurso cabível contra decisão que indefere produção de prova


09032041690

testemunhal em audiência é o agravo de instrumento.

3 - Q103103 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 268 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Das decisões proferidas nas execuções cabe, no prazo de 8 dias, agravo de
petição.

4 - Q103104 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Sob pena de não-conhecimento, as partes promoverão a formação do


agravo, obrigatoriamente, com cópias da decisão agravada, da certidão da
respectiva intimação, das procurações outorgadas aos advogados do
agravante e do agravado, da decisão originária, da comprovação do depósito
recursal e do recolhimento das custas e, ainda, da petição inicial e da
contestação.

5 - Q103105 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Contra acórdão regional prolatado em agravo de instrumento cabe recurso


de revista.
09032041690

6 - Q103107 ( Prova: CESPE - 2004 - TRT - 10ª REGIÃO (DF e TO) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Considerando as disposições legais contidas na Consolidação das Leis do
Trabalho (CLT), nos enunciados e orientações jurisprudenciais do Tribunal
Superior do Trabalho (TST), julgue os itens subseqüentes.

Da decisão de Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em ação rescisória, é


cabível recurso ordinário para o TST.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 269 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
7 - Q310052 ( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /
Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Em conformidade com a CLT e com os procedimentos e recursos trabalhistas
na jurisprudência do TST, julgue os seguintes itens.
É cabível recurso ordinário das decisões definitivas dos tribunais regionais,
em processos de sua competência originária, no prazo de oito dias.

8 - Q310053 ( Prova: CESPE - 2010 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
O recurso de revista tem efeito suspensivo e somente deve ser interposto na
hipótese de violação literal de disposição de lei federal ou afronta direta e
literal à CF.

9 - Q277818 ( Prova: CESPE - 2004 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
Considere a seguinte situação hipotética.

Em razão de greve deflagrada pelos trabalhadores do transporte público da


a
capital da República, o TRT da 10. Região processou e julgou o dissídio
coletivo ajuizado pelo sindicato patronal correspondente. Por considerar
evidente a violação aos dispositivos da Lei de Greve, o tribunal declarou a
paralisação abusiva e ilegal, ordenando o imediato retorno dos trabalhadores
às atividades, sob pena de demissão por justa causa.

Nessa situação, contra a decisão regional, o recurso de revista cabível ao


09032041690

TST, no prazo de oito dias, deverá ser julgado pela Seção de Dissídios
Coletivos daquele tribunal.

10 - Q256163 ( Prova: CESPE - 2012 - Banco da Amazônia - Técnico


Científico - Direito / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
O recurso de revista é um dos recursos inclusos na taxatividade prevista na
Consolidação das Leis do Trabalho. Quando esse recurso é utilizado no
procedimento sumaríssimo, a sua admissão estará condicionada à ocorrência

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 270 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
de contrariedade a súmula de jurisprudência uniforme do Tribunal Superior
do Trabalho e violação direta da CF.

11 - Q100221 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Na justiça do trabalho, a decisão interlocutória não enseja recurso imediato,
salvo quando envolver decisão de TRT contrária à súmula ou à orientação
jurisprudencial do TST, for decisão suscetível de recurso para o mesmo
tribunal ou que acolher exceção de incompetência territorial com remessa
dos autos para TRT distinto daquele a que se vincula o juízo excepcionado.

12 - Q100222 ( Prova: CESPE - 2008 - SEMAD-ARACAJU - Procurador


Municipal / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Não cabe o oferecimento tardio de instrumento procuratório em instância
recursal, nem a regularização na fase recursal, porque a interposição de
recurso não pode ser considerada ato urgente nem se aplica a regularização
à instância recursal.

13 - Q152939 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
No que se refere ao direito processual do trabalho, julgue os
itens de 91 a 100.
No processo do trabalho, não é cabível a interposição de recurso adesivo.

14 - Q152940 ( Prova: CESPE - 2008 - SERPRO - Analista - Advocacia /


09032041690

Direito Processual do Trabalho / Recursos; )


O prazo para a interposição do recurso ordinário é de 8 dias.

15 - Q199147 ( Prova: CESPE - 2011 - EBC - Analista - Advocacia / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
Julgue os itens seguintes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 271 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, admite-se recurso de
revista de decisão proferida em grau de recurso ordinário, em caso de
violação literal de disposição de lei federal.

16 - Q98559 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação à pessoa jurídica de direito público como parte em
processo trabalhista, julgue os itens que se seguem.
O prazo para a interposição de embargos de declaração por pessoa jurídica
de direito público é em dobro.

17 - Q99149 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Em assembléia geral, após frustrada negociação coletiva
com o sindicato patronal, os motoristas e cobradores de ônibus de
empresas de transporte coletivo de certo município resolveram
deflagrar movimento paredista. Comunicaram às empresas de
transporte coletivo das quais eram empregados a deliberação pela
greve e, no dia seguinte, após anúncio em jornais, rádio e
televisão, pararam de trabalhar, mantendo, contudo, colegas
incumbidos de trafegar com parte dos ônibus, nos horários de
pico, exceto nas linhas que passam pelos lugares mais
movimentados da cidade, que continuam sem atendimento de
transporte público algum.
Com base na situação hipotética09032041690
apresentada, julgue os itens a
seguir.
Eventual decisão do TRT acerca da abusividade da greve, julgando dissídio
coletivo que tenha sido ajuizado, está sujeita a recurso de revista para o
TST, cabendo, em tal caso, à respectiva Seção de Dissídios Coletivos o
reexame da decisão regional.

18 - Q99165 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 272 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Quanto aos recursos no processo trabalhista, julgue os itens
subseqüentes.
O relator, no TST ou no TRT, pode negar seguimento ou dar provimento a
recurso, por decisão monocrática, nas hipóteses previstas no art. 557 do
Código de Processo Civil (CPC), também aplicável ao processo do trabalho,
sujeita a decisão a agravo para o órgão colegiado do respectivo tribunal que
seria, em princípio, competente para o exame do recurso trancado. Contudo,
se contra a decisão do relator forem opostos embargos de declaração, esses
serão decididos pelo próprio relator quando pretenderem suprir mero vício
técnico e não, a modificação do julgado; se o embargante postular efeito
modificativo, os embargos serão convertidos em agravo para exame, como
tal, pelo órgão colegiado.

19 - Q99168 ( Prova: CESPE - 2008 - TST - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Provido o agravo de instrumento, o tribunal ou seu órgão fracionário
competente deve deliberar sobre o julgamento do recurso principal antes
denegado no juízo ou tribunal de origem, observando-se, se for o caso, daí
em diante, o procedimento relativo a esse recurso.

20 - Q101973 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Em cada um dos próximos itens, é apresentada uma situação
hipotética acerca dos recursos09032041690
admissíveis no processo do
trabalho, seguida de uma assertiva a ser julgada.
Inconformada com o valor que lhe estava sendo cobrado em determinada
execução trabalhista, uma empresa ofereceu embargos, apontando a
existência de erros nos cálculos. Nessa situação, contra a sentença que vier
a ser proferida, será admissível o recurso de agravo de instrumento.

21 - Q101974 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 273 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Ao julgar o recurso ordinário apresentado contra a sentença proferida em
reclamação trabalhista, o TRT incorreu em afronta direta e literal ao texto de
determinada lei federal. Nessa situação, será admissível o recurso de revista
ao TST, no prazo de 8 dias contados da data da publicação do acórdão.

22 - Q101983 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Julgue os itens seguintes, relativos a recursos na justiça do
trabalho.
Considere que, na condição de terceiro, uma determinada empresa tenha
oposto embargos, com o objetivo de desconstituir a penhora de bens seus,
formalizada em execução movida contra outra pessoa jurídica. Nessa
hipótese, confirmada a apreensão nos julgamentos proferidos em primeira e
segunda instâncias da justiça do trabalho, o recurso ao TST será admitido
apenas por ofensa direta e literal à Constituição da República.

23 - Q99382 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Quando não se tratar de reclamação trabalhista, o recurso contra sentença
de juiz do trabalho é a apelação prevista no Código de Processo Civil

24 - Q99384 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT - 9ª REGIÃO (PR) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Havendo condenação do Poder Público em sentença proferida por juiz do
09032041690

trabalho, ocorrerá, necessariamente, a remessa oficial ao tribunal regional


para reexame do julgado, exceto, apenas, quando o valor da condenação
não exceder a 60 salários mínimos ou a decisão recorrida estiver em
consonância com decisão do plenário ou de súmula do STF.

25 - Q101770 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Ao receber o recurso após regular distribuição, o juiz relator observou que a
matéria debatida era objeto de pacificação jurisprudencial, inclusive

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 274 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
figurando em súmula do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Por isso,
proferiu de imediato decisão monocrática, negando seguimento ao recurso.
Nessa situação, contra a decisão a parte sucumbente pode apresentar o
recurso de agravo de instrumento, no prazo de oito dias.

26 - Q101771 ( Prova: CESPE - 2005 - TRT-16R - Analista Judiciário - Área


Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Apreciando mandado de segurança impetrado contra ato praticado por um
dos juízes do trabalho de São Luís – MA, o tribunal regional concedeu a
ordem pretendida, tornando ineficaz o ato judicial combatido. Nessa
situação, será cabível a interposição de recurso ordinário ao TST, no prazo
de oito dias.

27 - Q93806 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Assim como no processo civil, no processo do trabalho os recursos repousam
na existência comum do efeito suspensivo.

4.

1 – errado 2 – errado 3 – certo 4 – certo 5 – errado


09032041690

6 – certo 7 – certo 8 – errado 9 – errado 10 – certo


11- certo 12- certo 13- errado 14- certo 15- errado
16- certo 17- errado 18- certo 19- certo 20- errado
21- certo 22- certo 23- errado 24- errado 25- errado
26- certo 27- errado

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 275 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

DOS RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO – PARTE 2

2. QUESTÕES COMENTADAS:

1 - Q93808 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
Execução; Recursos; )
Acerca de processo de execução, julgue os itens subsequentes.
A admissibilidade do recurso de revista em processo de execução depende
de demonstração inequívoca de violência direta e literal à CF.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está perfeita, com


consonância com o que dispõe o §2º do art. 896 da CLT, que trata do cabimento
do recurso de revista no processo de execução. Nessa hipótese, o cabimento e
mais restrito, devendo a parte recorrente demonstrar o ferimento apenas à CF.
Nenhuma outra matéria pode ser alegado no RR nessa hipótese. Vejamos o
dispositivo legal:

“Das decisões proferidas pelos Tribunais Regionais do Trabalho ou


por suas Turmas, em execução de sentença, inclusive em processo
incidente de embargos de terceiro, não caberá Recurso de Revista,
salvo na hipótese de ofensa direta e literal de norma da
09032041690

Constituição Federal”.

2 - Q93083 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Com relação ao processo do trabalho, julgue os itens que se seguem.
Considerando que o recurso ordinário não possui efeito suspensivo, sendo
apenas dotado de efeito devolutivo, há a possibilidade excepcional de
utilização de ação cautelar para obtenção do mencionado efeito suspensivo,

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 276 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
como na hipótese de sentença que determina a imediata reintegração de
empregado.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito. Os recursos trabalhistas são


dotados apenas de efeito devolutivo, conforme dispõe o art. 899 da CLT, sendo
que a Súmula nº 414, I do TST reconhece o cabimento de ação cautelar para
imprimir, excepcionalmente, efeito suspensivo aos recursos, evitando-se, no
exemplo dado, a reintegração do obreiro de forma imediata. Conforme o
entendimento consolidado do TST:

“A antecipação da tutela concedida na sentença não comporta


impugnação pela via do mandado de segurança, por ser
impugnável mediante recurso ordinário. A ação cautelar é o meio
próprio para se obter efeito suspensivo a recurso”.

3 - Q92376 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
Interposto recurso ordinário contra sentença e não sendo o acórdão claro o
suficiente, será viável interpor embargos, consoante previsto na CLT, no
prazo de cinco dias. 09032041690

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Informação correta, pois se o acórdão não


é claro o suficiente, é porque estamos diante de uma decisão obscura, passível de
interposição de embargos de declaração, conforme art. 897-A da CLT. O prazo de
interposição do recurso é de 5 dias, fugindo à regra, portanto, da uniformidade do
prazo recursal em 8 dias. Conforme dicção legal:

“Caberão embargos de declaração da sentença ou acórdão, no


prazo de cinco dias, devendo seu julgamento ocorrer na primeira
audiência ou sessão subseqüente a sua apresentação, registrado

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 277 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
na certidão, admitido efeito modificativo da decisão nos casos de
omissão e contradição no julgado e manifesto equívoco no exame
dos pressupostos extrínsecos do recurso”.

4 - Q69536 ( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação à legislação e jurisprudência aplicadas ao direito
processual do trabalho, julgue os itens seguintes.
No TST cabem embargos, no prazo de oito dias, de decisão não unânime de
julgamento que conciliar, julgar ou homologar conciliação em dissídios
coletivos que excedam a competência territorial dos tribunais regionais do
trabalho, e estender ou rever as sentenças normativas do TST, nos casos
previstos em lei.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação do CESPE encontra-se em


consonância dom o art. 894, I, “a” da CLT, assim redigido:

“Art. 894. No Tribunal Superior do Trabalho cabem embargos, no


prazo de 8 (oito) dias:
I - de decisão não unânime de julgamento que:
a) conciliar, julgar ou homologar conciliação em dissídios coletivos
que excedam a competência territorial dos Tribunais Regionais do
Trabalho e estender ou rever as
sentenças normativas do Tribunal Superior do Trabalho, nos casos
previstos em lei”. 09032041690

Trata-se do recurso de embargos infringentes no processo do trabalho, que


também está previsto nos arts. 70 e 232 do RITST (Regimento Interno do TST).
Seu cabimento está limitado aos dissídios coletivos de competência originária do
TST.

5 - Q69534 ( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 278 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Das decisões proferidas em dissídio coletivo que afete empresa de serviço
público, ou, em qualquer caso, das proferidas em revisão, poderão recorrer,
além dos interessados, o presidente do tribunal e a Procuradoria da Justiça
do Trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O CESPE considerou correta a assertiva


por estar absolutamente idêntica à redação do art. 898 da CLT, a seguir transcrito:

“Das decisões proferidas em dissídio coletivo que afete empresa


de serviço público, ou, em qualquer caso, das proferidas em
revisão, poderão recorrer, além dos interessados, o Presidente do
Tribunal e a Procuradoria da Justiça do Trabalho”.

Apesar de se saber que o Presidente do Tribunal não possui legitimidade para


recorrer ou mesmo dar início ao processo de dissídio coletivo, para provas
objetivas, o CESPE e a FCC seguem tão somente o que está expresso na
legislação, razão pela qual todo cuidado é pouco.

6 - Q67773 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Decidida a questão suscitada no âmbito do embargo à execução, o próximo
09032041690

recurso cabível será agravo de petição, a ser manejado no prazo de oito dias.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito, pois em sintonia com o art. 897,
“a” da CLT, que prevê o cabimento do recurso de agravo de petição, muitas vezes
cobrado em provas, das decisões na execução trabalhista. A decisão que julga os
embargos à execução (art. 884 da CLT) é a típica decisão que pode ser impugnada
por agravo de petição, no prazo de 8 dias, conforme dispositivo abaixo transcrito:

“Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:


a) de petição, das decisões do Juiz ou Presidente, nas execuções”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 279 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

7 - Q64931 ( Prova: CESPE - 2010 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação à competência em matéria recursal e aos recursos no processo
trabalhista, julgue os itens subsequentes.

Das decisões proferidas pelos tribunais regionais do trabalho ou por suas


turmas, em processo incidente de embargos de terceiro, somente deve ser
admitido recurso de revista quando elas contiverem contrariedade a súmula
de jurisprudência uniforme do Tribunal Superior do Trabalho e violação direta
da CF.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A assertiva está em desconformidade


com o §2º do art; 896 da CLT, que trata das matérias que podem ser argüidas no
recurso de revista quando a decisão impugnada é proferida na execução
trabalhista. Na hipótese, somente pode ser alegado o ferimento à Constituição
Federal e não violação à súmula do TST.

8 - Q52417 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Julgue os itens subseqüentes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.
A apresentação das contra-razões de um recurso é obrigatória.

09032041690

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. As contrarrazões de recurso são


facultativas. O recorrido não sofre qualquer penalidade, tal como revelia ou
presunção de veracidade, se não apresentada pela parte. As contrarrazões
buscam tão somente demonstrar que a decisão deve ser mantida, desprovendo-
se o recurso interposto.

9 - Q52416 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 280 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Julgue os itens subseqüentes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.
O depósito recursal é requisito de conhecimento do recurso ordinário.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. O depósito recursal, previsto no art. 899


da CLT, é um dos requisitos de admissibilidade dos recursos trabalhistas, dentre
eles, o recurso ordinário previsto no art. 895 da CLT. O depósito recursal, em valor
máximo fixado pelo TST, compreende o preparo, que também engloba o
pagamento das custas processuais. A sua não realização, quando houver
condenação pecuniária (Súmula 161 do TST), importa na inadmissibilidade (ou
não conhecimento) do apelo.

10 - Q52415 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
É admissível a interposição de recursos por fax, desde que os originais sejam
juntados ao processo em cinco dias, contados a partir do dia subseqüente
ao término do prazo recursal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Informação perfeita, nos termos da Súmula


nº 387 do TST, que trata da interposição de recursos por fax, bem como a
contagem do qüinqüídio (prazo de 5 dias) para o protocolo dos originais.
Realmente o aludido prazo é contado do dia subseqüente ao término do prazo
recursal, mesmo que o recurso tenho sido interposto antes do último dia,
podendo-se iniciar a contagem em sábados, domingos e feriados. Transcrevemos
09032041690

a súmula, que foi recentemente alterada pelo TST:

“I - A Lei nº 9.800, de 26.05.1999, é aplicável somente a recursos


interpostos após o início de sua vigência.
II - A contagem do quinquídio para apresentação dos originais de
recurso inter-posto por intermédio de fac-símile começa a fluir do
dia subsequente ao término do prazo recursal, nos termos do art.
2º da Lei nº 9.800, de 26.05.1999, e não do dia seguinte à
interposição do recurso, se esta se deu antes do termo final do
prazo.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 281 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
III - Não se tratando a juntada dos originais de ato que dependa
de notificação, pois a parte, ao interpor o recurso, já tem ciência
de seu ônus processual, não se aplica a regra do art. 184 do CPC
quanto ao "dies a quo", podendo coincidir com sábado, domingo
ou feriado.
IV - A autorização para utilização do fac-símile, constante do art.
1º da Lei n.º 9.800, de 26.05.1999, somente alcança as hipóteses
em que o documento é dirigido diretamente ao órgão jurisdicional,
não se aplicando à transmissão ocorrida entre particulares”.

11 - Q52176 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
O recurso adesivo é compatível com o processo do trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Perfeito, pois em conformidade com o atual


entendimento do TST, no sentido de aceitar o recurso interposto pela forma
adesiva, nos termos do art. 500 do CPC, bem como Súmula nº 283 do TST, a
seguir transcrita para conhecimento.

“O recurso adesivo é compatível com o processo do trabalho e


cabe, no prazo de 8 (oito) dias, nas hipóteses de interposição de
recurso ordinário, de agravo de petição, de revista e de embargos,
sendo desnecessário que a matéria nele veiculada esteja
relacionada com a do recurso interposto pela parte contrária”.
09032041690

12 - Q52175 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
O agravo de petição, cujo prazo para a interposição é de 10 dias, é o recurso
específico contra decisões do juiz na execução trabalhista.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Questão muito fácil aplicada na prova de


Analista área Administrativa. O recurso de agravo de petição realmente cabe
contra decisões do Juiz na execução trabalhista, conforme art. 897, “a” da CLT,

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 282 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
mas o prazo de interposição é de 8 dias, pois segue a regra da uniformidade dos
prazos, preconizada pela Lei 5584/70.

13 - Q52174 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Em procedimentos sumaríssimos, é possível a interposição de recurso de
revista tendo como fundamento a contrariedade a orientações
jurisprudenciais do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Nos termos da Súmula nº 442 do TST,


criada em setembro de 2012, oriunda da conversão da OJ 352 da SDI-1 do TST,
não é possível alegar o ferimento à Orientação Jurisprudencial no recurso de
revista interposto no rito sumaríssimo, pois o §9º do art. 896 da CLT fala em
“súmula” e a interpretação do TST foi restritiva, ou seja, súmula é só súmula
mesmo. Nos termos da Súmula nº 442 do TST temos:

“Nas causas sujeitas ao procedimento sumaríssimo, a


admissibilidade de recurso de revista está limitada à demonstração
de violação direta a dispositivo da Constituição Federal ou
contrariedade a Súmula do Tribunal Superior do Trabalho, não se
admitindo o recurso por contrariedade a Orientação
Jurisprudencial deste Tribunal (Livro II, Título II, Capítulo III, do
RITST), ante a ausência de previsão no art. 896, § 6º, da CLT”.

09032041690

14 - Q38573 ( Prova: CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
Julgue os seguintes itens de acordo com a CLT.
Em grau recursal, matéria constitucional sobre direito do trabalho somente
pode chegar ao STF depois de analisada pelo TST.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. Correto o entendimento, pelos seguintes


motivos: o STF exige o prequestionamento da matéria e que não caiba mais
qualquer recurso antes da interposição do recurso extraordinário. Assim, temos
que esgotar a denominada “instância ordinária” para somente após interpor o

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 283 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
recurso extraordinário para o STF. Além disso, o cabimento do recurso de revista
no art. 896 da CLT prevê a possibilidade de discussão acerca de ferimento à
Constituição Federal. Assim, se quero discutir matéria relacionada ao direito do
trabalho, primeiro tenho que interpor o RR e buscar a decisão acerca da matéria
(prequestionamento), para somente após interpor o RE.

15 - Q33664 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
A respeito do procedimento sumaríssimo previsto na CLT, julgue
os seguintes itens.
Cabe recurso de revista para Turma do TST quando houver sido proferida a
decisão, em dissídio individual, pelo tribunal regional do trabalho, em grau
de recurso ordinário, com violação literal de disposição de lei federal.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O cabimento do recurso de revista no


procedimento sumaríssimo está condicionado à ocorrência de violação direta e
literal à Constituição Federal, bem como à Súmula do TST e Súmula Vinculante do
STF, conforme ensina o §9º do art. 896 da CLT.

Importante destacar que a Súmula nº 442 do TST, criada em setembro de 2012,


dispõe que a violação deve ser à súmula e não à orientação jurisprudencial do
TST.

16 - Q33663 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos;
09032041690
Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
A respeito do procedimento sumaríssimo previsto na CLT, julgue
os seguintes itens.
É possível aos tribunais regionais do trabalho, divididos em Turmas, designar
Turma para o julgamento dos recursos ordinários interpostos das sentenças
prolatadas nos processos submetidos ao rito sumaríssimo.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A informação está em conformidade com


o §2º do art. 895 da CLT, que não é muito cobrado nos concursos, mas nessa
prova de defensor público foi. Por isso, o cuidado, pois o CESPE muitas vezes

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 284 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
surpreende cobrando informações não tão relevantes assim. Vejamos a transcrito
do dispositivo mencionado:

“Os Tribunais Regionais, divididos em Turmas, poderão designar


Turma para o julgamento dos recursos ordinários interpostos das
sentenças prolatadas nas demandas sujeitas ao procedimento
sumaríssimo”.

17 - Q33027 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
Julgue os itens subsequentes, relativos aos recursos trabalhistas.
No processo do trabalho, não cabem embargos infringentes, por total
omissão da CLT e incompatibilidade com o processo civil.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. No processo do trabalho há a previsão


de cabimento dos embargos infringentes, conforme art. 894, I, “a” da CLT, das
decisões não unânimes proferidas em dissídio coletivo de competência originária
do TST. Não há omissão da CLT. Muito pelo contrário. Apesar do cabimento ser
bem restrito, utiliza-se tal recurso, nos termos abaixo:

“Art. 894. No Tribunal Superior do Trabalho cabem embargos, no


prazo de 8 (oito) dias:
I - de decisão não unânime de julgamento que:
a) conciliar, julgar ou homologar conciliação em dissídios coletivos
que excedam a competência territorial dos Tribunais Regionais do
09032041690

Trabalho e estender ou rever as


sentenças normativas do Tribunal Superior do Trabalho, nos casos
previstos em lei”.

18 - Q33024 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
O recurso de revista é o remédio cabível para se discutirem julgados
proferidos em dissídio coletivo pelos tribunais regionais do trabalho bem
como os julgados em dissídio individual pelas turmas desses tribunais.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 285 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O erro da assertiva está na sua primeira
parte, quando afirma o cabimento do RR de decisões proferidas em dissídios
coletivos pelos Tribunais Regionais do Trabalho. Dessas decisões, cabe recurso
ordinário para o TST, conforme previsão contida no art. 895, II da CLT. Quando o
TRT julga um Recurso Ordinário em dissídio individual, aí sim, de acordo com o
art. 896 da CLT, teremos a utilização do RR.

19 - Q30826 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
Com relação à instituição sindical e às multas administrativas,
julgue os próximos itens.
O STF julgou inconstitucional a exigência do depósito prévio de determinada
quantia como pressuposto de admissibilidade do recurso administrativo, em
especial aquele que discute a imposição de multa decorrente da fiscalização
do fiel cumprimento das normas de proteção ao trabalho.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmativa, absolutamente correta, está


em conformidade com a Súmula Vinculante nº 21 do STF e Súmula nº 424
do TST, a seguir transcritas:

“É inconstitucional a exigência de depósito ou arrolamento prévios


de dinheiro ou bens para admissibilidade de recurso
administrativo”.

“O §1º do art. 636 da CLT, que estabelece a exigência de prova do


09032041690

depósito pré-vio do valor da multa cominada em razão de autuação


administrativa como pres-suposto de admissibilidade de recurso
administrativo, não foi recepcionado pela Constituição Federal de
1988, ante a sua incompatibilidade com o inciso LV do art. 5º”.

20 - Q30823 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 286 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Considere que, após proferir sentença procedente em determinada ação
trabalhista, o reclamante quedou-se inerte por mais de dois anos na
liquidação do julgado em ato que lhe competia exclusivamente, razão pela
qual o juiz decretou a prescrição da pretensão executiva. Nessa situação,
somente caberá ao reclamante a interposição do agravo de instrumento no
prazo de oito dias.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Se a decisão foi proferida no processo de


execução, como ocorrido na hipótese narrado pelo CESPE/Unb, o recurso a ser
interposto é o agravo de petição, nos termos do art. 897 “a” da CLT, no prazo de
8 dias, para discutir a suposta ocorrência de prescrição intercorrente, que nos
termos da Súmula nº 114 do TST, não se aplica ao processo trabalhista.

21 - Q30821 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; Provas; )
Na hipótese de justo impedimento para sua oportuna apresentação, o TST
admite, excepcionalmente, a juntada de documentos por qualquer das
partes na fase recursal.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmativa está em conformidade com a


Súmula nº 8 do TST, cuja redação é idêntica à assertiva do CESPE e que deve
ser memorizada, pois muito cobrada nos concursos trabalhistas. Vejamos:

“A juntada de documentos na fase recursal só se justifica quando


provado o justo impedimento para sua oportuna apresentação ou
09032041690

se referir a fato posterior à sentença”.

22 - Q18055 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; Custas e emolumentos; )
Acerca das custas e dos emolumentos no processo do trabalho,
julgue os itens que se seguem.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 287 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Inexiste deserção do recurso pelo recolhimento insuficiente das custas e do
depósito recursal, ainda que a diferença em relação ao quantum devido seja
ínfima, referente a centavos.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A diferença na realização do depósito


recursal, mesmo que ínfima, leva à deserção, ou seja, a inadmissão do recurso
por ausência de preparo, nos termos da OJ nº 140 da SDI-1 do TST, a seguir
transcrita:

“Ocorre deserção do recurso pelo recolhimento insuficiente das


custas e do depósito recursal, ainda que a diferença em relação ao
“quantum” devido seja ínfima, referente a centavos”.

23 - Q18043 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação aos recursos trabalhistas, julgue os itens
subsequentes.
O agravo de instrumento interposto contra o despacho que não recebe
agravo de petição não suspende a execução da sentença.

COMENTÁRIOS: O item está CERTO. A afirmativa é verdadeira e a idéia parte


do efeito meramente devolutivo dos recursos trabalhistas, previsto no art. 899 da
CLT. A interposição de recurso trabalhista não suspende o processo ou a execução
que já se iniciou. Não há, regra geral, efeito suspensivo nos recursos trabalhistas,
possibilitando-se, com isso, sempre o início da execução provisória. Nos termos
09032041690

da Súmula nº 414 do TST, é possível a concessão excepcional do efeito suspensivo


por meio de ação cautelar.

24 - Q18042 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Cabe agravo de petição, no prazo de oito dias, das decisões do juiz de
primeiro grau nas execuções, e, considerando-se as peculiaridades do
processo do trabalho e o princípio da proteção, é desnecessária a delimitação
justificada dos valores impugnados.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 288 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. Um dos pressupostos de admissibilidade


do agravo de petição, previsto no §1º do art. 897 da CLT, é a delimitação
justificada da matéria e valores objeto do recurso de agravo de petição, sob pena
de não conhecimento do apelo. Conforme dicção legal, temos:

“O agravo de petição só será recebido quando o agravante


delimitar, justificadamente, as matérias e os valores impugnados,
permitida a execução imediata da parte remanescente até o final,
nos próprios autos ou por carta de sentença”.

25 - Q13306 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Acerca dos princípios gerais do processo trabalhista, bem como
dos prazos da execução, dos recursos e da decadência nesse
âmbito, julgue os itens que se seguem.
Segundo o TST, não há, na justiça do trabalho, possibilidade de interpor-se
recurso imediato contra decisões interlocutórias, pois estas são irrecorríveis.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. A afirmação está errada, pois o CESPE


não levou em consideração as exceções, principalmente aquelas previstas na
Súmula nº 214 do TST. A regra do art. 893, §1º da CLT é a irrecorribilidade
imediata das decisões interlocutórias. Contudo, a súmula abaixo transcrita,
já mencionada, traz algumas exceções que devem ser conhecidas pelos
candidatos: 09032041690

“Na Justiça do Trabalho, nos termos do art. 893, § 1º, da CLT, as


decisões interlocutórias não ensejam recurso imediato, salvo nas
hipóteses de decisão: a) de Tribunal Regional do Trabalho
contrária à Súmula ou Orientação Jurisprudencial do Tribunal
Superior do Trabalho; b) suscetível de impugnação mediante
recurso para o mesmo Tribunal; c) que acolhe exceção de
incompetência territorial, com a remessa dos autos para Tribunal
Regional distinto daquele a que se vincula o juízo excepcionado,
consoante o disposto no art. 799, § 2º, da CLT”.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 289 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel

26 - Q5007 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
Contra quaisquer decisões interlocutórias proferidas por juiz do trabalho,
cabe agravo de instrumento ao TRT.

COMENTÁRIOS: O item está ERRADO. O agravo de instrumento, apesar de


previsto no art. 897, “b” da CLT, não é utilizado para impugnar quaisquer decisões
interlocutórias no processo do trabalho, pois nesse vige a regra da irrecorribilidade
imediata das interlocutórias, conforme art. 893, §1º da CLT. O agravo de
instrumento é cabível apenas em face de decisão que inadmite outro recurso,
visando “destrancá-lo”. Nos termos do dispositivo mencionado, temos:

“Art. 897 - Cabe agravo, no prazo de 8 (oito) dias:


(...)
b) de instrumento, dos despachos que denegarem a interposição
de recursos”.

3. LISTA DE QUESTÕES:

1 - Q93808 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Execução de Mandados / Direito Processual do Trabalho /
09032041690

Execução; Recursos; )
Acerca de processo de execução, julgue os itens subsequentes.
A admissibilidade do recurso de revista em processo de execução depende
de demonstração inequívoca de violência direta e literal à CF.

2 - Q93083 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Com relação ao processo do trabalho, julgue os itens que se seguem.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 290 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
Considerando que o recurso ordinário não possui efeito suspensivo, sendo
apenas dotado de efeito devolutivo, há a possibilidade excepcional de
utilização de ação cautelar para obtenção do mencionado efeito suspensivo,
como na hipótese de sentença que determina a imediata reintegração de
empregado.

3 - Q92376 ( Prova: CESPE - 2010 - TRT - 21ª Região (RN) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Considere que um trabalhador tenha ingressado com ação na justiça
do trabalho, declarando como valor da demanda importe superior
a R$ 20.450,00. Com base nessa informação, julgue os itens a
seguir.
Interposto recurso ordinário contra sentença e não sendo o acórdão claro o
suficiente, será viável interpor embargos, consoante previsto na CLT, no
prazo de cinco dias.

4 - Q69536 ( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação à legislação e jurisprudência aplicadas ao direito
processual do trabalho, julgue os itens seguintes.
No TST cabem embargos, no prazo de oito dias, de decisão não unânime de
julgamento que conciliar, julgar ou homologar conciliação em dissídios
coletivos que excedam a competência territorial dos tribunais regionais do
trabalho, e estender ou rever as sentenças normativas do TST, nos casos
09032041690

previstos em lei.

5 - Q69534 ( Prova: CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia /


Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Das decisões proferidas em dissídio coletivo que afete empresa de serviço
público, ou, em qualquer caso, das proferidas em revisão, poderão recorrer,
além dos interessados, o presidente do tribunal e a Procuradoria da Justiça
do Trabalho.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 291 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
6 - Q67773 ( Prova: CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Direito
Processual do Trabalho / Recursos; )
Julgue os itens a seguir, considerando que um operário tenha
manejado ação trabalhista e indicado, como valor da demanda, o
total de R$ 20.500,00.
Decidida a questão suscitada no âmbito do embargo à execução, o próximo
recurso cabível será agravo de petição, a ser manejado no prazo de oito dias.

7 - Q64931 ( Prova: CESPE - 2010 - DPU - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação à competência em matéria recursal e aos recursos no processo
trabalhista, julgue os itens subsequentes.

Das decisões proferidas pelos tribunais regionais do trabalho ou por suas


turmas, em processo incidente de embargos de terceiro, somente deve ser
admitido recurso de revista quando elas contiverem contrariedade a súmula
de jurisprudência uniforme do Tribunal Superior do Trabalho e violação direta
da CF.

8 - Q52417 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Julgue os itens subseqüentes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.
A apresentação das contra-razões de um recurso é obrigatória.
09032041690

9 - Q52416 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Julgue os itens subseqüentes, relativos aos recursos no processo do
trabalho.
O depósito recursal é requisito de conhecimento do recurso ordinário.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 292 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
10 - Q52415 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Técnico
Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
É admissível a interposição de recursos por fax, desde que os originais sejam
juntados ao processo em cinco dias, contados a partir do dia subseqüente
ao término do prazo recursal.

11 - Q52176 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
O recurso adesivo é compatível com o processo do trabalho.

12 - Q52175 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
O agravo de petição, cujo prazo para a interposição é de 10 dias, é o recurso
específico contra decisões do juiz na execução trabalhista.

13 - Q52174 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; )
Em procedimentos sumaríssimos, é possível a interposição de recurso de
revista tendo como fundamento a contrariedade a orientações
jurisprudenciais do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
09032041690

14 - Q38573 ( Prova: CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )
Julgue os seguintes itens de acordo com a CLT.
Em grau recursal, matéria constitucional sobre direito do trabalho somente
pode chegar ao STF depois de analisada pelo TST.

15 - Q33664 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; )

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 293 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
A respeito do procedimento sumaríssimo previsto na CLT, julgue
os seguintes itens.
Cabe recurso de revista para Turma do TST quando houver sido proferida a
decisão, em dissídio individual, pelo tribunal regional do trabalho, em grau
de recurso ordinário, com violação literal de disposição de lei federal.

16 - Q33663 ( Prova: CESPE - 2008 - DPE-CE - Defensor Público / Direito


Processual do Trabalho / Recursos; Procedimento ordinário e
sumaríssimo; )
A respeito do procedimento sumaríssimo previsto na CLT, julgue
os seguintes itens.
É possível aos tribunais regionais do trabalho, divididos em Turmas, designar
Turma para o julgamento dos recursos ordinários interpostos das sentenças
prolatadas nos processos submetidos ao rito sumaríssimo.

17 - Q33027 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
Julgue os itens subsequentes, relativos aos recursos trabalhistas.
No processo do trabalho, não cabem embargos infringentes, por total
omissão da CLT e incompatibilidade com o processo civil.

18 - Q33024 ( Prova: CESPE - 2009 - AGU - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
O recurso de revista é o remédio cabível para se discutirem julgados
proferidos em dissídio coletivo pelos tribunais regionais do trabalho bem
09032041690

como os julgados em dissídio individual pelas turmas desses tribunais.

19 - Q30826 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
Com relação à instituição sindical e às multas administrativas,
julgue os próximos itens.
O STF julgou inconstitucional a exigência do depósito prévio de determinada
quantia como pressuposto de admissibilidade do recurso administrativo, em

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 294 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
especial aquele que discute a imposição de multa decorrente da fiscalização
do fiel cumprimento das normas de proteção ao trabalho.

20 - Q30823 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; )
Considere que, após proferir sentença procedente em determinada ação
trabalhista, o reclamante quedou-se inerte por mais de dois anos na
liquidação do julgado em ato que lhe competia exclusivamente, razão pela
qual o juiz decretou a prescrição da pretensão executiva. Nessa situação,
somente caberá ao reclamante a interposição do agravo de instrumento no
prazo de oito dias.

21 - Q30821 ( Prova: CESPE - 2010 - BRB - Advogado / Direito Processual


do Trabalho / Recursos; Provas; )
Na hipótese de justo impedimento para sua oportuna apresentação, o TST
admite, excepcionalmente, a juntada de documentos por qualquer das
partes na fase recursal.

22 - Q18055 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho /
Recursos; Custas e emolumentos; )
Acerca das custas e dos emolumentos no processo do trabalho,
julgue os itens que se seguem.
Inexiste deserção do recurso pelo recolhimento insuficiente das custas e do
depósito recursal, ainda que a diferença em relação ao quantum devido seja
09032041690

ínfima, referente a centavos.

23 - Q18043 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Com relação aos recursos trabalhistas, julgue os itens
subsequentes.
O agravo de instrumento interposto contra o despacho que não recebe
agravo de petição não suspende a execução da sentença.

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 295 de 296


Direito Processual do Trabalho TRT/MG –
Questões CESPE/Unb
Prof. Bruno Klippel
24 - Q18042 ( Prova: CESPE - 2009 - TRT - 17ª Região (ES) - Analista
Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Cabe agravo de petição, no prazo de oito dias, das decisões do juiz de
primeiro grau nas execuções, e, considerando-se as peculiaridades do
processo do trabalho e o princípio da proteção, é desnecessária a delimitação
justificada dos valores impugnados.

25 - Q13306 ( Prova: CESPE - 2008 - TRT - 5ª Região (BA) - Analista


Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Acerca dos princípios gerais do processo trabalhista, bem como
dos prazos da execução, dos recursos e da decadência nesse
âmbito, julgue os itens que se seguem.
Segundo o TST, não há, na justiça do trabalho, possibilidade de interpor-se
recurso imediato contra decisões interlocutórias, pois estas são irrecorríveis.

26 - Q5007 ( Prova: CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judiciário - Área


Administrativa / Direito Processual do Trabalho / Recursos; )
Acerca do processo do trabalho e dos procedimentos trabalhistas, julgue os
seguintes itens.
Contra quaisquer decisões interlocutórias proferidas por juiz do trabalho,
cabe agravo de instrumento ao TRT.

4. 09032041690

1 – certo 2 – certo 3 – certo 4 – certo 5 – certo


6 – certo 7 – errado 8 – errado 9 – certo 10 – certo
11- certo 12- errado 13- errado 14- certo 15- errado
16- certo 17- errado 18- errado 19- certo 20- errado
21- certo 22- errado 23- certo 24- errado 25- errado
26- errado

Prof. Bruno Klippel www.estrategiaconcursos.com.br Página 296 de 296