Você está na página 1de 4

L A N Ç A M E N T O S

LOGÍSTICA FARMACÊUTICA
COMENTADA
Casos Práticos e Legislação em Vigor

A obra trata dos principais temas diversos eventos e fundadores da An-


relativos à logística farmacêutica. farlog (Associação Nacional de Farma-
Apresenta uma estrutura de capítulos cêuticos Atuantes em Logística).
lógica e concisa e aborda, da legisla- O livro Logística Farmacêutica
ção sanitária às boas práticas de trans- Comentada é um marco no esforço
porte, boas práticas de armazenagem para o desenvolvimento do setor, e se
e boas práticas de distribuição. Mais: torna, assim, uma obra de leitura obri-
traz um capítulo especial de casos prá- gatória a todos os que atuam, ou que
ticos, enriquecido com uma centena pretendem obter a formação necessá-
de perguntas recebidas pelos autores ria para atuar no campo da logística
e respondidas à luz da experiência e farmacêutica.
dos conhecimentos teórico e prático. Em sua primeira edição, o livro tem
Os autores Saulo de Carvalho Ju- capa dura, 200 páginas, e é uma pu-
nior e Sonja Helena Madeira Macedo blicação da Editora Medfarma. Pode
possuem vasta experiência na área. ser encontrado na Livraria e Edito-
São docentes em cursos de pós-gra- ra Medfarma. Contos pelos telefones
duação de logística farmacêutica e (11)3331-7115 e (11)9968-7011 e em seu
outros, palestrantes convidados em site (www.livrariafarmaceutica.com.br)

FITOTERAPIA CONTEMPORÂNEA
Tradição e ciência na prática clínica

O livro Fitoterapia Contemporâ- prescrever fitoterápicos para seus pa-


nea, de autoria de Gláucia de Azevedo cientes e a farmacêuticos. O livro traz
Saad, Paulo Henrique de Oliveira Léda, fichas técnicas de plantas medicinais,
Ivone Manzali de Sá e Antônio Carlos em ordem alfabética, que apresentam,
de Carvalho Seixlack, é um presente de forma sucinta e visual, nomes, fo-
para médicos e farmacêuticos, neste tos, origens, indicações, posologias,
instante em que o assunto ganha um precauções, toxidade etc., permitin-
espaço relevante, principalmente na do entendimento completo das pro­
saúde pública. A obra aborda, com priedades e aplicabilidades dessas
profundidade, o tema Fitoterapia Clí- plantas.
nica como uma área que reúne conhe- Outro item expressivo da obra é
cimentos científicos e tradicionais uti- a descrição dos principais sistemas
lizados no diagnóstico e no tratamen- médicos, o que possibilita melhor
to dos pacientes. Retrata a experiência abordagem terapêutica, associando
dos autores, médicos e farmacêuticos os conceitos tradicionais e científicos
atuantes no segmento, e traduz uma à fitoterapia. Outro item importante
das abordagens possíveis entre as di- é o que trata das noções de botâni-
versas estratégias utilizadas para pro- ca, com classificação, nomenclatura e
mover a saúde. exemplos práticos, que proporcionam
Fitoterapia Contemporânea des­ melhor entendimento da importância
tina-se, sobretudo, a médicos clínicos desta área, minimizando os riscos do
e especialistas que se interessam em uso incorreto de plantas medicinais.

20 Pharmacia Brasileira - Setembro a Dezembro 2009


L A N Ç A M E N T O S

A obra reúne, também, outros uso correto e seguro desses medica-


itens relevantes, como Fitoquímica e far- mentos pelos profissionais da saúde;
macologia aplicadas, que correlacionam Casos clínicos, que objetivam discutir, fi-
os principais constituintes químicos xar e facilitar o uso do conhecimento
à sua importância para as atividades oferecido.
farmacológicas; Diagnóstico e prescrição, Mais: no capítulo intitulado “Ane-
conjugando parâmetros da biomedici- xos”, a obra aborda as políticas públi-
na, medicina tradicional chinesa e me- cas em plantas medicinais e fitotera-
dicina ayurvédica, capacitando os pro- pia, ferramentas de busca de pesquisa,
fissionais na elaboração de fórmulas glossário e relação de fitoterápicos
fitoterápicas, visando à melhora global registrados na Anvisa (Agência Nacio-
do paciente; Farmacotécnica, que explica nal de Vigilância Sanitária); apresenta
como preparar um medicamento fito- o panorama nacional das experiências
terápico, a forma correta de prescrevê- no serviço público com plantas medici-
los e sua importância na instrução nais e fitoterapia, garantindo a qualida-
feita pelos farmacêuticos quanto ao de e a segurança dos medicamentos.

AROUCA, MEU IRMÃO


Livro recupera momentos cruciais de Sergio Arouca, ativista político
e sanitarista engajado que ajudou a criar o SUS

Acaba de ser lançado o livro Arou- ram com a memória de Ary Carvalho de
ca, meu irmão – uma trajetória a Miranda, Ex-vice-presidente da Fiocruz
favor da saúde coletiva, coordenado e companheiro de militância política e
por Guilherme Franco Netto e Regina sanitária de Sérgio Arouca.
Abreu. Eles assinam os textos junto Do nascimento, em Ribeirão Preto
com Helena Rego Monteiro, Fabrício (SP), onde estudou Medicina no cam-
Pereira da Silva e Sergio Lamarão. Para pus local Universidade de São Paulo
o Ministro da Saúde, José Gomes Tem- (USP), ao falecimento, no Rio de Janei-
porão, autor do prefácio, a obra é uma ro, em 2 de agosto de 2003, a história
“boa surpresa”, “um livro fraterno em de vida de Arouca é narrada, no livro
que a memória dos movimentos e das da editora Contracapa, cuja edição
lutas sanitárias e políticas de uma ge- teve o apoio da Fiocruz.
ração, a qual você [Arouca] soube tão Estão, lá, desde a militância no
bem liderar e expressar, é apresentada movimento estudantil, a luta contra
por seus companheiros de militância, a ditadura militar, o ressurgimento da
seus amigos, seus familiares”. Fiocruz e a atuação à frente da Secreta-
Nas 269 páginas do livro, estão os ria de Gestão Participativa do Ministé-
momentos mais significativos da vida rio da Saúde, que Arouca, já no final da
de um dos principais artífices da imple- vida, ajudou a criar no primeiro man-
mentação do Sistema Único de Saúde dato do Governo Lula.
(SUS). Para esta tarefa, os coordena- Um dos frutos do Programa de
dores da obra tiveram a consultoria de Pós-Graduação em Memória Social da
Anamaria Testa Tambellini, primeira Universidade Federal do Estado do Rio
mulher de Arouca, companheira dos de Janeiro (UniRio) e financiado pelo
momentos cruciais da luta política, Ministério da Saúde, Arouca, meu ir-
em plena ditadura militar, e também mão contextualiza, ainda, a história da
da vida acadêmica do primeiro Secre- saúde pública brasileira: a criação dos
tário de Saúde do Brasil (RJ) a cuidar departamentos de medicina preventi-
da qualidade dos bancos de sangue. va nas universidades; ações no campo
Além de Tambellini, os autores conta- da medicina comunitária; a criação do

Pharmacia Brasileira - Setembro a Dezembro 2009 21


L A N Ç A M E N T O S

Centro Brasileiro de Estudos de Saúde ta, Arouca, meu irmão reproduz 67


(Cebes); o processo de redemocrati- depoimentos que ajudam a compre-
zação do País; a reintegração dos cas- ender o rapaz que sonhou ser jogador
sados pelo Massacre de Manguinhos; de futebol – e chegou às categorias de
a 8ª Conferência Nacional de Saúde, base do Botafogo de Ribeirão Preto –,
marco da nova era da saúde pública mas que se tornou um craque na arte
brasileira; e a articulação do projeto de da conciliação, sempre, tendo em vista
medicina coletiva com os movimen- as conquistas para o povo brasileiro.
tos internacionais, especialmente, na Mais informações podem ser ob-
América Latina. tidas junto à Presidência da Fiocruz,
Além de fotos dos momentos pelo telefone (21) 2270-5343; e à Ensp/
marcantes da trajetória do sanitaris- Fiocruz, pelo telefone (21) 2598-2453.

CEREJEIRAS E CAFEZAIS:
Uma história das relações
médico-científicas entre Brasil e Japão

Ultrapassando os limites das bar- domésticos, como superpopulação,


reiras geográfica e cultural, o livro fome e epidemias. Aborda, ainda, a
Cerejeiras e Cafezais: uma história política de emigração do Japão, pon-
das relações médico-científicas en- tuada pela preocupação com a saúde
tre Brasil e Japão, uma iniciativa da dos japoneses em território brasilei-
Fiocruz, por meio da Casa de Oswaldo ro, assim como a tomada de decisão
Cruz (COC) e do Instituto de Tecnolo- para superar as barreiras médico-cul-
gia em Imunobiológicos (Biomangui- turais.
nhos), sugere ao leitor uma reflexão “A proposta de celebrar a presença
acerca do intercâmbio nipo-brasileiro de 1,5 milhão de brasileiros descen-
nas pesquisas sobre as principais do- dentes de japoneses saiu do lugar-
enças que afligiam a população das comum de recontar meros aspectos da
duas nações, no final do Século 19 e história de imigrantes para se aprofun-
início do Século 20, como lepra, vermi- dar na análise de um dos componen-
noses, febre amarela e malária. tes deste caleidoscópio – a trajetória
Publicado pela editora Bom Texto, dos cientistas japoneses em missões
o livro traz a público um personagem de pesquisa, no Brasil, no início do Sé-
marcante, o bacteriologista japonês culo 20”, diz o prefácio da obra.
Hideyo Noguchi, e adota uma divisão De autoria de Jaime Larry Benchi-
temática em duas partes, de modo a mol, Magali Romero Sá, Kaori Kodama,
amarrar os principais assuntos na área Márcio Magalhães de Andrade e Vivian
médica da época. Os autores desen- da Silva Cunha, o livro resgata a chega-
volvem a narrativa biográfica em pas- da dos primeiros médicos japoneses
sagens com fortes aspectos humanos, ao Brasil, onde investigariam as cau-
permitindo ao leitor conhecer mais sas das doenças que vitimavam seus
profundamente o cientista. concidadãos, principalmente, aqueles
Em sua primeira parte, Cerejeiras que, aqui, chegavam para trabalhar na
e Cafezais oferece ampla estrutura lavoura cafeeira, em São Paulo.
para se examinar os cenários político Tifo, disenteria e tuberculose eram
e social do Japão, no final do Sécu- problemas comuns entre a população
lo 19, marcado pelo fim do xoguna- imigrante japonesa, mas a malária, a
to e a chegada da era Meiji, com o ancilostomose (amarelão) e a leish-
enfrentamento de graves problemas maniose, também, despertavam o

22 Pharmacia Brasileira - Setembro a Dezembro 2009


L A N Ç A M E N T O S

interesse dos cientistas brasileiros e agora, tornada pública com o lança-


japoneses, naquela ocasião em que mento do livro.
o Brasil despontava como um impor- Pesquisador do Instituto Rocke-
tante aliado na luta médico-científica feller, Noguchi integrou a expedição
contra essas doenças. Essa trajetória, que visava a eliminar a febre amarela
bem como a história de luta do País no porto mais importante do Equador,
asiático para dominar o conhecimento considerado o principal foco da infec-
médico em diversas áreas, também, é ção, na América do Sul, e onde o bac-
apresentada pelos autores. teriologista tornou-se herói. Nessa úl-
Com nomes importantes de mé- tima parte da obra, os autores narram
dicos japoneses, como Mikinosuke o trabalho do cientista, no continente
Miyajima e Akira Fujinami, a figura de africano, onde morreria. No entanto, a
Hideyo Noguchi se destaca no inter- sua brilhante trajetória já estava con-
câmbio médico-científico entre Brasil solidada e o caminho traçado para a
e Japão, devido às intensas pesquisas pesquisa e a relação da ciência médi-
sobre leptospirose e febre amarela, ca, no Brasil, bem como sua relação
entre outras. O cientista visitou qua- além-mar, marcada para sempre.
tro continentes, em seus 51 anos de Mais informações pelos telefones
vida, deixando farta correspondência, (21)3865-2230 e (2103865-2276.

GESTÃO ESTRATÉGICA EM
FARMÁCIA HOSPITALAR:
aplicação prática de um modelo
de gestão para qualidade

A busca da excelência no âmbito à excelência do modelo de gestão do


hospitalar faz com que os seus subsis- Prêmio Nacional da Gestão em Saúde,
temas, como a farmácia, tenham que em uma farmácia hospitalar, em forma
rapidamente absorver novos conceitos de capítulos, pontuando as ferramen-
e práticas de gestão, para o enfrenta- tas da qualidade utilizadas, como as
mento das fortes pressões competiti- melhores práticas foram executadas e
vas e manutenção da sustentabilidade os resultados obtidos. Apresenta, tam-
das organizações de saúde. Toda uma bém, um glossário de termos técnicos
reflexão sobre o assunto é o núcleo do para facilitar o entendimento do leitor.
livro Gestão estratégica em farmácia A disseminação de informações
hospitalar: aplicação prática de um da aplicação de um modelo de ges-
modelo de gestão para qualidade. tão para qualidade, de forma prática
Os autores são Sonia Lucena Cipriano, e sistematizada, não se restringe ape-
Vanusa Barbosa Pinto e Cleuber Este- nas à comunidade de farmacêuticos
ves Chaves. O livro é uma publicação hospitalares, mas, também, para ou-
da Editora Atheneu. tros profissionais da área da saúde
Aplicar um modelo de gestão para que acreditam poder potencializá-las,
qualidade é uma estratégia para se al- transformando-as em práticas nas
cançar melhor desempenho nos pro- suas áreas de trabalho.
cessos da farmácia hospitalar, proven- Maiores informações sobre o li-
do-se produtos e serviços de qualidade vro Gestão estratégica em farmácia
à assistência farmacêutica prestada ao hospitalar: aplicação prática de um
paciente e à equipe da saúde. modelo de gestão para qualidade
Esta publicação apresenta todas as podem ser obtidas junto à Editora
etapas da aplicação dos critérios rumo Atheneu. O site é www.atheneu.com.br

Pharmacia Brasileira - Setembro a Dezembro 2009 23