Você está na página 1de 3

Oi amiga..gostaria de compartilhar algo com você.

Hoje pela manhã, eu estava lendo a Palavra em


Deut. 23:1-25, e logo me deparei com exclusões de alguns tipos de pessoas nas congregações dos
santos. Pensei! Tipo....discriminação...essa foi a 1a ideia que veio a minha cabeça de mortal. Porém,
sabemos o quando o Eterno é misericordioso, e que nada nas Santas Escrituras se pode ler, o que
chamamos no direito, “letra fria”. Sempre haverá um profundo contexto. Desde o início da história do
homem, porém, vemos o Senhor tratando o Seu povo com amor e zelo, mas também com muita
correção e justiça diante de tantas falhas cometidas por aqueles que deveriam ser, mais na prática do
que na teoria, a imagem e semelhança de Deus. Fui a pesquisa, e olhe o que quer dizer os contextos
dos três primeiros versículos.
1. Aquele a quem forem trilhados os testículos, ou cortado o membro viril, não entrará na
congregação do SENHOR.

2. Nenhum bastardo entrará na congregação do Senhor; nem ainda a sua décima geração entrará na
congregação do Senhor.

3. Nenhum amonita nem moabita entrará na congregação do Senhor; nem ainda a sua décima
geração entrará na congregação do Senhor eternamente.

QUEM COMPÕE A Congregação DOS SANTOS QUE IRÃO VIVER NA GLÓRIA?


Observe que a palavra central da epígrafe citada é “excluídas”. Ora, excluídas não são somente
aquelas pessoas que não integram, mas também aquelas que faziam parte e foram retiradas.

1. MEMBROS IMPRODUTIVOS –“Aquele a quem forem trilhados os testículos, ou cortado o


membro viril, não entrará na congregação do Senhor.” (Deuteronômio 23.1)

Diante de tamanha proliferação do pecado e do mal, Elohim teria todos os motivos para destruir ou
simplesmente abandonar esse mundo de vez, não fosse pela presença da Igreja sobre a face da terra,
a fim de anunciar o Evangelho e contribuir assim para que o nome do Senhor seja ainda mais
glorificado. A congregação tem sido a coluna de sustentação do mundo, e sua permanência aqui é o
que não tem permitido com que todo o sistema humano se desmorone de vez e seja completamente
dominado pelo império do mal.

Ainda existem milhares de milhares de vidas que precisam ser resgatadas do caminho da perdição. E
a nossa missão é esta: anunciar o Salvação em Yeshua em todo o mundo e formar netsarim
(discípulos) para o Reino de Elohim: “E Yeshua disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai a Palavra a
toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.”

A triste realidade, porém, é que, a cada novo dia, as igrejas, estão crescendo seu número de membros
e diminuindo seu número de verdadeiros profetas. Milhares de novos templos são erguidos a cada ano
em todo mundo e, no entanto, há um comodismo muito grande na maior parte das pessoas que
frequentam as igrejas e não assumem nenhum compromisso com o Eterno (e das que assumem,
poucas o honram!) em relação à ordem de Yeshua para anunciar sua Palavra e resgatar as vidas das
garras de ha satan.

2. MEMBROS SEM IDENTIDADE – “Nenhum bastardo entrará na congregação do Senhor; nem


ainda a sua décima geração entrará na congregação do Senhor.”(Deuteronômio 23.2)

Da mesma forma em que as igrejas estão lotadas de pessoas sem compromisso com a causa do
Eterno, também está lotada de pessoas que se dizem “filhas de Deus” mas que nunca assumiram a
verdadeira identidade. Isto é, pessoas que desceram às águas do batismo, receberam seus cartões de
membro mas nunca tiveram do Eterno a paternidade assumida porque nunca nasceram de novo, ou
seja, não fizeram teshuvá,

“Mas a todos quantos O receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Adonai: aos que crêem
no Seu nome, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do
homem, mas de Elohim.”

Os verdadeiros filhos de Elohim devem viver o que ensinam. Não devem se mascarar como título de
“judeus ou evangélicos” e continuar com hábitos de vida como os do mundo. O verdadeiro discípulo
deve ser reconhecido pelo brilho do Ruach HaKodesh em sua vida, que se reflete em seus atos, seus
pensamentos, suas palavras, seus valores, seus sentimentos, sua prática de vida.

A Palavra de YHWH nos diz que seus filhos são “novas criaturas” em Yeshua. E diz também que
quando renascem da água e do Espírito, “as coisas velhas já se passaram; eis que tudo se fez novo”
(II Coríntios 5.17). O que vemos, porém, é que há muitos que se dizem “filhos do Eterno”, isto é,
teoricamente mortos para o pecado e renascidos em Yeshua, permanecendo e praticando todas as
coisas que faziam antes de serem salvos por Yeshua. Ora, se permanecem em nós os mesmos
desejos de satisfazer as nossas vontades e as mesmas práticas também, definitivamente não
nascemos de novo do Espírito.

“Respondeu-lhe Yeshua: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não
pode ver o reino de Elohim. Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho?
porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Yeshua respondeu: Em verdade, em
verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de YHWH.
O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.”

3. MEMBROS SEM AMOR –“Nenhum amonita nem moabita entrará na congregação do Senhor;
(…) Porquanto não saíram com pão e água, a receber-vos no caminho, quando saíeis do Egito;
e porquanto alugaram contra ti a Balaão (…) para te amaldiçoar”. (Deuteronômio 23.3-4)

Houve um momento na história do êxodo de Israel que o povo precisou passar pelas terras dos
moabitas e dos amonitas para seguirem o caminho em que o Senhor havia indicado a Moisés. Mas
numa expressão de falta de sentimentos por aquele povo outrora 400 anos escravo do Egito, os reis
dos termos proibiram aos hebreus passarem por lá. (Deuteronômio 2)

O sofrimento de Israel configura o sofrimento de muitos amados dentro das congregações. Pessoas
que passam pelos mais diversos problemas, como fraqueza espiritual, dificuldades financeiras,
decepções amorosas, humilhações, problemas conjugais e familiares, discriminação, enfermidades, e
não encontram (ou quase não encontram) a orientação ou o apoio por parte dos irmãos onde
congrega. Isso só revela como há hipocrisia em nosso meio. Pois, quando iniciamos o processo de
teshuvá, imaginávamos que isso seria coisa do passado, e não é! Essa triste verdade é uma realidade
dolorosa e vergonhosa entre os que almejam a vida eterna.

Tantos congregados pregam amor ao próximo e guardam dentro de si a mágoa; pregam alegria da
salvação mas sofrem dentro de si a incerteza da sua própria salvação; pregam acerca da justiça do
Eterno, mas são os primeiros a acusar e condenar os irmãos. Quantas pessoas que se acham no
direito de julgar e condenar irmãos fracos e caídos na fé, demonstrando na prática toda falta de amor
que pregam não dever existir em nosso meio!

“Por causa disto há entre vós muitos fracos e enfermos, e muitos que dormem.”
E, como a kehilá é um corpo (I Coríntios 12.27), todo ele acaba por sentir também as dores desse mal
que acomete muitos dos seus membros … todo o corpo padece profundamente (I Coríntios 12.26).

Se Yeshua tivesse sido hipócrita e dispensado um falso amor sobre a humanidade (que estava
destinada à morte por toda a eternidade), que esperança teríamos hoje? Que seria de nós? Não temos
todos nós o direito de entrarmos no Reino dos Céus através da salvação em Yeshua Ha Mashia, que
nos amou de verdade e a Si mesmo se entregou por todos? Qual é, pois o direito que muitos julgam
ter para condenar e/ou absolver outros? E sob a determinação de quem foram feitos melhores e mais
importantes do que os outros filhos de Elohim?

Amiga continuemos no amor do Eterno. E nos deixando usar segundo sua vontade! Que Adonai nos
veja como verdadeiros discípulos, e que possamos a cada dia, vestir toda a armadura espiritual, nos
enfileirar no exército dos Senhor dos Exércitos e segui suas instruções.
Baruch Hashem!