Você está na página 1de 8

Comparação entre as propostas de Haddad e Jair Bolsonaro para a

Educação Brasileira

1. Financiamento
O Programa de Jair Bolsonaro fala que vai fazer muito mais com os
atuais recursos.

 Vai manter a Emenda Constitucional 95, aprovada durante o


governo golpista de Michel Temer, que congela os recursos da
educação e da saúde;
 Não vai cumprir a meta 20 do Plano Nacional de Educação
que prevê ampliar o investimento público em educação pública de
forma a atingir, no mínimo, o patamar de 7% (sete por cento) do
Produto Interno Bruto (PIB) do País no 5º (quinto) ano de vigência
desta Lei (2019)e, no mínimo, o equivalente a 10% (dez por
cento) do PIB ao final do decênio (2024);
 Não vai lutar pelos 50% dos Recursos Fundo Social do Pré
Sal para a Educação, não vai defender que 75% dos royaltes
da Exploração do Petróleo;
 Como o governo de Michel Temer ele não vai cumprir o Plano
Nacional de Educação;

 Governos Lula e Dilma:

 o PIB da educação passou de 4,7% em 2002, para 6,0%


do em 2014.

 as transferências passaram de cerca de R$ 45,0 bilhões


em 2002 (FUNDEF), para R$ 116,1 bilhões em 2013
(FUNDEB) (valores de 2013);
 O Salário Educação teve critérios públicos de repartição.

 Propostas de Haddad

 Revogação da Emenda Constitucional 95, proposta pelo


governo Michel Temer e aprovada com o voto de Jair Bolsonaro;

 Retomada do PNE para atingirmos investimentos de 10% do PIB


em Educação até 2024;

 Retomada dos investimentos dos royalties do Petróleo e do


Fundo Social do Pré-Sal em Educação.

2. Educação Básica
1
O programa de JB diz que é preciso inverter a pirâmide: o maior esforço
tem que ocorrer cedo, com a educação infantil, fundamental e média.
Quanto antes as crianças aprenderem a gostar de estudar, maior será
seu sucesso.

 Desrespeita a Constituição do Brasil que estabelece em seu artigo


211:

Art. 211. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios


organizarão em regime de colaboração seus sistemas de ensino.

§ 1º A União organizará o sistema federal de ensino e o dos


Territórios, financiará as instituições de ensino públicas federais e
exercerá, em matéria educacional, função redistributiva e supletiva,
de forma a garantir equalização de oportunidades educacionais e padrão
mínimo de qualidade do ensino mediante assistência técnica e financeira
aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios.

 Ignora, também nesse caso, as metas previstas nas leis dos Plano
Nacional de Educação (PNE) dos Planos Estaduais de Educação
(PEE) e Planos Municipais de Educação;
 Ao estabelecer essas prioridades está dizendo que a maior
incumbência ficará com estados e municípios. É coerente com o
congelamento dos gastos promovido por Michel Temer e defendida
por ele;
 Ele ignora tudo que foi feito em relação à educação infantil e ao
ensino fundamental no Brasil e não mostra a evolução dos dados.

 Governos Lula e Dilma

 Em 2002, o número de matrículas em creche no Brasil era de somente


1,152 milhão. Ao final do governo Lula, em 2010, já eram mais de 2,0
milhões de matrículas e em 2016 chegaram a 3,233 milhões;

 Haddad criou o IDEB, índice que permite monitorar a evolução da


qualidade da educação em todo o país, e serve de termômetro para
direcionar mais investimentos para as escolas que mais precisam;

 Haddad criou:

- o Programa Mais Educação: até 2014, mais de 57 mil escolas já


haviam aderido ao programa Mais Educação recebendo repasses de
mais de R$ 4,5 bilhões (acumulado
- Plano de Desenvolvimento da Escola priorizou o atendimento de
escolas com IDEB abaixo da média nacional.mEntre 2007 e 2013, o

2
PDE Escola destinou recursos da ordem de R$ 1,38 bilhão para mais de
37 mil escolas de educação básica de todo o país;
 Haddad investiu em:
- Quadras nas Escolas 10.188 em 3.783 municípios: investimentos de
3,96 bilhões;
- Educação Digital: escolas conectadas por banda larga;
- Luz para Todos: 14.000 escolas rurais conectadas à rede de
eletricidade;
- Caminho da Escola: 39.929 ônibus; 931 lanchas; 176.409 bicicletas
em 5.492 municípios com investimentos de R$ 7,5 bilhões;
 Haddad investiu:

- na valorização do profissional da educação: instituição do Piso


Nacional Profissional dos Professores, investimentos na formação de
professores de todos os níveis e modalidades de ensino;
- na valorização dos funcionários por meio do PRO Funcionário;

- na Educação para populações específicas foram realizados


investimentos na educação do campo, indígena e quilombola,
desenvolvendo políticas voltadas à formação de professores, construção
e reforma de escolas, transporte e alimentação escolar. Temer
praticamente extinguiu o programa de bolsa permanência dedicado a
estudantes quilombolas, indígenas, pessoas com deficiência e
estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, criado por
nossos governos. Bolsonaro nada diz sobre isso
- na Educação para a Paz e respeito aos direitos humanos.
 Propostas de Haddad

 Retomada do PNE e cumprimento das metas para garantir da Educação


Infantil à Pós Graduação;

 Retomada do conceito definido constitucionalmente de Educação


Básica:

 Aprovação da Lei que institui o Sistema Nacional de Educação;

 Educação Integral na Educação Infantil e Ensino Fundamental:


valorização da infância e das potencialidades das crianças. As unidades
educacionais serão lugar de paz, do brincar, de criação cultural e
investigação.
- Ação junto aos municípios para ampliação das vagas em creches com
qualidade

3
 Alfabetização das crianças assegurando: leitura, escrita, matemática,
conhecimentos no campo das ciências naturais, história e geografia;
 Inclusão digital e tecnológica das crianças;

 Ampliação da oferta de educação em tempo integral

 Garantir que todas as crianças, adolescentes e jovens de 4 a 17 anos


estejam na escola e que aprendam.

 Política Nacional de Valorização e Qualificação Docente

- Garantir o Piso Salarial Nacional;


- Diretrizes de Carreira com maior permanência dos profissionais;
- 25% dos professores que atuam na Educação Básica não possuem
licenciatura específica para as disciplinas que lecionam;
- Formação dos Professores com Universidade Aberta do Brasil e
Universidade em Rede;
- Prova Nacional para Ingresso na Carreira Docente para subsidiar
Estados, DF e Municípios na realização de concursos para professores
da Educação Básica;

 Programa Paz nas Escolas: - políticas voltadas à superação da violência


e para a promoção de uma cultura de convivência pacífica nas escolas.

 Educação para as relações étnico-raciais e as políticas afirmativas, de


valorização da diversidade e respeito aos direitos humanos.

 Em relação à Educação de Jovens e Adultos (EJA): redução do


analfabetismo com ampliação de vagas nas escolas e aperfeiçoando
experiências como o Pro-Jovem e o MOVA-Brasil assegurando-se
assistência estudantil;

 Em relação à Educação: consolidação da política de Educação Inclusiva


em todas as etapas e modalidades de ensino;

 Forte participação da União na oferta do Ensino Médio.

- Revogação da Reforma do Ensino Médio aprovada pelo governo de


Michel Temer, com o voto de Jair Bolsonaro.

 Promoção de um amplo debate sobre a Base Nacional Comum


Curricular do Ensino Médio, de modo a garantir aos estudantes
educação integral, por meio de projetos pedagógicos que, a exemplo
dos Institutos Federais, permitam o acesso ao estudo do português e da
matemática, aos fundamentos das ciências, da filosofia, da sociologia e

4
das artes, à educação física, à tecnologia, à pesquisa, em integração e
articulação com a formação técnica e profissional.

 Apoiar os Estados e o DF, no âmbito do Sistema Nacional de Educação,


visando à ampliação do acesso, garantia de permanência e melhoria da
qualidade do ensino, com especial atenção ao ensino noturno. As
escolas serão abertas para as respectivas comunidades e serão polos
de cultura, esporte e lazer.

 A repactuação federativa para o ensino médio será implementada a


partir das seguintes ações:
- Convênio com os Estados e o DF, no âmbito do Sistema Nacional de
Educação, para que o governo federal se responsabilize por escolas
situadas em regiões de alta vulnerabilidade social, elevados índices de
violência (sobretudo contra a juventude negra) e baixo rendimento
escolar (IDEB baixo);

o Serão acompanhadas e apoiadas pelo Instituto Federal de


Educação mais próximo;
o Terão plano de gestão e o projeto pedagógico escolar será
construído a partir da integração, reconhecimento de
saberes e cooperação mútua entre a gestão federal e os
educadores das escolas;
o Reforma e ampliação das escolas, implantação de internet
de alta velocidade, laboratório, biblioteca e equipamentos
desportivos e culturais;
o Programa de permanência para os jovens em situação de
pobreza, de sorte a combater evasão e melhorar o
rendimento escolar.

 Ampliação de vagas, fortalecimento dos campi e interiorização dos


Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, de modo a
propiciar maior acesso e mais oportunidades às juventudes,
especialmente nas regiões mais vulneráveis e com maiores índices de
violência.

 Mudança na governança e concepção do Sistema S. Direcionar 70%


dos recursos destinados à gratuidade - oriundos das Contribuições
Sociais arrecadadas pela União para manutenção do SESI, SENAI,
SESC, SENAC e SENAR - à ampliação da oferta de ensino médio de
qualidade

5
3. Ensino Superior

O programa de Jair Bolsonaro afirma que o papel das universidades


deve ser o de elevar as formas de produtividade do país através de
parceria e pesquisas com a iniciativa privada. O jovem deve sair da
faculdade pensando em abrir um empresa (...) O campo da ciência e do
conhecimento nunca deve ser estéril.

 Como vai manter a Emenda Constitucional 95 e como defende


que os recursos estejam concentrados na Educação Básica,
desrespeitando a Constituição Federal, não haverá recursos
para as Universidades Públicas ;
 Propõe, por isso, que a pesquisa aplicada esteja subordinada
aos interesses privados.
 Só há autonomia da pesquisa e soberania nacional se o recurso
das universidades for público e se houver pesquisa básica em
benefício dos interesses nacionais;
 Propõe que a atuação dos jovens na sociedade esteja restrita
aos interesses empresariais. Mas o país precisa de mais:
médicos (as) professores (as) e pesquisadores (as): sociólogos
(as), biólogos (as), físicos (as), químicos (as), historiadores (as),
filósofos (as), matemáticos (as), geólogos (as), engenheiros (as),
entre outros que trabalhem na área pública em benefício de toda
sociedade e não apenas de seus interesses e sucesso pessoais;

 Governos Lula e Dilma


Pela primeira vez os filhos e filhas de famílias de trabalhadores e trabalhadoras
tiveram acesso à Universidade e à pesquisa no país.

 18 Novas universidades
 173 novos campi
 2.820 novos cursos
 132.720 novas vagas
 431.804 novas matrículas
 71.641 novas matrículas à distância
 154.792 novas matrículas de pós-graduação
 FIES
 ENEM
 SISU
 PROUNI,
 Lei de Cotas,
 Ciência sem Fronteiras

4. Currículo
Um dos maiores males atuais [da educação] é a forte doutrinação. (...)
O país tem que ensinar mais português, matemática e ciências sem
doutrinação (...)Precisamos modernizar e revisar o conteúdo, isso inclui
a alfabetização, expurgando a ideologia de Paulo Freire, mudando a
6
Base Nacional Comum Curricular (BNCC), impedindo a aprovação
automát6ica e a própria questão da disciplina dentro das escolas.
 Não há propostas.
 Além de propor expurgar um dos maiores educadores do mundo
das escolas brasileiras fala em doutrinação. Onde? Quem?
Quando?
 Bolsonaro transformou os professores em inimigos internos . Se
quer expurgar Paulo Freire, podemos imaginar o que fará com
os mais de dois milhões de professores do país .
 Ele está atacando os princípios da educação, previstos nos
incisos II e III do artigo 206 da Constituição Federal, que
asseguram, respectivamente, a pluralidade de pensamento e a
liberdade de divulgá-lo, além ensinar, aprender, pesquisar e
divulgar;
 Bolsonaro diz que respeitará a Constituição. Todas as propostas
que apresentou desrespeitam a constituição. Basta ler.
 Bolsonaro fala em marxismo cultural e em ideologias perversas
que devem ser banidas do país.
 O marxismo cultural e outras doutrinas auxiliares, sem qualquer
fundamento científico, formam um corpo de ideias autoritárias,
preconceituosas, circulares e fechadas em si mesmas que
incentivam a violência e o fanatismo em várias partes do mundo
atingindo especialmente as mulheres.
 Essas ideias são veiculadas em sites de organizações de
extrema direita (veja abaixo).
 Como e por que Bolsonaro veicula as ideias dessas
organizações que nasceram fora do Brasil ? Está ligado a elas?
Como?
 Bolsonaro, como os fascistas e nazistas, acha que a
felicidade de alguns depende do extermínio de todos
aqueles que não pensam ou são como ele.

Educadores Progressistas

Sites sobre marxismo cultural e ideologia de gênero.

1- http://omarxismocultural.blogspot.com/2012/12/quais-os-motivos-por-
tras-da-falsa.html
2- http://omarxismocultural.blogspot.com/2014/01/o-grandioso-
plano-de-antonio-gramsci.html
3- http://omarxismocultural.blogspot.com/2012/06/espanha-
multiculturalismo-e-imigracao.html
4- https://vimeo.com/ondemand/12708
5- http://emcdp.blogspot.es/1400143814/el-marxismo-cultural-debe-
perecer/
7
6- https://crioux.wordpress.com/2013/08/24/marxisme-culturel/
7- https://www.youtube.com/watch?v=ossrIcXMe3Y
8- https://www.youtube.com/watch?v=f_tFqpnVDxw
9- http://omarxismocultural.blogspot.com/2015/07/a-corrupcao-da-
america-atraves-do.html
10-https://www.youtube.com/watch?v=gIdBuK7_g3M
11- http://portalconservador.com/secoes/marxismo-cultural/
12-https://blog.comshalom.org/carmadelio/7639-ideologia-genero-
filha-marxismo-cultural