Você está na página 1de 5
F oss CURRICULO ESCOLAR E FORMAGAO INICIAL E CONTINUADA DO PROFESSOR: INTERFACES DELICADAS Por Celso dos S. Vasconcellos 5 TARGA NAO TEM FCA MORAL ne COO a IA PROFSSIONAL DESQUALIFICA & AUTORIDADE 00 formato dos profisionas da educagio & uma de- ‘mania constante. Se 3 formagéo 20 longo da vida € ‘um exigéncia em qualquer campo pofisoral, em urge 6s avangosteércas €priticos, 0 & em especial no caso dos cetucadores de pris sr, elo menos, aes A primera € 3 notre complexidade de nossa atvdade (uma das mais exgentes o sr humano, quando exerci no seu zutntico senda. com 0 agravante da sua recente rise de seid, como decorrncia da que- a do mito da ascersiosrialaravés do et sta cries tate a pergunta sincera do aluno: "Professor, estudar para que?) Ase- guna a crescente demanda da sociedad em resco as atrbuigies da exo (rrsito, consumo, croge, doengasseswalmente rans ‘Svs violincia, gravid ra ales, eologial. Por fer, afi) formaqéo inal tant pele qualidade deforma feauenterente sported, quanto pea fata de interes do académico na Sue foxmacio, reflex, entre otras coisas, de vrai curl, ogo ro inicio do Ersino Fundamental, marca plo Imprinting Escolar ies- teuconista Vasconcelos 2008: 102, ‘COMPLEXIDADE DA ATIVIDADE DOCENTE interes pla foeraco continade, sje po parte da mante- nedora sa do profsiorl, tem aver com 3 compreensio que tem da reievnca compesdade da athidade edcatva. Como 0 dr ‘genes do sister de educaco veer 0 ensino? Como os pofessores, ‘comprensem sia atividae?€ algo relevant ou secur? Baal ‘1 complex? Algumasindagagdes: (© Onde a ciancafover/adto vi aprender, deforma fur