Você está na página 1de 7

Índice

1. Introdução ................................................................................................................................................. 2
1.1. Objetivos ............................................................................................................................................ 2
1.1.1. Objetivo geral .............................................................................................................................. 2
1.1.2. Objetivos Específicos................................................................................................................... 2
2. Fundamento Teórico ................................................................................................................................. 3
2.1. Discrição do Arquipélago de Bazaruto ............................................................................................... 3
2.2. Ilhas que formam o Arquipélago ....................................................................................................... 4
2.3. Pontos de entrada.............................................................................................................................. 4
2.4. A grande atracção do arquipélago de Bazaruto ................................................................................ 4
2.5. Actividades para fazer em Bazaruto .................................................................................................. 5
2.6. Fauna.................................................................................................................................................. 5
2.7. Luxuosas infra-estruturas hoteleiras ................................................................................................. 5
3. Conclusão .................................................................................................................................................. 6
4. Bibliografia ................................................................................................................................................ 7

1
1. Introdução
Há cada vez mais pessoas a planear fazer as suas férias em destinos africanos, algo que não nos
surpreende de todo, uma vez que este continente esconde verdadeiros tesouros. Um dos países com
que os portugueses têm mais afinidade é Moçambique, o qual está a ganhar cada vez mais
popularidade a nível internacional. Têm sido construídas em Moçambique cada vez mais
infraestruturas pensadas para o turismo. Provavelmente dos lugares mais populares, no que ao
turismo diz respeito, seja o arquipélago de Bazaruto, onde existem longas e solitárias praias,
espaços verdes, lagoas espetaculares, uma vida marinha rica e umas vistas realmente
impressionantes.

1.1. Objetivos
1.1.1. Objetivo geral
 Conhecer o Arquipélago de Bazaruto.

1.1.2. Objetivos Específicos


 Descrever e Localizar o Arquipélago de Bazaruto;
 Caracterizar as catividades desenvolvidas no Arquipélago de Bazaruto.

2
2. Fundamento Teórico
2.1. Discrição do Arquipélago de Bazaruto
Este arquipélago foi formado há milhões de anos quando a corrente do rio Limpopo depositou
areias na sua foz. Situa-se na costa oeste do oceano Índico e tem uma área de 1.430 Km2. Fica a
600 Km da cidade de Maputo, a sul da cidade da Beira e em frente a Inhassoro e Vilanculos, a
cerca 400 Km do continente.

Dele fazem parte cinco ilhas arenosas: Bazaruto, Benguerra (conhecida como Santo António),
Mararupe (Santa Isabel), Paradise, (Santa Carolina) e Bangué.

Desde 1971 que está classificado como parque nacional. Um estatuto que lhe dá a protecção do
World Wildlife Fund, Endangered Wildlife Trust e do Governo moçambicano, que controla a
construção de resorts por ilha.

Segundo a literatura encontrada no arquivo histórico de Maputo, o interesse da coroa portuguesa


por estas ilhas data de 1772. A ocupação efectiva deste território ocorreu a 5 de Março de 1855.
Só após esta data se verificou uma tendência de fixação de comerciantes na zona, principalmente
indianos.
Foi decretada como reserva marinha protegida por dar abrigo a espécies em vias de extinção, como
o dugongo (em 2006 nadavam nas águas 150 exemplares), quatro espécies de tartarugas, cinco
golfinhos 180 tipos de pássaros e 40 borboletas. As águas quentes e a variedade de coral são ainda
a casa de mais de dois mil tipos de peixes. As baleias mink e right também podem ser vistas ao
longo da costa deste arquipélago durante a sua viagem migratória.

Alguma fauna com perigo de desaparecer do planeta também aqui se esconde, na luta pela
sobrevivência, como é o caso do macaco simango, cabritos vermelhos, crocodilos do Nilo, espécies
endémicas de gastrópodes e lagartos.

O arquipélago tem ainda dunas costeiras com vegetação original, praias de areia e rocha e lagos
de água doce. Estes, em conjunto com os mangais, fundos de ervas e comunidades de coral,
constituem a base para uma vida selvagem muito rica. O fundo do mar pode aqui ser admirado,
com quilómetros de recifes ainda intactos. Com as suas cores originais.

Parque Nacional do Arquipélago de Bazaruto


Área: 1.600Km2

3
Localização: Arquipélago de Bazaruto, Província de Inhambane
Espécies protegidas
O Parque de Bazaruto é o único inteiramente marinho e estabelecido para proteger espécies de
fauna marinha nomeadamente Dugongos, Tartarugas marinhas e Golfinhos.
Importa frisar que cerca de 150 Dugongos que ocorrem nesta área, constituem a única população
viável na costa oriental de África.
2.2. Ilhas que formam o Arquipélago
Considerado um dos lugares mais belos de África, o arquipélago de Bazaruto é composto por um
conjunto de seis ilhas que fica próximo da cidade de Vilankulo, em Mozambique. Para além de
Bazaruto, a ilha principal, é composto pelas ilhas de Benguerra, Magaruque, Banque, Santa
Carolina e Shell. Para além destas ilhas, o arquipélago é ainda formado por muitas outras ilhotas,
que em muitas vezes apenas se vêm quando a maré está baixa. Esta maravilha natural foi declarada
Parque Nacional no ano de 1971, e desde então que tem vindo a ganhar cada vez mais
popularidade.

2.3. Pontos de entrada

Vilanculos e Inhassoro são os portões para as ilhas. A melhor opção é por avião, à partir de Maputo,
Inhambane ou Joanesburgo. Alternativamente, você também pode fazer viagens rodoviárias
através de agências de viagem. No entanto, o voo é geralmente mais barato do que viagens
rodoviárias, excepto se viajar com mais de 4 pessoas. Se optar por ir de autocarro, esteja preparado
para procurar outro transporte para a aldeia, uma vez que os autocarros lhe deixam apenas na
terminal dos transportes.

Se as condições permitirem que se hospede num dos resorts de luxo nas ilhas, é possível reservar
um voo directo de hidroavião vindo de Maputo ou pelo avião da reserva natural de Gorongosa em
vôos semanais regulares.

2.4. A grande atracção do arquipélago de Bazaruto

Como pode imaginar pelas imagens que aqui apresentamos, a grande atracção deste arquipélago
moçambicano é precisamente o seu litoral, onde podemos encontrar praias realmente paradisíacas,
com águas completamente cristalinas, areias brancas e um fundo marinho tremendamente rico.

4
O mais curioso é que embora o país tenha estado em guerra civil durante mais de 16 anos e tenha
sofrido imenso com as graves inundações de 2007, Bazaruto tem-se conseguido manter isolado
das desgraças. Outro factor a favor é ainda se conservar num estado quase virgem, apesar de contar
já com bastantes hotéis, resorts e lodges. A parte boa é que estes empreendimentos têm um espírito
sustentável.

2.5. Actividades para fazer em Bazaruto

Uma das actividades que mais irá gostar de fazer neste paraíso africano será apanhar banhos de sol
enquanto comtempla a paisagem. Mas as atracções não se esgotam aqui, pois poderá gozar de
imensas actividades. Por exemplo, tanto o snorkeling como o mergulho são actividades que não
deve perder. Com efeito, o chamado Parque Marinho de Bazaruto ou Parque Nacional de Bazaruto
oferece nos seus 1.400 quilómetros quadrados uma importante reserva marinha, considerada como
a maior de todo o Oceano Índico. Para além disso, poderá praticar pesca de alto mar, esqui
aquático, vela e muitos outros desportos aquáticos.

2.6. Fauna

Contemplar a fauna será provavelmente uma das melhores coisas que poderá fazer neste lugar
maravilhoso. Entre os animais que poderá observar encontram-se crocodilos de água doce,
macacos, caranguejos dos mangais ou pequenos antílopes. Em relação às aves, predominam os
flamingos e as águias, entre muitas outras espécies. Nas águas oceânicas poderá contemplar
golfinhos, tubarões, jamantas, tartarugas e baleias. Mas se quiser mergulhar ao lado do enorme
tubarão baleia (que apesar de ser um tubarão, alimenta-se de plâncton tal como as baleias), deve
viajar durante a época mais húmida, ou seja entre os meses de Novembro e Abril.

2.7. Luxuosas infra-estruturas hoteleiras

Em termos de infraestruturas Bazaruto apresenta aparecimento de muitos empreendimentos, e os


hotéis de luxo onde pode ficar alojado nesta região de Moçambique, especialmente nas ilhas de
Bazaruto e Benguerra. Infelizmente nem todos se poderão dar ao luxo de ficar alojados neste lugar
maravilhoso porque os preços não são para todos os bolsos. A parte melhor é ter a garantia de
permanecer no anonimato e poder ficar alojado num lugar exclusivo.

5
3. Conclusão

O arquipélago é verdadeiramente um dos destinos mais bonitos do continente africano. A área


agora está protegida como área de conservação e parque nacional, incluindo os recifes de corais
que cercam as ilhas, tornando-se a única reserva marinha oficial no país. O parque é um dos
maiores do Oceano Índico e uma conquista crucial na conservação marinha global. Um paraíso
quase intocado na terra, o arquipélago ganhou a sua reputação como a “Pérola do Oceano Índico”.

Dunas de areia são encontradas em todo o arquipélago e os planos de maré e os lagos salinos do
interior sustentam uma grande variedade de espécies de aves marinhas. Os recifes de corais
também são o lar de milhares de espécies de peixes e espécies de mamíferos marinhos. A maior
população de dugongos ao longo da costa leste da África também pode ser encontrada em
Bazaruto.

6
4. Bibliografia
MOREIRA, M.E.S.A. (1975a) – Nota sobre o ecossistema do mangal no sul de Moçambique.
Garcia de Orta, Série Geografia, Lisboa, 4(1-2): 29-44.
MOREIRA, M.E.S.A. (1975b) – Inhassoro e Bartolomeu Dias: As actividades da população e a
organização do espaço.Mem. Inst. Invest. Científica de Moçambique, Lourenço Marques
https://www.mmo.co.mz/turismo/arquipelago-de-bazaruto#ixzz5KOvWnKQ6
Ministério para a coordenação da acção ambiental