Você está na página 1de 21

É o processo de obtenção do aço, desde a chegada do minério de ferro até o produto final a ser utilizado no mercado, em diferentes setores;

Soldabilidade

Dutilidade

liga metálica composta principalmente de ferro e carbono

Aços de baixo carbono:

% Carbono

% Carbono Aço : Resistência Mecânica

Aço:

Aço :

Resistência

Mecânica

O aço é produzido, basicamente, a partir de minério de ferro, carvão e cal. A fabricação do aço pode ser dividida em quatro etapas:

1. Preparação da carga

Laminação

Redução

Refino

2.

3.
4.

m /use r /ca n a l t k csa ?f eatu r e =w atc

Ref: http://www.acobrasil.org.br

Oxigênio aquecido a uma temperatura de 1000ºC é soprado pela parte de

Grande parte do minério de ferro (finos) é aglomerada utilizando-se cal e

Redução Essas matérias-primas, agora preparadas, são carregadas no alto forno.

metálica e dá início ao processo de redução do minério de ferro em um

carvão, em contato com o oxigênio, produz calor que funde a carga

gusa é uma liga de ferro e carbono com um teor de carbono muito

Preparação da carga carvão é processado na coqueria e transforma-se em coque.

produto resultante é chamado de sinter.

metal líquido: o ferro-gusa.

baixo do alto forno.

finos de coque.

elevado.

O

O

O

O

2.

1.

é chamado de sinter . metal líquido: o ferro-gusa. baixo do alto forno. finos de coque.
é chamado de sinter . metal líquido: o ferro-gusa. baixo do alto forno. finos de coque.

Laminação Os semi-acabados, lingotes e blocos são processados por equipamentos chamados laminadores e transformados em uma grande variedade de produtos siderúrgicos, cuja nomenclatura depende de sua forma e/ou composição química.

Refino Aciarias a oxigênio ou elétricas são utilizadas para transformar o gusa líquido ou sólido e a sucata de ferro e aço em aço líquido. Nessa etapa parte do carbono contido no gusa é removido juntamente com impurezas. A maior parte do aço líquido é solidificada em equipamentos de lingotamento contínuo para produzir semi-acabados, lingotes e blocos.

4.

3.

líquido é solidificada em equipamentos de lingotamento contínuo para produzir semi-acabados, lingotes e blocos. 4. 3.
líquido é solidificada em equipamentos de lingotamento contínuo para produzir semi-acabados, lingotes e blocos. 4. 3.
alto forno sinter sinterização coque gusa http://www.youtube.com/user/canaltkcsa?feature=watch
alto forno
sinter
sinterização
coque
gusa
http://www.youtube.com/user/canaltkcsa?feature=watch

Características do aço coberto pela NBR 8800:

Relação entre as resistência à ruptura e ao escoamento não inferior a 1,18 fu/fy

Resistência ao escoamento fy

8800: Relação entre as resistência à ruptura e ao escoamento não inferior a 1,18 fu/fy Resistência
8800: Relação entre as resistência à ruptura e ao escoamento não inferior a 1,18 fu/fy Resistência
8800: Relação entre as resistência à ruptura e ao escoamento não inferior a 1,18 fu/fy Resistência

Módulo de Elasticidade: E a = 200 GPa

Módulo de Elasticidade transversal:

Coeficiente de dilatação térmica:

a = 0,3

Coeficiente de poisson:

= 1,2 . 10 -5 / o C Massa específica:

= 7850 kg /m 3

G a = 77 GPa

a

a

a = 0,3 Coeficiente de poisson: = 1,2 . 10 - 5 / o C Massa
a = 0,3 Coeficiente de poisson: = 1,2 . 10 - 5 / o C Massa
a = 0,3 Coeficiente de poisson: = 1,2 . 10 - 5 / o C Massa
a = 0,3 Coeficiente de poisson: = 1,2 . 10 - 5 / o C Massa

Módulo de Elasticidade secante:

c = 0,2

Características do concreto:

Coeficiente de poisson:

Ecs = 0,85 Eci

do concreto: Coeficiente de poisson: Ecs = 0,85 Eci Resistência característica Módulo de Elasticidade
Resistência característica Módulo de Elasticidade inicial: Eci = 5600 fck 0,5 (MPa)
Resistência característica
Módulo de Elasticidade inicial:
Eci = 5600 fck 0,5 (MPa)
de poisson: Ecs = 0,85 Eci Resistência característica Módulo de Elasticidade inicial: Eci = 5600 fck
de poisson: Ecs = 0,85 Eci Resistência característica Módulo de Elasticidade inicial: Eci = 5600 fck

OBS: Quando se referir apenas ao módulo de elasticidade do concreto (Ec), a Norma estará considerando o módulo de elasticidade secante.

= 2500 kg /m 3 (concreto armado)

= 2400 kg /m 3 (concreto simples)

Coeficiente de dilatação térmica:

Massa específica:

= 1,0 . 10 -5 / o C

c

c
c

/m 3 (concreto simples) Coeficiente de dilatação térmica: Massa específica: = 1,0 . 10 - 5
/m 3 (concreto simples) Coeficiente de dilatação térmica: Massa específica: = 1,0 . 10 - 5
/m 3 (concreto simples) Coeficiente de dilatação térmica: Massa específica: = 1,0 . 10 - 5

Barras obtidas por diversos processos e que apresentam a forma da seção com determinadas características geométricas que as qualificam para absorver determinados esforços.

a forma da seção com determinadas características geométricas que as qualificam para absorver determinados esforços.

aço estrutural comum

aço de alta resistência mecânica e baixa liga

AR-350 (ASTM A-572 Gr50)

fy = 350/345 MPa (escoamento)

MR-250 (ASTM A-36)

fy = 250 MPa (escoamento) fu = 400 MPa (ruptura)

fu = 450 MPa (ruptura)

máx C = 0,23% máx Mn= 1,35%

máx C = 0,26%

%

%
%

= 250 MPa (escoamento) fu = 400 MPa (ruptura) fu = 450 MPa (ruptura) máx C
= 250 MPa (escoamento) fu = 400 MPa (ruptura) fu = 450 MPa (ruptura) máx C
= 250 MPa (escoamento) fu = 400 MPa (ruptura) fu = 450 MPa (ruptura) máx C

AR-350 COR (ASTM A-588 / COR-500)

(cont.)

aço de alta resistência mecânica, baixa liga, e elevada resistência à corrosão atmosférica patinável

fy = 350/345 MPa (escoamento) fu = 450 MPa (ruptura)

Si, Cr, Mo, Cu, V, Nb

máx C = 0,17% máx Mn= 1,20% máx Ni= 0,40%

%

%
%

350/345 MPa (escoamento) fu = 450 MPa (ruptura) Si, Cr, Mo, Cu, V, Nb máx C
350/345 MPa (escoamento) fu = 450 MPa (ruptura) Si, Cr, Mo, Cu, V, Nb máx C
350/345 MPa (escoamento) fu = 450 MPa (ruptura) Si, Cr, Mo, Cu, V, Nb máx C
350/345 MPa (escoamento) fu = 450 MPa (ruptura) Si, Cr, Mo, Cu, V, Nb máx C

Perfis Laminados, Barras e Chapas.Perfis

Perfis Soldados e de Chapa Dobrada.

Produtos Metalúrgicos

Produtos Siderúrgicos

cantoneira, I, H e U.

e Chapas.Perfis Perfis Soldados e de Chapa Dobrada. Produtos Metalúrgicos Produtos Siderúrgicos cantoneira, I, H e
e Chapas.Perfis Perfis Soldados e de Chapa Dobrada. Produtos Metalúrgicos Produtos Siderúrgicos cantoneira, I, H e
e Chapas.Perfis Perfis Soldados e de Chapa Dobrada. Produtos Metalúrgicos Produtos Siderúrgicos cantoneira, I, H e

Produtos Siderúrgicos (laminados)

http://www.gerdau.com.br/perfisgerdauacominas

Cantoneira de abas iguais

Barra chata
Barra chata
Barra redonda
Barra redonda
Barras trefiladas
Barras
trefiladas
Perfil T
Perfil T
Perfis I e U
Perfis I e U
rfi sge r dauaco min as Cantoneira de abas iguais Barra chata Barra redonda Barras trefiladas

massa linear (kg/m)

Perfis I Laminados Padrão Americano

Perfis I Laminados Abas Paralelas

Exemplo: W 200 x 26,6

Aço ASTM A-572 Gr50

altura aprox. (mm)

wide

(Série W

Americano Perfis I Laminados Abas Paralelas Exemplo: W 200 x 26,6 Aço ASTM A-572 Gr50 altura
Americano Perfis I Laminados Abas Paralelas Exemplo: W 200 x 26,6 Aço ASTM A-572 Gr50 altura
Americano Perfis I Laminados Abas Paralelas Exemplo: W 200 x 26,6 Aço ASTM A-572 Gr50 altura

Perfil CVS (Coluna Viga Soldada)

d/b f

Perfil CVS (Coluna Viga Soldada) d/b f Perfil VS (Viga Soldada) d/b f Perfil CS (Coluna
Perfil CVS (Coluna Viga Soldada) d/b f Perfil VS (Viga Soldada) d/b f Perfil CS (Coluna
Perfil CVS (Coluna Viga Soldada) d/b f Perfil VS (Viga Soldada) d/b f Perfil CS (Coluna
Perfil VS (Viga Soldada) d/b f
Perfil VS
(Viga Soldada)
d/b f
Perfil CVS (Coluna Viga Soldada) d/b f Perfil VS (Viga Soldada) d/b f Perfil CS (Coluna
Perfil CS (Coluna Soldada) d/b f
Perfil CS
(Coluna Soldada)
d/b f

Obs: Não cobertos pela NBR-8800. Cobertos pela NBR-14672.

Perfis de Chapa Dobrada

Obs: Não cobertos pela NBR-8800. Cobertos pela NBR-14672. Perfis de Chapa Dobrada
Obs: Não cobertos pela NBR-8800. Cobertos pela NBR-14672. Perfis de Chapa Dobrada

a grandes a

consideração da não-linearidade física pela plasticidade do

considera

estrutura

e proporcionalidade entre as

geométrica,

formação de rótulas plásticas até a estrutura se tornar

ou devidos

do material

da

análise

ordem

plásticas)

não-linearidade

A

segunda

ou a deformações.

rótulas

deslocamentos

de

Análise Elástica Linear

de

efeitos.

de efeitos

Análise Não-Linear:

material (formação

considerando-se

deslocamentos

e seus

hipoestática.

decorrente

pequenos

cargas

considerando-se d e s l o c a m e n t o s e seus
considerando-se d e s l o c a m e n t o s e seus
considerando-se d e s l o c a m e n t o s e seus

A estrutura não se presta mais à finalidade para a qual foi projetada. Grandes deslocamentos, vibrações e deformações permanentes. Ver capítulo 11 e

Estados Limites de Serviço (ou de utilização):

Correspondem à ruína parcial ou total da estrutura

-8800:2008

Estados Limites Últimos - ELU:

(ou de utilização): Correspondem à ruína parcial ou total da estrutura -8800:2008 Estados Limites Últimos -

Regra Básica de Dimensionamento

Item 4.6.3.2 da NBR-8800:2008 Sd <= Rd

Rd: Resistência de Cálculo.

Sd: Solicitação de Cálculo.

de Dimensionamento Item 4.6.3.2 da NBR-8800:2008 Sd <= Rd Rd: Resistência de Cálculo. Sd: Solicitação de

http://www.acobrasil.org.br/site/portugues/aco/processo--introducao.asp

Projeto de Estrutura de Aço e de Estrutura Mista de Aço

Notas Aula do Prof. Eduardo Thomaz

e Concreto de Edifícios PFEIL, Walter, PFEIL, Michèle, Estruturas de aço: Dimensionamento

Usina Siderúrgica CSA

Instituto Aço Brasil

Escória de alto forno: Fabricação

prático. 8 a ed., Ed. LTC, 2009

Vídeo: O Processo Siderúrgico

oria_fabricacao.pdf O Processo Siderúrgico

NBR 8800:2008

Referências: