Você está na página 1de 3

Disciplina: Direito Constitucional

Professor: Flavio Martins


Aula: 01 | Data: 21/02/2018

ANOTAÇÃO DE AULA

SUMÁRIO

TEORIA GERAL
1) CONSTITUCIONALISMO

CONTATOS
 Twitter: @sigaoflavio

 Instagram: @sigaoflavio

 Facebook: Professor Flavio Martins

MATERIAL

Anotação das aulas


na medida das aulas.
artigo 144, Segurança Pública.
Constituição Federal atualizada
artigo 193 e seguintes da CF/88 – ordem social.
verificar os capítulos do edital.

Jurisprudência

Cadastre-se: http://www.professorflaviomartins.com.br

Resolver questões anteriores

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
Curso de Direito Constitucional
Autor: Flavio Martins
Editora: Revista dos Tribunais
Edição 2018

1. CONSTITUCIONALISMO:

Constitucionalismo é um movimento social, político e jurídico, cujo propósito é LIMITAR o poder do Estado por
meio de uma constituição, tal conceito foi trazido desde o final do século XVIII.

Antecedentes Históricos:

Delegado de Polícia
CARREIRAS JURÍDICAS
Damásio Educacional
Idade Idade Idade Idade
Antiga Média Moderna Contemporânea

O Constitucionalismo nasceu na antiguidade (Idade Antiga), na Grécia Antiga e no povo hebreu (os profetas
fiscalizavam os atos dos governantes, à luz das escrituras).

Pergunta: Quando surgiu o Constitucionalismo?


Resposta: O Constitucionalismo surgiu na antiguidade, na Idade Antiga.

Na Idade Média houve a Magna Carta, de 1215. Outorgada pelo Rei Inglês João I, também conhecido por João Sem
Terra. A Carta Magna previa uma série de direitos ao povo inglês limitando os poderes do Rei. O Rei foi obrigado a
assinar esse documento em razão da rebelião dos barões ingleses. Os barões exigiram que João I assinasse a referida
Carta Magna.

A Magna Carta é a origem histórica de vários direitos:


- Devido processo legal;
- habeas corpus (liberdade de locomoção).

Nos dias atuais, 803 anos após, existem apenas quatro exemplares originais da Carta Magna de 1215.

Na Idade Moderna, no final do século XVIII nasce o Constitucionalismo Moderno através de duas Constituições que
são a Constituição dos EUA, 1787 (é a mesma Constituição até hoje) e Constituição da França, 1791.

Perguntas de concurso:
1ª) Quando surgiu o Constitucionalismo?
Resposta: O Constitucionalismo surgiu na Idade Antiga.

2ª) Quando surgiu o Constitucionalismo Moderno?


Resposta: O Constitucionalismo Moderno surgiu no final do século XVIII com as Constituições Americana (1787) e
Francesa (1791).

Espanha, 1812.

Espalhou para o mundo inteiro: Portugal, 1822.

Brasil, 1824.

Na Idade Contemporânea, o Constitucionalismo recebe o nome “neoconstitucionalismo”.


O Neoconstitucionalismo surgiu após a Segunda Guerra Mundial, fruto do pós-positivismo, tendo como marco
teórico a força normativa da Constituição e como principal objetivo a maior eficácia dos direitos fundamentais. O
marco histórico do movimento Neoconstitucionalismo é após a Segunda Guerra Mundial, mais precisamente com
a Constituição da Itália, 1947 e a Constituição da Alemanha, 1949 (é a mesma Constituição até hoje). No Brasil o
“neoconstitucionalismo” chegou com a Constituição Federal de 1988.

Página 2 de 3
O Neoconstitucionalismo é fruto do pós-positivismo, pois com o advento da Segunda Guerra Mundial foi
hegemônico no mundo inteiro a ideia do positivismo jurídico, de que o Direito é sinônimo de Lei. Com a Segunda
Guerra Mundial verificou-se que o positivismo jurídico foi utilizado pelos regimes mais sangrentos que o ser
humano já viu, como por exemplo, o nazismo, na Alemanha. Quando Adolf Hitler chegou ao poder (ele chegou ao
poder de forma democrática), utilizou-se de alguns argumentos para suspender o Parlamento alemão e inseriu na
Lei todo aquele ódio que ele tinha.

Com a Segunda Guerra Mundial chega-se a conclusão de que o Positivismo jurídico era um perigo e mesmo havendo
resquícios, inclusive no Brasil, chegamos ao pós-positivismo.

O movimento Neoconstitucionalista, portanto, é fruto do pós-positivismo. O marco teórico do movimento é a Força


Normativa da Constituição, obra de Konrad Hesse. A Teoria de Konrad Hesse pode ser resumida na frase:

“A Constituição é fruto da realidade do país, mas, tendo força normativa é capaz de transformar essa realidade”.

O objetivo do Neoconstitucionalismo é buscar uma maior efetividade da constituição e, principalmente dos direitos
fundamentais.

As consequências do Neoconstitucionalismo são:


a) Maior eficácia dos princípios constitucionais. Por exemplo, ADPF 132 – STF decidiu que a união homoafetiva
também é família, equiparando-se à união estável.

b) Maior eficácia dos direitos fundamentais, principalmente dos direitos sociais, por exemplo, saúde e educação,
segurança, moradia, etc. Há 30 anos se alguém estivesse muito doente e precisasse de um remédio importado dos
EUA não teria opção. Atualmente, impetra-se o Mandado de Segurança para garantir a importação do
medicamento.

c) Maior protagonismo do Poder Judiciário. É natural que o Poder Judiciário, que é o guardião da Constituição,
comece a exigir o cumprimento da Constituição. O exagero (excesso) de protagonismo do judiciário é chamado de
ativismo judicial.

Se houver tempo:
a) constitucionalismo transnacional;
b) transconstitucionalismo;
c) novo constitucionalismo latino-americano.

Página 3 de 3