Você está na página 1de 1

SUBSTITUIÇÃO DE TUBOS DRENO DE CONCRETO POROSO POR TUBOS DRENO DE

POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE - PEAD - EM OBRAS RODOVIÁRIAS


NORMAS DNIT 015/2006-ES e 093/2006-EM
TUBOS DRENO DE CONCRETO POROSO E PEAD

A aplicação de geossintéticos tem proporcionado dispositivos de drenagem longitudinal subterrânea,


grandes avanços técnicos na eficiência de para corte em solo (pág. 44) ou corte em rocha (pág.
dispositivos de drenagem aplicáveis em obras 45) como alternativa ao uso de tubos de concreto
rodoviárias e de geotecnia de modo geral. poroso ou de cerâmica porosa, com o diâmetro
indicado para o influxo calculado.
Nos anos 60 o concreto especificado era o Deste modo, para os projetos onde o
fck=10Mpa. Com o advento dos novos cimentos entre detalhamento dos dispositivos de drenagem
os anos 60 e 90, ocorreu um ganho de resistência
com um menor consumo de cimento em detrimento
toma, por exemplo, como referência o tubo de
das outras qualidades desejáveis do concreto (houve concreto poroso DN200 (vazão de influxo
perdas significativas na permeabilidade e deformação 1,67l/s.m) a substituição por tubo dreno PEAD
lenta, entre outros fatores). A nova NBR 6118/2003 - DN100 (vazão de influxo 4,94l/s.m) é uma
Projeto de Estruturas de Concreto, julgou por bem solução aprovada e aceita desde 2006 como
aumentar o fck das estruturas de concreto, com a equivalência técnica nas obras rodoviárias, uma
finalidade de aumentar a durabilidade destas (reduzir vez que proporciona um ganho da ordem de
a permeabilidade para diminuir a vulnerabilidade em 200% na eficiência no dispositivo de drenagem para
ambientes agressivos), não tolerando concretos com a vazão de influxo de projeto, sem aumento de
fck<20Mpa. Considerando que todos os projetos tipo custos.
do DNER foram desenvolvidos para a utilização do
cimento CP I, o qual não é mais fabricado, o DNIT VAZÃO DE INFLUXO
NORMA DIAMETRO
julgou de boa técnica aumentar o fck previsto nos DNIT (mm)
l/s.m
modelos antigos.
015/2006-ES
Conreto Poroso 200 1,67
Como conseqüência direta do aumento do fck surgiu Tabela 1
a dificuldade para fabricação de tubos dreno de
093/2006-EM
concreto poroso nos padrões estabelecidos nas PEAD Corrugado 100 4,94
Normas. Se por um lado são atingidos os valores de Tabela 2
resistência à compressão, os tubos perdem a
porosidade; por outro lado para se atingir a
porosidade (ou seja, os valores mínimos de vazão de
influxo estabelecidos na Norma DNIT 015/2006 ES,
drenos subterrâneos) os tubos tornam-se por demais
frágeis.

As vantagens da utilização de tubos dreno PEAD


padrão DNIT 093/2006-EM se traduzem também no
aumento da vida útil, adaptação a acomodações de
solo, eliminação de perdas por quebra e redução da
colmatação entre outras.

Em 2005 o DNIT promoveu uma profunda


reformulação / atualização dos padrões de drenagem
envolvendo suas Normas e o Álbum de Projetos -
Tipo de Dispositivos de Drenagem (Publicação IPR-
725 de 2006).
O Álbum de Projetos Tipo estabeleceu o uso de tubos
corrugados PEAD (Norma DNIT 093/2006- EM) em