Você está na página 1de 4

Contrato de concessão para dominação

Através dos termos presentes neste contrato que de comum acordo


pela livre vontade das partes, Dom senhor M, sendo este o dominador,
e sub/escrava Joyce, sendo esta a submissa, acordam com os termos
abaixo listados:

1º– Ao aceitar os termos a submissa, transfere a posse de seu corpo e


mente a seu Dominador, que passa a ter pleno direito sobre a sub
assim como o desejar, sendo os limites previamente estabelecidos.

2º– A submissa se compromete, a partir deste momento, ter orgulho


em pertencer a seu Dom, honrando sempre seu nome, sua marca e
sua pessoa, exaltando e agradecendo, sempre, os castigos, torturas e
humilhações exercidas por Ele.

3º– A submissa declara jamais questionar ou desafiar uma ordem


implícita de Seu Dominador, obedecendo-o imediatamente, estando
disposta ao seu domínio integralmente (24 horas/ 7 dias por semana).

4º– A submissa se compromete sempre em confiar em seu Dom,


fazendo todas as vezes suas vontades, sendo, plenamente, seu objeto
de uso e prazer sexual e mental.

5º– A submissa assegura que terá seu Dominador plenamente em


seus pensamentos.

6º– A submissa afirma que cumprirá todas as ordens ou tarefas


impostas por seu Dom fielmente, sejam virtuais ou presenciais,
enviando relatórios de suas tarefas para o Dominador.

7º– Todo e qualquer ato a ser realizado pela submissa deverá ser
precedido de solicitação de autorização perante o seu Dom.

8º– A submissa firma que cada humilhação imposta por Seu


Dominador servira para confirmar e reforçar a sua condição de
propriedade de incondicional submissão.
9º– A submissa declara que aceitará quaisquer castigos ou torturas
impostos por seu Dom devido a mau comportamento, descumprimento
de ordens, tarefas e desagrados, servindo os mesmos para o
aprimoramento de sua submissão, devendo sempre por eles
agradecer.

10º– O único pronome de tratamento que deve ser usado pela SUB
para se dirigir a seu Dominado será: MEU SENHOR, e quando
questionada as respostas deverá ser alguma dessas: sim meu
Senhor, sim mestre ou entendido meu Senhor, entendido Mestre,
aceitando, entretanto, ser tratada da maneira que o Dom julgar
pertinente.

11º– Independentemente que quaisquer fatores, a pontualidade deve


ser respeitada pela submissa.

12º– A submissa assegura que deixará de fazer todas as coisas que


seu Dom proibir.

13º– A submissa deverá ter ciência de que seu Dominador não


precisara recompensa-la em função de sua entrega e dedicação.

14º– A sub em questão, passa ser de inteira propriedade de seu Dom,


que dela fará uso da forma que lhe convier. Devendo a submissa lhe
informar tudo que ocorrer, ciente de que seu Dom e prioridade acima
de qualquer coisa.

15º– O presente contrato fica em vigor por prazo indeterminado,


podendo ser revogado pela vontade de qualquer uma das partes.

Regras estabelecidas

1) A submissa deverá se apresentar SEMPRE perfumada e com cada


parte de seu corpo limpos isto inclui pés e todos seus orifícios, com
cabelos secos e cheirosos, vestida conforme instrução prévia passada
pelo Dom.

2) A Safe Word estabelecida será: DIAMANTE, que uma vez dita, será
o castigo ou tortura imediatamente interrompido, conforme a vontade
do Dom a palavra poderá ser tirada da sub a qualquer momento.

3) A submissa deverá ficar a inteira disposição do Dom, para seu


prazer de uso. (A qualquer momento, inclusive no trabalho)

4) Ao receber o Dom durante uma sessão, à submissa deverá


permanecer sempre com seios à mostra e calcinha, de joelhos,
cabeça abaixada, mãos sobre os joelhos e somente responder o que
lhe for perguntado.

6) A submissa não poderá encarar o Dom, podendo, entretanto, olhar


de maneira respeitosa e fugaz.

7) quando ordenada, deverá à submissa despir o Dominador,


guardando cuidadosamente suas vestiários e acessórios (cintos,
calça, terno, sapatos, meias e etc), bem como oferecer-lhe beijos,
lambidas, chupadas e massagem.

8) se tocada na parte interna da coxa, deverá à submissa entreabrir as


pernas em sinal de submissão.

9) Sempre que o Dom se colocar atrás, a submissa devera parar o


que estiver fazendo, levantar os cabelos e oferecer sua nunca em
sinal de submissão.

10) durante a sessão, a submissa deverá se posicionar conforme


orientação do Dom, sendo proibida qualquer reação de fuga, proteção
ou desvio da área alvo, sob pena de intensificar o grau de intensidade
da punição aplicada.
11) quando finalizada a sessão, a submissa devera agradecer ao Dom
em sinal de submissão, com a expressão “obrigada, meu senhor”,
seguido de um beijo em cada uma de suas respectivas mãos.

12) é permitido à submissa gemer ou chorar no momento do castigo


ou tortura, mas dependendo do local deverá ser feito de maneira
discreta e reservada.

13) é expressamente vedado à submissa fumar ou ingerir bebida


alcoólica sem a prévia autorização do Dom.

14) O não cumprimento de quaisquer uma das regras acordadas neste


contrato resultará na aplicação de castigo a submissa, sendo este
definido pelo Dom.

Eu, Joyce, tomo ciência das regras especificas de BDSM presentes neste
contrato, declaro por livre e espontânea vontade, que a partir de hoje, me torno
submissa e serva de Dom senhor M.

“Devo também fazer tudo que meu Dono mandar. Me submeter a todos os
seus desejos e loucuras; dispor do meu corpo no momento, do jeito e da forma
que meu Dono quiser; receber seus castigos como prêmios e seus desejos
com loucura; ser fiel e sincera em qualquer situação. Não tendo qualquer
segredo para com o meu Dono; permitirei que meu Dono me humilhe, se for
sua vontade e desejo. Não terei contato com outros mestres sem pedir
autorização ao meu dono. Aceitarei ficar amarrada, acorrentada, enjaulada,
algemada, usar acessórios, e outros objetos, no momento, e no local em que
ele desejar; nunca discordarei de meu Dono; ” – trecho retirado de um livro
que o Dom Senhor M. achou interessante.

________________________________
Assinatura Submissa
________________________________
DOMINANTE senhor M.