Você está na página 1de 14

Lista de exercícios – Funções.

Q.01. (ITA) Sejam as funções 𝑓 e 𝑔, ambas na variável 𝑥 real, tais que 𝑓(𝑥) + 2𝑓(2 − 𝑥) = (𝑥 − 1)3 e
𝑔(𝑥) = 1 − 𝑥, ∀ 𝑥 ∈ ℝ.
Assim sendo, 𝑓[𝑔(𝑥)] é:
A ( ) (𝑥 − 1)3 .
B ( ) (1 − 𝑥)3 .
C ( ) 𝑥3.
D ( ) 𝑥.
E ( ) 2 − 𝑥.

Q.02. Sendo 𝑓 uma função na variável 𝑥 real, definida em ℝ ∖ {0, 1} e satisfazendo a equação funcional
𝑥−1
𝑓(𝑥) + 𝑓 ( )=1+𝑥
𝑥
determine uma expressão para 𝑓.

Q.03. (FUVEST – ADAPTADA)


Se 𝑓: ℝ → ℝ é da forma 𝑓(𝑥) = 𝑎𝑥 + 𝑏 e verifica (𝑓 ∘ 𝑓)(𝑥) = 1 + 𝑥, ∀ 𝑥 ∈ ℝ,
o valor do logaritmo de 4𝑏 na base 2𝑎 é:
A ( ) 0.
B ( ) ½.
C ( ) 1.
D ( ) 2.
E ( ) n.d.a.

Q.04. (ITA) Verifique se a função 𝑓: ℝ → ℝ, dada por


𝑒 𝑥 − 𝑒− 𝑥
𝑓(𝑥) =
2
é bijetora e, em caso afirmativo, determine a inversa 𝑓 − 1 .
* Obs: o número 𝑒 é o número de Euler, a base dos logaritmos neperianos.

Q.05. (IME) Sejam 𝑓(𝑥) = sem(ℓ𝑛(𝑥)) e 𝑔(𝑥) = cos(ℓ𝑛(𝑥)) duas funções reais, nas quais ℓ𝑛(𝑥) representa o
logaritmo natural (neperiano) de 𝑥.
Assim sendo, o valor da expressão
1 𝑥
𝑓(𝑥) ⋅ 𝑓(𝑦) − [𝑔 ( ) − 𝑔(𝑥 ⋅ 𝑦)]
2 𝑦
∀ 𝑥 e 𝑦, é:
A ( ) 0.
B ( ) 1.
C ( ) 2.
D ( ) 3.
E ( ) 4.

Q.06. (ITA) Determine todos os valores reais de 𝑥 para os quais a desigualdade abaixo é verdadeira
43𝑥 − 1 > 34𝑥 .

Q.07. (FUVEST) Sejam as funções 𝑓(𝑥) = 𝑥 2 + 4 e 𝑔(𝑥) = 1 + log 1⁄2 𝑥, sendo o domínio de 𝑓o conjunto dos
números reais e o domínio de 𝑔 o conjunto dos números reais positivos não nulos.
Assim sendo, definindo-se ℎ(𝑥) = 3𝑓(𝑔(𝑥)) + 2𝑔(𝑓(𝑥)), com 𝑥 > 0, determine ℎ(2).
𝑥+1
Q.08. (ITA) Seja D = ℝ ∖ {1} e 𝑓: D ⟶ D uma função dada por 𝑓(𝑥) = .
𝑥–1
Das afirmações:
I – 𝑓 admite inversa;
II – 𝑓 é injetora, mas não sobrejetora;
III – 𝑓(𝑥) + 𝑓(1⁄𝑥) = 0, ∀ 𝑥 ∈ D, 𝑥 ≠ 0;
IV – 𝑓(𝑥) ⋅ 𝑓(− 𝑥) = 1, ∀ 𝑥 ∈ D.
São verdadeiras:
A ( ) apenas I e III.
B ( ) apenas I e IV.
C ( ) apenas II e III.
D ( ) apenas I, III e IV.
E ( ) apenas II, III e IV.

Q.09. A função 𝑓: ℝ → ℝ é estritamente decrescente.


Determine o conjunto de números reais que satisfazem à condição
𝑓(3𝑥 + 2) > 𝑓(2𝑥 + 5).

Q.10. Sejam 𝑎, 𝑏 e 𝑐 números reais maiores ou iguais a 1.


Mostre que
2(𝑎𝑏 + 𝑎𝑐 + 𝑏𝑐)
𝑎+𝑏+𝑐 ≥ .
𝑎+𝑏+𝑐−1

Q.11. Determine todas as funções 𝑓: ℝ → ℝ que satisfazem


2𝑓(𝑥) + 𝑓(1 − 𝑥) = 𝑥 2017
∀ 𝑥 ∈ ℝ.

Q.12. Considere a função 𝑓: ℝ → ℝ que satisfaz a igualdade


𝑥 2 𝑓(𝑥) + 𝑓(1 − 𝑥) = 2𝑥 − 𝑥 4 .
𝑎) Determine o valor de
[𝑓(1)]2017 − 4𝑓(1) + 9.
𝑏) Obtenha 𝑓.

Q.13. (UNICAMP – ADAPTADA) Seja (𝑥0 ; 𝑦0 ) o ponto da curva 𝑦 = √𝑥 mais próximo do ponto (4; 0).
Obtenha o valor de 𝑥0 + 𝑦02 .

Q.14. Resolva, supondo 𝑛 ∈ ℤ:


𝑎) (− 1)𝑛 = 1;
𝑏) (− 1)𝑛 = − 1.

Q.15. 𝑎) Sendo 𝑔: ℝ → ℝ ∖ {− 1} tal que


1−𝑥
𝑔(𝑥) =
1+𝑥
prove que 𝑔(𝑔(𝑥)) = 𝑥.
𝑏) Obtenha 𝑓 tal que
1−𝑥
[𝑓(𝑥)]2 ⋅ 𝑓 ( ) = 64𝑥.
1+𝑥
Q.16. (ITA) Forneça o maior domínio D ⊂ ℝ da função 𝑓: D ⟶ ℝ dada por
𝑓(𝑥) = log 𝑥(𝜋⁄4 − 𝑥) (4sen(𝑥) cos(𝑥) − 1) .

2 𝑥
Q.17. (ITA) Sejam as funções 𝑓 e 𝑔 dadas por 𝑓(𝑥) = 𝑥 − 𝑥, para 𝑥 ≠ 0 e 𝑔(𝑥) = 𝑥 + 1, para 𝑥 ≠ − 1.
Determine o conjunto de todas as soluções da inequação (𝑔 ∘ 𝑓)(𝑥) < 𝑔(𝑥).

Q.18. (UNICAMP) Determine o número 𝑚 de modo que o gráfico da função


𝑦 = 𝑥 2 + 𝑚𝑥 + (8 − 𝑚)
seja tangente ao eixo das abscissas.
Faça o gráfico da solução (ou das soluções) que você encontrar para o problema.

Q.19. 𝑎) Defina, de maneira clara e objetiva, o que se espera de uma função inversa.
𝑏) O que se espera das funções inversas das seguintes funções
𝑥
𝑓1 (𝑥) = 5, 𝑓2 (𝑥) = 𝑥 2 , 𝑓3 (𝑥) = 2𝑥, 𝑓4 (𝑥) = sen(𝑥) e 𝑓5 (𝑥) = 𝑒 𝑥 ? Tais funções são inversíveis em ℝ?

Q.20. (OLÍMPIADA DE MATEMÁTICA DE KOSOVO – 2016)


Se as equações quadráticas 𝑥 2 + 𝑎𝑥 + 𝑏 = 0 e 𝑥 2 + 𝑝𝑥 + 𝑞 = 0 possuem uma raiz em comum, encontre uma
outra equação cujas raízes sejam as outras raízes (não comuns) destas equações.

Preparação para a questão 21.


𝑎) Seja 𝑦 = 𝑓(𝑥) uma função quadrática do tipo 𝑦 = 𝑎𝑥 2 + 𝑏𝑥 + 𝑐, sendo 𝑎, 𝑏 e 𝑐 constantes reais arbitrárias e
𝑎 > 0, cujas raízes são os números reais 𝛼 e 𝛽, com 𝛼 > 𝛽.
𝑑𝑦
Sendo 𝑦 ′ = 𝑑𝑥 a derivada de 𝑦 com relação à 𝑥, verifique que esta (derivada) se anula no ponto de mínimo
𝑏
(ponto de inflexão) e que o valor mínimo de 𝑦 ocorre quando 𝑥 = − 2𝑎.
* Obs: lembre-se de que a derivada de uma função num ponto qualquer é o coeficiente angular da reta tangente
ao gráfico desta função no ponto considerado.
𝑏) Ao lidarmos com funções com mais de uma variável, do tipo 𝑓(𝑥, 𝑦), 𝑓(𝑥, 𝑦, 𝑧) e etc, adotamos uma
derivada “peculiar”, denominada derivada parcial.
As regras de derivação serão as mesmas das funções de uma variável, porém, indica-se a variável com a qual
estaremos efetuando a derivada e as outras variáveis serão tratadas como constantes (derivada nula).
A notação da derivada parcial de uma função 𝑧 = 𝑓(𝑥1 , 𝑥2 , ..., 𝑥𝑛 ) é
𝜕𝑧 𝜕𝑧 𝜕𝑧
(derivada com relação à variável 𝑥1 ), 𝜕𝑥 , ..., 𝜕𝑥 (a letra 𝜕 é denominada Derronde).
𝜕𝑥1 2 𝑛
Exemplo: Sendo 𝜓 = 𝜓(𝑥, 𝑦, 𝑧, 𝑡) = 𝑥³ − 3𝑥𝑦 + 𝑥 2 𝑡 − 2𝑧𝑡², temos:
2

𝜕𝜓 𝜕𝜓 𝜕𝜓 𝜕𝜓
= 3𝑥 2 − 3𝑦 2 + 2𝑡𝑥, = − 6𝑥𝑦, = − 2𝑡 2 e = 𝑥 2 − 4𝑧𝑡.
𝜕𝑥 𝜕𝑦 𝜕𝑧 𝜕𝑡
Assim, sendo 𝜓 = 𝜓(𝑥, 𝑦, 𝑧, 𝑡, 𝑤) = 𝑥³ − 𝑥𝑦 5 𝑧𝑡 + 𝑤 2 𝑡 2 𝑧 2 − 4𝑡𝑥𝑦 + 𝑤 2 𝑧³𝑦 − 1, determine as derivadas
parciais de 𝜓 com relação a todas as suas variáveis.

Q.21. (EUA) Uma função 𝑧 = 𝑓(𝑥, 𝑦), nas variáveis reais 𝑥 e 𝑦, é definida da seguinte maneira
𝑧 = 𝑥 2 + 𝑦 2 + 4𝑥 − 6𝑦 + 7.
O valor mínimo desta função é:
A ( ) 7.
B ( ) − 13.
C ( ) − 6.
D ( ) 0.

𝑥 𝑥
Q.22. (CHINA JÚNIOR) Mostre que a função 𝑓(𝑥) = 𝑥
− é par.
1−2 2
Desafios:
D.1. (CHINA)
Seja 𝜃 ∈ ]0, 𝜋/2[ tal que a equação 𝑥 2 + 4𝑥 cos(𝜃) + cot(𝜃) = 0, na variável 𝑥 real, tenha raiz dupla.
Assim sendo, determine a soma dos possíveis valores de 𝜃 que atendem tal condição.

D.2. A notação “Pi” para produtórios é tal que


𝑛

∏ 𝑎𝑖 = 𝑎1 𝑎2 . … . 𝑎𝑛 .
𝑖=1
Assim, determine o valor do seguinte produto (Dica: efetue uma mudança de base):
2017

∏ log 𝑘 (𝑘 + 1).
𝑘=2

D.3. (FME – IEZZI) Se 0 < 𝑥 ≠ 1, demonstre que:


1 1 1 1
+ + ⋯+ = (1 − 1⁄𝑛 ) ⋅ .
log 𝑥 2 ⋅ log 𝑥 4 log 𝑥 4 ⋅ log 𝑥 8 log 𝑥 2𝑛 − 1 ⋅ log 𝑥 2𝑛 (log 𝑥 2)2
1 1 1
* Se necessário, utilize que 𝑛(𝑛 − 1) = 𝑛 − 1 − 𝑛.

D.4. Sendo 𝑚 > 0, 𝑛 > 0 e 0 < 𝑟 ≠ 1, demonstre que:


𝑛 𝑛

log 𝑟 (∏ 𝑎𝑖 ) = ∑ log 𝑟 𝑎𝑖 .
𝑖=1 𝑖=1

D.5. (INDIA – IIT) Se 𝑛 = 2017! , determine o valor de


1 1 1
+ + ⋯+ .
log 2 𝑛 log 3 𝑛 log 2017 𝑛

D.6. Dado um intervalo da forma (𝑎, 𝑏), define-se sua amplitude A como sendo o número A = 𝑏 − 𝑎.
Determine a amplitude da solução da seguinte desigualdade
7 7

𝑥 + 𝑥³ + ∑ 𝑥 − ∑ 𝑥 𝑘 < 0.
4 𝑘

𝑘=1 𝑘=3

D.7. Forneça o domínio D𝑓 da função 𝑓 abaixo


∑5 𝑥 𝑘
𝑓(𝑥) = √ 𝑘4 = 0 𝑘 .
∑𝑘 = 0 𝑥

D.8. (IME) Numa progressão aritmética crescente, a soma de três termos consecutivos é S1 e a soma de seus
quadrados é S2 .
Sabe-se que os dois maiores termos dentre estes três são raízes da equação
𝑥² − S1 𝑥 + (S2 − 1⁄2) = 0.
Dito isto, determine a razão 𝑟 desta progressão.

D.9. (PROFMAT – ADAPTADA)


𝑎) Considere a equação 𝑥² − 2𝑥 = 7 cujas raízes são os números 𝑢 e 𝑣.
Sabendo-se que 𝑢2012 + 𝑣 2012 = 𝑎 e 𝑢2013 + 𝑣 2013 = 𝑏, determine o valor de 𝑢2014 + 𝑣 2014 .
7 7
𝑏) Determine o valor de (5 + √6) + (5 − √6) .
D.10. (IRLANDA) Resolva a seguinte equação
𝑟 𝑟

(√2 + √3) + (√2 − √3) = 14.

D.11. (IME) Sejam 𝑥1 e 𝑥2 as raízes da equação 𝑥² + (𝑚 − 15)𝑥 + 𝑚 = 0.


Sabendo-se que {𝑥1 , 𝑥2 } ⊂ ℤ, determine o conjunto de valores possíveis para o parâmetro 𝑚.

D.12. (BULGÁRIA) Obtenha o valor mínimo da função

𝑓(𝑥) = √𝑥² − 𝑥 + 1 + √𝑥² − √3𝑥 + 1.


* Dica: utilize o método de completar quadrados e faça uma analogia com a distância entre pontos do plano.

D.13. (CHINA) Seja 𝑓 uma função estritamente decrescente definida sobre (0, + ∞).
Obtenha todos os valores de 𝑎 satisfazendo
𝑓(2𝑎2 + 𝑎 + 1) < 𝑓(3𝑎2 − 4𝑎 + 1).

D.14. (ITA) Resolva a seguinte equação


32𝑥 − 34 ⋅ 15𝑥 − 1 + 52𝑥 = 0.

D.15. (IME - ADAPTADA) Sejam as funções 𝑓𝑛 , ∀ 𝑛 ∈ {0, 1, 2, 3, ... } tais que 𝑓0 (𝑥) = 1/(1 − 𝑥) e 𝑓𝑛 (𝑥) =
𝑓0 (𝑓𝑛 − 1 (𝑥)),
para 𝑛 ≥ 1.
Obtenha 𝑓2017 (2017).

D.16. (BRILLIANT) Se 𝛼 e 𝛽 são as raízes da equação


𝑥² − (3 + 2√log2 3 − 3√log3 2 ) 𝑥 − 2(3log3 2 − 2log2 3 ) = 0
determine o valor de
𝛼² + 𝛼𝛽 + 𝛽².

𝑥16 𝑥12
D.17. (BRILLIANT) Se 𝑥 𝑥 = 16, determine o valor de 𝑥 𝑥 .

D.18. Determine a soma das raízes da equação


(log 3 𝑥) ⋅ (log 4 𝑥) ⋅ (log 5 𝑥) = (log 3 𝑥) ⋅ (log 4 𝑥) + (log 3 𝑥) ⋅ (log 5 𝑥) + (log 4 𝑥) ⋅ (log 5 𝑥) .

D.19. Se 𝑎, 𝑏 e 𝑐 são reais positivos, não unitários, satisfazendo


𝑎𝑏 ⋅ 𝑏 𝑎 = 𝑐 𝑏 ⋅ 𝑏 𝑐 = 𝑎𝑐 ⋅ 𝑐 𝑎
prove que
𝑎(𝑏 + 𝑐 − 𝑎) 𝑏(𝑎 + 𝑐 − 𝑏) 𝑐(𝑎 + 𝑏 − 𝑐)
= = .
ln 𝑎 ln 𝑏 ln 𝑐
D.20. Determine o valor de
89

∑ ℓ𝑛[tan(𝑘°)] .
𝑘=1

D.21. Resolva, no âmbito dos números reais, a equação


(2𝑥 + 1)(3𝑥 + 1)(5𝑥 + 1)(30𝑥 + 1) = 10.
* Nem pense em multiplicar todos os fatores...
Gabarito – Questões:
Q.01. Se 𝑓(𝑥) + 2𝑓(2 − 𝑥) = (𝑥 − 1)3 , então 𝑓(2 − 𝑥) + 2𝑓(2 − (2 − 𝑥)) = ((2 − 𝑥) − 1)³
⟹ 𝑓(2 − 𝑥) + 2𝑓(𝑥) = (1 − 𝑥)3 .
Então, temos o sistema
𝑓(𝑥) + 2𝑓(2 − 𝑥) = (𝑥 − 1)3 (I)
{
𝑓(2 − 𝑥) + 2𝑓(𝑥) = (1 − 𝑥)3 (II)
do qual tiramos que (II) = − (I) e, multiplicando (II) por − 2 e somando com (I):
⟹ − 3𝑓(𝑥) = − 2(1 − 𝑥)3 + (𝑥 − 1)3 ⟹ − 3𝑓(𝑥) = 3(𝑥 − 1)3 ⟹ 𝑓(𝑥) = − (𝑥 − 1)3 = (1 − 𝑥)3 .
3
Enfim, 𝑓[𝑔(𝑥)] = (1 − (1 − 𝑥)) = 𝒙³, letra C.
Q.02. Substituindo (𝑥 − 1)/𝑥 na relação dada:
𝑥−1 1 2𝑥 − 1
𝑓( )+𝑓( )= .
𝑥 1−𝑥 𝑥
Substituindo 1/(1 − 𝑥) (ainda na relação dada):
1 𝑥−2
𝑓( ) + 𝑓(𝑥) = .
1−𝑥 𝑥−1
Assim, temos o sistema
𝑥−1
𝑓(𝑥) + 𝑓 ( ) = 1 + 𝑥 (I)
𝑥
𝑥−1 1 2𝑥 − 1
𝑓( )+𝑓( )= (II).
𝑥 1−𝑥 𝑥
1 𝑥−2
𝑓 ( ) + 𝑓(𝑥) = (III)
{ 1−𝑥 𝑥−1
𝑥−1 1 𝑥−2
De (I), é evidente que 𝑓 ( 𝑥 ) = 1 + 𝑥 − 𝑓(𝑥) e, de (III), 𝑓 (1 − 𝑥) = 𝑥 − 1 − 𝑓(𝑥).
Enfim, substituindo as expressões obtidas em (II):
𝑥 − 2 2𝑥 − 1
(1 + 𝑥 − 𝑓(𝑥)) + − 𝑓(𝑥) =
𝑥 − 1 𝑥
𝑥 − 2 2𝑥 − 1
⟹ 2𝑓(𝑥) = 1 + 𝑥 + −
𝑥−1 𝑥
𝑥(𝑥 − 1) + 𝑥 2 (𝑥 − 1) + 𝑥(𝑥 − 2) − (2𝑥 − 1)(𝑥 − 1) 𝑥³ − 𝑥 − 1
= =
𝑥(𝑥 − 1) 𝑥(𝑥 − 1)
𝑥3 𝒙𝟑 − 𝒙 − 𝟏
⟹ 2𝑓(𝑥) = ∴ 𝒇(𝒙) = .
𝑥(𝑥 − 1) 𝟐𝒙(𝒙 − 𝟏)
Q.03. C.
Q.04. É injetora pois
𝑒𝑎 − 𝑒− 𝑎 = 𝑒𝑏 − 𝑒− 𝑏

𝑒 2𝑎 − 1 𝑒 2𝑏 − 1
⟹ =
𝑒𝑎 𝑒𝑏
⟹ 𝑒 𝑏 . 𝑒 2𝑎 − 𝑒 𝑎 (𝑒 2𝑏 − 1) − 𝑒 𝑏 = 0
𝑎
𝑒 2𝑏 − 1 √(𝑒 2𝑏 − 1)2 + 4𝑒 2𝑏
⟹𝑒 = ±
2𝑒 𝑏 2𝑒 𝑏
2𝑏 2𝑏
𝑒 −1 𝑒 +1
⟹ 𝑒𝑎 = ±
2𝑒 𝑏 2𝑒 𝑏
𝑒 = 𝑒 ∨ 𝑒 = − 𝑒𝑏
𝑎 𝑏 𝑎

⟹ 𝑒 𝑎 = 𝑒 𝑏 ⟺ 𝑎 = 𝑏.
É também sobrejetora (verifique) e, portanto, bijetora.
Sua inversa é 𝑓 − 1 (𝑥) = ℓ𝑛(𝑥 − √𝑥 2 + 1).
Q.05. A.
Q.06. {𝒙 ∈ ℝ: 𝒙 < 𝐥𝐨𝐠 𝟔𝟒⁄𝟖𝟏 𝟒}.
Q.07. 8.
Q.08. A.
Q.09. 𝑓 é estritamente decrescente, então 3𝑥 + 2 < 2𝑥 + 5 ⟹ 𝑥 < 3.
Q.10.
𝑎≥1 𝑎² ≥ 𝑎
{𝑏 ≥ 1 ⟹ {𝑏² ≥ 𝑏
𝑐≥1 𝑐² ≥ 𝑐
Somando as desigualdades e utilizando que 𝑎² + 𝑏² + 𝑐² = (𝑎 + 𝑏 + 𝑐)2 − 2(𝑎𝑏 + 𝑎𝑐 + 𝑏𝑐):
𝑎² + 𝑏² + 𝑐² ≥ 𝑎 + 𝑏 + 𝑐
⟹ (𝑎 + 𝑏 + 𝑐)2 − 2(𝑎𝑏 + 𝑎𝑐 + 𝑏𝑐) ≥ 𝑎 + 𝑏 + 𝑐
⟹ (𝑎 + 𝑏 + 𝑐)2 − (𝑎 + 𝑏 + 𝑐) ≥ 2(𝑎𝑏 + 𝑎𝑐 + 𝑏𝑐)
⟹ (𝑎 + 𝑏 + 𝑐)(𝑎 + 𝑏 + 𝑐 − 1) ≥ 2(𝑎𝑏 + 𝑎𝑐 + 𝑏𝑐)
2(𝑎𝑏 + 𝑎𝑐 + 𝑏𝑐)
⟹𝑎+𝑏+𝑐 ≥
𝑎+𝑏+𝑐−1
como desejado.
Q.11. 2𝑓(𝑥) + 𝑓(1 − 𝑥) = 𝑥 2017 ⟹ 2𝑓(1 − 𝑥) + 𝑓(𝑥) = (1 − 𝑥)2017 .
𝟏
Pelo método da adição, 𝒇(𝒙) = 𝟑 ((𝟏 − 𝒙)𝟐𝟎𝟏𝟕 − 𝟐𝒙𝟐𝟎𝟏𝟕 )).
Q.12. 𝑎) É fácil ver que 𝑓(1) = 0, então, a expressão pedida se reduz a apenas 9.
𝑏) Se 𝑥 2 𝑓(𝑥) + 𝑓(1 − 𝑥) = 2𝑥 − 𝑥 4 , então (1 − 𝑥)2 𝑓(1 − 𝑥) + 𝑓(𝑥) = 2(1 − 𝑥) − (1 − 𝑥)4 .
Assim, seja o sistema
𝑥 2 𝑓(𝑥) + 𝑓(1 − 𝑥) = 2𝑥 − 𝑥 4
{
(1 − 𝑥)2 𝑓(1 − 𝑥) + 𝑓(𝑥) = 2(1 − 𝑥) − (1 − 𝑥)4
𝑥 2 𝑓(𝑥) + 𝑓(1 − 𝑥) = 2𝑥 − 𝑥 4 (I)
⟹{ .
(1 − 𝑥)2 𝑓(1 − 𝑥) + 𝑓(𝑥) = (1 − 𝑥)(𝑥 3 − 3𝑥 2 + 3𝑥 + 1) (II)
Multiplicando (I) por (1 − 𝑥)2 e fazendo (I) – (II):
(1 − 𝑥)2 𝑥 2 𝑓(𝑥) − 𝑓(𝑥) = (1 − 𝑥)2 (2𝑥 − 𝑥 4 ) − (1 − 𝑥)(𝑥 3 − 3𝑥 2 + 3𝑥 + 1)
⟹ 𝑓(𝑥)((1 − 𝑥)2 𝑥 2 − 1) = (1 − 𝑥)((1 − 𝑥)(2𝑥 − 𝑥 4 ) − (𝑥 3 − 3𝑥 2 + 3𝑥 + 1))
(1 − 𝑥)((2𝑥 − 𝑥 4 − 2𝑥 2 + 𝑥 5 ) − 𝑥 3 + 3𝑥 2 − 3𝑥 − 1)
⟹ 𝑓(𝑥) =
((1 − 𝑥)𝑥 − 1)((1 − 𝑥)𝑥 + 1)
(1 − 𝑥)(𝑥 5 − 𝑥 4 − 𝑥 3 + 𝑥 2 − 𝑥 − 1)
=
(− 1 + 𝑥 − 𝑥 2 )(1 + 𝑥 − 𝑥 2 )
(1 − 𝑥)(𝑥 3 (𝑥 2 − 𝑥 − 1) + (𝑥 2 − 𝑥 − 1))
=
(− 1 + 𝑥 − 𝑥 2 )(1 + 𝑥 − 𝑥 2 )
(1 − 𝑥)(𝑥 2 − 𝑥 − 1)(1 + 𝑥)(𝑥 2 − 𝑥 + 1)
=
(− 1 + 𝑥 − 𝑥 2 )(1 + 𝑥 − 𝑥 2 )
(1 − 𝑥)(𝑥 2 − 𝑥 − 1)(1 + 𝑥)(𝑥 2 − 𝑥 + 1)
=−
(𝑥 2 − 𝑥 + 1)(1 + 𝑥 − 𝑥 2 )
(1 − 𝑥)(𝒙𝟐 − 𝒙 − 𝟏)(1 + 𝑥)(𝒙𝟐 − 𝒙 + 𝟏)
= = 𝟏 − 𝒙𝟐 .
(𝒙𝟐 − 𝒙 + 𝟏)(𝒙𝟐 − 𝒙 − 𝟏)
Q.13. 7.
Q.14.
𝑎) 𝑛 = 2𝑚, 𝑚 ∈ ℤ;
𝑏) 𝑛 = 2𝑚 + 1, 𝑚 ∈ ℤ.
Q.15. 𝑎) Demonstração.
1−𝑥 1−𝑥 2
[𝑓(𝑥)]2 ⋅ 𝑓 ( ) = 64𝑥 [𝑓(𝑥)]4 ⋅ [𝑓 ( )] = 642 𝑥 2 (I)
1+𝑥 1+𝑥
𝑏) { 2 ⟹{ 2 .
1−𝑥 1−𝑥 1−𝑥 1−𝑥
[𝑓 (1 + 𝑥)] ⋅ 𝑓(𝑥) = 64 (1 + 𝑥) [𝑓 (1 + 𝑥)] ⋅ 𝑓(𝑥) = 64 (1 + 𝑥) (II)
𝟑 (𝟏 + 𝒙)𝒙𝟐
Fazendo (I)/(II), conclui-se facilmente que 𝒇(𝒙) = 𝟒 √ .
𝟏−𝒙
Q.16. 𝐃𝒇 = (𝝅/𝟏𝟐, 𝝅/𝟒).
Q.17. S =] − 𝟐, − 𝟏[ ⋃ [𝟏, + ∞[.
Q.18. 𝑚² + 4𝑚 − 32 = 0 ⟹ 𝒎 ∈ {− 𝟒, 𝟖}.
Q.19. 𝑎) Espera-se que a função inversa de 𝑓(𝑥), 𝑓 − 1 (𝑥), nos forneça a “operação” inversa de 𝑓.
Isto é, se 𝑓(𝑥) = 2𝑥 (dobrar um número), então sua inversa deverá nos fornecer a metade do número,
𝑓 − 1 (𝑥) = 𝑥/2.
E, ainda, devemos sempre ter que 𝑓 − 1 (𝑓(𝑥)) = 𝑥, ∀ 𝑥 ∈ D(𝑓 − 1).
𝑏) Respectivamente, multiplicar o número por 5, fornecer sua raiz quadrada (positiva), fornecer sua metade,
fornecer o arco cujo seno é 𝑥 e fornecer o logaritmo natural de 𝑥.
* Obs: a função inversa do seno é a função 𝑓(𝑥) = arcsen(𝑥), que nos fornece o arco cujo seno é 𝑥.
Exemplo: arcsen(1⁄√2) = 𝜋/4, arcsen(1⁄2) = 𝜋/6 e etc.
Porém, as funções 𝑥² e sen(𝑥) admitem inversa apenas numa partição de seu domínio
(são injetoras e sobrejetoras) apenas neste intervalo, e não em todo o seu domínio.
Para a função 𝑥², o domínio deverá ser 𝑥 ≥ 0 e para a função sen(𝑥), deverá ser o intervalo [− 𝜋/2, 𝜋/2].
Por exemplo, a afirmação arcsen(1⁄2) = 𝜋⁄6 + 2𝑘𝜋 está errada pois o número de voltas “sairá” do domínio
imposto, e a afirmação √9 = − 3 também está.
Q.20. Se 𝑚 é a raiz comum:
𝑚² + 𝑎𝑚 + 𝑏 = 𝑚² + 𝑝𝑚 + 𝑞
𝑞−𝑏 𝑏−𝑞
⟹𝑚=− = .
𝑎−𝑝 𝑝−𝑎
Se 𝑢 é a outra raiz de 𝑥² + 𝑎𝑥 + 𝑏 = 0 e 𝑣 de 𝑥² + 𝑝𝑥 + 𝑞 = 0, então
𝑚+𝑢 =−𝑎 ⟹𝑢 =−𝑎−𝑚
{𝑚 + 𝑣 = − 𝑝 ⟹ 𝑣 = − 𝑝 − 𝑚 .
Desta forma, a equação pedida será
𝑥² − (𝑢 + 𝑣)𝑥 + 𝑢𝑣
= 𝑥² − (𝑎 + 2𝑚 + 𝑝)𝑥 + (− 𝑎 − 𝑚)(− 𝑝 − 𝑚)
𝟐(𝒃 − 𝒒) 𝒃−𝒒 𝒃−𝒒
= 𝒙² − (𝒂 + 𝒑 + ) + (𝒂 + ) (𝒑 + ) = 𝟎.
𝒑−𝒂 𝒑−𝒂 𝒑−𝒂
𝑑𝑦
Prep.21. 𝑎) 𝑦 = 𝑎𝑥² + 𝑏𝑥 + 𝑐, 𝑦 ′ = 𝑑𝑥 = 2𝑎𝑥 + 𝑏 = 0 ⟹ 𝑥 = − 𝑏/2𝑎 (vértice).
Então, o ponto de mínimo ocorrerá quando 𝑦 = 𝑓(− 𝑏/2𝑎).
𝑏) 𝜓 = 𝑥³ − 𝑥𝑦 5 𝑧𝑡 + 𝑤 2 𝑡 2 𝑧 2 − 4𝑡𝑥𝑦 + 𝑤 2 𝑧³𝑦 − 1;
𝜕𝜓 𝜕𝜓 𝜕𝜓
= 3𝑥² − 𝑦 5 𝑧𝑡 − 4𝑡𝑦, = − 5𝑥𝑦 4 𝑧𝑡 − 4𝑡𝑥 + 𝑤²𝑧³, = − 𝑥𝑦 5 𝑡 + 2𝑤 2 𝑡 2 𝑧 + 3𝑤²𝑧²𝑦,
𝜕𝑥 𝜕𝑦 𝜕𝑧
𝜕𝜓 𝜕𝜓
= 2𝑤𝑡²𝑧² + 2𝑤𝑧³𝑦, = − 𝑥𝑦 5 𝑧 + 2𝑤 2 𝑡𝑧 2 − 4𝑥𝑦.
𝜕𝑤 𝜕𝑡
𝜕𝑧
Q.21. 𝑓(𝑥, 𝑦) = 𝑧 = 𝑥² + 𝑦² + 4𝑥 − 6𝑦 + 7 ⟹ 𝑧 = 𝑦 2 − 6𝑦 + (𝑥 2 + 4𝑥 + 7) ⟹ 𝜕𝑦 = 2𝑦 − 6 = 0 ⟹ 𝑦 = 3.
𝑑𝑢
Quando 𝑦 = 3, 𝑓(𝑥, 3) = 𝑥² + 4𝑥 − 2 ⟹ 𝑢(𝑥) = 𝑥 2 + 4𝑥 − 2 ⟹ 𝑑𝑥 = 2𝑥 + 4 = 0 ⟹ 𝑥 = − 2.
Então, o valor mínimo 𝑧min ocorre quando 𝑥 = − 2 e 𝑦 = 3, sendo dado por 𝑧min = 𝑓(− 2, 3) = − 𝟔, letra C.
Q.22.
−𝑥
𝑓(− 𝑥) = − (− 𝑥⁄2)
1 − 2− 𝑥
𝑥 ⋅ 2𝑥 𝑥 ⋅ 2𝑥 𝑥 − 𝑥 + 𝑥 ⋅ 2𝑥 𝑥 𝑥 − 𝑥(1 − 2𝑥 )
=− 𝑥 + 𝑥 ⁄2 = + 𝑥 ⁄2 = + = + 𝑥/2
2 −1 1 − 2𝑥 1 − 2𝑥 2 1 − 2𝑥
𝑥 𝑥
= − 𝑥 + 𝑥 ⁄2 = − 𝑥/2
1 − 2𝑥 1 − 2𝑥
= 𝑓(𝑥).
Então, fica provado que 𝑓 é par.
Gabarito – Desafios:
D.1. ∆ = 0 ⟹ 𝜃 = 𝜋⁄12 ∨ 𝜃 = 5𝜋/12.
Então, a soma é igual a 𝝅/𝟐.
ℓ𝑛(𝑘 + 1) 𝓵𝒏(𝟑) 𝓵𝒏(𝟒) ℓ𝑛(2018) ℓ𝑛(2018)
D.2. ∏2017 2017
𝑘 = 2 log 𝑘 (𝑘 + 1) = ∏𝑘 = 2 = ℓ𝑛(2) ⋅ 𝓵𝒏(𝟑) ⋅ … ⋅ 𝓵𝒏(𝟐𝟎𝟏𝟕) = = 𝐥𝐨𝐠 𝟐 𝟐𝟎𝟏𝟖.
ℓ𝑛(𝑘) ℓ𝑛(2)
(os termos em negrito se cancelarão).
1 1
D.3. É fácil verificar que, para todos os termos, a seguinte propriedade é válida log 𝑘 − 1 ⋅log 2𝑘
= 𝑘(𝑘 − 1)[log .
𝑥2 𝑥 𝑥 2]²
Então, podemos reescrever a soma em questão na forma de somatório:
𝑛 𝑛
1 1 1
∑ = ∑ .
𝑘(𝑘 − 1)(log 𝑥 2)² (log 𝑥 2)² 𝑘(𝑘 − 1)
𝑘=2 𝑘=2
1 1 1
Uma vez que 𝑘(𝑘 − 1) = 𝑘 − 1 − 𝑘, o somatório se torna
𝑛
1 1 1 1 𝟏 𝟏 𝟏 𝟏 𝟏 1 1
∑( − )= [(1 − ) + ( − ) + ( − ) + ⋯ + ( − )] = 1 − 1⁄𝑛 .
(log 𝑥 2)² 𝑘 − 1 𝑘 (log 𝑥 2)2 𝟐 𝟐 𝟑 𝟑 𝟒 𝑛−1 𝑛
𝑘=2
Então,
𝑛
1 1
∑ = (1 − 1⁄𝑛) ⋅
𝑘(𝑘 − 1)(log 𝑥 2)² (log 𝑥 2)2
𝑘=2
como desejado.
D.4. Utilize a propriedade do logaritmo de um produto.
1 1 1
D.5. Seja S = log + log + ⋯ + log .
2𝑛 3𝑛 2017 𝑛
1
Mas, da mudança de base, log = log 𝑛 𝑟::
𝑟𝑛
S = log 𝑛 2 + log 𝑛 3 + ⋯ + log 𝑛 2017 = log 𝑛 (2.3. … .2016.2017) = log 𝑛 (2017!) .
Mas 𝑛 = 2017!:
⟹ S = log 𝑛 𝑛 = 𝟏 .
D.6. A expressão é 𝑥 + 𝑥³ + (𝑥 + 𝑥 + 𝒙 + 𝒙𝟒 + 𝒙𝟓 + 𝒙𝟔 + 𝒙𝟕 ) − (𝒙𝟑 + 𝒙𝟒 + 𝒙𝟓 + 𝒙𝟔 + 𝒙𝟕 )
4 2 𝟑

= 𝑥 4 + 𝑥³ + 𝑥² + 𝑥.
Então:
𝑥 4 + 𝑥³ + 𝑥² + 𝑥 < 0 ⟹ 𝑥(𝑥 3 + 𝑥 2 + 𝑥 + 1) < 0 ⟹ 𝑥(𝑥 2 (𝑥 + 1) + (𝑥 + 1)) < 0
⟹ 𝑥(𝑥 + 1)(𝑥 2 + 1) < 0.
Veja que, ∀ 𝑥 ∈ ℝ, 𝑥 2 + 1 > 0.
Então, devemos nos preocupar apenas com 𝑥(𝑥 + 1) < 0 ⟹ − 1 < 𝑥 < 0 ⟹ 𝑥 ∈ (− 1, 0).
A amplitude A será A = 0 − (−1) = 𝟏.
D.7.
∑5𝑘 = 0 𝑥 𝑘 1 + 𝑥 + 𝑥² + 𝑥 3 + 𝑥 4 + 𝑥 5 (1 + 𝑥) + 𝑥 2 (1 + 𝑥) + 𝑥 4 (1 + 𝑥)
√ 4 = √ = √
∑𝑘 = 0 𝑥 𝑘 1 + 𝑥 + 𝑥² + 𝑥³ + 𝑥 4 1 + 𝑥 + 𝑥² + 𝑥³ + 𝑥 4

(1 + 𝑥)(1 + 𝑥 2 + 𝑥 4 )
=√ .
1 + 𝑥 + 𝑥² + 𝑥³ + 𝑥 4
É fácil verificar que 1 + 𝑥 2 + 𝑥 4 será sempre positiva, logo, a função é equivalente a
1+𝑥
√ .
1 + 𝑥 + 𝑥² + 𝑥³ + 𝑥 4
𝑥5 − 1
Veja que 1 + 𝑥 + 𝑥² + 𝑥³ + 𝑥 4 = (soma de P.G) e, portanto, 𝑥 5 − 1 = 0 admite apenas uma raiz real,
𝑥−1
𝑥 = 1 e, quando 𝑥 ≠ 1, 1 + 𝑥 + 𝑥² + 𝑥³ + 𝑥 4 > 0:
1 + 𝑥
⟹√ = √𝑥 + 1 ⟹ 𝒙 ≥ − 𝟏.
1 + 𝑥 + 𝑥2 + 𝑥3 + 𝑥4
D.8. √6/6.
D.9. 𝑎) 𝑢2014 + 𝑣 2014 = 𝑢² ⋅ 𝑢2012 + 𝑣² ⋅ 𝑣 2012 .
Mas 𝑢 e 𝑣 satisfazem 𝑥² − 2𝑥 = 7 ⟹ 𝑥 2 = 2𝑥 + 7. Logo:
𝑢2014 + 𝑣 2014 = (2𝑢 + 7)𝑢2012 + (2𝑣 + 7)𝑣 2012 = 2(𝑢2013 + 𝑣 2013 ) + 7(𝑢2012 + 𝑣 2012 )
= 𝟐𝒃 + 𝟕𝒂.
𝑏) Se 𝑎 = 5 + √6 e 𝑏 = 5 − √6, podemos construir uma equação quadrática de raízes 𝑎 e 𝑏:
⟹ 𝑥 2 − (5 + √6 + (5 − √6)) 𝑥 − (5 + √6)(5 − √6) = 0
⟹ 𝑥 2 − 10𝑥 + 19 = 0 ⟹ 𝑥 2 = 10𝑥 − 19.
Então, 𝑥 4 = 𝑥². 𝑥² = (10𝑥 − 19)2 = 100𝑥² − 380𝑥 + 361 = 100(10𝑥 − 19) − 380𝑥 + 361
= 620𝑥 − 1539.
⟹ 𝑥 6 = 𝑥 4 . 𝑥 2 = (620𝑥 − 1539)(10𝑥 − 19) = 6200𝑥 2 − 27170𝑥 + 29241 = 6200(10𝑥 − 19) − 27170𝑥 + 29241
= 34830𝑥 − 88559.
⟹ 𝑥 7 = 𝑥 6 . 𝑥 = (34830𝑥 − 88559)𝑥 = 34830𝑥 2 − 88559𝑥 = 34830(10𝑥 − 19) − 88559𝑥 = 259741𝑥 − 661770.
7
Assim, 𝑥 7 = 259741𝑥 − 661770 ⟹ {𝑎7 = 259741𝑎 − 661770 ⟹ 𝑎7 + 𝑏 7 = 259741(𝑎 + 𝑏) − 1323540.
𝑏 = 259741𝑏 − 661770
Mas 𝑎 + 𝑏 = 10:
𝑎7 + 𝑏 7 = 259741.10 − 1323540 = 𝟏𝟐𝟕𝟑𝟖𝟕𝟎.
D.10. É fácil verificar que, se 𝑎 = 2 + √3, então 1⁄𝑎 = 2 − √3.
𝑟
𝑟 1 𝑟 1 𝑟 𝑟
1
Então, a equação se torna (√𝑎) + (√𝑎) = 14 ⟹ (√𝑎) + ( 𝑎) = 14 ⟹ 𝑎2 + 𝑟 = 14
√ 𝑎2
𝑟
⟹ 𝑎𝑟 − 14𝑎2 + 1 = 0.
𝑟
Se 𝑎2 = 𝑏, então 𝑏² − 14𝑏 + 1 = 0 ⟹ 𝑏 = 7 + 4√3 ∨ 𝑏 = 7 − 4√3.
𝑟 𝑟
Então, as possibilidades são 𝑎2 = 7 + 4√3 ⟹ (2 + √3)2 = 7 + 4√3
𝑟 𝑟
ou 𝑎2 = 7 − 4√3 ⟹ (2 + √3)2 = 7 − 4√3.
Porém, é imprescindível notar que
2 2
7 + 4√3 = 7 + 2.2. √3 = (4 + 3) + 2.2. √3 = 2² + 2.2. √3 + (√3) = (2 + √3) e, também, perceber que
2 −1 2 −2
(2 − √3) = ((2 + √3) ) = (2 + √3) .
Assim:
𝑟 𝑟
2
2 2
(2 + √3) = 7 + 4√3 ⟹ (2 + √3) = (2 + √3) ⟹ 𝑟 = 4
{ 𝑟 𝑟 𝑟 .
2 −2
2 2 2
(2 + √3) = 7 − 4√3 ⟹ (2 + √3) = (2 − √3) ⟹ (2 + √3) = (2 + √3) ⟹ 𝑟 = − 4
Então, 𝒓 = ± 𝟒.
D.11. 𝑚 ∈ {0, 7, 9, 25, 27, 34}.
1 1 3 3
D.12. 𝑓(𝑥) = √𝑥² − 𝑥 + 1 + √𝑥² − √3𝑥 + 1 ⟹ 𝑓(𝑥) = √(𝑥 2 − 𝑥 + 4) + 1 − 4 + √(𝑥 2 − √3𝑥 + 4) + 1 − 4
2 2 2
1 2 3 √3 1 1 2 √3 √3 1 2
√ √ √ √
⟹ 𝑓(𝑥) = (𝑥 − ) + + (𝑥 − ) + = (𝑥 − ) + ( ) + (𝑥 − ) + ( ) .
2 4 2 4 2 2 2 2
Da distância 𝑑 entre os pontos (𝑥, 𝑦) e (𝑥0 , 𝑦0 ), 𝑑 = √(𝑥 − 𝑥0 )2 + (𝑦 − 𝑦0 )2 , perceba que podemos interpretar a função
𝑓 como a soma das distâncias de um ponto genérico (𝑥, 0) (sobre o eixo das abscissas)
aos pontos (1⁄2, √3⁄2) e (√3⁄2, 1/2).
Observe que o valor mínimo de 𝑓 ocorrerá quando a distância entre estes pontos for mínima e, tal fato somente ocorre
quando estes forem colineares: “A menor distância entre dois pontos é a medida do segmento de reta que os une.”
Assim, é necessário que os três pontos considerados sejam colineares, e, para isto, recorreremos à condição de alinhamento
de três pontos “Três pontos dum mesmo plano são colineares se e somente se estes não formam triângulo, ou, em outras
palavras, se o determinante formado por estes pontos for nulo.”
𝑥 0 1
1 √3
| 1|
⟹ 2 2 = 0.
| |
√3 1
1
2 2
Resolvendo este determinante pelo método que julgar mais pertinente, o resultado será 𝑥 = √3 − 1.
Então, o valor mínimo de 𝑓 ocorrerá quando 𝑥 = √3 − 1:
2 2
1 2 √3 √3 1 2
𝑓(√3 − 1) = √(√3 − 1 − ) + ( ) + √(√3 − 1 − ) + ( )
2 2 2 2
2 2 2
2√3 3 √3 2(√3 − 1) √3 1 2

= ( √
− ) +( ) + ( − ) + ( ) = √𝟐.
2 2 2 2 2 2
D.13.
Se 𝑓 está definida sobre o intervalo (0, + ∞), então, ∀ 𝑎 ∈ (0, + ∞), 𝑎 > 0 (1).
Se 𝑓 é estritamente decrescente, então:
𝑥1 < 𝑥2 ⟹ 𝑓(𝑥2 ) < 𝑓(𝑥1 ).
Assim:
𝑓(2𝑎2 + 𝑎 + 1) < 𝑓(3𝑎2 − 4𝑎 + 1) ⟹ 2𝑎2 + 𝑎 + 1 > 3𝑎2 − 4𝑎 + 1 (I).
Mas, da condição (1), 2𝑎2 + 𝑎 + 1 > 0 (II) e 3𝑎2 − 4𝑎 + 1 > 0 (III).
Resolvendo o sistema de inequações (I), (II) e (III), chega-se em 𝒙 ∈ (𝟎, 𝟏/𝟑) ∪ (𝟏, 𝟓).
34
D.14. 32𝑥 − 34 ⋅ 15𝑥 − 1 + 52𝑥 = 0 ⟹ 32𝑥 − 34 ⋅ 3𝑥 − 1 ⋅ 5𝑥 − 1 + 52𝑥 = 0 ⟹ 32𝑥 − 15 ⋅ 3𝑥 ⋅ 5𝑥 + 52𝑥 = 0.
34
Tomando 3𝑥 = 𝑢 e 5𝑥 = 𝑣, temos que 𝑢² − 15 𝑢𝑣 + 𝑣 2 = 0.
Resolvendo a equação obtida para 𝑢:

√ 34𝑣 2 √ 342 𝑣 2 √256


34 ( ) − 4𝑣² 34 − 4𝑣 2 34
15 152 225
𝑢= 𝑣± ⟹𝑢= 𝑣± ⟹𝑢= 𝑣±𝑣
30 2 30 2 30 2
16
34 34 16
⟹𝑢= 𝑣 ± 15 ⟹ 𝑢 = 𝑣± .
30 2 30 30
50𝑣 18𝑣 5𝑣 3𝑣
Então, 𝑢 = 30 ou 𝑢 = 30 ⟹ 𝑢 = 3 ou 𝑢 = 5 .
Mas 𝑢 = 3𝑥 e 𝑣 = 5𝑥 :
5.5𝑥 3.5𝑥
3𝑥 = (I) ou 3𝑥 = (II).
3 5
3 𝑥+1
De (I), 3𝑥 + 1 = 5𝑥 + 1 ⟹ (5) = 1 ⟹ 𝑥 = − 1.
3 𝑥−1
De (II), 3𝑥 − 1 = 5𝑥 − 1 ⟹ ( ) = 1 ⟹ 𝑥 = 1.
5
Enfim, S = {− 𝟏, 𝟏}.
1
D.15. De 𝑓𝑛 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓𝑛 − 1 (𝑥)), temos que 𝑓1 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓0 (𝑥)), onde 𝑓0 (𝑥) = 1 − 𝑥
1 1 𝑥−1
⟹ 𝑓1 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓0 (𝑥)) = = −𝑥 = .
1 𝑥
1−1−𝑥 1−𝑥
1 1
⟹ 𝑓2 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓1 (𝑥)) = = = 𝑥.
𝑥 − 1 𝑥 − (𝑥 − 1)
1− 𝑥
𝑥
1
⟹ 𝑓3 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓2 (𝑥)) = = 𝑓0 (𝑥).
1−𝑥
𝑥−1
⟹ 𝑓4 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓3 (𝑥)) = = 𝑓1 (𝑥).
𝑥
⟹ 𝑓5 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓4 (𝑥)) = 𝑥 = 𝑓2 (𝑥).
1
⟹ 𝑓6 (𝑥) = 𝑓0 (𝑓5 (𝑥)) = = 𝑓3 (𝑥) = 𝑓0 (𝑥).
1−𝑥

O padrão acima se repetirá da seguinte forma, para 𝑘 = [0, 1, 2, ...]:
1
𝑓3𝑘 (𝑥) =
1−𝑥
𝑥−1
𝑓3𝑘 + 1 (𝑥) =
𝑥
{ 𝑓3𝑘 + 2 (𝑥) =𝑥
2017 − 1 𝟐𝟎𝟏𝟔
Então, 2017 = 3 ⋅ 672 + 1 ∴ 𝑓2017 (2017) = = 𝟐𝟎𝟏𝟕.
2017
D.16. É fácil ver que 𝛼² + 𝛼𝛽 + 𝛽² = 𝛼² + 2𝛼𝛽 + 𝛽² − 𝛼𝛽 = (𝛼 + 𝛽)2 − 𝛼𝛽.
Mas
log2 3 1
√log3 2
2√log2 3
= 2 √log=23 (2 log2 3 √log2 3
) = (2log2 3 ) = 3√log3 2 ⟹ 2√log2 3 − 3√log3 2 = 0.
Então, o polinômio em questão se torna
𝑥² − (3 + 2√log2 3 − 3√log3 2 ) 𝑥 − 2(3log3 2 − 2log2 3 ) = 𝑥 2 − 3𝑥 − 2(2 − 3) = 𝑥 2 − 3𝑥 + 2.
A expressão pedida é
(𝛼 + 𝛽)2 − 𝛼𝛽 = (− 3)2 − 2 = 9 − 2 = 𝟕.
D.17.
Esta questão é deveras interessante e de certa forma enigmática, e, para tanto, deve ser analisada com muito
cuidado, pois envolve um conceito que flerta com a noção de infinito (torre de potências).
Observe:
𝑥16
𝑥𝑥 = 16
16
𝑥𝑥
Uma vez que 16 = 𝑥 , podemos reescrevê-la como
𝑥16
𝑥𝑥
𝑥𝑥
𝑥 = 16.
Novamente...
𝑥16
𝑥 𝑥𝑥
𝑥 𝑥𝑥
𝑥𝑥 = 16.
E de novo...
𝑥16
𝑥 𝑥𝑥
𝑥 𝑥𝑥
𝑥𝑥
𝑥𝑥
𝑥 = 16.
E aqui estamos lidando com um dos conceitos mais misteriosos de toda a matemática, o conceito de infinito.
Perceba que, repetindo este processo indefinidamente, chegaremos em
𝑥…
𝑥 𝑥𝑥
𝑥 𝑥𝑥
𝑥𝑥
𝑥𝑥
𝑥 = 16.
𝑥… …
𝑥 𝑥𝑥 𝑥𝑥
𝑥𝑥 𝑥 𝑥𝑥
𝑥𝑥 𝑥𝑥
𝑥𝑥 𝑥𝑥
É aqui que as coisas ficam interessantíssimas, pois, se 𝑥 𝑥 = 16, então 𝑥 𝑥 = 16, não?!
E, desta forma, nossa equação se torna
1 1 1
𝑥16 = 16 ⟹ 𝑥 = 1616 = (24 )16 = 24 .
Enfim:
1 12 12 12 1 8 8 𝑥12 1 4 4
𝑥12 = (24 ) = 2 4 = 23 = 8 ⟹ 𝑥 𝑥 = (24 ) = 24 = 4 ⟹ 𝑥 𝑥 = (24 ) = 24 = 𝟐.
D.18. Temos:
(log 3 𝑥) ⋅ (log 4 𝑥) ⋅ (log 5 𝑥) = (log 3 𝑥) ⋅ (log 4 𝑥) + (log 3 𝑥) ⋅ (log 5 𝑥) + (log 4 𝑥) ⋅ (log 5 𝑥).
Efetuando uma mudança de base para a base 𝑒:
ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥) ℓ𝑛(𝑥)
⋅ ⋅ = ⋅ + ⋅ + ⋅
ℓ𝑛(3) ℓ𝑛(4) ℓ𝑛(5) ℓ𝑛(3) ℓ𝑛(4) ℓ𝑛(3) ℓ𝑛(5) ℓ𝑛(4) ℓ𝑛(5)
[ℓ𝑛(𝑥)]3 [ℓ𝑛(𝑥)]2 [ℓ𝑛(𝑥)]2 [ℓ𝑛(𝑥)]2
⟹ = + +
ℓ𝑛(3) ⋅ ℓ𝑛(4) ⋅ ℓ𝑛(5) ℓ𝑛(3) ⋅ ℓ𝑛(4) ℓ𝑛(3) ⋅ ℓ𝑛(5) ℓ𝑛(4) ⋅ ℓ𝑛(5)
⟹ [ℓ𝑛(𝑥)]3 = ℓ𝑛(5) ⋅ [ℓ𝑛(𝑥)]2 + ℓ𝑛(4) ⋅ [ℓ𝑛(𝑥)]2 + ℓ𝑛(3) ⋅ [ℓ𝑛(𝑥)]2
⟹ [ℓ𝑛(𝑥)]³ = [ℓ𝑛(𝑥)]2 ⋅ [ℓ𝑛(5) + ℓ𝑛(4) + ℓ𝑛(3)]
⟹ [ℓ𝑛(𝑥)]³ = [ℓ𝑛(𝑥)]2 ⋅ ℓ𝑛(60)
⟹ [ℓ𝑛(𝑥)]2 ⋅ [ℓ𝑛(𝑥) − ℓ𝑛(60)] = 0 ⟹ ℓ𝑛(𝑥) = 0 ∨ ℓ𝑛(𝑥) = ℓ𝑛(60)
⟹ 𝑥 = 1 ∨ 𝑥 = 60.
Então, a soma das raízes é 1 + 60 = 𝟔𝟏.
D.19. Façamos
𝑎𝑏 ⋅ 𝑏 𝑎 = 𝑐 𝑏 ⋅ 𝑏 𝑐 = 𝑎𝑐 ⋅ 𝑐 𝑎 = 𝑘.

Então, é fácil ver que:


𝑎𝑏 𝑏 𝑐 𝑎 𝑏 𝑐−𝑎
𝑎𝑏 𝑏
= ⟹ ( ) = 𝑏 ⟹ ( ) = 𝑏𝑏 + 𝑐 − 𝑎
𝑐 𝑏 𝑏𝑎 𝑐 𝑐
𝑎𝑏 𝑎𝑏 (𝑏 + 𝑐 − 𝑎) ⋅ ln 𝑏
⟹ 𝑏 ⋅ ln ( ) = (𝑏 + 𝑐 − 𝑎) ⋅ ln 𝑏 ⟹ ln ( ) = .
𝑐 𝑐 𝑏
Analogamente:
𝑏 𝑎 𝑐
𝑏 𝑎
𝑎 𝑐−𝑏
𝑎𝑏 𝑎
𝑎 ⋅𝑏 =𝑎 ⋅𝑐 ⟹( ) =𝑎 ⟹ ( ) = 𝑎𝑎 + 𝑐 − 𝑏
𝑐 𝑐
𝑎𝑏 𝑎𝑏 (𝑎 + 𝑐 − 𝑏) ⋅ ln 𝑎
⟹ 𝑎 ⋅ ln ( ) = (𝑎 + 𝑐 − 𝑏) ⋅ ln 𝑎 ⟹ ln ( ) = .
𝑐 𝑐 𝑎
E, também,
𝑎𝑏 (𝑎 + 𝑏 − 𝑐) ⋅ ln 𝑐
ln ( ) = .
𝑐 𝑐
Então, isto conclui a demonstração.
sen(𝑥)
D.20. Utilizando que tan(𝑥) = cos(𝑥)
e cos(90° − 𝑥) = sen(𝑥):
𝑠𝑒𝑛(1°) 𝑠𝑒𝑛(2°) 𝑠𝑒𝑛(89°)
ln [ ] + ln [ ] + ⋯ + ln [ ]
𝑐𝑜𝑠(1°) 𝑐𝑜𝑠(2°) 𝑐𝑜𝑠(89°)
𝑠𝑒𝑛(1°) 𝑠𝑒𝑛(2°) 𝑠𝑒𝑛(89°) 𝐬𝐞𝐧(𝟏°) 𝐬𝐞𝐧(𝟐°) 𝐬𝐞𝐧(𝟖𝟗°)
= ln [ ⋅ ⋅ …⋅ ] = ln [ ⋅ ⋅ …⋅ ] = ln(1)
𝑐𝑜𝑠(1°) 𝑐𝑜𝑠(2°) 𝑐𝑜𝑠(89°) 𝐬𝐞𝐧(𝟖𝟗°) 𝐬𝐞𝐧(𝟖𝟖°) 𝐬𝐞𝐧(𝟏°)
= 𝟎.
D.21. Veja:
(2𝑥 + 1)(3𝑥 + 1)(5𝑥 + 1)(30𝑥 + 1) = 10
⟹ (2𝑥 + 1)(30𝑥 + 1)(3𝑥 + 1)(5𝑥 + 1) = 10
⟹ (60𝑥 2 + 32𝑥 + 1)(15𝑥 2 + 8𝑥 + 1) = 10.
Agora vem o “truque”, 4 ⋅ 15 = 60 e 4 ⋅ 8 = 32, não?
Então, multipliquemos toda a igualdade por 4:
(60𝑥 2 + 32𝑥 + 1) ⋅ 4(15𝑥 2 + 8𝑥 + 1) = 4 ⋅ 10
⟹ (60𝑥 2 + 32𝑥 + 1)(60𝑥 2 + 32𝑥 + 4) = 40.
Se 60𝑥² + 32𝑥 = 𝑢:
⟹ (𝑢 + 1)(𝑢 + 4) = 40
2
⟹ 𝑢 + 5𝑢 − 36 = 0 ⟹ 𝑢 = 4 ∨ 𝑢 = − 9.
Substituindo:
𝑢 = 4:
4 √31
60𝑥² + 32𝑥 = 4 ⟹ 60𝑥 2 + 32𝑥 − 4 = 0 ⟹ 𝑥 = − ± .
15 15
É fácil verificar que, quando 𝑢 = − 9 a equação resultante não admitirá raízes reais (∆ < 0), logo, as únicas
4 √31
soluções reais são 𝑥 = − 15 ± .
15

Material elaborado por Ricardo Luís Bertolucci Filho.